Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Säo Paulo med. j ; 136(4): 324-332, July-Aug. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-962734

RESUMO

ABSTRACT BACKGROUND: Varicose veins affect nearly 30% of the world's population. This condition is a social problem and needs interventions to improve quality of life and reduce risks. Recently, new and less invasive methods for varicose vein treatment have emerged. There is a need to define the best treatment options and to reduce the risks and costs. Since there are cosmetic implications, treatments for which effectiveness remains unproven present risks to consumers and higher costs for stakeholders. These risks and costs justify conducting an overview of systematic reviews to summarize the evidence. DESIGN AND SETTING: Overview of systematic reviews within the Discipline of Evidence-Based Health, at Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). METHODS: Systematic reviews on clinical or surgical treatments for varicose veins were included, with no restrictions on language or publication date. RESULTS: 51 reviews fulfilled the inclusion criteria. Outcomes and comparators were described, and a narrative review was conducted. Overall, there was no evidence that compression stockings should be recommended for patients as the initial treatment or after surgical interventions. There was low to moderate evidence that minimally invasive therapies (endovenous laser therapy, radiofrequency ablation or foam sclerotherapy) are as safe and effective as conventional surgery (ligation and stripping). Among these systematic reviews, only 18 were judged to present high quality. CONCLUSIONS: There was evidence of low to moderate quality that minimally invasive treatments, including foam sclerotherapy, laser and radiofrequency therapy are comparable to conventional surgery, regarding effectiveness and safety for treatment of varicose veins.

2.
Sao Paulo Med J ; 136(4): 324-332, 2018 Jul-Aug.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30020324

RESUMO

BACKGROUND: Varicose veins affect nearly 30% of the world's population. This condition is a social problem and needs interventions to improve quality of life and reduce risks. Recently, new and less invasive methods for varicose vein treatment have emerged. There is a need to define the best treatment options and to reduce the risks and costs. Since there are cosmetic implications, treatments for which effectiveness remains unproven present risks to consumers and higher costs for stakeholders. These risks and costs justify conducting an overview of systematic reviews to summarize the evidence. DESIGN AND SETTING: Overview of systematic reviews within the Discipline of Evidence-Based Health, at Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). METHODS: Systematic reviews on clinical or surgical treatments for varicose veins were included, with no restrictions on language or publication date. RESULTS: 51 reviews fulfilled the inclusion criteria. Outcomes and comparators were described, and a narrative review was conducted. Overall, there was no evidence that compression stockings should be recommended for patients as the initial treatment or after surgical interventions. There was low to moderate evidence that minimally invasive therapies (endovenous laser therapy, radiofrequency ablation or foam sclerotherapy) are as safe and effective as conventional surgery (ligation and stripping). Among these systematic reviews, only 18 were judged to present high quality. CONCLUSIONS: There was evidence of low to moderate quality that minimally invasive treatments, including foam sclerotherapy, laser and radiofrequency therapy are comparable to conventional surgery, regarding effectiveness and safety for treatment of varicose veins.

3.
Diagn. tratamento ; 22(3): 137-143, Jul.-Aug. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-848027

RESUMO

Contexto: O hormônio do crescimento recombinante humano (rhGH) tem sido considerado como opção terapêutica em diversas situações clínicas. Objetivo: Avaliar evidências de revisões sistemáticas (RS) Cochrane sobre eficácia e segurança do rhGH em diversos contextos. Métodos: Revisão de revisões sistemáticas (RS) Cochrane com descrição qualitativa dos resultados. A busca foi realizada na Biblioteca Cochrane; três pesquisadores avaliaram as revisões quanto aos critérios de inclusão. Resultados: Foram encontradas oito revisões sistemáticas que preencheram os critérios de seleção e concluíram que o uso do rhGH parece ter algum benefício: (a) na doença renal crônica em crianças (aumento da velocidade de crescimento); (b) na fibrose cística (melhora altura, peso e ganho de massa magra); (c) para queimaduras extensas (cicatrização mais rápida da ferida e da área doadora); (d) na síndrome de Turner (aumento da estatura final); (e) na baixa estatura idiopática (aumento da estatura final); (f) na fertilização in vitro (aumento das taxas de gravidez e de nascidos vivos). Não há evidências de benefícios do uso de rhGH na síndrome do intestino curto e na hipofosfatemia ligada ao X. Conclusão: As RSs sugerem que há benefícios no uso de rhGH em pacientes com síndrome de Turner, baixa estatura idiopática, doença renal crônica em crianças, fibrose cística, queimaduras extensas, e durante procedimentos de fertilização in vitro. Porém, para a maioria dos desfechos avaliados nessas situações clínicas, a qualidade das evidências é moderada a muito baixa, confirmando a necessidade de melhores estudos para recomendação dessas intervenções na prática clínica.


Assuntos
Humanos , Endocrinologia , Medicina Baseada em Evidências , Prática Clínica Baseada em Evidências , Hormônio do Crescimento , Revisão
4.
Diagn. tratamento ; 21(4): 177-185, Out.-Dez. 2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-2504

RESUMO

RESUMO Introdução: Devido à susceptibilidade a infecções no pós-operatório, a antibioticoterapia profilática visa reduzir morbimortalidade em pacientes submetidos a cirurgia. Por outro lado, seu uso indiscriminado contribui para o desenvolvimento de resistência microbiana. Assim, é fundamental mapear a efetividade e a segurança do uso profilático de antibiótico para cada modalidade cirúrgica, identificando evidências para a tomada de decisão. Objetivo: Avaliar evidências de revisões sistemáticas (RS) Cochrane sobre efetividade e segurança de antibioticoprofilaxia em cirurgia. Métodos: Overview de RS Cochrane que avaliaram os efeitos de antibióticos profiláticos administrados antes, durante ou após a cirurgia. Resultados: Foram incluídas 20 RS, que concluíram que: (a) há evidências (de níveis variados) que mostram benefícios da antibioticoprofilaxia em cirurgia de câncer de mama, apendicectomia, cesárea, curetagem após aborto no pri- meiro trimestre da gestação, hernioplastia, cirurgia colorretal, cirurgia de reconstrução arterial, cirurgia de derivação ventricular interna, cirurgias de fraturas não expostas de ossos longos e cirurgia femoral proximal e na prevenção de infecção periestomal; (b) há evidências suficientes não recomendando a antibioticoprofilaxia em tonsilectomia; (c) não há evidências suficientes sobre efeitos da antibioticoprofilaxia em partos com fórceps e extração a vácuo, cirurgia de trauma abdominal penetrante, colecistectomia eletiva, biópsia transretal de próstata, sobre uso de cateteres impregnados com antibióticos e sobre os efeitos da antibioticoprofilaxia nos neonatos. Conclusão: Apesar de ter benefício comprovado ou potencial em alguns procedimentos cirúrgicos, os efeitos da antibioticoprofilaxia precisam ser avaliados em muitos outros. Para isso, ainda são necessários ensaios clínicos randomizados, de qualidade metodológica adequada e particularizados para cada procedimento cirúrgico.


Assuntos
Cirurgia Geral , Revisão , Antibioticoprofilaxia , Medicina Baseada em Evidências , Prática Clínica Baseada em Evidências
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA