Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 16 de 16
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Arq Bras Cardiol ; 113(4): 787-891, 2019 Nov 04.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-31691761
2.
Rev Port Cardiol ; 38(3): 205-212, 2019 03.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-31028004

RESUMO

INTRODUCTION AND OBJECTIVE: Socioeconomic factors may affect mortality due to cerebrovascular diseases (CBVDs), hypertensive diseases (HYPDs), and circulatory system diseases (CSDs). This study aimed to assess the association between the Human Development Index (HDI) and the extent of supplementary health coverage and mortality due to these diseases in the Brazilian Federative Units (FUs) between 2004 and 2013. METHODS: The Municipal HDI (MHDI) scores of each FU for 2000 and 2010 were retrieved from the Atlas Brasil website, and supplementary health coverage data for the period 2004-2013 were obtained from the national regulatory agency for private health insurance. Population and mortality data were obtained from the website of the Department of Information Technology of the Unified Health System (DATASUS). Mortality rates were weighted by ill-defined causes of death and standardized by age. RESULTS: The MHDI increased between 2000 and 2010 in all FUs, in half of which it was 0.7 or higher. Supplementary health coverage increased in the country during the study period and was inversely associated with mortality due to CSDs and CBVDs between 2004 and 2013. Mortality due to CBVDs and HYPD in 2013 showed an inverse linear association with the MHDI in 2000. CONCLUSION: Mortality due to CSDs, CBVDs, and HYPDs was influenced by socioeconomic factors. There was a significant inverse association between socioeconomic factors and mortality due to CSDs, CBVDs, and HYPDs. Plans to reduce mortality due to these diseases should include measures to foster economic development and reduce inequality.

3.
Turk Kardiyol Dern Ars ; 47(2): 148-152, 2019 03.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-30874510

RESUMO

The prevalence of coronary artery disease in young adults (<45 years of age) has been increasing steadily in recent decades. Although traditional cardiovascular risk factors can be identified in most cases, newly recognized associations are becoming progressively more relevant. The relationship between the factor V Leiden mutation and atherosclerosis has been a matter of debate due to conflicting data presented in previous studies. Presently described is the case of a previously asymptomatic 37-year-old woman with a significant family history of coronary artery disease who developed rapidly progressive angina within 1 month. After a positive non-invasive evaluation, coronary angiography demonstrated a significant obstruction in the proximal left anterior descending artery. Optical coherence tomography revealed a highly vulnerable lipid-rich atherosclerotic plaque. Coronary angioplasty followed by the implantation of 1 drug-eluting stent was successfully performed. A subsequent thrombophilia screening identified a heterozygous factor V R506Q mutation (factor V Leiden). Since there was no history of thromboembolic events, the patient was discharged using only aspirin, clopidogrel, atorvastatin, and atenolol. Further studies are needed to define the most appropriate management of young patients who manifest clinically significant atherosclerotic disease in association with hereditary thrombophilia.


Assuntos
Doença da Artéria Coronariana/genética , Stents Farmacológicos , Fator V/genética , Adulto , Angiografia Coronária , Doença da Artéria Coronariana/diagnóstico por imagem , Doença da Artéria Coronariana/cirurgia , Feminino , Humanos
8.
J Saudi Heart Assoc ; 29(3): 227-229, 2017 Jul.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-28652679

RESUMO

Contrast-induced thrombocytopenia is a rare complication distinguished by acute and severe platelet consumption, with spontaneous recovery within days. We describe a case of acute thrombocytopenia 6 hours after coronary angioplasty in a patient with a negative antiplatelet factor 4 test. The count reached 1 × 103/µL, but improved spontaneously to 210 × 103/µL after 8 days. In conclusion, physicians should be aware of this complication, particularly when dual antiplatelet therapy is being considered.

9.
Arq. bras. cardiol ; 107(1): 26-32, July 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-792503

RESUMO

Abstract Background: Cerebrovascular and hypertensive diseases are among the main causes of death worldwide. However, there are limited data about the trends of these diseases over the years. Objective: To evaluate the temporal trends in mortality rates and proportional mortality from cerebrovascular and hypertensive diseases according to sex and age in Brazil between 1980 and 2012. Methods: We evaluated the underlying causes of death between 1980 and 2012 in both sexes and by age groups for circulatory diseases (CD), cerebrovascular diseases (CBVD), and hypertensive diseases (HD). We also evaluated death due to all causes (AC), external causes (EC), and ill-defined causes of death (IDCD). Data on deaths and population were obtained from the Department of Information Technology of the Unified Health System (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, DATASUS/MS). We estimated crude and standardized annual mortality rates per 100,000 inhabitants and percentages of proportional mortality rates. Results: With the exception of EC, the mortality rates per 100,000 inhabitants of all other diseases increased with age. The proportional mortality of CD, CBVD, and HD increased up to the age range of 60-69 years in men and 70-79 years in women, and reached a plateau in both sexes after that. The standardized rates of CD and CBVD declined in both sexes. However, the HD rates showed the opposite trend and increased mildly during the study period. Conclusion: Despite the decline in standardized mortality rates due to CD and CBVD, there was an increase in deaths due to HD, which could be related to factors associated with the completion of the death certificates, decline in IDCD rates, and increase in the prevalence of hypertension.


Resumo Introdução: As doenças cerebrovasculares e hipertensivas estão entre as principais causas de óbito no mundo. Porém, existem poucos dados sobre o comportamento destas doenças ao longo dos anos. Objetivos: Avaliar a evolução temporal das taxas de mortalidade e mortalidade proporcional por doenças cerebrovasculares e hipertensivas, de acordo com sexo e idade, no Brasil entre 1980 e 2012. Métodos: Foram avaliadas as causas básicas de óbito, entre 1980 e 2012, em ambos os sexos e por grupos etários, para as doenças do aparelho circulatório (DAC), doenças cerebrovasculares (DCBV) e doenças hipertensivas (DHIP). Foram também avaliadas todas as causas (TC), causas externas (CE) e causas mal definidas (CMD) de óbito. Dados sobre óbitos e população foram obtidos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram estimadas as taxas anuais brutas e padronizadas de mortalidade por 100.000 habitantes e os percentuais dos coeficientes de mortalidade proporcional. Resultados: Com exceção das CE, nas demais ocorreu elevação das taxas de mortalidade por 100 mil habitantes com o avanço da idade. Nas DAC, DCBV e DHIP, a mortalidade proporcional cresceu até a faixa dos 60-69 anos nos homens, e até 70-79 anos nas mulheres, com posterior estabilização em ambos os sexos. As taxas padronizadas de DAC e DCBV em ambos os sexos declinaram. Entretanto, as taxas de DHIP apresentaram comportamento oposto e aumentaram discretamente no período estudado. Conclusão: Apesar do declínio nas taxas de mortalidade padronizadas para as DAC e DCBV, houve crescimento dos óbitos por DHIP, o que pode estar relacionado a fatores ligados ao preenchimento das declarações de óbito, declínio das taxas de CMD e aumento na prevalência de hipertensão.

10.
Arq Bras Cardiol ; 107(1): 26-32, 2016 Jul.
Artigo em Inglês, Português | MEDLINE | ID: mdl-27355586

RESUMO

BACKGROUND: Cerebrovascular and hypertensive diseases are among the main causes of death worldwide. However, there are limited data about the trends of these diseases over the years. OBJECTIVE: To evaluate the temporal trends in mortality rates and proportional mortality from cerebrovascular and hypertensive diseases according to sex and age in Brazil between 1980 and 2012. METHODS: We evaluated the underlying causes of death between 1980 and 2012 in both sexes and by age groups for circulatory diseases (CD), cerebrovascular diseases (CBVD), and hypertensive diseases (HD). We also evaluated death due to all causes (AC), external causes (EC), and ill-defined causes of death (IDCD). Data on deaths and population were obtained from the Department of Information Technology of the Unified Health System (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, DATASUS/MS). We estimated crude and standardized annual mortality rates per 100,000 inhabitants and percentages of proportional mortality rates. RESULTS: With the exception of EC, the mortality rates per 100,000 inhabitants of all other diseases increased with age. The proportional mortality of CD, CBVD, and HD increased up to the age range of 60-69 years in men and 70-79 years in women, and reached a plateau in both sexes after that. The standardized rates of CD and CBVD declined in both sexes. However, the HD rates showed the opposite trend and increased mildly during the study period. CONCLUSION: Despite the decline in standardized mortality rates due to CD and CBVD, there was an increase in deaths due to HD, which could be related to factors associated with the completion of the death certificates, decline in IDCD rates, and increase in the prevalence of hypertension.


Assuntos
Transtornos Cerebrovasculares/mortalidade , Hipertensão/mortalidade , Adulto , Distribuição por Idade , Fatores Etários , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Brasil/epidemiologia , Causas de Morte , Atestado de Óbito , Feminino , Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Distribuição por Sexo , Fatores Sexuais , Fatores de Tempo
11.
Rev. bras. cardiol. (Impr.) ; 25(3): 167-176, mai.-jun. 2012. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-644311

RESUMO

Fundamentos: No Brasil são escassos os registros apropriados sobre síndrome coronariana aguda (SCA)com sua evolução intra-hospitalar e pós-alta. Objetivos: Descrever características clínicas, evolução e letalidade intra-hospitalar da SCA, além da evolução em até três anos pós-alta. Métodos: Coorte retrospectiva de adultos internados no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro com SCA. Avaliaram-se características clínicas, tratamento, letalidade hospitalar além de eventos cardiovasculares, procedimentos de revascularização, medicamentos e letalidade, em até três anos. Resultados: Incluídos 652 pacientes: 242 (37,1%) com infarto agudo do miocárdio com supra-ST (IAMcSST); 162(24,9%) com infarto agudo do miocárdio sem supra-ST(IAMsSST); 232 (35,6%) com angina instável (AI) e 16 (2,4%)com angina secundária (ASec). A letalidade hospitalar foi 9,5%: 12,4% no IAMcSST, 6,8% no IAMsSST, 8,2% na AI e 12,5% na ASec. Maioria do sexo masculino (58,1%). Estratificação feita com coronariografia em 67,3% e com métodos não invasivos em 4,9% dos casos; 281 pacientes não receberam qualquer estratégia de reperfusão. Trombólise foi mais utilizada que angioplastia primária, ambas com letalidades semelhantes (7,3% e 7,7%respectivamente) e no IAMcSST sem reperfusão, a letalidade foi 20,3%. Após a alta, houve maior aderência ao tratamento em IAMcSST e casos com AI submeteram-se a mais coronariografias e procedimentos de revascularização. A letalidade no seguimento foi 20,8% em IAMcSST, 40,6% em IAMsSST, 30,5% em AI e 28,6% em ASec.Conclusões: Muitos casos não sofreram reperfusão durante internação. IAMcSST apresentou maior letalidade na internação porém com evolução mais favorável no pós-alta.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Competência Clínica , Seguimentos , Isquemia Miocárdica/complicações , Isquemia Miocárdica/mortalidade , Síndrome Coronariana Aguda/mortalidade , Fatores de Risco
12.
Rev. SOCERJ ; 21(6): 425-428, nov.-dez. 2008. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-512950

RESUMO

Relata-se o caso de uma paciente internada com quadro de pericardite aguda, de provável etiologia viral, em que foi detectada presença de cisto pericárdico. Houve recidiva de sintomas da pericardite uma semana após tratamento com AAS por sete dias. Após uso de AAS por um mês e colchicina por três meses com remissão total dos sintomas, houve redução importante no tamanho do cisto pericárdico.


Assuntos
Humanos , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Cisto Mediastínico/complicações , Cisto Mediastínico/diagnóstico , Pericardite/complicações , Pericardite/diagnóstico
13.
Rev. SOCERJ ; 21(3): 154-159, maio-jun. 2008.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-500188

RESUMO

Fundamentos: Um contexto de incertezas cerca a abordagem da síndrome coronariana aguda(SCA)qto ao seguimento clínico tardio. Objetivo: Investigar se existe associacão entre a realização de cineangiocoronariografia(CAT)com desfechos adversos(infarto não-fatal, reinternação e morte) no seguimento tardio após SCA. Métodos:Amostra-piloto, de coorte retrospectiva do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho(HUCFF), som SCA, até sete dias do evento-índice. Foram selecionados pacientes com CID I20 e I24 do banco de autorização de internação hospitalar(AIH), no período de 1999 a 2003, e excluídos aqueles sem diagnóstico de SCA. Avaliou-se o seguimento após a alta hospitalar em relação à realização de CAT na internação. Utilzou-se o teste exato de fisher com nível de significância de 5%. Resultados:Ocorreram 2042 internações com CID I20 e I24 nas AIH no HUCFF, entre 1999 a 2003. De 594 prontuários revistos, 142 foram incluídos. Houve predomínio do sexo masculino e a média de idade foi 62,9+-11,7 anos. Na internação, a letalidade média por causas cardíacas foi de 9,9%(14,1 por cento en SCA com supra de ST e 5,8 por cento em SCA sem supra de ST), com 72,5 por cento submetidos à CAT(letalidade=9,7 por cento vs 20,5 por cento, p=0,096). Dos 128 sobreviventes à internação-índice(74 por cento), 95 pacientes foram acompanhados com tempo médio de 1338+-931 dias e não houve relação inversa entre a realização de CAT e morte(p=0,096), reinfarto(p=0,559) e reinternação(p=0,736). Conclusão: Não houve benefício da estratégia invasiva durante internação por SCA com seguimento médio de 4 anos quanto a letalidade, ao reinfarto não-fatal e à reinternação.


Assuntos
Humanos , Masculino , Idoso , Doença das Coronárias , Infarto do Miocárdio/sangue , Estudos de Coortes , Doença Aguda/terapia , Seguimentos
14.
Rev. SOCERJ ; 20(5): 372-375, set.-out. 2007. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-485757

RESUMO

Relato de caso de paciente do sexo feminino, com diagnóstico de endomiocardiofibrose (EMF) e episódios prévios de taquiarritmias supraventriculares (TSV), que evoluiu com piora da classe funcional (CF - NYHA) associada à bradicardia juncional.


Assuntos
Humanos , Adulto , Feminino , Cardiomiopatia Restritiva , Insuficiência Cardíaca/etiologia , Ecocardiografia , Eletrocardiografia , Nó Sinoatrial
15.
Rev. SOCERJ ; 18(3): 254-260, maio-jun. 2005. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-414525

RESUMO

Fundamentos: Permanece controverso o uso da noradrenalina(NA) no tratamento do choque séptico(CS) em idosos, pela possível vasoconstrição excessiva e consequentemente hipoperfusão tissular. Objetivo: Analisar se o emprego da NA se associa à maior mortalidade na unidade de terapia intensiva(UTI), em idosos com CS. Métodos: Coorte prospectiva de 67 pacientes com CS e idade maior que 65 anos, monitorados com cateteres na artéria pulmonar e em vaso periférico, por período de 32 meses. Todos os pacientes utilizaram suporte ventilatório, cobertura empírica com antibióticos de largo espectro e ressuscitação volêmica. Se a pressão arterial média permanecesse menor que 70 mmhg, iniciava-se 5 ug/kg/min de dopamina(até 20 ug/kg/min), substituída por 0,1 ug/kg/min de NA(até 5 ug/kg/min) e dobutamina, na falência cardíaca. Avaliou-se: o escore APACHE II, falências orgânicas(critérios de Le Gall), troponina I, tempo de permanência na UTI, sítio primário da infecção, uso de dopamina, NA e dobutamina. Na análise estatística foram utilizados os testes t de Student, o qui-quadrado, e análise de sobrevida de Kaplan-Meier, com significância de 5 por cento. Resultados: A média da idade foi de 80 anos, sendo 51 por cento do sexo feminino. A média dos escores do APACHE II foi de 19 e do tempo de permanência de 18 dias. Ocorreram 39 óbitos. A sepse pulmonar foi prevalente(70 por cento). As falências pulmonar e cardíaca ocorreram em 69 por cento e 46 por cento dos casos, respectivamente. A troponina I foi positiva em 33 por cento. Todos fizeram uso de dopamina seguida de NA(dobutamina + NA em 12 por cento). O APACHE II (p igual 0,001), o número de falências orgânicas(p igual 0,006), a dose maior que 0,5 ug/kg/min de NA(p igual 0,001), a positividade da troponina I(p igual 0,006), o tempo de uso de dopamina(p igual 0,004) e o tempo de permanência na UTI(p igual 0,001) mostraram associação com a mortalidade. O emprego de aminas, o sítio de infecção e a idade não se correlacionaram com o óbito. Não houve correlação com a presença de falência cardíaca. Conclusão: O uso de NA em doses menores ou iguais a 0,5 ug/kg/min não se associou com a mortalidade, porém a mortalidade se correlacionou com a presença de duas ou mais falências orgânicas nos idosos, com choque séptico


Assuntos
Humanos , Idoso , Choque Séptico/complicações , Choque Séptico/mortalidade , Norepinefrina/farmacologia , Norepinefrina/uso terapêutico , Vasoconstrição/fisiologia , Fluxo Sanguíneo Regional/fisiologia , Isquemia Miocárdica/complicações , Isquemia Miocárdica/diagnóstico , Serviço Hospitalar de Emergência/tendências
16.
Rev. SOCERJ ; 18(1): 70-76, Jan-Mar. 2005. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-407480

RESUMO

Objetivo: A disfunção cardíaca (DC) parece correlacionar-se com a mortalidade no choque séptico (CS), porém sua importância clínica permanece controversa.Avaliar a associação da DC com os parâmetros ecocardiográficos, hemodinâmicos e laboratoriais, correlacionando-os com a mortalidade, em idosos com CS.Métodos: Coorte prospectiva de 67 pacientes consecutivos (idade maior igual 65 anos), com monitorização da artéria pulmonar devido a CS. A mensuração da troponina I e o ecocardiograma transtorácico (ETT) foram realizados nas primeiras 24 horas de internação e repetidos quando da suspeita clínica de DC definida pelos critérios de Lee Gall (1982). Os parâmetros analisados foram: fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FE), fração de encurtamento do ventrículo esquerdo (EF), volume diastólico final do VE, índice cardíaco (IC), índices de resistência vascular sistêmica e pulmonar, índice de trabalho sistólico do VE (ITSVE) e pressão de oclusão da artéria pulmonar. Para análise estatística empregou-se o teste do qui-quadrado, considerando-se 5 por cento como nível de significânciaResultados: A média da idade foi de 80 anos. Ocorreram 39 óbitos (58 por cento). A suspeita de DC (n igual 31) ocorreu em 46 por cento e correlacionou-se com o IC(p igual 0,001) e com o ITSVE(p igual 0,002). Os únicos parâmetros que se relacionaram com a mortalidade foram a troponina I positiva (p igual 0,006) e a variação do EF(p igual 0,03).Conclusão: A DC foi corroborada pelos parâmetros do ETT, da monitorização hemodinâmica e da dosagem da troponina I. A mortalidade neste grupo de pacientes estava relacionada com a positividade da troponina e com a variação do EF


Assuntos
Masculino , Feminino , Idoso , Choque Séptico/complicações , Choque Séptico/fisiopatologia , Choque Séptico/mortalidade , Artéria Pulmonar/lesões
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA