Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Soc. Bras. Clín. Méd ; 16(2): 119-122, 20180000.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-913374

RESUMO

O aumento da expectativa de vida é crescente e, concomitante a isto, há a valorização de algumas patologias, que acompanham a senescência − dentre elas as demências. No Brasil, 54,15% dos pacientes com demência foram diagnosticados com doença de Alzheimer, que é um distúrbio neurodegenerativo. A terapia medicamentosa apresenta benefícios limitados, sendo importante uma busca de terapias adjuvantes, para melhorar a qualidade de vida e retardar a institucionalização. O objetivo deste estudo foi correlacionar os benefícios do exercício físico para o paciente com doença de Alzheimer, e a melhora na qualidade de vida e na evolução do doente. Foi realizada uma revisão bibliográfica de artigos indexados nas bases SciELO, LILACS e PubMed, publicados entre os anos de 2010 e 2016, utilizando os descritores "doença de Alzheimer" e "exercício físico", pesquisados em português e inglês. Foram considerados para análise artigos redigidos em língua portuguesa, inglesa e espanhola. Foram encontrados 38 artigos no PubMed, 5 no LILACS e 4 na SciELO, sendo 28 selecionados, por sua maior relevância ao tema. O exercício físico possui efeito neuroprotetor na função cognitiva, por provocar redistribuição do fluxo sanguíneo cerebral, ação antioxidante de enzimas de reparação e citocinas pró-inflamatórias, degradação de placas amiloides, aumento do metabolismo e da síntese de neurotransmissores, resultando em mudanças cerebrais benéficas − estrutural e funcionalmente. Exercícios físicos demonstraram bons resultados na preservação da função cognitiva e funcional desses pacientes. Porém, ainda são necessários mais estudos acerca do tema, pelo fato de as pesquisas existentes apresentarem algumas limitações, principalmente quanto à amostragem. Este tema apresenta alta relevância e impacto da doença de Alzheimer nos pacientes.(AU)


Increased life expectancy is growing and, with it, some pathologies accompanying senescence, such as dementia, are more valued. In Brazil, 54.15% of patients with dementia were diagnosed with Alzheimer's Disease (AD), which is a neurodegenerative disorder. Drug therapy has limited benefits, and a search of adjuvant therapies to improve the quality of life and delay institutionalization is important. The objective of this study was to correlate the benefits of physical exercise in patients with Alzheimer's Disease, and to improve the quality of life and evolution of these patients. Literature review of articles indexed in SciELO, Lilacs and PubMed databases, published between 2010-2016, using the key words "Alzheimer's disease" and "physical exercise" was performed. The articles written in Portuguese, English or Spanish were considered. Five articles were found in Lilacs, 38 in PubMed and 4 in Scielo, with 28 being selected due to their relation with the theme. Physical exercise has a neuroprotective effect on cognitive function by causing redistribution of cerebral blood flow, antioxidant action of repair enzymes, and pro-inflammatory cytokines, degradation of amyloid plaques, increased metabolism and synthesis of neurotransmitters, resulting in beneficial structural and functional brain changes. Physical exercises have shown good results in these patients' cognitive and functional preservation and/or improvement. However further studies about the subject are necessary because the existing studies have some limitations, mainly regarding sampling. This topic will have high relevance and impact of Alzheimer's Disease on patients.(AU)


Assuntos
Humanos , Qualidade de Vida , Exercício , Doença de Alzheimer
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA