Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 37
Filtrar
1.
Physis (Rio J.) ; 24(2): 467-490, Apr-Jun/2014.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-719370

RESUMO

Buscamos destacar os sentidos e significados que a dor representa para os praticantes de fisiculturismo nas academias da cidade do Rio de Janeiro. Foram investigadas oito academias entre as zonas norte e sul da cidade no período de 12 meses (2008-2009), utilizando observações participantes, etnográficas e entrevistas abertas, além dos dados coletados em pesquisa de período anterior. A construção do corpo neste grupo está relacionada a organização e administração da intensidade e dos tipos de dor percebidos e interpretados pelos atletas ou praticantes assíduos, fato associado aos rituais de instituição que constroem a pessoa do bodybuilder. A dor corpórea é, portanto, não apenas parâmetro para a construção eficaz da forma, mas item fundamental para a demarcação hierárquica de papéis e de identidade daqueles que fazem parte da fração dominante no campo da musculação. É também, para alguns indivíduos, uma estratégia para superar o sofrimento...


We seek to highlight the meanings of pain for practitioners of bodybuilding gyms in the city of Rio de Janeiro. Eight academies between the northern and southern areas of the city were investigated for 12 months (2008-2009) using participants, ethnographic observations and open interviews, in addition to the data collected in the previous survey period. The construction of the body in this group is related to the organization and administration of intensity and type of pain perceived and interpreted by athletes or assiduous practitioners, a fact related to the rituals of institution building one bodybuilder. The bodily pain is therefore not only parameter for the effective construction of form, but fundamental to hierarchical demarcation of roles and identity of those who are part of the dominant fraction in the field of bodybuilding. It is also, for some individuals, a strategy to overcome suffering...


Assuntos
Humanos , Imagem Corporal , Dor/psicologia , Atividade Motora , Desenvolvimento Muscular , Assunção de Riscos , Brasil , Pesquisa Qualitativa , Controles Informais da Sociedade
2.
Physis (Rio J.) ; 20(4): 1357-1375, dez. 2010.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-572547

RESUMO

O objetivo deste estudo é compreender a função do ambulatório na dinâmica das relações de poder e construção de identidade da profissão de terapeuta da medicina ocidental contemporânea. Para a realização do trabalho, foram coletados dados através de entrevistas abertas e observações diretas, em duas unidades hospitalares da cidade do Rio de Janeiro (Hospital Pedro Ernesto, Posto de Atendimento Médico São Francisco Xavier), com 12 médicos. O ambulatório surge no discurso dos profissionais em início de carreira como instância negativa e monótona que impede o diagnóstico de novas patologias. Surge também como espécie de rito de passagem formador da identidade médica. Marcado pela frequência de pacientes oriundos dos estratos sociais mais baixos, esta dimensão pública das instituições médicas repercute relações de classe e dominação inerentes à nossa sociedade, mas também apresenta sinais de uma dinâmica no campo médico que pode contribuir para a compreensão dos processos sociais.


This study aims to understand the role of ambulatory in the dynamics of power relations and construction of identity of the therapist's profession of the Western contemporary medicine. Data were collected through open interviews and direct observations in two nosocomial unities of the Rio de Janeiro city (Hospital Pedro Ernesto, Posto de Saúde São Francisco Xavier) with 12 doctors. The ambulatory appears in the speech of the professionals in beginning of career like negative and monotonous persistence that obstructs the diagnosis of new pathologies. It appears also like sort of forming rite of passage of the medical identity. This public dimension of the medical institutions was marked by the frequency of patients from the lowest social strata, transmitting relations of class and domination inherent to our society, but it also presents signs of a dynamics in the medical field that can help understand social processes.


Assuntos
Humanos , Ambulatório Hospitalar/organização & administração , Corpo Clínico Hospitalar/psicologia , Ambiente de Instituições de Saúde , Prática Profissional , Sociologia Médica , Brasil , Fatores Socioeconômicos , Sistema Único de Saúde
3.
Hist. ciênc. saúde-Manguinhos ; 17(2): 343-356, abr.-jun. 2010. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-552899

RESUMO

Aborda a singularidade alimentar de um grupo de frequentadores assíduos de academias e fitness da cidade do Rio de Janeiro. Destaca a relação do alimento com a manutenção da forma física e com a sociabilidade prevalecente. Em 12 academias das Zonas Norte e Sul da cidade fizeram-se observações etnográficas - diretas e participantes - e entrevistas abertas, durante três anos. Alimentar-se, para o grupo, significa articular um sistema de saberes ligados à ciência da nutrição visando administrar a forma física e o desempenho atlético. O alimento torna-se, assim, poderoso artifício químico para o aprimoramento estético do corpo.


Assuntos
Dieta , Academias de Ginástica , Alimentos , Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente , Brasil
4.
Hist Cienc Saude Manguinhos ; 17(2): 343-56, 2010 Jun.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-21461473

RESUMO

The article addresses the particular diet of a group of avid members of workout and fitness centers in Rio de Janeiro. It shows how diet is related to keeping in shape and to the prevailing type of sociability. Using direct and participatory ethnographic observation and open interviews, research was conducted at 12 fitness clubs on the North and South sides of Rio for three years. For the group under study, eating is about relying on a system of knowledge related to the science of nutrition for the benefit of managing one's physical shape and athletic performance. This movement produces the notion of food as a powerful chemical artifice that enhances the aesthetics of the body.

5.
Saúde Soc ; 18(2): 304-311, abr.-jun. 2009. ilus
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-518902

RESUMO

Este artigo trata da crescente complexidade do campo conhecido como Saúde Coletiva, em termos paradigmáticos, que é expressa na convivência atual de três paradigmas (multidisciplinaridade, interdisciplinaridade, transdiciplinaridade), construídos, em termos de saberes e práticas, ao longo de um período histórico de cerca de dois séculos (primeira metade do século XIX ao século XX). Essa complexidade se traduz também na profusão de disciplinas que compõem o campo, oriundas tanto das biociências, quanto de ciências da área de humanas e ambientais. A complexidade do campo evidencia-se também no seu hibridismo epistemológico, no qual coexistem normas epistemológicas de produção do conhecimento com o paradigma pragmático da eficácia e da ética, comum às medicinas preventiva e social e às políticas de saúde. Este artigo tenta também evidenciar que a evolução do campo da Saúde Coletiva no último século aponta na irreversível direção da complexidade, tanto em termos de produção do conhecimento como de intervenção de estilos de expressão das diferentes disciplinas incluídas no campo. Reduzir essa enorme complexidade a um paradigma único, seja em termos de modelos disciplinares, seja em termos de formas de expressão de sua produção, significa reduzir o campo a uma única dimensão, diminuindo-o e empobrecendo-o nos níveis analisados no trabalho.


This article deals with the increasing complexity of the field presently known as Collective Health, socially and historically constructed along two centuries (beginning of the XIXth, and all along the XXth) in terms of knowledge and practices. This complexity, evident in the multidisciplinary, interdisciplinary and transdisciplinary paradigms that coexist in the field, may be expressed at two levels: the level of its composing disciplines, which includes human, biological, medical and environmental disciplines, and the level of production and expression of knowledge, which includes the scientific paradigm and the ethical and practical paradigm of efficacy, both common to medicines (preventive and social medicine) and health policies. It also tries to demonstrate that the social and historical evolution of Collective Health as a scientific and practical field seems to indicate an irreversible change in the direction of complexity, in terms of knowledge, of intervention, and of expression of the different disciplines that are nowadays part of the field. To reduce this complexity to one single model in terms of disciplines or of styles of production of knowledge means to reduce the whole field to only one single dimension and to limit it at both mentioned levels, what is a very bad solution.

7.
Int. j. high dilution res ; 7(24): 140-146, 2008.
Artigo em Inglês, Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-9223

RESUMO

The present paper reviews Vitalism as the basis for S. Hahnemann’s initial formulation of Homeopathy through the lens of the notions of Vitalism and vital normativeness formulated in the 20th century by French physician and historian of science Georges Canguilhem. Hahnemann described disease as a disarrangement of the organism as a whole, carrying the mark of the individual affected. Similarly, Canguilhem stated that symptoms only have meaning within their specific context and express a global disturb. Hahnemann gave health a positive definition as the state of equilibrium of the vital force – the latter understood as an essential quality of matter composing living beings and corresponding to a conception of Vitalism that holds totality as self-organized. Canguilhem would define Vitalism as the simple acknowledgement of the originality of life regarding lifeless matter, and described life as a dynamic polarity. In this context, illness is seen as a way to compel the organism to seek a new equilibrium to maintain homeostasis, health and healing are both integral parts of the self-organization of living beings and dichotomy of the process health/disease is a mere linguistic artifact.(AU)


Este trabalho revê o Vitalismo como base da inicial formulação da Homeopatia por Hahnemann através das noções de Vitalismo e normatividade vital formulada no século XX pelo médico e historiador da ciência francês George Canquilhem. Hahneman descreve a doença como um desequilíbrio no organismo como um todo, carregando a marca da afecção individual. Similarmente, Canguilhem afirma que os sintomas somente têm siginificado dentro de seu específico contexto e expressa um distúrbio global. Hahnemann dá à saúde uma definição positiva como o estado de equilíbrio da força vital - mais tarde compreendida como uma qualidade essencial da matéria que compõe os seres vivos e que corresponde a uma concepção de Vitalismo que entende a totalidade como auto-organização. Canguilhem definiu o Vitalismo como o simples reconhecimento da originalidade da vida e a descreve como uma polaridade dinâmica. Neste contexto, doença é vista como um modo de compelir o organismo a conquistar um novo equilíbrio para sustentar a sua homeostase; saúde e cura são ambos parte integrante da auto-organização dos seres vivos e a dicotomia do processo saúde/doença é mero artefato de linguagem.(AU)


Assuntos
História do Século XX , Homeopatia , Vitalismo
8.
Int. j. high dilution res ; 7(24): 140-146, 2008.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-529833

RESUMO

The present paper reviews Vitalism as the basis for S. Hahnemann’s initial formulation of Homeopathy through the lens of the notions of Vitalism and vital normativeness formulated in the 20th century by French physician and historian of science Georges Canguilhem. Hahnemann described disease as a disarrangement of the organism as a whole, carrying the mark of the individual affected. Similarly, Canguilhem stated that symptoms only have meaning within their specific context and express a global disturb. Hahnemann gave health a positive definition as the state of equilibrium of the vital force – the latter understood as an essential quality of matter composing living beings and corresponding to a conception of Vitalism that holds totality as self-organized. Canguilhem would define Vitalism as the simple acknowledgement of the originality of life regarding lifeless matter, and described life as a dynamic polarity. In this context, illness is seen as a way to compel the organism to seek a new equilibrium to maintain homeostasis, health and healing are both integral parts of the self-organization of living beings and dichotomy of the process health/disease is a mere linguistic artifact.


Este trabalho revê o Vitalismo como base da inicial formulação da Homeopatia por Hahnemann através das noções de Vitalismo e normatividade vital formulada no século XX pelo médico e historiador da ciência francês George Canquilhem. Hahneman descreve a doença como um desequilíbrio no organismo como um todo, carregando a marca da afecção individual. Similarmente, Canguilhem afirma que os sintomas somente têm siginificado dentro de seu específico contexto e expressa um distúrbio global. Hahnemann dá à saúde uma definição positiva como o estado de equilíbrio da força vital - mais tarde compreendida como uma qualidade essencial da matéria que compõe os seres vivos e que corresponde a uma concepção de Vitalismo que entende a totalidade como auto-organização. Canguilhem definiu o Vitalismo como o simples reconhecimento da originalidade da vida e a descreve como uma polaridade dinâmica. Neste contexto, doença é vista como um modo de compelir o organismo a conquistar um novo equilíbrio para sustentar a sua homeostase; saúde e cura são ambos parte integrante da auto-organização dos seres vivos e a dicotomia do processo saúde/doença é mero artefato de linguagem.


Assuntos
História do Século XX , Homeopatia , Vitalismo
9.
Cien Saude Colet ; 12(4): 1033-40, 2007.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-17680161

RESUMO

Western culture places high value on slimness, based mainly on the discoveries of biomedicine that have transformed the fat body into a synonym not only of lack of health, but also a pejorative reflection of moral bankruptcy: a 'dehumanized body'. The purpose of this study was to analyze social representations of being fat through qualitative and interpretative analyses of fourteen cover stories published between 1997 and 2002 in Brazil by two weekly news magazines: VEJA and ISTOE. Through analyzing the bibliography and field materials, it examines the social representations of being fat today. This paper focuses on the concept of social representation and the ways in which this is used by the social sciences, leading to an understanding of why some issues - in this case the individual fat being - became more visible at a certain moment. These analyses show that the weekly magazines under analysis featured statements based on scientific and biomedical knowledge that legitimize the choice of a body type supposedly rated as 'ideal', viewed as synonymous with health, happiness and good cheer: the slim body. This brought fat under siege, with battle strategies being drawn up and - in the final analysis - falling back on being fat.


Assuntos
Meios de Comunicação de Massa , Obesidade , Publicações Periódicas como Assunto , Brasil , Humanos
10.
Ciênc. saúde coletiva ; 12(4): 1033-1040, jul.-ago. 2007.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-453472

RESUMO

A cultura ocidental valoriza a magreza, embasada principalmente pelas descobertas da biomedicina, que acabou por transformar o corpo gordo em sinônimo não apenas de falta de saúde, mas em um "corpo desumanizado", um caráter pejorativo de falência moral. Assim, o presente trabalho teve por objetivo analisar as representações sociais acerca do ser gordo, através de uma análise qualitativa e interpretativa de catorze matérias que foram capas de duas revistas semanais brasileiras: Veja e IstoÉ, entre os anos de 1997 e 2002. Buscamos, através da análise bibliográfica em conjunto com o material de campo, refletir sobre as representações sociais sobre o ser gordo na atualidade. O artigo privilegiou a utilização do conceito de representações sociais, tal como é utilizado pelas ciências sociais, por nos permitir compreender por que algumas questões - neste caso, o indivíduo ser gordo - ganham visibilidade em um determinado momento. Sobressaiu das análises que as revistas destacam depoimentos baseados no saber científico e biomédico que legitimam a escolha de um tipo de corpo caracterizado como supostamente "ideal", por ser considerado sinônimo de saúde, felicidade e alegria: o magro. Assim, um cerco à gordura é declarado e estratégias de "luta" são formuladas, recaindo, em última análise, sobre o ser gordo.


Western culture places high value on slimness, based mainly on the discoveries of biomedicine that have transformed the fat body into a synonym not only of lack of health, but also a pejorative reflection of moral bankruptcy: a 'dehumanized body'. The purpose of this study was to analyze social representations of being fat through qualitative and interpretative analyses of fourteen cover stories published between 1997 and 2002 in Brazil by two weekly news magazines: VEJA and ISTOÉ. Through analyzing the bibliography and field materials, it examines the social representations of being fat today. This paper focuses on the concept of social representation and the ways in which this is used by the social sciences, leading to an understanding of why some issues - in this case the individual fat being - became more visible at a certain moment. These analyses show that the weekly magazines under analysis featured statements based on scientific and biomedical knowledge that legitimize the choice of a body type supposedly rated as 'ideal', viewed as synonymous with health, happiness and good cheer: the slim body. This brought fat under siege, with battle strategies being drawn up and - in the final analysis - falling back on being fat.


Assuntos
Humanos , Meios de Comunicação de Massa , Obesidade , Publicações Periódicas como Assunto , Brasil
11.
Physis (Rio J.) ; 16(2): 251-272, 2006. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-447568

RESUMO

Este artigo analisa a lógica das tatuagens dos fisiculturistas e freqüentadores assíduos das academias cariocas de musculação e fitness, destacando o aspecto identitário de tal lógica e sua relação com a questão da diferença e das hierarquias sociais associadas, no estudo, à concepção cosmológica presente no pensamento metafísico ocidental. Tal concepção é confrontada com o perspectivismo ameríndio, no qual a diferença e o devir se apresentam como cerne do cosmos.


This article analyzes the tatoos logic of the bodybuilders and gyms frequenters in Rio de Janeiro city, detaching the identity aspect of such logic and its relation with the question of difference and the social hierarchies associated, in the study, to the cosmological conception present in Western metaphysical thought. Such conception is collated with the Amerindian perspectivism, in which the difference and the becoming are presented as the cosmos essence.


Assuntos
Identidade de Gênero , Simbolismo , Tatuagem
13.
Physis (Rio J.) ; 15(1): 39-57, jan.-jun. 2005.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-415445

RESUMO

O artigo propõe-se a analisar certas relações, presentes na sociedade contemporânea, entre regime de produção intelectual, pesquisa e a categoria "produtividade", vista como manifestação privilegiada do conhecimento científico. Tal categoria é importada de estrutura econômica e aplicada ao trabalho intelectual. Procura-se evidenciar como a lógica da produtividade das máquinas ou de setores específicos da produção de conhecimento, sem provocar dano à saúde dos pesquisadores, e mesmo à própria produtividade científica, desconsidera objetivos, ritmos, formas de produzir e divulgar o trabalho científico, em suas múltiplas versões disciplinares.


Assuntos
Eficiência , Ciência , Trabalho
14.
Physis (Rio J.) ; 15(supl): 145-176, 2005.
Artigo em Português | HISA - História da Saúde | ID: his-9584

RESUMO

Trata das relações entre cultura, medicina, e as chamadas medicinas alternativas, de uma perspectiva analítica macrossociológica. Algumas hipóteses interpretativas säo levantadas para explicar a grande profusäo de novas terapias e sistemas terapêuticos na sociedade contemporânea, entre as quais a da existência de uma dupla crise - sanitária e médica - que afeta as relações tradicionais existentes entre cultura e medicina.(AU)


Assuntos
História da Medicina , Terapias Complementares
15.
Physis (Rio J.) ; 15(supl): 145-176, 2005.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-456530

RESUMO

O artigo trata das relações atuais entre cultura, medicina, e as chamadas medicinas alternativas, de uma perspectiva analítica macrossociológica. Algumas hipóteses interpretativas são levantadas para explicar a grande profusão de novas terapias e sistemas terapêuticos na sociedade contemporânea, entre as quais a da existência de uma dupla crise - sanitária e médica - que afeta as relações tradicionais existentes entre cultura e medicina. Além disso, uma hipótese subsidiária interpreta essa eclosão de terapias e sistemas como fruto da própria racionalidade médica hegemônica na cultura ocidental, que centraliza a doença como elemento estruturante de seu paradigma e institui a ciência (das patologias) como base da racionalidade médica ocidental, praticamente excluindo a milenar questão da arte de curar como foco central da prática e do saber médico.


This article deals with the relationships between culture and medicine, and the great spread of alternative medicine in present days. It intends to explain this spread in a sociological approach, trying to advance two basic hypotheses: the first one concerns the present double crisis in health and medicine, and the second one concerns the search for a new rationale in health and care by both patients and therapysts in our contemporary society. It seems to exist a clear cultural lag between cultural changes in practices and representations in health, healing and care and the direction of medical progress.

16.
São Paulo; Hucitec; 2 ed; 2005. 174 p. (Série linha de frente, 1).
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-422445

RESUMO

O presente trabalho traz para a área da Educação Física, em particular, e para a das Ciências da Saúde, em geral, idéias que ampliam as formas interpretativas e explicativas dos fenômenos saúde-doença e atividades corporais. Educação Física e Saúde Coletiva aproximam-se como campos de conhecimento e intervenção profissional que tomam como objeto as necessidades sociais de saúde diante dos desafios que o cotidiano nos impõe


Assuntos
Educação Física e Treinamento , Medicina Social
17.
In. Pinheiro, Roseni; Mattos, Ruben Araujo de. Cuidado: as fronteiras da integralidade. Rio de Janeiro, Hucitec, 2004. p.9-20.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-407741
18.
Rev. enferm. UERJ ; 11(2): 153-158, ago. 2003.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-397715

RESUMO

Esta pesquisa ocorreu de 1999 a 2002, através de observação etnográfica e entrevistas semi-estruturadas com 16 integrantes de um grupo social urbano do Alto Simão, em Vila Isabel - RJ. Foram analisados os sentidos e valores de práticas populares voltadas para a saúde, a doença e o cuidado deste grupo. A saúde foi associada a aspectos subjetivos e à idéia de movimento. A doença foi associada à dimensão subjetiva, à dor física e às condições de sobrevivência. Foram identificadas como práticas de saúde individuais: trabalhos domésticos, andar, ginástica, dançar, atividades religiosas. As práticas voltadas para a doença são estratégias associadas à prática médica, à procura por apoio religioso e automedicação. As práticas coletivas são danças, jogos e festas. Concluímos que as práticas individuais e coletivas voltadas para a saúde indicam a existência de uma sabedoria prática e a necessidade de interação entre os saberes populares e técnicos.


Assuntos
Educação em Saúde , Prática de Saúde Pública , Brasil , Participação da Comunidade
19.
São Paulo; Hucitec; 2003. 174 p. (Linha de frente, 1).
Monografia em Português | Sec. Munic. Saúde SP, EMS-Acervo | ID: sms-683

RESUMO

O presente trabalho traz para a área da Educação Física, em particular, e para a das Ciências da Saúde, em geral, idéias que ampliam as formas interpretativas e explicativas dos fenômenos saúde-doença e atividades corporais. Educação Física e Saúde Coletiva aproximam-se como campos de conhecimento e intervenção profissional que tomam como objeto as necessidades sociais de saúde diante dos desafios que o cotidiano nos impõe


Assuntos
Humanos , Educação Física e Treinamento , Medicina Social
20.
In. Canesqui, Ana Maria. Ciências sociais e saúde para o ensino médico. Säo Paulo, Hucitec, 2000. p.181-200. (Didática, 9).
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-312879
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA