Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev Gaucha Enferm ; 41: e20180436, 2020.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-32294722

RESUMO

OBJECTIVE: To analyze the meanings built by the nursing team regarding communication at shift handover in intensive care units. METHOD: A qualitative study, grounded on the theoretical framework of Berlo, was developed in the intensive care unit of a hospital in Rio de Janeiro with the nursing team participating in the handover process or working with patient care. Observation and interviews were conducted, with a thorough description of the data and thematic content analysis. RESULTS: There is acknowledgment of the meaning of handover in nursing care, which is expressed in behaviors aimed at avoiding inefficacy or the incorrect perception of communication; on the other hand, there is little participation of nursing technicians, with side talks, lack of attention and incomplete information, which compromises their effectiveness. CONCLUSION: Professionals should understand their role in the communication process by playing it with active participation to reduce handover noises.

2.
Rev. gaúch. enferm ; 41: e20180436, 2020.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1093861

RESUMO

ABSTRACT Objective: To analyze the meanings built by the nursing team regarding communication at shift handover in intensive care units. Method: A qualitative study, grounded on the theoretical framework of Berlo, was developed in the intensive care unit of a hospital in Rio de Janeiro with the nursing team participating in the handover process or working with patient care. Observation and interviews were conducted, with a thorough description of the data and thematic content analysis. Results: There is acknowledgment of the meaning of handover in nursing care, which is expressed in behaviors aimed at avoiding inefficacy or the incorrect perception of communication; on the other hand, there is little participation of nursing technicians, with side talks, lack of attention and incomplete information, which compromises their effectiveness. Conclusion: Professionals should understand their role in the communication process by playing it with active participation to reduce handover noises.


RESUMEN Objetivo: Analizar los sentidos elaborados por el equipo de enfermería sobre la comunicación en el handover de la transferencia de turnos en una Unidad de Cuidados Intensivos. Método: Estudio cualitativo fundamentado en el marco teórico de Berlo, desarrollado en la Unidad de Cuidados Intensivos de un hospital de Rio de Janeiro con el equipo participante del handover y/o actuante en la asistencia al paciente. Se realizó una observación y entrevistas, con descripción detallada de datos y análisis de contenido temático. Resultados: A la vez que se reconoce la importancia del handover para la atención de enfermería, expresado en comportamientos que buscan evitar la ineficiencia o la percepción errónea de la comunicación, también se registra poca participación de los auxiliares de enfermería, con conversaciones paralelas, desatención e información incompleta, lo que compromete su efectividad. Conclusión: Los profesionales deben comprender su rol en el proceso de la comunicación, desempeñándolo con participación activa para reducir las interferencias en el handover.


RESUMO Objetivo: Analisar os sentidos construídos pela equipe de enfermagem sobre a comunicação no handover na transferência de turnos na Unidade de Terapia Intensiva. Método: Estudo qualitativo alicerçado no suporte teórico de Berlo, desenvolvido na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital do Rio de Janeiro com a equipe de enfermagem participante do handover e/ou atuante na assistência ao paciente. Realizou-se observação e entrevistas, com descrição densa dos dados e análise de conteúdo temático. Resultados: Ao tempo em que há o sentido de reconhecimento da importância do handover para o cuidado de enfermagem, expresso em comportamentos que buscam evitar a ineficiência ou percepção errônea da comunicação, por outro lado, há pouca participação dos técnicos de enfermagem, com conversas paralelas, desatenção e informações incompletas, comprometendo a sua efetividade. Conclusão: Os profissionais devem compreender o seu papel no processo de comunicação, desempenhando-o com participação ativa para reduzir os ruídos no handover.

3.
Texto & contexto enferm ; 28: e20180014, 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1004808

RESUMO

ABSTRACT Objective: to describe the communication process among the professionals of the intensive care nursing team during the handover, analyzing the existence of noise and its repercussions on patient safety. Method: qualitative and exploratory study, in the light of Berlo, carried out at the intensive care unit of a federal hospital with 42 nursing professionals participating in the handover and/or acting in direct patient care. An audio recording of the handover was performed, as well as its systematic observation and the care practices of the nursing team. The audios were transcribed for an instrument and analyzed through descriptive statistics regarding the presence, completeness and correction of the information. The observation data were submitted to thick description. Results: the noises were related to the absence/incompleteness of information about the patient, with focus on the communication about intercurrences and clinical evolution of the last 24 hours and little valuation of the data on evaluation, care plan and clinical condition of the patient; in addition to late arrivals, speaking with a low tone of voice, parallel conversations, and the use of cell phones. Such noises have caused unnecessary, wrong procedures or prevented procedures from being performed. Conclusion: noise in the communication process negatively affects nursing and patient safety.


RESUMEN Objetivo: describir el proceso de comunicación entre los profesionales del equipo de enfermería de la terapia intensiva durante el handover, analizando la existencia del ruido y sus repercusiones en la seguridad del paciente. Método: estudio cualitativo y exploratorio, a la luz de Berlo, realizado en la unidad de terapia intensiva de hospital federal con 42 profesionales de enfermería participantes del handover y/o actuantes en la asistencia directa al paciente. Se realizó grabación del audio del handover, así como su observación sistemática y de las prácticas de cuidado del equipo de enfermería. Los audios fueron transcritos a un instrumento y analizados a través de estadística descriptiva en cuanto a la presencia, completitud y corrección de la información. Los datos de la observación pasaron por una descripción densa. Resultados: los ruidos se relacionaron con la ausencia/incompletud de informaciones sobre el paciente, con focalización de la comunicación sobre intercurrencias y evolución clínica de las últimas 24 horas y poca valoración de los datos sobre evaluación, plan de cuidados y estado clínico del paciente; además de llegadas atrasadas, tono de voz bajo, conversaciones paralelas, uso de celulares. Estos ruidos generaron procedimientos innecesarios, errados o su no realización. Conclusión: los ruidos en el proceso de comunicación afectan negativamente el cuidado de enfermería, perjudicando la asistencia prestada en la perspectiva de la seguridad del paciente.


RESUMO Objetivo: descrever o processo de comunicação entre os profissionais da equipe de enfermagem da terapia intensiva durante o handover, analisando-o quanto à existência de ruídos e suas repercussões na segurança do paciente. Método: estudo qualitativo e exploratório, à luz de Berlo, realizado na unidade de terapia intensiva de hospital federal com 42 profissionais de enfermagem participantes do handover e/ou atuantes na assistência direta ao paciente. Foi realizada gravação do áudio do handover, bem como sua observação sistemática e das práticas de cuidado da equipe de enfermagem. Os áudios foram transcritos para um instrumento e analisados através de estatística descritiva quanto à presença, completude e correção da informação. Os dados da observação passaram por descrição densa. Resultados: os ruídos relacionaram-se à ausência/incompletude de informações sobre o paciente, com focalização da comunicação sobre intercorrências e evolução clínica das últimas 24 horas e pouca valorização dos dados sobre avaliação, plano de cuidados e estado clínico do paciente; além de chegadas atrasadas, tom de voz baixo, conversas paralelas e uso de celulares. Tais ruídos geraram procedimentos desnecessários, errados ou a sua não realização. Conclusão: ruídos no processo de comunicação afetam negativamente o cuidado de enfermagem, prejudicando a assistência prestada na perspectiva da segurança do paciente.


Assuntos
Humanos , Adulto , Enfermagem , Comunicação em Saúde , Segurança do Paciente , Transferência da Responsabilidade pelo Paciente , Unidades de Terapia Intensiva
4.
Esc. Anna Nery Rev. Enferm ; 22(2): e20170268, 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-891792

RESUMO

Abstract Objective: To gather scientific evidence about ICU handoff practices and their implications on the safety of communication among team members about hospitalized patients. Method: This was an integrative review conducted in the Medline, PubMed, Cinahl and Scopus databases with the descriptors patient handoff, communication, patient safety, critical care, health communication and intensive care unit. The adopted criteria were: full text, in Portuguese or English, in the last 10 years, with level of evidence over IV and compliance to the study question. Fifteen articles were submitted to a structured tool and analysis. Results: There is evidence of incompleteness, absence or errors in handoff information, caused by the lack of standardization and preparation for this activity, generating delayed, incorrect or non-performed procedures. The use of tools reduces the amount of omitted information, side talks, and errors, improving team satisfaction. Final considerations: It is necessary to promote safe communication in handoff, implementing practices that ensure care continuity.


Resumen Objetivo: Relevar las evidencias científicas sobre la práctica de handoff con respecto a la seguridad de la comunicación sobre el paciente hospitalizado de miembros del equipo de Unidad de Terapia Intensiva. Método: Revisión integrativa en las bases Medline, Pubmed, Cinahl y Scopus, con los descriptores: patient handoff, communication, patient safety, critical care, health communication e intensive care unit. Los criterios adoptados fueron: texto completo, portugués/inglés, últimos diez años, nivel de evidencia encima de IV y conformidad con la temática investigada. Quince artículos fueron sometidos a un instrumento estructurado y análisis. Resultados: Existen informaciones ausentes, incompletas o incorrectas en el handoff, causadas por la falta de estandarización y preparo para esta actividad, generando procedimientos atrasados, incorrectos o no realizados. El uso de herramientas reduce la cantidad de informaciones omitidas, conversas paralelas y errores, mejorando la satisfacción del equipo. Consideraciones finales: Hace necesario promover la comunicación segura en el handoff, con prácticas que garanticen la continuidad de atención.


Resumo Objetivo: Levantar as evidências científicas sobre a prática do handoff na unidade de terapia intensiva quanto à segurança da comunicação entre os membros da equipe sobre o paciente hospitalizado. Método: Revisão integrativa, nas bases Medline, PubMed, Cinahl e Scopus, com os descritores patient handoff, communication, patient safety, critical care, health communication e intensive care unit. Adotou-se como critérios: texto completo, português/inglês, últimos dez anos, nível de evidência acima de IV e alinhamento à questão de pesquisa. Quinze artigos foram submetidos a um instrumento estruturado e análise. Resultados: Evidenciam-se informações ausentes, incompletas ou erradas no handoff, causadas pela falta de padronização e de preparo dessa atividade, gerando procedimentos atrasados, errados ou não realizados. O uso de instrumentos reduz a quantidade de informação omitida, conversas paralelas e erros, melhorando a satisfação da equipe. Considerações finais: É preciso promover a comunicação segura no handoff, implementando práticas que garantam a continuidade da assistência.


Assuntos
Humanos , Cuidados Críticos , Unidades de Terapia Intensiva , Segurança do Paciente , Relações Profissional-Paciente
5.
Rio de Janeiro; s.n; dez. 2017. 144 f p. tab, graf, ilus.
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-881972

RESUMO

Introdução: Unidades de Terapia Intensiva têm como objetivo fornecer suporte a pacientes críticos que exigem cuidados complexos e especializados, realizados por uma equipe multiprofissional e interdisciplinar, com destaque para o enfermeiro. Neste ambiente, a comunicação está intensamente presente na troca de informações entre profissionais de saúde durante a transferência de turnos, o handover. Falhas nessa comunicação podem causar danos aos pacientes. Objetivo: Descrever o processo de comunicação entre os profissionais da equipe de enfermagem da terapia intensiva durante o handover; analisar tal processo de comunicação quanto à existência de ruídos e suas repercussões na segurança da prática de cuidado ao paciente hospitalizado; e discutir a comunicação na clínica do cuidado de enfermagem na terapia intensiva sob a ótica da segurança do paciente. Método: Estudo de campo, qualitativo e de cunho exploratório. O lócus foi a Unidade de Terapia Intensiva cirúrgica de um hospital federal, tendo participado 42 membros da equipe de enfermagem atuantes no handover e no cuidado direto ao paciente. A produção dos dados ocorreu através de gravação de áudio durante o handover, observação sistemática das práticas de cuidado da equipe de enfermagem e entrevista semiestruturada. Os áudios foram transcritos para um instrumento de handover elaborado com base na literatura, que foram analisados através de estatística descritiva quanto à presença ou ausência da informação nos itens que o compunham, sua completude e a presença de erros. Os dados da observação passaram por descrição densa. As entrevistas foram analisadas através da análise de conteúdo temático. Resultados: Houve ausência e incompletude de algum tipo de informação em todos os instrumentos. O erro esteve presente em 2,3% dos instrumentos analisados. Dentre as ausências, destaca-se o item avaliação do quadro do paciente, ausente em 99,2%, seguido pelo item plano de cuidados com 91,6% e os dados de identificação do perfil clínico do paciente com 67,93%. Quanto à incompletude, no item Dados objetivos, que se referem ao exame físico do paciente, as informações estavam incompletas em 100% dos instrumentos; nos Dados subjetivos, que tratavam da história do paciente e sua evolução clínica, estavam incompletos em 88,5% dos instrumentos; e os dados de perfil clínico dos pacientes com 32% de incompletude. A observação das práticas assistenciais mostrou que as falhas na comunicação entre os profissionais de enfermagem interferiram diretamente no processo de cuidar, pois geraram procedimentos desnecessários que poderiam acarretar danos aos pacientes. Os dados das entrevistas apontaram o reconhecimento da importância do handover, a comunicação face-a-face na beira de leito com a presença de todos os membros, livre participação destes no processo de comunicação, a utilização da comunicação verbal e escrita, o bom relacionamento entre a equipe de enfermagem. Também foram evidenciados ruídos como a ausência/incompletude de informações sobre o paciente, além chegadas atrasadas ou saídas antecipadas, tom de voz baixo, conversas paralelas, uso de dispositivos celulares, e pouca participação dos técnicos. Conclusão: Entender o papel da comunicação é importante para evitar ruídos que podem causar a descontinuidade da informação e resultar em procedimentos que colocam em risco a segurança do paciente. A partir dos ruídos identificados, propõe-se a elaboração de barreiras de segurança que promovam a comunicação efetiva no handover de enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva.(AU)


Assuntos
Humanos , Comunicação , Unidades de Terapia Intensiva , Equipe de Enfermagem , Transferência da Responsabilidade pelo Paciente/estatística & dados numéricos , Segurança do Paciente/estatística & dados numéricos , Hospitais Federais
6.
Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) ; 9(3): 682-687, jul.-set. 2017.
Artigo em Inglês, Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-982967

RESUMO

Objective: This study describes the therapeutic potential of a workshop in the territory for users of the Psychosocial Care Center and discuss the proposed therapy workshop and user interaction with the territory. Methods: Descriptive and exploratory research. The data resulted from participant observation and interviews as two coordinators. Thematic kind of content analysis was used for data processing. Results: As a result we obtained two thematic categories: Pool and the territory, and Benefits of a Pool Workshop. Conclusion: The workshop held in the territory allows the user to see himself/herself as part of it and also reframe the ways of living in that territory. The notion of belonging, social acceptance and citizenship are keys in building the social subject.


Objetivo: Descrever o potencial terapêutico de uma oficina no território para os usuários de saúde mental e discutir a proposta terapêutica da oficina e a interação dos usuários com o território. Método: Trata-se de estudo descritivo-exploratório. Os dados resultaram da observação participante e das entrevistas com os coordenadores, sendo utilizada a Análise de Conteúdo do tipo Temática para o tratamento dos dados. Resultados: Apresentaram-se duas categorias temáticas: Piscina e o território; e Os benefícios da Oficina de Piscina. Conclusão: A oficina realizada no território permite que o usuário se perceba parte dele e, ainda, ressignificar as formas de viver naquele território, bem como a noção de pertença, de aceitação social e cidadania que são fundamentais na construção do sujeito social.


Objetivo: El presente estudio describe el potencial terapéutico de un taller en el territorio, para los usuarios del Centro de Atención Psicosocial y discutir el taller de terapia propuesta y la interacción del usuario con el territorio. Método: La investigación descriptiva y exploratoria. Los datos de resultado de la observación participante y entrevistas como dos coordinadores. Tipo temático de análisis de contenido fue utilizado para el procesamiento de datos. Resultados: Como resultado se obtuvieron dos categorías temáticas: Piscina y el territorio; y Privilegios taller. El taller realizado en el territorio permite que el usuario se da cuenta parte de ella y también replantear las formas de vivir en ese territorio. Conclusión: La noción de pertenencia, aceptación social y la ciudadanía son clave en la construcción del sujeto social.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Hidroterapia/enfermagem , Hidroterapia/psicologia , Hidroterapia/tendências , Hidroterapia , Serviços de Saúde Mental/tendências , Serviços de Saúde Mental , Enfermagem Psiquiátrica/tendências , Brasil , Psiquiatria Comunitária/métodos , Psiquiatria Comunitária/tendências
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...