Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 9 de 9
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Braz J Cardiovasc Surg ; 34(3): 265-270, 2019 06 01.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-31310463

RESUMO

OBJECTIVE: To report our center's experience in the surgical treatment of ventricular reconstruction, an effective and efficient technique that allows patients with end-stage heart failure of ischemic etiology to have clinical improvement and increased survival. METHODS: Observational, clinical-surgical, sequential, retrospective study. Patients with ischemic cardiomyopathy and left ventricular aneurysm were attended at the Heart Failure, Ventricular Dysfunction and Cardiac Transplant outpatient clinic of the Dante Pazzanese Cardiology Institute, from January 2010 to December 2016. Data from 34 patients were collected, including systemic arterial hypertension, ejection fraction, New York Heart Association (NYHA) functional classification (FC), European System for Cardiac Operative Risk Evaluation (EuroSCORE) II value, Society of Thoracic Surgeons (STS) score, ventricular reconstruction technique, and survival. RESULTS: Overall mortality of 14.7%, with hospital admission being 8.82% and late death being 5.88%. Total survival rate at five years of 85.3%. In the preoperative phase, NYHA FC was Class I in five patients, II in 18, III in eight, and IV in three vs. NYHA FC Class I in 17 patients, II in eight, III in six, and IV in three, in the postoperative period. EuroSCORE II mean value was 6.29, P≤0.01; hazard ratio (HR) 1.16 (95% confidence interval [CI] 1.02-1.31). STS mortality/morbidity score mean value was 18.14, P≤0.004; HR 1.19 (95% CI 1.05-1.33). Surgical techniques showed no difference in survival among Dor 81% vs. Jatene 91.7%. CONCLUSION: Surgical treatment of left ventricular reconstruction in candidates for heart transplantation is effective, efficient, and safe, providing adequate survival.


Assuntos
Cardiomiopatias/cirurgia , Aneurisma Cardíaco/cirurgia , Transplante de Coração/métodos , Ventrículos do Coração/cirurgia , Isquemia Miocárdica/cirurgia , Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/métodos , Idoso , Cardiomiopatias/mortalidade , Feminino , Aneurisma Cardíaco/mortalidade , Humanos , Estimativa de Kaplan-Meier , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Isquemia Miocárdica/mortalidade , Complicações Pós-Operatórias , Modelos de Riscos Proporcionais , Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/mortalidade , Estudos Retrospectivos , Volume Sistólico , Taxa de Sobrevida , Fatores de Tempo , Resultado do Tratamento
2.
Arq Bras Cardiol ; 111(3): 436-539, 2018 09.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-30379264
3.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de São Paulo ; 19(03): 455-464, julho setembro 2009.
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-17829

RESUMO

O teste cardiopulmonar é hoje exame complementar quase que obrigatório, quando disponível, de pacientes com insuficiência cardíaca. Ele permite estabelecer o prognóstico, avaliar a terapêutica e orientar a indicação correta de transplantes cardíacos. Além do consumo pico de oxigênio, a relação ventilação/produção de gás carbônico é outra variável de grande destaque nessa síndrome. Com as duas pode-se tomar condutas de modo mais objetivo se são consideradas condições peculiares dos pacientes, como intensidade do exercício utilizado, presença ou não de medicação otimizada, uso de betabloqueadores e índice de massa corporal. Na insuficiência coronária, o comportamento do pulso de oxigênio é a variável mais importante para identificar modificações do volume sistólico que acontece quando da vigência de isquemia miocárdica, permitindo um diagnóstico mais acurado em relação às variáveis tradicionais do teste ergométrico convencional.(AU)


Assuntos
Insuficiência Cardíaca , Consumo de Oxigênio , Vasos Coronários
4.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 19(3): 455-464, jul.-set. 2009. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-538343

RESUMO

O teste cardiopulmonar é hoje exame complementar quase que obrigatório, quando disponível, de pacientes com insuficiência cardíaca. Ele permite estabelecer o prognóstico, avaliar a terapêutica e orientar a indicação correta de transplantes cardíacos. Além do consumo pico de oxigênio, a relação ventilação/produção de gás carbônico é outra variável de grande destaque nessa síndrome. Com as duas pode-se tomar condutas de modo mais objetivo se são consideradas condições peculiares dos pacientes, como intensidade do exercício utilizado, presença ou não de medicação otimizada, uso de betabloqueadores e índice de massa corporal. Na insuficiência coronária, o comportamento do pulso de oxigênio é a variável mais importante para identificar modificações do volume sistólico que acontece quando da vigência de isquemia miocárdica, permitindo um diagnóstico mais acurado em relação às variáveis tradicionais do teste ergométrico convencional.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Doença das Coronárias , Insuficiência Cardíaca/diagnóstico , Consumo de Oxigênio/fisiologia
5.
Arq Bras Cardiol ; 87(4): 415-22, 2006 Oct.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-17128309

RESUMO

OBJECTIVE: To establish when the myocardial perfusion scintigraphy (MPS) should be performed based on well-defined information obtained from treadmill test results and clinical-epidemiological parameters for coronary artery disease (CAD). METHODS: 2,100 patients who underwent MPS were classified according to the results of scintigraphy, the Duke score and a clinical-epidemiological score based on Framingham study. The patients with positive results on MPS were followed to define whether the results were true positives. Receiver operating characteristic (ROC) curves were used to establish the efficiency and the best Duke and clinical-epidemiological scores to define patients that should be submitted to scintigraphy. RESULTS: It was observed that the MPS use restriction in patients with Duke score below 7.5 and/or clinical-epidemiological score above 4 could decrease the utilization of this method by 50% without exposing the patients to a significant misdiagnosis risk. CONCLUSION: The utilization of the Duke score and a clinical-epidemiological score to classify the patients expressively decreased the number of unnecessarily requested scintigraphies.


Assuntos
Doença da Artéria Coronariana/diagnóstico por imagem , Teste de Esforço , Compostos Radiofarmacêuticos , Tecnécio Tc 99m Sestamibi , Adulto , Idoso , Feminino , Seguimentos , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Seleção de Pacientes , Perfusão , Valor Preditivo dos Testes , Curva ROC , Cintilografia , Sensibilidade e Especificidade , Índice de Gravidade de Doença
6.
Arq. bras. cardiol ; 87(4): 415-422, out. 2006. graf, tab
Artigo em Português, Inglês | LILACS | ID: lil-438227

RESUMO

OBJETIVO: Avaliar quando se devem realizar exames de cintilografia de perfusão do miocárdio (CPM), baseando-se em informações objetivas obtidas do teste ergométrico e da análise dos fatores clínico-epidemiológicos para doença arterial coronária (DAC). MÉTODOS: Foram submetidos a CPM 2.100 pacientes que foram classificados segundo o resultado da cintilografia, do escore de Duke e de escore clínico-epidemiológico, baseado em Framingham. Os pacientes com cintilografia positiva foram acompanhados a fim de definir se os resultados eram verdadeiros positivos. Foram utilizadas receiver operating characteristic (ROC) curvas para definir a eficiência e os melhores pontos de corte dos escores de Duke e clínico-epidemiológico, na seleção dos pacientes que deveriam ser submetidos a cintilografia. RESULTADOS: Observou-se que, restringindo a solicitação da cintilografia a pacientes com escore de Duke abaixo de 7,5 e/ou escore clínico-epidemiológico acima de 4, deixaríamos de realizar cerca de 50 por cento dos exames com riscos mínimos de perda de diagnóstico. CONCLUSÃO: A utilização do escore de Duke e de escore clínico-epidemiológico para orientar a solicitação da CPM pode diminuir expressivamente o número de exames desnecessários.


OBJECTIVE: To establish when the myocardial perfusion scintigraphy (MPS) should be performed based on well-defined information obtained from treadmill test results and clinical-epidemiological parameters for coronary artery disease (CAD). METHODS: 2,100 patients who underwent MPS were classified according to the results of scintigraphy, the Duke score and a clinical-epidemiological score based on Framingham study. The patients with positive results on MPS were followed to define whether the results were true positives. Receiver operating characteristic (ROC) curves were used to establish the efficiency and the best Duke and clinical-epidemiological scores to define patients that should be submitted to scintigraphy. RESULTS: It was observed that the MPS use restriction in patients with Duke score below 7.5 and/or clinical-epidemiological score above 4 could decrease the utilization of this method by 50 percent without exposing the patients to a significant misdiagnosis risk. CONCLUSION: The utilization of the Duke score and a clinical-epidemiological score to classify the patients expressively decreased the number of unnecessarily requested scintigraphies.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Doença da Artéria Coronariana , Teste de Esforço , Compostos Radiofarmacêuticos , Seguimentos , Seleção de Pacientes , Perfusão , Valor Preditivo dos Testes , Curva ROC , Sensibilidade e Especificidade , Índice de Gravidade de Doença
7.
Rev. SOCESP ; 16(3): 139-jul/ago/set 2006. ilus, tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-6499

RESUMO

Não existe estudo epidemiológico, até o momento, avaliando diretamente quando a eletrocardiografia deveria ser usada como ferramenta de triagem para doenças cardiovasculares em grandes populações. Em jovens atletas e pacientes de alto risco ou com suspeita de cardiopatia, porém, a eletrocardiografia deve ser parte integrante da avaliaçãoinicial. O teste ergométrico em pacientes assintomáticos não encontra aceitação consensual e tem relação custo-efetividade questionável. No entanto, diretrizes destacam o sugestivo valor da ergometria em pacientes diabéticos que planejam se exercitar, em pacientes com múltiplos fatores de risco que necessitam orientação médica para a prevenção secundária, em homens com mais de 45 anos de idade e em mulheres com idade superior a 55 anos que pretendem iniciar programa de atividades físicas intensas, e naqueles envolvidos em ocupações de alto risco e que envolvam a coletividade ou com elevado risco para doença arterial coronária em decorrência de co-morbidade como insuficiência renal crônica e doença vascular perfiférica...(AU)


Assuntos
Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Humanos , Masculino , Feminino , Eletrocardiografia/métodos , Teste de Esforço/métodos , Teste de Esforço , Triagem/métodos
8.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 16(3): 138-153, jul.-set. 2006. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-439241

RESUMO

Não existe estudo epidemiológico, até o momento, avaliando diretamente quando a eletrocardiografia deveria ser usada como ferramenta de triagem para doenças cardiovasculares em grandes populações. Em jovens atletas e pacientes de alto risco ou com suspeita de cardiopatia, porém, a eletrocardiografia deve ser parte integrante da avaliação inicial. O teste ergométrico em pacientes assintomáticos não encontra aceitação consensual e tem relação custo-efetividade questionável. No entanto, diretrizes destacam o sugestivo valor da ergonomia em pacientes diabéticos que planejam se exercitar, em pacientes com múltiplos fatores de risco que necessitam orientação médica para a preservação secundária, em homens com mais de 45 anos de idade e em mulheres com idade superior a 325 anos que pretendem iniciar programa de atividades físicas intensas, e naqueles envolvidos em ocupações de alto risco e que envolvam a coletividade ou com elevado risco para doença arterial coronária em decorrência de co-morbidades como insuficiência renal crônica e doença vascular periférica...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Eletrocardiografia/métodos , Eletrocardiografia , Teste de Esforço/efeitos adversos , Teste de Esforço , Diabetes Mellitus/diagnóstico , Diabetes Mellitus/mortalidade , Hipertensão/complicações , Hipertensão/diagnóstico , Fatores de Risco , Tabagismo/efeitos adversos , Tabagismo/mortalidade
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA