Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 22
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Arq Bras Cardiol ; 113(4): 787-891, 2019 Nov 04.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-31691761
2.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-998771

RESUMO

A prevenção cardiovascular é tema fundamental, pois as doenças cardiovasculares que têm como substrato a aterosclerose, têm grande impacto na morbidade e mortalidade cardiovascular no Brasil e no mundo. Estima-se que 80% dos casos de doença arterial co-ronariana resultam da presença isolada ou em associação a fatores como as dislipidemias, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes entre outros. Além disso, biomarcadores como história familiar de aterosclerose precoce, marcadores de inflamação de baixo grau como a proteína C reativa (PCR) e imagem da placa de ateroma (escore de cálcio coronário) ajudam a identificar e reclassificar o risco de doença cardiovascular. Estratégias como check-up cardiovascular ou os dos escores de risco são utilizadas na identificação do indivíduo assintomático com maior risco de desenvolver um evento agudo. O check-upcardiovascular, além de identificar os fatores de risco, inclui exames laboratoriais, testes funcionais e de imagem, o que pode implicar em custos excessivos dos exames que não agregarão valor discriminatório ou de reclassificação do risco cardiovascular. Apesar da escassez de dados, meta-análise recente não observou qualquer diferença na mortali-dade por todas as causas e cardiovascular, quanto à realização ou não dos exames de check-up de rotina. A partir da medicina baseada em evidência, diversos algoritmos foram criados para estratificação, de acordo com a presença dos fatores de risco e calibrados para a população estudada. Esses algoritmos são de simples realização e de baixo custo.A Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose ­ 2017 mantém a recomendação do uso do Escore Global de Risco na avalição inicial de indiví-duos assintomáticos. A revisão sistemática realizada pelo grupo Cochrane, observou que o uso dos escores de risco na prevenção primária tiveram modesto impacto na redução de eventos cardiovasculares, comparados com a não utilização. Além disso, o uso dos escores clínicos reduziu fatores de risco como colesterol elevado e hipertensão arterial, aumentou a prescrição de hipolipemiantes, anti-hipertensivos e AAS, sem evidência de danos e diminuiu a prevalência de tabagismo. Atualmente, ainda há controvérsias sobre quando e como deve ser feita a avaliação do risco cardiovascular. A literatura é clara em dizer que o uso de testes de forma indiscriminada na população não tem boa relação de custo-eficácia. Entretanto, a avaliação do risco cardiovascular pelos escores clínicos de risco pode identificar indivíduos de maior risco que serão beneficiados pela implementação de tratamentos preventivos.


Cardiovascular disease prevention is a key topic as cases with atherosclerosis as an underlying cause have a considerable impact on cardiovascular morbidity and mortality in Brazil and the rest of the world. It is estimated that 80% of coronary artery disease cases result from the individual presence or combination of factors such as dyslipidemias, smo-king, hypertension, diabetes, and others. In addition, biomarkers such as family history of early atherosclerosis, low-grade inflammatory markers such as C-reactive protein (CRP), and atheromatous plaque imaging (coronary calcium score) help identify and reclassify the risk of cardiovascular disease. Strategies such as cardiovascular check-ups or the use of risk scores are used to identify the asymptomatic patient with a higher risk of developing an acute event. Besides identifying risk factors, the cardiovascular check-up also includes laboratory, functional and imaging tests, which may involve excessive costs that will not add discriminatory value or allow the cardiovascular risk to be reclassified. Despite the lack of data, a recent meta-analysis found no difference in all-cause and cardiovascular mortality, whether or not routine check-ups were performed. According to evidence-based medicine, several algorithms have been created for stratification, depending on the presence of risk factors and calibrated for a particular study population. These algorithms are both simple and inexpensive. The Update of the Brazilian Guideline on Dyslipidemia and Atherosclerosis Prevention - 2017 recommends using the Global Risk Score in the initial assessment of asymptomatic individuals. A systematic review conducted by the Cochrane group found that the use of risk scores in primary prevention had a modest impact on the reduction of cardiovascular events compared to non-use. Furthermore, the use of clinical scores reduced risk factors such as high cholesterol and high blood pressure, increased lipid-lowering/antihypertensive drug and aspirin prescriptions, with no evidence of harmful side effects, and reduced the prevalence of smoking. There is still controversy as to when and how to assess cardiovascular risk. The literature is clear in stating that the use of indiscriminate testing in the population is not cost effective. However, the evaluation of cardiovascular risk using clinical risk scores can identify higher risk individuals who will benefit from the implementation of preventive treatments.


Assuntos
Humanos , Prevenção Primária/educação , Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle , Doenças Cardiovasculares/epidemiologia , Aterosclerose/fisiopatologia , Artérias Carótidas/diagnóstico por imagem , Eletrocardiografia/enfermagem
3.
Arq Bras Cardiol ; 110(5): 430-437, 2018 May.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-29898042

RESUMO

BACKGROUND: Recent studies have shown a lower prevalence of metabolic syndrome (MSyn) in vegetarians (VEG) despite the inconclusive evidence from others. OBJECTIVE: To verify the association between diet and other lifestyle characteristics and the prevalence of MSyn, cardiovascular risk factors (CRF), and Framingham Risk Score (FRS) in apparently healthy VEG and omnivorous (OMN) men. METHODS: In this cross-sectional study, 88 apparently healthy men ≥ 35 years, 44 VEG and 44 OMN, were assessed for anthropometric data, blood pressure, blood lipids, glucose, C-reactive protein (CRP) and FRS. To test the association between lifestyle and MSyn, Student t test, chi-square test, and multiple logistic regression model were used. A significance level of 5% was considered in all statistical analyses. RESULTS: Several CRF were significantly lower in VEG than in OMN: body mass index, systolic blood pressure, diastolic blood pressure, fasting serum total cholesterol, LDL-cholesterol, apolipoprotein b, glucose, and glycated hemoglobin (all p < 0.05). The FRS mean was lower in VEG than in OMN (2.98 ± 3.7 vs 4.82 ± 4.8, p = 0.029). The percentage of individuals with MSyn was higher among OMN than among VEG (52.3 vs.15.9%) (p < 0.001). The OMN diet was associated with MSyn (OR: 6.28 95%CI 2.11-18.71) and alterations in most MSyn components in the multiple regression model independently of caloric intake, age and physical activity. CONCLUSION: The VEG diet was associated with lower CRF, FRS and percentage of individuals with MSyn.


Assuntos
Doenças Cardiovasculares/epidemiologia , Síndrome Metabólica/epidemiologia , Vegetarianos , Adulto , Antropometria , Índice de Massa Corporal , Brasil/epidemiologia , Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle , Colesterol , LDL-Colesterol , Estudos Transversais , Dieta Vegetariana , Ingestão de Energia , Humanos , Estilo de Vida , Masculino , Síndrome Metabólica/prevenção & controle , Pessoa de Meia-Idade , Prevalência , Fatores de Risco , Inquéritos e Questionários
4.
Arq. bras. cardiol ; 110(5): 430-437, May 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-950148

RESUMO

Abstract Background: Recent studies have shown a lower prevalence of metabolic syndrome (MSyn) in vegetarians (VEG) despite the inconclusive evidence from others. Objective: To verify the association between diet and other lifestyle characteristics and the prevalence of MSyn, cardiovascular risk factors (CRF), and Framingham Risk Score (FRS) in apparently healthy VEG and omnivorous (OMN) men. Methods: In this cross-sectional study, 88 apparently healthy men ≥ 35 years, 44 VEG and 44 OMN, were assessed for anthropometric data, blood pressure, blood lipids, glucose, C-reactive protein (CRP) and FRS. To test the association between lifestyle and MSyn, Student t test, chi-square test, and multiple logistic regression model were used. A significance level of 5% was considered in all statistical analyses. Results: Several CRF were significantly lower in VEG than in OMN: body mass index, systolic blood pressure, diastolic blood pressure, fasting serum total cholesterol, LDL-cholesterol, apolipoprotein b, glucose, and glycated hemoglobin (all p < 0.05). The FRS mean was lower in VEG than in OMN (2.98 ± 3.7 vs 4.82 ± 4.8, p = 0.029). The percentage of individuals with MSyn was higher among OMN than among VEG (52.3 vs.15.9%) (p < 0.001). The OMN diet was associated with MSyn (OR: 6.28 95%CI 2.11-18.71) and alterations in most MSyn components in the multiple regression model independently of caloric intake, age and physical activity. Conclusion: The VEG diet was associated with lower CRF, FRS and percentage of individuals with MSyn.


Resumo Fundamento: Estudos recentes mostraram menor prevalência de Síndrome Metabólica (SM) em vegetarianos (VEG), apesar de evidências inconclusivas de outros. Objetivo: Verificar associação entre dieta e características do estilo de vida e a prevalência de SM, fatores de risco cardiovascular (FRCV) e Escore de Framingham (EF) em homens VEG e onívoros (ONI) aparentemente saudáveis. Métodos: Neste estudo transversal, 88 homens aparentemente saudáveis ≥ 35 anos, VEG (n = 44) e ONI (n = 44), foram avaliados quanto a dados antropométricos, pressão arterial, lípides plasmáticos, glicemia, proteína C reativa e EF. Para testar associação entre estilo de vida e SM, o teste t de Student, o teste qui-quadrado e a regressão logística múltipla foram utilizados. Foi considerado nível de significância de 5% em todas as análises estatísticas. Resultados: Os níveis dos FRCV avaliados foram menores nos VEG do que nos ONI: índice de massa corporal, pressão arterial sistólica e diastólica, colesterol total, LDL-colesterol, apolipoproteína b, glicemia e hemoglobina glicada (p < 0,05). O EF foi menor nos VEG do que nos ONI (2,98 ± 3,7 vs. 4,82 ± 4,8; p = 0,029). A porcentagem de indivíduos com SM foi maior entre ONI do que entre VEG (52,3 vs.15,9%) (p < 0,001). A dieta ONI foi associada com a SM (OR: 6,28 IC95% 2,11-18,71) e alterações na maioria dos componentes da SM no modelo de regressão logística múltipla, independentemente de ingestão calórica, idade e atividade física. Conclusão: A dieta VEG foi associada com menores taxas de FRC e menores EF e porcentagem de indivíduos com SM.

5.
In. Ramires, José Antonio Franchini; Kalil Filho, Roberto; Santos Filho, Raul Dias dos; Casella Filho, Antonio. Dislipidemias e prevenção da Aterosclerose / Dyslipidemias and prevention of Atherosclerosis. Rio de janeiro, Atheneu, 2018. p.249-260.
Monografia em Português | LILACS | ID: biblio-881276
7.
Arq. bras. cardiol ; 109(6,supl.1): 1-31, dez. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-887990

RESUMO

Resumo Fundamentação: desde o primeiro posicionamento da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) sobre diabetes e prevenção cardiovascular, em 2014,1 importantes estudos têm sido publicados na área de prevenção cardiovascular e tratamento do diabetes,2 os quais contribuíram para a evolução na prevenção primária e secundária nos pacientes com diabetes. Ferramentas de estratificação de risco mais precisas, novos fármacos hipolipemiantes e novos antidiabéticos com efeitos cardiovasculares e redução da mortalidade, são parte desta nova abordagem para os pacientes com diabetes. O reconhecimento de que o diabetes é uma doença heterogênea foi fundamental, sendo claramente demonstrado que nem todos os pacientes diabéticos pertencem a categorias de risco alto ou muito alto. Um porcentual elevado é composto por pacientes jovens, sem os fatores de risco clássicos, os quais podem ser classificados adequadamente em categorias de risco intermediário ou mesmo em baixo risco cardiovascular. O presente posicionamento revisa as melhores evidências atualmente disponíveis e propõe uma abordagem prática, baseada em risco, para o tratamento de pacientes com diabetes. Estruturação: perante este desafio e reconhecendo a natureza multifacetada da doença, a SBD uniu-se à Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e à Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabolismo (SBEM), e formou um painel de especialistas, constituído por 28 cardiologistas e endocrinologistas, para revisar as melhores evidências disponíveis e elaborar uma diretriz contendo recomendações práticas para a estratificação de risco e prevenção da Doença Cardiovascular (DVC) no Diabetes Melito (DM). As principais inovações incluem: (1) considerações do impacto de novos hipolipemiantes e das novas medicações antidiabéticas no risco cardiovascular; (2) uma abordagem prática, baseada em fator de risco, para orientar o uso das estatinas, incluindo novas definições das metas da Lipoproteína de Baixa Densidade-colesterol (LDL-colesterol) e colesterol não Lipoproteína de Alta Densidade HDL; (3) uma abordagem baseada em evidências, para avaliar a isquemia miocárdica silenciosa (IMS) e a aterosclerose subclínica em pacientes com diabetes; (4) as abordagens mais atuais para o tratamento da hipertensão; e (5) recomendação de atualizações para o uso de terapia antiplaquetária. Esperamos que esta diretriz auxilie os médicos no cuidado dedicado aos pacientes com diabetes. Métodos: inicialmente, os membros do painel foram divididos em sete subcomitês para definirem os tópicos principais que necessitavam de uma posição atualizada das sociedades. Os membros do painel pesquisaram e buscaram no PubMed estudos clínicos randomizados e metanálises de estudos clínicos e estudos observacionais de boa qualidade, publicados entre 1997 e 2017, usando termos MeSH: [diabetes], [diabetes tipo 2], [doença cardiovascular], [estratificação de risco cardiovascular] [doença arterial coronária], [rastreamento], [isquemia silenciosa], [estatinas], [hipertensão], [ácido acetilsalicílico]. Estudos observacionais de baixa qualidade, metanálises com alta heterogeneidade e estudos transversais não foram incluídos, embora talvez tenham impactado no Nível de Evidência indicado. A opinião de especialistas foi usada quando os resultados das buscas não eram satisfatórios para um item específico. É importante salientar que este posicionamento não teve a intenção de incluir uma revisão sistemática rigorosa. Um manuscrito preliminar, destacando recomendações de graus e níveis de evidência (Quadro 1), foi esboçado. Este passo levou a várias discussões entre os membros dos subcomitês, que revisaram os achados e fizeram novas sugestões. O manuscrito foi, então, revisto pelo autor líder, encarregado da padronização do texto e da inclusão de pequenas alterações, sendo submetido à apreciação mais detalhada pelos membros dos comitês, buscando uma posição de consenso. Depois desta fase, o manuscrito foi enviado para a banca editorial e edição final, sendo encaminhado para publicação. Quadro 1 Graus de recomendações e níveis de evidências adotados nesta revisão Grau de recomendação Classe I A evidência é conclusiva ou, se não, existe consenso de que o procedimento ou tratamento é seguro e eficaz Classe II Há evidências contraditórias ou opiniões divergentes sobre segurança, eficácia, ou utilidade do tratamento ou procedimento Classe IIa As opiniões são favoráveis ao tratamento ou procedimento. A maioria dos especialistas aprova Classe IIb A eficácia é bem menos estabelecida, e as opiniões são divergentes Classe III Há evidências ou consenso de que o tratamento ou procedimento não é útil, eficaz, ou pode ser prejudicial Níveis de Evidência A Múltiplos estudos clínicos randomizados concordantes e bem elaborados ou metanálises robustas de estudos clínicos randomizados B Dados de metanálises menos robustas, um único estudo clínico randomizado ou estudos observacionais C Opinião dos especialistas

8.
Faludi, André Arpad; Izar, Maria Cristina de Oliveira; Saraiva, José Francisco Kerr; Chacra, Ana Paula Marte; Bianco, Henrique Tria; Afiune Neto, Abrahão; Bertolami, Adriana; Pereira, Alexandre C.; Lottenberg, Ana Maria; Sposito, Andrei C.; Chagas, Antonio Carlos Palandri; Casella Filho, Antonio; Simão, Antônio Felipe; Alencar Filho, Aristóteles Comte de; Caramelli, Bruno; Magalhães, Carlos Costa; Negrão, Carlos Eduardo; Ferreira, Carlos Eduardo dos Santos; Scherr, Carlos; Feio, Claudine Maria Alves; Kovacs, Cristiane; Araújo, Daniel Branco de; Magnoni, Daniel; Calderaro, Daniela; Gualandro, Danielle Menosi; Mello Junior, Edgard Pessoa de; Alexandre, Elizabeth Regina Giunco; Sato, Emília Inoue; Moriguchi, Emilio Hideyuki; Rached, Fabiana Hanna; Santos, Fábio César dos; Cesena, Fernando Henpin Yue; Fonseca, Francisco Antonio Helfenstein; Fonseca, Henrique Andrade Rodrigues da; Xavier, Hermes Toros; Mota, Isabela Cardoso Pimentel; Giuliano, Isabela de Carlos Back; Issa, Jaqueline Scholz; Diament, Jayme; Pesquero, João Bosco; Santos, José Ernesto dos; Faria Neto, José Rocha; Melo Filho, José Xavier de; Kato, Juliana Tieko; Torres, Kerginaldo Paulo; Bertolami, Marcelo Chiara; Assad, Marcelo Heitor Vieira; Miname, Márcio Hiroshi; Scartezini, Marileia; Forti, Neusa Assumpta; Coelho, Otávio Rizzi; Maranhão, Raul Cavalcante; Santos Filho, Raul Dias dos; Alves, Renato Jorge; Cassani, Roberta Lara; Betti, Roberto Tadeu Barcellos; Carvalho, Tales de; Martinez, Tânia Leme da Rocha; Giraldez, Viviane Zorzanelli Rocha; Salgado Filho, Wilson.
Arq. bras. cardiol ; 109(2,supl.1): 1-76, ago. 2017. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-887919
9.
In. Kalil Filho, Roberto; Fuster, Valetim; Albuquerque, Cícero Piva de. Medicina cardiovascular reduzindo o impacto das doenças / Cardiovascular medicine reducing the impact of diseases. São Paulo, Atheneu, 2016. p.451-465.
Monografia em Português | LILACS | ID: biblio-971549
10.
Rev. bras. hipertens ; 18(3): 104-112, jul.-set. 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-706332

RESUMO

A dislipidemia representa um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da aterosclerose. A identificação da etiologia da dislipidemia consiste em uma das principais etapas do seu manejo clínico. O tratamento deve levar em consideração a estratificação de risco cardiovascular de cada paciente: quanto maior o risco, maior o benefício de um tratamento mais intensivo. As maiores evidências de benefícios são vistas com a classe das estatinas. É importante considerar que a meta primária de tratamento deve ser focada no LDL-colesterol, exceto em casos extremos de triglicérides muito elevados, em que o risco de pancreatite deve ser levado em consideração e a redução de triglicérides deve ser prioritária. A elevação do HDL-colesterol deforma “artificial” por enquanto não apresenta benefício de forma robusta, porém novas medicações estão em estudo e podem trazer novas perspectivas nesse contexto.


Dyslipidemia is one of the main risk factors for the development of atherosclerosis. The identification of the etiology of dyslipidemia is one of the main steps of clinical management. The treatment should consider the stratification of cardiovascular risk for each patient: the higher the risk, the greater the benefit of a more intensive treatment. Statins are the drugs where the benefits for the treatment of dyslipidemia were stronger. The primary goal of treatment should be focused on LDL-cholesterol, except in cases of very high triglycerides, whose risk of associated pancreatitis should be taken into consideration and reduction of triglycerides should be the priority. Artificial elevation of HDL-cholesterol does not have shown reduction of cardiovascular disease, but new drugs are under study and can bring new perspectives in this regard.


Assuntos
Humanos , Aterosclerose , Dislipidemias/terapia , Inibidores de Hidroximetilglutaril-CoA Redutases
11.
Arq. bras. cardiol ; 88(supl.1): 2-19, abr. 2007. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-451704
12.
Arq. bras. cardiol ; 88(supl.1): 2-19, abr. 2007. tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IDPCPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-7747
13.
Femina ; 32(1): 53-61, jan.-fev. 2004. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-405020

RESUMO

As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no mundo ocidental, tanto para homens como para mulheres. No Brasil, cerca de 27,5 porcento dos óbitos ocorrem por este motivo e, no estado de São Paulo, a mortalidade por doenças cardiovasculares em mulheres foi mais do que duas vezes a taxa de morte por neoplasias. A identificação e quantificação dos riscos têm sido o principal instrumento utilizado pela Medicina Preventiva para nortear ações que trazem diminuição da morbimortalidade e da melhoria da qualidade de vida. Nesta revisão discorremos sobre os diversos fatores de risco da doença cardiovascular na mulher, sobre sua quantificação pelo uso do escore de risco de Framingham, recomendado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, e elaboramos propostas para sua prevenção. Destacamos o papel do ginecologista como o médico com maior contato e contínuo acompanhamento da vida da mulher e seu papel na identificação dos fatores de risco e promoção da saúde


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Doenças Cardiovasculares/diagnóstico , Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle , Doenças Cardiovasculares/terapia , Revisão , Arteriosclerose , Diabetes Mellitus , Hipertensão , Lipídeos/análise , Menopausa , Obesidade , Fatores de Risco , Fumar
14.
São Paulo; s.n; 2004. [90] p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-403679

RESUMO

Este trabalho avaliou as diferenças na calcificação da artéria coronária (CAC) determinada pela tomografia ultra-rápida entre 17.547 indivíduos brancos do Brasil, Estados Unidos da América e Portugal. Tanto os homens como as mulheres norte-americanos apresentaram as medianas mais elevadas da CAC quando comparados aos brasileiros e portugueses. Não foi encontrada CAC na quase totalidade da população portuguesa. Idade, tabagismo e dislipidemia foram os mais importantes determinantes da CAC na população norte-americana. O diabetes associou-se de forma mais intensa com a CAC na população brasileira. Há importantes diferenças na presença e gravidade da CAC entre diversas etnias / This study evaluated the differences in coronary artery calcification (CAC) determined by electron beam tomography (EBT) in 17,547 white individuals from Brazil, The United States of America and Portugal. Both US men and women presented higher median values of CAC than the Brazilian and Portuguese. CAC was absent in almost the totality of the Portuguese population. Age, smoking and dyslipidemia were the most important determinants of CAC in the US population. Diabetes was the most important determinant of CAC in the Brazilian population. There are important differences in the prevalence and severity of CAC among diverse ethnicities...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Arteriosclerose/diagnóstico , Doença das Coronárias/epidemiologia , Doença das Coronárias/etiologia , Tomografia Computadorizada por Raios X/métodos , Análise Multivariada , Fatores de Risco
16.
17.
Rev. bras. hipertens ; 6(2): 152-7, abr.-jun. 1999. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-248065

RESUMO

As lipoproteínas ricas em triglicerídeos, quilomícrons, VLDL e seus respectivos remanescentes säo as responsáveis pelo transporte das gorduras originadas na dieta e no fígado. Após sua síntese, as lipoproteínas ricas em triglicerídeos säo secretadas no plasma, adquirem apolipoproteínas (apo) como as apo C-II, C-III e apo E e sofrem acäo da lipase lipoprotéica. Após a hidrólise dos triglicerídeos, säo formados os remanescentes, que podem se transformar em outras lipoproteínas, como no caso das VLDL, que originam as IDL e LDL, ou se ligar aos receptores que reconhecem o apo E como o receptor para a LDL e o receptor LRP e serem removidas principalmente pelo fígado. As hipertrigliceridemias diagnosticadas no jejum podem ser de origem endógena (acúmulo de VLDL ou IDL), exógena (acúmulo de quilomícrons) ou podem apresentar acúmulo das VLDL e quilomícrons. Mesmo quando näo há acúmulo dos quilomícrons no período de jejum, a hipertrigliceridemia causada pelo excesso de VLDL prejudica, por competiçäo pelas vias metabólicas comuns, a remoçäo plasmática dos quilomícrons. Essa é a chamada dislipidemia pós-prandial. O acúmulo de quilomícrons e remanescentes parece ser um fator de risco para aterosclerose, independentemente dos níveis de LDL-colesterol. O uso de fibratos, como o genfibrozil, reduz significativamente a lipemia pós-prandial.


Assuntos
Humanos , Aterosclerose , Hipertrigliceridemia , Colesterol , Lipoproteínas , Período Pós-Prandial , Fatores de Risco
18.
São Paulo; s.n; 1999. 142 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-237829

RESUMO

Este estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da injeção de heparina e do tratamento com gemfibrozil na cinética plasmática de uma emulsão de quilomícrons artificiais em pacientes hipertrigliceridêmicos. Os efeitos da heparina também foram estudados em indivíduos normolipidêmicos. Foram estudados inicialmente 39 indivíduos, 27 hipertrigliceridêmicos (18 homens e 9 mulheres, idade 48,0 ñ 14,0 anos) com triglicérides (TG) e colesterol total do plasma (CT), expressos em mediana (por cento 25; por cento 75), de 379,0 (320,0; 718,0) mg/dL e 290,0 (236,0; 317,0) mg/dL. Os pacientes foram comparados a 12 normolipidêmicos (7 homens e 5 mulheres, idade 43,0 ñ 13,0 anos) com TG e CT do plasma respectivamente de 81,0 (57,0; 155,0) e 182,0 (149,0; 208,0) mg/dL...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Emulsões , Genfibrozila/administração & dosagem , Heparina/sangue , Hipertrigliceridemia , Lipoproteínas/metabolismo , Quilomícrons/metabolismo , Cinética , Lipídeos , Lipólise , Triglicerídeos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA