Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Value Health Reg Issues ; 17: 158-163, 2018 Dec.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30316147

RESUMO

OBJECTIVES: To evaluate the effectiveness of an algorithm for the treatment of mixed episodes in bipolar disorder (BD) using the medications available under the Unified Health System (Sistema Único de Saúde) in Brazil. METHODS: The study included 107 individuals with BD in a current mixed episode, assessed biweekly for the outcomes of response and remission. The subjects were randomly assigned to start treatment with lithium, valproic acid, or carbamazepine, following a clinical protocol at a public outpatient clinic. Eligibility screening instruments, semistructured interview, and clinical psychiatric evaluation were used for diagnosis. To measure response and remission, the Hamilton Rating Scale for Depression and the Young Mania Rating Scale were used. A parameter of 50% or less in the symptom scales was used to define responses, as assessed by Kaplan-Meier time-event analysis. RESULTS: For the main outcome, response to treatment, all interventions proposed were proven to be effective, with no difference in response time for any of them. There was a lack of placebo control and blinding for intervention or outcomes. Individuals with mixed episodes in BD often face contradictory symptoms, and these inherent difficulties are the main obstacles to stabilize such a condition. CONCLUSIONS: The findings presented in this study show that the treatments available under the Unified Health System are able to reduce the overall burden of disease in terms of symptom reduction.


Assuntos
Antimaníacos/uso terapêutico , Transtorno Bipolar/tratamento farmacológico , Carbamazepina/uso terapêutico , Compostos de Lítio/uso terapêutico , Saúde Pública , Ácido Valproico/uso terapêutico , Adulto , Algoritmos , Transtorno Bipolar/diagnóstico , Brasil , Feminino , Humanos , Masculino , Escalas de Graduação Psiquiátrica/estatística & dados numéricos , Resultado do Tratamento
2.
Rev. bras. psiquiatr ; 22(4): 164-71, dez. 2000. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-296494

RESUMO

Introdução: O estudo descreve uma amostra de usuáriosde droga injetável (UDI) que buscam atendimento na cidade de Porto Alegre, a fim de conhecer melhor os métodos de exposição ao vírus HIV, gerando hipóteses para estudos futuros e diretrizes para programas preventivos. Métodos: Foram entrevistados 142 UDI, utilizando uma entrevista estruturada para levantamento de fatores de risco. Foram entrevistaos 142 UDI, utilizando-se como desfechos de interesse o status sorológico e as características do uo de drogas, tais como frequência e tipo de droga utilizada. Resultados: 97 por cento dos indivíduos havia injetado cocaína (8,6 dias do mês, 9,3 vezes por dia) e usado álcool e maconha no mês prévio à entrevista; apenas 44 apresentavam testes HIV (54,5 por cento soropositivos). Quase 90 por cento haviam recebido aconselhamento ara HIV, porém a mudança de condutas aconteceu somente numa parcela dos casos, sem informação adequada sobre limpeza de seringas; 53 por cento dos indivíduos relataram compartilhamento de equipamento prévio à coleta de dados, utilizando 16,2 vezes a mesma seringa. Os entrevistados eram sexualmente ativos e predominantemnte heterossexuais, com uma média de sete relações por mês; 44 por cento não usou camisinha nas relações sexuais e 48 por cento afirmou ter utilizado pelo menos álcool antes ou durante as relações. Conclusões: Os achados sugerem que o aconselhamento é importante para modificar hábitos dos UDI mas não contempla necessidades de usuários recreacionais. A limpeza de seringas é infrequente, talvez produto de pouca informação sobre práticas de risco. Os UDI são sexualmente ativos, heterossexuais e na maioria têm poucos parceiros, o que pode justificar o baixo uso de preservativos nessa amostra. É possível que o uso frequente de drogas antes ou durante as relações contribua para tal fato.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , HIV , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida/epidemiologia , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias
3.
Revista Brasileira de Psiquiatria ; 4(22): 164-171, dez. 2000.
Artigo | Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: psi-15950

RESUMO

Introducao: O estudo descreve uma amostra de usuarios de droga injetavel (UDI) que buscam atendimento na cidade de Porto Alegre, a fim de conhecer melhor os metodos de exposicao ao virus HIV, gerando hipoteses para estudos futuros e diretrizes para programas preventivos. Metodos: Foram entrevistados 142 UDI, utilizando uma entrevista estruturada para levantamento de fatores de risco. Foram analisadas caracteristicas demograficas e das relacoes sexuais, utilizando-se como desfechos de interesse o status sorologico e as caracteristicas do uso de drogas, tais como frequencia e tipo de droga utilizada. Resultados: 97dos individuos havia injetado cocaina (8,6 dias do mes, 9,3 vezes ao dia) e usado alcool e maconha no mes previo a entrevista; apenas 44 apresentavam testes HIV (54,5soropositivos). Quase 90haviam recebido aconselhamento para HIV, porem a mudanca de condutas aconteceu somente numa parcela dos casos, sem informacao adequada sobre limpeza de reingas; 53dos individuos relataram compartilhamento de equipamento previo a coleta de dados, utilizando 16,2 vezes a mesma seringa. Os entrevistados eram sexualmente ativos e predominantemente heterossexuais, com uma media de sete relacoes por mes; 44nao usou camisinha nas relacoes sexuais e 48afirmou ter utilizado pelo menos alcool antes ou durante as relacoes. Conclusoes: Os achados sugerem que o aconselhamento e importante para modificar habitos dos UDI mas nao contempla necessidades de usuarios recreacionais. A limpeza de seringas e infrequente, talvez produto da pouca informacao sobre paraticas de risco. Os UDI sao sexualmente ativos, heterossexuais e na maioria tem poucos parceiros, o que pode justificar o baixo uso de preservativos nessa amostra. E possivel que o uso frequente de drogas antes ou durante as relacoes contribua para tal fato.


Assuntos
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias , Cocaína , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , Cocaína , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA