Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 36
Filtrar
1.
Rev Bras Epidemiol ; 22Suppl 02(Suppl 02): E190003.SUPL.2, 2019.
Artigo em Português, Inglês | MEDLINE | ID: mdl-31596374

RESUMO

OBJECTIVE: To describe reference values for blood counts obtained from laboratory tests in the Brazilian adult population according to laboratory results from the National Health Survey (Pesquisa Nacional de Saúde - PNS), by gender, age group and skin color. METHODS: The initial sample consisted of 8,952 adults. To determine the reference values, individuals with prior diseases and outliers were excluded. Mean values, standard deviation and limits were stratified by gender, age group and skin color. RESULTS: For red blood cells, men presented a mean value of 5.0 million per mm3 (limits: 4.3-5.8) and women, 4.5 million per mm3 (limits: 3.9-5.1). Hemoglobin levels were higher among men with a mean of 14.9 g/dL (13.0-16.9), and in women, 13.2 g/dL (11.5-14.9). The mean number of white blood cells among men was 6.142/mm3 (2.843-9.440) and 6.426/mm3 (2.883-9.969) for women. Other parameters showed close values between the genders. Regarding age groups and skin color, mean values, standard deviation and limits of the exams presented small variations. CONCLUSION: Hematological reference values based on the national survey allow for the establishment of specific reference limits for gender, age and skin color. The results presented here may contribute to the establishment of better evidence and criteria for the care, diagnosis and treatment of diseases.


Assuntos
Contagem de Células Sanguíneas/normas , Técnicas de Laboratório Clínico/normas , Inquéritos Epidemiológicos/normas , Adolescente , Adulto , Fatores Etários , Brasil/etnologia , Estudos Transversais , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Valores de Referência , Fatores Sexuais , Adulto Jovem
2.
Rev. bras. epidemiol ; 22(supl.2): E190003.SUPL.2, 2019. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: biblio-1042221

RESUMO

RESUMO: Objetivo: Descrever valores de referência para exames laboratoriais de hemograma da população adulta brasileira segundo os resultados laboratoriais da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) estratificados por sexo, faixa etária e cor da pele. Métodos: A amostra foi constituída inicialmente de 8.952 adultos. Para determinar os valores de referência, excluíram-se indivíduos com doenças prévias e os outliers. Valores médios, desvio padrão e limites foram estratificados por sexo, faixa etária e cor da pele. Resultados: Para glóbulos vermelhos, os homens apresentaram valor médio de 5,0 milhões por mm3 (limites: 4,3-5,8) e as mulheres 4,5 milhões por mm3 (limites: 3,9-5,1). Valores de hemoglobina entre homens exibiram média de 14,9 g/dL (13,0-16,9) e entre mulheres de 13,2 g/dL (11,5-14,9). A média dos glóbulos brancos entre os homens foi de 6.142/mm3 (2.843-9.440) e entre as mulheres de 6.426/mm3 (2.883-9.969). Outros parâmetros mostraram valores próximos entre os sexos. Com relação a faixas etárias e cor da pele, valores médios, desvio padrão e limites dos exames apontaram pequenas variações. Conclusão: Os valores de referência hematológicos com base em inquérito nacional permitem a definição de limites de referência específicos por sexo, idade e cor da pele. Os resultados aqui expostos podem contribuir para o estabelecimento de melhores evidências e critérios para o cuidado, diagnóstico e tratamento de doenças.


ABSTRACT: Objective: To describe reference values for blood counts obtained from laboratory tests in the Brazilian adult population according to laboratory results from the National Health Survey (Pesquisa Nacional de Saúde - PNS), by gender, age group and skin color. Methods: The initial sample consisted of 8,952 adults. To determine the reference values, individuals with prior diseases and outliers were excluded. Mean values, standard deviation and limits were stratified by gender, age group and skin color. Results: For red blood cells, men presented a mean value of 5.0 million per mm3 (limits: 4.3-5.8) and women, 4.5 million per mm3 (limits: 3.9-5.1). Hemoglobin levels were higher among men with a mean of 14.9 g/dL (13.0-16.9), and in women, 13.2 g/dL (11.5-14.9). The mean number of white blood cells among men was 6.142/mm3 (2.843-9.440) and 6.426/mm3 (2.883-9.969) for women. Other parameters showed close values between the genders. Regarding age groups and skin color, mean values, standard deviation and limits of the exams presented small variations. Conclusion: Hematological reference values based on the national survey allow for the establishment of specific reference limits for gender, age and skin color. The results presented here may contribute to the establishment of better evidence and criteria for the care, diagnosis and treatment of diseases.

4.
Rio de Janeiro; Guanabara Koogan; 2012. 383 p. graf.
Monografia em Português | Sec. Munic. Saúde SP, EMS-Acervo | ID: sms-6250
5.
Rio de Janeiro; Guanabara Koogan; 2012. 383 p. graf.
Monografia em Português | LILACS, EMS-Acervo | ID: lil-681221
6.
Rev. direito sanit ; 12(2): 112-139, jul.-out. 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-643391

RESUMO

Objetiva-se neste trabalho descrever as normas federais que regulam a cadeia farmacêutica e os mecanismos previstos para combate da falsificação, avaliar os medicamentos falsificados no período de 2005 a 2009 e especialmente delinear o escopo da Lei n. 11.903/09 e as principais implicações na cadeia mediante pesquisa bibliográfica e aplicação de questionário a associações de indústrias farmacêuticas. Foi observado neste trabalho um aumento no número de lotes de medicamentos falsificados no período de 2005 a 2009 no Brasil. A inclusão do mecanismo de autenticidade (etiqueta de segurança) e de rastreabilidade (código bidimensional) em todas as unidades de medicamentos prevista pela Lei n. 11.903/09 pode reduzir o número de casos de medicamentos falsificados, entretanto, outras medidas devem ser realizadas concomitantemente para o combate do mercado ilegal, tais como a fiscalização contínua e conscientização da população sobre os riscos de medicamentos falsificados. A implantação do novo sistema acarretará em aumento de gastos em todos os atores da cadeia farmacêutica, em especial na indústria farmacêutica, principalmente, se for ratificada a inclusão da etiqueta. Os desafios para implantação do sistema incluem a complexidade do mesmo e o número de atores envolvidos - o país conta com cerca de 3.800 distribuidoras e mais 79.000 de farmácias e drogarias - além dos prazos definidos pela Lei.


Assuntos
Medicamentos Falsificados , Legislação , Preparações Farmacêuticas
7.
Rio de Janeiro; Guanabara Koogan; 2011. 383 p.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-593490
9.
Ciênc. saúde coletiva ; 12(supl): 1831-1840, nov. 2007.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-467843

RESUMO

O recente documento do Ministério do Planejamento sobre Fundações Públicas (2005) e a crise da área hospitalar colocaram novamente na agenda do SUS a questão dos modelos de gestão pública. O objetivo deste artigo é situar no contexto das reformas de estado pensadas na década de 90 para o Brasil, as propostas de mudança dos modelos de gestão da administração pública, com foco no processo de implementação do SUS. Essa abordagem trata em primeiro lugar da personalidade jurídica das organizações de saúde na esfera estatal, conceituando o público a partir de seus objetivos; em segundo, discute o contexto as reformas de estado e as mudanças propostas para a administração pública. Os autores entendem que critérios e parâmetros para avaliação institucional devem contemplar quatro aspectos: subordinação à política de saúde; legalidade; eficiência gerencial e capacidade de controle. A partir do quadro de referencia geral elaborou-se uma análise comparativa em relação à proposta das fundações públicas de direito privado. Na análise comparativa das características desse tipo de entidade proposta para gestão hospitalar, observam-se semelhanças com a proposta de Organizações Sociais. Fundação Estatal e Contrato de Gestão podem ser vistos como modelos que possibilitam modernizar o Estado, além de re-introduzirem o tema da reforma hospitalar na agenda governamental brasileira.


The recent document on Public Foundations issued by the Ministry of Planning (2005) and the crisis in the hospital area bring the issue of public management models back to the agenda of Brazil's National Health System (SUS). This paper brings up changes in civil service management models within the context of the State restructuring processes of the 1990s in Brazil, particularly in the National Health System (SUS). The approach examines, initially, the legal status of healthcare entities at the State level, establishing their publics by their objectives; second, it discusses the context of State reforms and the changes proposed. The authors feel that the criteria and parameters used for institutional assessments must encompass four aspects: subordination to healthcare policy; status under the law; managerial efficiency and control capacity. Based on an overview of the various options, a more detailed comparative analysis is carried out of the proposal for public foundations established under private law. The comparative analysis of public foundations proposed for hospital management also examines other entities sharing common characteristics, such as Social Organizations. Moreover, the State Foundation and Management Contract may be viewed models paving the way to the modernization of the State, reintroducing the issue of hospital reform to Government agenda.


Assuntos
Reforma dos Serviços de Saúde , Gestão em Saúde , Administração Hospitalar , Administração Pública , Sistema Único de Saúde , Brasil , Inovação Organizacional
10.
Cien Saude Colet ; 12(4): 825-39, 2007.
Artigo em Português | MEDLINE | ID: mdl-17680139

RESUMO

This paper analyses trends in the delivery of hospital services in Brazil, considering the setting, the current situation and its challenges, examining what still remains to be done. The variables studied for the analysis of the setting are: demography, epidemiological profile, human resources, technology, medicalization, costs, review of the role of the citizen, legislation, equity, hospital-centricity and regionalization, care fractioning and bed availability. The Brazilian setting was studied through the supplementary healthcare model, financing and the healthcare area production chain. The observations of the current situation present external evaluation models, outsourcing, public-private relationships, de-hospitalization and financing. The analysis of the challenges examines the need for long range planning, the quest for new legal models for the 'business', the use of information and information systems, cost controls and the need for enhanced efficiency and compliance with legal directives, guaranteed universal access to full healthcare facilities, the inclusion of primary prevention in healthcare procedures, integrating the public and private sectors and engaging physicians in solving problems.


Assuntos
Assistência à Saúde , Hospitais/tendências , Brasil
11.
Ciênc. saúde coletiva ; 12(4): 825-839, jul.-ago. 2007.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-453450

RESUMO

Este artigo analisa as tendências observadas na assistência hospitalar brasileira, no que diz respeito ao cenário, situação atual, desafios e ao que necessita ser feito, tendo em vista os itens anteriores. As variáveis com as quais se trabalhou o cenário geral foram a demografia, o perfil epidemiológico, os recursos humanos, a tecnologia, a medicalização, os custos, a revisão do papel do cidadão, a legislação, a eqüidade, o hospitalocentrismo e a regionalização, o fracionamento do cuidado e a oferta de leitos. O cenário nacional foi estudado mediante o modelo empregado na assistência médica supletiva, o financiamento e a cadeia de produção na área de serviços de saúde. A situação atual apresenta os modelos de avaliação externa, a terceirização, o relacionamento público-privado, a desospitalização e o financiamento. Os desafios a serem enfrentados analisam a necessidade de se olhar o longo prazo, a busca por novos modelos jurídicos para o "negócio", o uso da informação e a informatização, o controle de custos e a necessidade do aumento da eficiência e do cumprimento dos ditames legais, de garantia de acesso e de integralidade na assistência, a incorporação da prevenção primária ao processo de atenção, a integração entre os setores público e privado e a incorporação do médico na solução dos problemas.


This paper analyses trends in the delivery of hospital services in Brazil, considering the setting, the current situation and its challenges, examining what still remains to be done. The variables studied for the analysis of the setting are: demography, epidemiological profile, human resources, technology, medicalization, costs, review of the role of the citizen, legislation, equity, hospital-centricity and regionalization, care fractioning and bed availability. The Brazilian setting was studied through the supplementary healthcare model, financing and the healthcare area production chain. The observations of the current situation present external evaluation models, outsourcing, public-private relationships, de-hospitalization and financing. The analysis of the challenges examines the need for long range planning, the quest for new legal models for the 'business', the use of information and information systems, cost controls and the need for enhanced efficiency and compliance with legal directives, guaranteed universal access to full healthcare facilities, the inclusion of primary prevention in healthcare procedures, integrating the public and private sectors and engaging physicians in solving problems.


Assuntos
Assistência à Saúde , Hospitais/tendências , Brasil
13.
In. Campos, Gastão Wagner de Sousa; Minayo, Maria Cecília de Souza; Akerman, Marco; Drumond Júnior, Marcos; Carvalho, Yara Maria de; Campos, Gastão Wagner de Sousa. org. s.af. BrasilMinayo, Maria Cecília de Souza. org. s.af. BrasilAkerman, Marco. org. s.af. BrasilDrumond Júnior, Marcos. org. s.af. BrasilCarvalho, Yara Maria de. org. s.af. Brasil. Tratado de saúde coletiva / Tratado de saúde coletiva. São PauloSão Paulo, Hucitec;Hucitec, 20062006. p.689-713.
Monografia em Português | HISA - História da Saúde | ID: his-12710

RESUMO

Mostra o percurso que foi necessário à sociedade brasileira para que a vigilância sanitária ocupasse, ao lado de outros campos da saúde coletiva, um espaço importante na garantia do direito à saúde e de cidadania.(AU)


Assuntos
Vigilância Sanitária , Saúde Pública/história , Brasil , Política de Saúde/história
14.
In. Campos, Gastão Wagner de Sousa; Minayo, Maria Cecília de Souza; Akerman, Marco; Drumond Júnior, Marcos; Carvalho, Yara Maria de. Tratado de saúde coletiva. Rio de Janeiro, Hucitec;Fiocruz, 2006. p.689-713. (Saúde em debate, 170).
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-443473
17.
In. Nery, Tito César dos Santos; Segatto, Norian. Saúde e saneamento: chegando a um consenso. São Paulo, Fundação Nacional de Saúde, 2004. p.31-32.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-442271
18.
In. Germano, Pedro Manuel Leal; Germano, Maria Izabel Simöes. Higiene e vigilância sanitária de alimentos: qualidade das matérias-primas, doenças transmitidas por alimentos, treinamento de recursos humanos. Säo Paulo, Varela, 2 ed; 2003. p.XIII-XXIV.
Monografia em Português | LILACS | ID: lil-334362
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA