Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Arq Bras Cardiol ; 113(4): 787-891, 2019 Nov 04.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-31691761
2.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(2): 126-132, abr.-jun. 2019. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1009412

RESUMO

A doença aterosclerótica tem evolução lenta, o que dá a oportunidade de intervir no estilo de vida e até farmacologicamente na tentativa de aumentar a expectativa de vida livre de eventos. Para esse fim, habitualmente utilizam-se modelos de estratificação de risco baseada em modelos clássicos, como os critérios de Framingham, mas há um número representativo de eventos que acontecem em casos considerados de baixo risco. As principais dúvidas surgem nos casos considerados de risco intermediário, e, nessa situação, os exames de imagem podem auxiliar a identificar e tratar adequadamente casos de maior gravidade. Habitualmente, as avaliações são feitas por ultrassom das artérias carótidas (ACa) e pela medida do escore de cálcio por tomografia, cada um com suas particularidades e limitações técnicas. O desempenho dos métodos depende, em grande parte, do equipamento disponível e da expertise da equipe médica envolvida. Contudo, há claras vantagens da pesquisa de placas nas ACa e da quantificação da calcificação nas artérias carótidas (CAC) sobre a avaliação da espessura médio intimal (IMT - do inglês intima-media thickness), enquanto a pesquisa do grau de calcificação coronariana é recomendada em recentes diretrizes internacionais. Ao mesmo tempo, persistem algumas dúvidas se os exames têm desempenho distinto na estratificação de risco de infarto e acidente vascular cerebral


Atherosclerotic disease is a slowly progressive condition, thereby providing the opportunity to intervene in the patient's lifestyle, and even pharmacologically, in an attempt to increase event-free life expectancy. To this end, risk stratification models based on classic criteria such as the Framingham criteria are generally used to stratify the individual patient risk, but there is a considerable number of events that occur in cases considered low risk. The main uncertainty arises in cases considered intermediate risk, and in these situations, imaging tests can help identify and appropriately treat cases of greater severity. The assessments are generally performed using carotid artery ultrasound and the measurement of calcium score by computed tomography, with each method having its own particularities and technical limitations. The performance of the methods largely depends on the available equipment and the expertise of the medical staff involved. However, there are clear advantages of plaque research in carotid arteries (ACA) and of the quantification of calcification in the carotid arteries (CAC) over the evaluation of intima - medial thickness (IMT), while investigation of the degree of coronary calcification is recommended in recent international guidelines. Meanwhile, questions remain as to whether the techniques perform differently in the risk stratification of infarction and stroke


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Biomarcadores , Fatores de Risco , Aterosclerose/diagnóstico por imagem , Placa Aterosclerótica/diagnóstico por imagem , Qualidade de Vida , Diagnóstico por Imagem/métodos , Artérias Carótidas/diagnóstico por imagem , Tomografia Computadorizada por Raios X/métodos , Calcificação Vascular/diagnóstico por imagem , Espessura Intima-Media Carotídea , Infarto do Miocárdio
3.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-909204

RESUMO

A doença cardiovascular do paciente com diabetes possui múltiplos mecanismos. As manifestações clínicas são variadas, sendo particularmente prevalentes a doença macro e microvascular, a insuficiência cardíaca e a insuficiência renal crônica. Os mecanismos manifestam-se de maneira gradual e diversificada, dependendo do grau de controle glicêmico e de outros fatores de risco associados. A disfunção autonômica, alterações metabólicas glicêmicas e lipídicas, ativação do sistema renina angiotensina aldosterona, disfunção endotelial, comprometimento energético, hipertensão arterial, obesidade e aumento da atividade inflamatória e pró-trombótica têm sido descritos e parecem relacionados ao fenótipo clínico da doença. Uma vez que complicações como doença coronariana, insuficiência cardíaca e renal sejam diagnosticadas, o prognóstico da doença torna-se mais crítico, apesar do notável avanço terapêutico.


The cardiovascular disease in diabetics has multiple mechanisms. The clinical manifestations are diverse, with macro and microvascular disease, heart failure and chronic kidney failure being particularly prevalent. The mechanisms appear gradually and are diverse in form, depending on the degree of glycemic control and other associated risk factors. Autonomic dysfunction, glucose and lipid metabolic abnormalities, renin angiotensin system activation, endothelial dysfunction, energetic impairment, arterial hypertension, obesity and increased inflammatory and prothrombotic activity have been described and appear to be related to the clinical phenotype of the disease. When complications such as coronary heart disease, heart failure or kidney failure are diagnosed, the prognosis of the disease becomes more critical, in spite of notable therapeutic advances.


Assuntos
Humanos , Doenças Cardiovasculares/fisiopatologia , Diabetes Mellitus/diagnóstico , Angiopatias Diabéticas/complicações , Insuficiência Cardíaca/complicações , Hipertensão/prevenção & controle , Dislipidemias/sangue
4.
Arq. bras. cardiol ; 109(6,supl.1): 1-31, dez. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-887990

RESUMO

Resumo Fundamentação: desde o primeiro posicionamento da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) sobre diabetes e prevenção cardiovascular, em 2014,1 importantes estudos têm sido publicados na área de prevenção cardiovascular e tratamento do diabetes,2 os quais contribuíram para a evolução na prevenção primária e secundária nos pacientes com diabetes. Ferramentas de estratificação de risco mais precisas, novos fármacos hipolipemiantes e novos antidiabéticos com efeitos cardiovasculares e redução da mortalidade, são parte desta nova abordagem para os pacientes com diabetes. O reconhecimento de que o diabetes é uma doença heterogênea foi fundamental, sendo claramente demonstrado que nem todos os pacientes diabéticos pertencem a categorias de risco alto ou muito alto. Um porcentual elevado é composto por pacientes jovens, sem os fatores de risco clássicos, os quais podem ser classificados adequadamente em categorias de risco intermediário ou mesmo em baixo risco cardiovascular. O presente posicionamento revisa as melhores evidências atualmente disponíveis e propõe uma abordagem prática, baseada em risco, para o tratamento de pacientes com diabetes. Estruturação: perante este desafio e reconhecendo a natureza multifacetada da doença, a SBD uniu-se à Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e à Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabolismo (SBEM), e formou um painel de especialistas, constituído por 28 cardiologistas e endocrinologistas, para revisar as melhores evidências disponíveis e elaborar uma diretriz contendo recomendações práticas para a estratificação de risco e prevenção da Doença Cardiovascular (DVC) no Diabetes Melito (DM). As principais inovações incluem: (1) considerações do impacto de novos hipolipemiantes e das novas medicações antidiabéticas no risco cardiovascular; (2) uma abordagem prática, baseada em fator de risco, para orientar o uso das estatinas, incluindo novas definições das metas da Lipoproteína de Baixa Densidade-colesterol (LDL-colesterol) e colesterol não Lipoproteína de Alta Densidade HDL; (3) uma abordagem baseada em evidências, para avaliar a isquemia miocárdica silenciosa (IMS) e a aterosclerose subclínica em pacientes com diabetes; (4) as abordagens mais atuais para o tratamento da hipertensão; e (5) recomendação de atualizações para o uso de terapia antiplaquetária. Esperamos que esta diretriz auxilie os médicos no cuidado dedicado aos pacientes com diabetes. Métodos: inicialmente, os membros do painel foram divididos em sete subcomitês para definirem os tópicos principais que necessitavam de uma posição atualizada das sociedades. Os membros do painel pesquisaram e buscaram no PubMed estudos clínicos randomizados e metanálises de estudos clínicos e estudos observacionais de boa qualidade, publicados entre 1997 e 2017, usando termos MeSH: [diabetes], [diabetes tipo 2], [doença cardiovascular], [estratificação de risco cardiovascular] [doença arterial coronária], [rastreamento], [isquemia silenciosa], [estatinas], [hipertensão], [ácido acetilsalicílico]. Estudos observacionais de baixa qualidade, metanálises com alta heterogeneidade e estudos transversais não foram incluídos, embora talvez tenham impactado no Nível de Evidência indicado. A opinião de especialistas foi usada quando os resultados das buscas não eram satisfatórios para um item específico. É importante salientar que este posicionamento não teve a intenção de incluir uma revisão sistemática rigorosa. Um manuscrito preliminar, destacando recomendações de graus e níveis de evidência (Quadro 1), foi esboçado. Este passo levou a várias discussões entre os membros dos subcomitês, que revisaram os achados e fizeram novas sugestões. O manuscrito foi, então, revisto pelo autor líder, encarregado da padronização do texto e da inclusão de pequenas alterações, sendo submetido à apreciação mais detalhada pelos membros dos comitês, buscando uma posição de consenso. Depois desta fase, o manuscrito foi enviado para a banca editorial e edição final, sendo encaminhado para publicação. Quadro 1 Graus de recomendações e níveis de evidências adotados nesta revisão Grau de recomendação Classe I A evidência é conclusiva ou, se não, existe consenso de que o procedimento ou tratamento é seguro e eficaz Classe II Há evidências contraditórias ou opiniões divergentes sobre segurança, eficácia, ou utilidade do tratamento ou procedimento Classe IIa As opiniões são favoráveis ao tratamento ou procedimento. A maioria dos especialistas aprova Classe IIb A eficácia é bem menos estabelecida, e as opiniões são divergentes Classe III Há evidências ou consenso de que o tratamento ou procedimento não é útil, eficaz, ou pode ser prejudicial Níveis de Evidência A Múltiplos estudos clínicos randomizados concordantes e bem elaborados ou metanálises robustas de estudos clínicos randomizados B Dados de metanálises menos robustas, um único estudo clínico randomizado ou estudos observacionais C Opinião dos especialistas

5.
Arq Bras Cardiol ; 108(3): 212-216, 2017 Mar.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-28443964

RESUMO

BACKGROUND: The effects of chronic exposure to exercise training on vascular biomarkers have been poorly explored. OBJECTIVE: Our study aimed to compare the amounts of endothelial progenitor cells (EPCs), and endothelial (EMP) and platelet (PMP) microparticles between professional runners and healthy controls. METHODS: Twenty-five half-marathon runners and 24 age- and gender-matched healthy controls were included in the study. EPCs (CD34+/KDR+, CD133+/KDR+, and CD34+/CD133+), EMP (CD51+) and PMP (CD42+/CD31+) were quantified by flow-cytometry. All blood samples were obtained after 12 h of fasting and the athletes were encouraged to perform their routine exercises on the day before. RESULTS: As compared with controls, the CD34+/KDR+ EPCs (p=0.038) and CD133+/KDR+ EPCs (p=0.018) were increased, whereas CD34+/CD133+ EPCs were not different (p=0.51) in athletes. In addition, there was no difference in MPs levels between the groups. CONCLUSION: Chronic exposure to exercise in professional runners was associated with higher percentage of EPCs. Taking into account the similar number of MPs in athletes and controls, the study suggests a favorable effect of exercise on these vascular biomarkers.


Assuntos
Atletas , Plaquetas/fisiologia , Micropartículas Derivadas de Células/fisiologia , Células Progenitoras Endoteliais/fisiologia , Corrida/fisiologia , Antígeno AC133/sangue , Antígenos CD34/sangue , Biomarcadores/sangue , Teste de Esforço , Feminino , Citometria de Fluxo , Humanos , Masculino , Valores de Referência , Espirometria , Estatísticas não Paramétricas , Fatores de Tempo , Receptor 2 de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular/sangue
6.
Arq. bras. cardiol ; 108(3): 212-216, Mar. 2017. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-838711

RESUMO

Abstract Background: The effects of chronic exposure to exercise training on vascular biomarkers have been poorly explored. Objective: Our study aimed to compare the amounts of endothelial progenitor cells (EPCs), and endothelial (EMP) and platelet (PMP) microparticles between professional runners and healthy controls. Methods: Twenty-five half-marathon runners and 24 age- and gender-matched healthy controls were included in the study. EPCs (CD34+/KDR+, CD133+/KDR+, and CD34+/CD133+), EMP (CD51+) and PMP (CD42+/CD31+) were quantified by flow-cytometry. All blood samples were obtained after 12 h of fasting and the athletes were encouraged to perform their routine exercises on the day before. Results: As compared with controls, the CD34+/KDR+ EPCs (p=0.038) and CD133+/KDR+ EPCs (p=0.018) were increased, whereas CD34+/CD133+ EPCs were not different (p=0.51) in athletes. In addition, there was no difference in MPs levels between the groups. Conclusion: Chronic exposure to exercise in professional runners was associated with higher percentage of EPCs. Taking into account the similar number of MPs in athletes and controls, the study suggests a favorable effect of exercise on these vascular biomarkers.


Resumo Fundamento: Os efeitos da exposição crônica ao exercício sobre biomarcadores vasculares foram pouco estudados. Objetivo: Nosso estudo teve como objetivo comparar as quantidades de células progenitoras endoteliais (CPEs), e de micropartículas endoteliais (MPEs) e plequetárias (MPPs) de corredores profissionais com controles sadios. Métodos: Vinte e cinco corredores de meia maratona e 24 controles pareados quanto à idade e ao sexo foram incluídos no estudo. CPEs (CD34+/KDR+, CD133+/KDR+ e CD34+/CD133+), MPE (CD51+) e MPPs (CD42+/CD31+) foram quantificadas por citometria de fluxo. Todas as amostras de sangue foram obtidas após 12 horas de jejum, e os atletas foram incentivados a realizar seus exercícios de rotina no dia anterior à coleta. Resultados: Em comparação aos controles, CPEs CD34+/KDR+ (p=0,038) e CD133+/KDR+ (p=0,018) estavam aumentados, e CPEs CD34+/CD133+ não foram diferentes (p=0,51) nos atletas. As concentrações de MP não diferiram entre os grupos. Conclusão: A exposição crônica ao exercício em corredores profissionais associou-se a uma maior porcentagem de CPEs. Considerando o número similar de MPs entre atletas e controles, o estudo sugere um efeito favorável do exercício sobre esses biomarcadores vasculares.

7.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 26(4): 222-9, out.-dez.2016.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-831548

RESUMO

surgindo em um cenário não habitual, relacionado com a forma de transmissão. Atualmente, a transmissão por via oral envolvendo alimentos contaminados é a principal via de infecção humana, com surtos em toda a América Latina. Entre os sintomas da fase aguda, destacam-se febre prolongada, quase sempre acompanhada de mal-estar, adinamia, cefaleia e perda do apetite, acompanhados de manifestações sistêmicas, tais como adenomegalias e hepatoesplenomegalias. As manifestações cardíacas variam desde quadros assintomáticos até graus variáveis de insuficiência cardíaca aguda ou choque cardiogênico e morte. O tratamento da fase aguda com antiparasitários deve sempre ser instituído, pois existem algumas evidencias de melhor evolução clínica em relatos de casos


Acute Chagas disease shows changes in the epidemiological situation, reappearing in an unusual scenario related to the mode of transmission. Currently, the oral transmission involving contaminated food is the main route of human infection with outbreaks throughout Latin America. Among the symptoms of the acute phase stand out prolonged fever, often accompanied by malaise, asthenia, headache and loss of appetite, accompanied by systemic manifestations such as lymphadenopathy and hepatosplenomegaly. Cardiac manifestations range from asymptomatic clinical statuses to varying degrees of acute heart failure or cardiogenic shock and death. Treatment of acute phase with antiparasitic agents should always be provided, as there is some evidence of better clinical outcome in case reports


Assuntos
Humanos , Animais , Masculino , Doença de Chagas/diagnóstico , Doença de Chagas/epidemiologia , Doença de Chagas/etiologia , Doença de Chagas/história , Doença de Chagas/terapia , Doença de Chagas/transmissão , Ecocardiografia , Eletrocardiografia , Parasitologia de Alimentos/história , América Latina/epidemiologia , Nifurtimox/farmacologia , Trypanosoma cruzi/parasitologia
8.
PLoS One ; 11(11): e0166009, 2016.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-27835659

RESUMO

To evaluate the effects of long-term exposure to high-intensity training among professional runners on cardiac hypertrophy and subclinical atherosclerosis. Prospective study included runners of both sexes (n = 52) and age and gender matched controls (n = 57), without classical cardiovascular risk factors. Ventricular hypertrophy was quantified by echocardiography by linear method and carotid intima-media thickness (cIMT) by 2-D images obtained by ultrasonography. Endothelial function was evaluated by flow-mediated dilation (FMD). Steroid hormones were quantified by HPLC followed by LC-MS/MS. Higher left ventricular (LV) mass index was found in male athletes (p<0.0001 vs. other groups). When adjusted for gender, the degree of left ventricular mass index classified as mildly, moderately or severely abnormal was obtained in 26%, 35%, and 30%, respectively, of female athletes, and in 39%, 14%, and 21%, respectively, of male athletes. Higher ratio of the early (E) to late (A) ventricular filling velocities was found in athletes of both genders. Male athletes presented lower cIMT in the right (p = 0.012 vs. male controls) and left (p<0.0001 vs. male controls) common carotid arteries, without differences in cIMT between female athletes and controls. FMD results were similar among groups. Higher serum testosterone levels were found in male athletes (p<0.0001 vs. other groups) and they were correlated with LV mass (r = 0.50, p<0.0001). The chronic exposure of high-intensity training among professional runners of both genders was associated with increased ventricular mass and adaptive remodeling. Less subclinical atherosclerosis was found in male athletes. Differences in steroid hormones may account in part for these findings.


Assuntos
Aterosclerose/diagnóstico por imagem , Cardiomegalia/diagnóstico por imagem , Ventrículos do Coração/diagnóstico por imagem , Corrida/fisiologia , Adulto , Aterosclerose/sangue , Aterosclerose/fisiopatologia , Atletas , Cardiomegalia/sangue , Cardiomegalia/fisiopatologia , Espessura Intima-Media Carotídea , Estudos de Casos e Controles , Corticosterona/sangue , Cortodoxona/sangue , Ecocardiografia , Feminino , Ventrículos do Coração/fisiopatologia , Humanos , Masculino , Resistência Física , Estudos Prospectivos , Testosterona/sangue , Ultrassonografia , Função Ventricular Esquerda
10.
J Bras Nefrol ; 36(2): 171-5, 2014 Apr-Jun.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-25055357

RESUMO

INTRODUCTION: Left ventricular hypertrophy (LVH) is an independent predictor of cardiovascular risk in patients with chronic renal disease (CRD) on hemodialysis (HD). OBJECTIVE: To show the usefulness of chest radiography in the diagnosis of LVH in CRD patients on HD. METHODS: Cross-sectional study including 100 patients (58 men and 42 women), mean age 46.2 ± 14.0 years, with CRD of all causes, for at least six months on HD. Were obtained echocardiogram and chest x-rays of patients, always up to one hour after the end of HD sessions. RESULTS: LVH was detected in 83 patients (83%), of whom 56 (67.4%) had the concentric pattern and 27 (32.6%) with eccentric pattern of LVH. Cardiomegaly - defined by cardiothoracic index (CTI) > 0.5 - was present in 61 patients (61%). The following were the sensitivity, specificity and accuracy, respectively, for the variable ICT: 66.2%, 70.5% and 68.0%. The Pearson correlation between ICT and index of left ventricular mass (LVMI) was 0.552 (p < 0.05) and positive likelihood ratio of 2.2. CONCLUSION: Chest radiography is a safe and useful as a diagnostic tool of LVH in CKD patients on HD.


Assuntos
Hipertrofia Ventricular Esquerda/etiologia , Insuficiência Renal Crônica/complicações , Adolescente , Adulto , Idoso , Estudos Transversais , Feminino , Humanos , Hipertrofia Ventricular Esquerda/diagnóstico por imagem , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Radiografia Torácica , Diálise Renal , Insuficiência Renal Crônica/terapia , Ultrassonografia , Adulto Jovem
11.
J. bras. nefrol ; 36(2): 171-175, Apr-Jun/2014. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-714658

RESUMO

Introdução: A hipertrofia ventricular esquerda (HVE) é um fator preditor independente de risco cardiovascular em pacientes com doença renal crônica (DRC) em hemodiálise (HD). Objetivo: Mostrar a utilidade da radiografia de tórax no diagnóstico de HVE em pacientes com DRC em HD. Métodos: Estudo transversal que incluiu 100 pacientes (58 homens e 42 mulheres), idade média de 46,2 ± 14,0 anos, com DRC de todas as etiologias, há pelo menos seis meses em HD. Foram obtidos ecocardiograma e radiografia de tórax dos pacientes, sempre até uma hora após o término das sessões de HD. Resultados: A HVE foi detectada em 83 pacientes (83%), dos quais 56 (67,4%) apresentavam o padrão concêntrico e 27 (32,6%) a padrão excêntrico de HVE. Cardiomegalia - definida por índice cardiotorácico (ICT) > 0,5 - esteve presente em 61 pacientes (61%). Foram os seguintes os valores de sensibilidade, especificidade e acurácia, respectivamente, para a variável ICT: 66,2%, 70,5% e 68,0%. A correlação de Pearson entre ICT e índice de massa do ventrículo esquerdo (IMVE) foi de 0,552 (p < 0,05) e razão de verossimilhança positivo de 2,2. Conclusão: A radiografia de tórax é um exame seguro e útil como ferramenta diagnóstica de HVE em pacientes com DRC em HD. .


Introduction: Left ventricular hypertrophy (LVH) is an independent predictor of cardiovascular risk in patients with chronic renal disease (CRD) on hemodialysis (HD). Objective: To show the usefulness of chest radiography in the diagnosis of LVH in CRD patients on HD. Methods: Cross-sectional study including 100 patients (58 men and 42 women), mean age 46.2 ± 14.0 years, with CRD of all causes, for at least six months on HD. Were obtained echocardiogram and chest x-rays of patients, always up to one hour after the end of HD sessions. Results: LVH was detected in 83 patients (83%), of whom 56 (67.4%) had the concentric pattern and 27 (32.6%) with eccentric pattern of LVH. Cardiomegaly - defined by cardiothoracic index (CTI) > 0.5 - was present in 61 patients (61%). The following were the sensitivity, specificity and accuracy, respectively, for the variable ICT: 66.2%, 70.5% and 68.0%. The Pearson correlation between ICT and index of left ventricular mass (LVMI) was 0.552 (p < 0.05) and positive likelihood ratio of 2.2. Conclusion: Chest radiography is a safe and useful as a diagnostic tool of LVH in CKD patients on HD. .


Assuntos
Adolescente , Adulto , Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Adulto Jovem , Hipertrofia Ventricular Esquerda/etiologia , Insuficiência Renal Crônica/complicações , Estudos Transversais , Hipertrofia Ventricular Esquerda , Hipertrofia Ventricular Esquerda , Radiografia Torácica , Diálise Renal , Insuficiência Renal Crônica/terapia
12.
Sao Paulo Med J ; 130(3): 173-8, 2012.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-22790550

RESUMO

CONTEXT AND OBJECTIVE: Most hypertensive subjects undergoing treatment were diagnosed solely through measurements made in the consultation office. The objective of this study was to redo the diagnosis of treated patients after new clinical measurements and ambulatory blood pressure monitoring (ABPM). DESIGN AND SETTING: Cross-sectional study conducted in an outpatient specialty clinic. METHODS: Patients with mild-to-moderate hypertension or undergoing anti-hypertensive treatment, without target organ damage or diabetes, were included. After drug withdrawal lasting 2-3 weeks, new blood pressure (BP) measurements were made during two separate visits. ABPM was performed blindly, in relation to clinical measurements. The BP thresholds used for diagnosing hypertension, white-coat hypertension, normotension and masked hypertension were: 140 (systolic) and 90 (diastolic) mmHg for office measurements and 135 (systolic) and 85 (diastolic) mmHg for mean awake ABPM (MAA). RESULTS: Evaluations were done on 101 subjects (70% women); mean age 51 ± 10 years. The clinical BP was 155 ± 18/97 ± 10 mmHg (first visit) and 150 ± 16/94 ± 11 mmHg (second visit); MAA was 137 ± 13/ 86 ± 10 mmHg. Sixty-four patients (63%) were confirmed as hypertensive, 28 (28%) as white-coat hypertensive, nine (9%) as normotensive and none as masked hypertensive. After ABPM, 37% of the presumed hypertensive patients did not fit into this category. CONCLUSION: This study showed that hypertension was overdiagnosed among hypertensive subjects undergoing treatment. New diagnostic procedures should be performed after drug withdrawal, with the aid of BP monitoring.


Assuntos
Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial/métodos , Hipertensão/diagnóstico , Adulto , Anti-Hipertensivos/uso terapêutico , Estudos Transversais , Erros de Diagnóstico , Feminino , Cefaleia/fisiopatologia , Humanos , Hipertensão/tratamento farmacológico , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Valores de Referência , Fatores de Tempo
13.
Säo Paulo med. j ; 130(3): 173-178, 2012. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-640906

RESUMO

CONTEXT AND OBJECTIVE: Most hypertensive subjects undergoing treatment were diagnosed solely through measurements made in the consultation office. The objective of this study was to redo the diagnosis of treated patients after new clinical measurements and ambulatory blood pressure monitoring (ABPM). DESIGN AND SETTING: Cross-sectional study conducted in an outpatient specialty clinic. METHODS: Patients with mild-to-moderate hypertension or undergoing anti-hypertensive treatment, without target organ damage or diabetes, were included. After drug withdrawal lasting 2-3 weeks, new blood pressure (BP) measurements were made during two separate visits. ABPM was performed blindly, in relation to clinical measurements. The BP thresholds used for diagnosing hypertension, white-coat hypertension, normotension and masked hypertension were: 140 (systolic) and 90 (diastolic) mmHg for office measurements and 135 (systolic) and 85 (diastolic) mmHg for mean awake ABPM (MAA). RESULTS: Evaluations were done on 101 subjects (70% women); mean age 51 ± 10 years. The clinical BP was 155 ± 18/97 ± 10 mmHg (first visit) and 150 ± 16/94 ± 11 mmHg (second visit); MAA was 137 ± 13/ 86 ± 10 mmHg. Sixty-four patients (63%) were confirmed as hypertensive, 28 (28%) as white-coat hypertensive, nine (9%) as normotensive and none as masked hypertensive. After ABPM, 37% of the presumed hypertensive patients did not fit into this category. CONCLUSION: This study showed that hypertension was overdiagnosed among hypertensive subjects undergoing treatment. New diagnostic procedures should be performed after drug withdrawal, with the aid of BP monitoring.


CONTEXTO E OBJETIVO: A maioria dos hipertensos em tratamento teve seu diagnóstico feito somente com medidas no consultório. O objetivo deste estudo é refazer o diagnóstico em pacientes tratados após novas medidas clínicas e monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA). TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo transversal realizado em clínica de especialidade. MÉTODOS: Foram incluídos pacientes com hipertensão leve a moderada ou em tratamento anti-hipertensivo, sem lesões de órgão-alvo ou diabetes. Após suspensão do tratamento por duas a três semanas, novas medidas da pressão arterial (PA) foram feitas em duas visitas distintas. A MAPA foi feita às cegas em relação às medidas clínicas. Os limites pressóricos utilizados para o diagnóstico da hipertensão, hipertensão do avental branco, normotensão e hipertensão mascarada foram: 140 (sistólica) e 90 (diastólica) mmHg para as medidas de consultório e 135 (sistólica) e 85 (diastólica) mmHg para as médias de vigília da MAPA (MVM). RESULTADOS: Foram avaliados 101 indivíduos (70% mulheres), idade 51 ± 10 anos. PA clínica: 155 ± 18/97 ± 10 mmHg (primeira visita) e 150 ± 16/94 ± 11 mmHg (segunda visita), MVM de 137 ± 13/86 ± 10 mmHg. Sessenta e quatro (63%) pacientes foram confirmados como hipertensos, 28 (28%) como portadores de hipertensão do "avental branco", 9 (9%) como normotensos e nenhum como tendo hipertensão mascarada. Após a MAPA, 37% de presumíveis hipertensos não se enquadravam como tal. CONCLUSÃO: Este estudo revela um excesso de diagnósticos de hipertensão em hipertensos tratados. Novos procedimentos diagnósticos devem ser realizados após suspensão da medicação, com auxílio das monitorizações da PA.


Assuntos
Adulto , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial/métodos , Hipertensão/diagnóstico , Anti-Hipertensivos/uso terapêutico , Estudos Transversais , Erros de Diagnóstico , Cefaleia/fisiopatologia , Hipertensão/tratamento farmacológico , Valores de Referência , Fatores de Tempo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA