Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 8 de 8
Filtrar
Mais filtros










Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. bras. neurocir ; 30(3)set. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-613347

RESUMO

Objetivo: Os autores realizaram uma avaliação comparativa entre a abordagem anterior e posterior do nervo acessório para transferência nervosa para o nervo supraescapular. Método: Foram estudados pacientes submetidos à neurotização do nervo supraescapular utilizando como doador o nervo acessório, no período de janeiro de 2007 a janeiro de 2010. Os registros cirúrgicos foram avaliados para analisar as vantagens e desvantagens das duas formas de abordagem desses nervos na cirurgia. Foram avaliados os marcos anatômicos utilizados para a localização dos nervos durante a cirurgia e as dificuldades ocorridas nas duas formas de abordagem. Resultados: Foram estudados ao todo 29 pacientes, sendo que 22 deles foram abordados pela via anterior e sete por via posterior. A localização do nervo supraclavicular foi considerada mais fácil pela via posterior, enquanto a localização do nervo acessório foi feita mais rapidamente pela via anterior. Em nenhuma das cirurgias foi necessária a interposição de enxerto nervoso. Não ocorreram complicações cirúrgicas nas duas técnicas. Conclusão: A análise comparativa das duas abordagens cirúrgicas demonstra que a anatomia desses dois nervos é importante fator na dificuldade técnica apresentada na cirurgia. Novos estudos devem analisar se há uma melhora dos resultados funcionais com a abordagem pela via posterior.


Objective: The authors conducted a comparative evaluation between the previous approach and later transfer accessory nerve to nerve nervous supraescapular. Method: Patients undergoing the nerve supraescapular transfer to the accessory nerve, in the period January 2007 to January 2010 were studied. Surgical records were evaluated to analyze the advantages and disadvantages of the two ways to approach these nerves in surgery. The anatomical landmarks used for localization of nerves during surgery were evaluated and the difficulties that occurred in the two forms of approaches. Results: Were studied in all 29 patients, with 22 of these were addressed through anterior and 7 through posterior. The location of supraclavicular nerve was considered easier through posterior approach, while the localization of accessory nerve was made more quickly through anterior. In none of the surgeries were required the interposition graft nervous. Non-surgical complications occurred in two techniques. Conclusion: A comparative analysis of two forms of surgical approach demonstrates that knowledge of the anatomy of these two nerves is important factor in technical difficulty presented in surgery. New long-term studies should examine whether there is an improvement of the functional results with the approach through posterior.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Transferência de Nervo , Nervo Acessório/cirurgia , Plexo Braquial/cirurgia
2.
Arq. bras. neurocir ; 30(3)set. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-613356

RESUMO

O hematoma intradiploico é uma lesão rara do crânio. Foi descrita inicialmente em 1934 e até hoje a sua patogênese não é conhecida. Trata-se de uma lesão rara e secundária a um processo reativo benigno após traumas cranianos leves ou coagulopatias. Paciente de 42 anos apresentava quadro progressivo de perda da marcha e alteração visual. Foi identificada massa na região occipital do paciente, de caráter progressivo. Os estudos radiológicos demonstravam lesão de aspecto heterogêneo, erosiva da calota craniana e com expansão intracraniana. Realizou angiografia digital que demonstrou trombose de seio sagital superior. Foi submetido à biópsia seguida de ressecção da lesão associada à cranioplastia. Houve melhora do padrão visual e do desempenho de marcha do paciente, em relação ao pré-operatório. Os autores relatam um caso raro de hematoma intradiploico, analisaram os diagnósticos diferenciais e discutem as opções cirúrgicas dessa rara doença.


Intradiploic hematoma: surgical treatment and case reportIntradiploic hematoma is a very rare lesion of the skull. It was first described in 1934 and until now his pathogenesis still unclear. It is a rare and benign reactive process that occurs after minor head trauma. This 42-year-old man presented with difficult to walk and visual loss. It was observed one growing mass at occipital bone. On computadorized tomography and magnetic resonance image one destructive lesion, heterogeneous and expansion. One angiographic study was performed and showed thrombosis of the superior sagital sinus. The patient was submitted to a biopsy and after the hematoma was radically resected with cranioplasty. The improved his walk condition and visual capacities. The authors reported one case of intradiploic hematoma, differential diagnosis were analyzed and discussed about the surgical options of this rare disease.


Assuntos
Humanos , Masculino , Adulto , Hematoma Epidural Craniano/cirurgia , Hematoma Epidural Craniano/complicações , Hematoma Epidural Craniano/diagnóstico , Traumatismos Craniocerebrais/complicações
3.
Arq Neuropsiquiatr ; 68(3): 396-9, 2010 Jun.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-20602043

RESUMO

UNLABELLED: Intramedullary tumors are rare. The authors reviewed 24 cases operated between 1996 and 2006. The study assessed the clinical characteristics and surgical results based upon the neurological function. METHOD: Medical records of patients with intramedullary astrocytoma and ependymoma were reviewed. The minimal follow up time was 6 months and, at the end of this period, a comparative analysis of the neurological function was performed based using the McCormick scale score. RESULTS: Most patients had astrocytoma (75%). Male gender was more prevalent (58.3%). The most common type of tumor was graded as I or II, and in three cases these were malignant. The total resection of the tumor was achieved in 20.8% of the cases. The statistical analysis did not show a statistically significant difference between preoperative and postoperative grades at McCormick scale. CONCLUSION: The authors concluded that microsurgery to intramedullary tumors did not significantly alter the neurological function after six months.


Assuntos
Astrocitoma/cirurgia , Ependimoma/cirurgia , Neoplasias da Medula Espinal/cirurgia , Adolescente , Astrocitoma/diagnóstico , Criança , Pré-Escolar , Ependimoma/diagnóstico , Feminino , Humanos , Lactente , Imageamento por Ressonância Magnética , Masculino , Estadiamento de Neoplasias , Neoplasias da Medula Espinal/diagnóstico
4.
Arq. neuropsiquiatr ; 68(3): 396-399, June 2010. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-550273

RESUMO

Intramedullary tumors are rare. The authors reviewed 24 cases operated between 1996 and 2006. The study assessed the clinical characteristics and surgical results based upon the neurological function. METHOD: Medical records of patients with intramedullary astrocytoma and ependymoma were reviewed. The minimal follow up time was 6 months and, at the end of this period, a comparative analysis of the neurological function was performed based using the McCormick scale score. RESULTS: Most patients had astrocytoma (75 percent). Male gender was more prevalent (58.3 percent). The most common type of tumor was graded as I or II, and in three cases these were malignant. The total resection of the tumor was achieved in 20.8 percent of the cases. The statistical analysis did not show a statistically significant difference between preoperative and postoperative grades at McCormick scale. CONCLUSION: The authors concluded that microsurgery to intramedullary tumors did not significantly alter the neurological function after six months.


Os tumores intramedulares são doenças raras. Os autores analisaram 24 casos operados entre 1996 e 2006. O estudo analisou as características clínicas e o resultado da cirurgia quanto à função neurológica. MÉTODO: Foram analisados pacientes com astrocitomas e ependimomas intramedulares. O tempo mínimo de acompanhamento foi de 6 meses e ao final deste período foi realizada a avaliação comparativa da variação do estado neurológico baseado na escala de McCormick. RESULTADOS: A maioria dos pacientes era de astrocitoma (75 por cento). O gênero masculino foi mais prevalente (58,3 por cento). A maioria dos tumores era de grau I ou II, 3 casos eram malignos. A ressecção total do tumor ocorreu em 20,8 por cento dos casos. A avaliação estatística demonstrou que não houve diferença significativa entre o estado neurológico na escala de McCormick pré-operatória e pós-operatória. CONCLUSÕES: Os autores concluem que a microcirurgia para ressecção dos tumores intramedulares não ocasionou variação funcional significativa nos pacientes após seis meses da cirurgia.


Assuntos
Adolescente , Criança , Pré-Escolar , Feminino , Humanos , Lactente , Masculino , Astrocitoma/cirurgia , Ependimoma/cirurgia , Neoplasias da Medula Espinal/cirurgia , Astrocitoma/diagnóstico , Ependimoma/diagnóstico , Imageamento por Ressonância Magnética , Estadiamento de Neoplasias , Neoplasias da Medula Espinal/diagnóstico
5.
J. bras. neurocir ; 21(3): 175-178, 2010.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-579604

RESUMO

Introdução: O Cisto ósseo aneurismático é uma lesão óssea benigna e destrutiva de origem desconhecida. Os tratamentos atuais para esta doença incluem a ressecção em bloco, curetagem,embolização arterial seletiva e radioterapia. Um caso de cisto ósseo aneurismático gigante da coluna lombar é relatado.Método: Paciente de 15 anos de idade foi admitido com dor lombar e paraparesia com três meses de duração. Os exames radiológicos demonstraram uma lesão lítica expansiva nos processos espinhosos e lâminas da quarta e quinta vértebras lombares. A cirurgia consistiu da ressecção e instrumentação posterior com fusão de L2 até S1. A histopatologia demonstrou um cisto ósseo aneurismático. Após um ano de pós-operatório,o paciente melhorou a sua função neurológica, permanecendo apenas com uma paresia de L5 bilateral. Discussão: O tratamento do cisto ósseo aneurismático é desafiante, principalmente se próximo a estruturas neurais e vasculares. A fusão óssea e estabilização com instrumentação são frequentemente necessárias após a ressecção radical de tumores vertebrais extensos. Uma vértebra geralmente é acometida pelos cistos ósseos e lesões extensas são incomuns. A ressecção completado tumor e a fusão da coluna lombar com instrumentação permitiram a cura com preservação da estabilidade espinhal. As complicações neurológicas podem ser melhoradas com a retirada cirúrgica do tumor.


Assuntos
Adolescente , Cistos Ósseos Aneurismáticos , Cirurgia Geral , Coluna Vertebral
6.
Revista Brasileira de Neurologia ; 4(30): 115-122, jul./ago. 1994.
Artigo | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-1137

RESUMO

Hemangioblastomas sao tumores originados da proliferacao de celulas endoteliais nao marcadamente anaplasicas, sendo considerado tumores benignos do ponto de vista histologico. Sua evolucao, no entanto, e pouco favoravel devido a alta frequencia de recorrencias e formas multicentricas. Os autores apresentam a historia natural de uma paciente portadora de hemangioblastoma de fossa posterior operado, e que posteriormente apresentou metastases para a medula cervical, acompanhada durante vinte e seis anos, esclarecendo o diagnostico e a terapeutica empregada.


Assuntos
Neoplasias da Medula Espinal , Fossa Craniana Posterior , Neoplasias Encefálicas , Pessoa de Meia-Idade , Relatos de Casos , Humanos , Mulheres , Hemangioblastoma , Neoplasias da Medula Espinal , Fossa Craniana Posterior , Neoplasias Encefálicas , Pessoa de Meia-Idade , Humanos , Hemangioblastoma
7.
Rev. bras. neurol ; 29(2): 55-8, mar.-abr. 1993. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-198001

RESUMO

A síndrome do túnel do tarso, até a presente data, permanece como uma patologia pouco conhecida e pouco diagnosticada. A sintomatologia pode ser decorrente da compressäo direta das estruturas nervosas, ou, secundárias através de insuficiência vascular arterial. O diagnóstico é basicamente clínico, auxiliado por exames complementares sendo, até o momento, a eletroneuromiografia o exame de escolha. Alonso(1) tem comprovado a observaçäo de Upton e McComas feita em 1973(12), de que compressöes proximais facilitam compressöes distais nos territórios das raíizes ou nervos afetados, como neste caso. O tratamento clínico proporciona alívio temporário dos sintomas, assim o tratamento deve ser cirúrgico, e o alívio definitivo dos sintomas ocorrerá quando a descompressäo do nervo tibial posterior for realizada precocemente, antes do início de comprometimento motor, o qual revela lesäo estrutural do nervo e conseqüente piora prognóstica. Na presente apresentaçäo a melhora da sintomatologia dolorosa foi verificada nas primeiras semanas do pós-operatório


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Eletrodiagnóstico , Síndrome do Túnel do Tarso/cirurgia , Síndrome do Túnel do Tarso/diagnóstico , Síndrome do Túnel do Tarso/terapia
8.
Revista Brasileira de Neurologia ; 2(29): 55-58, mar./abr. 1993.
Artigo | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-5893

RESUMO

A sindrome do tunel do tarso, ate presente data, permanece como uma patologia pouco conhecida e pouco diagnosticada. A sintomatologia pode ser decorrente da compressao direta das estruturas nervosas, ou, secundarias atraves de insuficiencia vascular arterial. O diagnostico e basicamente clinico, auxiliado por exames complementares sendo, ate o momento, a eletroneuromiografia o exame de escolha. Alonso tem comprovado a observacao de Upton e McComas feita em 1973, de que compressoes proximais facilitam compressoes distais nos territorios das raizes ou nervos afetados, como neste caso. O tratamento clinico proporciona somente alivio temporario dos sintomas assim o tratamento deve ser cirurgico, e o alivio definitivo dos sintomas ocorrera quando a descompressao do nervo tibial posterior for realizada precocemente, antes do inicio de comprometimento motor, o qual revela lesao estrutural do nervo e consequente piora prognostica. Na presente apresentacao a melhora da sintomatologia dolorosa foi verificada nas primeiras semanas do pos-operatorio.


Assuntos
Síndrome do Túnel do Tarso , Eletrodiagnóstico , Síndrome do Túnel do Tarso , Eletrodiagnóstico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...