Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 18 de 18
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. bras. cardiol ; 113(2 supl.1): 75-75, set., 2019.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1017140

RESUMO

INTRODUÇÃO: A Tetralogia de Fallot (T4f) é a cardiopatia congênita cianótica mais frequente na infância representando cerca de 10% de todas as cardiopatias congênitas. É também a cardiopatia cianogênica que permite maior sobrevivência até a idade adulta. Com o passar dos anos, as cicatrizes cirúrgicas no ventrículo direito (VD) e as lesões residuais, principalmente a insuficiência pulmonar com dilatação da via de saída do VD, podem levar à disfunção e arritmias cardíacas, sendo estas, quando graves, a maior causa de morte súbita tardia. O Teste Cardiopulmonar (TCPE) é uma ferramenta de grande valor na avaliação funcional desses pacientes, trazendo informações sobre sintomas limitantes, resposta cronotrópica, comportamento da pressão arterial, ocorrência de arritmias, além de trazer informações adicionais importantes e de valor prognóstico nos pacientes mais graves como o consumo de oxigênio do pico do exercício (VO2) , o limiar anaeróbico e a inclinação, slope do VE/VCO2. OBJETIVO: Avaliar a segurança do TCPE em pacientes em pós-operatório tardio de T4f, bem como avaliar adicionalmente o comportamento de suas variáveis no auxílio à estratificação do risco cardiovascular. MÉTODOS: estudo transversal, em que foram avaliados pacientes em pós operatório tardio deT4f que realizaram TCPE nesta instituição. RESULTADOS: foram avaliados 59 pacientes com média de idade de 22.9 anos (DP 9,4) e (46%) mulheres. Para caracterização anatômica foi empregada a ecodopplercardiografia que evidenciou: fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) de 67%, desses pacientes 66% apresentavam insuficiência pulmonar importante. Todos em vigência de medicação específica, ressaltando-se os betabloqueadores em 12% dos pacientes. Das variáveis obtidas durante o esforço, destacam-se as médias de tempo de exercício: 10min e 33 segundos; VO2 pico de 29,7ml.kg-1.min-1(DP:9,4), VE/ VCO2 slope 30,5(DP 8,1), Pulso de O2 86%(DP 24), OUES 1625 (DP 626). Não houve arritmias ventriculares sustentadas, parada cardiorrespiratória, ou outra complicação que necessitasse de internação. CONCLUSÃO: Na amostra de pacientes avaliados o TCPE mostrou-se seguro durante sua realização em ambiente hospitalar, com variáveis hemodinâmicas e ventilatórias que podem auxiliar na caracterização prognóstica e no processo de decisão terapêutica desses pacientes. (AU)


Assuntos
Humanos , Tetralogia de Fallot , Teste de Esforço , Cardiopatias Congênitas
2.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(Suppl. 2b): 273-273, Jun. 2019.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1014982

RESUMO

INTRODUÇÃO: O treinamento físico melhora a capacidade funcional e a qualidade de vida em pacientes com insuficiência cardíaca crônica (IC). Entretanto, devido à baixa disponibilidade de centros de reabilitação cardíaca e limitações pessoais (custos de transporte, tempo, preferências), a inclusão e a adesão ao treinamento físico supervisionado são baixas, sendo proposto o treinamento domiciliar como alternativa. OBJETIVO: Comparar os efeitos de dois programas de treinamento: um domiciliar e um supervisionado ao longo de 12 semanas sobre a capacidade funcional, atividade física diária e qualidade de vida em pacientes com IC. MÉTODOS: Foram incluídos 23 pacientes com IC (classe funcional NYHA II e III, fração de ejeção do ventrículo esquerdo ≤40%) randomizados em Grupo Domiciliar (GD, n=11) ou Grupo Supervisionado (GS, n=12). Os pacientes realizaram, ao longo de 12 semanas exercícios aeróbios (60-70% da frequência cardíaca de reserva): caminhada para o GD e cicloergômetro para o GS combinados a exercícios resistidos (50% de uma repetição máxima). As variáveis-desfecho foram: pico de consumo de oxigênio e ventilação máxima do teste cardiopulmonar, distância percorrida no teste da caminhada de seis minutos, força muscular do quadríceps, pressão inspiratória máxima, número de passos/dia e qualidade de vida. RESULTADOS: Após 12 semanas,GD e GS apresentaram aumentos significantes (p=0,025) no pico de consumo de oxigênio (0,8 e 3,7 ml/kg/min, respectivamente), na ventilação máxima (11,5 e 15,6 l/min, respectivamente), na distância percorrida (40 e 25 m, respectivamente), na porcentagem de força muscular do quadríceps (21% e 11%, respectivamente) e na qualidade de vida avaliada por meio do questionário Minnesota Living with Heart Failure (1 e 13, respectivamente), sem diferenças entre GD e GS. Entretanto, o GS mostrou melhora na força muscular inspiratória (p=0,042), aumento no número de passos/dia (p=0,001) e no componente de saúde mental do questionário SF-36 (p=0,001) superior ao GD. CONCLUSÕES: O treinamento domiciliar pode ser uma alternativa ao treinamento supervisionado para melhorar a capacidade funcional e a qualidade de vida em pacientes com IC. Além desses benefícios, o treinamento supervisionado foi superior em aumentar a força muscular inspiratória, o número de passos/dia e melhorar os aspectos de saúde mental em pacientes com IC. (AU)


Assuntos
Humanos , Exercício , Insuficiência Cardíaca
3.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(Suppl. 2b): 156-156, Jun. 2019.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1009617

RESUMO

INTRODUÇÃO: O VO2 reflete a integração entre os sistemas respiratório, cardiovascular e neuromuscular sendo fundamental para a prescrição de treinamento. Os métodos para sua avaliação podem ser diretos ou indiretos. A medida direta em teste cardiopulmonar (TCP) é padrão ouro, porém de difícil acesso. Desenvolveu-se protocolos indiretos que determinam esta variável através de equações. Este relato de caso tem por objetivo exemplificar as diferenças na prática clínica entre o VO2max avaliado pelo teste ergométrico (TE) e TCP. MÉTODOS: Revisão nas bases de dados e bibliotecas digitais em comparação ao relato de caso. RESULTADOS: CMP, sexo feminino, 27 anos, sem comorbidades. No método direito foi utilizado protocolo rampa incremental com velocidade máxima 14km/h, inclinação 8.5%; concluídos 12 minutos do TCP, VO2máx de 52.5ml/kg/min. No método indireto foi utilizado protocolo Atleta Médio. Na determinação indireta do VO2max foi utilizada a formula: 1.8 x Vel x (0,073 + Inc -100) (-3.5 + mets); concluídos 10 minutos, VO2máx estimado 93,67ml/kg/min= 26,76 METS. Em ambos os testes ocorreu exaustão. O VO2máx através de fórmula foi 56% maior que o VO2máx diretamente no pico do exercício através do TCP. As divergências entre estes dois métodos já foram relatadas na literatura previamente, porém, com estimativa em 30%, diferença inferior a encontrada. Podem ser explicadas pelo fato do método indireto utilizar fórmulas matemáticas com valores de variáveis que são indiretamente relacionadas ao VO2max e expostas a muitos fatores externos. A equação proposta por Wasserman e Whipp frequentemente utilizada não representa nossa população nacional. A fórmula para cálculo do consumo de oxigênio máximo superestima os valores de consumo de oxigênio máximo medidos diretamente durante um teste com incrementos de intensidade a cada 1 min. Observamos que a prescrição de intensidade de exercício com base no limiar aeróbico (LA) ventilatório e no ponto de compensação respiratória é mais recomendada para se obter as adaptações benéficas na capacidade cardiopulmonar. A utilização de métodos indiretos de determinação do VO2máx deve ser realizada de maneira criteriosa e não isolada. Para uma precisa prescrição de intensidade de exercício deve-se utilizar o TCP. CONCLUSÕES: O resultado do estudo demonstra que o VO2máx pelo TE superestimou os reais valores observados no TCP. Por essa razão, o TE apresentou limitações substanciais para a obtenção da real capacidade funcional para uma precisa prescrição de intensidade de exercício. (AU)


Assuntos
Humanos , Teste de Esforço
4.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 27(2): f:82-l:87, abr.-jun. 2017. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-847844

RESUMO

O processo de decisão clínica para utilização de radiação ionizante para obter estudos diagnósticos e prognósticos por imagem inclui obrigatoriamente critérios apropriados de indicação e avalia a razão risco-benefício dentro do princípio da mínima exposição, enquanto são obtidas informações de alta qualidade. Adicionalmente, a exposição à radiação médica continua a ser tópico de constante discussão, considerando-se o crescimento do uso de exames de imagem, em especial na oncologia e nas doenças cardiovasculares, o consequente aumento da dose efetiva de radiação, a falta de monitoração e a insuficiência de dados na exposição longitudinal à radiação de pacientes submetidos a múltiplos procedimentos ao longo do tempo, entre outros. Consequentemente, o tema "dose de radiação" envolvendo tais procedimentos ganhou destaque mundial e muitas teorias e especulações surgiram, tanto na literatura médica quanto na mídia leiga. O assunto com certeza merece atenção da comunidade médica e deve continuar recebendo novos investimentos, tanto no estudo de seus efeitos biológicos quanto na evolução tecnológica de equipamentos com capacidade de produzir exames com excelente capacidade diagnóstica e com dose de radiação cada vez menor. Até o momento, não se conhecem ao certo quais os efeitos biológicos da radiação de baixa dose em adultos, mas, considerando- se alguns fatos, evidências experimentais e epidemiológicas que relacionam a exposição a baixas doses de radiação ionizante e desenvolvimento de tumores sólidos e leucemias, protocolos rígidos de controle e segurança devem ser implementados na rotina diária, seguindo normatizações estabelecidas dos órgãos reguladores. Publicações recentes que envolvem a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA - 2016) recomendam como estratégia de redução de dose em imagens de perfusão do miocárdio com o uso de radiofármacos a observação rígida dos princípios básicos de proteção à radiação médica, categorizados como princípios da "Justificação" (teste correto para o paciente certo), "Otimização" (princípio "ALARA") e "Melhores Práticas". Finalmente, os estudos de imagem cardiovascular com radiação ionizante são considerados maléficos, subestimando-se, muitas vezes, os benefícios resultantes quando eles são bem indicados, porque podem ser decisivos para a conduta adequada


The clinical decision to use ionizing radiation to obtain diagnostic and prognostic studies by image must include appropriate indication criteria, and evaluate the risk-benefit ratio, adhering to the principle of minimum exposure while obtaining high-quality information. Moreover, medical exposure to radiation is a subject of ongoing debate, in view of the growth in the use of imaging exams, especially in oncology and cardiovascular disease, the consequent increase in effective radiation doses, the lack of monitoring, and the inadequacy of data on longitudinal exposure to radiation in patients submitted to multiple procedures over time,among other factors. Consequently, the subject of the "radiation dose" involved in these procedures has gained interest worldwide, and many theories and speculations have arisen, both in the medical literature and in the general media. Without a doubt, the subject deserves the attention of the medical community, and should continue to receive new investments, whether on the study of its biological effects or on the technological development of equipment capable of producing exams with excellent diagnostic capacity and increasingly lower radiation doses. So far, the biological effects of low radiation doses in adults is not known for certain, but considering some facts, such as experimental and epidemiological evidence linking exposure to low doses of ionizing radiation with the development of solid tumors and leucemias,strict control and safety protocols should be implemented as routine, following the guidelines of the regulatory bodies. Recent publications involving the International Agency for Atomic Energy (IAEA - 2016) recommend, as a strategy for reducing the radiation dose in images of myocardial perfusion with the use of radiodrugs, strict observation of the basic principles of protection against medical radiation, categorized as principles of "Justification" (right test for the right patient), "Optimization" ("ALARA" principle) and "Best Practices". Finally, cardiovascular imaging studies with ionizing radiation are considered harmful, often underestimating the resulting benefits when they are well indicated, because they may be decisive for the appropriate conduct


Assuntos
Humanos , Radiação , Proteção Radiológica/métodos , Fatores de Risco , Tomografia Computadorizada por Raios X/métodos , Diagnóstico por Imagem/métodos , Dosimetria , Neoplasias/terapia , Radiação Ionizante
5.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de São Paulo ; 27(2): 82-87, 2017. ilus, tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-36249

RESUMO

O processo de decisão clínica para utilização de radiação ionizante para obter estudos


diagnósticos e prognósticos por imagem inclui obrigatoriamente critérios apropriados de


indicação e avalia a razão risco-benefício dentro do princípio da mínima exposição, enquanto


são obtidas informações de alta qualidade. Adicionalmente, a exposição à radiação


médica continua a ser tópico de constante discussão, considerando-se o crescimento do


uso de exames de imagem, em especial na oncologia e nas doenças cardiovasculares, o


consequente aumento da dose efetiva de radiação, a falta de monitoração e a insuficiência


de dados na exposição longitudinal à radiação de pacientes submetidos a múltiplos


procedimentos ao longo do tempo, entre outros. Consequentemente, o tema “dose de


radiação” envolvendo tais procedimentos ganhou destaque mundial e muitas teorias


e especulações surgiram, tanto na literatura médica quanto na mídia leiga. O assunto


com certeza merece atenção da comunidade médica e deve continuar recebendo novos


investimentos, tanto no estudo de seus efeitos biológicos quanto na evolução tecnoló-


gica de equipamentos com capacidade de produzir exames com excelente capacidade


diagnóstica e com dose de radiação cada vez menor. Até o momento, não se conhecem


ao certo quais os efeitos biológicos da radiação de baixa dose em adultos, mas, considerando-se


alguns fatos, evidências experimentais e epidemiológicas que relacionam a


exposição a baixas doses de radiação ionizante e desenvolvimento de tumores sólidos


e leucemias, protocolos rígidos de controle e segurança devem ser implementados na


rotina diária, seguindo normatizações estabelecidas dos órgãos reguladores. Publicações


recentes que envolvem a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA - 2016) recomendam


como estratégia de redução de dose em imagens de perfusão do miocárdio


com o uso de radiofármacos a observação rígida dos princípios básicos de proteção à


radiação médica, categorizados como princípios da “Justificação” (teste correto para o


paciente certo), “Otimização” (princípio “ALARA”) e “Melhores Práticas”. Finalmente, os


estudos de imagem cardiovascular com radiação ionizante são considerados maléficos,


subestimando-se, muitas vezes, os benefícios resultantes quando eles são bem indicados,


porque podem ser decisivos para a conduta adequada.(AU)


Assuntos
Radiologia , Radiação , Tomografia Computadorizada por Raios X
6.
In. Sousa, Amanda Guerra Moraes Rego; Timerman, Ari; Sousa, José Eduardo Moraes Rego. Tratado sobre doença arterial coronária. São Paulo, Atheneu, 2017. p.163-92, ilus, tab, graf.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-35341
7.
In. Sousa, Amanda Guerra Moraes Rego; Timerman, Ari; Sousa, José Eduardo Moraes Rego. Tratado sobre doença arterial coronária. São Paulo, Atheneu, 2017. p.361-386, ilus, tab.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-35353
8.
Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.) ; 29(5): f:390-l:395, set.-out. 2016. graf
Artigo em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-832725

RESUMO

O teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) é um exame complementar que fornece importantes dados sobre a real capacidade funcional e respostas do metabolismo, ventilação e trocas gasosas do paciente. Deste modo, o TCPE permite classificar a aptidão cardiorrespiratória de um indivíduo e identificar distúrbios que limitam a continuidade do exercício, através da análise de diversas variáveis extraídas deste método propedêutico diagnóstico e prognóstico. Neste sentido, situações relativamente comuns mas pouco identificadas na prática clínica, como a hipertensão pulmonar (HP), podem ser melhor abordadas, avaliadas e mensuradas. Assim, a análise de gases expirados através do TCPE pode proporcionar melhor gerenciamento da HP, classificando a capacidade aeróbica e a resposta ventilatória e de troca gasosa nos pacientes com tal distúrbio vascular pulmonar.


Assuntos
Humanos , Testes de Função Respiratória/métodos , Exercícios Respiratórios/métodos , Hipertensão Pulmonar/fisiopatologia , Terapêutica/métodos , Doenças Cardiovasculares/fisiopatologia , Avaliação de Resultado de Intervenções Terapêuticas/métodos , Fatores de Risco , Diagnóstico Diferencial , Teste de Esforço/métodos , Ventrículos do Coração/fisiopatologia
9.
Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.) ; 107(5): 390-395, 2016.
Artigo em Inglês | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-34663

RESUMO

The cardiopulmonary exercise test (CPET) is a complementary test that provides important data about the patient’s actual functional capacity, metabolic and ventilatory responses, and gas exchange. Thus, it enables a classification of the cardiorespiratory fitness of an individual and identification of disorders that limit exercise continuity by analyzing several variables drawn from this diagnostic and prognostic propaedeutic method. In this regard, situations that are relatively common in clinical practice but are not often identified,such as pulmonary hypertension (PH), can be better addressed, assessed, and measured. Thus, the analysisof exhaled gases using CPET may provide better PH management by enabling a classification of the aerobic capacity, ventilatory response and gas exchange in patients with this pulmonary vascular disorder.(AU)


Assuntos
Hipertensão Pulmonar/fisiopatologia , Testes de Função Respiratória , Exercícios Respiratórios
10.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 24(1): 87-94, jan.-mar. 2014.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-729300

RESUMO

Dentro do processo de decisão médica em cardiologia, em especial na doença arterial coronária, com a necessidade de avaliar o paciente individualmente dentro do binômio diagnóstico-prognóstico, estão incluídos os exames complementares não invasivos. Quando indicados nas populações classificadas como probabilidade pré-teste intermediária de doença, alcançam habitualmente sua máxima eficiência, mas envolvem riscos inerentes aos métodos empregados, que devem ser abordados no sentido de fornecer a máxima segurança ao paciente dentro da melhor relação custo-efetividade. No caso das provas de estresse físico como o teste ergo métrico (TE), a despeito de ser considerado um procedimento seguro, há relatos de eventos de natureza grave como infarto do miocárdio (lM) e morte, com estudos sugerindo de zero a seis mortes ou paradas cardíacas e dois a 10 IM por 10.000 testes realizados. Ressalta-se, no entanto, que as estimativas variam de modo significativo de acordo à prevalência e gravidade da doença cardíaca de base na população testada, sendo tais dados corroborados em diretrizes nacionais da especialidade. Destacados tais fatos, toma-se obrigatório o conhecimento pelo médico das implicações médico-legais do procedimento, abordadas nos Códigos de Proteção ao Consumidor, Civil Brasileiro e de Ética Médica e que são passíveis de aplicação. Há considerações adicionais quando exames complementares que empregam estresse físico, estímulo ou estresse farmacológico associam-se com a injeção de radiofármacos para o estudo da perfusão do miocárdio, como o tálio 201 ou isonitrilas (MIEI ou tetrofosmin) marcadas com tecnécio 99m, considerando-se a exposição à radiação e intercorrências possíveis relacionadas ao estresse, documentados em TCLE apropriado...


Within the cardiology medica I decision-rnaking, especially in coronary artery disease, and the need to evaluate the individual patient in binomial diagnosis-prognosis, as well as meet the conceptuation of incremental prognostic value, the complementary non-invasive examinations are included: when indicated in populations classified as intermediate pretest probability of illness they usually reach their maximum efficiency, but involve risks inherent in methods, which must be addressed in order to provide maximum safety to the patient within the best cost effectiveness ratio. In case of evidence of physical stress such as exercise testing (EXT), in spite of being considered a safe procedure, there are reports of serious nature, such as myocardial infarction (MI) and death, with studies suggesting from zero to six deaths or cardiac arrest and two to ten MI for 10.000 tests performed. It should be noted however, that estimates vary significantly according to the prevalence and the severity of heart disease based on the population tested, being such data supported by national specialty guidelines. Highlighted such facts, it becomes rnandatory the doctor's knowledge about the medical-legal implications of the procedure, consumer protection codes, Brazilian civil and medical ethics that can be applied. There are other considerations when additional tests that emply physical stress, stimulation or pharmacological stress associated with the injection of radio pharmaceuticals for the study of myocardiaI perfusion, as thallium 201 or isonitriles (MIBI or tetrofosrnin) labeled with technetium 99 m, considering the radiation exposure and possible complications related to stress, documented in appropriate free informed consent statement...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Doença da Artéria Coronariana/diagnóstico , Exames Médicos/ética , Jurisprudência/legislação & jurisprudência , Teste de Esforço/ética , Cintilografia/métodos , Guias como Assunto/normas , Prognóstico , Termos de Consentimento/legislação & jurisprudência
11.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-29705

RESUMO

Dentro do processo de decisão médica em cardiologia em especial na doença arterial coronária, com a necessidade de avaliar o paciente individualmente dentro do binômio diagnóstico-prognóstico, estão incluídos os exames complementares não invasivos. Quando indicados nas populações classificadas como probabilidades pré-teste intermediária de doença, alcançam habitualmente sua máxima eficiência, mas envolvem riscos inerentes aos métodos empregados, que devem ser abordados no sentido de fornecer a máxima segurança ao paciente dentro da melhor relação custo-efetividade. No caso das provas de estresse físico como o teste ergométrico (TE), a despeito de ser considerado um procedimento seguro, há relatos de eventos de natureza grave como infarto do miocárdio (IM) e morte, com estudos sugeridos de zero a seis mortes ou paradas cardíacas e dois a 10 IM por 10.000 testes realizados. Ressalta-se, no entanto, que as estimativas variam de modo significativo de acordo à prevalência e gravidade da doença cardíaca de base na população testada, sendo tais dados corroborados em diretrizes nacionais da especialidade...(AU)


Assuntos
Doença da Artéria Coronariana , Exames Médicos/ética , Jurisprudência/legislação & jurisprudência , Teste de Esforço/ética
12.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.199-203.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28825
13.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.221-224.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28829
14.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.225-227.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28830
15.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.228-232.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28831
17.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.381-385.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28835
18.
In. Anon. Livro-texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Barueri, SP, Manole, 2012. p.392-396.
Monografia em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-28836
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA