Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.353
Filtrar
1.
Washington, D.C.; OPAS; 2020-11-16. (OPAS/FPL/IM/COVID-19/20-0020).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-53016

RESUMO

A reunião teve o propósito de informar os membros do GTA sobre a atual situação epidemiológica da COVID-19 na Região das Américas, o impacto da pandemia nos programas de vacinação até o momento e as ações tomadas pela OPAS para assegurar a continuidade dos serviços de vacinação em toda a Região como serviços de saúde essenciais. Os participantes da reunião tomaram ciência dos esforços da OPAS para facilitar aos países da Região o acesso equitativo às vacinas contra a COVID-19 e para preparação para introduzir a vacina.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Doenças Preveníveis por Vacina , Determinantes Sociais da Saúde , Imunização
2.
Washington, D.C.; OPAS; 2020-11-04. (OPAS/NMH/RF/20-0027).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-52976

RESUMO

A regulação do marketing é uma das medidas mais custo-efetivas para diminuir a demanda por produtos alimentícios não saudáveis, inclusive ultraprocessados. Mesmo assim, na maioria dos países do mundo e da Região das Américas, tais políticas não existem ou, se existem, carecem de implementação, monitoramento e fiscalização rigorosos. Durante o 56º Conselho Diretor da OPAS, foi apresentada a revisão intermediária do Plano de Ação para Prevenção da Obesidade em Crianças e Adolescentes, destacando os progressos obtidos durante a implementação do plano. Mesmo assim, a aplicação de medidas regulatórias para restringir a promoção e a publicidade de bebidas açucaradas, fast food e outros produtos alimentícios não saudáveis foi adotada por apenas quatro países na Região, muito abaixo da meta estabelecida pelos Estados Membros da Organização. Embora a maioria dos países ainda não possua leis e regulamentos específicos para restringir a promoção e a publicidade de gêneros alimentícios, muitos possuem um marco regulatório para proteger as crianças e adolescentes, assegurar os direitos do consumidor e impedir práticas desleais de mercado. Esses marcos podem ajudar muitos países a restringir a promoção e a publicidade de produtos não saudáveis, inclusive gêneros alimentícios, e a estabelecer e fortalecer leis e regulamentos específicos necessários para eliminar efetivamente a publicidade e promoção de produtos alimentícios não saudáveis. Este relatório reúne as experiências dos países da Região no tocante à ação nesse campo e os caminhos que podem ser traçados para fortalecer os marcos regulatórios existentes e elaborar os necessários.


Assuntos
Direitos Humanos , Doenças não Transmissíveis , Alimentos, Dieta e Nutrição , Ácidos Graxos Trans , Fatores de Risco , Indústria de Óleos e Graxas
3.
Official Document;359
Monografia em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-52968

RESUMO

O Plano Estratégico (“o Plano”) da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) define a direção estratégica da Organização com base nas prioridades coletivas dos seus Estados Membros e na atenção voltada para os países, além de especificar os resultados em matéria de saúde pública a serem alcançados durante o período 2020-2025. O Plano estabelece o compromisso conjunto dos Estados Membros da OPAS e da Repartição Sanitária Pan-Americana (RSPA ou “a Repartição”) para os próximos seis anos. Os Estados Membros da OPAS deixaram claro que o Plano Estratégico é dos principais instrumentos para a implementação da Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030 (ASSA2030) e, por conseguinte, para a consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionados à saúde na Região das Américas. Os 11 objetivos do ASSA2030 formam os objetivos no nível do impacto deste Plano. Com o tema A equidade, o coração da saúde, este Plano busca catalisar esforços nos Estados Membros para reduzir as iniquidades em saúde dentro dos países e territórios e entre eles, a fim de melhorar os resultados em termos de saúde. O Plano identifica ações específicas para enfrentar a desigualdade em saúde, como as recomendadas pela Comissão sobre Equidade e Desigualdades em Saúde nas Américas, com a orientação da Comissão de Alto Nível para a Saúde Universal. Quatro temas transversais são centrais para o enfoque deste Plano para abordar os determinantes da saúde: a equidade, o gênero, a etnia e os direitos humanos. Além de destacar um enfoque multissetorial integrado, este Plano aplica estratégias de saúde pública baseadas em evidências, como a promoção da saúde, o enfoque da atenção primária à saúde e a proteção social em saúde, para abordar os determinantes sociais. Além de abordar diretamente as prioridades regionais estabelecidas no ASSA2030, este Plano está alinhado com o 13º Programa Geral de Trabalho (13º PGT) da Organização Mundial da Saúde (OMS) e com outros mandatos regionais e mundiais em vigor durante o período de planejamento.


Assuntos
Organização Pan-Americana da Saúde , Planos e Programas de Saúde , Prioridades em Saúde , Equidade no Acesso aos Serviços de Saúde , Equidade em Saúde , Doenças Transmissíveis , Desenvolvimento Sustentável , Agenda de Prioridades em Saúde , Fatores de Risco , Meio Ambiente e Saúde Pública , Políticas e Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação , Cooperação Técnica , Cooperação Sul-Sul , Doença Crônica
6.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-17. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-148).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-53029

RESUMO

Formulário de Notificação semanal de novos casos de COVID-19 e classificação da transmissão por semana em nível subnacional.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Pandemias , Epidemias , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Surtos de Doenças , Vigilância , Emergências
7.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-16. (OPAS/BRA/NMH/MH/COVID-19/20-0026).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-53017

RESUMO

A pandemia de COVID-19 é uma ameaça de grande proporção tanto para a saúde física como para a saúde mental e o bem-estar de sociedades inteiras que se viram gravemente afetadas por essa crise, sendo esta uma prioridade que deve ser abordada com urgência. A adversidade associada às consequências socioeconômicas, ao medo do vírus e sua propagação, bem como às preocupações relacionadas, possuem um impacto importante na saúde mental da população. Este documento descreve as orientações de Saúde Mental e Apoio Psicossocial (SMAPS) fundamentais recomendadas para serem desenvolvidas de forma intersetorial nos países e nas comunidades. Para isso, propõe-se utilizar como marco de referência a pirâmide de intervenções para os serviços de SMAPS do Comitê Permanente Interagências (IASC). A pirâmide ilustra diferentes níveis de apoio que variam desde a integração de considerações sociais, de segurança e relativas às necessidades básicas, até a prestação de serviços especializados para o manejo de condições mais graves, assim como a provável dimensão de demanda para cada um dos níveis estabelecidos.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Saúde Mental , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias , Sistemas de Apoio Psicossocial , Sistemas de Saúde , Fatores de Risco , Fatores Socioeconômicos , Impacto Psicossocial
8.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-09. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-143).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-53001

RESUMO

Com a expectativa de que a pandemia da COVID-19 possa continuar nos próximos meses, a OMS, em colaboração com seus escritórios e parceiros regionais, desenvolveu estas orientações para apoiar os países, à medida que analisem seus esforços contínuos de resposta, por meio de processos de aprendizado e aprimoramento contínuos. Para os fins desta orientação, uma revisão intra-ação (IAR) é definida como uma discussão facilitada e liderada por um país que permite que as partes interessadas nacionais e subnacionaisda resposta à COVID-19 (i) reflitam sobre as ações adotadas para se preparar e responder ao surto de COVID-19 no país, de modo a identificar as melhores práticas atuais, lacunas e lições aprendidas, e (ii) proponham ações corretivas para melhorar e reforçar a resposta contínua à COVID-19. Além disso, os achados e recomendações da IAR podem contribuir para a melhoria no manejo de emergências simultâneas e na segurança de saúde em longo prazo. Uma IAR proporciona uma oportunidade de analisar a capacidade funcional dos sistemas de saúde pública e de resposta emergencial nos níveis nacional e subnacional, bem como de identificar áreas práticas que precisam de remediação imediata ou que podem ser alvo de melhoria sustentada da resposta ao surto.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Pandemias , Epidemias , Gestão de Riscos , Surtos de Doenças
9.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-140).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52985

RESUMO

A vigilância sentinela para COVID-19 ajuda no cumprimento de alguns dos objetivos da vigilância geral para COVID-19, delineados no documento Surveillance strategies for COVID-19 human infection document, [Estratégias de vigilância para infecção humana pela COVID-19], e complementa a vigilância e as investigações de surtos. A vigilância sentinela é uma forma eficiente de coletar dados de alta qualidade e oportunos, de forma sistemática e rotineira, de representantes da população que estejam sob vigilância, para que as informações coletadas possam ser aplicadas à população ou entre subpopulações com maior risco de desenvolver quadro grave da doença. A vigilância sentinela para COVID-19 usando o GISRS complementa as atividades de vigilância da COVID-19 no contexto da resposta à pandemia, e configura um método eficiente e custo-efetivo, na medida em que utiliza os sistemas nacionais e subnacionais já existentes de vigilância da influenza.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Vigilância , Vigilância de Evento Sentinela , Pandemias , Gestão de Recursos da Equipe de Assistência à Saúde , Surtos de Doenças
10.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-141).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52984

RESUMO

O Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE) é o principal grupo consultivo da OMS para vacinas e imunização. Os Grupos de Trabalho do SAGE são estabelecidos como recursos destinados a aumentar a efetividade das deliberações do SAGE. Os Grupos de Trabalho do SAGE ponderam as recomendações para normas sobre vacinas com base na qualidade das evidências, conforme descrito em sua estrutura de Evidências para Recomendação. Em junho de 2020, o SAGE estabeleceu um Grupo de Trabalho para vacinas contra a COVID-19. O Grupo de Trabalho fornecerá informações baseadas em evidências e opções de recomendações para discussão por todo o SAGE em um fórum aberto. Esse Grupo de Trabalho será solicitado a ajudar o SAGE a aconselhar a OMS e seus Estados Membros sobre o uso acelerado de vacinas (pré-licenciamento e pós-licenciamento) para mitigar o impacto da COVID-19 na saúde pública, para possivelmente reduzir a pandemia em curso, bem como para prevenir ou reduzir o risco de propagação de doenças no futuro. A oportunidade de comunicar as necessidades de dados para a tomada de decisões sobre normas garantirá uma abordagem coordenada com a comunidade de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de vacinas, a fim de acelerar os prazos e maximizar os esforços globais na tomada de decisões sobre normas baseadas em evidências para o melhor uso de vacinas contra COVID-19.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Imunização , Emergências , Epidemias , Pandemias , Vacinas
11.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-138).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52983

RESUMO

Como parte de seu escopo no cenário de grupos de modelagem e iniciativas relacionadas a vacinas contra a COVID-19, convidamos modeladores e economistas a fornecer informações sobre o trabalho na vacinação contra a COVID-19 que abordem perguntas de modelagem priorizadas de modo a contribuir para orientar as deliberações sobre as recomendações para normas do SAGE OMS para imunizações. Os grupos são encorajados a compartilhar o estágio inicial e os resultados provisórios de qualquer uma das perguntas como parte do processo contínuo de análise de evidências, identificação de lacunas e refinamento de perguntas e contextos prioritários.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Vacinas , Doenças Transmissíveis , Imunização
12.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-137).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52982

RESUMO

O oxigênio é um medicamento essencial para a COVID-19 e, portanto, é muito importante avaliar a disponibilidade de diferentes fontes de oxigênio, bem como dos sistemas de fornecimento e administração ao paciente, para que estes possam ser priorizados, realocados e comparados aos números calculados para a definição de necessidades. Em 4 de abril de 2020, os problemas na cadeia global de abastecimento ainda eram muito relevantes, em decorrência da pandemia de COVID-19. Recomenda-se enfaticamente que os Ministérios da Saúde maximizem o aproveitamento dos insumos e recursos existentes, para permitir uma resposta imediata. Esta é a primeira edição das orientações sobre como conduzir uma avaliação rápida de inventário para determinar a prontidão de instituições de saúde, bem como a capacidade de realocação de equipamentos biomédicos para atendimento a casos de COVID-19. Esta ferramenta inclui um questionário (impresso ou digital), além de uma série de cartazes de produtos/dispositivos. Esta ferramenta deve ser usada com base no pacote de materiais sobre doenças (em inglês, disease commodities package, ou DCP) da OMS para a COVID-19, a Lista de Prioridades da OMS referente a dispositivos médicos para COVID-19, e as Especificações Técnicas para sistemas de fornecimento de oxigênio, dispositivos de reanimação e concentradores de oxigênio. Esta ferramenta destina-se aos administradores de instituições de saúde, decisores clínicos, gerentes de compras, gerentes de planejamento, engenheiros biomédicos ou engenheiros de infraestrutura para identificar equipamentos biomédicos prontamente disponíveis para uso imediato e/ou realocação. É importante ressaltar que a OMS atualizará estas recomendações à medida que novas evidências e informações forem disponibilizadas.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Emergências , Epidemias , Pandemias , Gestão de Recursos da Equipe de Assistência à Saúde , Oxigênio , Equipamentos e Provisões Hospitalares
13.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-142).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52981

RESUMO

Este documento acompanha a orientação provisória “Fortalecimento da Preparação para a COVID-19 em Cidades e Entornos urbanos”, que complementa o Plano Estratégico de Preparação e Resposta à COVID-19 (SPRP na sigla em inglês) e a atualização de estratégia. Ele detalha e expande as ações recomendadas conforme o listado na orientação provisória e fornece uma ferramenta, a lista de verificação, para as autoridades locais, líderes e formuladores de políticas nas cidades visando melhorar a preparação para a pandemia da COVID-19 e ações posteriores. Não se trata de documento prescritivo e nem exaustivo e deve ser adaptado aos marcos regulatórios nacionais, às competências dos atores subnacionais/estaduais e aos contextos sociais, culturais e econômicos locais. A lista de verificação não pretende substituir outras orientações e planejamentos, mas complementá-los, ajudando as autoridades locais a garantir que as áreas principais tenham sido cobertas.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Emergências , Lista de Checagem , Fatores de Risco , Infecções por Coronavirus , Saúde Pública , Pandemias , Políticas Públicas de Saúde
14.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-05. (OPAS-W/BRA/PHE/COVID-19/20-139).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52980

RESUMO

Um aglomerado de casos de pneumonia em Wuhan, China, foi notificado pela primeira vez ao escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) na China em 31 de dezembro de 2019. Logo depois, um novo coronavírus foi identificado como o agente causador. Esse vírus foi denominado coronavírus-2 da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) e a doença associada foi chamada de doença do coronavírus 2019 (COVID-2019). Desde dezembro de 2019, a COVID-2019 se espalhou rapidamente de Wuhan para outras partes da China e pelo mundo inteiro. Em 30 de janeiro de 2020, a OMS declarou o surto uma emergência de saúde pública de importância internacional e em 11 de março de 2020, a OMS caracterizou o surto como uma pandemia. Uma variedade de achados de exames de imagem de tórax foi descrita em pacientes com COVID-19. O uso de imagens pode ser útil para o diagnóstico de pacientes com suspeita de COVID-19 e em pacientes com diagnóstico de COVID-19, para orientar o manejo. O objetivo desta revisão rápida é resumir as evidências encontradas em exames de imagem por tomografia computadorizada de tórax (TC), radiografia torácica (RXT) e ultrassonografia pulmonar (USP) para o diagnóstico de COVID-19, para o manejo da COVID-19 (efeitos inclusivos sobre os desfechos de saúde e previsão de desfechos) e para o diagnóstico de tromboembolismo pulmonar em pacientes com COVID-19.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Pandemias , Emergências , Técnicas de Imagem Cardíaca
15.
Brasília; OPAS; 2020-11-04. (OPAS/BRA/NMH/20-136).
Não convencional em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52975

RESUMO

[Prefácio]. É com satisfação que apresentamos o “Marco de Referência sobre a Dimensão Comercial dos Determinantes Sociais da Saúde na agenda de enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis”. Um documento idealizado em função da necessidade de refletir sobre a dimensão comercial como parte dos determinantes sociais e ampliar a compreensão sobre o impacto na saúde das pessoas e, em especial, no aumento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis, escopo desta publicação. O tema “Determinantes Comerciais da Saúde” foi abordado nos encaminhamentos da 9ª Conferência Mundial da Saúde, realizada em 2016, em Xangai. Na ocasião, incluir no debate a abordagem sobre os Determinantes Comerciais da Saúde foi considerado como um dos desafios à renovação da promoção da saúde no contexto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).


Assuntos
Doenças não Transmissíveis , Saúde Mental , Fatores de Risco , Determinantes Sociais da Saúde , Objetivos de Desenvolvimento do Milênio , Desenvolvimento Sustentável , Brasil
16.
Brasília, D.F.; OPAS; 2020-11-03. (OPAS/NMH/MH/COVID-19/20-0032).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr2-52972

RESUMO

A pandemia mundial de COVID-19 forçou a exploração de opções para proporcionar intervenções remotas de saúde mental e apoio psicossocial (SMAPS) (à distância, digitais ou online) devido à necessidade da saúde pública de manter o distanciamento físico. Ainda que os serviços de saúde mental precisem de profissionais especializados ou outros profissionais da saúde capacitados em saúde mental, os atores comunitários podem oferecer intervenções psicossociais, como primeiros cuidados psicológicos (PCP) e o apoio mútuo.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Saúde Mental , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Sistemas de Apoio Psicossocial
17.
Recurso na Internet em Português | LIS - Localizador de Informação em Saúde | ID: lis-47932

RESUMO

Mulheres grávidas têm maior risco de apresentar formas graves da COVID-19, de acordo com resultados e estudos publicados recentemente. OPAS pede aos países que garantam serviços de atenção pré-natal.


Assuntos
Gestantes , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Betacoronavirus , Notificação de Doenças , Organização Pan-Americana da Saúde , América/epidemiologia , Cuidado Pré-Natal
18.
Artigo em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-52957

RESUMO

Nesta Edição: Desenvolvimento, distribuição e fornecimento de vacinas | Lo que aprendi como assessor de imunização durante a pandemia de COVID-19… Marc Rondy, ponto focal para imunização da OPAS/OMS na Guatemala | Resumo da situação dos programas nacionais de imunização durante a pandemia de COVID-19 | Orientações para o planejamento da introdução da vacina contra a COVID-19


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Imunização , Programas de Imunização , Vacinação , Pandemias , América , Região do Caribe , Guatemala
19.
Washington, D.C.; OPAS; 2020-10-14. (OPAS/CDE/VT/20-0035).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-52840

RESUMO

A Organização Pan-Americana da Saúde, em parceria com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, iniciou um trabalho colaborativo em 2016 com delegados do Brasil, México e Paraguai com vistas a transferir capacidades para realizar a vigilância sorológica integrada da imunidade populacional e transmissão de várias doenças infecciosas usando a tecnologia de ensaio de micro-esferas multiplex (MBA, do inglês multiplex bead assay). Este ensaio permite a análise do perfil de anticorpos para até 96 antígenos de vários agentes patogênicos na mesma amostra de sangue seco. A vigilância sorológica, ou sorovigilância, é uma ferramenta cada vez mais utilizada por sua capacidade de gerar informações que auxiliem na caracterização da transmissão de doenças, no monitoramento do impacto de intervenções como a vacinação e, por exemplo, para identificar populações suscetíveis. A iniciativa tem sido um processo de aprendizagem por meio do trabalho interprogramático para desenvolver a vigilância sorológica integrada de múltiplos agravos que costumam ser tratados de maneira programaticamente separada, mas que na realidade se sobrepõem nos mesmos grupos populacionais e áreas geográficas. Este documento apresenta os resultados do terceiro encontro regional, realizado na cidade de Cuernavaca (México) nos dias 3 e 4 de março de 2020, com delegados dos países participantes da iniciativa, parceiros e aliados interessados. Esta publicação destaca as lições aprendidas na primeira fase de transferência de capacidades, oportunidades e próximos passos para expandir a vigilância sorológica integrada na Região das Américas como uma ferramenta para fortalecer a vigilância de doenças transmissíveis.


Assuntos
Epidemiologia , Betacoronavirus , Serviços de Vigilância Epidemiológica , Vigilância , Doenças Transmissíveis , Doenças Negligenciadas
20.
Washington, D.C.; OPAS; 2020-10-01. (OPAS/NMH/RF/20-0034).
em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-52792

RESUMO

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) convocou um workshop regional de dois dias sobre análise de impacto regulatório para a elaboração de políticas visando eliminar os ácidos graxos trans de produção industrial nas Américas, a fim de discutir as análises pré-regulatórias que respaldam e orientam o processo de elaboração de uma política de eliminação dos ácidos graxos trans de produção industrial (AGT-PI). Os objetivos específicos do workshop incluíram identificar a necessidade de realizar uma análise de pré-regulamentação para respaldar e orientar as políticas de eliminação de AGT-PI; discutir possíveis modelos de análise de pré-regulamentação relativos a políticas de eliminação de AGT-PI ou políticas semelhantes de regulamentação alimentar; e definir elementos essenciais e lacunas de informação referentes à preparação de análises pré-regulamentação. Funcionários encarregados da regulamentação de alimentos, realização da análise de impacto regulatório e formulação de políticas nutricionais dos governos da Argentina, Brasil, Costa Rica, Guiana, Jamaica, México e Paraguai participaram do workshop. Além disso, funcionários da Fundação Anaas, da Organização Regional de Normas e Qualidade da CARICOM (CROSQ), da Global Health Advocacy Incubator (GHAI), da NCD Alliance, da Resolve to Save Lives (RTSL, uma iniciativa da Vital Strategies) e da Salud Justa-México também participaram da reunião.


Assuntos
Ácidos Graxos , Alimentos Industrializados , Programas e Políticas de Nutrição e Alimentação
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA