Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 13 de 13
Filtrar
1.
São Paulo; SES-SP; 2014. 239 p. ilus, graf, tab.
Monografia em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-773059

RESUMO

Na transmissão vertical do HIV, o impacto positivo das intervençõesassistenciais, laboratoriais, profiláticas e medicamentosas no Estado deSão Paulo é demonstrado pela redução de casos notificados de aids portransmissão vertical, no período de 1997 a 2011, que caiu de 445 casospara 50 casos respectivamente; pela redução da taxa de transmissão de16% em 1997 (Tess, 1998) para uma taxa de 3,2% em 2002 (Succi, 2003); etambém pelo significativo aumento da sobrevida média de 6,7 meses em1991 (Grangeiro, 1995) para uma sobrevida mediana de 84,4 meses nos casosdiagnosticados até o ano de 1998 (Matida, 2003). A probabilidade de sobrevidaem 9 anos, para crianças diagnosticada no período de 1999 a 2002 e seguidaambulatorialmente até março/2007, foi de 0,9023 (IC de 95%[0,8376- 0,9421])respectivamente (Matida, 2009). A infecção pelo HIV em crianças mantém-secomo um importante problema de saúde pública no Brasil.Estudo realizado em São Paulo estimou as taxas de transmissão vertical deHIV, baseadas em mulheres grávidas diagnosticadas e notificadas em 2006,identificando os fatores potencialmente associados a sua ocorrência. Esteestudo envolve uma análise transversal e retrospectiva dos sistemas deinformação e registros de mulheres grávidas infectadas e crianças expostasao HIV. A taxa de transmissão vertical no Estado de São Paulo foi de 2,7%(intervalo de confiança 95%: 1,86-3,94), em 2006, diminuindo em 83,1%quando comparada com o período de 1988-1993. As principais variáveisassociadas à transmissão vertical foram a ausência de consultas de prénatalou um número inferior a 6 consultas de pré-natal, ausência de profilaxiaantirretroviral durante o parto ou uso neonatal por menos de 6 semanas,como também realização de aleitamento materno ou aleitamento cruzado. Oestudo reforça a tendência decrescente da transmissão...


Assuntos
Humanos , HIV , Planos e Programas de Saúde , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida/transmissão , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas , Brasil
2.
AIDS Care ; 24(5): 601-5, 2012.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-22148871

RESUMO

Pregnancies in women without knowledge of their HIV-positive status increase the risk of mother-to-child transmission, and of disease progression. This study aimed to characterize the frequency of multiple pregnancies and of HIV-positive children in the family, during HAART era. We analyzed data of a national multicenter cohort study among Brazilian children with AIDS diagnosed between 1999 and 2002. In total, 945 children and their 928 mothers were included. Five hundred and ninety (64.6%) women had a history of multiple pregnancies, and 49.5% attended prenatal care (mean: 3.5 consultations; SD 3.6). In 483 child cases, HIV status of the sibling was known; 130 (26.9%) of these were infected with HIV. In 38.5% of cases, the child with AIDS included in the cohort study was the first case in the family. Despite the overall positive results of the Brazilian control policy of HIV/AIDS, our study shows that HIV infection in pregnant women was often undetected and that consequently there was a high frequency of repeated HIV-infected children. There is a need to improve comprehensive prenatal and postnatal care of Brazilian women. HIV-affected families are most vulnerable and should be targeted by specific control programs, preventing additional HIV infections in other children.


Assuntos
Terapia Antirretroviral de Alta Atividade , Soropositividade para HIV/transmissão , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas/prevenção & controle , Cuidado Pré-Natal/normas , Irmãos , Brasil/epidemiologia , Criança , Pré-Escolar , Estudos de Coortes , Progressão da Doença , Feminino , Soropositividade para HIV/epidemiologia , Humanos , Lactente , Recém-Nascido , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas/estatística & dados numéricos , Masculino , Serviços de Saúde Materna , Mães , Gravidez , Estudos Retrospectivos
3.
AIDS Res Ther ; 8: 23, 2011 Jul 18.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-21767368

RESUMO

BACKGROUND: HAART has significantly reduced AIDS-related morbidity in children. However, limited evidence is available from developing countries regarding patterns of opportunistic illnesses. We describe these events and their associated factors in children with AIDS in Brazil. METHODS: This study is based on two representative retrospective multi-center cohorts including a total 1,859 children with AIDS, infected via mother-to-child transmission (MTCT), between 1983-2002. Opportunistic illnesses were described and analyzed over time. The association of demographic, clinical and operational data with the occurrence of opportunistic diseases was assessed. RESULTS: In total, 1,218 (65.5%) had at least one event of an opportunistic disease. Variables significantly associated with occurrence of these events included: region of residence (OR 2.68-11.33, as compared to the Northern region), age < 1 year at diagnosis (OR 2.56, 95% CI 1.81-3.61, p < 0.001), and non-performance of MTCT prevention measures (OR 1.58, 95% CI 1.21-2.07, p < 0.001). Protective factors included year of HIV diagnosis in the HAART era (OR 0.34, 95% CI 0.15-0.76, p = 0.009) and ART use (OR 0.58, 95% CI 0.44-0.77, p < 0.001). In both periods bacterial infections represented the most common opportunistic events (58.6 vs. 34.7%; p < 0.001), followed by Pneumocystis jirovecii pneumonia (21.9 vs. 13.2%; p < 0.001), and bacterial meningitis/sepsis (16.8 vs. 7.4%; p < 0.001). CONCLUSIONS: Despite the significant reduction in recent years, opportunistic illnesses are still common in Brazilian children with AIDS in the HAART era, especially bacterial diseases. The data reinforce the need for scaling up prevention of MTCT, early diagnosis of infection, and improvement of comprehensive pediatric care.

4.
Pediatr Infect Dis J ; 28(10): 920-2, 2009 Oct.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-19672214

RESUMO

This retrospective cohort study examined a nationally representative sample of 945 Brazilian children (ages 0-12 years) diagnosed with AIDS in 1999 to 2002 and followed through 2007. The probability of survival to 60 months was 86.3% (95% CI, 84.1%-88.5%). This compares with 52.8% (95% CI, 41.9%-60.8%) in a study of cases diagnosed in 1983 to 1998. These results demonstrate substantial improvement in survival for children with AIDS in Brazil.


Assuntos
Infecções por HIV/epidemiologia , Brasil/epidemiologia , Criança , Pré-Escolar , Estudos de Coortes , Feminino , Infecções por HIV/mortalidade , Humanos , Lactente , Recém-Nascido , Masculino , Estudos Retrospectivos , Análise de Sobrevida
5.
DST j. bras. doenças sex. transm ; 19(3/4): 111-119, nov. 25, 2007. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-530215

RESUMO

Introdução: a definição de caso representa uma estratégia da vigilância epidemiológica para o monitoramento de um agravo ou doença de interesse para a saúde pública. Além disso, permite a descrição de sua ocorrência, o registro e a avaliação de estratégias de controle adotadas em uma determinada população. Objetivo: o presente artigo resgata o processo de definição de caso da sífilis congênita no Brasil desde 1986 até 2004, um evento que ainda persiste como um importante desafio. Métodos: revisão sistemática de documentos técnico-científicos sobre definição de casos de sífilis no Brasil e em outros países. Resultados: o artigo subsidia o entendimento da atual definição de caso, vigente desde janeiro de 2004, contextualizando o processo de vigilância epidemiológica. Conclusão: ressalta-se a importância da adequada definição de caso para as ações de vigilância da sífilis congênita, bem como o reconhecimento dos limites e potencialidades das diferentes modalidades de vigilância epidemiológica com o objetivo de gerar informações de qualidade para programar as ações de controle.


Introduction: the process of case definition represents an important strategy of epidemiological surveillance to follow important diseases and eventsfor public health. Moreover, it allows the description of occurrence, besides the registry and control strategies’ evaluation adopted in a certain population. Objective: this article rebuilds the process of congenital syphilis case definition in Brazil since 1986 up to 2004, an event that still persists as an important challenge in many countries. Methods: systematic review of technical-scientific documents about the definition of congenital syphilis cases in Brazil and in other countries. Results: this analysis subsidizes, therefore, the understanding of the current case definition, effective since January 2004, as the basis for the development of the epidemiological surveillance process. Conclusion: the importance of the appropriate case definition and revision for surveillance actions of congenital syphilis are emphasized, as well as the recognition of limits and potentialities of differentmodalities of epidemiological surveillance in order to generate good information to subsidize the control actions.


Assuntos
Humanos , Infecções Sexualmente Transmissíveis , Sífilis Congênita/história , Sífilis Congênita/prevenção & controle
6.
DST j. bras. doenças sex. transm ; 19(3/4): 120-127, nov. 25, 2007.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-530216

RESUMO

Introdução: mais de 60 anos após o reconhecimento do efeito antibacteriano da penicilina, a sua utilização não vem sendo realizada de modo adequado. Infecções com indicação clara para o uso desse medicamento, como a sífilis congênita, mantêm-se como problema de saúde pública no Brasil. Objetivo: este artigo identifica e discute as questões relacionadas com a dificuldade do uso da penicilina na rede do Sistema Único de Saúde, tomando como exemplo o caso da sífilis. Métodos: trata-se de uma revisão sistemática de documentos técnico-científicos disponíveis na literatura a respeito da aplicação da penicilina e dos desafios relacionados com seu uso. Toma-se como referência principal de estudo o caso da sífilis no Brasil. Resultados: situações associadas aos riscos do uso da penicilina, à questão da resistência a antibióticos, às bases do conhecimento sobre alergia à penicilina, ao diagnóstico e ao manejo das reações anafiláticas são abordadas. Conclusão: conclui-se que a interpretação e a construção equivocadas de documentos técnicos oficiais, a inadequação da formação de profissionais da saúde, os interesses econômicos e a fragilidade da rede de atenção no manejo de reações anafiláticas são situações que favorecem à utilização insuficiente da penicilina na sífilis congênita.


Introduction: the antibacterial effect of penicillin has been recognized for more than 60 years, but the drug is still being used incorrectly. Bacterial infections with clear indications for the use of penicillin, such as congenital syphilis, are still a public health problem in Brazil. Objective: this paper identifies and discusses aspects related to the problems of the use of penicillin in the Unified Health System, using as an example the situation of syphilis. Methods: systematic review of technical-scientific publications related with penicillin use, both in Brazil and in other countries. The main reference of this study is the case of syphilis in Brazil. Results: high risk situations for penicillin use, antibiotic resistance, allergic reactions, as well as diagnosis and treatment of anaphylactic reactions are discussed. Conclusion: we conclude that the erroneous interpretation of technical documents, the inadequate training of health professionals, economic interests and the inability of the health system to manage anaphylactic reactions aresituations which may cause the insufficient use of penicillin in congenital syphilis.


Assuntos
Humanos , Anafilaxia , Penicilinas/uso terapêutico , Infecções Sexualmente Transmissíveis , Sífilis Congênita , Sistema Único de Saúde , Gravidez
9.
J. bras. aids ; 4(2): 67-71, abr.-jun. 2003.
Artigo em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-341876

RESUMO

O crescimento da epidemia de AIDS entre as mulheres levou, consequentemente, ao aumento do numero de casos em criancas, pois a grande maioria e devido a transmissao vertical do hiv, cuja probalidade de ocorrencia foi demonstrada em varios estudos. Foi evidenciado que a maioria dos casos, cerca de 65 porcento, ocorre durante o trabalho de parto e no parto propriamente dito e os 35 porcento restantes ocorrem intra-utero, principalmente nas ultimas semanas de gestacao; o aleitamento materno representa risco adicional de transmissao de 7 porcento a 22 porcento. A evidencia de transmissao do HIV pela amamentacao levou o Ministerio da Saude a contra-indicar o aleitamento materno por mulheres portadoras do HIV, assim como o aleitamento cruzado (feito por outra mulher). O presente artigo apresenta consideracoes sobre a utilizacao do teste rapido para pesquisa do HIV nas parturientes e sobre a importancia da supressao da lactacao nas mulheres HIV+, descrevendo os metodos que podem ser recomendados


Assuntos
Aleitamento Materno , HIV , Transmissão Vertical de Doenças Infecciosas , Supressão
10.
São Paulo; CEFOR; 1992. 37 p. tab.(Cadernos CEFOR, 2).
Monografia em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-6966

RESUMO

Textos sobre vigilância à saúde com discussão voltada para os marcos conceituais e as possibilidades nas práticas de saúde, dirigidas para a questão da qualidade de vida. Mostra a necessidade de serem formuladas políticas para o setor saúde, capazes de oferecer respostas interinstitucionais, onde a integração de iniciativas de assistência, prevenção e promoção à saúde possam garantir a globalização das ações de intervenção. Por fim, apresenta projeto de vigilância do óbito infantil (AMSB)


Assuntos
Recém-Nascido , Lactente , Humanos , Vigilância Sanitária , Qualidade de Vida , Mortalidade Infantil , Causas de Morte , Saúde Pública , Política de Saúde , Monitoramento Epidemiológico , Brasil
11.
Säo Paulo; CEFOR; 1992. 37 p. tab.(Cadernos CEFOR, 2).
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-160329

RESUMO

Textos sobre vigilância à saúde com discussäo voltada para os marcos conceituais e as possibilidades nas práticas de saúde, dirigidas para a questäo da qualidade de vida. Mostra a necessidade de serem formuladas políticas para o setor saúde, capazes de oferecer respostas interinstitucionais, onde a integraçäo de iniciativas de assistência, prevençäo e promoçäo à saúde possam garantir a globalizaçäo das açöes de intervençäo. Por fim, apresenta projeto de vigilância do óbito infantil (AMSB)


Assuntos
Recém-Nascido , Lactente , Humanos , Vigilância Sanitária , Qualidade de Vida , Causas de Morte , Política de Saúde , Mortalidade Infantil , Saúde Pública
12.
São Paulo; SMS; 1992. 37 p. tab.(Cadernos CEFOR - Textos, 2).
Monografia em Português | Coleciona SUS, Sec. Est. Saúde SP, EMS-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, Sec. Munic. Saúde SP | ID: biblio-938879
13.
São Paulo; SMS; 1992. 37 p. tab.(Cadernos CEFOR - Textos, 2).
Monografia em Português | Sec. Munic. Saúde SP, EMS-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, Sec. Munic. Saúde SP | ID: sms-7053
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...