Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
J Aging Phys Act ; : 1-7, 2019 Jun 05.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30859895

RESUMO

To document the characteristics of participants aged 50 years and older in a local government group exercise program (Strong Seniors), to investigate the motivators and barriers to ongoing exercise, and to identify factors associated with more frequent exercise class attendance. Ninety-three participants completed a survey about exercise class attendance, motivators and barriers to participation, and exercise perceptions and self-reported exercise. The authors conducted a mixed-methods study involving both quantitative and qualitative analyses. Personal benefits of exercise and social influences were the most common motivators for regular exercise. Barriers to participation included health problems and lack of time (competing priorities). A higher score on the perceived exercise benefits scale is the only factor associated with a higher frequency of attendance at Strong Seniors classes. Exercise programs for people aged 50 years and older that emphasize associated health benefits and promote social support may be more likely to facilitate long-term attendance.

2.
Rev. bras. med. esporte ; 22(4): 252-255, July-Aug. 2016. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-794848

RESUMO

ABSTRACT Introduction: The International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) considers multiples aspects of functionality. It is believed that this tool can help to classify the functionality of older adults with low back pain (LBP) . Objectives: To describe the functionality of active older adults with LBP according to the ICF. Methods: A transversal study was conducted using the brief ICF core set for low back pain, to establish functional profiles of 40 older adults. The ICF categories were considered valid when ≥20% of participants showed some disability. Results: Thirty-two of the 35 categories of the brief ICF core set could be considered representative of the sample. Conclusion: The brief ICF core set for LBP results demonstrated that this classification system is representative for describing the functional profile of the sample.


RESUMO Introdução: A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) considera múltiplos aspectos da funcionalidade. Acredita-se que essa ferramenta pode auxiliar a classificar a funcionalidade de idosos com dor lombar (DL) . Objetivos: Descrever a funcionalidade de idosos ativos com DL de acordo com a CIF. Métodos: Foi realizado um estudo transversal para estabelecer o perfil funcional de 40 idosos, utilizando a versão abreviada do core set da CIF para dor lombar. As categorias da CIF foram consideradas válidas quando ≥ 20% dos participantes apresentavam alguma deficiência. Resultado: Trinta e duas das 35 categorias da versão abreviada do core set da CIF para DL foram consideradas representativas da amostra. Conclusão: Os resultados da versão abreviada do core set da CIF para DL demonstraram que esse é um sistema de classificação representativo para descrever o perfil funcional da amostra.


RESUMEN Introducción: La Clasificación Internacional del Funcionamiento, de la Discapacidad y de la Salud (CIF) considera varios aspectos de la funcionalidad. Se cree que esta herramienta puede ayudar a clasificar la funcionalidad de los ancianos con dolor lumbar (DL) . Objetivos: Describir la funcionalidad de los ancianos activos con DL según la CIF. Métodos: Un estudio transversal se llevó a cabo para establecer el perfil funcional de 40 ancianos utilizando la versión abreviada del core set de la CIF para el dolor lumbar. Las categorías de la CIF se consideraron válidas cuando ≥ 20% de los participantes tenían una discapacidad. Resultado: Treinta y dos de las 35 categorías de la versión abreviada del core set de la CIF se consideraron representativas de la muestra. Conclusión: Los resultados de la versión abreviada del core set de la CIF para DL muestra que se trata de un sistema de clasificación representativo para describir el perfil funcional de la muestra.

3.
Rev. paul. pediatr ; 30(4): 570-575, dez. 2012. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-661030

RESUMO

OBJETIVO: Fornecer valores de referência e avaliar os fatores que influenciam a mobilidade torácica de crianças entre sete e 11 anos. MÉTODOS: Foram avaliadas 166 crianças de escolas públicas e privadas (90 meninas e 76 meninos) da cidade de Natal, no estado do Rio Grande do Norte. Foram coletados dados pessoais, antropométricos e perímetros torácicos por cirtometria. O teste t de Student não pareado e a análise de variância compararam o coeficiente respiratório xifoidiano entre os sexos e as idades, respectivamente. Diferenças no coeficiente respiratório axilar entre os sexos e as idades foram verificadas com os testes de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, respectivamente, com diferenças localizadas pelo teste post-hoc de Duncan. Coeficientes de correlação de Spearman e Pearson relacionaram variáveis independentes com os coeficientes avaliados. RESULTADOS: As médias das perimetrias axilar e xifoidiana foram 5,00±1,59 e 4,75±1,56cm, respectivamente. Observou-se baixa correlação, sem significância estatística, entre o coeficiente respiratório xifoidiano e as variáveis idade, sexo, peso, altura e índice de massa corpórea. O coeficiente respiratório axilar correlacionou-se com peso e altura. Foram encontradas diferenças no coeficiente respiratório axilar nas faixas etárias entre oito e dez anos (p=0,03) e 10 e 11 anos (p=0,02). CONCLUSÕES: Foram disponibilizados valores de referência de cirtometria torácica para crianças entre sete e 11 anos. Sexo, idade, peso, altura e índice de massa corpórea não influenciaram o coeficiente respiratório xifoidiano. O coeficiente respiratório axilar diferiu-se entre idades, a partir dos oito anos, sendo influenciado pelo peso e pela altura, independentemente do sexo.


OBJECTIVE: To provide reference values and to evaluate the factors influencing thoracic mobility in children aged 7 to 11 years old. METHODS: A total of 166 children were assessed from public and private schools (90 girls and 76 boys) in the city of Natal (Northeast Brazil). Demographic and anthropometric data were collected, and the thoracic perimeter was assessed by cirtometry. Non-paired Student's t-test and variance analysis compared xiphoid respiratory coefficient between sex and ages, respectively. Axillary respiratory coefficient differences between sex and ages were tested by Mann-Whitney and Kruskal-Wallis tests, respectively, with differences located by Duncan post-hoc test. Spearman and Pearson correlation coefficients were used to verify the association between independent variables with the assessed coefficients. RESULTS: Xiphoid and axillary perimetry means were 5.00±1.59 and 4.75±1.56cm, respectively. There was a low correlation, without statistical significance, between xiphoid respiratory coefficient and age, sex, weight, height, and body mass index. The axillary respiratory coefficient was correlated with weight and height. Differences were found in the axillary respiratory coefficient in the age groups between 8-10 (p=0.03) and 10-11 years old (p=0.02). CONCLUSIONS: Reference values for thoracic cirtometry were provided for children aged between seven and 11 years old. Sex, age, weight, height, and body mass index did not influence xiphoid respiratory coefficient. The axillary respiratory coefficient was different between ages, from eight years onwards, being significantly influenced by height and weight regardless of sex.


OBJETIVO: Suministrar valores de referencia y evaluar los factores que influencian la movilidad torácica de niños de 7 a 11 años. MÉTODOS: Se evaluaron 166 niños de escuelas públicas y privadas (90 muchachas y 76 muchachos) de la ciudad de Natal (Rio Grande do Norte). Se recogieron datos personales, antropométricos y los perímetros torácicos por cirtometría. Las pruebas t de Student no pareada y ANOVA compararon el coeficiente respiratorio xifoideo entre los sexos y edades, respectivamente. Diferencias en el Coeficiente respiratorio axilar entre los sexos y edades fueron probadas con Mann-Shitney y Kruskal-Wallis, respectivamente, con diferencias localizadas por la prueba post-hoc de Ducan. Coeficientes de Correlación de Spearman y Pearson correlacionaron variables independientes con los coeficientes evaluados. RESULTADOS: Los promedios de la perimetría axilar y xifoidea fueron 5,00±1,59 y 4,75±1,56cm, respectivamente. Se observó baja correlación, sin significancia estadística, entre el coeficiente respiratorio xifoideo y las variables edad, sexo, peso, altura e índice de masa corporal. El Coeficiente Respiratorio Axilar se correlacionó con el peso y la altura. Se encontraron diferencias en el coeficiente respiratorio axilar en las franjas de edad entre 8 y 10 años (p=0,03) y 10 y 11 años (p=0,02). CONCLUSIONES: Se pusieron a disposición varios factores de referencia de cirtometría torácica para niños entre 7 y 11 años. El sexo, la edad, el peso, la altura y el índice de masa corporal no influenciaron el Coeficiente Respiratorio Xifoideo. El Coeficiente Respiratorio Axilar difirió entre edades, a partir de los ocho años, siendo influenciado por el peso y la altura, independientemente del sexo.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Músculos Respiratórios , Tórax , Valores de Referência
4.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 22(3): 314-320, 2012. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-674906

RESUMO

OBJETIVO: Analisar o índice de percepção de esforço na avaliação das pressões respiratórias máximas de crianças e adolescentes. MÉTODO: Foram avaliadas 144 crianças e adolescentes saudáveis, de sete a onze anos, sendo 63 meninos e 81 meninas, estudantes das redes pública e privada. O instrumento utilizado foi o manovacuômetro digital MVD300 (Globalmed®, Porto Alegre - RS, Brasil). Foram realizadas no máximo nove manobras, com um minuto de descanso entre cada manobra e cinco minutos entre a medição das pressões inspiratórias e expiratórias máximas. A sensação de esforço percebido foi determinada através da escala de Borg e foi utilizada em quatro momentos: antes das medições das pressões respiratórias máximas, previamente sorteadas; imediatamente após a primeira medição sorteada; após cinco minutos de descanso e imediatamente após a última avaliação. RESULTADOS: O esforço percebido das crianças e adolescentes antes, imediatamente após e cinco minutos após a manovacuometria foi de 7,8±1,8; 9,6±2,5 e 8,5±2,3, respectivamente. Houve aumento significativo após a mensuração das pressões inspiratórias e expiratórias máximas (p < 0,001). A quantidade de esforço diminuiu significativamente após cinco minutos de descanso da realização das pressões respiratórias máximas (p< 0,05). A percepção de esforço foi semelhante para as crianças e adolescentes que realizaram até cinco ou mais manobras. CONCLUSÃO: A avaliação das pressões respiratórias máximas, em crianças e adolescentes, mostrou-se um método seguro quanto à percepção de esforço. Sugere-se que a análise do índice de esforço percebido possa ser prática frequente durante a avaliação da força muscular respiratória.


OBJECTIVE: To analyze the rate of perceived exertion in assessing maximal respiratory pressures in children and adolescents. METHODS: We evaluated 144 healthy children and adolescents from seven to eleven years old, 63 boys and 81 girls, students from public and private schools. The instrument used was a digital manovacuometer MVD300 (Globalmed ®, Porto Alegre-RS, Brazil). A maximum of nine maneuvers were carried out, with one minute rest between each maneuver and five minutes between the measurement of maximal inspiratory and expiratory pressures. The rate of perceived effort was determined by Borg scale and was used at four different moments: before measuring maximal inspiratory and expiratory pressures, previously drawn; immediately after the first measurement; after five minutes of rest and immediately after the last assessment. RESULTS: The children and adolescents' perceived exertion before, immediately after and five minutes after assessment was 7.8 ± 1.8, 9.6 ± 2.5 and 8.5 ± 2.3, respectively. There was a significant increase after measuring maximal inspiratory and expiratory pressures (p < 0.001). The amount of effort decreased significantly with five minutes of rest after maximal respiratory pressures (p < 0.05). The perceived exertion was similar for children and adolescents who underwent up to five or more maneuvers. CONCLUSION: The assessment of maximal respiratory pressures in children and adolescents proved to be a safe method regarding perceived exertion. It is suggested that the analysis of the rate of perceived exertion may be a common practice during the evaluation of respiratory muscle strength.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas , Teste de Esforço , Percepção , Esforço Físico , Músculos Respiratórios
5.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 22(3): 314-320, 2012. tab
Artigo em Inglês | Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: psi-55029

RESUMO

OBJECTIVE: To analyze the rate of perceived exertion in assessing maximal respiratory pressures in children and adolescents. METHODS: We evaluated 144 healthy children and adolescents from seven to eleven years old, 63 boys and 81 girls, students from public and private schools. The instrument used was a digital manovacuometer MVD300 (Globalmed, Porto Alegre-RS, Brazil). A maximum of nine maneuvers were carried out, with one minute rest between each maneuver and five minutes between the measurement of maximal inspiratory and expiratory pressures. The rate of perceived effort was determined by Borg scale and was used at four different moments: before measuring maximal inspiratory and expiratory pressures, previously drawn; immediately after the first measurement; after five minutes of rest and immediately after the last assessment. RESULTS: The children and adolescents' perceived exertion before, immediately after and five minutes after assessment was 7.8 ± 1.8, 9.6 ± 2.5 and 8.5 ± 2.3, respectively. There was a significant increase after measuring maximal inspiratory and expiratory pressures (p < 0.001). The amount of effort decreased significantly with five minutes of rest after maximal respiratory pressures (p < 0.05). The perceived exertion was similar for children and adolescents who underwent up to five or more maneuvers. CONCLUSION: The assessment of maximal respiratory pressures in children and adolescents proved to be a safe method regarding perceived exertion. It is suggested that the analysis of the rate of perceived exertion may be a common practice during the evaluation of respiratory muscle strength.(AU)


OBJETIVO: Analisar o índice de percepção de esforço na avaliação das pressões respiratórias máximas de crianças e adolescentes. MÉTODO: Foram avaliadas 144 crianças e adolescentes saudáveis, de sete a onze anos, sendo 63 meninos e 81 meninas, estudantes das redes pública e privada. O instrumento utilizado foi o manovacuômetro digital MVD300 (Globalmed, Porto Alegre - RS, Brasil). Foram realizadas no máximo nove manobras, com um minuto de descanso entre cada manobra e cinco minutos entre a medição das pressões inspiratórias e expiratórias máximas. A sensação de esforço percebido foi determinada através da escala de Borg e foi utilizada em quatro momentos: antes das medições das pressões respiratórias máximas, previamente sorteadas; imediatamente após a primeira medição sorteada; após cinco minutos de descanso e imediatamente após a última avaliação. RESULTADOS: O esforço percebido das crianças e adolescentes antes, imediatamente após e cinco minutos após a manovacuometria foi de 7,8±1,8; 9,6±2,5 e 8,5±2,3, respectivamente. Houve aumento significativo após a mensuração das pressões inspiratórias e expiratórias máximas (p < 0,001). A quantidade de esforço diminuiu significativamente após cinco minutos de descanso da realização das pressões respiratórias máximas (p< 0,05). A percepção de esforço foi semelhante para as crianças e adolescentes que realizaram até cinco ou mais manobras. CONCLUSÃO: A avaliação das pressões respiratórias máximas, em crianças e adolescentes, mostrou-se um método seguro quanto à percepção de esforço. Sugere-se que a análise do índice de esforço percebido possa ser prática frequente durante a avaliação da força muscular respiratória.(AU)


Assuntos
Percepção de Movimento , Força Muscular , Músculos Respiratórios
6.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 22(3): 314-320, 2012. tab
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: psi-65280

RESUMO

OBJETIVO: Analisar o índice de percepção de esforço na avaliação das pressões respiratórias máximas de crianças e adolescentes. MÉTODO: Foram avaliadas 144 crianças e adolescentes saudáveis, de sete a onze anos, sendo 63 meninos e 81 meninas, estudantes das redes pública e privada. O instrumento utilizado foi o manovacuômetro digital MVD300 (Globalmed®, Porto Alegre - RS, Brasil). Foram realizadas no máximo nove manobras, com um minuto de descanso entre cada manobra e cinco minutos entre a medição das pressões inspiratórias e expiratórias máximas. A sensação de esforço percebido foi determinada através da escala de Borg e foi utilizada em quatro momentos: antes das medições das pressões respiratórias máximas, previamente sorteadas; imediatamente após a primeira medição sorteada; após cinco minutos de descanso e imediatamente após a última avaliação. RESULTADOS: O esforço percebido das crianças e adolescentes antes, imediatamente após e cinco minutos após a manovacuometria foi de 7,8±1,8; 9,6±2,5 e 8,5±2,3, respectivamente. Houve aumento significativo após a mensuração das pressões inspiratórias e expiratórias máximas (p < 0,001). A quantidade de esforço diminuiu significativamente após cinco minutos de descanso da realização das pressões respiratórias máximas (p< 0,05). A percepção de esforço foi semelhante para as crianças e adolescentes que realizaram até cinco ou mais manobras. CONCLUSÃO: A avaliação das pressões respiratórias máximas, em crianças e adolescentes, mostrou-se um método seguro quanto à percepção de esforço. Sugere-se que a análise do índice de esforço percebido possa ser prática frequente durante a avaliação da força muscular respiratória.(AU)


OBJECTIVE: To analyze the rate of perceived exertion in assessing maximal respiratory pressures in children and adolescents. METHODS: We evaluated 144 healthy children and adolescents from seven to eleven years old, 63 boys and 81 girls, students from public and private schools. The instrument used was a digital manovacuometer MVD300 (Globalmed ®, Porto Alegre-RS, Brazil). A maximum of nine maneuvers were carried out, with one minute rest between each maneuver and five minutes between the measurement of maximal inspiratory and expiratory pressures. The rate of perceived effort was determined by Borg scale and was used at four different moments: before measuring maximal inspiratory and expiratory pressures, previously drawn; immediately after the first measurement; after five minutes of rest and immediately after the last assessment. RESULTS: The children and adolescents' perceived exertion before, immediately after and five minutes after assessment was 7.8 ± 1.8, 9.6 ± 2.5 and 8.5 ± 2.3, respectively. There was a significant increase after measuring maximal inspiratory and expiratory pressures (p < 0.001). The amount of effort decreased significantly with five minutes of rest after maximal respiratory pressures (p < 0.05). The perceived exertion was similar for children and adolescents who underwent up to five or more maneuvers. CONCLUSION: The assessment of maximal respiratory pressures in children and adolescents proved to be a safe method regarding perceived exertion. It is suggested that the analysis of the rate of perceived exertion may be a common practice during the evaluation of respiratory muscle strength.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Criança , Adolescente , Músculos Respiratórios , Teste de Esforço , Esforço Físico , Percepção , Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA