Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Rev Panam Salud Publica ; 43, may 2019https://doi.org/10.26633/RPSP.2019.47.
Artigo em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-50987

RESUMO

[RESUMO]. Objetivo. Apresentar metodologia para avaliação empírica da atenção primária à saúde (APS) por meio da construção de representações digitais das áreas de cobertura potencial das equipes da APS. Métodos. Estudo de natureza metodológica. As áreas potenciais foram construídas por análise combinatória entre setores censitários e localização das unidades básicas de saúde (UBS) que apresentavam equipes de APS no Brasil. Foram utilizadas seis regras para parametrizar o algoritmo de construção das áreas potenciais. Assim, foram estipuladas seis restrições que viabilizaram o modelo utilizado: seleção de setores censitários próximos à UBS; setores contíguos; setores mutuamente excludentes; setores localizados no mesmo município da UBS; somatório de 4 500 usuários por equipe de saúde em cada UBS; e volume de população adscrita proporcional ao número de equipes de APS alocadas na UBS. A partir de 316 574 setores censitários e 39 758 UBS, foi desenvolvida uma matriz de vizinhança sobre a qual iterou um algoritmo de grafo que testava combinações de setores que atendessem simultaneamente as regras estipuladas. Resultados. Foram definidos 1 901 114 de arcos ligando 3 351 setores censitários, permitindo a construção de 26 907 áreas potenciais. A partir desse resultado é possível fazer análises inframunicipais no que tange ao monitoramento de indicadores da APS. Os parâmetros customizáveis do algoritmo podem ser ajustados para contemplar diferentes conjuntos de regras e adaptados para diferentes países. Conclusões. O uso de abordagens amparadas em geoprocessamento pode criar condições para avaliação do impacto da APS, levando-se em conta bases de dados secundárias e com nível de análise inframunicipal, de UBS e até mesmo de equipes.


[ABSTRACT]. Proposal for a methodology to estimate the potential coverage of primary care teams Objective. To present a methodology for the empirical evaluation of primary health care (PHC) through the construction of digital representations of potential PHC coverage areas. Method. In this methodological study, potential areas were constructed by combinatorial analysis between census tracts and the location of basic health units that presented PHC teams in Brazil. Six rules were used to parameterize the algorithm for the construction of potential areas. Thus, six restrictions were applied to enable the model: the selection of census tracts near the UBS; contiguous sectors; mutually exclusive sectors; sectors located in the same municipality of basic health units; the sum of 4 500 users per health team in each unit; and volume of population ascribed proportional to the number of PHC teams allocated to the unit. Based on 316 594 census tracts and 39 758 basic health units, a neighborhood matrix was developed. To that matrix, a graph algorithm was applied to test combinations of sectors that simultaneously met the stipulated rules. Results. A total of 1 901 114 arcs were defined, connecting 3 351 census tracts, allowing the construction of 26 907 potential areas. Based on these results, intra-municipal analyses can be performed to monitor PHC indicators. Customizable algorithm parameters can be adjusted to accommodate different sets of rules which may be adapted to different countries. Conclusions. The use of geoprocessing approaches creates conditions for the assessment of PHC impact, based on secondary databases at various levels, such as intra-municipal, basic health unit, and even at the team level.


[RESUMEN]. Propuesta de una metodología para estimar el área de cobertura potencial de los equipos de atención primaria Objetivo. Presentar una metodología para la evaluación empírica de la atención primaria de salud (APS) a través de la construcción de representaciones digitales de las áreas de cobertura potencial de los equipos de APS. Método. Estudio de tipo metodológico. Las áreas potenciales se construyeron mediante un análisis combinatorio entre los sectores censales y la localización de las unidades básicas de salud que presentaban equipos de APS en Brasil. Se utilizaron seis reglas para parametrizar el algoritmo de construcción de las áreas potenciales. Así, se estipularon seis restricciones que viabilizaron el modelo utilizado: selección de sectores censales cercanos a la unidad básica de salud; sectores contiguos; sectores mutuamente excluyentes; sectores ubicados en el mismo municipio de la unidad básica de salud; suma de 4 500 usuarios por equipo de salud en cada unidad básica de salud; y volumen de población adscrita proporcional al número de equipos de APS asignados en la unidad básica de salud. A partir de 316 574 sectores censales y 39 758 unidades básicas de salud se desarrolló una matriz de vecindad sobre la cual se aplicó un algoritmo gráfico que evaluaba las combinaciones de sectores que cumplían simultáneamente las reglas estipuladas. Resultados. Se definieron en total 1 901 114 arcos, que conectaron 3 351 sectores censales, lo que permitió la construcción de 26 907 áreas potenciales. Sobre la base de estos resultados, se pueden realizar análisis intramunicipales para monitorear los indicadores de APS. Los parámetros modificables del algoritmo se pueden ajustar para adaptarse a diferentes conjuntos de reglas y a diferentes países. Conclusiones. El uso de enfoques basados en geoprocesamiento puede crear condiciones para la evaluación del impacto de la APS conforme a bases de datos secundarias y a nivel intramunicipal, de la unidad básica de salud e incluso a nivel de equipo.


Assuntos
Atenção Primária à Saúde , Diagnóstico da Situação de Saúde , Sistemas de Informação Geográfica , Análise Espacial , Atenção Primária à Saúde , Assistência à Saúde , Diagnóstico da Situação de Saúde , Sistemas de Informação Geográfica , Análise Espacial , Atenção Primária à Saúde , Atenção à Saúde , Diagnóstico da Situação de Saúde , Sistemas de Informação Geográfica , Análise Espacial
2.
Rev. bras. cineantropom. desempenho hum ; 17(6): 650-660, Nov.-Dec. 2015. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-771180

RESUMO

Abstract This study investigated the impact of the coach-athlete relationship (CAR) on the collective efficacy (CE) of young volleyball players. The sample consisted of 185 athletes from male and female teams participating in the Under-18 Paraná Championship. The Coach-Athlete Relationship Questionnaire and Collective Efficacy Questionnaire for Sports were used for data collection. The data were analyzed using the Mann-Whitney U test, Spearman’s correlation test, and uni- and multivariate simple regression (p<0.05). The results showed that medalists scored higher in all dimensions of CE (ability, effort, persistence, preparation, and unity) and perceived themselves closer and more committed to the coach than non-medalists (p<0.05). The CAR had a significant and moderate impact on the medalist and non-medalist perception of CE (p<0.05). It can be concluded that CAR is an important condition for the perception of CE in young volleyball players, irrespective of team performance.


Resumo Este estudo investigou o impacto da qualidade do relacionamento treinador-atleta (RTA) na percepção da eficácia coletiva (EC) de jovens atletas de voleibol. Foram sujeitos 185 atletas das equipes masculinas e femininas participantes do Campeonato Paranaense Sub-18 2014. Como instrumentos, foram utilizados o Questionário de Relacionamento Treinador-Atleta/Versão Atleta e o Questionário de Eficácia Coletiva para o Esporte. Na análise dos dados, utilizaram-se o teste “U” de Mann-Whitney, a correlação de Spearman e a Regressão (p<0,05). Os resultados evidenciaram que os atletas medalhistas apresentaram maior nível em todas as dimensões de EC (Habilidade, Esforço, Persistência, União e Preparação) e se perceberam mais próximos e comprometidos com o treinador em comparação aos atletas não medalhistas (p<0,05). O RTA apresentou impacto significativo e moderado na percepção de EC tanto dos atletas medalhistas quanto dos não medalhistas (p<0,05). Concluiu-se que o RTA pode ser considerado uma condição importante da percepção de EC para atletas juvenis de voleibol independente do nível de desempenho das equipes.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA