Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 8 de 8
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 30(spe): e3118, 2022.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1384247

RESUMO

Resumo O presente artigo discute as expressões de gênero no processo de cuidado e prevenção da COVID-19 e busca explicitar as manifestações do sexismo nas questões relativas às mudanças no cotidiano acarretadas pela pandemia, além de refletir sobre as possibilidades de ação da terapia ocupacional social frente a essas problemáticas. A investigação se desdobrou de um projeto mais amplo, intitulado "Desigualdades e vulnerabilidades na epidemia de COVID-19: monitoramento, análise e recomendações", realizado entre maio e novembro de 2020, cujo objetivo geral foi avaliar os impactos da pandemia de COVID-19 em bairros de maior vulnerabilidade dos municípios onde o estudo foi realizado. A metodologia se baseou na utilização do material produzido no processo de ida a campo. Trata-se de um estudo qualitativo que se debruçou sobre as informações obtidas na realização de rodas de conversa, entrevistas, aplicação de questionários, na produção de relatórios e diários de campo e na articulação deste material com referenciais teóricos que privilegiam a terapia ocupacional social e os estudos de gênero. Dentre os resultados, destaca-se a diferente forma como homens e mulheres compreenderam o período e estabeleceram seus modos de vida na pandemia, além das distintas atitudes e comportamentos frente aos cuidados necessários à prevenção da COVID-19. A crítica à masculinidade hegemônica permite um acúmulo de conhecimento que favorece a elaboração de processos interventivos, como a realização de oficinas de atividades e rodas de conversa que objetivam amenizar os reflexos desse pensamento na sociedade.


Abstract This article discusses the expressions of gender in the care and prevention process of COVID-19 and seeks to explain the manifestations of sexism in issues related to the changes in daily life caused by the pandemic, in addition to reflecting on the possibilities of actions of occupational therapy in this context. The investigation presented in this article unfolded from a broader project, entitled: "Inequalities and vulnerabilities in the COVID-19 epidemic: monitoring, analysis, and recommendations", carried out between May and November 2020, whose general objective was to assess the impacts of the COVID-19 pandemic in more vulnerable neighborhoods of the municipalities where the study was carried out. The methodology was based on the use of material produced in the field research process; this is a qualitative study that focused on the information obtained through conversation circles, interviews, application of questionnaires, the production of reports and field diaries, and the articulation of this material with theoretical references that favor social occupational therapy and gender studies. Among the results, it's possible to highlight the different ways in which men and women comprehended the period and established their ways of life in the pandemic, in addition to the different attitudes and behaviors towards the care necessary to prevent COVID-19. The critique of hegemonic masculinity allows for an accumulation of knowledge that favors the development of interventional processes, such as the carrying out of activity workshops and conversation circles that aim to soften the reflexes of this thought on society.

2.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e3007, 2021. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1339504

RESUMO

Resumo Indicadores educacionais do Brasil mostram uma sensível elevação da participação de mulheres negras no Ensino Superior. Porém, quando se trata de cursos considerados de alto prestígio, elas se encontram ainda mais em desvantagem. Essa tendência se expressa em seu cotidiano, demandando dessas estudantes um esforço adicional para superar o racismo. A pesquisa objetivou compreender os impactos do racismo na participação social de estudantes negras na universidade e as suas formas de enfrentamento. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado em uma universidade pública do estado de Alagoas, adepta apenas do sistema de cotas sociais. A produção de dados ocorreu por meio de grupo focal com seis estudantes negras de três cursos da área da saúde da universidade, que se autodeclararam negras/pretas ou negras/pardas. Os dados produzidos foram analisados por meio da técnica de análise temática, sendo apresentados e discutidos com base em três categorias: dificuldades relacionadas ao acesso e permanência na universidade; expressões do racismo no cotidiano universitário; e estratégias de enfrentamento ao racismo. Revelaram-se dificuldades em seu ingresso e trajetória no Ensino Superior, sendo atravessadas pelos marcadores de gênero, raça e classe. Reforça-se a necessidade das ações afirmativas no contexto universitário; sugere-se o aprofundamento teórico e a reflexão acerca do tema.


Abstract Educational indicators from Brazil show a sensible increase in the participation of black women in higher education; however, when it comes to courses considered to be of high prestige, they are even more at a disadvantage. This tendency is expressed in their everyday lives, demanding from these female students an additional effort to overcome racism. This research aimed to understand the impacts of racism on the social participation of black female undergraduate students in the university and the ways of facing it. This is a qualitative study, carried out at a public university in the state of Alagoas, which adheres only to the social quota system. The data production has occurred through a focus group with six black female undergraduate students, from three distinct health undergraduate courses by the university, who self-declared blacks. The data produced were analyzed using the thematic analysis technique, being presented and discussed from three categories: Difficulties related to access and stay at the university; Expressions of racism in university everyday life; and Strategies to fight against racism. Difficulties in the entry and trajectory of these black women in higher education were perceived, which were crossed by the markers of gender, race, and class. The need for affirmative policies in the university context is reinforced and theoretical deepening and reflection on the theme is suggested.

3.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2099, 2021.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1285776

RESUMO

Resumo A terapia ocupacional social se localiza ao longo da história como subárea que se constrói no Brasil, principalmente na emergência de estudar, pesquisar e questionar temas relacionados às contradições e injustiças sociais da sociedade capitalista, propondo ações terapêutico-ocupacionais que buscam o seu enfrentamento. No contexto da pandemia da COVID-19, os abismos postos por essas contradições têm ficado cada vez mais evidentes, nacional e globalmente, tendo em vista a desigualdade estrutural existente. A população em vulnerabilidade social é a maior impactada pelos seus efeitos, dada a ausência e/ou insuficiência de recursos, estratégias de prevenção e/ou tratamento da doença em seus cotidianos, associados às dificuldades de realizar o isolamento social, a manutenção do emprego e da renda, bem como o menor acesso à saúde e ao saneamento básico. Frente a isso, compreende-se que as questões macrossociais têm relação direta com o desenvolvimento da doença e a forma como afeta os diferentes grupos populacionais. Desta forma, destaca-se a importância das contribuições da terapia ocupacional social, no âmbito da pesquisa e/ou intervenção, baseadas em um pensar/fazer que acolha os desejos e as necessidades dos indivíduos e grupos, que problematize os impactos das desigualdades estruturais na vida cotidiana, que fortaleça movimentos de afirmação da vida, da autonomia, da cidadania e dos direitos. Por fim, fomentando estratégias de igualdade e reconhecimento, na democratização das possibilidades de dar continuidade à vida em meio e após a pandemia.


Abstract Social occupational therapy has been located throughout history as a subarea that is built in Brazil, mainly on the emergence of studying, researching, and questioning themes related to the social contradictions and injustices of capitalist society, proposing occupational therapy's actions that seek to face them. In the context of the COVID-19 pandemic, the chasms created by these contradictions have become increasingly evident, nationally and globally, given the existing structural inequality. The population in social vulnerability is the most impacted by its effects, given the absence and/or insufficiency of resources, prevention strategies, and/or treatment of the disease in their everyday lives, associated with the difficulties of executing social isolation, maintaining employment, and income, as well as less access to health and basic sanitation. Given this, it is understood that macrosocial issues are directly related to the development of the disease and the way it affects different groups. In this way, it is emphasized the importance of the contributions of occupational social therapy, within the scope of research and/or intervention, based on thinking/doing that embraces the wants and needs of individuals and groups, which problematizes the impacts of structural inequalities in everyday life, what strengthens life-affirming movements, autonomy, citizenship, and rights. Finally, promoting strategies for equality and recognition, in the democratization of the possibilities of continuing life in the pandemic and beyond.

4.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2171, 2021.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1249401

RESUMO

Resumo Este ensaio apresenta uma análise das contribuições de memórias negras que perpassam a terapia ocupacional - colocando em tela a história de Yvonne Lara. Yvonne Lara foi enfermeira, assistente social e especialista em terapia ocupacional. A partir dos anos 1940, realizou práticas voltadas para o cuidado de pessoas com transtornos mentais, utilizando a música como atividade terapêutica e o trabalho de articulação com a família e comunidade, na busca de processos de desinstitucionalização dos sujeitos. O texto aponta a inovação dessas práticas de cuidado, tendo em vista a hegemonia da corrente organicista e asilar que marcava a psiquiatria na época. Defende-se que o resgate de histórias como de Yvonne seja central para a reconstituição histórica da profissão, rompendo com o epistemicídio racista das contribuições do conhecimento dos povos negros. Busca-se visibilizar figuras marginalizadas pelas narrativas oficiais e construir uma diversidade epistêmica no campo, o que denominamos como o devir-negro da terapia ocupacional.


Abstract This essay presents an analysis of the contributions of black memories within Occupational Therapy field - highlighting the story of Yvonne Lara. Yvonne Lara was a nurse, social worker and specialist in Occupational Therapy. From the 1940s, her practices aimed to care for people with mental disorders using music as a therapeutic activity and working in cooperation with families and communities in her efforts to deinstitutionalize individuals. The article discusses the innovation of these care practices bearing in mind the hegemony of the organicist current and the asylum-based model that marked psychiatry at that time. It is argued that the salvaging of Yvonne's history is central to the historical reconstruction of the profession, turning from the racist epistemicide against the contributions of the knowledge of black people. Herein, we seek to give visibility to individuals who were marginalized by official narratives and to build an epistemic diversity in the field, which we denominate the becoming-black of Occupational Therapy.

5.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(2): 693-705, abr.-jun. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132794

RESUMO

Resumo A vida social está organizada com base em modelos normativos no que diz respeito aos gêneros e às sexualidades. Considerar as forças que a atravessam e a determinam é condição para que terapeutas ocupacionais atuem sob a perspectiva da cidadania junto às populações que caminham contra os significados e materialidades da heteronormatividade. Assim, este ensaio tem como objetivo produzir reflexões, ancoradas na terapia ocupacional social, que ajudam a compreender os constantes ataques aos direitos da população dissidente de gêneros e sexualidades, e o quanto essas situações de violências atravessam seus cotidianos e a práxis de terapeutas ocupacionais junto a essas populações. Para tanto, toma-se como ponto de partida o debate sobre a crise da democracia brasileira contemporânea, localizada a partir do golpe de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e as sucessões presidenciais com agendas conservadoras e antidemocráticas. Em seguida, são identificados e discutidos os projetos de leis em tramitação que materializam tais agendas de caráter controlador e disciplinar da sociedade. E, por fim, um debate sobre como tais problemáticas deflagram em impedimentos e invisibilizações das atividades performativas nos diversos cotidianos de pessoas dissidentes de gêneros e sexualidades.


Abstract The social life is organized on normative models according to genders and sexualities. Considering the forces that go through and determine it is a condition for occupational therapists to act from the perspective of citizenship with the populations that are opposite to the meanings and materiality of heteronormativity. Thus, this essay aims to produce reflections anchored in social occupational therapy that help to understand the constant attacks on the rights of the dissident people in genders and sexualities and how these situations of violence cross their everyday life and the praxis of occupational therapists with these populations. To this end, it takes as its starting point the debate on the crisis of contemporary Brazilian democracy, located from the impeachment coup of President Dilma Rousseff and the presidential successions with conservative and undemocratic agendas. Then, the bills that are materializing such controlling and disciplinary agendas of society are identified and discussed. Finally, there is a debate on how these problems lead to impediments and invisibilizations of performative activities in the various everyday life of dissident people in genders and sexualities.

6.
Preprint em Português | SciELO Preprints | ID: pps-494

RESUMO

Social occupational therapy has been located throughout history as a field that is built mainly on the emergence of questioning themes related to the social contradictions and injustices of capitalist society. In the context of the COVID-19 pandemic, the chasms crated by these contradictions have become increasingly evident, nationally and globally, in view of the existing structural inequality. The population in social vulnerability is the most impacted by its effects, given the absence and/or insufficiency of resources, prevention strategies and/or treatment of the disease in their everyday lives, associated with the difficulties of execute social isolation, maintaining employment and income, as well as less access to health and basic sanitation. In view of this, it is emphasized the importance of the contributions of occupational social therapy, within the scope of research and/or intervention, based on thinking/doing that embraces the wants and needs of individuals and groups, which problematizes the impacts of structural inequalities in everyday life, what strengthens life-affirming movements, autonomy, citizenship and rights. Finally, promoting strategies for equality and recognition, in the democratization of the possibilities of continuing life in the pandemic and beyond.


A terapia ocupacional social se localiza ao longo da história como campo que se constrói principalmente na emergência de questionar temas relacionados às contradições e injustiças sociais da sociedade capitalista. No contexto da pandemia da COVID-19 os abismos postos por essas contradições têm ficado cada vez mais evidentes, nacional e globalmente, tendo em vista a desigualdade estrutural existente. A população em vulnerabilidade social é a maior impactada pelos seus efeitos, dada a ausência e/ou insuficiência de recursos, estratégias de prevenção e/ou tratamento da doença em seus cotidianos, associados às dificuldades de realizar o isolamento social, a manutenção do emprego e da renda, bem como o menor acesso à saúde e saneamento básico. Frente a isso, destaca-se a importância das contribuições da terapia ocupacional social, no âmbito da pesquisa e/ou intervenção, baseadas em um pensar/fazer que acolha os desejos e necessidades dos indivíduos e grupos, que problematize os impactos das desigualdades estruturais na vida cotidiana, que fortaleça movimentos de afirmação da vida, autonomia, cidadania e direitos. Por fim, fomentando estratégias de igualdade e reconhecimento, na democratização das possibilidades de dar continuidade à vida em meio a pandemia e após.

7.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 26(2): 489-500, Apr.-June 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-984080

RESUMO

Abstract The population that finds on the streets an alternative for their own survival and for sorting out their identities, is marked by a number of disruptions and violation of rights, resulting in vulnerability processes and social disaffiliation, given the current socioeconomic conditions and the neoliberal rationality. There is a need of innovative work that can add different sectors and knowledge, which defend the strengthening of a support network and services that aims the enfranchisement of the individuals, promote social participation and respect their diversity. Therefore, it is reported the experience of an extension project that promoted creative strategies to operate with the homeless from an arts and culture perspective. In order to do so, the weekly activities workshops promoted experimentations for the participants, aiming to express their potentialities, from the themes and requests relevant to the group, producing art, dynamics, and products that reflected the culture of the streets. Sensitive displacements were produced, noticeable to those involved, making the participants protagonists of their own expressions. The encounters took on creative proportions and composed new experiences of occupational therapeutic formation and practices in the social field. In defense of respect, appreciation of the human dimensions and capacities, especially of the groups in a vulnerable situation, associated with actions that aim to promote and extend their human and social rights.


Resumo A população que encontra nas ruas uma alternativa para sua sobrevivência e ordenação de suas identidades é marcada por inúmeras rupturas e violações de direitos, resultando em processos de vulnerabilidade e desfiliação social, dada as condições socioeconômicas e a racionalidade neoliberal vigente. Vimos a necessidade de trabalhos inovadores que possam agregar diferentes setores e saberes, que defendam o fortalecimento de rede de apoio e de serviços, que objetivem a emancipação dos sujeitos, promovam participação social e respeitem sua diversidade. Assim, relata-se a experiência de projeto de extensão que promoveu estratégias criativas para a atuação junto à população em situação de rua, a partir da arte e da cultura. Para tanto, as oficinas de atividades, realizadas semanalmente, promoveram experimentações aos participantes visando à expressão de suas potencialidades, a partir dos temas e demandas pertinentes ao grupo, produzindo arte, dinâmicas e produtos que refletiram a cultura da rua. Foram produzidos deslocamentos sensíveis, perceptíveis aos envolvidos, tornando os participantes protagonistas de suas expressões. Os encontros tomaram proporção criativa e se constituíram em novas experiências de formação e práticas terapêuticas ocupacionais no campo social. Na defesa do respeito, da valorização das dimensões e capacidades humanas, em especial de grupos vulneráveis, associadas às ações que buscam promover e ampliar seus direitos humanos e sociais.

8.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 25(3): [481-496], 20170925.
Artigo em Inglês, Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-879431

RESUMO

Neste artigo apresenta-se um estudo exploratório realizado junto aos cursos de graduação em terapia ocupacional das universidades públicas do estado de São Paulo, entre 2013 e 2015, a fim de identificar e discutir a inserção das temáticas de gênero, com um recorte na travestilidade e na transexualidade, na formação graduada em terapia ocupacional. Incialmente, procedeu-se a uma revisão da literatura nos periódicos de terapia ocupacional nacionais e internacionais indexados e de maior relevância na profissão, bem como nas bases de dados SCOPUS, SciELO e Web of Science. Também foram levantadas políticas públicas e/ou programas e diretrizes discutidas e propostas especificamente para esse grupo no Brasil. Em um segundo momento, os cursos foram convidados à participação com: o acesso aos seus projetos político-pedagógicos; entrevistas com suas coordenações e docentes que trabalhassem com o referido assunto em sala de aula; entrevistas com seus estudantes de último ano; a realização de rodas de conversas coletivas. Esse conjunto de dados permitiu a produção de resultados que, tendo como foco a formação teórica e prática de terapeutas ocupacionais no estado que possui o maior número de profissionais, cursos, docentes e pesquisadores titulados na terapia ocupacional brasileira, levam à discussão dessa formação no que se refere aos processos de assistência no recorte pontuado, de maneira a oferecer referências para estratégias de enfrentamento às vulnerabilidades que cercam o cotidiano das pessoas que vivem a experiência da travestilidade e da transexualidade, a partir da terapia ocupacional.


This paper presents an exploratory study performed with the occupational therapy graduation courses of public universities in the state of São Paulo - Brazil, between 2013 and 2015, in order to identify and discuss the insertion of the gender themes. We focused on travestility and transsexuality in the Occupational Therapy undergraduate training. Initially, we performed a literature revision in the most relevant national and international indexed publications, as well as in the databases SCOPUS, SciELO and Web of Science. Also, we performed a survey to find public policies and/or programs, guidelines discussed and proposals specifically for this group in Brazil. In a second moment, the undergraduate courses were invited to participate by: a) giving access to their political-pedagogical projects; b) interviews with coordinators and teachers that worked with the subject; c) interviews with senior students; d) creating debate and discussion rounds. This dataset allowed the production of results focused on the theoretical and practical training of occupational therapists in the state, which has the higher number of professionals, courses, teachers and researchers in the Brazilian occupational therapy community. These results led to a discussion on training, regarding the assistance processes in the given area, in a way that offers references for strategies to deal with the daily vulnerabilities of the people experiencing travestility and transsexuality in the field of occupational therapy.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...