Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 7 de 7
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
São Paulo; s.n; 2018. 183 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-908618

RESUMO

A segurança alimentar e nutricional (SAN) é uma política que ainda está em construção no país e no mundo. No Brasil, o Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutrição (PLANSAN) é o principal instrumento para planejamento, gerenciamento e execução desta política. Este plano busca superar grandes desafios, através de iniciativas que atinjam metas prioritárias para atingir seus objetivos estratégicos, permitindo a conquista progressiva do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA). No contexto municipal, o ano de 2016 foi marcado por alguns avanços, entre eles a publicação do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo (PLAMSAN 2016-2020). Este estudo de caso investigou, sistematizou e analisou o processo de elaboração do 1º Plano de SAN da maior metrópole do país sob a ótica da participação social e da intersetorialidade, princípios estabelecidos pela Promoção da Saúde. A pesquisa qualitativa, de caráter participativo, apoiou-se na triangulação de métodos, envolvendo as seguintes técnicas: observação participante, entrevista com informante-chave, constructo de um modelo lógico, além de outras técnicas que emergiram ao longo da investigação, como é o caso do mapeamento e diagnóstico de ações em SAN na região do Butantã, considerado como uma contrapartida da pesquisa. Verificou-se que a participação social foi um dos mecanismos utilizados para envolver governo e população, visando o estabelecimento de compromissos voltados à consolidação da SAN enquanto uma política pública promotora de saúde. A intersetorialidade ocorreu devido à composição da Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN Municipal), envolvendo sete secretarias municipais e outros esforços de quem liderou o processo, como os membros do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo (COMUSAN). A descentralização administrativa e política das ações permitiu que fossem contempladas as propostas locais no PLAMSAN, sendo consideradas as realidades dos territórios da cidade. Os dois princípios da Promoção da Saúde e da SAN, participação social e intersetorialidade, estiveram presentes em todas as etapas de elaboração do PLAMSAN. O processo demonstrou ter sido exitoso, podendo ser replicado em outros municípios de qualquer cidade no mundo, em especial, em processos com caráter educativo voltados à formação de atores sociais e agentes públicos envolvidos com elaboração de políticas públicas saudáveis


Food and Nutrition Security (FNS) is a policy that is still under construction in the country and abroad. In Brazil, the National Food and Nutrition Security Plan is the main instrument for the planning, management, and execution of this policy. This plan seeks to overcome major challenges through initiatives that reach priority goals to achieve its strategic objectives, allowing the progressive conquest of the Human Right to Adequate Food. In the municipal context, the year of 2016 was marked by some advances, among them the publication of the Municipal Plan of Food and Nutrition Security of São Paulo (PLAMSAN 2016-2020). This case study investigated, systematized and analyzed the elaborating process of the First Food and Nutrition Security Plan of the largest metropolis in the country, from the viewpoint of social participation and intersectoriality, principles established by Health Promotion. The participatory qualitative research was based on the triangulation of methods, involving the following techniques: participant observation, interview with a key-informant, construction of a logical model, as well as other techniques that emerged during the investigation, such as the case of mapping and diagnosis of FSN actions in the Butantã region, considered as a counterpart of the research. It was verified that social participation was one of the mechanisms used to involve government and population, aiming at establishing of commitments focus on the consolidating the FSN as a public policy promoting health. The intersectoriality occurred due to the intersectoral composition of the Intersecretarial Chamber of Food and Nutrition Security (CAISAN Municipal), involving seven municipal secretariats, in addition to the efforts of those who led the process as the members of the Municipal Council of Food and Nutrition Security of São Paulo (COMUSAN). The local proposals were considered in the PLAMSAN due to administrative and political actions decentralization, taking into account the realities of the city\'s territories. The two principles of Health Promotion and Food and Nutrition Security, social participation and intersectoriality, were presented in all stages of the preparation of PLAMSAN. The process has proved to be successful and can be replicated in any city in the world, especially in educational processes aimed at the formation of social actors and public agents involved in the elaboration of healthy public policies


Assuntos
Segurança Alimentar , Promoção da Saúde , Colaboração Intersetorial , Política Pública , Participação Social , Pesquisa Participativa Baseada na Comunidade , Pesquisa Qualitativa
2.
Cien Saude Colet ; 20(10): 3099-110, 2015 Oct.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-26465852

RESUMO

Urban and peri-urban agriculture (UPA) is being practiced in different settings, contributing to the improvement of health in communities and healthier environments. In order to identify the meanings and implications of the practice of UPA in Primary Healthcare Units (PHU) as an activity of health promotion (HP), and to what extent its therapeutic dimension characterizes it as an activity aligned with complementary and integrative practices (CIP), a qualitative cross-sectional study was performed in Embu das Artes, State of São Paulo. From the analysis, the following main themes arose: health concept, health outcomes, the return to traditional practices and habits and the reorientation of health services. It was possible to identify the close link between the cultivation of vegetable gardens and HP guidelines and fields of action, such as creating healthier environments, boosting community actions, developing personal skills, stimulating autonomy and empowerment and demands for the reorientation of services. The garden activities, set up in PHU areas, proved to be an implementation strategy of CIP. The conclusion reached is that vegetable gardening activities in community gardens are seen to be health promotion practices that integrate key elements of CIP.


Assuntos
Jardins , Promoção da Saúde , Atenção Primária à Saúde , Verduras , Brasil , Estudos Transversais , Humanos , População Urbana
3.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 20(10): 3099-3110, Out. 2015. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-761781

RESUMO

ResumoA agricultura urbana e periurbana (AUP) vem sendo praticada em diferentes espaços, contribuindo para a melhoria da saúde nas comunidades e ambientes mais saudáveis. Objetivando identificar significados e repercussões da prática da AUP em Unidades Básicas de Saúde (UBS), enquanto uma atividade de Promoção da Saúde (PS), e em que medida sua dimensão terapêutica a caracteriza como uma atividade alinhada às práticas integrativas e complementares, foi realizado um estudo transversal com abordagem qualitativa no município de Embu das Artes, SP. Da análise, emergiram as seguintes categorias: concepção de saúde, resultados na saúde, resgate de práticas e hábitos tradicionais e reorientação dos serviços de saúde. Identificou-se a estreita ligação entre a prática das hortas e as diretrizes e campos de ação da PS como: criação de ambientes saudáveis, reforço da ação comunitária, desenvolvimento de habilidades pessoais, estímulo à autonomia e empoderamento e demandas por reorientação dos serviços. As atividades de horta instituídas nas UBS se mostraram uma estratégia de implementação das práticas integrativas e complementares (PIC). Conclui-se que as atividades de cultivo nas hortas comunitárias mostram-se como práticas promotoras da saúde que integram elementos fundamentais das PIC.


AbstractUrban and peri-urban agriculture (UPA) is being practiced in different settings, contributing to the improvement of health in communities and healthier environments. In order to identify the meanings and implications of the practice of UPA in Primary Healthcare Units (PHU) as an activity of health promotion (HP), and to what extent its therapeutic dimension characterizes it as an activity aligned with complementary and integrative practices (CIP), a qualitative cross-sectional study was performed in Embu das Artes, State of São Paulo. From the analysis, the following main themes arose: health concept, health outcomes, the return to traditional practices and habits and the reorientation of health services. It was possible to identify the close link between the cultivation of vegetable gardens and HP guidelines and fields of action, such as creating healthier environments, boosting community actions, developing personal skills, stimulating autonomy and empowerment and demands for the reorientation of services. The garden activities, set up in PHU areas, proved to be an implementation strategy of CIP. The conclusion reached is that vegetable gardening activities in community gardens are seen to be health promotion practices that integrate key elements of CIP.


Assuntos
Humanos , Atenção Primária à Saúde , Verduras , Jardins , Promoção da Saúde , População Urbana , Brasil , Estudos Transversais
4.
Saúde Soc ; 24(2): 730-743, Apr-Jun/2015.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-749041

RESUMO

Urban agriculture has been the subject of many research in Brazil and worldwide, mainly concerning the employment and income generation. This article aims to systematize the experience of the project "Colhendo Sustentabilidade: práticas comunitárias de segurança alimentar e agricultura urbana" [Achieving Sustainability: community practices of food security and urban agriculture] (PCS), held in Embu das Artes, São Paulo metropolitan region, between 2008 and 2011, analyzing it from the perspective of Health Promotion (HP). The participants of the research were the public services technicians and technical team members involved in the project. The data were obtained by conducting three workshops of systematization, followed by another in which the results were presented to the participants, and also by interviews with key informants. The same data were analyzed based on the action principles and fields of HP. The findings presented agroecological urban agriculture (AUA) as a tool for health promotion due to its contribution to the strengthening of individual and community leadership, empowerment, creation of conducive environments for health, as well as its potential for "knowledge" multiplication, by those involved in topics related to income generation, health and environment.


A agricultura urbana tem sido tema de diversas pesquisas no contexto brasileiro e no mundo, principalmente no que diz respeito à geração de trabalho e renda. O presente artigo tem por objetivo sistematizar a experiência do projeto Colhendo Sustentabilidade: práticas comunitárias de segurança alimentar e agricultura urbana (PCS), realizado em Embu das Artes, região metropolitana de São Paulo, durante o período compreendido entre 2008 e 2011, analisando-o sob a ótica da Promoção da Saúde (PS). Foram sujeitos da pesquisa os participantes, os técnicos dos serviços públicos envolvidos e integrantes da equipe técnica do projeto. Os dados foram obtidos através da realização de três oficinas de sistematização, seguidas de outra em que os resultados foram apresentados aos participantes, e também por meio de entrevistas com informantes-chave. Os mesmos foram analisados à luz dos princípios e campos de ação da PS. As conclusões revelaram a agricultura urbana agroecológica (AUA) como ferramenta promotora de saúde por contribuir com o fortalecimento do protagonismo individual e comunitário, empoderamento, criação de ambientes favoráveis à saúde, bem como seu potencial para a multiplicação de "saberes", pelos envolvidos, sobre temas relacionados à geração de renda, saúde e meio ambiente.


La agricultura urbana ha sido tema de diversas investigaciones en el contexto brasileño y en el mundo, principalmente en lo referente a generación de trabajo y renta. El presente artículo tiene por objetivo sistematizar la experiencia del proyecto Colhendo Sustentabilidade: práticas comunitárias de segurança alimentar e agricultura urbana (PCS) (Cosechando Sostenibilidad: prácticas comunitarias de seguridad alimentaria y agricultura urbana), realizado en Embu das Artes, región metropolitana de São Paulo, durante el período comprendido entre 2008 y 2011, analizándolo bajo la óptica de la Promoción de la Salud (PS). Los sujetos de la investigación fueron los participantes, técnicos de los servicios públicos involucrados e integrantes del equipo técnico del proyecto. Los datos fueron obtenidos mediante la realización de tres talleres de sistematización, seguidos por un taller en que los resultados fueron presentados a los participantes, y también a través de entrevistas con informadores clave. Los mismos fueron analizados a la luz de los principios y campos de acción de la PS. Las conclusiones revelaron la agricultura urbana agroecológica (AUA) como herramienta promotora de salud por contribuir para el fortalecimiento del protagonismo individual y comunitario, su empoderamiento y la creación de ambientes favorables a la salud, así como por su potencial para la multiplicación de "saberes" por los involucrados sobre temas relacionados a la generación de renta, salud y medio ambiente.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Segurança Alimentar , Abastecimento de Alimentos , Promoção da Saúde , Política Nutricional , Agricultura Orgânica , Agricultura Urbana , Comportamento Alimentar , Qualidade de Vida
5.
São Paulo; s.n; 2013. 241 p. ilus, tab.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-713160

RESUMO

No Brasil e no mundo, o fenômeno da urbanização nas últimas décadas tem ocasionado diversas mudanças no perfil demográfico, na qualidade de vida e no abastecimento alimentar das populações, além da grave crise ambiental instaurada nas grandes cidades. A agricultura urbana e periurbana de base agroecológica tem se apresentado como uma alternativa para o meio ambiente das cidades e para a saúde das populações urbanas, contribuindo com o desenvolvimento da biodiversidade; para o melhor aproveitamento dos espaços e dos resíduos; para o manejo adequado dos recursos de água e solo e para o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional (SAN). O presente estudo investigou a experiência do Projeto Colhendo Sustentabilidade: Práticas Comunitárias de Segurança Alimentar e Agricultura Urbana (PCS), desenvolvido entre 2008 e 2011, no município de Embu das Artes, São Paulo, Brasil sob a ótica da Promoção da Saúde. As ações do projeto ocorreram em diversos espaços urbanos e equipamentos públicos do município. A pesquisa de caráter qualitativo contou com a realização de quatro oficinas de sistematização com atores sociais envolvidos: técnicos dos serviços públicos, participantes e equipe técnica do projeto; entrevista individual com informante-chave e análise documental. A intersetorialidade apresentou-se com um processo desafiador, sendo mais efetiva na base da pirâmide organizacional do poder público municipal. A busca por sustentabilidade foi identificada por meio de ações voltadas às questões econômica, ambiental e de continuidade e fortalecimento do próprio projeto. Verificou-se que projeto buscou fomentar a participação social, desenvolver habilidades pessoais e coletivas e reforçar a ação comunitária por meio do empoderamento comunitário. O processo educativo contribuiu para a formação de agentes multiplicadores em práticas sustentáveis e criação de espaços saudáveis. Os participantes relataram mudanças nos hábitos alimentares; descoberta de novas espécies comestíveis; acesso a uma alimentação diversificada e melhoria na saúde física e mental após envolvimento nas atividades nas hortas comunitárias. Verificou-se a potencialidade do PCS na elaboração de políticas públicas saudáveis intersetoriais, contribuindo para resultados mais efetivos de melhoria na qualidade de vida das populações, promovendo de forma mais ampla a saúde das pessoas.


Assuntos
Humanos , Colaboração Intersetorial , Agricultura Urbana/políticas , Promoção da Saúde , Brasil , Segurança Alimentar , Participação da Comunidade , Pesquisa Qualitativa , Agricultura Sustentável
6.
São Paulo; s.n; 2013. 225 p.
Tese em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-65868

RESUMO

No Brasil e no mundo, o fenômeno da urbanização nas últimas décadas tem ocasionado diversas mudanças no perfil demográfico, na qualidade de vida e no abastecimento alimentar das populações, além da grave crise ambiental instaurada nas grandes cidades. A agricultura urbana e periurbana de base agroecológica tem se apresentado como uma alternativa para o meio ambiente das cidades e para a saúde das populações urbanas, contribuindo com o desenvolvimento da biodiversidade; para o melhor aproveitamento dos espaços e dos resíduos; para o manejo adequado dos recursos de água e solo e para o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional (SAN). O presente estudo investigou a experiência do Projeto Colhendo Sustentabilidade: Práticas Comunitárias de Segurança Alimentar e Agricultura Urbana (PCS), desenvolvido entre 2008 e 2011, no município de Embu das Artes, São Paulo, Brasil sob a ótica da Promoção da Saúde. As ações do projeto ocorreram em diversos espaços urbanos e equipamentos públicos do município. A pesquisa de caráter qualitativo contou com a realização de quatro oficinas de sistematização com atores sociais envolvidos: técnicos dos serviços públicos, participantes e equipe técnica do projeto; entrevista individual com informante-chave e análise documental. A intersetorialidade apresentou-se com um processo desafiador, sendo mais efetiva na base da pirâmide organizacional do poder público municipal. A busca por sustentabilidade foi identificada por meio de ações voltadas às questões econômica, ambiental e de continuidade e fortalecimento do próprio projeto. Verificou-se que projeto buscou fomentar a participação social, desenvolver habilidades pessoais e coletivas e reforçar a ação comunitária por meio do empoderamento comunitário. O processo educativo contribuiu para a formação de agentes multiplicadores em práticas sustentáveis e criação de espaços saudáveis. Os participantes relataram mudanças nos hábitos alimentares; descoberta de novas espécies comestíveis; acesso a uma alimentação diversificada e melhoria na saúde física e mental após envolvimento nas atividades nas hortas comunitárias. Verificou-se a potencialidade do PCS na elaboração de políticas públicas saudáveis intersetoriais, contribuindo para resultados mais efetivos de melhoria na qualidade de vida das populações, promovendo de forma mais ampla a saúde das pessoas


Assuntos
Humanos , Agricultura Urbana/políticas , Promoção da Saúde , Colaboração Intersetorial , Agricultura Sustentável , Brasil , Participação da Comunidade , Pesquisa Qualitativa , Segurança Alimentar
7.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-657354

RESUMO

Objetivo: Realizar uma reflexão acerca da agricultura urbana agroecológica articulada aos movimentos de promoção da saúde e de segurança alimentar e nutricional, com a participação das comunidades locais. Síntese dos dados: Pesquisa documental realizada por meio da leitura e análise de relatório, de registros de atividades de campo, de depoimentos de participantes e entrevista realizada com a coordenação do projeto. Percebeu-se a contribuição da agricultura urbana agroecológica no protagonismo comunitário, na participação popular e no desenvolvimento da consciência alimentar e ambiental dos atores sociais envolvidos. Conclusões: Foram identificados aspectos relevantes e em consonância com os princípios e campos de atuação da Promoção da Saúde, em especial, o fortalecimento da intersetorialidade, o empoderamento local, o protagonismo individual e coletivo, a criação de ambientes saudáveis e a mobilização comunitária.


Objective: To raise considerations about the agroecological urban agriculture, in articulation with movements for promotion of health and food and nutrition security, with participation of local communities. Data synthesis: Documental research carried out through the reading and analysis of report, field activities’ records, participants’ testimonies and interview performed with the project coordinator. The contribution of agroecological urban agriculture was perceivable in regard to the community protagonism, popular participation, and the rising of feeding and environmental awareness among social actors. Conclusion: Relevant aspects in consonance with the principles and fields of action of Health Promotion were identified, especially the strengthening of intersetorial actions, the local community empowerment, individual and collective protagonism, creation of health-friendly environments and community mobilization.


Assuntos
Educação , Segurança Alimentar , Promoção da Saúde , Agricultura Sustentável , Agricultura Urbana
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...