Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 10 de 10
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 30: e2983, 2022. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1360275

RESUMO

Resumo Introdução A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é caracterizada pela limitação progressiva do fluxo aéreo. Os pacientes também desenvolvem manifestações sistêmicas que determinam o declínio progressivo da capacidade funcional. Objetivo Conhecer a autopercepção do paciente com DPOC sobre seu desempenho ocupacional destacando a influência da pandemia de COVID-19 no seu cotidiano. Método Pesquisa de natureza descritiva e abordagem qualitativa, tendo como técnica a análise de conteúdo na modalidade temática. A amostra foi constituída de nove pacientes com DPOC atendidos no programa de manutenção pós-reabilitação pulmonar em hospital de referência de saúde em cardiopneumologia. A coleta dos dados ocorreu de junho a agosto de 2020, mediante roteiro de entrevista semiestruturada, por meio de chamadas telefônicas. As entrevistas gravadas foram transcritas e submetidas à análise do conteúdo, por meio da análise temática. Resultados As ocupações cotidianas percebidas com dificuldade de serem realizadas em decorrência da DPOC foram sono, trabalho, participação social, lazer, além de Atividades de Vida Diária (AVD) - mobilidade funcional, banho, higiene pessoal, vestir e atividade sexual - e Atividades Instrumentais da Vida Diária (AIVD) - gerenciamento do lar e fazer compras. As ocupações limitadas pela DPOC foram ainda mais impactadas pelas medidas restritivas causadas pela COVID-19. Conclusão Com base na compreensão das dificuldades do paciente com DPOC em realizar suas ocupações, foi possível conhecer o quanto a DPOC repercute no desempenho ocupacional e interfere nas mais diversas ocupações que trazem significado e propósito à vida. A pandemia de COVID-19 limitou ainda mais o envolvimento do paciente com DPOC nas suas ocupações significativas.


Abstract Introduction Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) is characterized by progressive airflow limitation. Patients also develop systemic manifestations that determine the progressive decline in functional capacity. Objective To understand the self-perception of patients with COPD about their occupational performance, highlighting the influence of the COVID-19 pandemic in their daily lives. Method Descriptive research with a qualitative approach, with the technique of content analysis in the thematic modality. The sample consisted of nine patients with COPD treated in the post-rehabilitation pulmonary maintenance program at a healthcare referral hospital in cardiopneumology. Data collection took place from June to August 2020, through a semi-structured interview script on telephone calls. The recorded interviews were transcribed and subjected to content analysis through thematic analysis. Results The daily occupations perceived as being difficult to perform as a result of COPD were sleep, work, social participation, leisure, in addition to Activities of Daily Living (ADL) - functional mobility, bathing, personal hygiene, getting dressed and sexual activity - and Activities Instrumentals of Daily Living (IADL) - home establishment and management and shopping. Occupations limited by COPD were even more impacted by the restrictive measures due to COVID-19. Conclusion Based on the understanding of the difficulties of patients with COPD in carrying out their occupations, it was possible to know how much COPD affects occupational performance and interferes in the most diverse occupations that bring meaning and purpose to life. The COVID-19 pandemic further limited COPD patient involvement in their significant occupations.

2.
Saúde Soc ; 30(4): e210064, 2021. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1341680

RESUMO

Resumo Parte-se da premissa de que as políticas sobre drogas são objetos construídos discursivamente a partir do envolvimento de diversos atores e de sua capacidade de produzir consensos. Dessa forma, o discurso jornalístico assume um importante papel de mediação entre os leitores e a realidade das políticas sobre drogas. Assim, objetivou-se analisar os discursos sobre a Lei 13.840/2019 em portais de notícias de massa. Trata-se de um estudo documental, de abordagem qualitativa, com aporte da Análise de Discurso Crítica, segundo o método de análise tridimensional de Fairclough. Realizou-se uma busca por notícias sobre a Lei, no período de março a junho de 2020, publicadas on-line nos portais G1, R7, Carta Capital e The Intercept Brasil. Os portais foram escolhidos por serem de acesso gratuito e apresentarem vertentes ideológicas diversas. Destaca-se o conhecimento sobre o contexto de produção da referida Lei, bem como a reprodução do discurso proibicionista hegemônico nas notícias, apesar de algumas contestações pouco claras quanto à alternativa. Observam-se representações distintas sobre a Lei de acordo com o portal em que a notícia foi publicada. Contudo, em geral, o impacto da Lei para a Rede de Atenção Psicossocial, quando mencionado, foi abordado de forma superficial.


Abstract This study is based on the premise that drug policies are discursively constructed by the engagement of different social actors and their capacity to forge consensus. Considering that people tend not to seek information on policies by themselves, the journalistic discourse plays an important role in mediating the contact between readers and the reality of drug policies. Thus, this work aims to analyze the discourses around the Act 13.840 of 2019, published at mass media portals online. This is a documental study based on the three-dimensional model for critical discourse analysis developed by Fairclough. The portals G1, R7, Carta Capital, and The Intercept Brasil (chosen due to granting free access and having different ideological perspectives) were searched for articles approaching the Act. Our results indicate that the published articles demonstrate knowledge on policy making and reinforce the hegemonic prohibitionist discourse, despite some unclear objections about possible alternatives. The representations of the Act 13.840 differed according to the publishing portal, but, in general, the articles made few considerations about the impact of the Act on the Psychosocial Support Network.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Política Pública , Controle de Medicamentos e Entorpecentes , Meios de Comunicação de Massa , Pesquisa Qualitativa
3.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 26(4): 892-903, Oct.-Dec. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-984121

RESUMO

Abstract Introduction: "Social question" refers to the association between work and its social integration in a capitalist society, assuming a new contemporal configuration. Issues arising from the social question challenge professionals from different fields to provide relevant technical answers. Objective: This study aims to understand how occupational therapists have been addressing topics related to social question in occupational therapy journals indexed on Web of Science database. Method: An integrative literature review was conducted (2000-2014) using journals indexed in Thomson Reuters' Web of Science containg the term "occupational therapy" in their titles. Overall, 32 descriptors related to social question were used in our review. Results: The review found 186 texts, for which the abstracts were read and filters were applied to focus on the social question. The remaining 53 texts were read in full and used in our analysis. Several occupational therapy academicians have reflected on the social question. Their focus has mainly been on promoting health and wellness. The present review has a scope limitation because it only analyzes English texts indexed in the Web of Science. Conclusion: Occupational therapists should go beyond health interventions in favor of approaching actions that encompass different fields in order to promote greater social participation for all in a globalized capitalist society.


Resumo Introdução: A "questão social" refere-se à associação entre o trabalho e sua integração social em uma sociedade capitalista, permanecendo central desde o século XIX, porém assumindo novas configurações na contemporaneidade. Problemáticas decorrentes da questão social desafiam profissionais de diferentes áreas em torno da oferta de respostas técnicas relevantes. Objetivo: Este estudo teve como objetivo compreender como os terapeutas ocupacionais vêm abordando temas relacionados à questão social em periódicos de terapia ocupacional indexados na base Web of Science. Método: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura (2000-2014) por meio de periódicos indexados na Web of Science da Thomson Reuters que contêm o termo "terapia ocupacional" em seus títulos. Foram utilizados 32 descritores relacionados à temática. Resultados: A revisão encontrou 186 textos, dos quais foram lidos os resumos, com a aplicação de filtros para enfocar a questão social. Os restantes 53 textos foram lidos na íntegra e analisados. Vários autores da área de terapia ocupacional têm refletido sobre a questão social, com foco, principalmente, na promoção da saúde e do bem-estar. A presente revisão tem escopo limitado, pois analisa apenas textos em inglês indexados na referida base de dados. Conclusão: Os terapeutas ocupacionais precisam ir além das intervenções em saúde em favor de ações que articulem diferentes setores de serviços e dialoguem com outros campos do saber, a fim de reunir elementos para promover uma maior participação social para todos em uma sociedade capitalista globalizada.

4.
Rev. bras. promoç. saúde (Impr.) ; 29(1): 20-26, jan.-mar.2016.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-2766

RESUMO

OBJETIVO: Conhecer as vivências cotidianas de homens com obesidade mórbida. MÉTODOS: Pesquisa com abordagem qualitativa. Foram entrevistados nove homens com diagnóstico de obesidade mórbida que estavam em seguimento no pré-operatório para cirurgia bariátrica, com idade de 27 a 50 anos, casados, com renda familiar de dois a três salários mínimos, caso de obesidade na família e hipertensão como comorbidade. A investigação ocorreu no período de maio a setembro de 2012 em um hospital de referência no tratamento à obesidade e realização de cirurgia bariátrica em Fortaleza, Ceará, Brasil. Realizaram-se entrevistas semiestruturadas com análise, através da Análise de Conteúdo, do tipo análise temática. Eis as categorias de análise definidas: tornar-se obeso, vivências cotidianas do homem obeso e cirurgia bariátrica ­ um caminho possível para um cotidiano com saúde. RESULTADOS: Os principais achados relacionaram-se a uma rotina diária fixa, com reduzido espaço para atividade física e de lazer. A obesidade, para 90% dos entrevistados, existe desde a infância e trouxe dificuldade na realização das ocupações no dia a dia. Esses homens optaram pela cirurgia por não perderem peso com dieta, exercício e medicamento, em razão da permanência de problemas de saúde, bem como dificuldades nas relações afetivas e no trabalho. CONCLUSÃO: Identificou-se a demanda de uma reorganização das vivências cotidianas dos homens para que haja uma efetiva ação da cirurgia bariátrica, a fim de que os usuários sejam protagonistas dessa modificação, inserindo atividades saudáveis e contínuas no seu cotidiano


OBJECTIVE: To understand the everyday life of men with morbid obesity. METHODS: Qualitative research. Interviews were carried out with nine men diagnosed with morbid obesity in the preoperative period for bariatric surgery. They were 27-50 years old, married, had a household income of two/three minimum wages, history of obesity in the family and hypertension as a comorbidity. The research was conducted from May to September 2012 in a reference hospital for the treatment of obesity and bariatric surgery in Fortaleza, Ceará, Brazil. Semi-structured interviews were carried out and data underwent Content Analysis and thematic analysis. The categories for analysis were: becoming obese; everyday life of obese man and bariatric surgery - a possible path to a healthy everyday life. RESULTS: The main findings are related to a fixed daily routine, with reduced space for physical activity and leisure. Obesity is present since childhood in 90% of the respondents, and it has brought difficulties in performing daily activities. These men chose the surgery because they have not been able to lose weight with diet, exercise and medicines, because of continuing health problems as well as difficulties in personal relationships and at work. CONCLUSION: It was identified a demand for a reorganization of the everyday life of men so that there is an effective action of the bariatric surgery to provide users with an opportunity to be protagonists of this change by including healthy and ongoing activities in their everyday life.


OBJETIVO: Conocer las vivencias del cotidiano de hombres con obesidad mórbida. MÉTODOS: Investigación de abordaje cualitativo. Se entrevistaron nueve hombres con el diagnóstico de obesidad mórbida en seguimiento del preoperatorio para la cirugía bariátrica con edad entre los 27 y 50 años, casados, com renta familiar de dos a tres sueldos mínimos, caso de obesidad em la familia e hipertensión. La investigación se dio en el período entre mayo y septiembre de 2012 en un hospital de referencia para el tratamiento de la obesidad y realización de cirugía bariátrica de Fortaleza, Ceará, Brasil. Se realizaron entrevistas semiestruturadas con el análisis a través del Análisis de Contenido del tipo análisis temático. Las categorías de análisis definidas fueron: tornarse obeso, vivencias del cotidiano del hombre obeso y cirugía bariátrica - un camino posible para un cotidiano com salud. RESULTADOS: Los principales hallazgos se relacionaron com una rutina diaria fija y reducido tiempo para actividad física y de ocio. La obesidad existe desde la infancia para el 90% de los entrevistados y ha dejado la dificultad en realizar las actividades del cotidiano. Esos hombres han decidido por la cirugía porque no perdían peso con la dieta, el ejercicio y el medicamento, em razón de la permanencia de los problemas de salud así como las dificultades en las relaciones afectivas y en el trabajo. CONCLUSIÓN: Se identificó la necesidad de una reorganización de las vivencias del cotidiano de los hombres para una efectiva acción de la cirugía bariátrica para que los usuarios sean los protagonistas de esa modificación incluyendo actividades saludables y continuas en su cotidiano


Assuntos
Humanos , Obesidade Mórbida , Atividades Cotidianas , Cirurgia Bariátrica , Homens
5.
Rev. bras. promoç. saúde (Impr.) ; 28(4): 463-: 467-466, 470, 30/12/2015.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-2376

RESUMO

A 8ª Conferência Internacional de Promoção a Saúde(1) realizada em Helsinki em 2013, edificada em pilares determinados na Declaração de Alma-Ata (1978) e na Carta de Ottawa (1986), adotou a temática "Saúde em todas as politicas". Esse enfoque vem aclarar a responsabilidade dos governos com seus povos, ressaltando que saúde é um direito fundamental e uma questão de equidade e justiça social. Para tanto, deve haver sinergia nas decisões para evitar impactos nocivos à saúde. Conceitualmente, se expressa pelos princípios de: legitimidade, prestação de contas, transparência e acesso à informação, participação, sustentabilidade, e colaboração entre os setores e níveis de governo. As mudanças nas concepções de saúde determinaram a revisão no conceito de promoção de saúde e permitiram redesenhar políticas públicas. Destaque-se que a promoção da saúde(2) deve ser entendida e estruturada em dois grandes eixos, em que ações de promoção se sobrepõem às de prevenção de doenças e outro referente à ampliação do conceito saúde, em que os sujeitos se envolvem e contribuem para garantir condições de vida. No Brasil, a institucionalização da Política Nacional de Promoção da Saúde(3) no cenário da saúde é exemplo de política transversal, já explicitado que saúde não se restringe somente ao setor saúde(4). Tal política tem como finalidade promover a qualidade de vida, reduzir vulnerabilidades e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes ­ modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais. Pode-se atentar ao fato, que essa política destaca-se pelo caráter inclusivo e integrador, e é capaz de sintonizar-se com a Declaração Universal dos Direitos Humanos(5), que estabelece, no seu art. 1º, que "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade". A partir dessas concepções pode-se afirmar que a operacionalização da promoção da saúde(6) segue princípios que caracterizam as ações definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a: concepção holística, intersetorialidade, empoderamento, participação social, equidade, ações multiestratégicas e sustentabilidade. Cabe ressaltar que operacionalizar uma política pública para pessoas com deficiência no Brasil não é tarefa fácil, segundo os dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, os resultados apontaram que 45.606.048 brasileiros (23,9% da população total) têm algum tipo de deficiência visual, auditiva, motora e mental ou intelectual(7), sendo a prevalência bastante alta na população brasileira de 198,7 milhões. Ao considerar-se a população no âmbito regional, observa-se que 27,7% da população residente no Ceará, correspondendo a um total de 2.340.150 cearenses, apresentam algum tipo de deficiência(8), percentual acima do registrado nacionalmente (23,9%) e da Região Nordeste (26,6%). Neste contexto, traz-se um conceito de deficiência como resultado da interação entre pessoas com diferentes níveis de funcionamento e um entorno que não considera essas diferenças; se não existem barreiras ambientais ou atitudinais, não há deficiência e sim, limitação funcional(9). Para se compreender o contexto em que essas pessoas excluídas se encontram, é determinante abordar o conceito de vulnerabilidade social(10) como fragilidade do acesso às oportunidades oferecidas pelo ambiente, considerando as condições de saúde, educação, trabalho e acesso a bens materiais e políticos. O termo desvantagem é analisado como indicativo à situação de dependência devido às condições de idade (crianças e idosos), doença (pessoas com deficiência), que têm em comum a falta de condições de trabalhar para suprir suas necessidades básicas. O conceito desfiliação foi desenvolvido(11) por considerar que exclusão compreende um estado de privação, enquanto desfiliação consiste em um processo de ruptura das redes de apoio social que se constituem num território, e pode ser um estado temporário ou permanente. Em 2000, uma assembléia da ONU definiu as Metas de Desenvolvimento do Milênio (MDM), que são parte do programa estratégico mundial de redução da pobreza até 2015: erradicar a pobreza extrema e a fome, alcançar uma educação primária universal, promover a igualdade de gênero e o aprimoramento da condição da mulher, reduzir a mortalidade infantil, melhorar a saúde materna, combater o HIV/SIDA, malária e outras doenças, garantir a sustentabilidade ambiental, desenvolver uma aliança global para o desenvolvimento(12). A idéia do Desenvolvimento Inclusivo começou a ser delineada em 2005 pela Equipe Deficiência e Desenvolvimento Inclusivo da Região da América Latina e Caribe do Banco Mundial, como "[...] a concepção e implementação de ações e políticas para o desenvolvimento socioeconômico e humano que procuram a liberdade, a igualdade de oportunidades e direitos para todas as pessoas, independentemente do seu status social, seu gênero, idade,condição física ou mental, sua raça, religião, orientação sexual, etc., em equilíbrio com o seu meio ambiente"(11). De acordo com o relatório Metas de Desenvolvimento do Milênio: Relatório 2005(12), "[...] a magnitude dos problemas relacionados com a exclusão social das pessoas com deficiência e outros grupos vulneráveis será suficiente para impedir que as ditas metas sejam alcançadas, se não se encontrarem formas de os incluir no progresso social e econômico em geral". Considera-se desafios a serem enfrentados a redução do nível de invisibilidade das pessoas com deficiência, o acesso aos serviços de saúde, o acesso ao mundo do trabalho e a estruturação da rede de cuidado. As pessoas com deficiência estão entre os grupos considerados mais vulneráveis. Inicialmente, devido às especificidades do próprio grupo, mas também por fazerem parte dos estratos populacionais mais pobres, que repercute no seu desempenho ocupacional e, consequentemente na sua qualidade de vida. Quanto ao acesso ao mundo do trabalho, em especial devido à capacitação profissional, historicamente, ocorria voltado a preparar a pessoa com deficiência para postos de trabalho que exigissem menor nível de qualificação e, muitas vezes, eram capacitados nas empresas(13). Identifica-se como estratégia a estruturação de programas efetivos que considerem as diferenças dessas pessoas e o seu potencial, adequando as estratégias de mediação e as possibilidades profissionais às demandas do mercado. Destaque-se que a incapacidade já não é considerada a mera consequência de uma deficiência. O modelo social de incapacidade tem acentuado a consciência de que as barreiras à participação são causas muito importantes de deficiência. Coerente com essa afirmação, a Organização Mundial de Saúde preconiza que qualquer proposta de reabilitação social deve orientar-se pela Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF)(14), que delineia a funcionalidade e a incapacidade relacionadas à saúde, identificando o que uma pessoa "pode ou não pode fazer na sua vida diária", considerando as funções dos órgãos ou sistemas e estruturas do corpo, assim como as limitações em atividades e na participaçã social no meio ambiente onde a pessoa vive. As pessoas com deficiência demandam um mínimo de acessibilidade, além do acesso a uma série de direitos previstos, para lhes assegurar uma vida mais digna. O acesso aos serviços de saúde pelas pessoas com deficiência tem sido difícil porque, em geral, o investimento é reduzido nas equipes de saúde no sentido da sensibilização e informações sobre as diferenças, as especificidades das pessoas com deficiência e as estratégias para anular a deficiência, tornando-a uma limitação funcional. Uma estratégia importante a ser adotada é a criação de programas focados nos aspectos citados para garantir a equidade. O SUS experimentou grande expansão nos serviços na última década e tem sido um desafio o aperfeiçoamento no processo de trabalho, determinando a reorganização destes serviços mediante a constituição de uma rede de cuidados em saúde que garanta o acesso das pessoas com deficiência e, consequentemente, a melhoria dos indicadores de saúde. Para tanto, faz-se necessário o levantamento dos equipamentos comunitários de apoio social e governamental, bem como a educação continuada dos profissionais da saúde e da assistência social, e a criação ou ampliação das modalidades de acesso, integrando as diferentes etapas de atenção. Ou seja, ainda existe um longo caminho, mas, o processo de se vencer as barreiras (todas elas) teve início, e é sem volta.


The 8th Global Conference on Health Promotion(1), held in Helsinki in 2013, built on pillars established in the Declaration of Alma-Ata (1978) and the Ottawa Charter (1986), adopted the theme "Health in all policies". Such approach comes to clarify the responsibility of governments to their people, highlighting health as a fundamental right and a matter of fairness and social justice. Therefore, synergy in decisions should be achieved in order to avoid adverse impacts on health. Conceptually, that is expressed by the principles of legitimacy, accountability, transparency and access to information, participation, sustainability, and collaboration between sectors and levels of government. Changes in health concepts have determined the review of the concept of health promotion and have enabled the redesign of public policies. It should be emphasized that health promotion(2) must be understood and structured in two major areas, where promotional activities overlap disease prevention, and another one related to the expansion of the concept of health, in which the subjects become involved and contribute to ensure living conditions. In Brazil, the institutionalization of the National Policy for Health Promotion(3) in the health scenario is an example of mainstreaming policy already explained that health is not restricted only to the health sector(4). This policy aims to promote the quality of life, reduce vulnerabilities and health risks related to its determinants - ways of living, working conditions, housing, environment, education, leisure, culture, access to essential goods and services. It is noteworthy the fact that this policy stands out for its inclusiveness and integrative character, and is able to tune in to the Universal Declaration of Human Rights(5), which in Article 1 proclaims that "All human beings are born free and equal in dignity and rights. They are endowed with reason and conscience and should act towards one another in a spirit of brotherhood". From these concepts one can say that the operationalization of health promotion(6) follows principles that characterize the actions defined by the World Health Organization (WHO), such as holistic conception, intersectorality, empowerment, social participation, equity, multi-strategy actions and sustainability. One should note that operationalizing a public policy for persons with disabilities in Brazil is not an easy task, according to data published by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) in 2010; the results showed that 45,606,048 Brazilians (23.9% of the population total) have some kind of visual, hearing, motor, and mental or intellectual disability(7), representing a very high prevalence in the 198,7-million Brazilian population. When considering the population at the regional level, it is observed that 27.7% of the population resident in Ceará, corresponding to a total of 2,340,150 inhabitants, have some kind of disability(8), a percentage higher than data registered nationwide (23,9%) and in the Northeast region (26.6%). In this context, a concept of disability arises as a result of the interaction between people with different levels of functioning and an environment that does not consider such differences; if there are no environmental or attitudinal barriers, there is no deficiency, but functional limitation instead(9). To understand the context in which these excluded people are, it is decisive to address the concept of social vulnerability(10) as the fragility of access to opportunities offered by the environment, considering health, educational and working conditions, and access to material and political goods. The term disadvantage is regarded as indicative of a dependent status due to age (children and elderly) or disease (people with disabilities), which in common lack conditions to work in order to meet their basic needs. The concept of disaffiliation was developed(11) bearing in mind that exclusion comprises a state of deprivation, whereas disaffiliation is a process of breakdown of the social support networks built in a territory, and it can be a temporary or permanent condition. In 2000, a UN meeting set the Millennium Development Goals (MDGs), which are part of the global strategic program for poverty reduction by 2015: eradicate extreme poverty and hunger, achieve universal primary education, promote gender equality and empower women, reduce child mortality, improve maternal health, combat HIV/AIDS, malaria and other diseases, ensure environmental sustainability, develop a global partnership for development(12). The idea of Inclusive Development began being delineated in 2005 by the World Bank's Disability and Inclusive Development Team for Latin America and the Caribbean, as "[...] the design and implementation of actions and policies for socio-economic and human development, which seek freedom, equal opportunities, and rights for all people, regardless of their social status, gender, age, physical or mental condition, race, religion, sexual orientation, etc., and aligned with their environment".(11) According to the Millennium Development Goals: Report 2005(12), "[...] the magnitude of the problems related to social exclusion of persons with disabilities and other vulnerable groups will be sufficient to avoid the attainment of the established goals, in case ways to include them in the general social and economic progress are not found." Regarded as challenges to be faced are the reduction in the level of invisibility of people with disabilities, the access to health services, access to the labor market, and structuring the care network. Persons with disabilities are among those considered the most vulnerable groups. Primarily, due to the specific characteristics of the group itself, but also for being part of the poorest population strata, which reflects in their occupational performance and, therefore, in their quality of life. In relation to the labor market, particularly concerning the professional training, it historically occurred aiming at preparing persons with disability for low-skilled jobs, and they were often trained in the workplace(13). Structuring effective programs that consider these people's differences and their potential are actions identified for this issue, adapting mediation strategies and professional possibilities to the market demands. One should note that the disability is no longer seen as the mere result of some impairment. The social model of disability has brought a heightened awareness to barriers to participation as very important causes of disability. In line with this statement, the World Health Organization recommends that any proposed social rehabilitation be guided by the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) (14), which approaches healthrelated functionality and disability, identifying what a person "may or may not do in their daily life", considering the functions of organs and systems and body structures, as well as limitations in activities and social participation in the environment where the person lives. Persons with disabilities require a minimum of accessibility, along with access to a series of rights provided to ensure them a better life. The access to health services has been difficult for people with disabilities because, in general, the investment is reduced in the health teams as regards awareness and information about the differences, the specific characteristics of persons with disabilities, and strategies to neutralize the deficiency, rendering it a functional limitation. An important strategy to be adopted is the creation of programs focused on the mentioned aspects to ensure equity. The Brazilian Unified Health System (SUS ­ Sistema Único de Saúde) has experienced major expansion of its services in the last decade, and the improvement in the labor process has been a challenge, demanding the reorganization of these services through the establishment of a healthcare network that ensures access for people with disabilities and, consequently, improvements in health indicators. Therefore, surveying the community facilities of social and governmental support is necessary, as well as providing continuing education to health and social assistance professionals, and the creation or expansion of access modalities, integrating the different levels of attention. After all, there is still a long way to go, but the process to surpass barriers (all of them) has started, and there is no turning back.


Assuntos
Editorial
6.
Rev. bras. promoç. saúde (Impr.) ; 28(4): 560-567, 30/12/2015.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-2337

RESUMO

Objetivo: Conhecer a percepção de cuidadoras sobre alimentação, dinâmica familiar e emocional de crianças e adolescentes com câncer. Métodos: Pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa das informações, realizada entre março e maio de 2013 em um centro pediátrico de referência no diagnóstico e tratamento do câncer infantojuvenil, em Fortaleza/CE. Foram selecionadas, por amostragem não probabilística, aleatória e por conveniência, 24 cuidadoras de crianças com câncer. Coletaram-se informações por entrevista semiestruturada e grupo focal; posteriormente, realizou-se a análise de conteúdo. Resultados: Definiram-se as seguintes categorias: "Dinâmica familiar e suas implicações emocionais", "Preocupação com a alimentação saudável" e "Mitos alimentares". Os conteúdos expõem cuidadoras preocupadas com as mudanças na dinâmica familiar devido à sua ausência constante do lar para dedicarem-se à criança doente. O principal problema enfrentado foi a recusa alimentar da criança doente, pois dele emerge a alimentação como ato de amor, cuidado e cura. As mães referiram aspectos culturais que interferem na organização da dieta de sua família, especificamente os mitos. Conclusão: Na percepção das mães cuidadoras entrevistadas, existem importantes repercussões do diagnóstico de câncer que geram modificações na alimentação, dinâmica familiar e emocional, demandando adaptação da criança doente e de sua família.


Objective: To know caregivers' perception regarding feeding, family dynamics and emotions of children and adolescents with cancer. Methods: Qualitative descriptive research conducted between March and May 2013 in a reference pediatric center for diagnosis and treatment of cancer in infants and young children in Fortaleza, Ceará. The nonprobability, random and convenience sample included 24 caregivers of children with câncer. Information was collected using semi-structured interviews and focus group, and was later submitted to content analysis. Results: The following categories were defined: "Family dynamics and its emotional implications", "Concern about healthy eating" and "Food myths". The content reveals caregivers concerned about changes in family dynamics due to the constant absence from home to devote to the sick child. The main problem faced was the sick child's refusal to eat, and feeding emerged as an act of love, care and cure. Mothers reported cultural aspects that interfere in the planning of their family's diet, particularly the myths. Conclusion: From the point of view of the caregiving mothers interviewed, the cancer diagnosis has important consequences that generate changes in the feeding, family dynamics and emotions, which require the adaptation of the sick child and the family.


Objetivo: Conocer la percepción de cuidadoras sobre la alimentación, la dinámica familiar y emocional de niños y adolescentes con cáncer. Métodos: Investigación descriptiva de abordaje cualitativa de las informaciones realizada entre marzo y mayo de 2013 en un centro de pediatría de referencia en el diagnóstico y tratamiento del cáncer infanto-juvenil de Fortaleza, Ceará. Fueron elegidas 24 cuidadoras de niños con cáncer a través de un muestreo no probabilístico, aleatorio y por conveniencia. Se recogieron informaciones a través de entrevista semiestruturada y grupo focal; a posteriori se realizó el análisis de contenido. Resultados: Se definieron las siguientes categorías: "Dinámica familiar y sus implicaciones emocionales", "Preocupación con la alimentación saludable" y "Mitos alimentarios". Los contenidos muestran cuidadoras preocupadas con los cambios de la dinâmica familiar debido la ausencia constante del hogar para dedicarse al niño enfermo. El principal problema afrontado ha sido la recusa alimentaria del niño enfermo pues de él emerge la alimentación como un acto de amor, cuidado y cura. Las madres refirieron los aspectos culturales que interfieren en la organización de la dieta de su familia, en especial los mitos. Conclusión: En la percepción de las madres cuidadoras entrevistadas hay importantes repercusiones del diagnóstico de cáncer que generan modificaciones de la alimentación, la dinámica familiar y emocional necesitando adaptación del niño enfermo y su familia.


Assuntos
Cuidado da Criança , Dieta , Neoplasias
7.
Cad. Ter. Ocup. UFSCar (Impr.) ; 23(1): [211-219], 20150330.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-849517

RESUMO

A obesidade é um fenômeno mundial que afeta ricos e pobres e resulta da ação de fatores ambientais, hábitos alimentares, atividade física e condições psicológicas sobre pessoas geneticamente predispostas a apresentarem excesso de tecido adiposo. O impacto da obesidade pode ser avaliado pela influência na qualidade de vida e a Terapia Ocupacional tem desenvolvido papel importante dentro da terapia interdisciplinar da obesidade. O objetivo deste trabalho é descrever a experiência da atuação do terapeuta ocupacional em um grupo interdisciplinar para adultos e idosos com sobrepeso e obesidade em um projeto de extensão de uma universidade privada da cidade de Natal, Rio Grande do Norte. A Terapia Ocupacional realizava atendimentos interdisciplinares semanais e, também semanalmente, avaliação e planejamento, organização do setting terapêutico e a intervenção terapêutica ocupacional. A equipe era composta pela professora terapeuta ocupacional, um bolsista e cinco voluntários estudantes de graduação. O grupo de atendimento era aberto a novos componentes e aos cuidadores, familiares e membros da comunidade. Durante as sessões foram utilizadas atividades terapêutico-ocupacionais lúdica, cognitiva, corporal, física e produtiva. Para a população atendida, favoreceu resultados positivos nas dimensões psíquica, emocional e social. Dessa forma, o projeto possibilitou a visibilidade da Terapia Ocupacional na universidade, como também o crescimento dos acadêmicos e a expansão e conhecimento da intervenção terapêutica ocupacional na obesidade.


Obesity is a worldwide phenomenon that affects both the rich and poor populations. It results from the action of environmental factors, dietary habits, physical activity and psychological conditions on individuals genetically predisposed to present excess adipose tissue. The impact of obesity can be measured by its influence on the quality of life. Occupational therapy has developed a significant role within the interdisciplinary treatment of obesity. The objective of this paper is to describe the experience of the work of occupational therapists in an interdisciplinary group for adult and elderly people presenting overweight and obesity in an extension project of a private university in Natal, Rio Grande do Norte state. The Occupational Therapy team performed weekly interdisciplinary care, assessment, planning, organization of the therapeutic setting and occupational therapy intervention. The team was composed by an occupational therapy teacher, a scholar and five volunteer undergraduate students. The service group was open to new components, caregivers, and family and community members. Playful, cognitive, bodily, physical and productive occupational therapy activities were used in the sessions. These activities favored positive outcomes in mental, emotional and social dimensions. Thus, the project enabled the visibility of Occupational Therapy at the university, as well as the growth and expansion of academic and occupational knowledge on therapeutic intervention in obesity.

8.
J Obes ; 2013: 438364, 2013.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-24319594

RESUMO

Improper use of electronic media is considered a major contributing factor to childhood obesity. However, exergames, a new generation of active games, have made it possible to combine electronic entertainment with physical exercise. The purpose of this systematic review was to analyze the use of exergaming as a strategic tool in the fight against childhood obesity. Information was retrieved from the databases SciELO, LILACS, Pubmed, Ebsco, and Science Direct, using the search words "egames," "exergames," "exergaming," "new generation of video games," "active video games," "energy expenditure," "body composition," and "physical activity" in English and Portuguese, covering the period January 2008 to April 2012. Nine articles met the inclusion criteria. Exergaming was found to increase physical activity levels, energy expenditure, maximal oxygen uptake, heart rate, and percentage of physical activity engaged in and to reduce waist circumference and sedentary screen time. Thus, exergaming may be considered a highly relevant strategic tool for the adoption of an active and healthy lifestyle and may be useful in the fight against childhood obesity.


Assuntos
Exercício Físico , Obesidade Pediátrica/prevenção & controle , Jogos de Vídeo , Criança , Pré-Escolar , Metabolismo Energético , Feminino , Promoção da Saúde , Frequência Cardíaca , Humanos , Masculino , Educação Física e Treinamento , Comportamento Sedentário , Interface Usuário-Computador , Jogos de Vídeo/tendências
9.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-590995

RESUMO

Profissionais que exercem suas funções no âmbito da saúde, em especial na promoção da saúde, estão intimamente vinculados à educação no seu cotidiano. Não significa, entretanto, que todos compreendem o processo de ensino-aprendizagem e como desenvolvê-lo nas situações que envolvem a interface educação e saúde. Neste contexto, encontra-se a Educação em Saúde que objetiva a aprendizagem e aplicação de conceitos inerentes à saúde no sentido de promover o empowerment comunitário. Exercer a função de ensinar, no contexto da saúde, tem sido um desafio, em especial à tendência de reproduzir estratégias de ensino vivenciadas pelo profissional ao exercer o papel de aluno em que o professor se mantinha no centro. Acolher ideias da pessoa a ser ensinada, conhecer a história de vida e as funções que exerce nos diversos contextos em que está inserida, compreender a cultura, tradições e visão de mundo faz a diferença. Pensadores da área histórico-cultural têm contribuído para a percepção de que a mediação realizada com base no conhecimento da própria realidade e a busca de estratégias para modificá-la, tem se mostrado efetiva Compreender, portanto, como essas pessoas aprendem é determinante para reunir condições adequadas para ensiná-las. Trata-se do principal desafio no contexto da educação formal ou informal. Em se tratando do contexto educativo informal, os profissionais da saúde necessitam reconhecer que o conhecimento determinante para certo grupo social encontra-se na cultura desse grupo. Esta compreensão é essencial para a valorização da escuta e do saber cultural. Identifica-se que a formação em educação popular com a perspectiva do respeito a esses aspectos tem sido determinante na educação em saúde com o foco na responsabilidade e cidadania. Assim, a dinâmica da ação de aprender e ensinar, nos diversos contextos de atuação do profissional da saúde, será contextualizada ao século XXI...


Assuntos
Humanos , Educação em Saúde
10.
Occup Ther Int ; 15(1): 56-70, 2008.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-18288771

RESUMO

The aim of this study was to evaluate an occupational therapy nutrition education programme for children who are obese with the use of two interactive games. A quasi-experimental study was carried out at a municipal school in Fortaleza, Brazil. A convenient sample of 200 children ages 8-10 years old participated in the study. Data collection comprised a semi-structured interview, direct and structured observation, and focus group, comparing two interactive games based on the food pyramid (video game and board game) used individually and then combined. Both play activities were efficient in the mediation of nutritional concepts, with a preference for the board game. In the learning strategies, intrinsic motivation and metacognition were analysed. The attention strategy was most applied at the video game. We concluded that both games promoted the learning of nutritional concepts. We confirmed the effectiveness of the simultaneous application of interactive games in an interdisciplinary health environment. It is recommended that a larger sample should be used in evaluating the effectiveness of play and video games in teaching healthy nutrition to children in a school setting.


Assuntos
Educação em Saúde/métodos , Obesidade/terapia , Terapia Ocupacional/métodos , Brasil , Criança , Fenômenos Fisiológicos da Nutrição Infantil , Feminino , Humanos , Aprendizagem , Masculino , Jogos de Vídeo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...