Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 35
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30277641

RESUMO

OBJECTIVES: To evaluate the diagnostic performance of a novel computational algorithm based on three-dimensional intravascular ultrasound (IVUS) imaging in estimating fractional flow reserve (IVUSFR), compared to gold-standard invasive measurements (FFRINVAS). BACKGROUND: IVUS provides accurate anatomical evaluation of the lumen and vessel wall and has been validated as a useful tool to guide percutaneous coronary intervention. However, IVUS poorly represents the functional status (i.e., flow-related information) of the imaged vessel. METHODS: Patients with known or suspected stable coronary disease scheduled for elective cardiac catheterization underwent FFRINVAS measurement and IVUS imaging in the same procedure to evaluate intermediate lesions. A processing methodology was applied on IVUS to generate a computational mesh condensing the geometric characteristics of the vessel. Computation of IVUSFR was obtained from patient-level morphological definition of arterial districts and from territory-specific boundary conditions. FFRINVAS measurements were dichotomized at the 0.80 threshold to define hemodynamically significant lesions. RESULTS: A total of 24 patients with 34 vessels were analyzed. IVUSFR significantly correlated (r = 0.79; P < 0.001) and showed good agreement with FFRINVAS, with a mean difference of -0.008 ± 0.067 (P = 0.47). IVUSFR presented an overall accuracy, sensitivity, specificity, positive predictive value, and negative predictive value of 91%, 89%, 92%, 80%, and 96%, respectively, to detect significant stenosis. CONCLUSION: The computational processing of IVUSFR is a new method that allows the evaluation of the functional significance of coronary stenosis in an accurate way, enriching the anatomical information of grayscale IVUS.

2.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 23(2): 130-133, abr.-jun. 2016. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-786996

RESUMO

Introdução: A medida acurada do tamanho do anel valvar aórtico tem importância fundamental para o planejamento do implante percutâneo de prótese valvar aórtica transcateter (TAVI) em pacientes comestenose valvar aórtica grave. Embora haja recomendação de se realizar a medida na sístole, pouco se sabe sobre a importância das diferenças entre as dimensões sistólica e diastólica do anel. Métodos: Pacientes consecutivos referidos para TAVI foram avaliados com tomografia computadorizada para medida do anel valvar na sístole e na diástole. Área, circunferência, diâmetros máximo e mínimo, e seus diâmetros médios derivados foram obtidos em ambas as fases do ciclo cardíaco. Gráficos de Bland Altman foram construídos para se avaliarem as diferenças entre as medidas.Resultados: Foram incluídos na análise 41 pacientes com estenose aórtica grave. As médias da área, circunferência e diâmetros médios foram discretamente maiores na sístole. No entanto, em 35% dos pacientes, as dimensões diastólicas foram maiores. Essas diferenças, embora estatisticamente significantes, foram pequenas (a maior diferença de 0,6 mm no diâmetro médio). Gráficos de Bland Altman revelaram bons níveis de concordância entre as medidas sistólicas e diastólicas em todos os parâmetros avaliados.Conclusões: Observamos pequenas diferenças nas dimensões sistólicas e diastólicas no anel valvar aórtico à tomografia computadorizada, as quais, embora estatisticamente significantes, provavelmente não impactam na seleção da prótese e nem no resultado do procedimento.


Background: Accurate aortic valve annulus sizing has critical importance for the planning of percutaneous transcatheter aortic valve implantation (TAVI) in patients with severe aortic valve stenosis. Although there is a recommendation to perform the measurement during systole, little is known about the importance of the differences between systolic and diastolic dimensions of the annulus. Methods: Consecutive patients referred for TAVI were evaluated with computed tomography for valve annulus sizing during systole and diastole. Area, circumference, minimum and maximum diameters, and their mean derived diameters were obtained in both phases of the cardiac cycle. Bland-Altman plots were constructed to evaluate the differences between the measures. Results: The analysis included 41 patients with severe aortic stenosis. Mean area, circumference, and diameters were slightly greater in systole. However, in 35% of patients, diastolic dimensions were greater.These differences, although statistically significant, were small (the greatest difference of 0.6 mm in mean diameter). Bland-Altman plots showed good agreement between systolic and diastolic measurements on all parameters evaluated Conclusions: Small differences were observed in the systolic and diastolic dimensions of the aortic valve annulus with computed tomography scan, which, although statistically significant, probably do not impact the selection of prosthesis or the procedure outcome.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso de 80 Anos ou mais , Diástole/fisiologia , Sístole/fisiologia , Substituição da Valva Aórtica Transcateter/métodos , Tomografia Computadorizada por Raios X/métodos , Artéria Femoral/cirurgia , Ecocardiografia/métodos , Estenose da Valva Aórtica/terapia , Implantação de Prótese , Análise Estatística
3.
Cardiovasc Diagn Ther ; 5(6): 414-9, 2015 Dec.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-26675281

RESUMO

BACKGROUND: The present study aimed to evaluate the clinical performance, in the daily practice of a busy catheterization laboratory, of a novel drug-eluting stent (DES) built with an ultra-thin-strut metallic platform, eluting sirolimus at low doses, abluminal coated with biodegradable polymers, and mounted in a low-compliant delivery system. METHODS: Prospective, single-arm study, comprising all consecutive patients undergoing percutaneous coronary intervention (PCI) with the Inspiron™ sirolimus-eluting stent (SES) (Scitech, Aparecida de Goiania, Brazil). The primary endpoint was the occurrence of major adverse cardiac events (MACE) [cardiac death, non-PCI related myocardial infarction (MI), or target vessel revascularization (TVR)]. RESULTS: A total of 470 patients were included, from which 51.3% were diabetics, 33.8% had triple-vessel disease, 15.3% had heart failure, 38.9% had at least one bifurcation treated, 19.8% were treated for a bare metal stent restenosis, and 61.9% had at least one type C lesion; one or more of these features were found in 96.0%. At 300 days, the rate target lesion revascularization was 5.4% and the rate of MACE was 8.1%. The incidence of definite or probable stent thrombosis was 0.4%, with no cases between 30 and 300 days. CONCLUSIONS: The novel stent is associated with excellent short and mid-term clinical outcomes in patients treated with PCI in the daily practice.

4.
Arq. bras. cardiol ; 105(5): 487-492, Nov. 2015. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-764993

RESUMO

Background:Advantages and disadvantages of ad hoc percutaneous coronary intervention have been described. However little is known about the radiation exposure of that procedure as compared with the staged intervention.Objective:To compare the radiation dose of the ad hoc percutaneous coronary intervention with that of the staged procedureMethods:The dose-area product and total Kerma were measured, and the doses of the diagnostic and therapeutic procedures were added. In addition, total fluoroscopic time and number of acquisitions were evaluated.Results:A total of 568 consecutive patients were treated with ad hoc percutaneous coronary intervention (n = 320) or staged percutaneous coronary intervention (n = 248). On admission, the ad hoc group had less hypertension (74.1% vs 81.9%; p = 0.035), dyslipidemia (57.8% vs. 67.7%; p = 0.02) and three-vessel disease (38.8% vs. 50.4%; p = 0.015). The ad hoc group was exposed to significantly lower radiation doses, even after baseline characteristic adjustment between both groups. The ad hoc group was exposed to a total dose-area product of 119.7 ± 70.7 Gycm2, while the staged group, to 139.2 ± 75.3 Gycm2 (p < 0.001).Conclusion:Ad hoc percutaneous coronary intervention reduced radiation exposure as compared with diagnostic and therapeutic procedures performed at two separate times.


Fundamento:Uma série de vantagens e desvantagens tem sido descrita para a intervenção coronária percutânea ad hoc, como a realizada ao mesmo tempo que o cateterismo diagnóstico, porém pouco se sabe sobre a exposição radiológica desse procedimento, comparado com a intervenção estadiada, ou seja, em dois momentos.Objetivo:Comparar a dose de radiação utilizada na angioplastia ad hoc com a angioplastia estadiada.Métodos:O produto de dose por área e o Kerma total foram mensurados, somando-se ambas as fases de diagnóstico e terapêutica. Além disso, foram computados o tempo total de fluoroscopia e o número de filmagens.Resultados:Um total de 568 pacientes consecutivos foram tratados com intervenção coronária percutânea ad hoc (n = 320) ou estadiada (n = 248). À admissão, o grupo do ad hoc apresentava menos hipertensão (74,1% vs. 81,9%; p = 0,035), dislipidemia (57,8% vs. 67,7%; p = 0,02) e doença triarterial (38,8% vs. 50,4%; p = 0,015). O grupo ad hoc foi exposto a doses significativamente menores de radiação, mesmo após ajuste para as diferenças basais entre os grupos. O grupo ad hoc foi exposto a uma dose de produto de dose por área total de 119,7 ± 70,7 Gycm2 enquanto que os pacientes estadiados foram expostos a uma dose de 139,2 ± 75,3 Gycm2 (p < 0,001).Conclusão:A intervenção coronária percutânea ad hoc reduziu a exposição radiológica, em comparação com procedimentos diagnósticos e terapêuticos realizados em tempos separados.


Assuntos
Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Doses de Radiação , Exposição à Radiação/prevenção & controle , Angiografia Coronária , Cateterismo Cardíaco/métodos , Stents Farmacológicos , Fluoroscopia/métodos , Estudos Prospectivos , Monitoramento de Radiação , Fatores de Risco , Estatísticas não Paramétricas , Fatores de Tempo
5.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 23(4)out.-dez. 2015. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-846599

RESUMO

Introdução:Recentemente, o estudo MOZART demonstrou que a utilização do ultrassom intracoronário (USIC) para guiar a intervenção coronariana percutânea (ICP) diminui o volume de contraste utilizado no procedimento. Avaliamos a incidência de eventos adversos cardiovasculares tardios desses pacientes. Métodos: Pacientes com risco para nefropatia induzida por contraste (NIC) ou para sobrecarga de volume, e com indicação de ICP, foram randomizados para procedimento guiado pela angiografia ou USIC, e acompanhados por um período de 1 ano. Resultados: Incluídos 83 pacientes nos grupos ICP guiado por angiografia (n = 42) ou USIC (n = 41), sendo que 77,1% eram diabéticos e 44,6% tinham clearance de creatinina < 60mL/min/1,73m2. As características clínicas e angiográficas não mostraram diferenças entre os grupos. A maioria tinha lesões tipo B2/C (89,8%) e uma mediana de dois stents foram usados (intervalo interquartil: 1,0­2,0 stents). O tempo de procedimento da ICP guiada por USIC foi 14 minutos maior do que no grupo guiado por angiografia (p = 0,006). No entanto, os grupos não diferiram em relação ao tempo de fluoroscopia ou à média de aquisições de imagem por procedimento. A NIC ocorreu em 19,0% vs. 7,3% (p = 0,26). No período de seguimento de 1 ano, 12% dos pacientes apresentaram algum evento cardiovascular maior, sendo dois óbitos (um para cada grupo), e não houve diferenças entre os grupos. Conclusões: A estratégia de redução de contraste com a ICP guiada pelo ultrassom intravascular, em pacientes com risco para NIC ou sobrecarga de volume, mostrou­se segura a curto e longo prazos.


Background: Recently, the MOZART study demonstrated that using intravascular ultrasound (IVUS) for guiding percutaneous coronary intervention (PCI) reduces the volume of contrast used in the procedure. The authors assessed the incidence of late adverse cardiovascular events in these patients. Methods: Patients at risk for contrast­induced nephropathy (CIN) or volume overload were randomized to angiography­guided versus IVUS­guided PCI, and followed­up for a 1­year period. Results: Eighty­three patients were included in the angiography­guided (n = 42) or IVUS­guided (n = 41) groups, of whom 77.1% were diabetics and 44.6% had creatinine clearance < 60mL/min/1.73m2. Clinical and angiographic characteristics did not differ between the groups. Most had type B2/C lesions (89.8%) and a median of two stents were used (interquartile range: 1.0­2.0 stents). The duration of IVUS­guided PCI was 14minutes longer than the angiography­guided PCI group (p = 0.006). However, the groups did not differ regarding fluoroscopy time or mean image acquisitions per procedure. CIN occurred in 19.0% vs. 7.3% (p = 0.26). During the 1­year follow­up, 12% of patients had a major cardiovascular event, with two deaths (one in each group), and no differences were found between groups. Conclusions: The contrast reduction strategy with IVUS­guided PCI in patients at risk for CIN or volume overload was shown to be safe in the short and long term


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Meios de Contraste/administração & dosagem , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Resultado do Tratamento , Ultrassonografia/métodos , Angiografia/métodos , Doenças Cardiovasculares/fisiopatologia , Creatinina , Diagnóstico por Imagem/métodos , Estudos Prospectivos , Análise Estatística , Stents
6.
Arq Bras Cardiol ; 105(5): 487-92, 2015 Nov.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-26351982

RESUMO

BACKGROUND: Advantages and disadvantages of ad hoc percutaneous coronary intervention have been described. However little is known about the radiation exposure of that procedure as compared with the staged intervention. OBJECTIVE: To compare the radiation dose of the ad hoc percutaneous coronary intervention with that of the staged procedureMethods:The dose-area product and total Kerma were measured, and the doses of the diagnostic and therapeutic procedures were added. In addition, total fluoroscopic time and number of acquisitions were evaluated. RESULTS: A total of 568 consecutive patients were treated with ad hoc percutaneous coronary intervention (n = 320) or staged percutaneous coronary intervention (n = 248). On admission, the ad hoc group had less hypertension (74.1% vs 81.9%; p = 0.035), dyslipidemia (57.8% vs. 67.7%; p = 0.02) and three-vessel disease (38.8% vs. 50.4%; p = 0.015). The ad hoc group was exposed to significantly lower radiation doses, even after baseline characteristic adjustment between both groups. The ad hoc group was exposed to a total dose-area product of 119.7 ± 70.7 Gycm2, while the staged group, to 139.2 ± 75.3 Gycm2 (p < 0.001). CONCLUSION: Ad hoc percutaneous coronary intervention reduced radiation exposure as compared with diagnostic and therapeutic procedures performed at two separate times.


Assuntos
Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Doses de Radiação , Exposição à Radiação/prevenção & controle , Idoso , Cateterismo Cardíaco/métodos , Angiografia Coronária , Stents Farmacológicos , Feminino , Fluoroscopia/métodos , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Prospectivos , Monitoramento de Radiação , Fatores de Risco , Estatísticas não Paramétricas , Fatores de Tempo
7.
Case Rep Cardiol ; 2015: 580543, 2015.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-25949831

RESUMO

Coronary artery anomalies are congenital changes in their origin, course, and/or structure. They are the second most frequent cause of sudden death in young athletes. Dual LAD artery is a rare coronary anomaly. We present the case of a 44-year-old man with recent onset exertional angina and documented ischemia whose coronary angiogram and computed tomography (CT) showed type 4 dual LAD artery, the rarest and most interesting variant.

8.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 23(1): 38-41, abr.-jun.2015. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-782173

RESUMO

A aterectomia rotacional com incorporação de novas estratégias ablativas tem sido proposta para o preparo de lesões extremamente calcificadas. Entretanto, pouco se conhece a respeito da adoçãodessas novas estratégias na prática contemporânea e sobre a evolução tardia dos pacientes submetidos aesse tratamento. Objetivamos avaliar os aspectos técnicos da aterectomia e a evolução tardia dos pacientesquanto à ocorrência de eventos cardiovasculares adversos maiores (ECAM). Métodos: Estudo retrospectivo e unicêntrico, incluindo todos os pacientes submetidos à aterectomiarotacional como parte do tratamento de lesões coronárias com calcificação extrema ou falha de dilataçãoem procedimento prévio, no período de julho de 2012 a novembro de 2014. Foram definidos como ECAM: óbito, infarto agudo do miocárdio com onda Q ou nova revascularização do vaso-alvo.Resultados: Foram submetidos à aterectomia 29 pacientes com idade média de 69,5 ± 7,6 anos. A médiada relação oliva/vaso foi de 0,54 ± 0,07; a velocidade de rotação inicial adotada foi de 161.000 ± 13.928 e a taxa de utilização de cutting balloon pós-aterectomia foi de 45,1%. Sucesso angiográfico foi obtido em todos os procedimentos. Na evolução tardia, a mediana de tempo de seguimento foi de 13,2 meses (intervalo interquartil: 4,0 a 17,4 meses). Foram registrados um óbito por causa não cardíaca e duas novas revascularizações do vaso-alvo. A média do tempo de sobrevivência livre de ECAM foi de 29,7 ± 2,1 meses.Conclusões: A aterectomia rotacional contemporânea incorporou estratégias menos agressivas de ablação,com elevada taxa de sucesso imediato e baixa ocorrência de ECAM na evolução tardia...


Rotational atherectomy with new ablative strategies have been proposed for the treatment of extremely calcified lesions prior to stent implantation. Nevertheless, few data are available about the adoption of these new strategies in contemporary practice and about late outcomes of patients undergoing this therapy. Methods: From July 2012 to November 2014, a retrospective single center registry was conducted, including all patients undergoing rotational atherectomy as part of the treatment of coronary arteries with heavy calcification or previous failed dilation. We evaluated technical aspects of atherectomy and late outcomes of patients for the occurrence of major adverse cardiovascular events (MACE), defined as death, Q-wave myocardial infarction or repeat target vessel revascularization.Results: Twenty-nine patients with a mean age of 69.5 ± 7.6 years, underwent atherectomy. The averageburr-to-artery ratio was 0.54 ± 0.07, the initial rotational speed was 161.000 ± 13.928 and the rate of cuttingballoon utilization after atherectomy was 45.1%. Angiographic success was achieved in all procedures. The median follow-up time was 13.2 months (IQ: 4.0-17.4) and there were three events: 1 death of non cardiac cause and 2 new target vessel revascularizations. The mean MACE-free survival time was 29.7 ± 2.1 months. Conclusions: Contemporary rotational atherectomy incorporates less aggressive strategies of ablation with high rates of acute success and low occurrence of major adverse cardiovascular events during late follow-up...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Aterectomia Coronária/métodos , Tratamento Farmacológico , Doença da Artéria Coronariana/complicações , Doença da Artéria Coronariana/diagnóstico , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Angioplastia com Balão/métodos , Aspirina/administração & dosagem , Calcificação Vascular/terapia , Heparina/administração & dosagem , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco
9.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 23(1): 58-60, abr.-jun.2015. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-782177

RESUMO

O objetivo deste estudo foi avaliar o grau de acurácia, precisão, correlação e concordância entre as medidas realizadas por um software de angiografia coronária quantitativa (QCA) online de calibração automática. Métodos: Estudo piloto que analisou imagens angiográficas de dez pacientes com um software de QCA online nas calibrações automáticas Auto ISO (calibração automática do isocentro) e Auto TOD (Table-to Object Distance). Foi realizada a medida do calibre do cateter pelos dois métodos, e o diâmetro de referência foi computado. Essas medidas foram comparadas com a medida do diâmetro do cateter quanto à acurácia, precisão e concordância. Resultados: O diâmetro médio real dos cateteres era de 1,75 ± 0,32 mm (variando entre 1,33 e 2,67 mm). A aferição dos cateteres pela QCA TOD e pela QCA ISO resultou em diâmetros médios de 1,78 ± 0,37 mm e 1,88 ± 0,38 mm, respectivamente. A acurácia/precisão da QCA TOD e da QCA ISO foi 0,03 m/0,21 mm e 0,12 mm/0,20 mm, respectivamente. As medidas da QCA TOD e da QCA ISO estiveram entre os limites de concordância em 96,3 e 94,7% dos casos, respectivamente. As medidas da QCA TOD e da QCA ISO correlacionaram-se significativamente (rs = 0,93; p < 0,01). No entanto, apesar da pequena diferença entre os métodos (0,10 ± 0,10 mm), as medidas da QCA ISO foram estatisticamente maiores que aquelas obtidas com a QCA TOD (p < 0,01). Conclusões: A QCA online com calibração automática apresentou boa acurácia, precisão e correlação,podendo representar uma ferramenta promissora no laboratório de hemodinâmica...


The objective of this study was to evaluate the degree of accuracy, precision, correlation, andagreement between the measurements performed by online Quantitative Coronary Angiography (QCA)software with automatic calibration.Methods: Pilot study that analyzed angiographic images of ten patients through online QCA softwareusing Auto ISO (automatic calibration isocenter) and Auto TOD (Table-to-Object Distance) automatic calibration. Catheter size was measured by both methods and the reference diameter was computed. These measurements were compared with the measurement of catheter diameter regarding accuracy, precision,and agreement. Results: The actual average of the catheter diameter was 1.75 ± 0.32 mm (range 1.33 to 2.67 mm). The measurement of catheters by TOD QCA and ISO QCA resulted in mean diameters of 1.78 ± 0.37 mm and 1.88± 0.38 mm, respectively. The accuracy/precision of the TOD QCA and the ISO QCA was 0.03 mm/0.21 mmand 0.12 mm/0.20 mm, respectively. The TOD QCA and ISO QCA measures were among the limits ofagreement in 96.3 and 94.7% of cases, respectively, and were significantly correlated (rs = 0.93, p < 0.01). However, despite the small difference between the methods (0.10 ± 0.10 mm), the ISO QCA measures were significantly higher than those obtained by the TOD QCA (p < 0.01). Conclusions: Online QCA with automatic calibration has good accuracy, precision, and correlation, which may represent a promising tool in the catheterization laboratory...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Angiografia Coronária/métodos , Precisão da Medição Dimensional , Doença das Coronárias/diagnóstico , Doença das Coronárias/terapia , Cateteres , Projetos Piloto , Análise Estatística , Stents
10.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 22(2): 149-154, Apr-Jun/2014. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-722252

RESUMO

Introdução: Avaliamos a segurança e eficácia do uso de protamina, guiada pelo tempo de coagulação ativado, para a remoção imediata do introdutor arterial femoral em pacientes submetidos à intervenção coronária percutânea com heparina não fracionada, com o objetivo de propor um algoritmo para a prática clínica. Métodos: Estudo prospectivo, com pacientes consecutivos, com angina estável ou com síndrome coronariana aguda de baixo ou moderado risco. Comparamos os pacientes com a retirada precoce do introdutor arterial àqueles nos quais o introdutor foi retirado de acordo com o protocolo convencional. A decisão pela remoção precoce ou convencional do introdutor foi deixada a critério do operador. Resultados: O grupo de remoção precoce (n = 149) apresentou menor tempo de manuseio do sítio de punção que o grupo de remoção convencional (58,3 ± 21,4 minutos vs. 355 ± 62,9 minutos; p < 0,01), principalmente devido à redução do tempo até a retirada do introdutor (42,3 ± 21,1 minutos vs. 338,6 ± 61,5 minutos; p < 0,01), sem impacto sobre a duração da compressão femoral (16,0 ± 3,6 minutos vs. 16,4 ± 5,1 minutos; p = 0,49). Não houve trombose hospitalar de stent e nem diferença significativa na incidência de eventos vasculares ou hemorrágicos. A incidência de outras hemorragias, que levaram à hospitalização prolongada, foi menor no grupo de remoção precoce (1,3% vs. 5,1%; p = 0,05). Conclusões: O uso seletivo de uma abordagem, para a remoção imediata do introdutor femoral guiada pelo tempo de coagulação ativado e a administração de protamina, é seguro e eficaz em pacientes submetidos à intervenção coronária...


Introduction: We evaluated the safety and efficacy of protamine administration, guided by activated clotting time, for the immediate femoral arterial sheath removal in patients undergoing percutaneous coronary intervention with unfractionated heparin in order to propose an algorithm for clinical practice. Methods: Prospective study with consecutive patients with stable angina or low-to-moderate risk acute coronary syndrome. We compared patients with an early removal of the arterial sheath to those whose sheath removal was based on a standard protocol. Results: The early removal group (n = 149) had lower access manipulation time than the conventional group (58.3 ± 21.4 minutes vs. 355.0 ± 62.9 minutes; p < 0.01), mainly due to a reduced time to sheath removal (42.3 ± 21.1 minutes vs. 338.6 ± 61.5 minutes; p < 0.01), with no impact on the duration of femoral compression (16.0 ± 3.6 minutes vs. 16.4 ± 5.1 minutes; p = 0.49). There was no stent thrombosis during hospitalization and no significant differences in the incidence of major vascular or bleeding events. The incidence of other bleeding events leading to a prolonged in-hospital length of stay was lower in the early removal group (1.3% vs. 5.1%; p = 0.05). Conclusions: The selective use of an approach for immediate femoral sheath removal, based on activated clotting time guidance and protamine administration, is a safe and effective option in patients undergoing percutaneous coronary intervention by femoral access...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Dispositivos de Acesso Vascular/efeitos adversos , Avaliação de Eficácia-Efetividade de Intervenções , Artéria Femoral , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Anticoagulantes/administração & dosagem , Heparina/administração & dosagem , Protaminas/administração & dosagem , Fatores de Risco , Viés de Seleção , Análise Estatística , Stents
11.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(4): 344-350, out.-dez. 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-703686

RESUMO

INTRODUÇÃO: A insuficiência renal aguda (IRA) é uma complicação possível após intervenção coronária percutânea (ICP). O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência e o impacto prognóstico da IRA pós-ICP em pacientes com infarto agudo do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST (IMCSST). MÉTODOS: Registro unicêntrico, que analisou a evolução hospitalar de 501 pacientes admitidos com IMCSST submetidos à ICP primária, de resgate ou tardia. Foram avaliados a incidência e os preditores de IRA pós-ICP. RESULTADOS: A idade média foi 60,7 ± 12,6 anos e 67% eram do gênero masculino. A população apresentava características de alto risco cardiovascular, sendo 30% diabéticos e 7,4% com doença renal crônica (DRC) preexistente. A artéria descendente anterior foi a principal artéria culpada (49,4%) e 15% dos pacientes se apresentaram em Killip III ou IV. A IRA ocorreu em 24,7% dos pacientes, que, quando comparados àqueles sem IRA, eram significativamente mais idosos, diabéticos, com DRC e insuficiência cardíaca, além de apresentarem maior elevação enzimática e menor fração de ejeção. A mortalidade hospitalar foi maior nos pacientes que desenvolveram IRA (29% vs. 4,8%; P < 0,01). Os preditores independentes de IRA foram idade > 76 anos, DRC prévia, Killip III ou IV, necessidade de cirurgia vascular ou transfusão sanguínea. CONCLUSÕES: A disfunção renal aguda após ICP no IMCSST foi uma complicação frequente e associada com aumento da mortalidade hospitalar.


BACKGROUND: Acute renal failure (ARF) is a possible complication after percutaneous coronary intervention (PCI). The objective of this study was to evaluate the occurrence and prognostic impact of ARF after PCI in patients with ST segment elevation myocardial infarction (STEMI). METHODS: Single-center registry evaluating in-hospital outcomes of 501 patients admitted with STEMI undergoing primary, rescue or late PCI. The incidence and predictors of ARF after PCI were evaluated. RESULTS: Mean age was 60.7 ± 12.6 years and 67% were male. The population had high cardiovascular risk characteristics, with 30% of diabetics and 7.4% with preexisting chronic kidney disease (CKD). The left anterior descending artery was the culprit vessel in 49.4% of the cases and 15% of patients had Killip class III or IV. ARF was observed in 24.7% of patients, who were significantly older, had more diabetes, history of CKD or heart failure, had higher enzyme elevation and lower ejection fraction when compared to those without ARF. In-hospital mortality was higher in patients who developed ARF (29% vs. 4.8%; P < 0.01). Independent predictors of ARF were age > 76 years, previous CKD, Killip class III or IV, need of vascular surgery or blood transfusion. CONCLUSIONS: Acute renal failure after PCI in STEMI was a frequent complication and was associated with increased in-hospital mortality.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Infarto do Miocárdio/fisiopatologia , Insuficiência Renal Crônica/complicações , Insuficiência Renal Crônica/fisiopatologia , Intervenção Coronária Percutânea/efeitos adversos , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Fatores Etários , Angiografia Coronária/métodos , Heparina/administração & dosagem , Estudos Observacionais como Assunto , Fatores de Risco
12.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(4): 390-395, out.-dez. 2013. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-703693

RESUMO

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença de alta prevalência e está comprovadamente relacionada a maior risco de eventos cardiovasculares. Apesar dos grandes avanços no tratamento farmacológico, uma parcela considerável dos pacientes não obtém um controle efetivo da doença, a despeito do uso de múltiplos fármacos e em doses elevadas. A denervação simpática renal percutânea (DSRP) tem se mostrado uma terapia promissora, com elevada segurança e eficácia em estudos preliminares em pacientes com HAS resistente. O papel do sistema nervoso simpático na fisiopatologia da HAS é bem conhecido e constitui o racional para a ablação das fibras simpáticas, por meio da aplicação de radiofrequência por via transluminal nas artérias renais. Nos últimos anos, resultados provenientes de algumas séries de casos, estudos não controlados e um estudo randomizado multicêntrico, com número limitado de pacientes, mostraram queda significativa dos níveis tensionais em curto e médio prazos. Esta revisão teve por objetivo reunir as evidências do uso da DSRP no controle da HAS resistente de maneira crítica, assim como descrever aspectos técnicos do procedimento e perspectivas.


Arterial hypertension is a highly prevalent disease and is associated with increased cardiovascular risk. Despite great advances in drug therapy, a considerable number of patients do not have an effective control of the disease, despite the use of multiple drugs, usually in high doses. Renal sympathetic denervation (RSD) has proved to be a promising therapy, with high safety and efficacy in preliminary studies in patients with resistant hypertension. The role of sympathetic nervous system in the physiopathology of hypertension is well known and is the rationale for the ablation of sympathetic fibers by transluminal delivery of radiofrequency in the renal arteries. In the last few years, results from case series, non-controlled studies and one multicenter randomized trial with a limited number of patients have shown a significant decrease in short and mid-term blood pressure levels. The objective of this review was to gather evidence on the use of RSD in the control of resistant hypertension and describe technical aspects and perspectives of the procedure.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Resistência a Medicamentos , Hipertensão/complicações , Hipertensão/fisiopatologia , Rim/fisiopatologia , Cateteres , Inibidores da Agregação de Plaquetas/administração & dosagem , Prevalência , Sistema Nervoso Simpático/fisiopatologia
13.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(1): 18-22, jan.-mar. 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-674483

RESUMO

INTRODUÇÃO: A injeção de trombina guiada por ultrassom (IT) é uma opção para o tratamento de pseudoaneurisma da artéria femoral. No entanto, o resultado dessa técnica em pacientes com síndrome coronária aguda (SCA) pode ser comprometido pelo uso de medicações antitrombóticas. Também, o extravasamento de trombina para a circulação sistêmica pode causar aumento de eventos tromboembólicos. MÉTODOS: Foram selecionados todos os pacientes admitidos com SCA que apresentaram pseudoaneurisma da artéria femoral após procedimento percutâneo, tratados com IT, entre janeiro de 2007 e julho de 2011. Características clínicas e laboratoriais, resultado do tratamento e complicações foram avaliados. RESULTADOS: Analisamos 23 pacientes, com idade de 67,1 ± 14,2 anos, 60,9% eram do sexo feminino, com índice de massa corporal de 28,4 ± 4,7 kg/m², e 52,2% eram diabéticos. À apresentação, 87% tinham SCA sem supradesnivelamento do segmento ST e o restante, infarto do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST. Entre os pacientes avaliados, 70% foram submetidos a intervenção coronária percutânea. Todos os pacientes estavam em uso de ácido acetilsalicílico, 78,3% utilizaram inibidores da P2Y12 e 39,1%, inibidores da glicoproteína IIb/IIIa. A IT foi eficaz em ocluir o pseudoaneurisma em 100% dos casos (96,7% após a primeira injeção), sem embolia distal, infecção local ou necessidade de correção cirúrgica em nenhum caso. Não houve infarto, acidente vascular cerebral ou revascularização não-programada. Houve um óbito por choque cardiogênico, 22 dias após a IT, no segundo dia após cirurgia eletiva de revascularização miocárdica. CONCLUSÕES: O tratamento de pseudoaneurisma da artéria femoral com IT é um método seguro e eficaz em pacientes com SCA.


BACKGROUND: Ultrasound-guided thrombin injection (TI) is an option for the treatment of femoral artery pseudoaneurysm. Nevertheless, the result of this technique in patients with acute coronary syndrome (ACS) may be compromised by the use of antithrombotic drugs. In addition, thrombin extravasation to systemic circulation could potentially cause an increase in thromboembolic events. METHODS: Patients admitted with ACS who developed femoral artery pseudoaneurysm after a percutaneous procedure and treated by TI between January 2007 and July 2011 were included. Clinical and laboratory characteristics, treatment results and complications were evaluated. RESULTS: We evaluated 23 patients with mean age of 67.1 ± 14.2 years, 60.9% were women, with body mass index of 28.4 ± 4.7 kg/m² and 52.2% were diabetics. At presentation, 87% had non-ST elevation ACS and the remaining had ST elevation myocardial infarction. Of the evaluated patients, 70% were submitted to percutaneous coronary intervention. All patients were receiving aspirin, 78.3% used P2Y12 inhibitors and 39.1% used glycoprotein IIb/IIIa inhibitors. TI was successful in occluding the pseudoaneurysm in 100% of cases (96.7% after the first injection), without distal embolization, local infection or need of surgical correction. There were no cases of myocardial infarction, stroke or unscheduled revascularization. There was one death due to cardiogenic shock 22 days after TI, on the second post-operative day after an elective coronary artery bypass graft surgery. CONCLUSIONS: Treatment of femoral artery pseudoaneurysm by TI is a safe and effective procedure in patients with ACS.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Artéria Femoral/fisiopatologia , Falso Aneurisma/fisiopatologia , Falso Aneurisma/terapia , Síndrome Coronariana Aguda/complicações , Síndrome Coronariana Aguda/fisiopatologia , Trombina/administração & dosagem , Cateterismo Cardíaco , Heparina/administração & dosagem , Intervenção Coronária Percutânea/métodos , Inibidores da Agregação de Plaquetas , Ultrassonografia de Intervenção/métodos
14.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(3): 221-226, 2013. graf, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-690652

RESUMO

INTRODUÇÃO: A valvuloplastia aórtica por cateter balão (VAB) é utilizada como estratégia paliativa em pacientes inelegíveis tanto para troca valvar cirúrgica quanto para implante valvar aórtico transcateter, ou como ponte para essas modalidades de tratamento. Não se sabe o impacto terapêutico da VAB quando realizada como medida de salvamento para pacientes em condições clínicas extremas (in extremis). MÉTODOS: Foram analisados pacientes com estenose aórtica grave de etiologia degenerativa submetidos à VAB entre julho de 2008 e janeiro de 2013. Os pacientes foram divididos entre o grupo in extremis (definido pela presença de duas ou mais das seguintes disfunções orgânicas: ventilação mecânica, instabilidade hemodinâmica, terapia renal dialítica, coagulopatia ou disfunção hepática graves) e o grupo controle, que incluiu os demais pacientes. RESULTADOS: Um total de 19 pacientes realizaram VAB no período. A condição clínica in extremis esteve presente em 42,1%. Os pacientes do grupo in extremis tiveram EUROSCORE II mais elevado (41,1 ± 24,7 vs. 15,9 ± 14,0; P = 0,01) e fração de ejeção do VE mais baixa que o grupo controle (33,9 ± 17,3% vs. 49,0 ± 12,5%; P = 0,04). Nenhum paciente do grupo in extremis sobreviveu ao período intra-hospitalar, enquanto que, no grupo controle, a mortalidade foi de 27,3% (P < 0,01). CONCLUSÕES: Para o tratamento de pacientes com estenose aórtica grave de etiologia degenerativa, a VAB tem resultado desfavorável quando indicada para pacientes com duas ou mais disfunções orgânicas, ou seja, em condição clínica in extremis.


BACKGROUND: Balloon aortic valvuloplasty (BAV) is used as a palliative strategy in patients who are not eligible for valve replacement surgery, transcatheter aortic valve implantation, or as a bridge to these treatment modalities. The impact of BAV as a salvage procedure for patients in extreme clinical conditions (in extremis) is unknown. METHODS: Patients with severe degenerative aortic stenosis undergoing BAV between July 2008 and January 2013 were evaluated. Patients were divided into the in-extremis group (defined by the presence of two or more of the following organ dysfunctions: mechanical ventilation, hemodynamic instability, dialysis, coagulopathy or severe hepatic dysfunction) and the control group, which included the remaining patients. RESULTS: A total of 19 patients underwent BAV. The clinical condition in-extremis was present in 42.1% of them. Patients from the in-extremis group had a higher EUROSCORE II (41.1 ± 24.7 vs. 15.9 ± 14.0; P = 0.001) and LV ejection fraction lower than the control group (33.9 ± 17.3% vs. 49.0 ± 12.5; P = 0.04). None of the patients in the in-extremis group survived past the hospitalization period, whereas the control group mortality was 27.3% (P < 0.01). CONCLUSIONS: BAV has an unfavorable result in patients with severe degenerative aortic stenosis with two or more organ dysfunctions, that is, patients in extremis.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Estenose da Valva Aórtica/complicações , Estenose da Valva Aórtica/mortalidade , Implante de Prótese de Valva Cardíaca , Valvuloplastia com Balão/instrumentação , Análise de Dados/análise , Ecocardiografia/métodos , Fatores de Risco
15.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 19(4): 392-399, dez. 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-618783

RESUMO

Introdução: O balão intra-aórtico (BIA) é utilizado há décadas como dispositivo de assistência circulatória, sendo recomendado na maioria das diretrizes, apesar da fraca evidência em relação à redução da mortalidade. O objetivo deste estudo foi avaliar o uso do BIA como ferramenta adjunta na intervenção coronária percutânea (ICP). Métodos: Registro unicêntrico que analisou a evolução hospitalar de 134 pacientes consecutivos que utilizaram BIA durante ICP de alto risco ou na vigência de choque cardiogênico. Resultados: A média de idade foi de 64,7 ± 12,5 anos e 67,9 eram do sexo masculino. A população apresentou características de alto risco, com 33,5 de diabéticos, 73,1 tratados na vigência de infarto do miocárdio, 68,6 com padrão triarterial, e fração de ejeção do ventrículo esquerdo de 38,6 ± 16,1. Fluxo TIMI 2/3 foi obtido em 86,4 dos casos, sendo tratada 1,6 ± 0,6 lesão/paciente. Ocorreram 18 (13,4) reinfartos, dos quais 9 (6,7) por trombose do stent, sendo 2 (1,4) pacientes encaminhados para cirurgia de revascularização miocárdica e 16 (11,9), para nova ICP. A mortalidade hospitalar foi de 61,2 e a taxa de eventos cardíacos adversos maiores (ECAM) foi de 67,2. Por análise multivariada, foram preditores de mortalidade: idade > 65 anos, ICP prévia, necessidade de diálise e padrão triarterial. Os preditores de sobrevida foram: função ventricular normal, fluxo TIMI 2/3 ao final do procedimento e permanência do BIA > 72 horas. Conclusões: Os pacientes que utilizaram BIA durante ICP apresentaram perfil clínico de risco muito alto, que se refletiu em elevada taxa de óbito. Fatores clínicos, angiográficos e do procedimento podem identificar variáveis que interferem independentemente na mortalidade.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Angioplastia/métodos , Angioplastia , Balão Intra-Aórtico/métodos , Balão Intra-Aórtico , Choque Cardiogênico/complicações , Doenças Cardiovasculares/complicações , Doenças Cardiovasculares/mortalidade , Infarto do Miocárdio/complicações , Infarto do Miocárdio/mortalidade , Fatores de Risco
16.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 19(1): 24-27, mar. 2011.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-591714

RESUMO

Introdução: O implante transcateter de prótese valvular aórtica (ITVA) tem sido utilizado em nosso meio e em diversos países do mundo como alternativa ao tratamento conservador em pacientes com estenose aórtica grave e elevado risco cirúrgico. Objetivou-se descrever o perfil clínico basal e a mortalidade a curto e médio prazos de uma série consecutiva de casos tratados com ITVA em dois centros localizados, respectivamente, na Itália e no Brasil. Métodos: A população de estudo foi composta pelos primeiros 75 pacientes consecutivos com estenose valvar aórtica grave tratados com a prótese Medtronic CoreValve TM Revalving System (MCV – Medtronic, Minneapolis, Estados Unidos). Tipicamente, a indicação para o ITVA foi motivada pelo alto risco cirúrgico. A média de idade era de 82 anos, 55% eram mulheres, um terço apresentava doença pulmonar grave e 95% apresentavam insuficiência cardíaca sintomática. Resultados: Após o ITVA, houve redução significativa do gradiente transvalvar aórtico máximo (basal: 95,8 + 32,3 mmHg; pós-procedimento: 18,5 + 6,1 mmHg) e médio (basal: 45,9 + 16,9 mmHg; pós-procedimento: 10,4 + 5,2 mmHg) (P < 0,01 para ambos). Insuficiência aórtica moderada ou acentuada foi evidenciada em 7% dos casos após ITVA. A taxa de sobrevida global aos 30 dias foi de 91,6% e aos 12 meses, de 79%. Conclusões: O ITVA surge como um método terapêutico de grande relevância para portadores de estenose aórtica de alto risco cirúrgico. As taxas de sobrevida precoce e a médio prazo indicam o benefício potencial do novo procedimento também para pacientes tratados no chamado mundo real.


Background: Transcatheter aortic valve implantation (TAVI) has been used in our country and in several differentcountries worldwide as an alternative to conservative treatment for patients with severe aortic stenosis and high surgicalrisk. This paper aimed at describing the baseline clinical profile and the short and medium-term mortality of a consecutive series of cases treated with TAVI in two centers in Italy and Brazil, respectively. Methods: The study population included the first 75 consecutive patients with severeaortic stenosis treated with the Medtronic CoreValveTM Revalving System (MCV – Medtronic, Minneapolis, USA). Typically, the indication for TAVI was motivated by high surgical risk. Mean age was 82 years, 55% were females, a third had severe lung disease, and 95% had symptomaticheart failure. Results: TAVI was associated with a significant reduction of peak (baseline: 95.8 + 32.3 mmHg; postprocedure: 18.5 + 6.1 mmHg) and mean (baseline: 45.9 + 16.9 mmHg; post-procedure: 10.4 + 5.2 mmHg) transaortic gradient (P < 0.01 for both). Moderate or severe aortic insufficiencywas observed in 7% of the cases. The overall survival rate at 30 days was 91.6% and at 12 months it was 79%.Conclusions: TAVI emerges as an important therapeutic option for high risk patients with aortic stenosis. The short and mediumterm survival rates suggest that the new procedure might beof benefit for patients treated in the real world context.


Assuntos
Humanos , Estenose da Valva Aórtica , Próteses Valvulares Cardíacas , Implante de Prótese de Valva Cardíaca , Aspirina/administração & dosagem , Cateterismo , Heparina/administração & dosagem
17.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 18(2): 135-139, jun. 2010.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-559918

RESUMO

Introdução: Embora os stents farmacológicos tenham reduzido de forma inconteste o crescimento neointimal e sua consequência clínica direta, a reestenose, questionamentos acerca de sua segurança a longo prazo têm motivado o desenvolvimento de novas tecnologias. A aplicação sistêmica de fármacos antiproliferativos teria o potencial de solucionar o problema da reestenose e ao mesmo tempo amenizar a questão da segurança tardia inerente aos polímeros sintéticos. Recentemente, estudo investigando a administração intravenosa de uma solução de paclitaxel ligado à albumina (ABI-007) produziu efeito discreto na redução da formação de tecido neointimal. Este trabalho teve como objetivo avaliar, por meio da angiografia e do ultrassom intracoronário (USIC) seriados, a efetividade da aplicação intracoronária do ABI-007 na supressão da hiperplasia neointimal após implante de stents não-farmacológicos. Método: Entre novembro de 2006 e maio de 2007, pacientes portadores de lesões coronárias de novo, com extensão < 18 mm, em vasos nativos de 2,5 mm a 3,5 mm de diâmetro, foram submetidos a intervenção coronária percutânea com implante de stents não-farmacológicos, seguida de injeção intracoronária de 70 mg/m² de ABI-007. Avaliação com angiografia e USIC foi programada para todos os pacientes imediatamente após o procedimento e aos seis meses de seguimento. Desfecho primário era a perda luminal tardia (QCA) e o porcentual de obstrução volumétrica gerado pela hiperplasia neointimal (USIC) aos seis meses...


Background: Transcatheter aortic valve implantation (TAVI) is increasingly reported as a valid alternative therapeutic option for patients with aortic valve stenosis with highsurgical risk. Although effective and relatively safe, TAVI is currently associated to the need of permanent pacemaker in 20% to 30% of the cases, with a number of predictors of this complication already described in the literature. Method: We report a series of 8 consecutive patients with aortic stenosis treated with TAVI (Corevalve Revalving, Medtronic Inc., USA). Results: The study population had ahigh surgical risk (on average, STS Score = 22.9% and EuroSCORE = 27.2%). All cases presented at least onehigh-risk predictor for post-procedure high grade atrioventricular block. The interventional procedure was successfully accomplished in all but one patient who presented a cardiac tamponade and in-hospital death. The transaortic pressure gradient was reduced from 91.3 ± 26.9 mmHg to19.4 ± 6.3 mmHg. After hospital discharge, the follow-up time ranged from 4 weeks to 12 months. During follow-up, there were no deaths and none of the patients had a new 2nd or 3rd degree atrioventricular block and permanent pacemaker was not required in any of the cases. Conclusion: Although the lack of a permanent pacemaker in the study population may have occurred by chance, our initial experience suggests that the need of pacemaker following TAVI is not readily predictable with the currently described high-risk predictors.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Estenose da Valva Aórtica/patologia , Próteses Valvulares Cardíacas , Marca-Passo Artificial , Cateterismo , Bloqueio Cardíaco
18.
EuroIntervention ; 5(2): 239-43, 2009 Jun.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-19527982

RESUMO

AIMS: To evaluate the risk and predictors of death in a large population of patients with stable coronary disease treated with percutaneous intervention. METHODS AND RESULTS: The study population comprised 1,276 patients with chronic angina or silent ischaemia who underwent elective coronary angioplasty. Baseline and in-hospital mortality data were prospectively collected for all patients during the index hospitalisation. Post-discharge outcome was assessed at out-patient clinic, by review of the patients' records, or direct phone contact. Deaths were classified as cardiac and non-cardiac. Age, peripheral arterial disease, congestive heart failure with NYHA class >or= III, triple-vessel disease, and procedural success (i.e. angiographic success for all lesions in the absence of peri-procedural infarction) remained as multivariate independent predictors of death. For the entire population 4-year cumulative all-cause and cardiac mortality were respectively 5.4% and 4.1%. Four-year mortality for patients without any multivariate predictor was 2.4%, while for patients with two or more predictors the death rate was 16.3% after four years. CONCLUSIONS: Patients with stable coronary disease undergoing percutaneous treatment have an overall low mortality rate after four years. Nevertheless, stable patients comprise a heterogeneous population in terms of risk profile, ranging from patients at very low risk of late death to individuals with a poor long-term prognosis.


Assuntos
Angioplastia Coronária com Balão/mortalidade , Doença das Coronárias/mortalidade , Doença das Coronárias/terapia , Idoso , Brasil/epidemiologia , Doença Crônica , Feminino , Mortalidade Hospitalar , Humanos , Estimativa de Kaplan-Meier , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Alta do Paciente , Modelos de Riscos Proporcionais , Estudos Prospectivos , Medição de Risco , Fatores de Risco , Fatores de Tempo , Resultado do Tratamento
19.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 16(4): 429-433, out.-dez. 2008. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-508786

RESUMO

Pacientes de muito baixo peso tratados com intervenção coronária percutânea tem maior risco de complicações durante a internação. Até o momento, não existem estudos para avaliar o efeito a longo prazo do baixo peso após angioplastia coronária na população brasileira. Um total de 3.687 pacientes foi separado em dois grupos, de acordo com o índice de massa corporal (IMC)...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Angioplastia Coronária com Balão/efeitos adversos , Angioplastia Coronária com Balão/métodos , Angioplastia Coronária com Balão/mortalidade , Índice de Massa Corporal , Prognóstico , Fatores de Risco
20.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 16(3): 289-294, jul.-set. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-503474

RESUMO

Fundamentos: Os stents farmacológicos constituem um grande avanço no tratamento da doença coronária. No entanto , seu emprego nas síndromes coronárias agudas tem sido objeto de intensa discussão científica. Método: Entre maio e 2002 e setembro de 2006, 910 pacientes consecutivos foram tratados com implante de pelo menos um stent farmacológico e incluídos na presente análise. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo estável (635 portadores de angina estável) e grupo agudo (275 pacientes com síndrome coronária aguda sem supra de ST). Analisamos as características clínicas e angiográficas e a ocorrência tardia de eventos adversos. Resultados: As características clínicas foram semelhantes, exceto pela maior frequência de tabagistas nos instáveis e de intervenção percutânea prévia nos estáveis. Após 588 dias (mediana do seguimento), os grupos, estável e agudo, tiveram índices semelhantes de reinfarto (2,8 por cento vs. 5,0 por cento; p = 0,1), revascularização do vaso-alvo (6,0 por cento vs. 7,7 por cento, p = 0,4, óbito (4,5 por cento vs. 6,5 por cento; p= 0,2) e eventos maiores combinados (9,9 por cento, p = 0,4), respectivamente. No entanto, a ocorrência de trombose foi significativamente mais frequênte nos pacientes com quadros coronários agudos...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Stents , Síndrome , Estudos Prospectivos , Trombose/complicações , Trombose/diagnóstico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA