Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 8 de 8
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
BEPA - Boletim Epidemiológico Paulista ; 8(92): 4-14, ago. 2011. ilus, tab
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ACVSES, SESSP-CVEPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IALPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-IALACERVO | ID: ses-27999

RESUMO

A hepatite A é uma doença viral de distribuição mundial. A transmissão é fecal-oral e a exposição ocorre principalmente devido às condições inadequadas de saneamento. O presente trabalho relata a investigação de surto de hepatite A (VHA) no município de Descalvado, SP, após cinco anos sem notificação de ocorrência da doença. Foirealizado o estudo de caso-controle composto por 34 casos com IgM positivo e 38 controles com IgM negativos, pareados por faixa etária e local de exposição, para levantamento de fatores de risco e fonte de exposição. Os exames sorológicos foram realizados pelo Centro de Diagnóstico Laboratorial de São Carlos, utilizando kits comerciais da marca DiaSorin®, e pelo Instituto Adolfo Lutz, pela técnica da PCR método in house. A mediana de idade dos casos foi de 6,5 anos, 55,9% de homens; sintomas mais frequentes: icterícia (70,6%), urina escura (70,6%), fezesesbranquiçadas (52,9%), náuseas 47,1%, febre (44,1%), vômito (44,1%), dor abdominal (29,4%) e 2 hospitalizações (5,9%). O contato prévio com doentes foi o fator de risco mais significante: OR de 21,4, IC 95% e p< 0,001. Verduras consumidas sem desinfecção foi o segundo fator de risco mais significante: OR de 4,7; IC 95% ep<0,001. O surto ocorreu em duas escolas e uma creche, atingindo vizinhos e parentes do caso-índice. A ausência de casos por um período de cinco anos resultou em aumento do número de susceptíveis, fazendo com que a ocorrência de um caso fosse suficiente para desencadear o surto. O controle e a prevenção por bloqueio vacinal e por imunoglobulina, assim como medidas educativas desencadeadas em locais de possível exposição, interromperam a cadeia de transmissão(AU)


Assuntos
Hepatite A , Monitoramento Epidemiológico , Surtos de Doenças , Doenças Transmitidas pela Água , Doenças Transmitidas por Alimentos
2.
Bepa - Boletim Epidemiológico Paulista ; 8(92): 1-11, agosto 2011. mapas, tab, graf, ilus
Artigo em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-CVEPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-38182

RESUMO

A hepatite A é uma doença viral de distribuição mundial. A transmissão é fecal-oral e a exposição ocorre principalmente devido às condições inadequadas de saneamento. O presente trabalho relata a investigação de surto de hepatite A (VHA) no município de Descalvado, SP, após cinco anos sem notificação de ocorrência da doença. Foi realizado o estudo de caso-controle composto por 34 casos com IgM positivo e 38 controles com IgM negativos, pareados por faixa etária e local de exposição, para levantamento de fatores de risco e fonte de exposição. Os exames sorológicos foram realizados pelo Centro de Diagnóstico Laboratorial de São Carlos, utilizando kits comerciais da marca DiaSorin®, e pelo Instituto Adolfo Lutz, pela técnica da PCR método in house. A mediana de idade dos casos foi de 6,5 anos, 55,9% de homens; sintomas mais frequentes: icterícia (70,6%); urina escura (70,6%), fezes esbranquiçadas (52,9%), náuseas (47,1%), febre (44,1%), vômito (44,1%), dor abdominal (29,4%) e 2 hospitalizações (5,9%). O contato prévio com doentes foi o fator de risco mais significante: OR de 21,45, IC 95% e p< 0,001. Verduras consumidas sem desinfecção foi o segundo fator de risco mais significante: OR de 4,7, IC 95% e p<0,001. O surto ocorreu em duas escolas e uma creche, atingindo vizinhos e parentes do caso-índice. A ausência de casos por um período de cinco anos resultou em aumento do número de susceptíveis, fazendo com que a ocorrência de um caso fosse suficiente para desencadear o surto. O controle e a prevenção por bloqueio vacinal e por imunoglobulina, assim como medidas educativas desencadeadas em locais de possível exposição, interromperam a cadeia de transmissão. (AU)


Assuntos
Humanos , Hepatite A , Surtos de Doenças
5.
São Paulo; s.n; 2007. 84 p. tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-494129

RESUMO

Introdução: A freqüência da etiologia dos enteropatógenos em adultos, assim como as conseqüências das enfermidades causadas por eles nesse segmento da população tem sido pouco pesquisadas. Técnicas laboratoriais têm incrementado a identificação desses agentes patogênicos e com isto, ressaltando a diferença existente entre as regiões e faixas-etárias distintas. Objetivo: Realizar estudo descritivo prospectivo para caracterização epidemiológica e etiológica das diarréias em adultos de 20 a 59 anos, residentes e atendidos nos pronto-socorros do município de Itapevi, nos meses de agosto e setembro de 2006. Métodos: Amostras de fezes de 50 casos foram submetidas a exames para bactérias, parasitas e Rotavirus. Utilizou-se também o Gel de Eletroforese em Campo Pulsado (PFGE) para identificação de cepas semelhantes de Escherichia coli isoladas. Questionário individual foi utilizado para obtenção de dados epidemiológicos. Resultados: A taxa de incidência da diarréia aguda foi de 6,8 por 1000 habitantes/mês. Na amostra de casos, a taxa de identificação de enteropatógenos foi de 76,0 por cento e 96 por cento responderam ao questionário. Os sintomas mais freqüentes relatados, além da diarréia foram: fraqueza (70 por cento), cólica abdominal (66 por cento), vômito (56 por cento) e flatulência (50 por cento). Houve 12 por cento de hospitalização e 76 por cento necessitaram de reidratação endovenosa. A duração da diarréia foi de 4 dias, 50 por cento dos pacientes referiram absenteísmo por dois dias, 44 por cento tiveram contato com doentes, 72,5 por cento moram com 3 pessoas na mesma casa, 50 por cento recebem até dois salários mínimos. Nos isolamentos laboratoriais, em 72 por cento constataram-se bactérias, 10,2 por cento parasitas e 8 por cento rotavirus. Das bactérias, 56 por cento foram E. coli enterotoxigênica (ETEC), dos quais 62 por cento são produtoras de enterotoxinas termo-estáveis (ST). Identificou-se 3 cepas de clones microbiológicos e dois pares de clones epid...


Assuntos
Masculino , Feminino , Adulto , Humanos , Adulto , Doenças Transmissíveis , Diarreia/epidemiologia , Diarreia/etiologia , Doenças Parasitárias , Fatores Epidemiológicos
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA