Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 15 de 15
Filtrar
Mais filtros










Tipo de estudo
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev Saude Publica ; 53: 88, 2019.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-31596321

RESUMO

OBJECTIVE: To determine the distribution of sociodemographic, reproductive, clinical and lifestyle habits in the cohort of women diagnosed with cervical cancer, assisted at Inca between 2012 and 2014, according to the histological type. METHODS: Retrospective observational study of a hospital cohort of 1,004 women diagnosed with cervical cancer. Data were obtained from the Inca hospital cancer registry, physical and electronic records. RESULTS: The most frequent histological type was squamous cell carcinoma (83.9%). Approximately 70% of the women aged more than 40 years. The study includes non-white women (67.4%), with less than 8 years of education (51.9%), with onset of sexual activity up to 16 years of age (40.7%), who were pregnant before (95.5%), with more than one pregnancy (82.9%), and more than two children (52.7%); 45.8% of the women were smokers or former smokers. Cervical adenocarcinoma was positively associated with earlier staging (IA-IIA) (OR = 1.79; 95%CI 1.03-3.13), as well as women with ≥ 12 years of education (OR = 6.30; 95%CI 1.97-20,13), who had no children (OR = 3.81; 95%CI 1.20 - 12,08) or who had up to two children (OR = 1.74; 95%CI 1.05 - 2,87). CONCLUSIONS: The difference between histological types is highlighted, suggesting that women with cervical adenocarcinoma may represent a distinct clinical entity of cervical neoplasia, which may require different approaches from those used in squamous cell carcinoma.


Assuntos
Adenocarcinoma/epidemiologia , Carcinoma de Células Escamosas/epidemiologia , Neoplasias do Colo do Útero/epidemiologia , Adenocarcinoma/patologia , Adulto , Distribuição por Idade , Brasil/epidemiologia , Carcinoma de Células Escamosas/patologia , Feminino , Humanos , Estilo de Vida , Pessoa de Meia-Idade , Estadiamento de Neoplasias , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco , Comportamento Sexual , Fatores Socioeconômicos , Neoplasias do Colo do Útero/patologia
2.
Cad Saude Publica ; 35(5): e00143818, 2019 May 23.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-31141029

RESUMO

The study aimed to estimate cancer mortality among indigenous peoples in Acre State, Brazil. This was a descriptive observational study based on the nominal bank of the Brazilian Mortality Information System for the period from January 1st, 2000, to December 31st, 2012. The study analyzed the distribution death frequencies by sex and age. Standardized mortality ratio (SMR) was calculated taking Goiânia (Goiás State), Acre State, and the North Region of Brazil as the references. A total of 81 deaths were identified, the majority in men (59.3%) and in individuals over 70 years of age. The five main sites in men were stomach, liver, colon and rectum, leukemia, and prostate. The five main sites in women were uterine cervix, stomach, liver, leukemia, and uterus. In indigenous men there was an excess of deaths from stomach cancer compared to the populations of Goiânia (SMR = 2.72; 2.58-2.87), Acre State (SMR = 2.05; 1.94-2.16) and North region (SMR = 3.10; 2.93-3.27). The same was observed for deaths from hepatic cell carcinomas referenced against Goiânia (SMR = 3.89; 3.66-4.14), Acre State (SMR = 1.79; 1.68-1.91), and the North of Brazil (SMR = 4.04; 3.77-4.30). Among indigenous women, there was an excess of cervical cancer in comparison to Goiânia (SMR = 4.67; 4.41-4.93), Acre State (SMR = 2.12; 2.00-2.24), and the North (SMR = 2.60; 2.45-2.75). The estimates show that preventable neoplasms such as cervical cancer and those linked to underdevelopment, such as stomach and liver cancer, account for 49.4% of deaths among indigenous peoples. Compared to the reference population, mortality from liver, stomach, and colorectal cancer and leukemias was more than twice as high in indigenous men; among indigenous women, cervical, stomach, and liver cancer and leukemias were 30% higher.

3.
Asian Pac J Cancer Prev ; 20(2): 469-478, 2019 Feb 26.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30803209

RESUMO

Objective: Evaluate the beliefs about the risk factors for breast cancer in a population of women from the western Amazon and determine the factors associated with the higher belief scores presented by this population. Methods: A population-based cross-sectional study included 478 women aged >40 years residing in Rio Branco, Acre, Brazil. An American Cancer Society questionnaire was applied to assess the knowledge, attitudes, and beliefs about breast cancer. Results: The main beliefs about the risk factors for breast cancer were breast trauma (95%), use of underwire bra (58.5%), and a high number of sexual partners (55.5%). Women from younger age groups presented higher belief scores (Bcoefficient: ­0.04, 95% CI: ­0.07; ­0.01) than those of women from older age groups. A strong association was noted between high knowledge scores of risk factors and signs/symptoms of the disease and high belief scores in the study group (Bcoefficient:0.33;95%CI:0.28;0.38). Conclusion: The results indicate the existence of important beliefs related to the risk factors for breast cancer. Women from younger age groups, women who have seen a gynecologist in the past 2 years, and women who had more knowledge about the risk factors and signs and symptoms of breast cancer had higher belief scores.


Assuntos
Neoplasias da Mama/psicologia , Autoexame de Mama/psicologia , Comportamentos Relacionados com a Saúde , Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde , Mamografia/psicologia , Adulto , Idoso , Brasil/epidemiologia , Neoplasias da Mama/diagnóstico , Neoplasias da Mama/epidemiologia , Estudos Transversais , Feminino , Humanos , Pessoa de Meia-Idade , Prognóstico , Inquéritos e Questionários
4.
Cien Saude Colet ; 24(1): 261-273, 2019 Jan.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30698259

RESUMO

Breast cancer survival in Latin America countries is below Central European countries. Hospital-based breast cancer survival studies in western Amazon, Brazil, are lacking. This article aims to estimate hospital-based breast cancer survival in Rio Branco, Acre, and predictor factors. Hospital-based cohort study of all women diagnosed with breast cancer (2007-2012) was proceeded. Information were obtained from medical reports, and follow-up was until 2013. One-, 2- and 5- years breast cancer specific-survival were estimated by Kaplan-Meier method. Crude and adjusted Harzards Ratios (HR) were estimated by proportional Cox regression model. One-, 2-, and 5-year overall breast cancer survival were 95.5%, 83.7%, and 87.3% respectively. Surgery combined to radiotherapy significantly affected 1-, 2-, and 5-year survival (99%, 94%, and 90.6%, respectively) as compared to other treatments (77%,57.1%, and 37.5%, respectively). Comparing to surgery combined to radiotherapy treatment, surgery alone increased the risk of death, independently of age and stage (HR = 7.23;95%CI:2.29-22.83). In Rio Branco, Acre, 5-year breast cancer survival is similar to more developed areas in Brazil. Surgery combined to radiotherapy was independently associated to a lower risk of death as compared to surgery alone and other treatment.


Assuntos
Neoplasias da Mama/terapia , Hospitalização , Adulto , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Brasil , Neoplasias da Mama/patologia , Estudos de Coortes , Terapia Combinada , Feminino , Seguimentos , Humanos , Estimativa de Kaplan-Meier , Pessoa de Meia-Idade , Estadiamento de Neoplasias , Modelos de Riscos Proporcionais , Estudos Retrospectivos , Taxa de Sobrevida , Fatores de Tempo , Adulto Jovem
5.
Rev. saúde pública (Online) ; 53: 88, jan. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1043327

RESUMO

ABSTRACT OBJECTIVE To determine the distribution of sociodemographic, reproductive, clinical and lifestyle habits in the cohort of women diagnosed with cervical cancer, assisted at Inca between 2012 and 2014, according to the histological type. METHODS Retrospective observational study of a hospital cohort of 1,004 women diagnosed with cervical cancer. Data were obtained from the Inca hospital cancer registry, physical and electronic records. RESULTS The most frequent histological type was squamous cell carcinoma (83.9%). Approximately 70% of the women aged more than 40 years. The study includes non-white women (67.4%), with less than 8 years of education (51.9%), with onset of sexual activity up to 16 years of age (40.7%), who were pregnant before (95.5%), with more than one pregnancy (82.9%), and more than two children (52.7%); 45.8% of the women were smokers or former smokers. Cervical adenocarcinoma was positively associated with earlier staging (IA-IIA) (OR = 1.79; 95%CI 1.03-3.13), as well as women with ≥ 12 years of education (OR = 6.30; 95%CI 1.97-20,13), who had no children (OR = 3.81; 95%CI 1.20 - 12,08) or who had up to two children (OR = 1.74; 95%CI 1.05 - 2,87). CONCLUSIONS The difference between histological types is highlighted, suggesting that women with cervical adenocarcinoma may represent a distinct clinical entity of cervical neoplasia, which may require different approaches from those used in squamous cell carcinoma.


RESUMO OBJETIVO Determinar a distribuição das características sociodemográficas, reprodutivas, clínicas e de hábitos de vida na coorte de mulheres diagnosticadas com câncer cervical, atendidas no Inca entre 2012 e 2014, segundo o tipo histológico. MÉTODOS Estudo observacional retrospectivo de uma coorte hospitalar de 1.004 mulheres diagnosticadas com câncer cervical. Os dados foram obtidos pelo Registro Hospitalar de Câncer do Inca, prontuários físicos e eletrônicos. RESULTADOS O tipo histológico mais frequente foi o carcinoma de células escamosas (83,9%). Aproximadamente 70% das mulheres foram diagnosticadas com mais de 40 anos de idade. Houve a predominância de mulheres não brancas (67,4%), com menos de 8 anos de escolaridade (51,9%), com início da atividade sexual até 16 anos de idade (40,7%), que já engravidaram alguma vez na vida (95,5%), com mais de uma gestação (82,9%) e mais de dois filhos (52,7%); 45,8% das mulheres eram tabagistas ou ex-tabagistas. O adenocarcinoma cervical esteve positivamente associado ao estadiamento mais precoce (IA-IIA) (OR = 1,79; IC95% 1,03-3,13), assim como a mulheres com ≥ 12 anos de estudo (OR = 6,30; IC95% 1,97-20,13), que não tiveram filhos (OR = 3,81; IC95% 1,20-12,08) ou que tiveram até dois filhos (OR = 1,74; IC95% 1,05-2,87). CONCLUSÕES Destaca-se a diferença entre os tipos histológicos, sugerindo que as mulheres com adenocarcinoma cervical possam representar uma entidade clínica distinta de neoplasia cervical, podendo demandar abordagens diferentes das utilizadas no carcinoma de células escamosas.

6.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 35(5): e00143818, 2019. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-1001663

RESUMO

O objetivo do estudo foi estimar a mortalidade por câncer em povos indígenas no Estado do Acre, Brasil. Trata-se de estudo observacional descritivo, com base no banco nominal do SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade), referente ao período de 1º de janeiro de 2000 a 31 de dezembro de 2012. Foi analisada a distribuição de frequência de óbitos, por sexo e faixa etária, e calculada a RMP (razão de mortalidade padronizada), tendo como referência Goiânia (Goiás), Acre e Região Norte. Foram identificados 81 óbitos, a maioria de homens (59,3%) e acima de 70 anos. As cinco principais localizações em homens foram estômago, fígado, cólon e reto, leucemia e próstata. Nas mulheres, câncer cervical, estômago, fígado, leucemia e útero. Nos homens indígenas houve excesso de óbitos por câncer de estômago quando comparados às populações de Goiânia (RMP = 2,72; 2,58-2,87), Acre (RMP = 2,05; 1,94-2,16) e Região Norte (RMP = 3,10; 2,93-3,27). O mesmo foi observado para óbitos por hepatocarcinomas, tendo por referência Goiânia (RMP = 3,89; 3,66-4,14), Acre (RMP = 1,79; 1,68-1,91) e Região Norte (RMP = 4,04; 3,77-4,30). Dentre as mulheres indígenas, destaca-se o excesso de câncer cervical em relação à Goiânia (RMP = 4,67; 4,41-4,93), Acre (RMP = 2,12; 2,00-2,24) e Região Norte (RMP = 2,60; 2,45-2,75). As estimativas apontam que neoplasias passíveis de prevenção, como câncer cervical, e ligadas ao subdesenvolvimento, como estômago e fígado, corresponderam a cerca de 49,4% dos óbitos entre indígenas. Comparados à população de referência, a mortalidade por câncer de fígado, estômago, colorretal e leucemias foi maior que o dobro entre os homens indígenas; por câncer cervical, estômago, fígado e leucemias esteve acima de 30% entre as mulheres indígenas.


The study aimed to estimate cancer mortality among indigenous peoples in Acre State, Brazil. This was a descriptive observational study based on the nominal bank of the Brazilian Mortality Information System for the period from January 1st, 2000, to December 31st, 2012. The study analyzed the distribution death frequencies by sex and age. Standardized mortality ratio (SMR) was calculated taking Goiânia (Goiás State), Acre State, and the North Region of Brazil as the references. A total of 81 deaths were identified, the majority in men (59.3%) and in individuals over 70 years of age. The five main sites in men were stomach, liver, colon and rectum, leukemia, and prostate. The five main sites in women were uterine cervix, stomach, liver, leukemia, and uterus. In indigenous men there was an excess of deaths from stomach cancer compared to the populations of Goiânia (SMR = 2.72; 2.58-2.87), Acre State (SMR = 2.05; 1.94-2.16) and North region (SMR = 3.10; 2.93-3.27). The same was observed for deaths from hepatic cell carcinomas referenced against Goiânia (SMR = 3.89; 3.66-4.14), Acre State (SMR = 1.79; 1.68-1.91), and the North of Brazil (SMR = 4.04; 3.77-4.30). Among indigenous women, there was an excess of cervical cancer in comparison to Goiânia (SMR = 4.67; 4.41-4.93), Acre State (SMR = 2.12; 2.00-2.24), and the North (SMR = 2.60; 2.45-2.75). The estimates show that preventable neoplasms such as cervical cancer and those linked to underdevelopment, such as stomach and liver cancer, account for 49.4% of deaths among indigenous peoples. Compared to the reference population, mortality from liver, stomach, and colorectal cancer and leukemias was more than twice as high in indigenous men; among indigenous women, cervical, stomach, and liver cancer and leukemias were 30% higher.


El objetivo del estudio fue estimar la mortalidad por cáncer en pueblos indígenas del estado de Acre. Se trata de un estudio observacional descriptivo, a partir del banco de datos nominal del SIM (Sistema de Información Sobre Mortalidad), referente al período de 01 de enero de 2000 a 31 de diciembre de 2012. Se analizó la distribución de frecuencia de óbitos, por sexo y franja de edad, y se calculó la RMP (razón de mortalidad estandarizada), teniendo como referencia Goiânia-GO, Acre y la región norte. Se identificaron 81 óbitos, la mayoría en hombres (59,3%) y por encima de los 70 años. Los cinco principales focos en hombres fueron: estómago, hígado, colon y recto, leucemia y próstata. En las mujeres, cáncer cervical, estómago, hígado, leucemia y útero. En los hombres indígenas, hubo exceso de óbitos por cáncer de estómago, comparados con las poblaciones de Goiânia (RMP = 2,72; 2,58-2,87), estado de Acre (RMP = 2,05; 1,94-2,16) y región norte (RMP = 3,10; 2,93-3,27). Lo mismo se observó en caso de óbitos por hepatocarcinomas, teniendo por referencia Goiânia (RMP = 3,89; 3,66-4,14), estado de Acre (RMP = 1,79; 1,68-1,91) y región norte (RMP = 4,04; 3,77-4,30). Entre las mujeres indígenas, se destaca el exceso de cáncer cervical, en relación con Goiânia (RMP = 4,67; 4,41-4,93), estado de Acre (RMP = 2,12; 2,00-2,24) y región norte (RMP = 2,60; 2,45-2,75). Las estimativas apuntan a que neoplasias susceptibles de prevención, como la cervical, y vinculadas al subdesarrollo, como la de estómago e hígado, correspondieron a cerca de un 49,4% de los óbitos entre indígenas. Comparados con la población de referencia, la mortalidad por cáncer de hígado, estómago, colorrectal y leucemias fue más que el doble entre los hombres indígenas; por cáncer cervical, estómago, hígado y leucemias estuvo por encima de un 30% entre las mujeres indígenas.

7.
Ciênc. Saúde Colet ; 24(1): 261-273, ene. 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-974821

RESUMO

Abstract Breast cancer survival in Latin America countries is below Central European countries. Hospital-based breast cancer survival studies in western Amazon, Brazil, are lacking. This article aims to estimate hospital-based breast cancer survival in Rio Branco, Acre, and predictor factors. Hospital-based cohort study of all women diagnosed with breast cancer (2007-2012) was proceeded. Information were obtained from medical reports, and follow-up was until 2013. One-, 2- and 5- years breast cancer specific-survival were estimated by Kaplan-Meier method. Crude and adjusted Harzards Ratios (HR) were estimated by proportional Cox regression model. One-, 2-, and 5-year overall breast cancer survival were 95.5%, 83.7%, and 87.3% respectively. Surgery combined to radiotherapy significantly affected 1-, 2-, and 5-year survival (99%, 94%, and 90.6%, respectively) as compared to other treatments (77%,57.1%, and 37.5%, respectively). Comparing to surgery combined to radiotherapy treatment, surgery alone increased the risk of death, independently of age and stage (HR = 7.23;95%CI:2.29-22.83). In Rio Branco, Acre, 5-year breast cancer survival is similar to more developed areas in Brazil. Surgery combined to radiotherapy was independently associated to a lower risk of death as compared to surgery alone and other treatment.


Resumo Na América Latina, a sobrevida de 5 anos do câncer de mama está abaixo dos países da Europa central. Não há estudos de sobrevida de câncer de mama de base hospitalar no oeste da Amazônia brasileira. O objetivo deste artigo é estimar a sobrevida hospitalar de câncer de mama e fatores associados em Rio Branco, Acre. Estudo de coorte de base hospitalar com todos os casos de câncer de mama diagnosticados em Rio Branco (2007-2012). As informações foram obtidas de prontuários. As sobrevidas específicas para câncer de mama foram estimadas para 1, 2, e 5 anos pelo método de Kaplan Meier. As hazards ratios (HR) brutas e ajustadas foram estimadas pela regressão proporcional de Cox. As sobrevidas globais em 1, 2 e 5 anos foram respectivamente 95,5%, 83,7%e 87,3%. A cirurgia combinada à radioterapia afetou significativamente a sobrevida em 1, 2 e 5 anos (99%, 94% e 90,6%, respectivamente) quando comparadas a outros tratamentos (77%, 57,1% e 37,5%, respectivamente). Comparadas à cirurgia combinada, as mulheres submetidas à cirurgia isolada apresentaram maior risco de óbito, independentemente da idade e estadiamento (HR = 7,23; 95%CI:2,29-22,83). Em Rio Branco, Acre, a sobrevida em 5 anos para câncer de mama foi elevada. A cirurgia combinada à radioterapia foi independentemente associada ao menor risco de óbito.

8.
Asian Pac J Cancer Prev ; 18(3): 847-856, 2017 03 01.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-28441797

RESUMO

Background: A general lack of women`s awareness of breast cancer has been one of the barriers to screening and early presentation. Thus, the aim of this study was to evaluate levels of knowledge about risk factors, and early warning signs of breast cancer, and to determine factors associated with better levels of comprehension. Methods: A population-based cross-sectional study was carried out among 478 women over 40 years old, living in Rio Branco city, western Amazon. All were interviewed using the "Breast cancer knowledge, attitudes and practice scale", developed by American Cancer Society. Results: Among the respondents, only 28.6% of women were aware that advanced age highly increases the risk. Around 30% of participants recognized nipple retraction as a sign of breast cancer. Breast cancer knowledge varied according to age in such a way that the mean scores were high from 40-69 years and decreased dramatically among those aged ≥70 (ß=-0.06,p=0.031). Access to health services such as the Pap-test (ß=2.45,p=0.027) and attending a gynecologist in the past two years (ß=1.88,p=0.005) were statistically associated with the score of breast cancer knowledge. Conclusion: The findings indicate that women living in urban areas, having gynecological assessment, considering herself at high risk of developing breast cancer and thinking that breast cancer is a fatal disease are statistically associated with good knowledge of breast cancer risk factors, signs and symptoms, even adjusting for age and education.

9.
Cad Saude Publica ; 30(9): 1912-20, 2014 Sep.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-25317520

RESUMO

The objective of the study was to determine the dynamics of precancerous lesions in women of a cohort treated for cervical intraepithelial neoplasia (CIN) and followed up over the next two years. The conditional probability of failure was calculated using the Kaplan-Meier method, and the raw and adjusted hazard ratios (HR) were determined using Cox regression with a p-value entry of < 0.05. Of the 237 women who were treated, 51.5% were accompanied over 24 months, and treatment failed for 21.9% of those accompanied. Women who had five or more pregnancies (adjusted HR = 3.10, 95%CI: 1.28-7.51) or an initial histological diagnosis of CIN II/III demonstrated an independent risk of treatment failure (adjusted HR = 3.14, 95%CI: 1.20-8.19). Being in a stable relationship was a protective factor against treatment failure (adjusted HR = 0.47, 95%CI: 0.24-0.89). A history of more frequent pregnancies and a histological diagnosis of CIN II/III are directly correlated with risk of CIN treatment failure, whereas being in a stable relationship is inversely correlated with this risk.


Assuntos
Neoplasia Intraepitelial Cervical/terapia , Lesões Pré-Cancerosas/terapia , Adulto , Brasil , Neoplasia Intraepitelial Cervical/patologia , Estudos de Coortes , Feminino , Humanos , Lesões Pré-Cancerosas/patologia , Recidiva , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco , Fatores Socioeconômicos , Falha de Tratamento , Neoplasias do Colo do Útero/patologia , Neoplasias do Colo do Útero/terapia
10.
Cad. saúde pública ; 30(9): 1912-1920, 09/2014. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-725852

RESUMO

The objective of the study was to determine the dynamics of precancerous lesions in women of a cohort treated for cervical intraepithelial neoplasia (CIN) and followed up over the next two years. The conditional probability of failure was calculated using the Kaplan-Meier method, and the raw and adjusted hazard ratios (HR) were determined using Cox regression with a p-value entry of < 0.05. Of the 237 women who were treated, 51.5% were accompanied over 24 months, and treatment failed for 21.9% of those accompanied. Women who had five or more pregnancies (adjusted HR = 3.10, 95%CI: 1.28-7.51) or an initial histological diagnosis of CIN II/III demonstrated an independent risk of treatment failure (adjusted HR = 3.14, 95%CI: 1.20-8.19). Being in a stable relationship was a protective factor against treatment failure (adjusted HR = 0.47, 95%CI: 0.24-0.89). A history of more frequent pregnancies and a histological diagnosis of CIN II/III are directly correlated with risk of CIN treatment failure, whereas being in a stable relationship is inversely correlated with this risk.


O objetivo do estudo foi determinar a dinâmica da lesão intraepitelial cervical (NIC) em mulheres tratadas que foram acompanhadas em uma coorte durante dois anos. Foi calculada a probabilidade condicional de falha usando o método de Kaplan-Meier e foram calculadas as hazard ratios (HR) bruta e ajustada para o risco de falha usando a regressão de Cox com valor de p de entrada < 0,05. Das 237 mulheres que foram tratadas, 51,5% foram acompanhadas por 24 meses e 21,9% delas tiveram falha no tratamento, apresentando recidiva da lesão cervical. Mulheres que tinham mais que cinco gestações (HR = 3,10; IC95%: 1,28-7,51) ou histológico de NIC II/III demonstraram risco independente para falha no tratamento (HR = 3,14; IC95%: 1,20-8,19) e estar em um relacionamento estável mostrou ser um fator de proteção para falha de tratamento (HR = 0,47; IC95%: 0,24-0,89). A história de maior número de gestações e histológico de NIC II/III estão diretamente correlacionados com o risco de falha no tratamento, enquanto que estar em um relacionamento estável é inversamente correlacionado ao risco.


El objetivo del estudio fue determinar la dinámica de las lesiones intraepiteliales de cuello uterino (NIC) en mujeres que fueron tratadas dentro de una cohorte, cuyo seguimiento se realizó durante dos años. Se calculó la probabilidad condicional de error, utilizando el método de Kaplan-Meier y se calcularon los cocientes de riesgo (HR) crudos y ajustados por el riesgo de fracaso mediante la regresión de Cox con el aporte valor p < 0,05. De 237 mujeres que recibieron tratamiento, el 51,5% fueron seguidas durante 24 meses y en el 21,9% fracasó el tratamiento, mostrando la repetición del daño cervical. Las mujeres que tenían más de cinco embarazos (HR = 3,10; IC95%: 1,28-7,51) o NIC histológico II/III mostraron un factor de riesgo independiente para el fracaso del tratamiento (HR = 3,14; IC95%: 1,20-8,19) y estar en una relación estable resultó ser un factor protector para el fracaso del tratamiento (HR: 0,47; IC95%: 0,24-0,89). La historia de embarazos múltiples y con diagnóstico histológico NIC II/III se correlaciona directamente con el riesgo de fracaso del tratamiento, mientras que si está en una relación estable se correlaciona inversamente con la relación riesgo.


Assuntos
Adulto , Feminino , Humanos , Neoplasia Intraepitelial Cervical/terapia , Lesões Pré-Cancerosas/terapia , Brasil , Estudos de Coortes , Neoplasia Intraepitelial Cervical/patologia , Lesões Pré-Cancerosas/patologia , Recidiva , Estudos Retrospectivos , Fatores de Risco , Fatores Socioeconômicos , Falha de Tratamento , Neoplasias do Colo do Útero/patologia , Neoplasias do Colo do Útero/terapia
11.
Rev. bras. cancerol ; 58(2): 153-161, abr.-jun. 2012. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-647220

RESUMO

Introdução: As bases de dados do Registro Hospitalar de Câncer permitem a elaboração de atividades relacionadas à vigilância e planejamento de atenção à saúde. Objetivo: Analisar a base de dados do Registro Hospitalar de Câncer do Hospital Universitário Antônio Pedro, da Universidade Federal Fluminense, no período de 2000-2009, segundo sexo, faixa etária, localização do tumor primário e mortalidade intra-hospitalar. Método: Exportação da base de dados e elaboração de tabelas de análise bivariada, com estimativa de testes de hipóteses e medidas de associação. Resultados: Foram registrados 3.544 pacientes, sendo 55,3 por cento do sexo feminino. Do total de casos, para o sexo masculino, houve maior concentração na faixa etária de 60 a 79 anos (51,0 por cento); enquanto, no sexo feminino, predominou a faixa etária de 40 a 59 anos (45,8 por cento). No sexo masculino, os tumores mais frequentemente atendidos no serviço foram: aparelho digestivo (29,2 por cento), seguidos por aparelho genital (19,9 por cento) e aparelho respiratório (19,3 por cento). No sexo feminino, os tumores da mama foram os mais registrados (37,8 por cento), seguidos por aparelho digestivo (17,4 por cento) e aparelho genital (13,4 por cento). A mortalidade intra-hospitalar foi maior no sexo masculino (13,2 por cento) do que no feminino (10,2 por cento), perfazendo uma razão de mortalidade entre os sexos de 1,30, estatisticamente significativa. Conclusão: Este trabalho visou a contribuircom a atuação do Hospital Universitário Antônio Pedro, assim como da rede hospitalar pública no país, na área da assistência oncológica.


Assuntos
Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Pesquisa sobre Serviços de Saúde , Sistemas de Informação , Neoplasias/epidemiologia , Registros Hospitalares/estatística & dados numéricos , Registros de Doenças/estatística & dados numéricos , Estudos Longitudinais
12.
Rev. bras. cancerol ; 58(3): 471-479, 2012.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-946089

RESUMO

ResumoIntrodução: O câncer do colo do útero é a segunda neoplasia mais incidente entre as mulheres. Na Região Norte doBrasil, especialmente na cidade de Rio Branco/Acre, é o tipo de câncer com maior incidência e mortalidade. Objetivo:Caracterizar o perfil das mulheres rastreadas com resultados colpocitológicos de ASCUS /AGC, LSIL e HSIL , entre 2007 a 2008, no setor público da na cidade de Rio Branco, AC . Método: Estudo transversal, com mulheres diagnosticadas com resultados colpocitológicos de ASCUS/AGUS, LSIL e HSIL, identificadas através do exame Papanicolaou e registradas no Programa de Controle de Câncer do Colo do Útero nos anos de 2007 e 2008 no Centro de Controle em Oncologia do Acre (CECON/AC ). Resultados: 22,6% das mulheres tinham menos que 25 anos de idade, 57,3% tinham entre 25 a 45 anos, 89,1% eram pardas, 59,8% tinham o nível fundamental de escolaridade, 30,5% tiveram a sexarca antes dos 14 anos, 64,9% tinham acima de 3 filhos, 70,0% tiveram mais que 2 parceiros ao longo da vida, 54,0% não havia recebido tratamento após o diagnóstico citológico alterado e 45,7% dos diagnósticos citológicos de atipias de significado indeterminado eram lesões de alto grau ou câncer no histopatológico. Conclusão: Sugere-se que sejam implementadas melhorias na qualidade do programa de prevenção do câncer do colo do útero do Estado do Acre, envolvendo a avaliação, controle do diagnóstico e tratamento, especialmente das mulheres diagnosticadas como ASCUS/AGC, para que se possa esperar alguma redução nas taxas de incidência e mortalidade por câncer do colo do útero nessa Região


Assuntos
Feminino , Humanos , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Estudos Transversais , Programas de Rastreamento , Neoplasias do Colo do Útero/prevenção & controle , Neoplasias do Colo do Útero/terapia
13.
Cad. saúde colet., (Rio J.) ; 16(4)out.-dez. 2008. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: lil-621225

RESUMO

Este trabalho realizou uma revisão sistemática da literatura no período 1999-2007, analisando a associação entre a exposição a substâncias químicas e o desenvolvimento de câncer. A contribuição da exposição a pesticidas nesta associação é abordada como estudo de caso na literatura internacional, e no Brasil em particular. O papel da exposição a substâncias químicas no processo de carcinogênese é revisto a partir dos conhecimentos contemporâneos sobre as interações genético-ambientais e a contribuição dos polimorfismos genéticos envolvidos na metabolização de substâncias xenobióticas. Estas relações são abordadas tanto na perspectiva da Biologia Molecular como da Epidemiologia, através de exemplos de associações observadas na população geral resultantes de exposições ocupacionais e ambientais.


A systematic literature review between 1999-2007 on the association between chemical exposure and cancer was carried out, and it was highlighted the case study of worldwide and Brazilian experiences of pesticides exposure. Current knowledge on the carcinogenesis process and the role of single genetic polymorphisms were addressed, both from a molecular and an epidemiological approach. Some examples of such association were discussed on the occupational and the environmental. (affecting the general population) perspectives.

14.
Rio de Janeiro; s.n; 2008. x,123 p. tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-527649

RESUMO

Introdução: Apesar dos esforços para controlar a incidência e mortalidade por câncer de colo de útero, esta neoplasia é um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Tem sido internacionalmente observada uma mudança no padrão de incidência do câncer cervical, sobretudo em mulheres jovens, sugerindo uma distribuição heterogênea dos fatores de risco nos diferentes grupos etários. A detecção precoce das lesões precursoras e seu tratamento adequado constituem as ferramentas principais para o controle da incidência e mortalidade por esta neoplasia. No entanto, há um percentual considerável de mulheres cuja evolução caracteriza-se pelo insucesso no tratamento dessas lesões ou apresentam um padrão diferenciado, devido a fatores ainda não muitos bem estabelecidos. Objetivo: Determinar a contribuição de fatores clínicos, epidemiológicos e genéticos na evolução das lesões precursoras do câncer cervical bem como na falha de tratamento das lesões pré-neoplasicas.Metodologia: Trata-se de um estudo observacional transversal em mulheres com lesões cervicais com indicação de colposcopia, atendidas num hospital de referência para câncer ginecológico entre outubro de 2004 a Maio de 2006; e um estudo observacional analítico prospectivo de uma coorte de mulheres com lesões precursoras do câncer de colo de útero submetido ao tratamento conservador, seguidas por 2 anos após o tratamento. As pacientes foram submetidas à uma entrevista padronizada buscando identificar os cofatores de risco de interesse no estudo e foi coletado uma amostra de sangue periférico para determinação dos polimorfismos do códon 72 do gene TP53, utilizando as técnicas de PCR-RFLP. Foram utilizados os testes de Poisson e de Regressão Logística Múltipla para cálculos das razões de prevalência e OR, respectivamente, com intervalos de confiança de 95 por cento no estudo transversal. Os testes de Kaplan Meier e regressão proporcional de Cox foram utilizados para avaliação da probabilidade condicional de falha no tratamento e estimação das HR, respectivamente.Resultados: Um total de 318 pacientes assinou o TCLE e cumpriram os critérios de inclusão. Dessas, 136 (42.8 por cento) tinham entre 18-30 anos, 138 (43.4 por cento) entre 31-49 anos, e 44 (13.8 por cento) tinham 50-68 anos. Das 304 coletaram amostras de sangue periférico, 55 (18.1 por cento) eram homozigotos para o alelo Pro, 185 (60.9 por cento) heterozigotos, 64 (21.1) eram homozigotos para o alelo Arg. A distribuição dos polimorfismos está em equilíbrio de Hardy-Weimberg. No grupo mais jovem, paridade e sexarca precoce apresentaram razões de prevalência bruta e ajustada de 1.16 e 1.95, respectivamente. No grupo etário de 31 – 49 anos, a idade na menopausa e tabagismo atual foram fatores de risco independentes para HSIL/Câncer (RP:1.21 e 1.37, respectivamente). A forma heterozigota foi um fator de risco independente para o desenvolvimento de HSIL/Câncer (ORaj=1.92, 95 por cento CI:1.03-3.59). Polimorfismos da p53 interagiram significativamente com uso de contraceptivo oral (OR interação= 3.59,95 por cento CI:1.09-11.84). Envolvimento das margens (HR=7.01), tabagismo atual (HR=3.9) estão estatisticamente associados ao risco de falha no tratamento de lesões precursoras quando o critério de falha utilizado é confirmado histopatologicamente. Conclusão: Os fatores de risco envolvidos no desenvolvimento do câncer cervical podem variar de acordo com o grupo etário estudado. Fatores genéticos ligados ao hospedeiro (ex. Polimorfismos do gene TP53) podem interagir com esses fatores ambientais modulando o risco de HSIL/Câncer. As margens cirúrgicas e os fatores ambientais (tabagismo, sexarca precoce, multiplicidade de parceiros e uso de contraceptivos orais) atuam conjuntamente no risco de falha no tratamento conservador das lesões precursoras do câncer cervical...


Assuntos
Humanos , Feminino , Colo do Útero/lesões , Neoplasias do Colo do Útero/epidemiologia , Neoplasias do Colo do Útero/genética , Neoplasias do Colo do Útero/mortalidade , Estudos Transversais , Incidência , Modelos Logísticos , Distribuição de Poisson , Fatores de Risco , Análise de Sobrevida , Falha de Tratamento
15.
Rio de Janeiro; s.n; 2003. 107 p. tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-350356

RESUMO

Esta tese apresenta os seguintes objetivos a) Caracterizar o perfil sociodemográfico, reprodutivo e a história clínica das mulheres referidas ao Polo de Patologia Cervical da zona oeste do município do Rio de Janeiro, com diagnóstico NIC I, NIC II e NIC III; b) Determinar a distribuição dos padrões de evolução de patologia cervical da coorte de estudo; c) Avaliar a evolução das mulheres da coorte que foram submetidas à exérese da lesão inicial; d) Determinar a distribuição de diferentes fatores de risco implicados na carcinogênese do colo de útero, na coorte de mulheres com patologia cervical. Foi realizado um estudo exploratório da coorte de mulheres referidas ao Polo de Patologia Cervical de Bangu (Rio de janeiro), com diagnóstico de NIC I, II e III, entre janeiro de 1998 e março de 2000, com a análise uni e bivariada através do X². Procedeu-se a análise pelo método de Kaplan Meier e através da regressão de Cox multivariada.Resultados: A coorte de estudo foi composta por 871 mulheres. A idade média foi de 34,78 anos (+ 12,62) e mediana de 33 anos. A idade média de menarca foi de 12,77 anos (+ 1,68), a idade média de início da atividade sexual de 17 anos ( + 3,26). A prevalência de fumantes foi de 35,5 por cento, com tempo médio de fumo de 15,2 ano. Segundo o tipo de patologia cervical, 4,8 por cento eram NIC I, 61 por cento NIC II e 34,2 por cento NIC III. Dessas, 62,1 por cento (541), foram submetidas à exérese da lesão inicial através de biópsia, CAF ou conização a frio. Dentre aquelas que não foram submetidas à exérese da lesão, 43,2 por cento negativaram. Dentre as mulheres tratadas, 37,1 por cento apresentaram falha do tratamento. A idade (RR= 1,013, p< 0,024), tempo de fumo > 20 anos (RR=1,52, p<0,146) e citologia de entrada (RR=1,62, p<0,18) se mostraram como fatores de risco para a persistência de lesão precursora. A idade > 50 anos, o n° de citologias de seguimento (RR=0,9264, p<0,136) e n° de parceiros sexuais (RR=1,163, p<0,4) influenciam o risco de falha do tratamento. O tratamento mostrou um efeito protetor no risco de persistência de lesões pré-neoplásicas (RR=0,4326, p<0,000), independente do efeito da idade. A idade é um importante fator tanto para o risco de persistência de lesões precursoras, quanto para o risco de falha no tratamento das lesões precursoras do câncer. O tratamento conservador das lesões pré-neoplásicas tem um efeito protetor independente do efeito da idade.


Assuntos
Humanos , Feminino , Neoplasia Intraepitelial Cervical , Mulheres , Estudos de Coortes
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA