Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 13 de 13
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
3.
J Agric Food Chem ; 59(7): 3118-24, 2011 Apr 13.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-21388135

RESUMO

Brazilian green coffee beans of Coffea arabica and Coffea canephora species were roasted to light, medium, and dark roast degrees and analyzed in relation to furan content by using an in-house validated method based on gas chromatography coupled to mass spectrometry preceded by headspace solid-phase microextraction. Furan was not detected in green coffees, whereas levels between 911 and 5852 µg/kg were found in the roasted samples. Higher concentrations were found in Coffea canephora species and darker ground coffees. Some of the potential furan precursors were observed in significant amounts in green coffee, especially sucrose and linoleic acid, but their concentrations could not be correlated to furan formation. Additionally, coffee brews were prepared from roasted ground coffees by using two different procedures, and furan levels in the beverages varied from <10 to 288 µg/kg. The factor that most influenced the furan content in coffee brew was the brewing procedure.


Assuntos
Coffea/química , Café/química , Contaminação de Alimentos/análise , Manipulação de Alimentos/métodos , Furanos/análise , Temperatura Alta , Contaminação de Alimentos/prevenção & controle , Cromatografia Gasosa-Espectrometria de Massas , Reprodutibilidade dos Testes , Sementes/química , Especificidade da Espécie
4.
Rev. bras. toxicol ; 21(1): 9-14, 2008. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-524343

RESUMO

Since the discovery of acrylamide occurrence in foods, several studies have been addressed to the possible risks that the exposure to this chemical can represent to human health, justified by its carcinogenic and genotoxic properties. The objectives of this work were to estimate the acrylamide intake by the Brazilian population, identify the main sources of exposure to this contaminant and assess the potential risks to health. The daily intake was assessed by combining measured levels of acrylamide in selected food categories, determined by liquid chromatography – tandem mass spectrometry, with national food consumption data inferred from a household economic survey conducted by the Brazilian Institute of Geography and Statistics. A mean daily intake of 0.14 μg/kg body weight was estimated and the foods that most contributed to acrylamide exposure were french fries, coffee, cassava flour, cracker and french bread. Risk characterization, performed by calculating margins of exposure, indicated a concern for human health in relation to carcinogenic effects.


Desde a descoberta da presença de acrilamida em alimentos, diversos estudos têm sido direcionados aos possíveis riscos que a exposição a esta substância pode representar à saúde humana, tendo em vista seu potencial carcinogênico e genotóxico. Este trabalho teve como objetivos estimar a ingestão de acrilamida pela população brasileira, identificar as principais fontes de exposição a este contaminante e avaliar os potenciais riscos à saúde. A ingestão foi estimada combinando-se níveis de ocorrência de acrilamida em produtos brasileiros, determinados por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas seqüencial, e dados de consumo alimentar fornecidos pela Pesquisa de Orçamentos Familiares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimou-se que, em média, a ingestão diária de acrilamida através da dieta é de 0,14 μg/kg de peso corpóreo e verificou-se que os alimentos que mais contribuem para a sua exposição são a batata frita, o café, a farinha de mandioca, o biscoito salgado e o pão francês. A caracterização do risco, realizada através do cálculo da margem de exposição, indicou uma preocupação à saúde humana em relação aos efeitos carcinogênicos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Acrilamida/efeitos adversos , Carcinógenos , Ingestão de Alimentos , Brasil , Consumo de Alimentos , Medição de Risco
5.
Pesticidas ; 13: 9-18, jan.-dez. 2003. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-387511

RESUMO

Foram analisados resíduos de Cipermetrina, Deltametrina e Permetrina nas seguintes hortaliças: alface, acelga, chicória, repolho, tomate, chuchu, batata, cenoura, mandioca e mandioquinha. As amostras foram coletadas no restaurante da Universidade Estadual de Capinas, no período de outubro/1998 a abril/2001. Também foram analisadas hortaliças comercializadas nas Centrais de Abastecimento de Campinas, coletadas no período de outubro/2000 a agosto/2001. Os resíduos dos agrotóxicos piretróides foram determinados por cromatografia a gás com detector de captura de elétrons 9CG-DCE- 63Ni) e a confirmação da identidade dos picos realizada por cromatografia a gás acoplada em espectômetro de massas (CG-EM). Os resultados evidenciaram o uso inadequado desses piretróides, sendo detectados resíduos de Permetrina (2,0 MG/KG) em duas amostras de alface. Em tomate, resídos de Permetrina (8,6 -18,8 mg/kg) foram confirmados em tres amostras e de Cipermetrina (3,0 mg/kg) em uma amostra. Em relação à Permetrina, os níveis encontrados em alface e tomate situaram-se acima dos limites máximos de resíduos (LMR) permitidos pela legislação vigente (0,1 mg/kg em alface e 0,3 mg/kg em tomate). Quanto à Cipermetrina, sua presença foi detectada em tomate, embora seu uso seja autorizado somente para as culturas de amendoim, cebola e fumo. Resíduos de Deltametrina não foram encontrados nas amostras analisadas. Esses resultados indicam que as boas práticas agrícolas não estão sendo cumpridas por alguns produtores, sugerindo a necessidade de implementação de programa de monitroramento de piretróides em alface e tomate


Assuntos
Resíduos de Praguicidas , Praguicidas , Piretrinas , Brassica , Chenopodiaceae , Chicória , Daucus carota , Alface , Lycopersicon esculentum , Manihot , Solanum tuberosum
6.
Pesticidas ; 9: 125-36, jan.-dez. 1999. ilus, tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-256453

RESUMO

Foram analisados os resíduos dos fungicidas Tiabendazol e Imazalil em laranjas pêra (Citrus sinensis (L.) Osbech cv. Pêra, coletadas em supermercados da cidade de Campinas (SP), no período de novembro/1998 a agosto/1999. Tiabendazol e Imazalil foram quantificados por cromatografia em fase gasosa, com detectores de fotometria de chama(FPD) e ionizaçäo de chama (FID), com limites de quantificaçäo de 0,1 mg/kg e 0,1 mg/kg, e confirmados com diferentes colunas em cromatógrafos gasosos com detectores de ionizaçäo de chama (FID) e captura de elétrons (ECD - Ni 63), respectivamente. Em 46 por cento das amostras analisadas foram encontrdos resíduos dos dois fungicidas, sendo que a casca apresentou níveis mais elevados, na faixa de 1,56 a 2,42 mg/kg e de 0,17 a 13,32 mg/kg, para Imazalil e Tiabendazol, respectivamente. A percentagem de laranjas contaminadas com Tiabendazol (78 por cento) foi maior que com Imazalil (22 por cento). Em ambos os casos os níveis residuais dos fungicidas ficaram abaixo dos limites de resíduos estabelecidos pela legislaçäo brasileira e recomendados pelo CODEX, que säo 5,0mg/kg e 10,0 mg/kg, respectivamente, para Imazalil e Tiabendazol. Em funçäo dos resultados obtidos pode-se concluir que as laranjas analisadas estäo próprias para o consumo


Assuntos
Cromatografia , Ionização de Chama , Frutas , Fungicidas Industriais , Legislação Ambiental , Tiabendazol , Nações Unidas
7.
Pesticidas ; 6: 75-86, jan.-dez. 1996. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-187320

RESUMO

Resíduos de mancozeb, endosulfan e dicofol morangos foram quantificados após estocagem por três e sete dias em geladeira (5 graus Celsius). Analisou-se amostras colhidas em Estaçao Experimental, após aplicaçao de mancozeb dicofol nas doses simples e dupla, e coletadas na CEASA de Campinas (dez produtores) em três épocas diferentes. Os resíduos de dicofol endosulfan foram quantificados por cromatografia gasosa com detector de captura de elétrons (63Ni), utilizando coluna Megabore DB-5 com 100 por cento polissiloxano. Para quantificaçao de mancozeb utilizou-se espectrofotometria. Nao foi detectada reduçao dos níveis de dicofol e endosulfan após estocagem a 5 graus Celsius. Com relaçao ao mancozeb, verificaram-se reduçoes dos níveis do agrotóxico na faixa de 23 a 72 por cento, dependendo do tempo estocagem e da concentraçao inicial de mancozeb. Em geral, a porcentagem de reduçao foi maior para concentraçoes iniciais mais elevadas do agrotóxico. O estudo demonstrou que dependendo da natureza química do agrotóxico, a estocagem em geladeira pode exercer papel relevante na diminuiçao dos níveis de resíduos de agrotóxicos em morangos, reduzindo a exposiçao humana a estes contaminantes na dieta.


Assuntos
Frutas/química , Refrigeração , Resíduos de Praguicidas/análise , Dicofol/análise , Inseticidas Organoclorados/análise , Fatores de Tempo
8.
Colet. Inst. Tecnol. Alimentos ; 26(1): 103-10, jan.-jun. 1996.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-207918

RESUMO

Resíduos de captan e clorotalonil foram quantificados em morangos "in natura" após três e sete dias de estocagem em geladeira -5oC . As amostras analisadas foram coletadas na CEASA de Campinas e também obtidas após cultivo em estaçäo experimental


Assuntos
Captana/análise , Grão Comestível/microbiologia , Conservação de Alimentos , Frutas/química , Fungicidas Industriais/análise , Resíduos de Praguicidas , Biodegradação Ambiental
9.
In. Oga, Seizi. Fundamentos de toxicologia. Sao Paulo, Atheneu, 1996. p.405-39, ilus, tab.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-182913
10.
Pesticidas ; 5: 95-110, jan.-dez. 1995. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-186312

RESUMO

Foram determinados os resíduos dos pesticidas endosulfan, dicofol, captan, clorotalonil e mancozeb em morangos coletados na CEASA de Campinas, em três épocas diferentes. Utilizou-se o método espectrofotométrico de Keppel para determinaçao de mancozeb, sendo os demais agrotóxicos analisados por cromatografia em fase gasosa com detector de captura de elétrons. Dos morangos coletados, 26,6 por cento estavam contaminados por endosulfan e clorotalonil, proibidos pela legislaçao, e 23,3 por cento apresentaram contaminaçao por captan dentro do limite estabelecido pela legislaçao (20 mg/Kg). Nao foram detectados resíduos de dicofol e mancozeb dentro dos limites de quantificaçao de 0,01 e 0,5 mg/Kg, respectivamente.


Assuntos
Frutas , Praguicidas , Resíduos de Praguicidas/análise , Cromatografia
11.
Bol. Centro Pesqui. Process. Aliment ; 12(2): 139-52, jul.-dez. 1994. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-147551

RESUMO

Ingestäo diária potencial (IDP) de 334 consumidores de produtos dietéticos, foram calculadas e comparadas com os limites toxicológicos recomendados pelo JECFA. A contribuiçäo dos diversos produtos dietéticos quanto a ingestäo média, mediana e máxima de edulcorantes foram comparados entre a populaçäo geral, diabética e grupo controle de peso, para os consumidores de Curitiba. A IDP para os edulcorantes aspartame, ciclamato e ascarina, representaram respectivamente, 3,04, 15,0 e 14,36 por cento dos valores de ingestäo diária aceitável (IDA) para a populaçäo estudada; 2,78, 16,55 e 18,3 por cento para os diabéticos e 3,23, 11,0, e 12,4 por cento para o grupo controle de peso


Assuntos
Aspartame , Ciclamatos , Ingestão de Alimentos , Alimentos Formulados , Sacarina , Edulcorantes
12.
Rev. nutr. PUCCAMP ; 3(1): 21-41, jan.-jun. 1990. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-109252

RESUMO

O artigo aborda a ocorrencia natural de nitratos e nitritos em alimentos e seu uso intencional como conservadores em produtos cárneos curados. Säo discutidos efeitos adversos à saúde atribuídos à ingestäo de nitratos e nitritos, incluindo induçäo de metemoglobinemia e formaçäo de N-nitrosaminas. Säo também apresentados dados sobre os níveis de nitratos, nitritos e N-nitrosaminas em alguns alimentos


Assuntos
Nitratos/efeitos adversos , Nitritos/efeitos adversos , Contaminação de Alimentos/prevenção & controle , Conservação de Alimentos , Metemoglobinemia , Nitratos/análise , Nitritos/análise , Nitrosaminas/análise
13.
Rev. farm. bioquim ; 11(1/2): 53-62, 1990. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-155921

RESUMO

Medicamentos coloridos de uso pediátrico foram analisados quanto aos corantes artificiais presentes. Com base nas informaçöes contidas na bula, estimou-se também a Ingestäo Diária Potencial de cada corante, considerando-se a ingestäo do medicamento por crianças, segundo o peso corpóreo médio, calculado em funçäo do sexo e da idade. A metodologia de análise incluiu fixaçäo em lä pura ou em coluna de poliamida, cromatografia ascendente em papel e espectrofotometria. Os resultados demonstraram que, com exceçäo do Amaranto, os demais corantes identificados pertencem à lista dos treze corantes artificiais permitidos pela Farmacopéia Brasileira IV. O corante Vermelho Sólido E, banido em 1987 da lista de corantes permitidos em alimentos, foi identificado em cinco amostras. A concentraçäo de corantes foi variável, chegando a corresponder a nove vezes o limite máximo de tolerância de corantes artificiais em alimentos, que é de 0,01 por cento. De modo geral, todos os corantes apresentaram Ingestäo Teórica Potencial abaixo dos valores de Ingestäo Diária Aceitável recomendados pelo Comitê Conjunto FAO/OMS de Peritos em Aditivos para Alimentos (JECFA).


Assuntos
Corantes/análise , Limites Permissíveis , Preparações Farmacêuticas/análise , Amaranthus/análise , Brasil , Eritrosina/análise , Farmacopeia , Tartrazina/análise
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA