Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 20(2): 291-301, mai.-ago. 2010. tab, graf
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-64071

RESUMO

OBJETIVO: verificar os principais fatores que influenciam o desmame em prematuros nascidos em maternidade pública da cidade de São Paulo. MÉTODO: estudaram-se 89 prematuros de baixo peso acompanhados em ambulatório, no período de agosto de 2006 a maio de 2007. Esses prematuros foram divididos em dois grupos conforme a presença de desmame parcial (introdução de complemento lácteo por mamadeira) ou desmame total (interrupção do aleitamento materno). Foram estudadas variáveis maternas e das crianças, obtidas por meio de entrevista com a mãe e consulta a prontuários. Na análise estatística, utilizaram-se os testes t (Student) e de correlação (Spearman). Adotou-se o nível de significância de 5 por cento. RESULTADOS: a média de idade para o desmame parcial foi de 1,41 meses. Mães que realizaram ordenha durante a internação, ou que iniciaram ou retornaram ao trabalho, introduziram mamadeira mais tardiamente. Quanto menor o peso ao nascer e a idade gestacional, mais tardia a introdução da mamadeira. Quanto menor a idade de introdução da chupeta, mais precoce o desmame parcial. A média de idade para o desmame total foi de 2,93 meses. Mães que internaram na enfermaria canguru, ou que iniciaram ou voltaram ao trabalho, interromperam o aleitamento materno mais tardiamente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: os achados do presente trabalho apontam para a importância de fatores controláveis pela equipe de saúde na prevenção do desmame precoce em prematuros, como ordenha, metodologia canguru e orientação para o não uso de chupetas. Fatores não controláveis como peso ao nascer e trabalho materno, mostraram-se indicativos de maior permanência do aleitamento materno(AU)


Assuntos
Humanos , Fatores de Risco , Desmame , Recém-Nascido Prematuro , Recém-Nascido
2.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 20(2): 291-301, ago. 2010. graf, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-603646

RESUMO

OBJETIVO: verificar os principais fatores que influenciam o desmame em prematuros nascidos em maternidade pública da cidade de São Paulo. MÉTODO: estudaram-se 89 prematuros de baixo peso acompanhados em ambulatório, no período de agosto de 2006 a maio de 2007. Esses prematuros foram divididos em dois grupos conforme a presença de desmame parcial (introdução de complemento lácteo por mamadeira) ou desmame total (interrupção do aleitamento materno). Foram estudadas variáveis maternas e das crianças, obtidas por meio de entrevista com a mãe e consulta a prontuários. Na análise estatística, utilizaram-se os testes t (Student) e de correlação (Spearman). Adotou-se o nível de significância de 5 por cento. RESULTADOS: a média de idade para o desmame parcial foi de 1,41 meses. Mães que realizaram ordenha durante a internação, ou que iniciaram ou retornaram ao trabalho, introduziram mamadeira mais tardiamente. Quanto menor o peso ao nascer e a idade gestacional, mais tardia a introdução da mamadeira. Quanto menor a idade de introdução da chupeta, mais precoce o desmame parcial. A média de idade para o desmame total foi de 2,93 meses. Mães que internaram na enfermaria canguru, ou que iniciaram ou voltaram ao trabalho, interromperam o aleitamento materno mais tardiamente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: os achados do presente trabalho apontam para a importância de fatores controláveis pela equipe de saúde na prevenção do desmame precoce em prematuros, como ordenha, metodologia canguru e orientação para o não uso de chupetas. Fatores não controláveis como peso ao nascer e trabalho materno, mostraram-se indicativos de maior permanência do aleitamento materno


Assuntos
Humanos , Recém-Nascido , Recém-Nascido Prematuro , Fatores de Risco , Desmame
3.
Rev. bras. crescimento desenvolv. hum ; 20(2): 291-301, ago. 2010. graf, tab
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-55261

RESUMO

OBJETIVO: verificar os principais fatores que influenciam o desmame em prematuros nascidos em maternidade pública da cidade de São Paulo. MÉTODO: estudaram-se 89 prematuros de baixo peso acompanhados em ambulatório, no período de agosto de 2006 a maio de 2007. Esses prematuros foram divididos em dois grupos conforme a presença de desmame parcial (introdução de complemento lácteo por mamadeira) ou desmame total (interrupção do aleitamento materno). Foram estudadas variáveis maternas e das crianças, obtidas por meio de entrevista com a mãe e consulta a prontuários. Na análise estatística, utilizaram-se os testes t (Student) e de correlação (Spearman). Adotou-se o nível de significância de 5 por cento. RESULTADOS: a média de idade para o desmame parcial foi de 1,41 meses. Mães que realizaram ordenha durante a internação, ou que iniciaram ou retornaram ao trabalho, introduziram mamadeira mais tardiamente. Quanto menor o peso ao nascer e a idade gestacional, mais tardia a introdução da mamadeira. Quanto menor a idade de introdução da chupeta, mais precoce o desmame parcial. A média de idade para o desmame total foi de 2,93 meses. Mães que internaram na enfermaria canguru, ou que iniciaram ou voltaram ao trabalho, interromperam o aleitamento materno mais tardiamente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: os achados do presente trabalho apontam para a importância de fatores controláveis pela equipe de saúde na prevenção do desmame precoce em prematuros, como ordenha, metodologia canguru e orientação para o não uso de chupetas. Fatores não controláveis como peso ao nascer e trabalho materno, mostraram-se indicativos de maior permanência do aleitamento materno.(AU)


OBJECTIVE: to verify the major factors influencing weaning in preterm infants born in a public maternity center in the city of Sao Paulo, Brazil. METHOD: a total of 89 low-birth-weight preterm infants followed on an outpatient basis were studied from August 2006 to May 2007. These premature infants were divided into two groups according to the presence of partial weaning (introduction of supplementary bottle feeding) or full weaning (breastfeeding cessation). Maternal and infant variables obtained by means of interviews with the mothers and from the medical records were studied. The Student's t test and Spearman rank correlation test were used for the statistical analysis. The significance level was set at 5 percent. RESULTS: mean age for partial weaning was 1.41 months. Mothers who pumped during hospitalization or who started working or returned to work started bottle feeding later. The lower the birth weight and the gestational age, the later bottle feeding was started. The lower the age at pacifier introduction, the earlier the partial weaning. Mean age for full weaning was 2.93 months. Mothers hospitalized in the kangaroo mother care unit, or those who started working or returned to work, stopped breastfeeding later. FINAL CONSIDERATIONS: the findings of the present study point to the importance of factors that can be controlled by the health care team - such as breast milk pumping, the kangaroo mother care method, and advice not to use pacifiers - in the prevention of early weaning in preterm infants. Uncontrollable factors such as birth weight and maternal work were predictive of longer breastfeeding.(AU)

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...