Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 48
Filtrar
1.
RECIIS (Online) ; 13(4): 831-842, out.-dez. 2019. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1047577

RESUMO

The objective of this study was to compare intra-domiciliary contacts (IDCs) in the Health Information System (SIS) with records of people diagnosed with leprosy. This was a cross-sectional, retrospective, and quantitative study based on the physical information collected in medical records and the SIS records in 2015 and 2016, in a municipality in the countryside of the State of São Paulo. We used an instrument with variables related to IDCs such as gender, age, relationship, disease, BCG-ID vaccine, SIS records, and descriptive analysis. Out of the 81 IDCs from 40 diagnosed patients, 72 were evaluated, and 71 were included in the SIS. One IDC became ill after the end of treatment of the index case. The prevalent gender among IDCs was female, young adults, and children. A difference of 12.4% as observed between the physical and SIS records; a difference of 11.1% was observed when correlating 81 records with the frequency of the 72 evaluated IDCs. It is concluded that the IDC and SIS records are in disagreement.


O objetivo deste estudo foi comparar os contatos intradomiciliares (CIs) do Sistema de Informação em Saúde (SIS) com os registros de pessoas diagnosticadas com hanseníase. Estudo transversal, retrospectivo e quantitativo, baseado nas informações coletadas em registros físicos e do SIS em 2015 e 2016, em um município do interior do Estado de São Paulo. Foi utilizado um instrumento com variáveis relacionadas aos CIs: sexo, idade, relacionamento, doença, vacina BCG-ID, registros SIS e análise descritiva. Dos 81 CIs de 40 pacientes diagnosticados, 72 foram avaliados e 71 foram incluídos no SIS. 01 CIs adoeceu após o término do tratamento do caso índice. O sexo prevalente dos CIs é feminino, adulto jovem e filho. Entre os registros físicos e do SIS, houve uma diferença de 12,4%; e correlacionando os mesmos registros (81) com a frequência dos CIs avaliados (72), há uma diferença de 11,1%. Conclui-se que existe discordância entre os registos de CIs nos registos com o SIS.


El estudio tiene el objetivo de comparar las anotaciones de comunicantes intradomiciliares (CI) del Sistema de Información en Salud (SIS), con las de los prontuarios de las personas diagnosticadas con leprae. En el presente trabajo se analizaron los resultados obtenidos en el análisis de los resultados obtenidos en el análisis de los resultados obtenidos, evaluados en los registros del SIS. De los 81 CI de 40 pacientes diagnosticados, 72 fueron evaluados y 71 fueron incluidos en el SIS. Y en el caso de las mujeres, El grado de parentesco frecuente fue infantil, mujeres y adultos jóvenes. Entre las anotaciones del SIS y los prontuarios, hay diferencia del 12,4%; y correlacionando los mismos registros (81) con la frecuencia de los CI evaluados (72), hay una diferencia del 11,1%. Se concluye que hay discordancia entre los registros de CI en los prontuarios con el SIS.


Assuntos
Humanos , Epidemiologia , Comunicação em Saúde , Vigilância em Saúde Pública , Sistemas de Informação em Saúde , Hanseníase , Sistema Único de Saúde , Registros Médicos , Epidemiologia Descritiva , Estudos Transversais , Hanseníase/diagnóstico
2.
Rev Lat Am Enfermagem ; 24: e2731, 2016 08 08.
Artigo em Inglês, Português, Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-27508904

RESUMO

OBJECTIVE: to identify the difficulties in diagnosing and treating neuropathic pain caused by leprosy and to understand the main characteristics of this situation. METHODS: 85 patients were treated in outpatient units with reference to leprosy and the accompanying pain. We used a questionnaire known as the Douleur Neuropathic 4 test and we conducted detailed neurological exams. As a result, 42 patients were excluded from the study for not having proved their pain. RESULTS: Out of the 37 patients that experienced pain, 22 (59.5%) had neuropathic pain (or a mixture of this pain and their existing pain) and of these 90.8% considered this pain to be moderate or severe. 81.8% of the sample suffered with this pain for more than 6 months. Only 12 (54.5%) of the patients had been diagnosed with neuropathic pain and in almost half of these cases, this pain had not been diagnosed. With reference to medical treatment (n=12) for neuropathic pain, 5 (41.6%) responded that they became better. For the other 7 (58.4%) there were no changes in relation to the pain or in some cases the pain worsened in comparison to their previous state. Statistical analysis comparing improvements in relation to the pain amongst the patients that were treated (n=12) and those that were not, showed significant differences (value p=0.020). CONCLUSION: we noted difficulties in diagnosing neuropathic pain for leprosy in that almost half of the patients that were studied had not had their pain diagnosed. We attributed this to some factors such as the non-adoption of the appropriate protocols which led to inadequate diagnosis and treatment that overlooked the true picture.


Assuntos
Hanseníase/complicações , Neuralgia/diagnóstico , Neuralgia/terapia , Adulto , Idoso , Estudos Transversais , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Medição da Dor , Adulto Jovem
3.
Lepr Rev ; 87(1): 53-9, 2016 Mar.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-27255058

RESUMO

OBJECTIVE: To detect neuropathic pain in people who have had leprosy and correlate this association with the WHO Degree of Physical Disability classification (DPD-WHO). PATIENTS AND METHODS: Data were collected from medical records, interviews and physical examinations of patients treated in 2013 in a regional referral service that attends 102 municipals. Clinical and general data, the DPD-WHO classification and the Douleur Neuropathique 4 Questionnaire (DN4) were utilised to determine the profile and to diagnose neuropathic pain. RESULTS: Of 84 treated patients, 37 (44.1%) had leprosy-related pain at the time of the interview. The mean age was 53 years, 51.4% were women; 75.7% had multibacillary disease and 72.9% had some kind of reactional episode. Of the 37 patients with pain, 22 (59.5%) had neuropathic pain and 15 (40.5%) had nociceptive pain. The most frequently reported symptoms related to neuropathic pain, apart from numbness (64.9%), were tingling and touch hypoesthesia (56.8%). Of 22 patients with neuropathic pain, 20 had some physical disability; 14 (63.6%) had Grade I disability, six (27.2%) Grade II, and two (9.3%) Grade zero disability. An association was found between neuropathic pain and degree of disability (P-value < 0.05). CONCLUSION: Of the patients who reported pain related to leprosy, 59.5% had neuropathic pain. The DN4 seems to be suitable for determining the presence of neuropathic pain in leprosy. There is an association between the degree of disability and neuropathic pain, i.e. patients with neuropathic pain tend to have a physical disability too.


Assuntos
Hanseníase/complicações , Neuralgia/complicações , Feminino , Humanos , Hanseníase/patologia , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Neuralgia/patologia
4.
Rev. latinoam. enferm. (Online) ; 24: e2731, 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-961003

RESUMO

ABSTRACT Objective: to identify the difficulties in diagnosing and treating neuropathic pain caused by leprosy and to understand the main characteristics of this situation. Methods: 85 patients were treated in outpatient units with reference to leprosy and the accompanying pain. We used a questionnaire known as the Douleur Neuropathic 4 test and we conducted detailed neurological exams. As a result, 42 patients were excluded from the study for not having proved their pain. Results: Out of the 37 patients that experienced pain, 22 (59.5%) had neuropathic pain (or a mixture of this pain and their existing pain) and of these 90.8% considered this pain to be moderate or severe. 81.8% of the sample suffered with this pain for more than 6 months. Only 12 (54.5%) of the patients had been diagnosed with neuropathic pain and in almost half of these cases, this pain had not been diagnosed. With reference to medical treatment (n=12) for neuropathic pain, 5 (41.6%) responded that they became better. For the other 7 (58.4%) there were no changes in relation to the pain or in some cases the pain worsened in comparison to their previous state. Statistical analysis comparing improvements in relation to the pain amongst the patients that were treated (n=12) and those that were not, showed significant differences (value p=0.020). Conclusion: we noted difficulties in diagnosing neuropathic pain for leprosy in that almost half of the patients that were studied had not had their pain diagnosed. We attributed this to some factors such as the non-adoption of the appropriate protocols which led to inadequate diagnosis and treatment that overlooked the true picture.


RESUMO Objetivo: identificar as dificuldades em diagnosticar e tratar a dor neuropática causada pela hanseníase, bem como determinar as características principais dessa situação. Métodos: examinaram-se 85 pacientes tratados no ambulatório de referência para hanseníase e referiam dor. Aplicou-se questionário, o teste Douleur Neuropathic 4, e criterioso exame neurológico pelo qual excluíram-se 42 pacientes por não se comprovar dor. Resultados: dos 37 pacientes com dor, 22 (59,5%) tinham Douleur Neuropathic ou mista e, desses, 90,8% caracterizavam essa dor como de intensidade moderada ou severa, sendo que 81,8% sofriam por mais de 6 meses. Apenas 12 (54,5%) pacientes haviam sido diagnosticados com Douleur Neuropathic e quase metade dos casos (45,5%) estava sem reconhecimento. Quanto ao tratamento medicamentoso (n=12) para a Douleur Neuropathic, 5 (41,6%) responderam que tiveram melhora, nos outros 7 (58,4%) não houve alteração da dor ou pioraram quando se comparou ao quadro inicial. A análise estatística, comparando a melhora da dor entre os pacientes tratados (n=12) e aqueles não tratados (n=10), foi significante (valor-p=0,020). Conclusão: identificou-se dificuldade em diagnosticar a dor neuropática em hanseníase, haja vista que quase metade dos pacientes estudados estava sem reconhecimento desse quadro. Atribuíram-se, como fatores associados, a não adoção de protocolo apropriado para efetivo diagnóstico e tratamentos inadequados que podem mascarar o quadro.


RESUMEN Objetivo: identificar las dificultades de diagnosticar y tratar el dolor neuropático causado por la lepra, así como determinar las características principales de esa situación. Métodos: se examinaron 85 pacientes tratados en ambulatorio de referencia para lepra y que refirieron dolor. Se aplicó el cuestionario test Douleur Neuropathic 4, y se hizo un minucioso examen neurológico a través del cual se excluyeron 42 pacientes por no haberse comprobado dolor. Resultados: de los 37 pacientes con dolor, 22 (59,5%) tenían dolor neuropático o mixto y, de esos, 90,8% caracterizaban ese dolor como de intensidad moderada o severa, siendo que 81,8% sufrían de él hace más de 6 meses. Apenas 12 (54,5%) pacientes habían sido diagnosticados con dolor neuropático y casi mitad de los casos (45,5%) estaba sin reconocimiento. En cuanto al tratamiento medicamentoso (n=12) para el dolor neuropático, 5 (41,6%) respondieron que tuvieron mejoría; en los otros 7 (58,4%) no hubo alteración del dolor o empeoraron cuando se comparó con el cuadro inicial. El análisis estadístico, comparando la mejoría del dolor entre los pacientes tratados (n=12) y aquellos no tratados (n=10), fue significativa (valor-p=0,020). Conclusión: se identificó dificultad en diagnosticar el dolor neuropático en la lepra, considerando que casi la mitad de los pacientes estudiados estaban sin reconocimiento de ese cuadro. Se atribuyeron como factores asociados la no adopción de protocolo apropiado para un efectivo diagnóstico y tratamientos inadecuados que pudieron haber enmascarar el cuadro.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Adulto Jovem , Hanseníase/complicações , Neuralgia/diagnóstico , Neuralgia/terapia , Medição da Dor , Estudos Transversais
5.
Hansen. int ; 40(2): 1-1, 2015.
Artigo em Inglês, Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-34037
6.
Bepa - Boletim Epidemiológico Paulista ; 11(127): 3-16, julho 2014. tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CVEPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-36277

RESUMO

Doença Transmitida por Alimento (DTA), usualmente de natureza infecciosa ou tóxica, é causada por agentes que invadem o organismo pela ingestão de alimentos contaminados gerando sintomas que variam de gastrenterite leve a situações mais severas. Sendo as residências o principal local na cadeia de transmissão, há se de investir na informação constante dos consumidores sobre os riscos que alguns alimentos e práticas oferecem. Objetivou-se buscar artigos que apresentaram ações educativas direcionadas para a prevenção de DTA. Trata-se de revisão bibliográfica que utilizou artigos e documentos no período de 2000 a 2012, provindos da MEDLINE, LILACS, SciELO, REPIDISCA, PAHO, WHOLIS e Google Scholar. Os unitermos, associados ou não, foram: Doenças Transmitidas por Alimentos; Educação em Saúde; Prevenção de Doenças; Vigilância Sanitária; Campanhas Educativas; Promoção de Saúde; Contaminação de Alimentos. No período, 15 instituições governamentais e seis não governamentais desenvolveram 21 ações de educação em saúde focadas na prevenção de DTA: quatro tinham abrangência nacional, quatro estaduais e 13 municipais. Dentre as 21 ações, seis focaram em alunos de escolas da rede pública e particular, oito direcionaram suas ações para a população em geral e sete para grupos específicos, i.e, merendeiras, ribeirinhos, entre outros. Utilizaram-se como ferramentas de disseminação das informações recursos midiáticos como televisão e rádio, comunicação direta como palestras e materiais educativos disponíveis na internet ou materiais impressos. Conclui-se que, pela busca bibliográfica, as ações educativas de prevenção de DTA ocorreram em todo o país, a maioria na esfera municipal, e a população em geral foi o público-alvo mais frequente...(AU)


Assuntos
Humanos , Educação em Saúde , Doenças Transmitidas por Alimentos , Prevenção de Doenças
7.
Bepa - Boletim Epidemiológico Paulista ; 11(126): 1-14, junho 2014.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CVEPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-36356

RESUMO

O M. leprae é o agente da hanseníase. Por ser um bacilo não cultivável em meios definidos, seu diagnóstico é essencialmente clínico. Pesquisas têm sido realizadas para desenvolver novas ferramentas de diagnóstico e consequente detecção precoce da doença. O objetivo deste trabalho é investigar e apresentar o que há de atual nas pesquisas em relação ao diagnóstico laboratorial da hanseníase. Foi realizada revisão bibliográfica, que utilizou 57 artigos provindos da MEDLINE, PUBMED, LILACS, SciELO, PAHO e WHOLIS, com os unitermos: diagnóstico, hanseníase, Mycobacterium leprae, PGL-I, biópsia, diagnóstico molecular, PCR, sorologia e transmissão. Foi constatado que exames auxiliam no diagnóstico diferencial, mas não há um exame considerado padrão-ouro. Os testes clássicos como baciloscopia, biópsia e Mitsuda continuam sendo utilizados. O sorodiagnóstico, baseado na detecção de anticorpos IgM ao glicolipídio fenólico I (PGLI), foi explorado e vários testes desenvolvidos para diagnóstico. As técnicas moleculares que utilizam genes específicos do M. leprae como alvo são utilizadas para auxiliar em casos difíceis e são consideradas técnicas promissoras pela alta sensibilidade e especificidade, mas a maioria, ainda restritas à pesquisa, devido ao alto custo que inviabiliza sua utilização na rotina laboratorial. Novos métodos estão sendo testados, mas ainda são inviáveis pela tecnologia sofisticada e custo elevado ou por oferecerem valor prognóstico e não diagnóstico...(AU)


Assuntos
Humanos , Hanseníase , Laboratórios
8.
Hansen. int ; 39(1): 8-21, 2014. tab, graf
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-34016

RESUMO

O tratamento da hanseníase pode causar efeitos adversos relacionados à Rifampicina (RMP) ou Dapsona (DDS) levando à mudança no esquema terapêutico. Objetivou-se determinar as causas da mudança do tratamento e avaliar as condições clínicas dermatológicas dos pacientes que fizeram uso da terapêutica alternativa. De 182 pacientes tratados entre 1997-2008, 34 (18,7%) fizeram doses alternativas e 21 foram entrevistados. O perfil foi constituído por casados, de 40 à 59 anos, baixa condição socioeconômica e escolaridade. Os pacientes paucibacilares (PB) e multibacilares (MB) sem o uso de DDS e de RMP tiveram as últimas baciloscopias (BAAR) negativas (>50%), e os resultados positivos dos outros mostrou involução lenta. A forma clínica mais incidente foi a virchowiana nos intolerantes à DDS, e a dimorfa nos sem a RMP. Os efeitos adversos acometeram mais os MB. Nos intolerantes à DDS, a mudança do esquema terapêutico foi relacionada às causas hematológicas (48,5%) e os à RMP, as hepáticas (50%). Na avaliação as placas e nódulos desapareceram. As manchas, dor geral ou localizada em membros, diminuição da sensibilidade e da força muscular com aparecimento de garra móvel foram significativas. A evolução das incapacidades revelou a necessidade de monitorar atentamente a função neural nos casos de alta.(AU)


Leprosy treatment can cause adverse effects related to rifampin (RMP) or dapsone (DDS) leading to changes of the therapeutic regimen. The objective was to determine the causes of changes in the treatment and to evaluate the clinical dermatological conditions of patients who underwent alternative therapy. Out of 182 patients treated between 1997- 2008, 34 (18.7%) underwent alternative doses, and 21 were interviewed. The profile of the patients was: married, 40 to 59 years, low socioeconomic and educational status. The latest bacilloscopic index (BI) of paucibacillary (PB) and multibacillary (MB) patients that did not use DDS and RMP was negative (> 50%), and the positive results observed in the other patients evidenced slow recovery. The most frequent clinical form was lepromatous in patients intolerant to DDS and borderline leprosy in those without RMP. Adverse effects were most commonin MB patients. Intolerance to DDS was related to hematological causes (48.5%), and intolerance to RMP was due to hepatic conditions (50%). Upon evaluation nodules and plaques disappeared. Plaques, generalor localized pain in limbs, reduced sensitivity and muscular strength with the appearance of claw were significant findings. The development of disabilities revealed the need of careful monitoring of the neural function in cases discharged from treatment.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Quimioterapia Combinada/efeitos adversos , Hanseníase/tratamento farmacológico , Intervalo Livre de Doença , Rifampina/efeitos adversos , Dapsona/efeitos adversos
9.
Hansen. int ; 39(1): 8-21, 2014. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-831057

RESUMO

O tratamento da hanseníase pode causar efeitos adversos relacionados à Rifampicina (RMP) ou Dapsona (DDS) levando à mudança no esquema terapêutico. Objetivou-se determinar as causas da mudança do tratamento e avaliar as condições clínicas dermatológicas dos pacientes que fizeram uso da terapêutica alternativa. De 182 pacientes tratados entre 1997-2008, 34 (18,7%) fizeram doses alternativas e 21 foram entrevistados. O perfil foi constituído por casados, de 40 à 59 anos, baixa condição socioeconômica e escolaridade. Os pacientes paucibacilares (PB) e multibacilares (MB) sem o uso de DDS e de RMP tiveram as últimas baciloscopias (BAAR) negativas (>50%), e os resultados positivos dos outros mostrou involução lenta. A forma clínica mais incidente foi a virchowiana nos intolerantes à DDS, e a dimorfa nos sem a RMP. Os efeitos adversos acometeram mais os MB. Nos intolerantes à DDS, a mudança do esquema terapêutico foi relacionada às causas hematológicas (48,5%) e os à RMP, as hepáticas (50%). Na avaliação as placas e nódulos desapareceram. As manchas, dor geral ou localizada em membros, diminuição da sensibilidade e da força muscular com aparecimento de garra móvel foram significativas. A evolução das incapacidades revelou a necessidade de monitorar atentamente a função neural nos casos de alta.


Leprosy treatment can cause adverse effects related to rifampin (RMP) or dapsone (DDS) leading to changes of the therapeutic regimen. The objective was to determine the causes of changes in the treatment and to evaluate the clinical dermatological conditions of patients who underwent alternative therapy. Out of 182 patients treated between 1997- 2008, 34 (18.7%) underwent alternative doses, and 21 were interviewed. The profile of the patients was: married, 40 to 59 years, low socioeconomic and educational status. The latest bacilloscopic index (BI) of paucibacillary (PB) and multibacillary (MB) patients that did not use DDS and RMP was negative (> 50%), and the positive results observed in the other patients evidenced slow recovery. The most frequent clinical form was lepromatous in patients intolerant to DDS and borderline leprosy in those without RMP. Adverse effects were most commonin MB patients. Intolerance to DDS was related to hematological causes (48.5%), and intolerance to RMP was due to hepatic conditions (50%). Upon evaluation nodules and plaques disappeared. Plaques, generalor localized pain in limbs, reduced sensitivity and muscular strength with the appearance of claw were significant findings. The development of disabilities revealed the need of careful monitoring of the neural function in cases discharged from treatment.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Hanseníase/tratamento farmacológico , Quimioterapia Combinada/efeitos adversos , Intervalo Livre de Doença , Dapsona/efeitos adversos , Rifampina/efeitos adversos
10.
An Bras Dermatol ; 88(6 Suppl 1): 23-5, 2013.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-24346871

RESUMO

Biological agents are widely used for various immune-mediated diseases, with remarkable effectiveness in the treatment of rheumatoid arthritis (RA), psoriasis, psoriatic arthritis, ankylosing spondylitis and Crohn's disease. However, attention needs to be drawn to the adverse effects of these therapies and the risk of reactivating underlying granulomatous infectious diseases such as tuberculosis, leprosy, syphilis, leishmaniasis, among others. The objective of this paper is to describe a case of leprosy in a patient with RA using anti-TNF alfa, demonstrating the need for systematic investigation of skin lesions suggestive of leprosy in patients who require rheumatoid arthritis therapeutic treatment, especially in endemic regions like Brazil.


Assuntos
Anticorpos Monoclonais/efeitos adversos , Antirreumáticos/efeitos adversos , Fatores Biológicos/efeitos adversos , Hanseníase/induzido quimicamente , Artrite Reumatoide/tratamento farmacológico , Biópsia , Humanos , Infliximab , Hanseníase/patologia , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Recidiva , Fator de Necrose Tumoral alfa/antagonistas & inibidores
11.
An. bras. dermatol ; 88(6,supl.1): 23-25, Nov-Dec/2013. graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-696784

RESUMO

Biological agents are widely used for various immune-mediated diseases, with remarkable effectiveness in the treatment of rheumatoid arthritis (RA), psoriasis, psoriatic arthritis, ankylosing spondylitis and Crohn's disease. However, attention needs to be drawn to the adverse effects of these therapies and the risk of reactivating underlying granulomatous infectious diseases such as tuberculosis, leprosy, syphilis, leishmaniasis, among others. The objective of this paper is to describe a case of leprosy in a patient with RA using anti-TNF alfa, demonstrating the need for systematic investigation of skin lesions suggestive of leprosy in patients who require rheumatoid arthritis therapeutic treatment, especially in endemic regions like Brazil.


Os agentes biológicos são amplamente utilizados em diversas doenças imuno-mediadas, com marcante eficácia no tratamento da Artrite Reumatóide (AR), Psoríase, Artrite Psoriática, Espondilite Anquilosante e Doença de Crohn. No entanto, deve-se atentar quanto aos efeitos adversos de tais terapêuticas, como o risco de reativar doenças infecciosas granulomatosas latentes, como a tuberculose, hanseníase, sífilis, leishmaniose, entre outras. O objetivo deste artigo é descrever um caso de hanseníase em paciente portador de AR em uso de terapia anti-TNF alfa, mostrando, assim, a necessidade de investigação sistematizada de lesões cutâneas sugestivas de hanseníase em pacientes com indicação de terapia anti-TNF alfa, especialmente, em regiões endêmicas como o Brasil.


Assuntos
Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Anticorpos Monoclonais/efeitos adversos , Antirreumáticos/efeitos adversos , Fatores Biológicos/efeitos adversos , Hanseníase/induzido quimicamente , Artrite Reumatoide/tratamento farmacológico , Biópsia , Hanseníase/patologia , Recidiva , Fator de Necrose Tumoral alfa/antagonistas & inibidores
12.
ScientificWorldJournal ; 2013: 219143, 2013.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-24288467

RESUMO

Overpopulation of urban areas results from constant migrations that cause disordered urban growth, constituting clusters defined as sets of people or activities concentrated in relatively small physical spaces that often involve precarious conditions. Aim. Using residential grouping, the aim was to identify possible clusters of individuals in São José do Rio Preto, Sao Paulo, Brazil, who have or have had leprosy. Methods. A population-based, descriptive, ecological study using the MapInfo and CrimeStat techniques, geoprocessing, and space-time analysis evaluated the location of 425 people treated for leprosy between 1998 and 2010. Clusters were defined as concentrations of at least 8 people with leprosy; a distance of up to 300 meters between residences was adopted. Additionally, the year of starting treatment and the clinical forms of the disease were analyzed. Results. Ninety-eight (23.1%) of 425 geocoded cases were located within one of ten clusters identified in this study, and 129 cases (30.3%) were in the region of a second-order cluster, an area considered of high risk for the disease. Conclusion. This study identified ten clusters of leprosy cases in the city and identified an area of high risk for the appearance of new cases of the disease.


Assuntos
Hanseníase/epidemiologia , População Urbana , Brasil , Análise por Conglomerados , Migração Humana , Humanos
13.
Rev Lat Am Enfermagem ; 21(3): 795-802, 2013.
Artigo em Inglês, Português, Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-23918027

RESUMO

AIMS: to evaluate the quality of life in severe sepsis survivors, using specific QoL questionnaires: the EuroQol-5 Dimensions and the Visual Analogue Scale (EQ-VAS). METHOD: This case-control study was performed in patients discharged from a teaching hospital after being admitted to the ICU with severe sepsis. Medical records from 349 patients were retrieved from the hospital sepsis registry. Each patient with sepsis was considered as a case. Patients who were admitted immediately after the sepsis episode were considered as controls, provided that they did not have sepsis and survived the ICU admission. This specific study population included 100 patients. RESULTS: The sepsis group showed higher mortality at 1 year compared with critically ill patients. However, the control group showed no sepsis. Older patients (>60 years) in the sepsis group had a significantly higher prevalence of problems. There were no differences in EQ-VAS between respondents from both groups. CONCLUSIONS: After discharge from ICU, sepsis survivors of sepsis had a higher mortality rate than critically ill patients without sepsis. Older patients with sepsis had more moderate and severe problems in all five quality of life dimensions evaluated.


Assuntos
Qualidade de Vida , Sepse , Adolescente , Adulto , Estudos de Casos e Controles , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Alta do Paciente , Inquéritos e Questionários , Sobreviventes , Adulto Jovem
14.
Rev. latinoam. enferm ; 21(3): 795-802, jun. 2013. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-676325

RESUMO

AIMS: to evaluate the quality of life in severe sepsis survivors, using specific QoL questionnaires: the EuroQol-5 Dimensions and the Visual Analogue Scale (EQ-VAS). METHOD: This case-control study was performed in patients discharged from a teaching hospital after being admitted to the ICU with severe sepsis. Medical records from 349 patients were retrieved from the hospital sepsis registry. Each patient with sepsis was considered as a case. Patients who were admitted immediately after the sepsis episode were considered as controls, provided that they did not have sepsis and survived the ICU admission. This specific study population included 100 patients. RESULTS: The sepsis group showed higher mortality at 1 year compared with critically ill patients. However, the control group showed no sepsis. Older patients (>60 years) in the sepsis group had a significantly higher prevalence of problems. There were no differences in EQ-VAS between respondents from both groups. CONCLUSIONS: After discharge from ICU, sepsis survivors of sepsis had a higher mortality rate than critically ill patients without sepsis. Older patients with sepsis had more moderate and severe problems in all five quality of life dimensions evaluated. .


OBJETIVOS: avaliar a qualidade de vida em sobreviventes de sepse grave, utilizando os instrumentos EuroQol-5 Dimensions e Escala Analógica Visual. MÉTODO: caso controle aninhado, realizado em pacientes que receberam alta da unidade de terapia intensiva de um hospital de ensino, após admissão com sepse grave. A seleção foi feita a partir do cadastro sepse, contendo 349 prontuários. Cada paciente com sepse foi considerado como um sujeito e o paciente internado após foi considerado controle, desde que não tivesse sepse e tivesse sobrevivido à internação, totalizando 100 sujeitos. RESULTADOS: o grupo sepse apresentou mortalidade mais elevada em 1 ano comparado com pacientes críticos, porém, sem sepse no grupo controle. Pacientes mais velhos (>60 anos de idade) no grupo sepse tiveram prevalência significativamente maior de problemas. Não houve diferença na Escala Visual Análoga entre os entrevistados de ambos os grupos. CONCLUSÕES: após alta da unidade de terapia intensiva, os pacientes que sobreviveram à sepse tiveram taxa de mortalidade mais elevada do que os pacientes críticos sem a doença. Pacientes idosos com sepse tiveram problemas variando de moderado a grave, em todas as cinco dimensões de qualidade de vida avaliadas. .


OBJETIVO: Evaluación de la calidad de vida de los sobrevivientes de sepsis grave con los instrumentos EuroQol-5D y la Escala Analógica Visual (EQ-VAS). MÉTODO: Estudio caso-control anidado en pacientes que recibieron alta de la unidad de cuidados intensivos (UCI) de un hospital de enseñanza después de la admisión con sepsis grave. La selección fue realizada a partir del registro de sepsis conteniendo 349 pacientes y cada paciente con sepsis fue considerado como un caso y el que fue hospitalizado inmediatamente después fue seleccionado como control, desde que no tuviera sepsis y hubiera sobrevivido a la hospitalización en la UCI y la sepsis, totalizando 100 sujetos. RESULTADOS: El grupo de sepsis mostró una mayor mortalidad a 1 año comparado con los pacientes en estado crítico pero sin sepsis en el grupo control. Los pacientes ancianos (>60 años) con sepsis tuvieron una prevalencia significativamente mayor de problemas. No hubo diferencias en EQ-VAS entre los entrevistados de ambos grupos. CONCLUSIONES: Después del alta de la UCI, los pacientes que sobrevivieron a la sepsis tuvieron una tasa de mortalidad más alta que los pacientes sin enfermedad crítica. Pacientes ancianos con sepsis tuvieron problemas moderados y graves en todas las cinco dimensiones de calidad de vida evaluadas. .


Assuntos
Adolescente , Adulto , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Adulto Jovem , Qualidade de Vida , Sepse , Estudos de Casos e Controles , Alta do Paciente , Inquéritos e Questionários , Sobreviventes
15.
Rev. Inst. Adolfo Lutz ; 72(3): 185-191, 2013. ilus, mapas
Artigo em Português | LILACS, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IALPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-742464

RESUMO

Neste trabalho foi averiguado o uso do geoprocessamento como ferramenta para realizar pesquisa e como subsídio para efetuar planejamento de ações em saúde pública. Diversos investigadores têm citado a construção de sistema de vigilância da saúde orientado por um modelo de análise de situações de risco,em substituição ao modelo de risco individual. Esta alternativa, que utiliza o espaço como referência,tem potencialmente mostrado maior poder explicativo por expressar diferentes acessos aos bens e aos serviços de infraestrutura urbana. Com o sistema de geoprocessamento, torna-se possível observar os fatores socioeconômicos, assim como a utilização e as formas de ocupação de áreas. Além disso, podem ser obtidos dados relevantes para efetuar o controle da vigilância em relação à saúde e ao meio ambiente construído e habitado. O uso do geoprocessamento constitui uma importante ferramenta para realizara identificação, a localização e o acompanhamento de populações, principalmente nas periferias dos grandes centros urbanos. Este sistema contribui, ainda, para desenvolver os estudos de transmissão, de disseminação e, ainda, das ações de controle das doenças e dos agravos de saúde de uma determinada área de abrangência.


In the present study is described the importance of the geographic information system (GIS) as a toolfor performing research and as a subsidy for action planning in public health. Many investigators havedescribed the construction of a health surveillance system based on a model to analyze the risk situations,aiming at replacing the individual risk model. This option employs the space as a reference, whichpotentially holds greater explanatory power for expressing different approaches to the profits and servicesfor urban infrastructure. The geo-processing allows to observe the socioeconomic factors, the ways andthe use of occupying the inhabited areas, to acquire relevant data for monitoring the sanitary surveillance,and also built and inhabited environment. The geo-processing works as an important tool for performingthe identification, location and follow-up of populations. Therefore, the geo-processing contributes to thestudy on transmission, distribution and actions directed to the diseases and health problems control in agiven scope area.


Assuntos
Processamento Eletrônico de Dados , Planejamento em Saúde , Saúde Pública , Características de Residência
16.
Hansen. int ; 38(1/2): 26-36, 2013. tab, graf
Artigo em Português | LILACS, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP | ID: lil-789349

RESUMO

O estudo avaliou os serviços de saúde na assistência à Hanseníase a partir da percepção de todos os pacientes diagnosticados em um biênio em um município com baixa prevalência e incidência da doença de acordo com parâmetros da Organização Mundial de Saúde. Os entrevistados responderam a um questionário validado para o Brasil sobre a organização e o desempenho desses serviços. Destacam-se como fatores facilitadores: porta de entrada do serviço; vínculo com os profissionais e atuação profissional. Domínios que mesclaram pontos de satisfação e insatisfação entre os entrevistados: serviços prestados durante as consultas; falta de interesse pelas condições socioeconômicas do doente e de sua família; e participação da família no tratamento. Aspectos que foram consideradas dificultadores: iniciar o acesso ao diagnóstico e ao tratamento, falta de resolutividade dos profissionais quanto aos problemas gerais de saúde, que não relacionados à hanseníase e dificuldade no acesso às especialidades médicas, ausência de visitas domiciliares e orientação à comunidade com ações de educação em saúde.


This study evaluated leprosy care services from the view point of all patients diagnosed during one bienniumin a city with a low prevalence and incidence of the disease according to World Health Organization parameters. Leprosy patients answered a questionnaire validated in Brazil on the organization and performance of services provided. Access to services,relationship with professionals and performance of professionals were considered facilitating factors. Domains of mixed satisfaction and dissatisfaction among those interviewed were the service provided during consultations, lack of interest in the socioeconomic conditions of the patient and their family and family participation in treatment. The factors considered problematic were initial access to diagnosis and treatment, lack of determination of professional sin respect to general health problems not related to leprosy, difficulties to access medical specialties, and lack of home visits and community guidance with health education initiatives.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Hanseníase , Qualidade da Assistência à Saúde , Assistência à Saúde , Garantia da Qualidade dos Cuidados de Saúde , Sistema Único de Saúde
17.
Rev. Inst. Adolfo Lutz ; 72(Vol 3): 185-191, 2013. ilus, graf
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IALPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-30117

RESUMO

Neste trabalho foi averiguado o uso do geoprocessamento como ferramenta para realizar pesquisa e como subsídio para efetuar planejamento de ações em saúde pública. Diversos investigadores têm citado a construção de sistema de vigilância da saúde orientado por um modelo de análise de situações de risco,em substituição ao modelo de risco individual. Esta alternativa, que utiliza o espaço como referência,tem potencialmente mostrado maior poder explicativo por expressar diferentes acessos aos bens e aos serviços de infraestrutura urbana. Com o sistema de geoprocessamento, torna-se possível observar os fatores socioeconômicos, assim como a utilização e as formas de ocupação de áreas. Além disso, podem ser obtidos dados relevantes para efetuar o controle da vigilância em relação à saúde e ao meio ambiente construído e habitado. O uso do geoprocessamento constitui uma importante ferramenta para realizara identificação, a localização e o acompanhamento de populações, principalmente nas periferias dos grandes centros urbanos. Este sistema contribui, ainda, para desenvolver os estudos de transmissão, de disseminação e, ainda, das ações de controle das doenças e dos agravos de saúde de uma determinada área de abrangência. (AU)


Assuntos
Saúde Pública , Processamento Eletrônico de Dados , Demografia , Monitoramento Epidemiológico , Planejamento em Saúde
18.
Hansen. int ; 38(1/2): 26-36, 2013. tab, graf
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-31299

RESUMO

O estudo avaliou os serviços de saúde na assistência à Hanseníase a partir da percepção de todos os pacientes diagnosticados em um biênio em um município com baixa prevalência e incidência da doença de acordo com parâmetros da Organização Mundial de Saúde. Os entrevistados responderam a um questionário validado para o Brasil sobre a organização e o desempenho desses serviços. Destacam-se como fatores facilitadores: porta de entrada do serviço; vínculo com os profissionais e atuação profissional. Domínios que mesclaram pontos de satisfação e insatisfação entre os entrevistados: serviços prestados durante as consultas; falta de interesse pelas condições socioeconômicas do doente e de sua família; e participação da família no tratamento. Aspectos que foram consideradas dificultadores: iniciar o acesso ao diagnóstico e ao tratamento, falta de resolutividade dos profissionais quanto aos problemas gerais de saúde, que não relacionados à hanseníase e dificuldade no acesso às especialidades médicas, ausência de visitas domiciliares e orientação à comunidade com ações de educação em saúde.(AU)


This study evaluated leprosy care services from the view point of all patients diagnosed during one bienniumin a city with a low prevalence and incidence of the disease according to World Health Organization parameters. Leprosy patients answered a questionnaire validated in Brazil on the organization and performance of services provided. Access to services,relationship with professionals and performance of professionals were considered facilitating factors. Domains of mixed satisfaction and dissatisfaction among those interviewed were the service provided during consultations, lack of interest in the socioeconomic conditions of the patient and their family and family participation in treatment. The factors considered problematic were initial access to diagnosis and treatment, lack of determination of professional sin respect to general health problems not related to leprosy, difficulties to access medical specialties, and lack of home visits and community guidance with health education initiatives.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Hanseníase , Qualidade da Assistência à Saúde , Garantia da Qualidade dos Cuidados de Saúde , Sistema Único de Saúde , Assistência à Saúde
19.
Rev. saúde pública ; 46(6): 969-977, Dez. 2012. ilus, graf, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-667619

RESUMO

OBJETIVO: Estimar a frequência das deficiências físicas em pacientes tratados de hanseníase após alta medicamentosa e analisar sua distribuição espacial. MÉTODOS: Estudo descritivo transversal com 232 pessoas tratadas de hanseníase de 1998 a 2006. As deficiências físicas foram avaliadas pelo Grau de Incapacidades da Organização Mundial da Saúde (GI/OMS) e pelo Eye-Hand-Foot (EHF). Os ex-pacientes foram geocodificados pelo endereço de residência e os serviços de reabilitação pelo endereço de sua sede. Foram apresentadas as frequências para o total e para os grupos grau 0, grau 1 e grau 2 do GI-OMS, considerando-se as variáveis clínicas e sociodemográficas na análise descritiva. Foram utilizados os testes t de Student, qui-quadrado (χ2) ou de Fisher, conforme apropriado, considerando-se significativos p < 0,05. RESULTADOS: Cerca de 51,6% era do sexo feminino, com média de idade de 54 anos (dp15,7); 30,5% tinha menos de dois anos de educação formal; 43,5% trabalhava e 26,9% estava aposentado; a forma dimorfa predominou (39,9%). As deficiências avaliadas pelo GI-OMS e pelo EHF atingiram 32% dos ex-pacientes. A presença de deficiências foi maior com o aumento da idade (p = 0,029), em casos multibacilares (p = 0,005) e com julgamento ruim do paciente sobre sua saúde física (p < 0,001). Os que necessitavam de prevenção/reabilitação percorreram distância média de 5,5 km até o serviço de reabilitação. As pessoas com deficiência física estavam distribuídas em todo o município, mas concentravam-se na área mais populosa e de maior carência socioeconômica. CONCLUSÕES: A frequência de deficiências é elevada após a alta medicamentosa. Os ex-pacientes mais velhos, os que tiveram formas multibacilares da doença, os de baixa escolaridade e os que julgam mal a própria saúde física merecem atenção especial para a prevenção e reabilitação de deficiências. A distância entre os serviços de reabilitação e as residências dos pacientes requer reorganização da rede de atendimento no município.


OBJECTIVE: To estimate the frequency of people with leprosy-related physical disabilities after release from multidrug treatment and to analyze their spatial distribution. METHODS: Descriptive cross-sectional study with 232 leprosy patients treated between 1998 and 2006. Physical disabilities were assessed using the World Health Organization disability grading and the eye-hand-foot (EHF) sum score. The residential address of patients and rehabilitation centers were geocoded. It was estimated the overall frequency of physical disability and frequency by disability grade (grade 0, grade 1, and grade 2) according to the WHO disability grading taking into consideration clinical and sociodemographic variables in the descriptive analysis. Student's t-test, chi-square test (χ2), and Fisher's test were used as appropriate at a 5% significance level. RESULTS: Of the patients studied, 51.6% were female, mean age 54 years old (SD 15.7), 30.5% had less than 2 years of formal education, 43.5% were employed, and 26.9% were retired. Borderline leprosy was the most prevalent form of leprosy (39.9%). A total of 32% of these patients had disabilities according to the WHO disability grading and the EHF score. Disabilities increased with age (p = 0.029), they were more common in patients with multibacillary leprosy (p = 0.005) and poor self-rated physical health (p < 0.001). Those who required prevention/rehabilitation care traveled on average 5.5 km to the rehabilitation center. People with physical disabilities lived scattered across the city but they were mostly concentrated in the most densely populated and socioeconomically deprived area. CONCLUSIONS: There is a high frequency of people with leprosy-related disabilities after release from multidrug therapy. Prevention and rehabilitation actions should target uneducated and older patients, those who had multibacillary forms of leprosy and poor self-rated physical health. The travel distance to rehabilitation centers calls for reorganization of local care networks.


OBJETIVO: Estimar la frecuencia de las deficiencias físicas, en pacientes tratados por hanseniasis, posteriores a alta medicamentosa y analizar su distribución espacial MÉTODOS: Estudio descriptivo transversal con 232 personas tratadas por hanseniasis de 1998 a 2006. Las deficiencias físicas fueron evaluadas por el Grado de Incapacidades de la Organización Mundial de Salud (GI/OMS) y por el Eyes-Hand-Feet (EHF). Los ex -pacientes fueron geocodificados por la dirección de residencia y los servicios de rehabilitación por la dirección de su sede. Se presentaron las frecuencias para el total y para los grupos grado 0, grado 1 y grado 2 del GI-OMS, considerándose las variables clínicas y sociodemográficas en el análisis descriptivo. Se utilizaron las pruebas t de Student, Chi-cuadrado (?2) o de Fisher, conforme apropiado, considerándose significativos p= 0,05. RESULTADOS: Cerca de 51,6% eran del sexo femenino, con promedio de edad de 54 años (de 15,7); 30,5% tenían menos de dos años de educación formal; 43,5% trabajaban y 26,9% estaban jubilados; la forma dimorfa predominó (39,9%). Las deficiencias evaluadas por el GI-OMS y por el EHF alcanzaron 32% de los ex -pacientes La presencia de deficiencias fue mayor con el aumento de la edad (p=0,029), en casos multibacilares (p=0,005) y con diagnóstico equivocado del paciente sobre su salud física (p?0,001). Los que necesitaban de prevención/rehabilitación recorrieron distancia promedio de 5,5km hasta el servicio de rehabilitación. Las personas con deficiencia física estaban distribuidas en todo el municipio, pero se concentraban en el área más populosa y de mayor carencia socioeconómica. CONCLUSIONES: La frecuencia de deficiencias es elevada posterior al alta medicamentosa. Los ex -pacientes más viejos, los que tuvieron formas multibacilares de la enfermedad, los de baja escolaridad y los que presentaron diagnóstico equivocado de la propia salud física merecen atención especial para la prevención y rehabilitación de deficiencias. La distancia entre los servicios de rehabilitación y las residencias de los pacientes requiere reorganización de la red de atención en el municipio.


Assuntos
Adolescente , Adulto , Criança , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Adulto Jovem , Pessoas com Deficiência/estatística & dados numéricos , Hanseníase/epidemiologia , Brasil/epidemiologia , Estudos Transversais , Demografia , Avaliação da Deficiência , Quimioterapia Combinada , Hansenostáticos/uso terapêutico , Hanseníase/tratamento farmacológico , Prevalência , Índice de Gravidade de Doença , Fatores Socioeconômicos , Organização Mundial da Saúde
20.
Lepr Rev ; 83(2): 172-83, 2012 Jun.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-22997693

RESUMO

OBJECTIVES: To identify people affected by leprosy with impairments after completing multidrug therapy for leprosy, and to assess their limitations in conducting daily activities by applying the Screening of Activity Limitation and Safety Awareness (SALSA) scale. METHODS: A cross-sectional study was performed of all residents of a medium-sized city who were treated for leprosy from 1998 to 2006. A specific questionnaire was applied to obtain general and clinical data and the SALSA scale was used to assess limitations in activities. Impairments were assessed using the 'World Health Organization leprosy disability grading system' (WHO-DG). FINDINGS: Of the 335 people affected by leprosy treated in the period, 223 (62.1%) were located and interviewed. A total of 51.6% were female with a mean age of 54 years (SD +/- 15.72) and 67.9% had up to 6 years formal education. The borderline form predominated among interviewees (39.9%) and 54.3% suffer from associated diseases with hypertension (29.1%) and diabetes (10.3%) being the most common. Pain was reported by 54.7% of interviewees. By multiple logistic regression analysis, associations were found between limitations in activities and being female (P < 0.025), family income < or = 3 minimum wages (P-value < 0.003), reports of major lesions (P-value < 0.004), pain (P-value < 0.001), associated diseases (P-value < 0.023) and the WHO-DG (P-value < 0.001). Disabilities, as identified using the WHO-DG, were less common (32%) than limitations in activities as evaluated by the SALSA scale (57.8%). CONCLUSION: Limitations in activities proved to be common in people affected by leprosy and were associated with low income, being female, reported major lesions, disability, disease and pain.


Assuntos
Hanseníase/complicações , Hanseníase/tratamento farmacológico , Inquéritos e Questionários , Adolescente , Adulto , Idoso , Brasil , Criança , Avaliação da Deficiência , Quimioterapia Combinada , Feminino , Humanos , Renda , Hansenostáticos/uso terapêutico , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Ocupações , Fatores Sexuais , Trabalho , Adulto Jovem
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA