Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 7 de 7
Filtrar
Filtros adicionais











País/Região como assunto
Intervalo de ano
1.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 14(41): e1795, 02/2019. ilus
Artigo em Português | LILACS, Coleciona SUS | ID: biblio-996051

RESUMO

Introdução: Travestis, transexuais e transgêneros (trans) fazem parte das minorias sexuais. São vítimas de estigmatização, discriminação e violência desde a infância, o que os leva muitas vezes à marginalização. Posto isso, se faz necessário políticas públicas que lhes forneçam condições para o exercício da cidadania. O presente trabalho apresenta os resultados de uma revisão integrativa sobre o acesso das pessoas trans aos serviços de saúde da atenção básica. Métodos: Coleta de dados realizada em dezembro de 2017 nas plataformas MEDLINE, SciELO e LILACS, utilizando os descritores em associação: transexual, transgênero ou travesti, acesso e atenção primária, atenção básica ou saúde. Os estudos deveriam ser publicados a partir de 2007 e estarem disponíveis gratuitamente. Resultados: Dos 578 estudos encontrados (incluídos as repetições) foram selecionados 6, provenientes do Brasil, EUA e África do Sul. Cinco com metodologia qualitativa e uma revisão sistemática. O acesso à Atenção Primária à Saúde (APS) por parte da população trans encontra barreiras multidimensionais. Há entraves políticos, socioeconômicos, organizacionais, técnicos e simbólicos, porém as barreiras técnicas são as mais impactantes ao acesso. Conclusão: Para que haja um acesso equitativo, livre de preconceitos e de discriminação, e cuidado pautados na empatia e compaixão, faz-se necessário incluir a temática diversidade sexual e de gênero na formação dos profissionais de saúde na graduação, na pós-graduação e, principalmente, na educação permanente daqueles implicados aos cuidados das pessoas trans. A APS, ao fazer valer seus atributos, mostra-se como o cenário ideal para o cuidado longitudinal destas pessoas


Introduction: Crossdressers, transsexuals and transgenders (trans) are part of the sexual minorities. They have been victims of stigmatization, discrimination and violence since childhood, which often leads to marginalization. Considering this, it is necessary to have public policies that provide them the conditions for the exercise of citizenship. The present paper presents the results of an integrative review on the access of trans people to primary health care (PHC). Methods: Data collection performed in December 2017 on the MEDLINE, SciELO and LILACS platforms, using the descriptors in association: transsexual, transgender or transvestite, access and primary care, basic care or health. The studies should be published as of 2007 and available for free. Results: Of the 578 studies found (including replicates), 06 were selected from Brazil, USA and South Africa. Five of them used qualitative methodology and one is a systematic review. Access to PHC by trans people encounters multidimensional barriers. There are political, socioeconomic, organizational, technical and symbolic obstacles, but the technical barriers are the most impacting to access. Conclusion: In order to ensure equal access, free of prejudice and discrimination, and care based on empathy and compassion, it is necessary to include the theme of sexual and gender diversity in the training of health professionals in undergraduate, postgraduate and, in the permanent education of those involved in the care of transgender people. PHC, when asserting its attributes, shows itself as the ideal setting for the longitudinal care of these people


Introducción: Travestis, transexuales y transgéneros (trans) hacen parte de las minorías sexuales. Son víctimas de estigmatización, discriminación y violencia desde la infancia, lo que los lleva a la marginación. Por eso, se hacen necesarias políticas públicas que les proporcionen condiciones para el ejercicio de la ciudadanía. El presente trabajo presenta los resultados de una revisión integrativa sobre el acceso de las personas a los servicios de salud de la atención básica (AB). Métodos: Recolección de datos para la revisión efectuada en diciembre de 2017 en las plataformas MEDLINE, SciELO y LILACS, utilizando los descriptores en asociación: transexual, transgénero o travesti, acceso y atención primaria, atención básica o salud. Los estudios deberían publicarse a partir de 2007 y estar disponibles gratuitamente. Resultados: De los 578 estudios encontrados (incluidas las repeticiones) fueron seleccionados 06. Los artículos provenían de Brasil, EE.UU. y Sudáfrica. Cinco de ellos usaron metodología cualitativa, siendo una revisión sistemática. El acceso a la AB por parte de la población trans encuentra diversas barreras, siendo multidimensionales. Hay obstáculos políticos, socioeconómicos, organizacionales, técnicos y simbólicos, pero las barreras técnicas son las más impactantes. Conclusión: Para que haya un acceso ecuánime, libre de prejuicios y de discriminación, y cuidado pautados en la empatía y compasión del paciente, se hace necesario incluir la temática diversidad sexual y de género en la formación de los profesionales de salud en la graduación, en el postgrado y, principalmente, en la educación permanente de aquellos implicados en el cuidado de las personas trans. La APS, al hacer valer sus atributos, se muestra como el escenario ideal para el cuidado longitudinal de estas personas.


Assuntos
Humanos , Atenção Primária à Saúde , Medicina de Família e Comunidade , Pessoas Transgênero , Acesso aos Serviços de Saúde
2.
Trab. educ. saúde ; 16(2): 751-772, maio-ago. 2018. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-963006

RESUMO

Resumo Legitimadas pela Organização Mundial da Saúde, as Práticas Integrativas e Complementares apresentam demanda crescente e têm a formação profissional como um dos maiores desafios para o seu avanço no Sistema Único de Saúde. O estudo quantitativo descrito apresenta a oferta de disciplinas e cursos em Práticas Integrativas e Complementares em seis instituições de ensino superior públicas no Estado do Rio de Janeiro, em 2014, identificada em seus respectivos sites e secretarias segundo as variáveis: instituições de ensino superior, subárea de saúde, nível do ensino (graduação e pós-graduação), subtemas das Práticas Integrativas e Complementares (Homeopatia, Acupuntura, Meditação etc.), formato (obrigatório, eletivo ou optativo) e conteúdo (informativo ou formativo). Os resultados mostram uma oferta de 56 unidades de ensino, distribuída em quase todas as subáreas de saúde, com maior concentração em cursos de Medicina, Farmácia e Enfermagem. De perfil predominantemente opcional e informativo, apresenta a Homeopatia, Meditação e Práticas Corporais como temas mais frequentes. A análise desta oferta, apoiada na perspectiva do cuidado integral e referenciada em literatura nacional e internacional, aponta desafios para a ampliação e qualificação do ensino de Práticas Integrativas e Complementares, dentre eles a inserção integrada em cursos de saúde visando a interação e complementaridade entre saberes distintos.


Abstract Legitimated by the World Health Organization, Complementary and Alternative Medicine have shown an increasing demand in the Western world. Professional training is considered one of it's biggest challenges to its advance in the Brazilian National Health System. The descriptive quantitative study presents the availability of modules of Complementary and Alternative Medicine in six public institutions of higher education at the state of Rio de Janeiro, 2014, identified on these respective websites and secretariat, and classified according to the variables: institutions of higher education, health subarea, level of education (undergraduate and graduate), subtopics of Complementary and Alternative Medicine (Homeopathy, Acupuncture, Meditation etc.); Format (mandatory, elective or optional) and content (informative or formative). The results shows an offer of 56 modules distributed in almost all sub-areas of health care, mainly in Medicine, Pharmacy and Nursing, with a predominantly optional and informative approach. The main themes are Homeopathy, Meditation and Body Practices. The analysis of this offer, based on the perspective of integral care and referenced in national and international literature, points out challenges for the expansion and qualification of the teaching of Integrative and Complementary Practices, among them the integrated insertion in health courses aiming at the interaction and complementarity between knowledge.


Resumen Recomendada por la Organización Mundial de la Salud, la Medicina Complementaria y Alternativa tiene creciente demanda, siendo la formación profesional un gran reto para su avance en el sistema de salud brasileño. El estudio cuantitativo descriptivo presenta la oferta de enseñanza de medicinas complementares identificada en los sitios y secretarías de seis instituciones de educación superior públicas en el Estado del Río de Janeiro, Brasil, 2014, de acuerdo con las variables: subárea de salud, nivel de la enseñanza (graduación y posgrado), subtemas de las medicinas complementares, formato (obligatorio, electivo o optativo) y contenido (informativo o formativo). Los resultados muestram 56 módulos en medicina complementaria y alternativa, repartidos en casi todas saboreas de salud, concentrados en cursos de Medicina, Farmacia y Enfermería, principalmente a través de materias opcionales, con el perfil informativo. Los temas principales son Homeopatía, Meditación y Prácticas Corporales. La análisis, desde el punto de vista de la atención integral y con referencia a la literatura nacional e internacional, señala retos para su expansión y calificación: ampliar la oferta, con un enfoque transversal y integrado a lo largo de los cursos, enfatizando las posibilidades de interacción y complementariedad entre diferentes conocimientos y prácticas de salud.


Assuntos
Humanos , Terapias Complementares , Capacitação de Recursos Humanos em Saúde , Integralidade em Saúde
3.
Cien Saude Colet ; 20(2): 547-56, 2015 Feb.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-25715148

RESUMO

UERJ allocates 45% of places as scholarships to socioeconomically-challenged students. Whoqol-bref was used to assess to what extent sociodemographic and health variables, the admission process and year of graduation simultaneously influence the quality of life (QOL) domains of medical students. 394 students with a mean age of 23 years participated in the study: 61% females, 43% scholarship holders and 20% with referred chronic morbidity (RCM). The lowest QOL scores were observed among women, with RCM, scholarship holders, economic class C and students in the 3rd and 6th years. Multiple linear regression analysis showed that all the independent variables analyzed had a negative association with QOL domains, and when assessed jointly contributed partly to its explanation, achieving 22% in the "environment" domain, influenced by their social class and the admission process. The presence of RCM had a negative influence on the physical, psychological and social relations domains. The last two domains were also influenced by the year of graduation. Variables with a positive influence on QOL need to be explored further. The data obtained are enough to serve as the base for care strategies for the most vulnerable students during medical training, giving special attention to scholarship students.


Assuntos
Qualidade de Vida , Estudantes de Medicina , Inquéritos e Questionários , Adolescente , Adulto , Brasil , Feminino , Humanos , Masculino , Análise Multivariada , Universidades , Adulto Jovem
4.
Ciênc. saúde coletiva ; 20(2): 547-556, 02/2015. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-742215

RESUMO

A UERJ reserva 45% das vagas para estudantes com carência socioeconômica. O objetivo deste estudo é conhecer em que extensão, variáveis sociodemográficas, de saúde, forma de ingresso e o ano da graduação, influenciam simultaneamente os domínios da qualidade de vida (QV) dos estudantes de medicina aferida pelo Whoqol-bref. Participaram 394 estudantes (72% dos matriculados em 2010), idade média: 23 anos, 61% mulheres, 43% cotistas e 20% com morbidade crônica referida (MCR). Os menores escores de QV observados foram para: mulheres, com MCR, cotistas, da classe C e do terceiro e sexto ano. A análise por regressão linear múltipla revelou que todas as variáveis independentes analisadas apresentaram associação negativa com os domínios da QV, e em conjunto contribuíram parcialmente para sua explicação, chegando a 22% no domínio meio ambiente, influenciada pela classe econômica e forma de ingresso. A presença de MCR associou-se negativamente aos domínios físico, psicológico e relações sociais. Estes dois últimos domínios também foram influenciados pelo ano da graduação. Variáveis que colaboram positivamente com a QV precisam ser exploradas. Os dados obtidos são suficientes para orientar estratégias de cuidado aos estudantes mais vulneráveis ao longo da formação médica, com especial atenção aos cotistas.


UERJ allocates 45% of places as scholarships to socioeconomically-challenged students. Whoqol-bref was used to assess to what extent sociodemographic and health variables, the admission process and year of graduation simultaneously influence the quality of life (QOL) domains of medical students. 394 students with a mean age of 23 years participated in the study: 61% females, 43% scholarship holders and 20% with referred chronic morbidity (RCM). The lowest QOL scores were observed among women, with RCM, scholarship holders, economic class C and students in the 3rd and 6th years. Multiple linear regression analysis showed that all the independent variables analyzed had a negative association with QOL domains, and when assessed jointly contributed partly to its explanation, achieving 22% in the “environment” domain, influenced by their social class and the admission process. The presence of RCM had a negative influence on the physical, psychological and social relations domains. The last two domains were also influenced by the year of graduation. Variables with a positive influence on QOL need to be explored further. The data obtained are enough to serve as the base for care strategies for the most vulnerable students during medical training, giving special attention to scholarship students.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Adulto Jovem , Qualidade de Vida , Estudantes de Medicina , Inquéritos e Questionários , Brasil , Análise Multivariada , Universidades
5.
Rio de Janeiro; s.n; 2015. 131 p. tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-756957

RESUMO

Este trabalho buscou compreender a relação entre a qualidade de vida (QV) dos estudantes de medicina de uma escola pública tradicional do Rio de Janeiro e a formação médica e foi desenvolvido em duas etapas. Entendeu-se QV como uma construção subjetiva, só possível de ser avaliada pelo próprio sujeito, multidimensional e composta por elementos que devem estar presentes e outros que devem estar ausentes.Utilizou-se na primeira fase o WHOQoL-Bref, instrumento validado no Brasil e, com isso, observou-se uma queda nos escores de QV dos estudantes do terceiro e sexto ano,etapas importantes do desenvolvimento profissional. Dos 394 participantes, com média de idade de 23 anos, 20 por cento referiram pelo menos uma morbidade crônica (MCR). Muitas destas podem ser resultado de estresse, ou por este exacerbadas. Estudantes com MCR, do sexo feminino (61 por cento), cotistas (43 por cento) e da classe econômica C (20 por cento), apresentaram menores escores de QV. O efeito negativo conjunto destas variáveis teve maior expressão na variabilidade (R2) nos domínios físico (18%) e meio ambiente (22 por cento). Na segunda etapa, realizou-se uma abordagem qualitativa, tendo sido entrevistados 21estudantes e 16 docentes. O uso do conceito de habitus como matriz de percepção e categoria analítica, possibilitou compreender como o cotidiano da formação e os processos de ensino-aprendizagem afetam a QV dos estudantes e levantou hipóteses sobre a maior vulnerabilidade dos cotistas. Observou-se que as práticas hegemônicas do modelo biomédico e do ensino tradicional são reproduzidas na escola pela força do habitus. A desconstrução do sujeito que ocorre ao longo da formação se dá sobre os pacientes e os estudantes, que não tem suas necessidades de cuidado e aprendizagem percebidas nem acolhidas, mas também sobre os professores, excluídos dos processos de gestão da escola...


This work seeked to understand the relation between the students of a traditional medical school from Rio de Janeiro’s quality of life (QoL) and medical formation, andit was developed in two stages. There was an understanding of QoL as a subjective construction that can only be evaluated by the subject itself, multidimensional and composed by elements that must be present and others that must be absent. Using the WHOQoL-Bref, a validated instrument in Brazil, it revealed a decrease in the QoL scores of third and sixth year students, important steps of professional development. Of 394 participants, with average age of 23 years old, 20 percent reported at least one chronic morbidity (RCM), many may be the result of stress, or by it exacerbated. Students with RCM, as well as female students (61 percent), scholarship holders (43 percent) and those from economic class C (20 percent) presented lower QoL scores. The negative effect of thes evariables together had more say in variability (...) in the physical (18 percent) and the environment (22 percent) domains of WHOQol-bref. The second stage held a qualitative approach. There was an interview amongst twenty-one students and sixteen professors, using the habitus concept as matrix of perception and analytical category. It was possible to understand how the daily training and the teaching-learning processes affectthe QoL of students and raise hypothesis about the bigger vulnerability of shareholders. It was observed that the hegemonic practices of the biomedical model and the traditional teaching are reproduced at school by habitus strength. The de construction ofthe subject that occurs throughout the training takes place on patients and students, whodon’t have their personal care and learning needs perceived, and on teachers, who are excluded from management processes in school...


Assuntos
Humanos , Relatos de Casos , Educação Médica , Educação de Graduação em Medicina/tendências , Qualidade de Vida , Docentes , Estudantes de Medicina
6.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 9(30): 96-103, jan./mar. 2014. ^eFormulário
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-879535

RESUMO

O objetivo do presente estudo é relatar a experiência do uso de um roteiro elaborado para orientar a revisão de prontuários em um ambulatório de um hospital universitário no município do Rio de Janeiro. O roteiro constava de questões fechadas e abertas abordando os seguintes itens: identificação do paciente, motivo e data da primeira consulta, informações subjetivas, informações objetivas, avaliação das necessidades de saúde do paciente, do plano terapêutico, dos registros, da longitudinalidade do cuidado e conclusões (resumo diagnóstico e terapêutico, proposições para a melhoria dos cuidados e necessidades de aprendizagem). Um prontuário foi escolhido aleatoriamente, copiado e distribuído a seis preceptores voluntários, juntamente com o roteiro. Percebeu-se que, na análise do prontuário, informações importantes de identificação dos usuários e da anamnese estavam ausentes ou desatualizadas. Observou-se concordância em 60% das respostas às perguntas fechadas. A heterogeneidade foi maior para perguntas abertas referentes à compreensão sobre risco, proteção, vulnerabilidade e necessidades não percebidas pelo usuário. Todos os preceptores consideraram o prontuário incompleto e observaram que os registros, centrados na doença, não eram assinados pelo preceptor. Além disso, foram identificados, como necessidades de aprendizagem, o conhecimento biomédico atualizado sobre as doenças de base do paciente e as habilidades sobre abordagem centrada na pessoa. A revisão do prontuário orientada pelo roteiro permitiu aos preceptores perceberem a necessidade de lerem os registros feitos pelos internos nos prontuários após a discussão dos casos, apontou temas para a educação permanente e os levou a refletir sobre o seu papel na formação profissional dos internos do curso de medicina.


The objective of the present study is to report the experience of the use of a guideline elaborated to guide the review of medical records in an outpatient care unit of a University Hospital in the municipality of Rio de Janeiro. The guideline included open and closed questions regarding patient identification, reason and date of the first appointment, subjective and objective information, evaluation of patients' health needs, therapeutic plan, entries, continuity of care, and conclusions (diagnostic and therapeutic summary, propositions for improvement of care and learning needs). A medical record was randomly selected, copied and distributed to six voluntary preceptors together with the guideline. Through the analysis of the medical records, it was possible to notice that important information for identification and anamnesis of users was missing or not up-to-date. Concordance was observed in 60% of the closed questions. Heterogeneity was more frequently seen in open questions concerning the understanding about risk, protection, vulnerability, and unrecognized needs of users. All preceptors considered the records incomplete and observed that the entries, which were focused on the diseases, had not been signed by the preceptor. In addition, knowledge regarding patients' diseases and patient-centered clinical methods were identified as learning necessities. Therefore, the guideline-oriented review of the medical records allowed preceptors to recognize the need for reading medical students' notes in patients' records after discussing the cases, pointed out topics for their continuing medical education, and influenced a reflection about their role in the professional development of medical students.


El objetivo de este estudio es presentar la experiencia del uso de un guión diseñado para orientar la revisión de los registros médicos en un ambulatorio de un hospital universitario en el municipio de Rio de Janeiro. El guión contenía preguntas cerradas y abiertas que abordaban los siguientes temas: identificación del paciente, causa y fecha de la primera cita, informaciones subjetivas, informaciones objetivas, evaluación de las necesidades de salud del paciente, del plan de tratamiento, de los registros, de la atención longitudinal y las conclusiones (resumen diagnóstico y terapéutico, propuestas para mejorar la atención y las necesidades de aprendizaje). Se seleccionó aleatoriamente un registro médico, copiado y distribuido a seis preceptores voluntarios junto con el guión. En el análisis del registro médico se observó que no aparecían importantes informaciones de identificación de los usuarios y de la anamnesis, o, si aparecían, estaban desactualizadas. Hubo concordancia en el 60% de las respuestas a las preguntas cerradas. La heterogeneidad fue mayor para preguntas abiertas respecto a la comprensión del riesgo, la protección, la vulnerabilidad y necesidades desapercibidas para el usuario. Todos los preceptores consideraron incompleto el historial y observaron que los registros, centrados en la enfermedad, no estaban firmados por el preceptor. Además, el conocimiento biomédico actualizado sobre las enfermedades de base del paciente y las habilidades de abordaje centrados en la persona se identificaron como necesidades de aprendizaje. La revisión del historial médico, orientada por el guión, permitió que los preceptores comprendieran la necesidad de lectura de los registros hechos por los estudiantes en los historiales después de la discusión de los casos, indicó temas para su educación permanente y provocó una reflexión en relación a sus roles en la formación profesional de los estudiantes de medicina.


Assuntos
Atenção Primária à Saúde , Registros Médicos , Assistência Centrada no Paciente , Educação Médica
7.
Rev. bras. educ. méd ; 37(3): 376-384, jul.-set. 2013. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: lil-697267

RESUMO

O WHOQOL-bref foi utilizado em estudo transversal para avaliar a influência do sexo, da forma de ingresso, do ano de graduação, da classe econômica e da presença de morbidade crônica referida (MCR), na qualidade de vida (QV) de 394 estudantes de medicina da UERJ (72% dos 545 matriculados em 2010, erro 6,5%). A análise estatística foi feita no SPSS v17 e utilizados testes qui-quadrado, ANOVA/ pós Hoc de Bonferroni (p valor = 5%) e razão dos produtos cruzados ("Odds Ratio" - OR) com respectivos intervalos de confiança (IC 95%). A idade média foi de 23 anos, sendo 61% mulheres, 43% cotistas (dos quais 64% mulheres) e 20% referiu morbidade crônica. De 0-100, a média da QV referida foi 66 e da satisfação com saúde 62. Os menores escores de QV foram observados nos estudantes do sexo feminino, com morbidade crônica referida (MCR), que ingressaram por reserva de vagas, da classe C e do terceiro e sexto ano. Os resultados apontam para a necessidade de estudos qualitativos para aprofundar as informações sobre a QV dos estudantes da UERJ.


WHOQOL-bref scoring was used in this cross-sectional study to assess the influence of sex, form of admission, year of graduation, economic class and the presence of referred chronic morbidity (RCM) on the quality of life (QOL) of 394 medical students from UERJ (72% of 545 enrolled in 2010, margin of error 6.5%). The statistical analysis was performed in SPSS v17 using chi-squared tests, Bonferroni post-hoc ANOVA (pvalue=5%) and odds ratio (OR) with corresponding confidence intervals (CI 95%). Mean age was 23 years, with 61% women, 43% admitted under positive discrimination ethnic quotas (64% women) and 20% referred chronic disease. From 0 to 100, the average referred QOL was 66 and satisfaction with health was 62. The lowest QOL scores were observed among 3rd and 6th year students who were women, with RCM, who had been admitted via reserved university places and belonged to economic class C. The results indicate the need for qualitative studies to improve our understanding of the QOL of UERJ students.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA