Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Filtros adicionais











País/Região como assunto
Intervalo de ano
1.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 14(41): e1879, 02/2019. tab
Artigo em Português | LILACS, Coleciona SUS | ID: biblio-996057

RESUMO

Introdução: A Residência Médica de Medicina de Família e Comunidade e a residência Multiprofissional em Saúde da Família contribuem, para além do aprendizado, à qualidade do atendimento à comunidade, e a avaliação desse processo mantém a qualidade do serviço, sendo os indicadores instrumentos que permitem planejamentos em saúde. Objetivo: Avaliar o desempenho da Residência Médica de Medicina de Família e Comunidade e residência Multiprofissional em Saúde da Família da Atenção Básica pelo monitoramento dos indicadores de qualidade do PMAQ-AB. Métodos: Realizou-se estudo transversal com análise da série histórica de dados secundários do PMAQ-AB (2011 a 2013) referentes aos indicadores do 1º e 2º ciclo das equipes com residentes e ou egressos da residência da Atenção Básica. Realizou-se análise descritiva, com frequência absoluta e relativa, e média e desvio padrão dos dados. Resultados: 38,6% das equipes no 1º ciclo e 34,66% do 2º ciclo apresentavam egressos da residência. Atendimentos de pré-natal média de 8,75 (±2,24), gestantes com pré-natal em dia, média de 91,43% (±8,91). Crianças menores de quatro meses com aleitamento exclusivo, 82,51% (±13,17) e 93,91% (±6,59) de crianças menores de um ano com vacina em dia. Pessoas com diabetes 60,27% (±16,28) e hipertensão 61,31% (±12,04). Consultas médicas por cuidado continuado/programado com média de 26,00% (±22,22). Satisfação do usuário 100% com desempenho mediano ou acima da média. Conclusão: O estudo evidenciou predominância de avaliação positiva das equipes avaliadas acerca dos indicadores da saúde da mulher, criança, produção geral e avaliação externa, porém alcançou baixo desempenho no indicador de doenças crônicas.


Introduction: The Medical Residency of Family and Community Medicine and the Multiprofessional residence in Family Health contribute, in addition to learning, quality of care to the community, and the evaluation of this process maintains the quality of the service, the indicators being the instruments that allow planning in health. Objective: To evaluate the performance of the Medical Residency of Family and Community Medicine and Multiprofessional residence in Health of the Primary Care Family by monitoring the quality indicators of PMAQ-AB. Methods: A cross-sectional study was carried out with the analysis of the PMAQ-AB secondary data series (2011 to 2013) referring to the indicators of the first and second cycle of the teams with residents and/or graduates of the Primary Care residence. Descriptive analysis was performed, with absolute and relative frequency, and mean and standard deviation of the data. Results: 38.6% of the teams in the first cycle and 34.66% of the second cycle had their residency graduates. Average prenatal care of 8.75 (± 2.24), pregnant women with prenatal care on average, 91.43% (± 8.91). Children less than four months old exclusively breastfed, 82.51% (± 13.17) and 93.91% (± 6.59) of children under one year of age with up-to-date vaccine. People with diabetes 60.27% (± 16.28) and hypertension 61.31% (± 12.04). Medical consultations for continued/scheduled care averaging 26.00% (± 22.22). 100% user satisfaction with medium or above average performance. Conclusion: The study showed a predominance of positive evaluation of the teams evaluated in relation to indicators of women's, child's, general production and external evaluation, but it achieved a low performance in the indicator of chronic diseases.


Introducción: La Residencia Médica de Medicina de Familia y Comunidad y la residencia Multiprofesional en Salud de la Familia contribuyen, además del aprendizaje, calidad de la atención a la comunidad, y la evaluación de ese proceso mantiene la calidad del servicio siendo los indicadores instrumentos que permiten planificaciones en salud. Objetivo: Evaluar el desempeño de la Residencia Médica de Medicina de Familia y Comunidad y residencia Multiprofesional en Salud de la Familia de la Atención Básica a través del monitoreo de los indicadores de calidad del PMAQ-AB. Métodos: Se realizó un estudio transversal con análisis de la serie histórica de datos secundarios del PMAQ-AB (2011 a 2013) referentes a los indicadores del 1º y 2º ciclo de los equipos con residentes y/o egresados de la residencia de la Atención Básica. Se realizó un análisis descriptivo, con frecuencia absoluta y relativa, y media y desviación estándar de los datos. Resultados: El 38,6% de los equipos en el primer ciclo y el 34,66% del 2º ciclo presentaban egresados de la residencia. Los atendimientos de prenatal promedio del 8,75 (± 2,24), mujeres embarazadas con prenatal en día, promedio del 91,43% (± 8,91). Niños menores de cuatro meses con lactancia exclusiva, el 82,51% (± 13,17) y el 93,91% (± 6,59) de niños menores de un año con vacuna al día. Personas con diabetes 60,27% (± 16,28) e hipertensión 61,31% (± 12,04). Consultas médicas por cuidado continuado/programado con promedio del 26,00% (± 22,22). Satisfacción del usuario 100% con desempeño mediano o por encima de la media. Conclusión: El estudio evidenció predominio de evaluación positiva de los equipos evaluados a cerca de los indicadores de la salud de la mujer, niño, producción general y evaluación externa, pero alcanzó bajo desempeño en el indicador de enfermedades cónicas.


Assuntos
Humanos , Indicadores Básicos de Saúde , Avaliação de Desempenho Profissional , Pesquisa sobre Serviços de Saúde , Internato e Residência , Saúde da Criança , Saúde da Mulher
2.
RFO UPF ; 23(2): 180-185, 24/10/2018.
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-948110

RESUMO

Objetivo: analisar a rotatividade dos profissionais de saúde vinculados às Equipes de Saúde da Família (ESFs) de Montes Claros, MG. Sujeitos e método: trata-se de um estudo transversal de natureza quantitativa do tipo exploratório e descritivo. Os dados foram extraídos do Relatório de Profissionais Desligados no Estabelecimento do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), no período de fevereiro de 2001 a agosto de 2016. Resultados: foram avaliados 811 profissionais, dos gêneros feminino (n=599) e masculino (n=212), em 93 ESFs. Estiveram cadastrados 283 médicos, 264 enfermeiros, 50 técnicos de enfermagem, 75 auxiliares de enfermagem, 78 dentistas, 56 auxiliares de saúde bucal e 5 técnicos de saúde bucal. A média do tempo de permanência (TP) dos profissionais nas ESFs foi de 20 meses, sendo que o tempo mais frequente foi menor que 1 mês (6,2%), seguido pelos tempos de 1 (5,9%) e 2 (4,3%) meses; 48,82% dos profissionais (n=396) permaneceram por tempo menor que 12 meses. Os cirurgiões-dentistas foram os profissionais que tiveram maior TP dentre os profissionais de nível superior, e profissionais de nível médio apresentaram TP significativamente maior. Conclusão: pôde-se observar uma alta taxa de rotatividade profissional nas ESFs no município avaliado.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA