Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. CEFAC ; 8(3): 320-327, jul.-set. 2006. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-440053

RESUMO

Objetivo: comparar queixas referidas de alterações na deglutição com achados do exame objetivo dadeglutição em pacientes pós acidente vascular encefálico. Métodos: foram avaliados, neste estudo,20 sujeitos idosos, de ambos os gêneros, pós Acidente Vascular Encefálico (AVE), do Hospital dasClínicas da Universidade Estadual Paulista – Unesp/Botucatu, internados na Enfermaria de Neurologiaou Pronto Socorro. Resultados: 30% dos pacientes queixavam-se de dificuldades de deglutição,quando a pergunta era geral; os demais pacientes somente referiam dificuldades quando minuciosamenteinterrogados; 90% dos pacientes apresentavam disfagia orofaríngea, sendo que 40% destas eramdisfagia grave. Destes 40%(6), somente 50%(3) apresentavam queixas. Dos pacientes sem queixas,com alteração na dinâmica da deglutição, constatou-se que 16(84,21%) dos pacientes, sem queixasde dificuldades com alimentos pastosos, apresentavam quadro de disfagia orofaríngea e 11(57,89%)alteração do controle oral, 13(86,67%) dos pacientes, sem queixas de dificuldades com líquidos,tinham disfagia e 8(53,33), alteração no controle oral. Conclusão: concluiu-se que as queixas dospacientes não corresponderam e apresentaram-se aquém dos achados da videofluoroscopia dadeglutição. Desta forma, é sempre necessária uma avaliação cuidadosa da deglutição nos pacientespós-acidente vascular encefálico.


Purpose: to compare swallowing complaint with objective analyses in patients after stroke. Methods:It was studied 20 elderly patients of both sexes, referred to the University Hospital of Botucatu, Unesp.Results: 30% of patients complain about swallowing difficulties with an unspecific question. The othersmade reference to swallowing difficulties only when the interrogation was specific. 90% show oropharyngeal dysphagia and 40% of this serious dysphagia. Out of this 40%(6), only 50%(3) madecomplaints. In relation to patients without any complaint but with swallowing dynamic alteration,16(84.21%) of those patients without complaint about difficulty with thick food had oro pharyngealdysphagia frame and 11(57.89%) had oral control alteration. In reference to difficulty with liquids13(86.67%) patients without complaint had dysphagia and 8(53.33%) oral control alteration. Conclusion:The authors conclude that there is no persistent correlation between videofluoroscopic and swallowingcomplaint. Therefore, it is always necessary a careful evaluation of swallowing after stroke.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Acidente Vascular Cerebral/complicações , Fluoroscopia/métodos , Transtornos de Deglutição , Acidente Vascular Cerebral/fisiopatologia , Distribuição de Qui-Quadrado , Anamnese , Orofaringe/fisiopatologia , Inquéritos e Questionários , Transtornos de Deglutição/etiologia , Transtornos de Deglutição/fisiopatologia , Gravação de Videoteipe
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...