Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Odontol. Araçatuba (Online) ; 31(1): 9-15, jan.-jun. 2010. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-856870

RESUMO

As funções fisiológicas sofrem um retardo gradual que se inicia por volta de 25-30 anos e se estende até a morte. Além disso, esta alteração afeta mais gravemente as atividades mais complexas e as respostas mais intrincadas às tensões ou estresse. O propósito deste trabalho foi estudar histologicamente em ratos idosos o efeito do estresse crônico sobre a reação do tecido conjuntivo subcutâneo. Para tanto, 60 ratos, divididos em quatro grupos (GI (controle), GII (estressado), GIII (idoso) e GIV (Idoso/Estressado) receberam implante subcutâneo, bilateral e dorsal, de tubos de polietileno contendo soro fisiológico. Em grupos de cinco, os animais foram sacrificados aos 7,14 e 28 dias pós-operatórios. Os resultados obtidos permitiram observar reação inflamatória mais intensa e organização do tecido conjuntivo mais tardia nos animais idosos submetidos ao estresse


Physiological functions undergo a gradual retardation that begins around 25-30 years and extends to the death. Moreover, this change affects most severely the activities more complex and more intricate responses to tensions or stress. The purpose of this study was to evaluate histologically in aged rats the effect of chronic stress on the reaction of subcutaneous connective tissue. The purpose of this study was to evaluate histologically in aged rats the effect of chronic stress on the reaction of subcutaneous connective tissue. For this purpose, 60 rats were divided into four groups (GI (control), GII (stressed), GIII (elderly) and GIV (aged / stressed) received dorsal subcutaneous implants of polyethylene tubes containing saline solution. In groups of four animals were sacrificed at 7,14 and 28 days postoperatively. The results allowed to observe more intense inflammatory reaction and tissue organization later in the aged animals subjected to stress


Assuntos
Animais , Ratos , Envelhecimento , Assistência Odontológica para Idosos , Doença , Sistema Hipotálamo-Hipofisário , Sistema Hipófise-Suprarrenal , Cicatrização
2.
Rev. Odontol. Araçatuba (Online) ; 30(2): 14-18, jul.-dez. 2009. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-856858

RESUMO

Os benzodiazepínicos respondem como uma das drogas mais prescritas e consumidas. O propósito deste trabalho foi estudar histologicamente o efeito de drogas benzodiazepínicas sobre o reparo ósseo. Cavidades ósseas foram criadas em ambas as tíbias de 40 ratos machos, divididos em dois grupos: controle e tratado. No grupo tratado, a droga foi administrada diariamente, na concentração de 5mg/Kg/peso corporal nos 15 dias pré-operatórios. Em grupos de cinco, os animais foram sacrificados aos 7,14,30 e 60 dias pós-operatórios. Aos 7 dias pós-operatórios a cavidade cirúrgica mostra-se preenchida por tecido conjuntivo denso, permeado por delicadas trabéculas ósseas neoformadas nos grupo controle e tratado. Aos 14 dias pós-operatórios as lojas cirúrgicas encontram-se totalmente preenchidas por tecido ósseo neoformado no grupo controle e parcialmente no grupo tratado. Aos 30 dias pós-operatórios a reparação óssea está completa e as lojas cirúrgicas encontram-se preenchidas por tecido ósseo secundário em ambos os grupos. Aos 60 dias pós-operatórios, tecido ósseo maduro e bem diferenciado ocupa todos os espécimes de ambos os grupos. Com base nos resultados obtidos conclui-se que o uso de drogas benzodiazepínicas não interferiu nos estádios de organização do coágulo de fibrina e ossificação da reparação óssea


Benzodiazepines respond as one of the most commonly prescribed drugs and consumed. The purpose of this study was to evaluate histologically the effect of benzodiazepine drugs on bone healing. Bone cavities were created in both tibias of 32 male rats were divided into two groups: control and treated. In the treated group, the drug was administered daily at a concentration of 5mg/Kg/peso body within 15 days of preoperative period. In groups of four animals were sacrificed at 7, 14, 30 and 60 days postoperatively. At 7 days postoperatively, while the control group showed connective tissue rich in fibroblasts, the treated group showed neoformed tissue with numerous fibroblasts and capillaries along with lymphocytes and macrophages. At 14 days postoperatively, the control group evolved into newly formed trabecular bone and the group treated for thin trabecular bone with numerous osteoblasts on their borders. At 30 days post-operative bone healing is complete surgical and shops are filled by secondary bone tissue in both groups. At 60 days post-surgery, bone tissue and well differentiated occupies all specimens of both groups. Based on the results it is concluded that the use of benzodiazepine drugs did not interfere in bone repair


Assuntos
Animais , Ratos , Benzodiazepinas , Benzodiazepinas/efeitos adversos , Moduladores GABAérgicos , Cicatrização , Ratos Wistar
3.
Rev. Odontol. Araçatuba (Online) ; 30(2): 71-76, jul.-dez. 2009. ilus
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-856868

RESUMO

O estresse do cotidiano, considerado pela OMS problema de ordem pública, acomete expressiva faixa populacional. O propósito deste trabalho foi estudar histologicamente o efeito do estresse crônico sobre o reparo ósseo. Cavidades ósseas foram criadas em ambas as tíbias de 40 ratos machos, divididos em 2 grupos: controle e estressado. Neste, o estímulo estressor foi aplicado nos 40 dias pré-operatórios e em todos os dias pós-operatórios até o sacrifício, pela manhã por 2 horas, por meio da imobilização por contenção. Em grupos de cinco, os animais foram sacrificados aos 7, 14, 30 e 60 dias pós-operatórios. Aos 7 dias pós-operatórios enquanto o Grupo controle exibia tecido conjuntivo rico em fibroblastos, o Grupo estressado mostrava áreas de coágulo sanguíneo desorganizado. Aos 14 dias pós-operatórios, o Grupo controle evoluiu para trabeculado ósseo neoformado e o Grupo estressado para espículas delgadas. Aos 30 dias pós-operatórios a cavidade óssea mostrou-se totalmente reparada por tecido ósseo maduro no Grupo controle e, parcialmente reparada no Grupo estressado. Aos 60 dias pós-operatórios, osso maduro e bem diferenciado ocupava todos os espécimes. Com base nos resultados obtidos foi possível concluir que o estresse crônico atrasou a reparação óssea


The stress of everyday life, considered by the WHO public health issue, affecting a significant portion of the population. The purpose of this study was to evaluate histologically the effect of chronic stress of restraint on bone repair. Bone cavities were created in both tibias of 32 male rats were divided into two groups: control and stressed. In this, the stressor stimulus was applied within 40 days preoperative and all postoperative days until sacrifice in the morning for 2 hours, through immobilization in PVC tubes, according to the methodology of Alves-Rezende, Okamoto1,2. In groups of four animals were sacrificed at 7, 14, 30 and 60 days postoperatively. At 7 days post-surgery while the control group exhibited tissue rich in fibroblasts, the stressed group showed large areas of disorganized blood clot. At 14 days post-surgery, the control group progressed to bone trabeculae and newly formed group stressed to thin spines. At 30 days post-surgery the sinus was found to be completely repaired by bone tissue in the control group and partially repaired in the group stressed. At 60 days post-surgery, and well-differentiated mature bone occupying all the specimens. Based on the results we conclude that chronic stress delayed bone repair


Assuntos
Animais , Ratos , Sistema Hipotálamo-Hipofisário , Sistema Hipófise-Suprarrenal , Estresse Mecânico , Estresse Psicológico , Cicatrização , Ratos Wistar
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA