Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros










Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Biosci. j. (Online) ; 33(5): 1134-1143, sept./oct. 2017. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-966276

RESUMO

The Allamanda blanchetii belongs to the Apocynaceae family, being an ornamental species popularly known as allamanda-roxa and is endemic to the Caatinga. The aim of this research was to evaluate the growth, gas exchange, relative water content, and stomatal density of A. blanchetii under water stress conditions. The experimental design was completely randomized with six levels of the maximum water holding capacity (MWHC) (100%, 80%, 60%, 40%, and 20%) with eight replications. Weekly, it was performed the evaluations of plant height and number of leaves. The results for water stress treatment in the A. blanchetii plants show that they develop better in the water levels of 100% and 80% of the MWHC, without presenting significant morphological and physiological changes. In turn, 20% of the MWHC does not allow the survival of the A. blanchetii plants. The water restriction negatively interfered in the gas exchange in the treatment of 60% and 40% of the MWHC. Therefore, it can be concluded that the A. blanchetii plants grow satisfactorily in 100% and 80% of the MWHC, ensuring the growth and survival during the drought period. The water availability to which the plants were submitted does not influence the total chlorophyll and relative water content of leaves. Gas exchanges are adversely affected at levels of water availability below 80% of the MWHC.


Allamanda blanchetii pertence à família Apocynaceae, é uma espécie ornamental, conhecida popularmente como allamanda-roxa, endêmica da Caatinga. O objetivo da pesquisa foi avaliar o crescimento, trocas gasosas, conteúdo relativo de água e densidade estomática de A. blanchetii sob condições de estresse hídrico. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com seis capacidade máxima de retenção de água tratamentos hídricos (100%, 80%, 60%, 40% e 20%) com oito repetições. Os resultados obtidos sobre o déficit hídrico aplicado, as plantas de A. blanchetii se desenvolvem com níveis de água de 100% e 80% da CMRA, sem apresentar modificações morfológicas e fisiológicas significativas enquanto que com de 20% da CMRA não houve a sobrevivência de plantas. A restrição hídrica interferiu negativamente nas trocas gasosas, nos tratamentos de 60% e 40% CMRA. Portanto pode-se concluir que as plantas de A. blanchetii crescem satisfatória sob 100% e 80% CMRA garantindo a sua sobrevivência e crescimento durante a seca. A clorofila total e o teor relativo de água na folha das plantas não foram influenciados pelos regimes hídricos a que foram submetidas. As trocas gasosas são negativamente afetadas em níveis de disponibilidade hídrica abaixo de 80% da CMRA.


Assuntos
Transpiração Vegetal , Apocynaceae/crescimento & desenvolvimento , Desidratação , Secas
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA