Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 17 de 17
Filtrar
1.
Rev Bras Epidemiol ; 24(suppl 1): e210007, 2021.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-33886880

RESUMO

OBJECTIVE: To develop a social need index for stratification of municipalities and identification of priority areas for reducing fetal mortality. METHODS: ecological study, carried out in the state of Pernambuco, between 2010 and 2017. The technique of factor analysis by main components was used for the elaboration of the social need index. In the spatial analysis, the local empirical Bayesian estimator was applied and Moran's spatial autocorrelation was verified. RESULTS: The social deprivation index selected two factors that, together, explained 77.63% of the total variance. The preventable fetal mortality rate increased among strata of social need, with rates of 8.0 per thousand births (low deprivation), 8.1 per thousand (medium deprivation), 8.8 per thousand (high deprivation), and 10.7 per thousand (very high social deprivation). Some municipalities in the São Francisco and Sertão Mesoregions had both high fetal and preventable fetal mortality, in addition to a very high social deprivation rate. Conclusion: The spatial analysis identified areas with the highest risk for fetal mortality. The social deprivation index listed some determinants of fetal deaths in areas with worse living conditions. Priority areas for intervention in public policies to reduce fetal mortality and its determinants were detected.


Assuntos
Mortalidade Fetal , Teorema de Bayes , Brasil/epidemiologia , Cidades , Feminino , Humanos , Gravidez , Análise Espacial
2.
Acta Paul. Enferm. (Online) ; 34: eAPE001355, 2021. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1349826

RESUMO

Resumo Objetivo Descrever características epidemiológicas, evitabilidade e distribuição espacial dos óbitos fetais. Métodos Estudo ecológico realizado no estado de Pernambuco entre 2010 e 2017, cuja unidade de análise foram regiões de saúde. Utilizou-se dados dos Sistemas de Informações sobre Mortalidade, e sobre Nascidos Vivos. A classificação da evitabilidade dos óbitos seguiu os critérios da Lista brasileira de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde. Utilizou-se estatística descritiva e o teste Qui-quadrado para comparações de proporções. Elaborou-se mapas com a distribuição espacial da mortalidade fetal e por causas evitáveis e mal definidas. Resultados Registou-se 12.337 óbitos fetais, sendo 8.927 (72,3%) por causas evitáveis. As variáveis idade da mãe, número de filhos mortos, tipo de gravidez, tipo de parto e peso ao nascer estiveram relacionadas a evitabilidade do óbito. A taxa de mortalidade fetal para o estado de Pernambuco foi de 10,9 por 1000 nascimentos, variando de 10,1 a 16,6, com maior taxa de 16,6 na região XI. A taxa de mortalidade fetal por causas evitáveis foi 7,9, com a mínima de 6,7, e máxima de 13,2 na XI região. A taxa por causas mal definidas foi de 2,3 por 1000 nascimentos, com a maior taxa de 6,2 na IX região. Conclusão Os resultados do estudo apresentaram a caracterização dos óbitos fetais, na maior parte evitáveis, e contribuíram para a compreensão da cadeia de fatores envolvidos na ocorrência das mortes. O mapeamento das taxas da mortalidade identificou regiões de saúde prioritárias para as ações de redução dos óbitos fetais.


Resumen Objetivo Describir las características epidemiológicas, la evitabilidad y la distribución espacial de la muerte fetal. Métodos Estudio ecológico, realizado en el estado de Pernambuco entre 2010 y 2017, cuyas unidades de análisis fueron regiones de salud. Se utilizaron datos del Sistema de Información sobre Mortalidad y sobre Nacidos Vivos. La clasificación de evitabilidad de las muertes se realizó de acuerdo con los criterios de la Lista brasileña de causas de muertes evitables por intervenciones del Sistema Único de Salud. Se utilizó la estadística descriptiva y la prueba χ2 de Pearson para comparar las proporciones. Se elaboraron mapas con la distribución espacial de la mortalidad fetal por causas evitables y mal definidas. Resultados Se registraron 12.337 muertes fetales, de las cuales 8.927 (72,3 %) fueron por causas evitables. Las variables edad de la madre, número de hijos fallecidos, tipo de embarazo, tipo de parto y peso al nacer estuvieron relacionadas con la evitabilidad de la muerte. El índice de mortalidad fetal en el estado de Pernambuco fue de 10,9 cada 1.000 nacimientos, con una variación de 10,1 a 16,6, y el mayor índice de 16,6 fue en la región XI. El índice de mortalidad fetal por causas evitables fue de 7,9, con una mínima de 6,7 y una máxima de 13,2 en la región XI. El índice por causas mal definidas fue de 2,30 cada 1.000 nacimientos, con un índice mayor de 6,2 en la región IX. Conclusión Los resultados del estudio presentaron la caracterización de las muertes fetales, en su mayoría evitables, y contribuyeron a la comprensión de la cadena de factores relacionados con los casos de muerte. El mapeo de los índices de mortalidad identificó regiones de salud prioritarias para acciones de reducción de muertes fetales.


Abstract Objective To describe the epidemiological characteristics, preventability and spatial distribution of fetal deaths. Methods Ecological study conducted in the state of Pernambuco between 2010 and 2017 with the health regions as the unit of analysis. Data from Mortality and Live Birth Information Systems were used. The classification of the preventability of deaths followed the criteria of the Brazilian List of causes of preventable deaths by interventions of the National Health Service. Descriptive statistics and the chi-square test were used for comparisons of proportions. Maps with the spatial distribution of fetal mortality and of preventable and ill-defined causes were prepared Results There were 12,337 fetal deaths, of which 8,927 (72.3%) from preventable causes. The variables mother's age, number of dead children, type of pregnancy, type of delivery and birth weight were related to preventability of death. The fetal mortality rate for the state of Pernambuco was 10.9 per 1,000 births, ranging from 10.1 to 16.6, with a higher rate of 16.6 in region XI. The rate of fetal mortality from preventable causes was 7.9, with a minimum of 6.7 and a maximum of 13.2 in region XI. The rate for ill-defined causes was 2.3 per 1,000 births, and the highest rate was 6.2 in region IX. Conclusion The results of the study showed the characterization of fetal deaths, mostly preventable, and contributed to understand the chain of factors involved in the occurrence of deaths. Priority health regions for actions to reduce fetal deaths were identified by mapping the mortality rates.


Assuntos
Humanos , Recém-Nascido , Sistemas de Informação/estatística & dados numéricos , Epidemiologia/estatística & dados numéricos , Estatísticas Vitais , Mortalidade Fetal , Serviços de Saúde Materno-Infantil , Análise Espacial , Brasil , Epidemiologia Descritiva , Estudos Ecológicos , Nascido Vivo/epidemiologia
3.
Rev. bras. epidemiol ; 24(supl.1): e210007, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-1288491

RESUMO

ABSTRACT: Objective: To develop a social need index for stratification of municipalities and identification of priority areas for reducing fetal mortality. Methods: ecological study, carried out in the state of Pernambuco, between 2010 and 2017. The technique of factor analysis by main components was used for the elaboration of the social need index. In the spatial analysis, the local empirical Bayesian estimator was applied and Moran's spatial autocorrelation was verified. Results: The social deprivation index selected two factors that, together, explained 77.63% of the total variance. The preventable fetal mortality rate increased among strata of social need, with rates of 8.0 per thousand births (low deprivation), 8.1 per thousand (medium deprivation), 8.8 per thousand (high deprivation), and 10.7 per thousand (very high social deprivation). Some municipalities in the São Francisco and Sertão Mesoregions had both high fetal and preventable fetal mortality, in addition to a very high social deprivation rate. Conclusion: The spatial analysis identified areas with the highest risk for fetal mortality. The social deprivation index listed some determinants of fetal deaths in areas with worse living conditions. Priority areas for intervention in public policies to reduce fetal mortality and its determinants were detected.


RESUMO: Objetivo: Elaborar um índice de carência social para a estratificação dos municípios e a identificação de áreas prioritárias para a redução da mortalidade fetal. Métodos: Estudo ecológico, realizado no estado de Pernambuco, entre 2010 e 2017. Utilizou-se a técnica de análise fatorial por componentes principais para a elaboração do índice de carência social. Na análise espacial, aplicou-se o estimador bayesiano empírico local, e verificou-se a autocorrelação espacial de Moran. Resultados: O índice de carência social selecionou dois fatores que, juntos, explicaram 77,63% da variância total. A taxa de mortalidade fetal evitável apresentou aumento entre estratos de carência social, com taxas de 8 por mil nascimentos (baixa carência), 8,1 por mil (média carência), 8,8 por mil (alta carência) e 10,7 por mil (muito alta carência social). Alguns municípios das mesorregiões São Francisco e Sertão tiveram, simultaneamente, elevada mortalidade fetal e fetal evitável, além de índice de carência social muito alto. Conclusão: A análise espacial identificou áreas com maior risco para a mortalidade fetal. O índice de carência social relacionou alguns determinantes das mortes fetais em áreas com piores condições de vida. Detectaram-se áreas prioritárias para a intervenção das políticas públicas de redução da mortalidade fetal e seus determinantes.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Mortalidade Fetal , Brasil/epidemiologia , Teorema de Bayes , Cidades , Análise Espacial
4.
Preprint em Português | SciELO Preprints | ID: pps-1604

RESUMO

Objective: to develop a social need index for stratification of municipalities and identification of priority areas for reducing fetal mortality. Methods: ecological study, carried out in the state of Pernambuco, between 2010 and 2017. The technique of factor analysis by main components was used for the elaboration of the social need index. In the spatial analysis, the local empirical Bayesian estimator was applied and Moran's spatial autocorrelation was verified. Results: the social deprivation index selected two factors that together explained 77.63% of the total variance. The preventable fetal mortality rate increased among strata of social need, with rates of 8.0 per thousand births (low deficiency), 8.1 per thousand (average deficiency), 8.8 per thousand (high deficiency) and 10.7 per thousand (very high social need). Some municipalities in the São Francisco and Sertão Mesoregions had both high fetal and preventable fetal mortality, in addition to a very high social deprivation rate. Conclusion: the spatial analysis identified areas with the highest risk for fetal mortality. The social deprivation index listed some determinants of fetal deaths in areas with worse living conditions. Priority areas for intervention in public policies to reduce fetal mortality and its determinants were detected.


Objetivo: elaborar um índice de carência social para a estratificação dos municípios e a identificação de áreas prioritárias para a redução da mortalidade fetal. Métodos: estudo ecológico, realizado no Estado de Pernambuco, entre 2010 e 2017. Utilizou-se a técnica de análise fatorial por componentes principais para a elaboração do índice de carência social. Na análise espacial, aplicou-se o estimador bayesiano empírico local e verificou-se a autocorrelação espacial de Moran. Resultados: o índice de carência social selecionou dois fatores que, juntos, explicaram 77,63% da variância total. A taxa de mortalidade fetal evitável apresentou aumento entre estratos de carência social, com taxas de 8,0 por mil nascimentos (baixa carência), 8,1 por mil (média carência), 8,8 por mil (alta carência) e 10,7 por mil (muito alta carência social). Alguns municípios das Mesorregiões São Francisco e Sertão tiveram simultaneamente elevada mortalidade fetal e fetal evitável, além de índice de carência social muito alto. Conclusão: a análise espacial identificou áreas com maior risco para a mortalidade fetal. O índice de carência social relacionou alguns determinantes das mortes fetais em áreas com piores condições de vida. Detectaram-se áreas prioritárias para a intervenção das políticas públicas de redução da mortalidade fetal e seus determinantes.

5.
Cad. saúde colet., (Rio J.) ; 28(4): 518-528, out.-dez. 2020. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1142665

RESUMO

Resumo Introdução A sífilis gestacional é uma doença de transmissão vertical, da mãe para o feto, que se não tratada, pode resultar em inúmeros desfechos negativos para a saúde materna e infantil. Objetivo Avaliar as barreiras na assistência pré-natal para o controle da transmissão vertical da sífilis em gestantes segundo o perfil sociodemográfico, reprodutivo e assistencial em uma metrópole do Nordeste brasileiro. Método Estudo descritivo, conduzido a partir de banco de dados de um estudo caso-controle para sífilis gestacional em maternidades públicas no Nordeste do Brasil, entre 2013 e 2014. As informações do acompanhamento e tratamento foram obtidas pelos registros do cartão do pré-natal e entrevistas. O diagnóstico de sífilis considerou os registros do cartão, anotações em prontuário e resultados do Venereal Disease Research Laboratory (VDRL). Resultados Foram incluídas 1.206 mulheres, 91,7% realizaram pré-natal e se declararam, em maior proporção, como casadas, menor número de filhos e maior escolaridade. O resultado do VDRL do pré-natal foi anotado em 23,9%. Entre as 838 mulheres que receberam o VDRL no pré-natal, 21% eram reagentes e 70,5% trataram a infecção. Destas, 69,4% utilizaram o esquema para sífilis terciária e 8,1% trataram com outras medicações. Conclusão O pré-natal não alcançou a efetividade na prevenção e rastreio da sífilis, uma vez que ocorreram mulheres reagentes para a infecção na admissão à maternidade, ainda que em menor proporção, sendo perdida a oportunidade de alcançar o controle da doença.


Abstract Background Gestational syphilis is a mother-to-fetus mother-to-child disease that, if left untreated, can result in numerous negative outcomes for maternal and child health. Objective Evaluate the barriers in prenatal care for the control of vertical transmission of syphilis in pregnant women according to the sociodemographic, reproductive, and care profile in a metropolis of northeastern Brazil. Method This is a descriptive study, conducted from a database of a case-control study for gestational syphilis in public maternity hospitals in the Northeast of Brazil, between 2013 and 2014. Information on follow-up and treatment was obtained through prenatal card records and interviews. The diagnosis of syphilis considered card records, chart notes, and results from the Venereal Disease Research Laboratory (VDRL). Results A total of 1,206 women were included, 91.7% were prenatal and declared to be married, with fewer children and higher educational levels. The VDRL result of prenatal care was noted at 23.9%. Among the 838 women who received the VDRL in prenatal care, 21% were reactants and 70.5% treated the infection. Of these, 69.4% used the scheme for tertiary syphilis and 8.1% were treated with other medications. Conclusion Prenatal care did not reach effectiveness in the prevention and screening of syphilis since women reacting to the infection on maternity admission occurred, albeit to a lesser extent, and the opportunity to achieve control of the disease was lost.

6.
Esc. Anna Nery Rev. Enferm ; 23(1): e20180166, 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-975225

RESUMO

Abstract Objective: To analyze the intraurban spatial distribution of perinatal mortality, its avoidability, and relationship with socioeconomic indicators in Recife, Pernambuco, Brazil, in the period from 2013 to 2015. Method: An ecological study with data from the Information Systems on Mortality and Live Births and the Brazilian Institute of Geography and Statistics, using neighborhoods as the analysis unit. We elaborated an indicator of social deprivation formed by variables from the demographic census. We estimated the Kernel density of the deaths and calculated the Moran index of the perinatal mortality coefficients in the spatial analysis. We elaborated thematic maps of avoidable perinatal mortality and social deprivation. Results: The global statistical analysis of the mortality distribution indicated evidence of spatial aggregation. Moran's index was 0.18. We found clusters of perinatal mortality in neighborhoods of the Central, North, Northwest, and South Regions. In the North, Northwest, Southwest, and South Regions we identified neighborhoods with greater social deprivation and avoidable mortality coefficients. The primary cause of death was of fetuses and newborns affected by hypertensive maternal disorders. Conclusion: We demonstrated intraurban differentials in perinatal mortality among neighborhoods. The stratification of the urban space according to the social deprivation indicator presented a relation with the perinatal mortality and its avoidability.


Resumen Objetivo: Analizar la distribución espacial intra urbana de la mortalidad perinatal, la capacidad de su prevención yla relación con indicadores socioeconómicos en la ciudad de Recife, estado de Pernambuco, en el período entre 2013 y 2015. Método: Estudio ecológico con datos de losSistemas de Información sobre Mortalidad y Nacidos Vivos, y del Instituto Brasileño de Geografía y Estadística, utilizando barrios como unidad de análisis. Se elaboró un indicador de carencia social formado por variables del censo demográfico. Se estimó la densidad de Kernel de muertes yse calculó el índice de Moran de los coeficientes de mortalidad perinatal en el análisis espacial. Se elaboraron mapas temáticos de la mortalidad perinatal evitableyde la carencia social. Resultados: El análisis estadístico global de la distribuciónde la mortalidad mostró evidencias de agregación espacial. El índice de Moran fue de 0,18. Se encontraron clústers de mortalidad perinatal en barrios de las Regiones Centro, Norte, Noroeste y Sur. En las Regiones Norte, Noroeste, Sudoeste y Sur se identificaron barrios con mayor carencia social y coeficiente de mortalidad evitable. La principal causa de muerte fue feto y recién nacido afectados por trastornos hipertensivos durante el embarazo. Conclusión: Se observaron diferentes aspectos intraurbanos en la mortalidad perinatal entre barrios. La estratificación del espacio urbano de acuerdo con el indicador de carencia social presentó relación con la mortalidad perinatal y la capacidad de su prevención.


Resumo Objetivo: Analisar a distribuição espacial intraurbana da mortalidade perinatal, sua evitabilidade e a relação com indicadores socioeconômicos no Recife, Pernambuco, no período entre 2013 e 2015. Método: Estudo ecológico com dados dos Sistemas de Informações sobre Mortalidade e Nascidos Vivos e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, utilizando bairros como unidade de análise. Elaborou-se um indicador de carência social formado por variáveis do censo demográfico. Estimou-se densidade de kernel dos óbitos, e calculou-se o índice de Moran dos coeficientes de mortalidade perinatal na análise espacial. Elaboraram-se mapas temáticos da mortalidade perinatal evitável e da carência social. Resultados: A análise estatística global da distribuição da mortalidade apontou evidências de agregação espacial. O índice de Moran foi 0,18. Verificaram-se clusters da mortalidade perinatal em bairros das regiões Centro, Norte, Noroeste, Sudoeste e Sul. Com exceção do Centro, identificaram-se bairros com maior carência social e coeficiente de mortalidade evitável em todas as regiões. A principal causa de morte foi feto e recém-nascido afetados por transtornos maternos hipertensivos. Conclusão: Mostraram-se diferenciais intraurbanos na mortalidade perinatal entre bairros. A estratificação do espaço urbano, de acordo com o Indicador de carência social, apresentou relação com a mortalidade perinatal e sua evitabilidade.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Fatores Socioeconômicos , Mortalidade Perinatal , Brasil , Fatores de Risco , Estudos Ecológicos , Fatores Socioeconômicos , Análise Espacial
7.
Rev Saude Publica ; 51: 78, 2017 Aug 17.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-28832758

RESUMO

OBJECTIVE: To determine the sociodemographic, behavioral, and health care factors related to the occurrence of syphilis in women treated at public maternity hospitals. METHODS: This is a case-control study (239 cases and 322 controls) with women admitted to seven maternity hospitals in the municipality of Recife, Brazil, from July 2013 to July 2014. Eligible women were recruited after the result of the VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) under any titration. The selection of cases and controls was based on the result of the serology for syphilis using ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay). The independent variables were grouped into: sociodemographic, behavioral, clinical and obstetric history, and health care in prenatal care and maternity hospital. Information was obtained by interview, during hospitalization, with the application of a questionnaire. Odds ratios and 95% confidence intervals were estimated using logistic regression to identify the predicting factors of the variable to be explained. RESULTS: The logistic regression analysis identified as determinant factors for gestational syphilis: education level of incomplete basic education or illiterate (OR = 2.02), lack of access to telephone (OR = 2.4), catholic religion (OR = 1.70 ), four or more pregnancies (OR = 2.2), three or more sexual partners in the last year (OR = 3.1), use of illicit drugs before the age of 18 (OR = 3.0), and use of illicit drugs by the current partner (OR = 1.7). Only one to three prenatal appointments (OR = 3.5) and a previous history of sexually transmitted infection (OR = 9.7) were also identified as determinant factors. CONCLUSIONS: Sociodemographic, behavioral, and health care factors are associated with the occurrence of syphilis in women and should be taken into account in the elaboration of universal strategies aimed at the prevention and control of syphilis, but with a focus on situations of greater vulnerability. OBJETIVO: Determinar os fatores sociodemográficos, comportamentais e de assistência à saúde relacionados à ocorrência de sífilis em mulheres atendidas em maternidades públicas. MÉTODOS: Trata-se de um estudo caso-controle (239 casos e 322 controles) com mulheres admitidas em sete maternidades do município do Recife, no período de julho de 2013 a julho de 2014. As mulheres elegíveis foram recrutadas após o resultado do VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) sob qualquer titulação. A seleção dos casos e controles considerou o resultado da sorologia por ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay), variável dependente utilizada como diagnóstico para sífilis neste estudo. As variáveis independentes foram agrupadas em: sociodemográficas; comportamentais; e antecedentes clínicos e obstétricos; e assistência à saúde no pré-natal e na maternidade. As informações foram obtidas por meio de entrevista, durante o internamento, por aplicação de um questionário. Foi calculado odds ratio (OR), intervalo de confiança de 95% e realizada análise de regressão logística para identificar os fatores preditores da variável a ser explicada. RESULTADOS: A análise de regressão logística identificou como fatores determinantes para a sífilis gestacional: nível de escolaridade fundamental incompleto ou analfabeta (OR = 2,02), ausência de acesso a telefone (OR = 2,4), religião católica (OR = 1,70), quatro ou mais gestações (OR = 2,2), três ou mais parceiros sexuais no último ano (OR = 3,1), uso de drogas ilícitas antes dos 18 anos (OR = 3,0) e uso de drogas ilícitas por parte do atual companheiro (OR = 1,7). Além desses, foram observadas a ocorrência de apenas uma a três consultas ao pré-natal (OR = 3,5) e história anterior de infecção sexualmente transmissível (OR = 9,7). CONCLUSÕES: Fatores sociodemográficos, comportamentais e de assistência à saúde estão associados à ocorrência de sífilis em mulheres e devem ser levados em consideração na elaboração de estratégias universais direcionadas à prevenção e controle da sífilis, porém com foco em situações de maior vulnerabilidade.


Assuntos
Maternidades/estatística & dados numéricos , Hospitais Públicos/normas , Sífilis/epidemiologia , Adulto , Brasil/epidemiologia , Estudos de Casos e Controles , Feminino , Humanos , Serviços de Saúde Materno-Infantil/organização & administração , Serviços de Saúde Materno-Infantil/estatística & dados numéricos , Paridade , Gravidez , Cuidado Pré-Natal/organização & administração , Cuidado Pré-Natal/estatística & dados numéricos , Religião , Fatores de Risco , Comportamento Sexual/estatística & dados numéricos , Inquéritos e Questionários , Sífilis/prevenção & controle , Adulto Jovem
8.
Rev. saúde pública (Online) ; 51: 78, 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-903165

RESUMO

ABSTRACT OBJECTIVE To determine the sociodemographic, behavioral, and health care factors related to the occurrence of syphilis in women treated at public maternity hospitals. METHODS This is a case-control study (239 cases and 322 controls) with women admitted to seven maternity hospitals in the municipality of Recife, Brazil, from July 2013 to July 2014. Eligible women were recruited after the result of the VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) under any titration. The selection of cases and controls was based on the result of the serology for syphilis using ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay). The independent variables were grouped into: sociodemographic, behavioral, clinical and obstetric history, and health care in prenatal care and maternity hospital. Information was obtained by interview, during hospitalization, with the application of a questionnaire. Odds ratios and 95% confidence intervals were estimated using logistic regression to identify the predicting factors of the variable to be explained. RESULTS The logistic regression analysis identified as determinant factors for gestational syphilis: education level of incomplete basic education or illiterate (OR = 2.02), lack of access to telephone (OR = 2.4), catholic religion (OR = 1.70 ), four or more pregnancies (OR = 2.2), three or more sexual partners in the last year (OR = 3.1), use of illicit drugs before the age of 18 (OR = 3.0), and use of illicit drugs by the current partner (OR = 1.7). Only one to three prenatal appointments (OR = 3.5) and a previous history of sexually transmitted infection (OR = 9.7) were also identified as determinant factors. CONCLUSIONS Sociodemographic, behavioral, and health care factors are associated with the occurrence of syphilis in women and should be taken into account in the elaboration of universal strategies aimed at the prevention and control of syphilis, but with a focus on situations of greater vulnerability.


RESUMO OBJETIVO Determinar os fatores sociodemográficos, comportamentais e de assistência à saúde relacionados à ocorrência de sífilis em mulheres atendidas em maternidades públicas. MÉTODOS Trata-se de um estudo caso-controle (239 casos e 322 controles) com mulheres admitidas em sete maternidades do município do Recife, no período de julho de 2013 a julho de 2014. As mulheres elegíveis foram recrutadas após o resultado do VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) sob qualquer titulação. A seleção dos casos e controles considerou o resultado da sorologia por ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay), variável dependente utilizada como diagnóstico para sífilis neste estudo. As variáveis independentes foram agrupadas em: sociodemográficas; comportamentais; e antecedentes clínicos e obstétricos; e assistência à saúde no pré-natal e na maternidade. As informações foram obtidas por meio de entrevista, durante o internamento, por aplicação de um questionário. Foi calculado odds ratio (OR), intervalo de confiança de 95% e realizada análise de regressão logística para identificar os fatores preditores da variável a ser explicada. RESULTADOS A análise de regressão logística identificou como fatores determinantes para a sífilis gestacional: nível de escolaridade fundamental incompleto ou analfabeta (OR = 2,02), ausência de acesso a telefone (OR = 2,4), religião católica (OR = 1,70), quatro ou mais gestações (OR = 2,2), três ou mais parceiros sexuais no último ano (OR = 3,1), uso de drogas ilícitas antes dos 18 anos (OR = 3,0) e uso de drogas ilícitas por parte do atual companheiro (OR = 1,7). Além desses, foram observadas a ocorrência de apenas uma a três consultas ao pré-natal (OR = 3,5) e história anterior de infecção sexualmente transmissível (OR = 9,7). CONCLUSÕES Fatores sociodemográficos, comportamentais e de assistência à saúde estão associados à ocorrência de sífilis em mulheres e devem ser levados em consideração na elaboração de estratégias universais direcionadas à prevenção e controle da sífilis, porém com foco em situações de maior vulnerabilidade.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Adulto , Sífilis/epidemiologia , Maternidades/estatística & dados numéricos , Hospitais Públicos/normas , Paridade , Cuidado Pré-Natal/organização & administração , Cuidado Pré-Natal/estatística & dados numéricos , Religião , Comportamento Sexual/estatística & dados numéricos , Brasil/epidemiologia , Sífilis/prevenção & controle , Estudos de Casos e Controles , Inquéritos e Questionários , Fatores de Risco , Serviços de Saúde Materno-Infantil/organização & administração , Serviços de Saúde Materno-Infantil/estatística & dados numéricos
9.
Divulg. saúde debate ; (54): 43-56, mar. 2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-996855

RESUMO

O manuscrito relata a experiência vivenciada por consultores de saúde da criança no apoio à formulação e implementação de uma Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança no âmbito de seis estados do Nordeste no período de 2012 a 2015. As vivências foram catalisadas a partir de um processo formativo com ênfase em um modo de fazer, centrado na construção e valorização dos múltiplos saberes envolvidos na produção de saúde, no fortalecimento de vínculos afetivos, constituição de cartografias nos territórios, de sentidos de grupalidade solidária e melhor compreensão sobre ética do cuidado. Relatos ilustrativos dos territórios foram apresentados como expressão das dificuldades e potencialidades que se descortinam e como o manejo de situações difíceis pode ser propulsor do fortalecimento de coletivos


The study reports the experience lived by child health consultants in the support to the formulation and implementation of a National Policy for Comprehensive Child Health Care within six northeastern states in the period from 2012 to 2014. The experiences were catalyzed from a formative process with emphasis on a way of doing, focused on the construction and valorization of the multiple knowledges involved in the production of health, in the strengthening of affective bonds, cartography constitution in the territories, of senses of sympathetic groupality and better understanding of the ethics of care. Illustrative reports of the territories were presented as an expression of the difficulties and potentials that are revealed and how the handling of difficult situations may be the engine of the strengthening of collectives


Assuntos
Humanos , Feminino , Cuidado da Criança , Saúde da Criança , Serviços de Saúde
10.
Ciênc. saúde coletiva ; 20(9): 2891-2898, Set. 2015. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-757514

RESUMO

ResumoCom o objetivo de avaliar a incompletude no preenchimento da declaração de óbito (DO) nas Regionais de Saúde do estado de Pernambuco foi realizado um estudo descritivo a partir de informações sobre óbitos de menores de um ano residentes dos municípios de Pernambuco, provenientes do Sistema de Informação sobre Mortalidade, nos triênios de 1999-2001 e 2009-2011. Foi calculado o percentual de incompletude considerando o preenchimento em branco/ignorado dos campos da DO por Regional de Saúde e a taxa de variação proporcional da incompletude entre os dois triênios. Observou-se que o preenchimento não apresentou um padrão bem definido para as Regionais, ocorrendo redução da incompletude para a maioria das variáveis, entretanto, apenas as variáveis sexo, faixa etária e local de ocorrência do óbito atingiram incompletude ≤ 5% no segundo triênio de estudo, considerado excelente nos escores de Romero e Cunha. Apesar do decréscimo da incompletude das variáveis relacionadas à gestação e parto e relacionadas à mãe, foi observado no segundo triênio incompletude entre 10 e 20%, atingindo escore regular no triênio 2009-2011. Apesar da melhoria do preenchimento no Estado, faz-se necessário o fortalecimento da vigilância e dos Comitês de Prevenção do Óbito Infantil para qualificação do preenchimento da DO.


AbstractIn order to assess the incompleteness in filling out death certificates (DC) in the regional health offices of the State of Pernambuco a descriptive study was conducted on data for infant mortality information on deaths of children under one year of age in the municipalities of Pernambuco in the 1999-2001 and 2009-2011 threeyear periods. The percentage of incompleteness was based on the blank/unknown responses in the DCs per regional health office and the proportional variation rate of incompleteness between the two periods. It was observed that the filling out of information did not show a well-defined pattern per office, with a reduction in incompleteness occurring for most variables, though the sex, age and place of occurrence of death variables alone revealed ≤ 5% incompleteness in the second term of study, which was considered excellent in terms of the Romero and Cunha scores. Despite the decrease in incompleteness related to pregnancy, childbirth and mother-related variables, in the second triennium incompleteness between 10 and 20% was observed, with a regular score in the 2009-2011 triennium. Despite the improvement in the filling out of details in the State, it is necessary to strengthen surveillance and training for completing the DCs by the Committees for Prevention of Infant Mortality.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Recém-Nascido , Lactente , Atestado de Óbito , Mortalidade Infantil , Brasil/epidemiologia , Causas de Morte , Parto , Gravidez , Controle de Qualidade
11.
Rev. RENE ; 13(5): 1182-1190, 2012.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-679856

RESUMO

Estudo descritivo-exploratório, transversal, de abordagem quantitativa, realizado a partir de banco de dados secundários da II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal do ano de 2009. Possui o objetivo de avaliar a prevalência do uso de bicos artificiais em menores de um ano nos seis distritos sanitários (DS) do município do Recife-PE. Participaram do estudo 3.120 crianças. Destas, 1894(60,7%) utilizaram mamadeira e 1310(41,9%) usavam chupeta. O uso de mamadeira em cada DS variou entre 56%, no DS I e II e 63,2% no DS IV. O uso de chupeta apresentou número reduzido em relação ao uso de mamadeira, o DS III com 44,7% e os distritos I e II com 40,6%. Observou-se que é necessário prestar maiores esclarecimentos entre as mães a respeito dos efeitos prejudiciais destes hábitos, sobre a amamentação e à saúde da criança e processo de amamentar.


Assuntos
Humanos , Recém-Nascido , Lactente , Aleitamento Materno , Alimentação Artificial , Mamadeiras , Saúde da Criança
12.
Cad Saude Publica ; 25(8): 1679-92, 2009 Aug.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-19649409

RESUMO

This article evaluates the care provided to women in four public maternity hospitals in Northeast Brazil in relation to interventions adopted by the Projeto Nascer to reduce vertical transmission of HIV and syphilis in 2005. This was a multiple case study including one retrospective and another cross-sectional approach. The logical model for the intervention has five components: prevention, epidemiological surveillance, and pharmaceutical, laboratory, and clinical care. For each component, structure and process indicators were selected. The maternity hospitals were classified as: acceptable, partially implemented, unacceptable, and not implemented. The highest adherence to the standards was in maternity hospital A (62.5%), classified as partially implemented, and the lowest in maternity hospital C (30.6%), considered unacceptable. The study highlights the importance of preventive measures, epidemiological surveillance, and pharmaceutical, laboratory, and clinical care to reduce vertical transmission of HIV and syphilis.


Assuntos
Infecções por HIV/transmissão , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas/prevenção & controle , Sífilis/transmissão , Brasil/epidemiologia , Estudos Transversais , Feminino , Infecções por HIV/epidemiologia , Infecções por HIV/prevenção & controle , Maternidades , Hospitais Públicos , Humanos , Serviços de Saúde Materna , Vigilância da População , Gravidez , Complicações Infecciosas na Gravidez/epidemiologia , Cuidado Pré-Natal , Qualidade da Assistência à Saúde , Estudos Retrospectivos , Sífilis/epidemiologia , Sífilis/prevenção & controle
13.
Cad. saúde pública ; 25(8): 1679-1692, ago. 2009. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-520741

RESUMO

Este artigo avalia a assistência às mulheres em quatro maternidades públicas do Nordeste brasileiro quanto às medidas de intervenção adotadas pelo Projeto Nascer para redução da transmissão vertical do HIV e sífilis, em 2005. Trata-se de um estudo de casos múltiplos, abrangendo uma abordagem retrospectiva e outra transversal. O modelo lógico da intervenção tem cinco componentes: prevenção, vigilância epidemiológica, assistência farmacêutica, laboratorial e clínica. Para cada componente selecionaram-se indicadores de estrutura e processo. As maternidades foram classificadas em: aceitável, parcialmente implantado, inaceitável e não implantado. A maior aderência às normas foi observada na maternidade A (62,5 por cento), classificada em parcialmente implantada, e a menor na maternidade C (30,6 por cento), enquadrada como inaceitável. O estudo destaca a importância das ações de prevenção, vigilância epidemiológica, assistência farmacêutica, laboratorial e clínica para redução da transmissão vertical do HIV e da sífilis.


This article evaluates the care provided to women in four public maternity hospitals in Northeast Brazil in relation to interventions adopted by the Projeto Nascer to reduce vertical transmission of HIV and syphilis in 2005. This was a multiple case study including one retrospective and another cross-sectional approach. The logical model for the intervention has five components: prevention, epidemiological surveillance, and pharmaceutical, laboratory, and clinical care. For each component, structure and process indicators were selected. The maternity hospitals were classified as: acceptable, partially implemented, unacceptable, and not implemented. The highest adherence to the standards was in maternity hospital A (62.5 percent), classified as partially implemented, and the lowest in maternity hospital C (30.6 percent), considered unacceptable. The study highlights the importance of preventive measures, epidemiological surveillance, and pharmaceutical, laboratory, and clinical care to reduce vertical transmission of HIV and syphilis.


Assuntos
Feminino , Humanos , Gravidez , Infecções por HIV/transmissão , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas/prevenção & controle , Sífilis/transmissão , Brasil/epidemiologia , Estudos Transversais , Infecções por HIV/epidemiologia , Infecções por HIV/prevenção & controle , Maternidades , Hospitais Públicos , Serviços de Saúde Materna , Vigilância da População , Cuidado Pré-Natal , Complicações Infecciosas na Gravidez/epidemiologia , Qualidade da Assistência à Saúde , Estudos Retrospectivos , Sífilis/epidemiologia , Sífilis/prevenção & controle
14.
Ciênc. saúde coletiva ; 12(5): 1309-1317, set.-out. 2007. tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, LILACS, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-459460

RESUMO

Este artigo analisa o grau de implantação da ação de Incentivo ao Aleitamento Materno nos ambulatórios públicos do Recife (PE), através da avaliação normativa, realizada em 84 equipes de saúde da família (ESF) e nos 42 Centros de Saúde (CS) em janeiro de 2002. Foi utilizado um instrumento contendo questões estruturadas referentes a normas e rotinas para a promoção do aleitamento. Quando comparadas aos CS, as ESF apresentaram melhor desempenho, encontrando-se a ação 'implantada' em 7,1 por cento das ESF, porém em nenhum CS; e 'não implantada' em 1,2 por cento ESF e 47,6 por cento dos CS. Conclui-se que o grau de implantação é insatisfatório, demonstrando a dificuldade de se conseguir romper com as práticas clínico-individualistas e introjetar propostas universais e integrais de promoção à saúde.


This paper analyses the implementation level of a breast-feeding incentive program at Government healthcare facilities in Recife, Pernambuco State, Brazil, through a normative assessment conducted through 84 Family Health Teams and at 42 Health Centers in January 2002. A tool containing structured questions was used, related to rules and routines for promoting breast-feeding. The Family Health Teams performed better, with the actions implemented in 7.1 percent of these Teams and at none of the Health Centers; they were rated as 'not implemented' for 1.2 percent of the Family Health Teams and 47.6 percent of the Health Centers. This leads to the conclusion that implementation levels are not satisfactory, reflecting difficulties in breaking away from clinical practice and individual habits in order to introduce universal and all-round health promotion measures.


Assuntos
Humanos , Lactente , Aleitamento Materno , Avaliação de Programas e Projetos de Saúde , Centros de Saúde , Equipe de Assistência ao Paciente , Estratégia Saúde da Família , Promoção da Saúde , Estudos Transversais
15.
Nursing (Säo Paulo) ; 7(76): 45-50, set. 2004. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: lil-526600

RESUMO

Este estudo teve como objetivo avaliar o grau de implantação da ação de imunização e as atividades efetivamente executadas em 84 equipes de saúde da família do município de Recife em 2002. Trata-se de uma avaliação normativa, descritiva e de corte transversal, onde se confrontou normas e procedimentos preconizados pelo Ministério da Saúde com as realizadas pelas equipes. O grau de implantação encontrado foi de 2,4 por cento na condição implantada e 96,4 por cento na de parcialmente implantada e 1,2 por cento não implantada. Com relação às atividades, apenas duas, "faz o esquema completo" e "dispõe de todas as vacinas padronizadas" eram realizadas no universo das equipes. Às relacionadas ao "desenvolvimento de práticas educativas", "disponibilidade de fichário na sala de vacina" e "entrosamento com entidade de apoio social" foram encontradas em menor proporção. O grau de implantação foi considerado insatisfatório, apesar da ação de imunização já fazer parte da rotina das Unidades de Saúde há mais de três decádas.


Assuntos
Humanos , Avaliação em Saúde , Imunização , Estratégia Saúde da Família , Vacinas/imunologia , Brasil
16.
Recurso educacional aberto em Português | CVSP - Brasil, CVSP - Brasil | ID: una-3335

RESUMO

Esta cartilha faz parte dos materiais didáticos dos cursos de especialização para trabalhadores vinculados à Atenção Básica ofertados pela UFPE. Espera-se, com esse material, que os estudantes percebam a importância da incorporação da Avaliação em Saúde à sua prática como instrumento permanente para tomadas de decisão e, por consequência, ampliação da sua capacidade de monitorar as ações, responder às necessidades locais em saúde; além de identificar e corrigir problemas de forma integral.


Assuntos
Estratégia Saúde da Família , Avaliação em Saúde , Serviços de Saúde
17.
Recurso educacional aberto em Português | CVSP - Brasil, CVSP - Brasil | ID: una-9258

RESUMO

Este livro faz parte dos materiais didáticos dos cursos de especialização para trabalhadores vinculados à Atenção Básica ofertados pela UFPE. Apresenta as estratégias públicas de atenção à saúde da criança, especialmente os eixos da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC); as atribuições dos profissionais da atenção básica nesta ação programática; e os indicadores de saúde para o monitoramento e avaliação das ações desenvolvidas na área de saúde da criança na Atenção Básica.


Assuntos
Atenção à Saúde , Saúde da Criança , Indicadores (Estatística)
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...