Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Int. j. high dilution res ; 7(24): 140-146, 2008.
Artigo em Inglês, Português | HomeoIndex - Homeopatia | ID: hom-9223

RESUMO

The present paper reviews Vitalism as the basis for S. Hahnemann’s initial formulation of Homeopathy through the lens of the notions of Vitalism and vital normativeness formulated in the 20th century by French physician and historian of science Georges Canguilhem. Hahnemann described disease as a disarrangement of the organism as a whole, carrying the mark of the individual affected. Similarly, Canguilhem stated that symptoms only have meaning within their specific context and express a global disturb. Hahnemann gave health a positive definition as the state of equilibrium of the vital force – the latter understood as an essential quality of matter composing living beings and corresponding to a conception of Vitalism that holds totality as self-organized. Canguilhem would define Vitalism as the simple acknowledgement of the originality of life regarding lifeless matter, and described life as a dynamic polarity. In this context, illness is seen as a way to compel the organism to seek a new equilibrium to maintain homeostasis, health and healing are both integral parts of the self-organization of living beings and dichotomy of the process health/disease is a mere linguistic artifact.(AU)


Este trabalho revê o Vitalismo como base da inicial formulação da Homeopatia por Hahnemann através das noções de Vitalismo e normatividade vital formulada no século XX pelo médico e historiador da ciência francês George Canquilhem. Hahneman descreve a doença como um desequilíbrio no organismo como um todo, carregando a marca da afecção individual. Similarmente, Canguilhem afirma que os sintomas somente têm siginificado dentro de seu específico contexto e expressa um distúrbio global. Hahnemann dá à saúde uma definição positiva como o estado de equilíbrio da força vital - mais tarde compreendida como uma qualidade essencial da matéria que compõe os seres vivos e que corresponde a uma concepção de Vitalismo que entende a totalidade como auto-organização. Canguilhem definiu o Vitalismo como o simples reconhecimento da originalidade da vida e a descreve como uma polaridade dinâmica. Neste contexto, doença é vista como um modo de compelir o organismo a conquistar um novo equilíbrio para sustentar a sua homeostase; saúde e cura são ambos parte integrante da auto-organização dos seres vivos e a dicotomia do processo saúde/doença é mero artefato de linguagem.(AU)


Assuntos
História do Século XX , Homeopatia , Vitalismo
2.
Int. j. high dilution res ; 7(24): 140-146, 2008.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-529833

RESUMO

The present paper reviews Vitalism as the basis for S. Hahnemann’s initial formulation of Homeopathy through the lens of the notions of Vitalism and vital normativeness formulated in the 20th century by French physician and historian of science Georges Canguilhem. Hahnemann described disease as a disarrangement of the organism as a whole, carrying the mark of the individual affected. Similarly, Canguilhem stated that symptoms only have meaning within their specific context and express a global disturb. Hahnemann gave health a positive definition as the state of equilibrium of the vital force – the latter understood as an essential quality of matter composing living beings and corresponding to a conception of Vitalism that holds totality as self-organized. Canguilhem would define Vitalism as the simple acknowledgement of the originality of life regarding lifeless matter, and described life as a dynamic polarity. In this context, illness is seen as a way to compel the organism to seek a new equilibrium to maintain homeostasis, health and healing are both integral parts of the self-organization of living beings and dichotomy of the process health/disease is a mere linguistic artifact.


Este trabalho revê o Vitalismo como base da inicial formulação da Homeopatia por Hahnemann através das noções de Vitalismo e normatividade vital formulada no século XX pelo médico e historiador da ciência francês George Canquilhem. Hahneman descreve a doença como um desequilíbrio no organismo como um todo, carregando a marca da afecção individual. Similarmente, Canguilhem afirma que os sintomas somente têm siginificado dentro de seu específico contexto e expressa um distúrbio global. Hahnemann dá à saúde uma definição positiva como o estado de equilíbrio da força vital - mais tarde compreendida como uma qualidade essencial da matéria que compõe os seres vivos e que corresponde a uma concepção de Vitalismo que entende a totalidade como auto-organização. Canguilhem definiu o Vitalismo como o simples reconhecimento da originalidade da vida e a descreve como uma polaridade dinâmica. Neste contexto, doença é vista como um modo de compelir o organismo a conquistar um novo equilíbrio para sustentar a sua homeostase; saúde e cura são ambos parte integrante da auto-organização dos seres vivos e a dicotomia do processo saúde/doença é mero artefato de linguagem.


Assuntos
História do Século XX , Homeopatia , Vitalismo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA