Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
3.
Braz. j. phys. ther. (Impr.) ; 13(2)Mar.-Apr. 2009. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-516031

RESUMO

Objective: To investigate the effect of shoulder exercises during radiotherapy in relation to prevention of locoregional physical complications: limitation of range of motion (ROM) and functional capacity, arm circumference and scar tissue adhesion. Methods: Sixty-six women without shoulder ROM impairment following breast cancer surgery that included complete axillary dissection were allocated to one of two groups: 32 in the physical therapy group (PG) (52.7±10.2 years), who underwent an exercise program; and 34 in the control group (CG) (48±10.1years). Shoulder ROM, upper-limb circumference and functional capacity and scar tissue adhesion were evaluated at the beginning and end of radiotherapy and six months after completing radiotherapy. Results: The PG showed improvements in flexion and abduction ROM between the first and third evaluations (flexion from 164.77°±8.9° to 167.98°±9.5° and abduction from 168.56°±10.0° to 175.62°±10.2°),which was not observed in the CG (flexion from 167.06±06° to 165.16°±9.2° and abduction from 169.71° 10.1° to 169.53°±12.8°). There was a statistically significant increase in ROM in the PG in relation to the CG (flexion, p=0.02; and abduction, p=0.004). The circumference and functional capacity were similar between the groups and the frequency of scar tissue adhesion in the CG was twice that observed in the PG (48% versus 24%, p=0.04). Conclusions: These results suggest that shoulder exercises favor maintenance of flexion and abduction ROM of the shoulder and minimize the incidence of scar tissue adhesion in women undergoing radiotherapy for breast cancer treatment.


Objetivo: Verificar o efeito da realização de exercícios para o ombro durante a radioterapia na prevenção de complicações físicas locoregionais: limitação da amplitude de movimento (ADM) e da capacidade funcional, circunferência do braço e aderência cicatricial. Métodos: Sessenta e seis mulheres sem comprometimento de ADM de ombro no pós-operatório de cirurgia para câncer de mama com dissecção axilar completa foram alocadas em dois grupos, sendo 32 no grupo de fisioterapia (GF) (52,7±10,2 anos), o qual foi submetido a um programa de exercícios, e 34 no grupo controle (GC) (48±10,1 anos). A ADM do ombro, a circunferência e capacidade funcionaldos membros superiores e a aderência cicatricial foram avaliados no início e no final da radioterapia e seis meses após seu término. Resultados: O GF apresentou melhora da ADM de flexão e abdução entre a primeira e terceira avaliação (Flexão: de 164,77°±8,9° para 167,98°±9,5° e Abdução: 168,56°±10° para 175,62°±10,2°), o que não se observou no GC (Flexão: 167,06°±6° para 165,16°±9,2° e Abdução: 169,71°±10,1° para 169,53°±12,8°), demonstrando uma melhora significativa do GF em relação do GC (Flexão: p=0,02 e Abdução: p=0,004). A circunferência e a capacidade funcional foram similares entre os grupos e a frequência de aderência cicatricial no GC foi o dobro daquela observada no GF (48% e 24%, p=0,04). Conclusões: Esses resultados sugerem que exercícios para o ombro favorecem a manutenção da ADM de flexão e abdução de ombro e minimizam a incidência de aderência cicatricial em mulheres submetidas à radioterapia para tratamento por câncer de mama.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...