Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Cogitare enferm ; 25: e67077, 2020. tab
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1089626

RESUMO

RESUMO Objetivo: analisar a associação dos marcadores e da condição de fragilidade física à incontinência urinária em assistência ambulatorial de geriatria e gerontologia. Método: estudo transversal, desenvolvido na atenção secundária à saúde de ambulatório do Paraná, com 384 idosos. Coletaram-se dados entre setembro de 2016 a março de 2017 mediante fenótipo de fragilidade e questionário International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form. Resultados: dos idosos 118 (30,7%) foram considerados não frágeis, 212 (55,2%) pré-frágeis, 54 (14,1%) frágeis, 106 (27,6%) com incontinência urinária, 50 (47,2%) com impacto muito grave na rotina diária, 18 (17,0%) grave, 16 (15,0%) moderado, 11 (10,4%) leve a nenhum impacto. Associaram-se à incontinência urinária a condição de fragilidade (p=0,011), os marcadores força de preensão manual diminuída (p=0,027), fadiga e exaustão (p=0,002) e velocidade da marcha reduzida (p=0,000). Conclusão: os resultados contribuem com o desenvolvimento crítico da enfermagem no momento de avaliar as necessidades de cuidado gerontológico.


RESUMEN Objetivo: analizar la asociación de los marcadores y la condición de fragilidad física a la incontinencia urinaria en la atención ambulatoria en geriatría y gerontología. Método: estudio transversal, desarrollado en atención secundaria ambulatoria de salud del estado de Paraná (Brasil), con 384 ancianos. La recolección de datos se realizó entre septiembre de 2016 y marzo de 2017, mediante fenotipo de fragilidad y cuestionario International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form. Resultados: 118 (30,7%) ancianos se consideraron no débiles, 212 (55,2%) pre débiles, 54 (14,1%) débiles, 106 (27,6%) con incontinencia urinaria, 50 (47,2%) con impacto muy grave en la rutina diaria, 18 (17,0%) con impacto grave, 16 (15,0%) con impacto moderado, 11 (10,4%) con leve o ningún impacto. Se asociaron a la incontinencia la condición de fragilidad (p=0,011), los marcadores fuerza de sujeción manual disminuida (p=0,027), fatiga y agotamiento (p=0,002) y velocidad da marcha reducida (p=0,000). Conclusión: los resultados contribuyen al desarrollo crítico de la enfermería al momento de evaluar las necesidades de cuidado gerontológico.


ABSTRACT Objective: To analyze the association of markers and physical frailty condition with urinary incontinence in outpatient geriatric and gerontological care. Method: A cross-sectional study, developed in the secondary health care of an outpatient clinic of Paraná, with 384 elderly. Data were collected between September 2016 and March 2017 through frailty phenotype and the questionnaire International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form. Results: of the elderly 118 (30.7%) were considered non-frail, 212 (55.2%) pre-frail, 54 (14.1%) frail, 106 (27.6%) with urinary incontinence, 50 (47.2 %) with very severe impact on daily routine, 18 (17.0%) severe, 16 (15.0%) moderate, 11 (10.4%) mild to no impact. Urinary incontinence was associated with the condition of frailty (p=0.011), the markers for decreased handgrip strength (p=0.027), fatigue and exhaustion (p=0.002) and reduced gait speed (p=0.000). Conclusion: The results contribute to the critical development of nursing when assessing the needs of gerontological care.


Assuntos
Humanos , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Incontinência Urinária , Idoso Fragilizado , Enfermagem Geriátrica , Idoso , Fragilidade
2.
Rev Lat Am Enfermagem ; 27: e3146, 2019 Apr 29.
Artigo em Português, Inglês, Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-31038639

RESUMO

OBJECTIVE: to analyze the relationship between postural instability and the condition and markers of physical frailty of the elderly people in outpatient geriatric and gerontology care. METHOD: a cross-sectional study with a sample of 381 elderly subjects. Physical frailty was evaluated by the frailty phenotype and postural instability through the Berg Balance Scale. Univariate analyses consisted in Chi-square tests, and multivariate analyses used the Forward Stepwise method, which resulted in a model of physical frailty associated with postural instability. RESULTS: among the participants, 56 (14.7%) were frail, 217 (57%) pre-frail, and 68 (28.3%) non-frail. Pre-frailty (p < 0.001), frailty (p = 0.000), and the markers hand grip strength (p = 0.0008), unintentional weight loss (p = 0.0094), level of physical activity (p = 0.0001), fatigue/exhaustion (p = 0.0001), and gait speed (p = 0.0001) were associated with postural instability. CONCLUSION: the presence of postural instability determines a greater chance of the elderly being frail or pre-frail. This result favors the planning of gerontological nursing care and strengthens the treatment plan under a specific approach.


Assuntos
Exercício Físico/fisiologia , Idoso Fragilizado , Avaliação Geriátrica , Equilíbrio Postural/fisiologia , Atividades Cotidianas , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Estudos Transversais , Feminino , Força da Mão , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade
3.
Rev. latinoam. enferm. (Online) ; 27: e3146, 2019. tab
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1004259

RESUMO

Objetivo: analisar a relação entre instabilidade postural e a condição e os marcadores de fragilidade física de idosos em assistência ambulatorial de geriatria e gerontologia. Método: estudo transversal com amostra constituída por 381 idosos. A fragilidade física foi avaliada mediante o fenótipo de fragilidade e a instabilidade postural pela Escala de Equilíbrio de Berg. Realizaram-se análises univariadas pelo teste Qui-quadrado e multivariadas pelo Forward Stepwise, que resultou no modelo de fragilidade física associado à instabilidade postural. Resultados: dos participantes, 56 (14,7%) eram frágeis, 217 (57%) pré-frágeis e 68 (28,3%) não frágeis. Associaram-se à instabilidade postural a pré-fragilidade (p<0,001), fragilidade (p=0,000) e os marcadores força de preensão manual (p=0,0008), perda de peso não intencional (p=0,0094), nível de atividade física (p=0,0001), fadiga/exaustão (p<0,0001) e velocidade da marcha (p<0,0001). Conclusão: a presença de instabilidade postural determina maior chance do idoso ser frágil ou pré-frágil. Esse resultado favorece o planejamento dos cuidados gerontológicos de enfermagem e fortalece o plano de tratamento sob uma abordagem específica.


Objective: to analyze the relationship between postural instability and the condition and markers of physical frailty of the elderly people in outpatient geriatric and gerontology care. Method: a cross-sectional study with a sample of 381 elderly subjects. Physical frailty was evaluated by the frailty phenotype and postural instability through the Berg Balance Scale. Univariate analyses consisted in Chi-square tests, and multivariate analyses used the Forward Stepwise method, which resulted in a model of physical frailty associated with postural instability. Results: among the participants, 56 (14.7%) were frail, 217 (57%) pre-frail, and 68 (28.3%) non-frail. Pre-frailty (p < 0.001), frailty (p = 0.000), and the markers hand grip strength (p = 0.0008), unintentional weight loss (p = 0.0094), level of physical activity (p = 0.0001), fatigue/exhaustion (p = 0.0001), and gait speed (p = 0.0001) were associated with postural instability. Conclusion: the presence of postural instability determines a greater chance of the elderly being frail or pre-frail. This result favors the planning of gerontological nursing care and strengthens the treatment plan under a specific approach.


Objetivo: analizar la relación entre inestabilidad postural, la condición y los marcadores de fragilidad física de adultos mayores en consultorio de geriatría y gerontología. Método: estudio transversal con muestra constituida por 381 adultos mayores. La fragilidad física fue evaluada mediante el fenotipo de fragilidad y la inestabilidad postural por la Escala de Equilibrio de Berg. Se realizaron análisis univariados con el test Chi-cuadrado y multivariados con el Forward Stepwise, que resultó en el modelo de fragilidad física asociado a la inestabilidad postural. Resultados: de los participantes, 56 (14,7%) eran frágiles, 217 (57%) pre-frágiles y 68 (28,3%) no frágiles. Se asociaron a la inestabilidad postural la pre-fragilidad (p<0,001), fragilidad (p=0,000) y los marcadores fuerza de prensión manual (p=0,0008), pérdida de peso no intencional (p=0,0094), nivel de actividad física (p=0,0001), fatiga/agotamiento (p<0,0001) y velocidad de la marcha (p<0,0001). Conclusión: la presencia de inestabilidad postural determina mayor chance del adulto mayor de ser frágil o pre-frágil. Ese resultado favorece la planificación de los cuidados gerontológicos de enfermería y fortalece el plan de tratamiento bajo un abordaje específico.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Avaliação Geriátrica , Idoso Fragilizado , Força da Mão , Equilíbrio Postural , Atividades Cotidianas , Exercício Físico/fisiologia , Estudos Transversais Seriados
4.
Curitiba; s.n; 20171106. 126 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1037825

RESUMO

Trata-se de estudo quantitativo de corte transversal, realizado no Ambulatório de Geriatria e Gerontologia do município de São José dos Pinhais/PR (Brasil), com o objetivo de analisar a relação entre instabilidade postural e a condição e os marcadores de fragilidade física de idosos em assistência ambulatorial de geriatria e gerontologia. Participaram do estudo idosos com idade ≥60 anos que compareceram às consultas agendadas e que foram selecionados por critérios pré-estabelecidos de inclusão e exclusão. A amostra foi constituída por 381 idosos, com base no cálculo da amostra representativa da população de idosos do município. A coleta de dados ocorreu entre setembro de 2016 a março de 2017. Avaliaram-se a condição de fragilidade física mediante o fenótipo de fragilidade e instabilidade postural pela Escala de Equilíbrio de Berg. Analisaram-se os dados por meio de estatística descritiva, distribuição de frequência absoluta e percentual, média e desvio padrão, valores mínimos e máximos. Realizaram-se análises univariadas por meio do teste de qui-quadrado, com nível de significância estatístico considerado de p<0,05, e multivariadas por regressão logística, pelo método Forward Stepwise, que resultou no modelo de fragilidade física associado à instabilidade postural. As chances de cada variável independente se relacionar à instabilidade postural foram analisadas pela Odss Ratio, com intervalo de confiança de 95%. O modelo foi avaliado pelo critério da Receiver Operating Characteristic Curve, valor preditivo, especificidade e sensibilidade, taxa de falsos positivos e negativos, sendo considerado elegível o modelo com menor valor do Critério de Informação de Akaike...


Assuntos
Humanos , Enfermagem Geriátrica , Equilíbrio Postural , Idoso Fragilizado , Tontura , Vertigem
5.
Rev Rene (Online) ; 18(4): 483-490, jul - ago 2017.
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-859399

RESUMO

Objetivo: investigar a associação entre a condição de pré-fragilidade física e os resultados finais da habilitação de idosos para dirigir veículos automotores. Métodos: estudo transversal realizado com 347 idosos submetidos aos exames de habilitação. Aplicou-se questionário estruturado, testes para avaliação da fragilidade física e coletadas informações do resultado da habilitação. Foi realizada análise estatística descritiva e teste não paramétrico. Resultados: encontraram-se 163 (47,0%) pré-frágeis, 71 (43,6%) deles possuíam força de preensão manual diminuída, 65 (39,9%) redução do nível de atividade física e 62 (38,0%) velocidade da marcha reduzida. O resultado do exame indicou 115 (70,6%) pré-frágeis aptos com restrição. A pré-fragilidade não se associou aos resultados da habilitação veicular (p=0,744). Conclusão: embora a condição de pré-fragilidade tenha se mostrado elevada entre os idosos submetidos ao exame de aptidão física e mental para a habilitação veicular, não houve associação significativa entre essa classificação de fragilidade e o resultado da habilitação veicular. (AU)


Assuntos
Humanos , Idoso , Exame para Habilitação de Motoristas , Condução de Veículo , Idoso Fragilizado , Enfermagem Geriátrica , Aptidão Física
6.
Cogitare enferm ; 21(2): 01-09, Abr.-Jun. 2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-649

RESUMO

Objetivou-se analisar a aplicação dos princípios do Prehospital Trauma Life Support pelas equipes do serviço pré-hospitalar móvel. Estudo observacional com 100 processos de atendimento às vítimas de trauma durante a admissão em um pronto socorro, em abril de 2014. Houve prevalência de vítimas de trauma entre 12 a 39 anos (64%) e predomínio do sexo masculino (69%). As equipes aplicaram os princípios do Prehospital Trauma Life Support na maioria das vítimas observadas, no entanto, identificou-se que 17% não estavam com a coluna cervical e vertebral imobilizadas, o corpo permaneceu imobilizado com cintos de fixação em apenas 31% dos casos, lesões não estavam protegidas em 15% das vítimas e 63% não foram despidas à procura de lesões. Ressalta-se que a aplicação dos princípios pelas equipes do serviço pré-hospitalar é primordial para padronizar ações, por meio de uma sequência lógica de atendimento universal. Sugere-se a capacitação continuada para essas equipes com base no Prehospital Trauma Life Support (AU).


The objective was to analyze the application of the Prehospital Trauma Life Support principles by the emergency medical teams. Observational study involving 100 care files of trauma victims during admission to an emergency medical service in April 2014. The prevalent cases of trauma victims were between 12 and 39 years of age (64%), with a predominance of male victims (69%). The teams applied the principles of Prehospital Trauma Life Support in most victims observed, but it was identified that 17% did not have their cervical and vertebral spine immobilized, the body remained immobilized using fixation belts in only 31% of the cases, injuries were unprotected in 15% of the victims and 63% were not undressed in search of injuries. It is highlighted that the emergency medical teams' application of the principles is fundamental to standardize actions through a logical sequence of universal care. Ongoing training is suggested for these teams, based on Prehospital Trauma Life Support (AU).


Fue objetivo del estudio analizar la aplicación de los principios del Prehospital Trauma Life Support por los equipos de servicio pre hospitalar móvil. Estudio observacional con 100 procesos de atendimiento a las víctimas de trauma durante la admisión en la emergencia, en abril de 2014. Fueron predominantes las víctimas de trauma entre 12 y 39 años (64%) del sexo masculino (69%). Los equipos aplicaron los principios del Prehospital Trauma Life Support en la mayoría de las víctimas observadas, sin embargo, se identificó que 17% no estaban con la columna cervical y vertebral inmovilizadas; el cuerpo permaneció inmovilizado con cintos de fijación en solamente 31% de los casos, lesiones no estaban protegidas en 15% de las víctimas y 63% no fueron desnudadas en la búsqueda de lesiones. Se destaca que la aplicación de los principios por los equipos del servicio pre hospitalar es primordial así como crear un patrón para las acciones, por medio de una secuencia lógica de atendimiento universal. Se sugiere la capacitación continuada para eses equipos con base en el Prehospital Trauma Life Support (AU).


Assuntos
Humanos , Emergências , Serviços Médicos de Emergência , Capacitação em Serviço , Ferimentos e Lesões
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA