Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 11 de 11
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
3.
Arq Bras Cardiol ; 109(3 Supl 1): 1-104, 2017 Jan-Feb.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-29044300
4.
Arq. bras. cardiol ; 109(3,supl.1): 1-104, Sept. 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-887936
5.
Arq Bras Cardiol ; 96(3 Suppl 1): 1-68, 2011.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-21655875
6.
Arq. bras. cardiol ; 96(3,supl.1): 1-68, 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-588887
10.
Rev Assoc Med Bras (1992) ; 52(2): 113-7, 2006 Mar-Apr.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-16767337

RESUMO

OBJECTIVES: Although of great importance for all those involved in liver transplant, in literature there is no consensual description on its hemodynamic behavior. This study intends to describe the hemodynamic behavior during and in the first 48 h after liver transplant . METHODS: A prospective and consecutive study of 61 patients was carried out; 50 were male, with average age of 49 years (18-70 years). Hemodynamic measurements were followed up at the beginning of the surgery, 30 minutes after revascularization of the graft and afterwards 6 hours up to 48 h post revascularization. Weight was obtained upon hospital admission and at 6 o'clock on the first and second postoperative days. RESULTS: mean arterial pressure starts to increase soon after surgery, reaching significantly higher values 24 h after revascularization. Cardiac index increases significantly soon after revascularization, progressively returning to preoperative values. Likewise the systemic vascular resistance falls significantly immediately after revascularization, reaching values similar to the preoperative ones 24 h after revascularization. The pulmonary wedge pressure rises significantly 6 hours after revascularization and there is a significant weight increase at the end of the first postoperative day. CONCLUSIONS: During the first hours after liver transplant an intense hemodynamic variation is noted with progressive increase in the systemic arterial pressures and in the pulmonary wedge pressure. Furthermore, significant although transitory variations of the cardiac index and of the systemic vascular resistance demand continuous surveillance to minimize their consequences.


Assuntos
Transplante de Fígado/fisiologia , Adolescente , Adulto , Idoso , Pressão Sanguínea/fisiologia , Débito Cardíaco/fisiologia , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Período Pós-Operatório , Cuidados Pré-Operatórios , Estudos Prospectivos , Resistência Vascular/fisiologia
11.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 52(2): 113-117, mar.-abr. 2006. ilus, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-428743

RESUMO

OBJETIVO: Embora de grande importância para os que lidam com o perioperatório do transplante de fígado, seu comportamento hemodinâmico ainda não encontra uma descrição consensual na literatura. O objetivo deste estudo é descrever o comportamento hemodinâmico durante as primeiras 48 horas do transplante de fígado. MÉTODOS: Foram estudados prospectiva e consecutivamente 61 pacientes, sendo 50 homens, com idade média de 49 anos (18-70 anos). As medidas hemodinâmicas foram realizadas no início da cirurgia, 30 minutos após a revascularização do enxerto e, a partir de então, a cada 6 horas até 48 horas após a revascularização. O peso foi obtido no momento da internação e no primeiro e segundo dias de pós-operatório às 6h. RESULTADOS: A pressão arterial média começa a apresentar aumento nas primeiras horas de pós-operatório com valores significativamente mais elevados 24 horas após a revascularização. O índice cardíaco apresenta um aumento significativo logo após a revascularização, voltando progressivamente aos valores pré-operatórios. Da mesma forma, a resistência vascular sistêmica apresenta uma queda significativa imediatamente após a revascularização, voltando a atingir valores próximos aos pré-transplante após 24 horas da revascularização. A pressão de capilar pulmonar começa a apresentar valores significativamente mais elevados já com 6 horas após a revascularização e o peso aumenta significativamente já no primeiro pós-operatório. CONCLUSÃO: Nas primeiras horas após o transplante de fígado, há uma intensa variação hemodinâmica, com aumento progressivo das pressões arterial sistêmica e de capilar pulmonar, além de variações significativas, porém transitórias, do índice cardíaco e da resistência vascular sistêmica, exigindo uma vigilância contínua para minimizar suas conseqüências.


Assuntos
Adolescente , Adulto , Idoso , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Transplante de Fígado/fisiologia , Pressão Sanguínea/fisiologia , Débito Cardíaco/fisiologia , Período Pós-Operatório , Cuidados Pré-Operatórios , Estudos Prospectivos , Resistência Vascular/fisiologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA