Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Filtros adicionais











Intervalo de ano
1.
Rev. baiana saúde pública ; 35(4)out.-dez. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-621017

RESUMO

A gravidez maternidade adolescente tem sido associada a um conjunto de fatores de natureza psicossocial que afeta diretamente a vida do bebê e da mãe e, quando não-planejada, pode revelar-se um grave problema para a saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens brasileiros. São objetivos deste estudo: caracterizar as condições sociodemográficas e de saúde no primeiro ano pós-parto de adolescentes primigestas e investigar o perfil de cuidados de bebês de mães adolescentes no primeiro ano de vida. O método empregado foi a análise retrospectiva dos nascimentos ocorridos entre abril/2008 e março/2009 na Maternidade de São Carlos. A coleta de dados ocorreu mediante a realização de entrevista com 49 adolescentes de 16 a 21 anos de idade...engravidaram e 66por cento interromperam os estudos. Trabalhavam antes da gravidez 34por cento, tendo 33por cento interrompido a atividade; 72por cento não retornaram à sua ocupação. A maioria das adolescentes não relatou dificuldades nos cuidados com a criança, tendo 98por cento recebido orientações de familiares e profissionais de saúde; 98por cento aderiram ao aleitamento materno. No âmbito familiar, as adolescentes tiveram apoio e orientação de seus familiares, em especial dos avós maternos. A maioria das adolescentes mencionou a participação ativa do pai do bebê, tanto nos cuidados como financeiramente, apesar de o casal não manter uma união estável. A maioria refere que fez o acompanhamento mensal de saúde do bebê e que tiveram auxílio da unidade de saúde. Conclui-se que a gravidez na adolescência aparece muito mais como um problema social do que biológico, pois a maioria das adolescentes deixou de estudar e as que trabalhavam deixaram de exercer a profissão em virtude da necessidade de cuidar do filho pequeno, o que as tornam dependentes da moradia e do suporte financeiro de sua família. Palavras-chave: Gravidez na adolescência. Condições socioeconômicas. Escolaridade. Sistema de saúde.Características da família.


Pregnancy / adolescent motherhood has been associated with a set of psychosocial factors that directly affects the life of the baby and the mother and, when unplanned, that can prove to be a serious problem for the sexual and reproductive health of adolescents and young Brazilians. The objectives of this study were to characterize the socio-demographic and health conditions in the first year postpartum in primiparous adolescents and to investigate the profile of baby care of teenage mothers in the first year of life. The method used was a retrospective analysis of births from April/2008 and March/2009 at the Maternity of St. Charles. The data were collected by conducting interviews with 49 adolescents from 16 to 21 years of age...of adolescents received support from their parents, even if unintended pregnancies in 69percent of cases, 57percent remained in stable relationship with the childs father, 35percent were studying when they became pregnant and 66percent discontinued their studies. This study shows that 34percent of the teenagers worked before their pregnancy and 33percent stopped their job activities, 72percent did not return to their occupation. Most adolescents reported no difficulties in caring for the child, 98percent received counseling from family and health professionals, 98percent adhered to breastfeeding. Within the family, the teenagers had support and guidance from their relatives, especially from the maternal grandparents. Most adolescents mentioned the active participation of the father, both in care and financially, although the couple did not keep a stable relationship. Most teenagers state that they did the monthly prenatal and they had help from the health unit. It is concluded that teenage pregnancy appears more as a social problem rather than biological, as most teenagers stopped studying and working because they needed to take care of their child, which makes them dependent on the housing and financial support from their families.


El embarazo/maternidad adolescente se ha asociado a un conjunto de factores de naturaleza psicosocial que afectan directamente la vida del bebé y de la madre, y cuando no planificado, puede llegar a ser un problema grave para la salud sexual y reproductiva de los adolescentes y jóvenes brasileños. Los objetivos de este estudio son: caracterizar las condiciones sociodemográficas y de salud en el primer año posparto en adolescentes primigestas e investigar el perfil de los cuidados de los bebés de madres adolescentes en el primer año de vida. El método utilizado fue el análisis retrospectivo de los nacimientos entre abril de 2008 y marzo de 2009 en la Maternidad de San Carlos. Los datos fueron recogidos mediante la realización de entrevistas con 49 adolescentes de 16 a 21 años de edad...cuando se quedó embarazada y el 66or ciento interrumpió sus estudios. El 34por ciento trabajaba antes del embarazo y 33por ciento dejó la actividad, el 72por ciento no regresó a su ocupación. La mayoría de las adolescentes informó que no hubo dificultades con el cuidado del niño, el 98por ciento recibió asesoramiento de familiares y de los profesionales de la salud y, el 98por ciento adhirió a la lactancia materna. En el ámbito familiar, las adolescentes tuvieron el apoyo y la orientación de sus familias, especialmente de los abuelos maternos. La mayoría de las adolescentes mencionó la participación activa del padre del bebé, tanto en los cuidados como financieramente, aunque la pareja no mantenga una relación estable. La mayoría relató que hizo el acompañamiento mensual de la salud del bebé y que contó con la ayuda del centro de salud. Se concluye que el embarazo en la adolescencia aparece mucho más como un problema social de que...


Assuntos
Humanos , Feminino , Adolescente , Características da Família , Sistemas de Saúde , Gravidez na Adolescência , Escolaridade , Fatores Socioeconômicos
2.
Rev. bras. saúde matern. infant ; 10(4): 407-416, out.-dez. 2010. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-573856

RESUMO

Pregnancy in adolescence constitutes a public health problem owing to the high incidence of morbidity and mortality among mothers and new-borns and the possible disruption it causes in the life of adolescents. The aim of this review is to show which studies present evidence of a reduction in adolescent pregnancy as a result of strategic action. Six hundred and seventy-one citations were identified in the data bases, of which only nine were considered appropriate and used in this article. The approaches which had a impact on reducing the occurrence of pregnancy in adolescence were: a) comprehensive sex education (100 percent with positive results), prevention of further pregnancies (60 percent) and abstinence programs (50 percent). Although the programs presented were focused on the U.S.A population, as were those who fulfilled the inclusion criteria of this study, we observed that the use of methodologies with social approaches that take into account the different specific social and demographic and behavioral adolescents were important points for success and recognition of the interventions examined, as are strategies that lead to the reflection on the choices of adolescents for their future life.


A gravidez na adolescência é um problema de saúde pública devido à alta ocorrência de morbi-mortalidade materna e infantil e por constituir um possível elemento desestruturador da vida das adolescentes. O objetivo desta revisão foi verificar quais estudos demonstram os resultados da diminuição do índice de gravidez na adolescência a partir de ações estratégicas. Foram identificadas 671 citações na pesquisa às bases de dados, das quais apenas nove foram consideradas apropriadas e utilizadas na análise deste artigo. As abordagens com impacto para redução da ocorrência de gestações precoces foram: a) educação sexual compreensiva (100 por cento com resultados positivos), prevenção de reincidência de gravidez (60 por cento) e programas de abstinência (50 por cento). Apesar de os programas apresentados terem sido focalizados unicamente na população americana, pois foram os que se enquadraram nos critérios de inclusão do presente estudo, observou-se que a utilização de metodologias com abordagens sociais que levam em consideração as diferentes particularidades sócio-demográficas e comportamentais dos adolescentes foram pontos relevantes para o sucesso e reconhecimento das intervenções analisadas, pois são estratégias que remetem à reflexão dos adolescentes sobre as escolhas para sua vida futura.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Adolescente , Educação em Saúde , Gravidez na Adolescência , Gravidez não Planejada , Educação Sexual
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA