Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Texto & contexto enferm ; 29: e20180499, Jan.-Dec. 2020. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1059144

RESUMO

ABSTRACT Objectiv:e to analyze the relationship of anxiety and depression in the preoperative period with the presence of pain in the postoperative period. Method: cohort study conducted at a university hospital in the state of Minas Gerais (Brazil), between february and July 2017, with 65 patients. A collection instrument was elaborated for the demographic and clinical characteristics. The Hospital Anxiety and Depression Scale was used to assess anxiety and depression; pain intensity was measured using the Verbal Numerical Scale. Data were submitted to descriptive and inferential statistical analysis. Results: according to demographic and clinical characteristics, most patients were female, with a median age of 44 years and surgical specialty of the digestive tract. In the preoperative period, 31 (47.7%) had anxiety, and nine (13.8%), depression. None of the patients reported pain immediately prior to surgery. The incidence of moderate to severe postoperative pain was 32 (49.2%) patients. There was a statistically significant difference in the distribution of patients with postoperative pain in relation to the presence or absence of preoperative anxiety (p value <0.001). There is no statistically significant difference in the distribution of patients with postoperative pain in relation to the presence or absence of preoperative depression (0.733). In multivariate analysis, preoperative anxiety was a predictive factor for postoperative pain. Depression was not a predictive factor of postoperative pain. Conclusion: It was demonstrated that, regardless of the demographic and clinical characteristics of the studied sample, the presence of anxiety in patients in the preoperative period is a predictive factor of postoperative pain.


RESUMEN Objetivo: analizar la relación de la ansiedad y la depresión en el período pre-operatorio con la presencia del dolor pre-operatorio. Método: estudio realizado en un hospital universitario en el estado de Minas Gerais (Brasil), entre febrero y julio de 2017, con 65 pacientes. Se elaboró un instrumento de recolección para las características demográficas y clínicas. A Hospital Anxiety and Depression Scale se utilizó para evaluar la ansiedad y la depresión; La intensidad del dolor se midió utilizando la Escala Numérica Verbal. Los datos fueron sometidos a análisis estadístico descriptivo e inferencial. Resultados: según las características demográficas y clínicas, la mayoría de los pacientes eran mujeres, con una edad media de 44 años y especialidad quirúrgica del tracto digestivo. En el período pre-operatorio, 31 (47.7%) tenían ansiedad y nueve (13.8%), depresión. Ninguno de los pacientes informó dolor inmediatamente antes de la cirugía. La incidencia de dolor pos-operatorio moderado a intenso fue de 32 (49,2%) pacientes. Hubo una diferencia estadísticamente significativa en la distribución de pacientes con dolor pos-operatorio en relación con la presencia o ausencia de ansiedad pre-operatoria (valor de p <0,001). No existe una diferencia estadísticamente significativa en la distribución de pacientes con dolor pos-operatorio en relación con la presencia o ausencia de depresión pre-operatoria (0.733). En el análisis multivariable, la ansiedad pre-operatoria fue un factor predictivo para el dolor pos-operatorio. La depresión no fue un predictor de dolor pos-operatorio. Conclusión: se demostró que, independientemente de las características demográficas y clínicas de la muestra estudiada, la presencia de ansiedad en pacientes en el período pre-operatorio es un factor predictivo de dolor pos-operatorio.


RESUMO Objetivo: analisar a relação da ansiedade e da depressão no período pré-operatório com a presença da dor no período pós-operatório. Método: estudo de coorte realizado em um hospital universitário do estado de Minas Gerais (Brasil), entre fevereiro e julho de 2017, com 65 pacientes. Foi elaborado um instrumento de coleta para as características demográficas e clínicas. A Hospital Anxiety and Depression Scale foi utilizada para avaliar a ansiedade e a depressão; a intensidade da dor foi medida por meio da Escala Numérica Verbal. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e inferencial. Resultados: segundo as características demográficas e clínicas, a maioria dos pacientes era do gênero feminino, com mediana de idade de 44 anos e especialidade cirúrgica do aparelho digestivo. No período pré-operatório, 31 (47,7%) apresentavam ansiedade, e nove (13,8%), depressão. Nenhum dos pacientes relatou dor no momento imediatamente anterior à cirurgia. A incidência de dor moderada a severa no período pós-operatório foi de 32 (49,2%) pacientes. Existiu diferença estatisticamente significativa na distribuição de pacientes com dor pós-operatória em relação à presença ou não da ansiedade pré-operatória (valor p<0,001). Não existe diferença estatisticamente significativa na distribuição dos pacientes com dor no período pós-operatório em relação à presença ou não da depressão pré-operatória (0,733). Na análise multivariada, a ansiedade pré-operatória foi um fator preditivo para dor pós-operatória. A depressão não foi um fator preditivo da dor pós-operatória. Conclusão: foi demonstrado que, independentemente das características demográficas e clínicas da amostra estudada, a presença da ansiedade nos pacientes no período pré-operatório é um fator preditivo da dor no período pós-operatório.

2.
Belo Horizonte; s.n; 2018. 67 p. tab.
Tese em Português | BDENF - Enfermagem | ID: bde-33448

RESUMO

Introdução: Diversos estudos apontam que distúrbios psicológicos e fisiológicos impedem uma recuperação pós-operatória ótima, alguns relataram consistentemente associações entre as medidas da ansiedade pré-operatória e a dor pós-operatória, mas ainda não há consenso geral, devido a diferenças metodológicas específicas desses estudos. Objetivo: Este estudo teve como objetivo analisar a relação entre a ansiedade no período pré-operatório e a dor no período pós-operatório. Método: Trata-se de um estudo observacional, analítico, prospectivo, realizado em dois momentos de avaliação, antes e depois do procedimento cirúrgico. Como local para o estudo, foi escolhido o Centro Cirúrgico e as enfermarias clínica-cirúrgicas de um hospital universitário do estado de Minas Gerais. Para seleção dos pacientes, foi feita uma amostragem não probabilística, por conveniência, dos casos consecutivos os quais realizaram cirurgia eletiva, nos meses de fevereiro a julho de 2017. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi elaborado um Instrumento de Coleta de Dados, submetido à avaliação de três juízes enfermeiros e pesquisadores. Para avaliação da ansiedade foi utilizada a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão, e a Escala Numérica Verbal para mensuração da intensidade da dor. A coleta de dados ocorreu em duas fases, a primeira durante o período pré-operatório, na sala de recepção do Centro Cirúrgico e a segunda durante o período pós-operatório, na clínica cirúrgica. Os dados foram analisados por meio do programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences para Windows versão 22.0. A análise estatística foi realizada pelo teste T de Student, teste Qui-quadrado ou exato de Fisher, e a regressão logística binária, considerando nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%. Resultados: A amostra final foi constituída por 50 pacientes, 84,0% foi do sexo feminino e a idade média foi de 40,96±11,15 an...(AU)


Several studies indicate that psychological and physiological disorders impede optimal postoperative recovery, some have consistently reported associations between preoperative anxiety measures and postoperative pain, but there is still no general consensus because of methodological differences in those studies. Objective: This study aimed to analyze the relationship between anxiety in the preoperative period and pain in the postoperative period. Method: This is an observational, analytical, prospective study, held in two moments of evaluation: before and after the surgical procedure. As a place of study, the Surgical Center and the clinical-surgical wards of a university hospital in the state of Minas Gerais were chosen. For the selection of the patients, a non-probabilistic sample for convenience was drawn, of the consecutive cases who underwent elective surgery from February to July 2017. The project was approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of Minas Gerais. A Data Collection Instrument was prepared and submitted for evaluation of three nursing judges and researchers. The Hospital Anxiety and Depression Scale and the Verbal Numerical Scale were used to assess the intensity of pain. Data were collected in two phases, the first during the preoperative period, performed in the reception room of the Surgical Center and the second during the postoperative period, performed in the surgical clinic. The data were analyzed through the statistical program Statistical Package for the Social Sciences for Windows version 22.0. Statistical analysis was performed using Student's t-test, chi-square test or Fisher's exact test and binary logistic regression, it was considered a significance level of...(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Ansiedade , Dor/psicologia , Enfermagem Perioperatória , Inquéritos e Questionários , Período Pós-Operatório , Período Pré-Operatório , Fatores Socioeconômicos
3.
Rev. SOBECC ; 22(2): 60-67, abr.-jun 2017.
Artigo em Inglês, Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-848184

RESUMO

Objetivo: Analisar a saturação periférica de oxigênio na utilização da oxigenoterapia na primeira hora de pacientes em sala de recuperação pós-anestésica. Método: Estudo comparativo, prospectivo e quantitativo, em um hospital federal localizado em Belo Horizonte, Minas Gerais. A amostra foi constituída por 60 adultos, distribuídos em dois grupos, sem ou com oxigenoterapia, e teve como um dos critérios de inclusão a saturação periférica de oxigênio maior ou igual a 95% na entrada da sala de recuperação pós-anestésica. Resultados: Completados 60 minutos, 5 pacientes sem oxigenoterapia (16,7%) e 2 pacientes com oxigenoterapia (6,7%) apresentavam hipoxemia leve. Houve diferença marginalmente significativa entre os dois grupos para a saturação periférica de oxigênio normal (p=0,0563) e hipoxemia leve (p=0,0578). Conclusão: É importante a implantação de protocolos de recepção de pacientes na sala de recuperação pós-anestésica, incluindo a oxigenoterapia, com o objetivo de manter a saturação periférica de oxigênio, minimizando as complicações da hipoxemia.


Objective: Objective: To analyze the peripheral oxygen saturation in the use of oxygen therapy in the patient's first hour in a postanesthetic care unit. Method: Prospective, quantitative, and comparative study in a federal hospital located in Belo Horizonte, Minas Gerais. The sample consisted of 60 adults divided into two groups, with or without oxygen therapy, and one of the inclusion criteria was peripheral oxygen saturation, greater than or equal to 95% upon admittance to the postanesthetic care unit. Results: After 60 minutes, 5 patients without oxygen therapy (16.7%) and 2 patients with oxygen therapy (6.7%) showed mild hypoxemia. There was a marginally significant difference between the two groups for normal oxygen saturation (p=0.0563) and mild hypoxemia (p=0.0578). Conclusion: It is important to implement protocols for the admittance of patients to the postanesthetic care unit, including oxygen therapy, in order to maintain peripheral oxygen saturation, aiming to minimize the complications of hypoxemia.


Objetivo: Analizar la saturación periférica de oxígeno en la utilización de la oxigenoterapia en la primera hora de pacientes en sala de recuperación pos-anestésica. Método: Estudio comparativo, prospectivo y cuantitativo, en un hospital federal localizado en Belo Horizonte, Minas Gerais. La muestra fue constituida por 60 adultos, distribuidos en dos grupos, sin o con oxigenoterapia, y tuvo como uno dos criterios de inclusión la saturación periférica de oxígeno mayor o igual al 95% en la entrada de la sala de recuperación pos-anestésica. Resultados: Completados 60 minutos, 5 pacientes sin oxigenoterapia (16,7%) y 2 pacientes con oxigenoterapia (6,7%) presentaban hipoxemia leve. Hubo diferencia marginalmente significativa entre los dos grupos para la saturación periférica de oxígeno normal (p=0,0563) e hipoxemia leve (p=0,0578). Conclusión: Es importante la implantación de protocolos de recepción de pacientes en la sala de recuperación pos-anestésica, incluyendo la oxigenoterapia, con el objetivo de mantener la saturación periférica de oxígeno, minimizando las complicaciones de la hipoxemia.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Oxigenoterapia , Período de Recuperação da Anestesia , Nível de Oxigênio , Oximetria , Pulmão , Hipóxia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA