Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 26
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Transpl Infect Dis ; 21(2): e13056, 2019 Apr.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30712328

RESUMO

BACKGROUND: Polyoma viremia is associated with damage to renal tubular and urothelial cells. This may imply that a certain level of viremia, even cleared thereafter, could be associated with long-term renal dysfunction. METHODS: We, retrospectively, analyzed 390 first renal transplants adult recipients (≥18 years) who were monitored for BK viremia in the first 12 months and evaluated estimated GFR (MDRD-4 equation) at 1 month and at the last follow-up (959 ± 392 days). RESULTS: One hundred and ninety-nine patients (51%) developed at least one positive viremia: 105 (53%) low viremia (<104  copies/mL), 36 (18%) high viremia (4 × 104  > viremia ≥ 104  copies/mL) and 58 (15%) viremia (≥4 × 104  copies/mL) consistent with polyoma virus associated nephropathy (PyVAN). Out of these 58 patients, 24 (6%) developed bx-proven (SV40+) PyVAN and 34(8.7%) presumptive PyVAN (SV40-). Baseline characteristics, immunosuppression, KDRI, rejection episodes, etc., did not differ among groups but there were more deceased donors and ATG induction therapy in the high viremia group. At last follow-up, all patients in the low, high viremia and presumptive PyVAN (except 2) had cleared BK viremia. Bx-proven PyVAN led to 14 graft losses, 10 due to PyVAN. In the presumptive PyVAN there was only one graft loss registered as due to PyVAN. eGFR, at 1 month after KTx, did not differ among groups (51 ± 22 vs 48 ± 24 vs 45 ± 27 vs 43 ± 18 vs 46 ± 22 mL/min/1.73 m2 ), for no, low and high viremia as well for presumptive PyVAN and bx-proven PyVAN groups, respectively. At the last follow-up, eGFR did not differ between the no, low, and high viremia compared to baseline and to each other but was statistically lower in the presumptive and bx-proven PyVAN (38 ± 15 and 17 ± 7 mL/min/1.73 m2 ) either compared to baseline or to the other groups. CONCLUSIONS: This study shows that low and high levels of BK viremia do not lead to GFR changes although very high viremia levels, compatible with presumptive or bx-proven PyVAN, even if cleared thereafter, lead to allograft damage and decreased GFR.


Assuntos
Transplante de Rim , Rim/fisiologia , Infecções por Polyomavirus/patologia , Infecções Tumorais por Vírus/patologia , Viremia , Adulto , Aloenxertos , Feminino , Taxa de Filtração Glomerular , Humanos , Rim/virologia , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Polyomavirus , Complicações Pós-Operatórias , Estudos Retrospectivos , Transplante Homólogo , Carga Viral
2.
J Bras Nefrol ; 39(3): 341-344, 2017 Jul-Sep.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-29044345

RESUMO

Granulicatella and Abiotrophia are genera of fastidious Gram-positive cocci commensal of the oral, genitourinary, and intestinal flora. We report the first case of infective endocarditis caused by Granulicatella sp. in a kidney transplant recipient. A 67-year-old male kidney transplant recipient was admitted to the hospital for investigation of fever, abdominal pain, and diarrhea. On physical examination, he was dehydrated. Laboratory tests identified impaired renal function (creatinine level of 15.5 mg/dl; reference, 3.0 mg/dl), metabolic acidosis, and electrolyte disturbances. Cryptosporidium sp. was identified as the cause of the diarrhea, and the infection was treated with nitazoxanide. On admission, cultures of blood, urine, and stool samples were negative. Echocardiography results were normal. Despite the antimicrobial treatment, the fever persisted. A transthoracic echocardiogram revealed infective endocarditis of the mitral valve, and Granulicatella spp. were isolated in blood cultures. Although the patient was treated with penicillin and amikacin, he evolved to septic shock of pulmonary origin and died. Infective endocarditis caused by Granulicatella sp. should be suspected in cases of culture-negative endocarditis.


Assuntos
Carnobacteriaceae , Endocardite Bacteriana , Infecções por Bactérias Gram-Positivas , Transplante de Rim , Complicações Pós-Operatórias , Idoso , Endocardite Bacteriana/diagnóstico , Endocardite Bacteriana/tratamento farmacológico , Evolução Fatal , Infecções por Bactérias Gram-Positivas/diagnóstico , Infecções por Bactérias Gram-Positivas/tratamento farmacológico , Humanos , Masculino , Complicações Pós-Operatórias/diagnóstico , Complicações Pós-Operatórias/tratamento farmacológico
3.
J. bras. nefrol ; 39(3): 341-344, July-Sept. 2017. graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-893776

RESUMO

Abstract Granulicatella and Abiotrophia are genera of fastidious Gram-positive cocci commensal of the oral, genitourinary, and intestinal flora. We report the first case of infective endocarditis caused by Granulicatella sp. in a kidney transplant recipient. A 67-year-old male kidney transplant recipient was admitted to the hospital for investigation of fever, abdominal pain, and diarrhea. On physical examination, he was dehydrated. Laboratory tests identified impaired renal function (creatinine level of 15.5 mg/dl; reference, 3.0 mg/dl), metabolic acidosis, and electrolyte disturbances. Cryptosporidium sp. was identified as the cause of the diarrhea, and the infection was treated with nitazoxanide. On admission, cultures of blood, urine, and stool samples were negative. Echocardiography results were normal. Despite the antimicrobial treatment, the fever persisted. A transthoracic echocardiogram revealed infective endocarditis of the mitral valve, and Granulicatella spp. were isolated in blood cultures. Although the patient was treated with penicillin and amikacin, he evolved to septic shock of pulmonary origin and died. Infective endocarditis caused by Granulicatella sp. should be suspected in cases of culture-negative endocarditis.


Resumo Granulicatella e Abiotrophia são gêneros de cocos gram-positivos fastidiosos comensais das floras oral, genitourinária e intestinal. Relatamos o primeiro caso de endocardite infecciosa por Granulicatella sp. em paciente transplantado renal. Paciente do sexo masculino, 67 anos, foi admitido no hospital para investigação de febre, dor abdominal e diarreia. Ao exame físico encontrava-se desidratado. Exames laboratoriais identificaram piora de função renal (creatinina: 15,5mg/dL - níveis basais: 3mg/dL), acidose metabólica e distúrbios eletrolíticos. Cryptosporidium sp foi identificado como causa da diarréia e tal germe foi tratado com nitazoxanida. À admissão, hemoculturas, urocultura e coprocultura negativas além de ecocardiograma normal. A despeito do tratamento antimicrobiano, paciente persistiu febril. Um ecocardiograma transtorácico posterior foi realizado, revelando endocardite em válvula mitral, sendo então identificada em hemocultura Granulicatella sp. Apesar do tratamento com penicilina e amicacina, o paciente evoluiu com quadro de choque séptico de foco pulmonar e óbito. Endocardite infecciosa por Granulicatela sp. deve ser suspeitada em casos de endocardite com hemoculturas negativas.

4.
Arq. bras. cardiol ; 105(5): 493-502, Nov. 2015. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-765001

RESUMO

AbstractBackground:The recording of arrhythmic events (AE) in renal transplant candidates (RTCs) undergoing dialysis is limited by conventional electrocardiography. However, continuous cardiac rhythm monitoring seems to be more appropriate due to automatic detection of arrhythmia, but this method has not been used.Objective:We aimed to investigate the incidence and predictors of AE in RTCs using an implantable loop recorder (ILR).Methods:A prospective observational study conducted from June 2009 to January 2011 included 100 consecutive ambulatory RTCs who underwent ILR and were followed-up for at least 1 year. Multivariate logistic regression was applied to define predictors of AE.Results:During a mean follow-up of 424 ± 127 days, AE could be detected in 98% of patients, and 92% had more than one type of arrhythmia, with most considered potentially not serious. Sustained atrial tachycardia and atrial fibrillation occurred in 7% and 13% of patients, respectively, and bradyarrhythmia and non-sustained or sustained ventricular tachycardia (VT) occurred in 25% and 57%, respectively. There were 18 deaths, of which 7 were sudden cardiac events: 3 bradyarrhythmias, 1 ventricular fibrillation, 1 myocardial infarction, and 2 undetermined. The presence of a long QTc (odds ratio [OR] = 7.28; 95% confidence interval [CI], 2.01–26.35; p = 0.002), and the duration of the PR interval (OR = 1.05; 95% CI, 1.02–1.08; p < 0.001) were independently associated with bradyarrhythmias. Left ventricular dilatation (LVD) was independently associated with non-sustained VT (OR = 2.83; 95% CI, 1.01–7.96; p = 0.041).Conclusions:In medium-term follow-up of RTCs, ILR helped detect a high incidence of AE, most of which did not have clinical relevance. The PR interval and presence of long QTc were predictive of bradyarrhythmias, whereas LVD was predictive of non-sustained VT.


ResumoFundamento:A documentação de eventos arrítmicos (EA) em candidatos a transplante renal (CTR) submetidos à diálise é limitada pelo registro de eletrocardiograma convencional. Um monitoramento contínuo do ritmo cardíaco parece ser o procedimento mais adequado para a detecção automática de arritmia, contudo esse método não foi explorado anteriormente.Objetivo:O objetivo deste estudo foi investigar a incidência e os preditores de EA em CTR usando um gravador de eventos implantável, do inglês, “loop recorder implantável” (ILR).Métodos:Um estudo prospectivo observacional foi conduzido entre Junho/2009 a Janeiro/2011. Cem CTR ambulatoriais consecutivos foram submetidos ao ILR e acompanhados pelo menos por um ano. Uma regressão logística multivariada foi aplicada para definir os preditores de EA.Resultados:Durante o tempo médio de acompanhamento de 424 ± 127 dias, EA foram detectados em 98% dos pacientes, sendo que 92% deles tinham mais de um tipo de arritmia, a maioria não considerada potencialmente séria. Taquicardia atrial sustentada e fibrilação atrial ocorreram respectivamente em 7% e 13% dos pacientes; bradiarritmia em 25% e taquicardia ventricular (TV) não-sustentada ou sustentada em 57%. Ocorreram 18 óbitos, 7 por morte cardíaca súbita, 3 por bradiarritmias, 1 por fibrilação ventricular, 1 por infarto do miocárdio e 2 óbitos devido à causas desconhecidas. A presença de QTc longo (Razão de Probabilidade [RP] = 7,28; intervalo de confiança de 95% [IC] 2,01-26,35; p = 0,002) e duração do intervalo PR (RP = 1,05; IC 95%: 1,02-1,08; p < 0,001) foram associados independentemente a bradiarritmias. A dilatação ventricular esquerda (DVE) foi independentemente associada à TV não-sustentada (RP = 2,83; IC 95%: 1,01-7,96; p = 0,041).Conclusões:Em acompanhamento de médio prazo de CTR, o ILR detectou uma alta incidência de EA, a maioria sem relevância clínica. O intervalo PR e a presença de QTc longo foram preditivos de bradiarritmias e DVE de TV não‑sustentada.


Assuntos
Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Arritmias Cardíacas/diagnóstico , Eletrocardiografia Ambulatorial/instrumentação , Transplante de Rim , Arritmias Cardíacas/fisiopatologia , Desenho de Equipamento , Eletrocardiografia Ambulatorial/métodos , Valor Preditivo dos Testes , Estudos Prospectivos , Diálise Renal , Medição de Risco , Fatores de Tempo
5.
Arq Bras Cardiol ; 105(5): 493-502, 2015 Nov.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-26351983

RESUMO

BACKGROUND: The recording of arrhythmic events (AE) in renal transplant candidates (RTCs) undergoing dialysis is limited by conventional electrocardiography. However, continuous cardiac rhythm monitoring seems to be more appropriate due to automatic detection of arrhythmia, but this method has not been used. OBJECTIVE: We aimed to investigate the incidence and predictors of AE in RTCs using an implantable loop recorder (ILR). METHODS: A prospective observational study conducted from June 2009 to January 2011 included 100 consecutive ambulatory RTCs who underwent ILR and were followed-up for at least 1 year. Multivariate logistic regression was applied to define predictors of AE. RESULTS: During a mean follow-up of 424 ± 127 days, AE could be detected in 98% of patients, and 92% had more than one type of arrhythmia, with most considered potentially not serious. Sustained atrial tachycardia and atrial fibrillation occurred in 7% and 13% of patients, respectively, and bradyarrhythmia and non-sustained or sustained ventricular tachycardia (VT) occurred in 25% and 57%, respectively. There were 18 deaths, of which 7 were sudden cardiac events: 3 bradyarrhythmias, 1 ventricular fibrillation, 1 myocardial infarction, and 2 undetermined. The presence of a long QTc (odds ratio [OR] = 7.28; 95% confidence interval [CI], 2.01-26.35; p = 0.002), and the duration of the PR interval (OR = 1.05; 95% CI, 1.02-1.08; p < 0.001) were independently associated with bradyarrhythmias. Left ventricular dilatation (LVD) was independently associated with non-sustained VT (OR = 2.83; 95% CI, 1.01-7.96; p = 0.041). CONCLUSIONS: In medium-term follow-up of RTCs, ILR helped detect a high incidence of AE, most of which did not have clinical relevance. The PR interval and presence of long QTc were predictive of bradyarrhythmias, whereas LVD was predictive of non-sustained VT.


Assuntos
Arritmias Cardíacas/diagnóstico , Eletrocardiografia Ambulatorial/instrumentação , Transplante de Rim , Idoso , Arritmias Cardíacas/fisiopatologia , Eletrocardiografia Ambulatorial/métodos , Desenho de Equipamento , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Valor Preditivo dos Testes , Estudos Prospectivos , Diálise Renal , Medição de Risco , Fatores de Tempo
6.
J. bras. nefrol ; 36(1): 54-58, Jan-Mar/2014. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-704675

RESUMO

Objetivo: Analisar as características do doador de múltiplos órgãos, incidência e duração da função retardada do enxerto (FRE), e seu impacto na função renal no primeiro ano após o transplante. Métodos: Foi realizado um estudo retrospectivo, unicêntrico, observacional, analisando os transplantes renais com doador falecido realizados em 2010 no nosso serviço. Resultados: A taxa de FRE foi de 68%, com mediana de duração de 12 dias (variação, 1-61 dias). Quarenta e quatro (38%) pacientes apresentaram FRE com 12 ou mais dias de duração (FRE prolongada). A idade média dos doadores foi de 43 ± 13 anos e 37% deles eram hipertensos. Em 59% dos doadores, a causa da morte foi acidente cerebrovascular, e o tempo de isquemia fria (TIF) médio foi de 23 ± 5 horas. Os receptores tinham idade média de 51 ± 15 anos, tempo em diálise de 43 meses (variação, 1-269) e 25% eram sensibilizados (PRA > 0%). No modelo de regressão logística multivariada, a presença de vasculopatia na biópsia de captação foi o único fator de risco independente para o desenvolvimento de FRE prolongada [OR 3,6 IC 95% (1,2-10,2), p = 0,02]. Os pacientes com FRE prolongada apresentaram pior função renal 1 ano após o transplante em comparação com os pacientes sem FRE (SCr 1,7 vs. 1,3 mg/dL, respectivamente, p = 0,03). Conclusão: A presença de vasculopatia na biópsia de captação foi identificada como fator de risco independente para o desenvolvimento de FRE prolongada. A FRE prolongada foi associada com pior função renal no 1º ano após o transplante. .


Objective: The purpose of this study was to evaluate the impact of donor and recipient characteristics on duration of delayed graft function (DGF) and 1-year serum creatinine (SCr), as a surrogate endpoint for allograft survival. Methods: We reviewed 120 first cadaver kidney transplants carried out consecutively at our center to examine the effect on 1-year SCr of the presence and duration of DGF. Results: DGF rate was 68%, with a median duration of 12 days (range, 1-61). Forty-four (38%) patients presented DGF lasting 12 or more days (prolonged DGF group). Mean donor age was 43 ± 13 years, 37% had hypertension and in 59% the cause of brain death was cardiovascular accident. The mean cold ischemia time was 23 ± 5 hours. Twenty-seven (23%) donors were classified as expanded-criteria donors according to OPTN criteria. The mean recipient age was 51 ± 15 years. The recipients median time in dialysis was 43 months (range, 1-269) and 25% of them had panel reactive antibodies > 0%. Patients with prolonged DGF presented higher 1-year SCr in comparison with patients without DGF (1.7 vs. 1.3 mg/dL, respectively, p = 0.03). In multivariate logistic regression analysis, the only significant factor contributing to the occurrence of prolonged DGF was the presence of vascular lesions in the kidney allograft at time of transplantation (HR 3.6, 95% CI 1.2-10.2; p = 0.02). Conclusion: The presence of vasculopathy in the kidney allograft at time of transplantation was identified as an important factor independently associated with prolonged DGF. Prolonged DGF negatively impacts 1-year graft function. .


Assuntos
Adulto , Humanos , Função Retardada do Enxerto/epidemiologia , Transplante de Rim , Nefropatias/complicações , Nefropatias/cirurgia , Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia , Doenças Vasculares/complicações , Aloenxertos , Cadáver , Incidência , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco , Doadores de Tecidos , Resultado do Tratamento
7.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(2): 128-132, abr.-jun. 2013. graf, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-681945

RESUMO

INTRODUÇÃO: A doença arterial coronária é uma das principais causas de óbito em pacientes com doença renal crônica. Além disso, em decorrência da elevada prevalência de fatores de risco para aterosclerose, muitos desses pacientes necessitam de intervenção coronária percutânea (ICP) mesmo após o transplante renal. O objetivo deste estudo é descrever a evolução tardia de pacientes transplantados renais submetidos a ICP com stent. MÉTODOS: Foram incluídos pacientes transplantados renais, com idade > 18 anos, tratados com ICP. O seguimento foi realizado por análise de prontuários e contato telefônico. O desfecho do estudo foi a incidência de eventos cardíacos adversos maiores (ECAM) durante o seguimento. RESULTADOS: Foram incluídos 29 pacientes. A média de idade foi de 54,8 ± 8 anos, sendo a maioria do sexo masculino (72,4%). A prevalência de hipertensão arterial sistêmica foi de 89,7%, de dislipidemia, de 69%, e de diabetes, de 51,7%. A maior parte apresentava doença multiarterial (biarterial: 44,8%; triarterial: 41,4%). A complexidade das lesões foi elevada, sendo 84,3% dos tipos B2 ou C e 27,5% com lesões em bifurcação. A taxa de sucesso do procedimento foi de 100%. Stents convencionais foram utilizados em 96,6% dos casos. O tempo de seguimento foi de 1.378 ± 977 dias. A mortalidade foi de 25,1%, a taxa de revascularização do vaso-alvo foi de 15,9% e nenhum paciente apresentou infarto não-fatal. A incidência de ECAM durante a evolução foi de 34,5%. CONCLUSÕES: A evolução clínica tardia após ICP em pacientes transplantados renais demonstrou elevada probabilidade de eventos clínicos. No entanto, a população estudada foi uma amostra de alta complexidade clínica e angiográfica.


BACKGROUND: Coronary artery disease is a major cause of death in patients with chronic kidney disease. Moreover, due to the high prevalence of risk factors for atherosclerosis, many of these patients require percutaneous coronary intervention (PCI) even after renal transplantation. The aim of this study is to report the late follow-up of patients with renal transplantation treated with PCI and stenting. METHODS: Patients > 18 years of age, with prior kidney transplantation, and treated with PCI were included. Clinical follow-up was evaluated by medical record analysis and telephone contact. The study endpoint was the incidence of major adverse cardiac events (MACE) during follow-up. RESULTS: Twenty-nine patients were included. Mean age was 54.8 ± 8 years and the majority male (72.4%). The prevalence of hypertension was 89.7%, dyslipidemia 69% and diabetes 51.7%. Most of them had multivessel disease (2-vessel: 44.8%; 3-vessel: 41.4%). Lesion complexity was high, being 84.3% type B2 or C lesions and 27.5% bifurcation lesions. Procedural success rate was 100%. Bare metal stents were used in 96.6% of cases. The follow-up time was 1,378 ± 977 days. The mortality rate was 25.1%, target vessel revascularization rate was 15.9% and none of the patients presented non-fatal infarction. The incidence of MACE during follow-up was 34.5%. CONCLUSIONS: Late follow-up after PCI in renal transplantation patients demonstrated a high probability of clinical events. However, the study population was a sample of high clinical and angiographic complexity.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Angioplastia/métodos , Doença das Coronárias/complicações , Doença das Coronárias/mortalidade , Transplante de Rim , Stents , Falência Renal Crônica/complicações , Falência Renal Crônica/mortalidade , Estudos Prospectivos , Fatores de Risco
8.
J Bras Nefrol ; 33(3): 345-50, 2011 Jul-Sep.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-22042352

RESUMO

INTRODUCTION: In the current era of scarcity of kidneys available for transplantation, and chronic anti-HLA-mediated rejection as a main cause of graft loss, continuous demonstration of the long-term survival of grafts from living unrelated kidney donors (LURD) is paramount. OBJECTIVE: Analyze long-term kidney graft and patient outcomes using LURD, and compare them with living related donors (LRD). METHODS: We analyzed the 389 first renal transplantations performed with a living donor (281 LRD and 108 LURD), in a single center, from January 1998 through December 2007. RESULTS: There were no significant differences between LRD and LURD as refers to patient survival (89.1% vs. 84.7%, p = 0.40, respectively) and graft survival (81.1% vs. 68.9%, p = 0.77, respectively), 10 years post-transplantation. On Cox proportional regression model of multivariate analysis, panel reactive antibodies (PRA) > 10% and the occurrence of acute rejection in the first year posttransplantation were the only independent predictors of graft loss (HR 2.54, 95% CI 1.35 -4.78; p < 0.05 and HR 4.1, 95% CI 2.04 - 4.78; p < 0.05, respectively). CONCLUSION: LURD are an important source of organs for renal transplantation, with results similar to those obtained with LRD, regardless of HLA matching.


Assuntos
Transplante de Rim , Doadores Vivos , Adulto , Feminino , Seguimentos , Sobrevivência de Enxerto , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Retrospectivos , Fatores de Tempo
9.
J. bras. nefrol ; 33(3): 345-350, jul.-set. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-604365

RESUMO

INTRODUÇÃO: No contexto atual da elevada escassez de órgãos para o transplante renal e do reconhecimento cada vez maior da rejeição crônica mediada por anticorpos anti-HLA como uma importante causa de perda do enxerto, uma contínua demonstração da boa evolução a longo prazo de transplantes renais com doadores vivos não aparentados (DVNA) é de suma importância. OBJETIVOS: Analisar a sobrevida do enxerto e dos pacientes transplantados com DVNA, e compará-la com doadores vivos aparentados (DVA). MÉTODOS: Foram analisados 389 primeiros transplantes renais com doador vivo realizados em um único centro, entre janeiro de 1998 e dezembro de 2007, 281 com DVA e 108 com DVNA. RESULTADOS: Não houve diferença significativa na sobrevida dos pacientes (89,1 por cento vs. 84,7 por cento, p = 0,40) e do enxerto (81,1 por cento vs. 68,9 por cento, p = 0,77), em 10 anos de seguimento, entre DVA e DVNA, respectivamente. Na análise multivariada do modelo de regressão proporcional de Cox, a reatividade contra painel (PRA) > 10 por cento e a ocorrência de rejeição aguda no 1º ano após o transplante foram os únicos preditores independentes de perda do enxerto (OR 2,54, IC 95 por cento 1,35 - 4,78; p < 0,05 e OR 4,1, IC 95 por cento 2,04 -4,78; p < 0,05, respectivamente). CONCLUSÃO: Transplantes renais com DVNA representam uma importante fonte de órgãos para suprir uma crescente demanda, com resultados semelhantes aos transplantes com DVA, independente da compatibilidade HLA.


INTRODUCTION: In the current era of scarcity of kidneys available for transplantation, and chronic anti-HLA-mediated rejection as a main cause of graft loss, continuous demonstration of the long-term survival of grafts from living unrelated kidney donors (LURD) is paramount. OBJECTIVE: Analyze long-term kidney graft and patient outcomes using LURD, and compare them with living related donors (LRD). METHODS: We analyzed the 389 first renal transplantations performed with a living donor (281 LRD and 108 LURD), in a single center, from January 1998 through December 2007. RESULTS: There were no significant differences between LRD and LURD as refers to patient survival (89.1 percent vs. 84.7 percent, p = 0.40, respectively) and graft survival (81.1 percent vs. 68.9 percent, p = 0.77, respectively), 10 years post-transplantation. On Cox proportional regression model of multivariate analysis, panel reactive antibodies (PRA) > 10 percent and the occurrence of acute rejection in the first year posttransplantation were the only independent predictors of graft loss (HR 2.54, 95 percent CI 1.35 -4.78; p < 0.05 and HR 4.1, 95 percent CI 2.04 - 4.78; p < 0.05, respectively). CONCLUSION: LURD are an important source of organs for renal transplantation, with results similar to those obtained with LRD, regardless of HLA matching.


Assuntos
Adulto , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Transplante de Rim , Doadores Vivos , Seguimentos , Sobrevivência de Enxerto , Estudos Retrospectivos , Fatores de Tempo
10.
Arq Bras Cardiol ; 96(3 Suppl 1): 1-68, 2011.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-21655875
11.
Arq. bras. cardiol ; 96(3,supl.1): 1-68, 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-588887
12.
Arq Bras Cardiol ; 84(2): 156-60, 2005 Feb.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-15761640

RESUMO

OBJECTIVE: To determine the prevalence of cardiovascular disease (CVD) and traditional risk factors in patients with chronic renal failure undergoing evaluation for inclusion on the renal transplantation list. METHODS: One hundred ninety-five patients with dialytic chronic renal failure underwent clinical evaluation and complementary tests and were compared with a group of 334 hypertensive patients paired for age. The Framingham equations were used for calculating the absolute risk (AR). The relative risk (RR) was calculated based on the absolute risk of the low-risk Framingham cohort. RESULTS: Thirty-seven percent of the patients had some sort of cardiovascular disease on the initial evaluation, peripheral vascular disease (23%) being the most prevalent. Patients with cardiovascular disease were excluded. Regarding traditional risk factors, a significant difference was observed in systolic blood pressure and total cholesterol (greater in the hypertensive group), and in the prevalence of men, diabetes, and smoking, which were greater in the chronic renal failure group. The latter had a greater degree of left ventricular hypertrophy, lower diastolic blood pressure, and a lower prevalence of familial history of cardiovascular disease and obesity. The relative risk for cardiovascular disease in patients with chronic renal failure was greater compared with that in the Framingham control population, but it did not differ from that observed in the group of hypertensive individuals. CONCLUSION: The prevalence of cardiovascular disease and traditional risk factors is high among candidates for renal transplantation; the Framingham equations do not adequately quantify the real cardiovascular risk, and other risk factors specific for that population should contribute for their greater cardiovascular risk.


Assuntos
Doenças Cardiovasculares/epidemiologia , Falência Renal Crônica , Transplante de Rim , Idoso , Brasil/epidemiologia , Doenças Cardiovasculares/etiologia , Estudos de Casos e Controles , Feminino , Humanos , Falência Renal Crônica/complicações , Falência Renal Crônica/fisiopatologia , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Cuidados Pré-Operatórios , Prevalência , Fatores de Risco , Listas de Espera
13.
Arq. bras. cardiol ; 84(2): 156-160, fev. 2005. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-393674

RESUMO

OBJETIVO: Determinar a prevalência de doença cardiovascular (DCV) e de fatores de risco tradicionais em portadores de insuficiência renal crônica em avaliação para inclusão em lista para transplante renal. MÉTODOS: Foram submetidos à avaliação clínica e exames complementares 195 pacientes com insuficiência renal crônica dialítica e comparados a grupo de 334 hipertensos pareados por idade. As equações de Framingham foram usadas para o cálculo do risco absoluto (RA); o risco relativo (RR) foi calculado tendo como referência o risco absoluto da coorte de baixo risco de Framingham. RESULTADOS: Do total, 37 por cento apresentaram algum tipo de doença cardiovascular na avaliação inicial, sendo que arteriopatia obstrutiva (23 por cento) foi a mais prevalente. Excluídos os pacientes com doença cardiovascular, em relação aos fatores de risco tradicionais, houve diferença significativa quanto à pressão arterial sistólica e colesterol total (maiores no grupo de hipertensos) e às prevalências de homens, diabetes e tabagismo, maiores no grupo de insuficiência renal crônica, que apresentou maior grau de hipertrofia ventricular esquerda, menor pressão arterial diastólica e menor prevalência de história familiar de doença cardiovascular e obesidade. O risco relativo para doença cardiovascular dos pacientes com insuficiência renal crônica foi mais elevado em relação à população controle de Framingham porém não diferiu da observada no grupo de hipertensos. CONCLUSÃO: Em candidatos a transplante renal é significativa a prevalência de doença cardiovascular e de fatores de risco tradicionais; as equações de Framingham não quantificam adequadamente o risco cardiovascular real e outros fatores de risco específicos desta população devem contribuir para o maior risco cardiovascular.


Assuntos
Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Doenças Cardiovasculares/epidemiologia , Falência Renal Crônica , Transplante de Rim , Brasil/epidemiologia , Estudos de Casos e Controles , Doenças Cardiovasculares/etiologia , Falência Renal Crônica/complicações , Falência Renal Crônica/fisiopatologia , Cuidados Pré-Operatórios , Prevalência , Fatores de Risco , Listas de Espera
14.
Rev. Hosp. Clin. Fac. Med. Univ. Säo Paulo ; 55(5): 161-8, Sept. 2000. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-275168

RESUMO

PURPOSE: Hyperhomocyst(e)inaemia is an important risk factor for atherosclerosis, which is currently a major cause of death in renal transplant patients. The aim of this study was to assess the influence of immunosuppressive therapy on homocyst(e)inemia in renal transplant recipients. METHODS: Total serum homocysteine (by high performance liquid chromatography), creatinine, lipid profile, folic acid (by radioimmunoassay-RIA) and vitamin B12 (by RIA) concentrations were measured in 3 groups. Group I patients (n=20) were under treatment with cyclosporine, azathioprine, and prednisone; group II (n=9) were under treatment with azathioprine and prednisone; and group III (n=7) were composed of renal graft donors for groups I and II. Creatinine, estimated creatinine clearance, cyclosporine trough level, lipid profile, folic acid, and vitamin B12 concentrations and clinical characteristics of patients were assessed with the aim of ascertaining determinants of hyperhomocyst(e)inemia. RESULTS: Patient ages were 48.8 ñ 15.1 yr (group I), 43.3 ñ 11.3 yr (group II); and 46.5 ñ 14.8 yr (group III). Mean serum homocyst(e)ine (tHcy) concentrations were 18.07 ñ 8.29 mmol/l in renal transplant recipients; 16.55 ñ 5.6 mmol/l and 21.44 ñ 12.1 mmol/l respectively for group I (with cyclosporine) and group II (without cyclosporine) (NS). In renal donors, tHcy was significantly lower (9.07 ñ 3.06 mmol/l; group I + group II vs. group III, p<0.008). There was an unadjusted correlation (p<0.10) between age (r=0.427; p<0.005) body weight (r=0.412; p<0.05), serum creatinine (r=0.427; p<0.05), estimated creatinine clearance (r=0.316; p<0.10), and tHcy in renal recipients (group I +II). Independent regressors (r2=0.46) identified in the multiple regression model were age (coefficient= 0.253; p=0.009) and serum creatinine (coefficient=8.07; p=0.045). We found no cases of hyperhomocyst(e)inemia in the control group. In contrast, 38 per cent of renal recipients had hyperhomocyst(e)inemia: 7 cases (35 per cent) on cyclosporine and 4 (45 per cent) without cyclosporine, based on serum normal levels. CONCLUSIONS: Renal transplant recipients frequently have hyperhomocyst(e)inemia. Hyperhomocyst(e)inemia in renal transplant patients is independent of the scheme of immunosuppression they are taking. The older the patients are and the higher are their serum creatinine levels, the more susceptible they are to hyperhomocyst(e)inemia following renal transplantation


Assuntos
Humanos , Pessoa de Meia-Idade , Creatinina/sangue , Homocisteína/sangue , Hiper-Homocisteinemia/etiologia , Imunossupressores/efeitos adversos , Transplante de Rim , Anti-Inflamatórios/efeitos adversos , Azatioprina/uso terapêutico , Cromatografia Líquida de Alta Pressão , Estudos Transversais , Ciclosporina/uso terapêutico , Prednisona/uso terapêutico
15.
J. bras. nefrol ; 19(2): 138-42, jun. 1997. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-209443

RESUMO

O objetivo do presente estudo é avaliar os casos de óbito por hepatopatia (cirrose, hepatoma e hepatite aguda) no pós-transplante renal de 1511 pacientes submetidos a 1670 tx renais, entre janeiro de 1965 e dezembro de 1990, com um tempo mínimo de seguimento de quatro anos. O número total de óbitos no período de observaçäo foi de 593 (39,17 por cento), sendo 41 casos (6,9 por cento) em consequência de hepatopatia: 28 casos por cirrose, 7 por hepatoma e 6 por hepatite aguda. Quanto aos dados demográficos, 38 pacientes (92,7 por cento) eram do sexo masculino, enquanto que na populaçäo geral de receptores de tx, 60 por cento dos pacientes sao deste sexo. O tempo médio do óbito pós-transplante nos casos de cirrose e hepatoma foi 115,05 + 60,6 meses, com uma mediana de 103 meses (15-255), ocorrendo 37,1 por cento deles após o 10§ ano e somente 17 por cento nos primeiros 5 anos pós-tx. Todos os óbitos por hepatite aguda ocorreram nos primeiros 5 anos pós-tx. Nos casos de cirrose verificou-se que 19 (67,8 por cento) pacientes eram portadores do HBsAg e 8 (28,6 por cento) apresentavam sorologia anti-HVC positiva. Nos 7 óbitos ocorridos por hepatoma 6 pacientes eram portadores do HBsAg.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Causas de Morte , Complicações Pós-Operatórias/etiologia , Transplante de Rim , Hepatopatias/complicações , Doença Aguda , Antígenos de Superfície da Hepatite B/isolamento & purificação , Carcinoma Hepatocelular/complicações , Cirrose Hepática/complicações , Seguimentos , Anticorpos Anti-Hepatite/isolamento & purificação , Hepatite C/imunologia , Hepatite/complicações , Vírus da Hepatite B/isolamento & purificação
17.
Rev. Hosp. Clin. Fac. Med. Univ. Säo Paulo ; 47(4): 180-4, jul.-ago. 1992. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-125173

RESUMO

O objetivo do presente trabalho foi analisar as perdas do enxerto, apos transplante renal em um grupo de 487 transplantes, sendo doador vivo relacionado 252 (51,46 por cento), doador cadaver 139 (28,5 por cento) e doador vivo nao relacionado 96 (19,7 por cento), feitos entre janeiro de 1986 a maio de 1990. Um total de 74 rins foi perdido nos primeiros tres meses pos transplante (15,19 por cento). Trinta e quatro casos por causa imunologica (45,9 por cento), 21 casos (28,3 por cento) por obito do paciente e 19 casos (25,7 por cento) por causa tecnica. Quanto ao doador a percentagem de perdas foi 9,52 por cento doador vivo relacionado, 24,46 por cento doador cadaver e 16,66 por cento doador vivo nao relacionado. Das 34 perdas por causas imunologicas, estas foram rejeicao de carater humoral 32 casos (rejeicao vascular aguda 11 casos, rejeicao humoral tardia 11 casos e rejeicao humoral imediata 9 casos), rejeicao celular aguda foi observada em um unico caso. Nenhum paciente faleceu por perda do enxerto por causa imunologica. A causa mais frequente dos 21 obitos foi sepsis (13 casos) e o foco mais comum foi pulmonar (5 casos). Quanto ao doador foi mais frequente no doador cadaver 10,07 por cento e somente 1,98 por cento no doador vivo relacionado e 2,08 por cento no doador vivo nao relacionado...


Assuntos
Criança , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Humanos , Transplante de Rim/mortalidade , Análise de Sobrevida , Imunossupressão/efeitos adversos , Transplante de Rim/imunologia , Rejeição de Enxerto/imunologia
18.
AMB rev. Assoc. Med. Bras ; 37(2): 67-72, abr.-jun. 1991. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-97755

RESUMO

Os autores relatam sua experiência com o uso da ciclosproina-A (CsA) em transplante renal. Quando comparada com o esquema clássico (azatioprina e predinisona), a CsA, tanto associada à prednisona (esquema duplo), como associada à azatioprina e prednisona (esquema tríplice), contribuiu para uma considerável melhora na sobrevida do enxerto e do paciente. A CsA foi usada também em substituiçäo à azatioprina em pacientes com hepatopatia induzida ou agravada pela azatioprina. Os resultados iniciais säo promissores. Com o objetivo de favorecer o crescimento de crianças com déficit estatural, a CsA foi introduzida com retirada posterior da prednisona e manutençäo da azatioprina. Houve recuperaçäo do ritmo em todas elas. Este esquema parece ser o ideal para se empregar em crianças. Uma cuidadosa manutençäo dos níveis sanguíneos adequados de CsA evita ou minimiza a sua nefortoxicidade. Para atingir os níveis terapêuticos ideais, os pacientes hepatopatas necessitam doses mais baixas e as crianças, mais altas. Em resumo, a CsA, adequadamente manuseada, é um excelente imunossupressor


Assuntos
Humanos , Criança , Azatioprina/uso terapêutico , Ciclosporinas/uso terapêutico , Transplante de Rim , Prednisona/uso terapêutico , Azatioprina/administração & dosagem , Ensaios Clínicos como Assunto , Ciclosporinas/administração & dosagem , Esquema de Medicação , Seguimentos , Unidades Hospitalares , Hospitais Universitários , Prednisona/administração & dosagem
19.
AMB rev. Assoc. Med. Bras ; 35(2): 49-52, mar.-abr. 1989. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-78166

RESUMO

Foram observadas 35 gestaçöes, das quais uma ectópica e quatro ainda em evoluçäo. Ocorreram quatro abortos, dois espontâneos e dous provocados, nenhum por indicaçäo médica. Foram verificados natimortos a 26 e 30 semanas, todos de mäe com rebaixamento funcional renal, hipertensäo arterial ou proteinúria. Uma criança faleceu dois dias após o parto por complicaçöes respiratórias infecciosas, e uma outra com microcefalia e polidactilia sobreviveu seis anos. Nasceram vinte crianças sem anormalidades, embora várias com peso baixo para a idade gestacional, sendo 2/3 através de cesariana. O parto vaginal näo trouxe complicaçöes para o rim pélvico. Uma paciente faleceu no 6§ mês, com feto morto retido, em sepse. Infecçäo urinária de fácil controle foi observada em quatro pacientes. Uma paciente desenvolveu icterícia revertida com diminuiçäo da dose de azatioprina. O aleitamento materno näo foi permitido em nnenhum caso. Na maioria das pacientes a funçäo do enxerto aumentou durante a gravidez, de modo semelhante as mulheres grávidas näo transplantadas. Em cinco casos (4%) ocorreu agravamento progressivo da funçäo renal atribuido, em quatro, ao dano renal presente pré-gestacional. Nenhum caso de toxemia gravídica foi observado nesta casuística. Anemia surgiu na evoluçäo de 11 gestaçöes, das quais cinco necessitaram de transfuçöes sangüíneas. Em todas a imunossupressäo foi efetuada com azatioprina e prednisona


Assuntos
Humanos , Feminino , Rim/transplante , Gravidez , Pressão Sanguínea , Creatinina/sangue , Rim/fisiologia , Rim/fisiopatologia
20.
Rev. Inst. Med. Trop. Säo Paulo ; 29(5): 268-75, set.-out. 1987. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-45339

RESUMO

Tuberculose (TB) foi diagnosticada em 25 de 466 pacientes submetidos a transplante renal. A TB surgiu entre 1 mês e 9 anos pós-transplante. O pulmäo foi acometido em 76% dos casos, isoladamente (56%), ou associado a outras localizaçöes (20%). Os outros órgäos envolvidos foram: pele, articulaçöes, testículos, trato urinário, sistema nervoso central e linfonodos. O diagnóstico foi confirmado por biópsia em 64% dos casos, pela identificaçäo do bacilo em 24% e apenas à necrópsia em 12%. Três formas histológicas foram identificadas: exudativa (nos casos de aparecimento precoce e de maior gravidade) granulomatosa (naqueles benignos e de aparecimento tardio) e mista (naqueles intermediários). As doses de azotioprina foram constantes ao longo do período pós-transplante, tanto no grupo tyberculoso como no controle, bem como nos pacientes tuberculosos que faleceram e que se curaram. O número de crises de rejeiçäo tratadas foi maior no grupo TB do que no grupo controle. As doses de prednisoma e o número de crises de rejeiçäo foram maiores nos pacientes tuberculosos que faleceram do que naqueles que sobreviveram. Quinze pacientes se curaram e 10 faleceram, oito de causas relacionadas à TB. Seis destes óbitos ocorreram nos 6 primeiros meses pós-transplante. Em um paciente a TB foi transmitida pelo enxerto


Assuntos
Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Humanos , Rim/transplante , Complicações Pós-Operatórias , Transplante/efeitos adversos , Tuberculose Pulmonar/etiologia , Tuberculose/etiologia , Imunossupressão
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA