Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 26
Filtrar
Mais filtros










Intervalo de ano de publicação
1.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 30: e3031, 2022.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1364617

RESUMO

Resumo Este ensaio objetiva refletir sobre o exercício profissional de terapeutas ocupacionais tomando como referencial teórico a concepção de cotidiano com base em Agnes Heller. Na terapia ocupacional, a discussão sobre cotidiano e vida cotidiana revela uma ênfase no seu uso como uma chave de leitura e de intervenção para pensar a vida das pessoas, grupos ou populações destinatárias das ações profissionais; assim, o foco tem sido sempre o cotidiano do outro. Propomos, neste artigo, um deslocamento reflexivo e problematizamos o cotidiano do profissional em si, entendendo que os limites e possibilidades no/do trabalho são tensionados no espaço da vida cotidiana em que o exercício profissional acontece e é atravessado pelas estruturas da cotidianidade. Discutimos o próprio cotidiano como locus de resistência à alienação e à possibilidade de suspensões temporárias da cotidianidade por meio de um trabalho crítico, capaz de articular as dimensões técnica, ética e política do exercício profissional, de transitar entre as esferas individual e coletiva na leitura e intervenção sobre as demandas profissionais, de superar a dicotomia teoria e prática e, assim, reafirmar o compromisso com a transformação da sociedade, em que lutas por redistribuição e reconhecimento produzam justiça e participação social.


Abstract This essay aims to reflect on the professional practice of occupational therapists taking as a theoretical reference the conception of everyday life by Agnes Heller. In occupational therapy, the discussion about everyday life and everyday life reveals an emphasis on its use as a key to reading and intervention to think about the lives of people, groups or populations that are recipients of professional actions; thus, the focus has always been the daily life of the other. We propose, in this article, a reflexive shift and we problematize the daily life of the professional themself, understanding that the limits and possibilities in/of work are tensioned in the space of everyday life in which professional practice takes place and is crossed by the structures of everyday life. We discuss daily life itself as a locus of resistance to alienation and the possibility of temporary suspensions of daily life through critical work, capable of articulating the technical, ethical and political dimensions of professional practice, of moving between the individual and collective spheres in reading and intervention on professional demands, to overcome the theory and practice dichotomy and, thus, reaffirm the commitment to the transformation of society, in which struggles for redistribution and recognition produce justice and social participation.

2.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2859, 2021. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1339506

RESUMO

Abstract Introduction Meaning-making is an experience-centred process. It is an essential element for understanding the impact of occupational therapy interventions focused on fostering processes of becoming, one of the four integrated dimensions of meaningful occupation (along with doing, being, and belonging). Objective This paper aims to explore further some of the aspects that are essential for meaning-making in occupational therapy interventions. Method A scoping review guided by Arksey and O'Malley's methodological framework was conducted. In the initial search, 528 articles were retrieved from three databases; 16 met the criteria for inclusion: articles in English, peer-reviewed, published between January 2008 and December 2017, that addressed some type of occupational therapy intervention, with data related to the meanings of the participants of the studies. Results The articles address a multiplicity of populations, services, and fields of practice, in qualitative studies, with methodologies that prioritise reflection on the lived experience. Thematic analysis highlights the interconnection between being, doing, and belonging to foster meaning-making; implications of professional actions; and meaning-making triggered by reflective processes. Conclusion Meaning-making demands reflection on the lived experience, and is influenced by human and physical environments. Both conditions/limitations and new skills/abilities enhance processes of meaning-making. Implications for future research are considered.


Resumo Introdução A construção de sentidos é um processo centrado na experiência, essencial para a compreensão do impacto das intervenções em terapia ocupacional voltadas para a promoção de processos de transformação/becoming, uma das quatro dimensões integradas da ocupação significativa (juntamente com o fazer/doing, ser/being e pertencer/belonging). Objetivo Este artigo tem como objetivo identificar aspectos essenciais para a construção de sentido em intervenções de terapia ocupacional. Método Foi realizada uma revisão de escopo. Na busca inicial, 528 artigos foram recuperados de três bases de dados; 16 atenderam aos critérios de inclusão: artigos em inglês, revisados por pares, publicados entre janeiro de 2008 e dezembro de 2017, que abordassem algum tipo de intervenção de terapia ocupacional, com dados referentes aos sentidos construídos pelos participantes dos estudos. Resultados Os artigos abordam múltiplas populações, serviços e campos de prática, em estudos qualitativos, com metodologias que priorizam a reflexão sobre a experiência vivida. A análise temática destaca a interconexão entre ser, fazer e pertencer para promover a construção de sentido; implicações para ações profissionais; e construção de sentido desencadeada por processos reflexivos. Conclusão A construção de sentidos demanda reflexão sobre a experiência vivida, é influenciada pelos ambientes humanos e físicos. Tanto as condições limitantes como as novas habilidades adquiridas desencadeiam processos de construção de sentido. Implicações para pesquisas futuras são indicadas.

3.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2855, 2021. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1285769

RESUMO

Resumo Introdução Diante das sucessivas transformações no que se refere à assistência em saúde mental e às abordagens teóricas que ancoram as práticas não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro, percebe-se a importância de sistematizar e identificar o que tem sido produzido e divulgado por terapeutas ocupacionais sobre esta temática. Objetivo Descrever o panorama do conhecimento científico sobre terapia ocupacional e saúde mental, levando em consideração as variáveis ano, idioma, país, abordagem metodológica e objeto dos estudos. Método Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, de abordagem quantitativa, que se utiliza de estratégia bibliométrica para sistematizar os resultados encontrados. Resultados Foram analisados 249 estudos, sendo perceptível maior incidência de artigos brasileiros, australianos, estadunidenses e canadenses, publicados em inglês e, principalmente, a partir da década de 2000. A abordagem metodológica predominante foi a qualitativa e foram construídas nove categorias que dispõem sobre os objetos dos estudos. Conclusão Os resultados do mapeamento sobre a produção científica da terapia ocupacional em saúde mental possibilitaram a identificação de interesses e tendências teóricas e práticas ao longo do tempo e a nível mundial, assim como realçaram a importância da profissão neste campo.


Abstract Introduction The successive transformations in mental health practices and theoretical approaches in Occupational Therapy, both in Brazil and worldwide, give rise to the need of systematizing and identifying what has been produced and disseminated by occupational therapists on this topic. Objectives To describe the panorama of scientific productions about Occupational Therapy and mental health, considering variables such as year, language, country, methodological approach, and object of the studies. Method This exploratory and descriptive research was based on a quantitative approach, using bibliometric analysis to systematize its data. Results 249 studies were analyzed that demonstrate the highest incidence of Brazilian, Australian, American, and Canadian articles, published in English and mainly from the 2000s onwards. The predominant methodological approach was qualitative, and nine categories were created to deal with the objects of the studies. Conclusion The results of the mapping of Occupational Therapy scientific production in mental health enabled the identification of theoretical and practical interests and trends over time worldwide.

4.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2099, 2021.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1285776

RESUMO

Resumo A terapia ocupacional social se localiza ao longo da história como subárea que se constrói no Brasil, principalmente na emergência de estudar, pesquisar e questionar temas relacionados às contradições e injustiças sociais da sociedade capitalista, propondo ações terapêutico-ocupacionais que buscam o seu enfrentamento. No contexto da pandemia da COVID-19, os abismos postos por essas contradições têm ficado cada vez mais evidentes, nacional e globalmente, tendo em vista a desigualdade estrutural existente. A população em vulnerabilidade social é a maior impactada pelos seus efeitos, dada a ausência e/ou insuficiência de recursos, estratégias de prevenção e/ou tratamento da doença em seus cotidianos, associados às dificuldades de realizar o isolamento social, a manutenção do emprego e da renda, bem como o menor acesso à saúde e ao saneamento básico. Frente a isso, compreende-se que as questões macrossociais têm relação direta com o desenvolvimento da doença e a forma como afeta os diferentes grupos populacionais. Desta forma, destaca-se a importância das contribuições da terapia ocupacional social, no âmbito da pesquisa e/ou intervenção, baseadas em um pensar/fazer que acolha os desejos e as necessidades dos indivíduos e grupos, que problematize os impactos das desigualdades estruturais na vida cotidiana, que fortaleça movimentos de afirmação da vida, da autonomia, da cidadania e dos direitos. Por fim, fomentando estratégias de igualdade e reconhecimento, na democratização das possibilidades de dar continuidade à vida em meio e após a pandemia.


Abstract Social occupational therapy has been located throughout history as a subarea that is built in Brazil, mainly on the emergence of studying, researching, and questioning themes related to the social contradictions and injustices of capitalist society, proposing occupational therapy's actions that seek to face them. In the context of the COVID-19 pandemic, the chasms created by these contradictions have become increasingly evident, nationally and globally, given the existing structural inequality. The population in social vulnerability is the most impacted by its effects, given the absence and/or insufficiency of resources, prevention strategies, and/or treatment of the disease in their everyday lives, associated with the difficulties of executing social isolation, maintaining employment, and income, as well as less access to health and basic sanitation. Given this, it is understood that macrosocial issues are directly related to the development of the disease and the way it affects different groups. In this way, it is emphasized the importance of the contributions of occupational social therapy, within the scope of research and/or intervention, based on thinking/doing that embraces the wants and needs of individuals and groups, which problematizes the impacts of structural inequalities in everyday life, what strengthens life-affirming movements, autonomy, citizenship, and rights. Finally, promoting strategies for equality and recognition, in the democratization of the possibilities of continuing life in the pandemic and beyond.

5.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 29: e2040, 2021.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1249394

RESUMO

Resumo Apresenta-se um resgate histórico da terapia ocupacional, composto por memórias individuais e coletivas do contexto brasileiro, indicando elementos constituintes de sua identidade e de seu campo de conhecimento. A pesquisa histórica e epistemológica analisou, com base no método cartográfico, as relações entre características singulares e plurais de cinco terapeutas ocupacionais e suas trajetórias profissionais dedicadas para a construção de conhecimento na área. Com base nas narrativas dessas interlocutoras, foi perceptível a construção coletiva de histórias da profissão em seus contextos, destacando aspectos comuns de suas experiências e a pluralidade da produção no campo. Destacaram-se 14 categorias que se relacionam com: o desconhecido e a graduação incipiente; a necessidade da formação continuada; a repressão e resistência do/ao Regime Militar; a organização política da categoria; investimento na pesquisa em terapia ocupacional; compreensões sobre especificidades; adoção/enunciação de perspectivas, métodos ou campos; redes de suporte; crítica a padrões acadêmico-científicos; encantamento pela profissão; prazer em produzir; protagonismo feminino e o conhecimento atrelado à prática. A pluralidade desse campo de saberes é evidenciada pelas profissionais, assim como pela tessitura de uma rede de conhecimentos. São identificados os desafios, redes de suporte, críticas, encantamentos, protagonismo, produções e perspectivas diversas pela valorização à solidariedade entre as singularidades que constroem a pluralidade dessa identidade profissional. Nessa compreensão, o conhecimento é uma construção teórico-metodológica processual efetivado em redes de relações afetivas e éticas, ainda que conviva com a hierarquização hegemônica dos campos, temas e grupos.


Abstract This paper presents a historical rescue of occupational therapy, composed of individual and collective memories of the Brazilian context, indicating elements that constitute its identity and its field of knowledge The historical and epistemological research analyzed, from the cartographic method, the relations between singular and plural characteristics of five occupational therapists and their professional trajectories dedicated to the construction of knowledge in the area. From the narratives of these interlocutors, it was noticeable the collective construction of stories of the profession in their contexts, highlighting common aspects of their experiences and the plurality of production in the field. We highlight 14 categories that relate to: the unknown and the incipient graduation; the need for continuing education; the repression and resistance of the Military Regime; the political organization of the category; investment in occupational therapy research; understanding of specificities; adoption/enunciation of perspectives, methods or fields; support networks; criticism of academic-scientific standards; enchantment by profession; satisfaction in producing; female protagonism and knowledge linked to practice. The plurality of this field of knowledge is evidenced by professionals, as well as by the weaving of a knowledge network. We identified the challenges, support networks, criticisms, enchantments, protagonism, productions, and diverse perspectives by valuing the solidarity between the singularities that build the plurality of this professional identity. In this understanding, the knowledge is a procedural theoretical-methodological construct effected in networks of affective and ethical relationships, although it coexists with the hegemonic hierarchy of fields, themes, and groups.

6.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(4): 1311-1321, Oct.-Dec. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1153628

RESUMO

Resumo A terapia ocupacional no Brasil vem consolidando uma diversidade de ações nos seus diferentes campos de atuação que reflete o engajamento dos profissionais nas reais e desafiantes demandas da sociedade brasileira. No fim da década de 1980, algumas formulações teóricas em torno das bases epistemológicas da terapia ocupacional, em especial a perspectiva materialista-histórica, contribuíram para a reflexão e a revisão da prática profissional, defendendo o engajamento profissional nas demandas sociais. Por meio de uma revisão assistemática da literatura, este texto objetiva refletir e atualizar acerca dos conceitos trazidos pelo materialismo histórico frente ao campo metodológico de embasamento teórico e intervenção em terapia ocupacional. Por meio de uma análise de textos "clássicos" da profissão, que lançaram a discussão da corrente materialista-histórica nos anos de 1980 e 1990, apresentam-se argumentos acerca da pertinência e atualidade desta linha de pensamento na defesa de uma prática profissional que seja técnica, ética e política, respondendo às demandas e desafios da sociedade contemporânea.


Abstract Occupational therapy in Brazil has been consolidating a diversity of actions in different fields that reflects the engagement of occupational therapists in Brazilian society. At the end of the 1980s, some theoretical formulations around occupational therapy epistemological bases, especially the materialist-historical perspective, contributed to the reflection and review of professional practice, defending professional engagement in social demands. Through a systematic literature review, this text aims to reflect and update on the concepts brought by materialism-historical adding for the discussion of the ways of life and their projection in the methodological field theoretical background of the intervention of occupational therapy. Through an analysis of profession "classic" texts from the 1980's and 1990's decades, that discussed the materialist historical perspective, the arguments presented are related trough their relevance and contemporaneity in theoretical perspective defending a professional practice that is based on professional, ethical and political approaches, responding to the demands and challenges of contemporary society.

7.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(3): 1061-1071, jul.-set. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1360270

RESUMO

Resumo Este texto decorre de um esforço de reflexão em torno dos aspectos teóricos que vêm parametrizando a terapia ocupacional social no Brasil e aqueles sob os quais se fundamentam os "marcadores sociais da diferença", visando a formulações que viabilizem a proposição de metodologias e ações terapêutico-ocupacionais que considerem os cotidianos que constituem a vida de diferentes sujeitos. Tais reflexões surgem com base nas demandas contemporâneas de diversos segmentos sociais e de preocupações quanto a uma melhor conformação do aporte teórico e metodológico que subsidia as práticas da terapia ocupacional social. Para tanto, retoma-se o processo histórico de constituição do social como um campo de ação da terapia ocupacional, apresenta-se a perspectiva dos marcadores sociais da diferença e, nesse entrelaçamento, o diálogo acerca das possibilidades e aproximações da e com a terapia ocupacional social. Pontua-se que os "marcadores sociais da diferença" podem se constituir como uma importante lente conceitual para informar a prática da terapia ocupacional social, à medida que inclui em seu arcabouço a constituição das diferenças - gênero, raça, etnia, classe, sexualidade, geração, entre outras - como ponto de partida para a compreensão das desigualdades sociais.


Abstract This text results from an effort to reflect on the theoretical aspects that have been parameterizing social occupational therapy in Brazil, and those on which "social makers of difference" are based, aiming at formulations that enable the proposition of occupational therapy methodologies and actions that take into account the daily lives of different subjects. These reflections arise from the contemporary demands of various social segments and concerns about a better conformation of the theoretical contribution subsidizing social occupational therapy practices. For that purpose, we take up the historical constitution of the "social" as a field of action for occupational therapy, as we present the perspective of social difference markers and, in this interlacement, the discussion about their possibilities and approaches in and with social occupational therapy. It is pointed out that the social makers of difference can constitute an important conceptual lens for social occupational theory practice since it includes the constitution of differences in its references - gender, race, ethnicity, class, sexuality, generation, etc. - as a starting point for the understanding of social inequalities.

8.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(2): 621-639, abr.-jun. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132788

RESUMO

Resumo As palavras território e comunidade foram incorporadas à terapia ocupacional advindas por caminhos relacionados às políticas sociais e econômicas do país, como uma maneira de informar teoricamente a crítica sobre a realidade social e as práticas profissionais, bem como influenciar a forma de sua realização. Neste debate, visou- se identificar o uso e o desenvolvimento teórico dos termos território e comunidade nas produções da terapia ocupacional brasileira para discutir se as palavras são conceitos ou noções para o campo. Para tanto, realizou-se uma revisão conceitual dos termos nos principais periódicos da área e nas bases Lilacs e SciELO, entre 1990 e 2016, e entrevistou-se as duas autoras mais recorrentes nas publicações selecionadas, com o intuito de discutir e ratificar os resultados encontrados. Foram selecionados 124 artigos que apenas citavam e 30 publicações que se dedicavam à apresentação de um dos conceitos. As primeiras conceituações datam dos anos 1990, elaboradas por autores da terapia ocupacional. O diálogo com outras áreas de saber, como geografia, sociologia e filosofia, iniciou-se em 2011, acompanhado pelo aumento de pesquisas e produção de conhecimento no campo. O conceito território sugere uma combinação de espaço, processo e relação, superando a definição de um espaço geográfico físico. Já comunidade traz a noção de coletividade, redes, pertencimento e identidade. A utilização de ambos pressupõe a reflexão sobre os modos de vida e de apropriação dos recursos materiais, sociais e culturais que se estabelecem em um lugar. Apresentam-se, assim, de forma intrínseca às ações em terapia ocupacional.


Abstract The words territory and community were incorporated into the occupational therapy derived from social and economic policies in the country, as a way of theoretically informing the critique of social reality and professional practices, as well as influencing the way of its achievement. In this debate, we aimed to identify the use and theoretical development of the terms territory and community in the productions of Brazilian occupational therapy to discuss whether words are concepts or notions for the field. We conducted a conceptual review of the terms in the main journals of the area and in the Lilacs and SciELO databases between 1990 and 2016, and the two most recurrent authors in the selected publications were interviewed, with the purpose of discussing and ratifying the results found. The total of selected productions was: 124 articles that only present a concept to the terms and 30 publications that were dedicated to it. The first conceptualizations were from the 1990s, elaborated by the authors of occupational therapy. The dialogue with other knowledge areas, such as deinstitutionalization, geography, sociology, and philosophy began in 2011, accompanied by the increase of research and production of knowledge in the field. The concept of territory suggests a combination of space, process, and relation, surpassing the definition of physical geographic space. In its turn, the community brings the notion of collectivity, networks, belonging and identity. The use of both presupposes the reflection on the ways of life and of the appropriation of the material, social and cultural resources that are established in a place. Therefore, they are presented in an intrinsic way to the actions in occupational therapy.

9.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(2): 693-705, abr.-jun. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132794

RESUMO

Resumo A vida social está organizada com base em modelos normativos no que diz respeito aos gêneros e às sexualidades. Considerar as forças que a atravessam e a determinam é condição para que terapeutas ocupacionais atuem sob a perspectiva da cidadania junto às populações que caminham contra os significados e materialidades da heteronormatividade. Assim, este ensaio tem como objetivo produzir reflexões, ancoradas na terapia ocupacional social, que ajudam a compreender os constantes ataques aos direitos da população dissidente de gêneros e sexualidades, e o quanto essas situações de violências atravessam seus cotidianos e a práxis de terapeutas ocupacionais junto a essas populações. Para tanto, toma-se como ponto de partida o debate sobre a crise da democracia brasileira contemporânea, localizada a partir do golpe de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e as sucessões presidenciais com agendas conservadoras e antidemocráticas. Em seguida, são identificados e discutidos os projetos de leis em tramitação que materializam tais agendas de caráter controlador e disciplinar da sociedade. E, por fim, um debate sobre como tais problemáticas deflagram em impedimentos e invisibilizações das atividades performativas nos diversos cotidianos de pessoas dissidentes de gêneros e sexualidades.


Abstract The social life is organized on normative models according to genders and sexualities. Considering the forces that go through and determine it is a condition for occupational therapists to act from the perspective of citizenship with the populations that are opposite to the meanings and materiality of heteronormativity. Thus, this essay aims to produce reflections anchored in social occupational therapy that help to understand the constant attacks on the rights of the dissident people in genders and sexualities and how these situations of violence cross their everyday life and the praxis of occupational therapists with these populations. To this end, it takes as its starting point the debate on the crisis of contemporary Brazilian democracy, located from the impeachment coup of President Dilma Rousseff and the presidential successions with conservative and undemocratic agendas. Then, the bills that are materializing such controlling and disciplinary agendas of society are identified and discussed. Finally, there is a debate on how these problems lead to impediments and invisibilizations of performative activities in the various everyday life of dissident people in genders and sexualities.

10.
Preprint em Português | SciELO Preprints | ID: pps-494

RESUMO

Social occupational therapy has been located throughout history as a field that is built mainly on the emergence of questioning themes related to the social contradictions and injustices of capitalist society. In the context of the COVID-19 pandemic, the chasms crated by these contradictions have become increasingly evident, nationally and globally, in view of the existing structural inequality. The population in social vulnerability is the most impacted by its effects, given the absence and/or insufficiency of resources, prevention strategies and/or treatment of the disease in their everyday lives, associated with the difficulties of execute social isolation, maintaining employment and income, as well as less access to health and basic sanitation. In view of this, it is emphasized the importance of the contributions of occupational social therapy, within the scope of research and/or intervention, based on thinking/doing that embraces the wants and needs of individuals and groups, which problematizes the impacts of structural inequalities in everyday life, what strengthens life-affirming movements, autonomy, citizenship and rights. Finally, promoting strategies for equality and recognition, in the democratization of the possibilities of continuing life in the pandemic and beyond.


A terapia ocupacional social se localiza ao longo da história como campo que se constrói principalmente na emergência de questionar temas relacionados às contradições e injustiças sociais da sociedade capitalista. No contexto da pandemia da COVID-19 os abismos postos por essas contradições têm ficado cada vez mais evidentes, nacional e globalmente, tendo em vista a desigualdade estrutural existente. A população em vulnerabilidade social é a maior impactada pelos seus efeitos, dada a ausência e/ou insuficiência de recursos, estratégias de prevenção e/ou tratamento da doença em seus cotidianos, associados às dificuldades de realizar o isolamento social, a manutenção do emprego e da renda, bem como o menor acesso à saúde e saneamento básico. Frente a isso, destaca-se a importância das contribuições da terapia ocupacional social, no âmbito da pesquisa e/ou intervenção, baseadas em um pensar/fazer que acolha os desejos e necessidades dos indivíduos e grupos, que problematize os impactos das desigualdades estruturais na vida cotidiana, que fortaleça movimentos de afirmação da vida, autonomia, cidadania e direitos. Por fim, fomentando estratégias de igualdade e reconhecimento, na democratização das possibilidades de dar continuidade à vida em meio a pandemia e após.

11.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(1): 330-342, jan.-mar. 2020.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132763

RESUMO

Abstract Over the past decades, the profession of occupational therapy has increased its focus on the wellbeing of society as a whole in response to growing inequality. In addition, guidelines for occupational therapy student education have also been revised to ensure that occupational therapists graduate with an appreciation of and ability to work with diverse populations of people in multiple contexts, beyond a biomedical focus on health and impairment. As a result, occupational therapy educators have been challenged to create curricula that meet the profession's social responsibility by preparing students to practice with communities and populations in a contextualised way. To contribute to this discussion and foster dialogue about what this may look like in occupational therapy programs, we present examples of curricula from three courses in two undergraduate occupational therapy programs in Australia and Brazil: "Understanding the Context of Occupation" and "Occupation, Health and Participation - Communities and Populations", at Griffith University, Australia; and the course "Social Occupational Therapy", at the Federal University of Sao Carlos, Brazil. The courses include topics such as: working in micro to macro contexts, working with communities and populations, collective occupation, politics and advocacy, social justice, occupational justice, social security and others. With differences across the programs, based on their geographical and institutional contexts, as well as their socio-historical and cultural contexts, the examples provide some ideas for educators about preparing students to work in a contextualised way with communities and populations.


Resumo Nas últimas décadas, a área de terapia ocupacional ampliou seu enfoque em dimensões sociais em resposta ao crescente patamar de desigualdade. Além disso, as diretrizes para a formação de terapeutas ocupacionais também foram revisadas para garantir que os profissionais se graduem com uma sensibilidade e capacidade de trabalhar com populações diversas e em múltiplos contextos, para além de um foco biomédico em saúde e deficiência. Como resultado, os educadores em terapia ocupacional têm sido desafiados a criar currículos que abordem a responsabilidade social, preparando os alunos para atuarem com comunidades e populações de forma contextualizada. Para contribuir com essa discussão e dialogar sobre como poderiam ser programas em terapia ocupacional, apresentamos exemplos de currículos de três cursos em dois programas de terapia ocupacional, um na Austrália e um no Brasil, são eles: "Entendendo o contexto da ocupação" e "Ocupação, saúde e participação - comunidades e populações", na Griffith University, Austrália; e o curso "Terapia Ocupacional Social", da Universidade Federal de São Carlos, Brasil. Os cursos incluem tópicos como: trabalhar do micro ao macro contextos, trabalhar com comunidades e populações, ocupação coletiva, política e defesa de direitos, justiça social, justiça ocupacional, seguridade social e outros. Com diferenças entre o programas, com base em seus contextos geográficos e institucionais, bem como em seus contextos sócio-históricos e culturais, os exemplos fornecem algumas ideias para educadores sobre como preparar os alunos para trabalhar de maneira contextualizada com comunidades e populações.

12.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(1): 343-355, jan.-mar. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132766

RESUMO

Resumo Este ensaio apresenta trajetórias de Fernand Deligny, sua atuação em instituições educacionais, jurídicas e clínicas com crianças e adolescentes, e o contexto político dessas experiências localizadas na segunda metade do século XX. Ao revisitar tais percursos, estabeleceu-se pontos de contato e reflexões sobre atuais modos de cuidar em saúde mental na infância e adolescência, mobilizados principalmente pela atuação em Centros de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) na cidade de São Paulo. Tal cenário configura experiências complexas que disparam inquietações relacionadas a modos de intervir que têm como base estratégias de adequação, exclusão ou encarceramento do sofrimento psíquico e/ou de experiências desviantes das normas sociais. Discute-se como provocar deslocamentos em certas lógicas de normatização da vida, criando ferramentas que promovam outras formas de viver com a diferença, buscando instaurar aberturas éticas, estéticas e políticas para transformações no pensamento, na sensibilidade e nas ações clínicas em curso na atualidade. Em ressonância com Fernand Deligny, sugere-se pensar modos de cuidar não normativos inspirados pela ideia de uma clínica da delicadeza, do agir e da presença próxima.


Abstract This essay presents the trajectory of Fernand Deligny, his work at educational, legal and clinical institutions with children and adolescents, and the political background of those experiences in the second half of the XX century. Revisiting those paths, we established points of contact and reflections on current mental health care practices in childhood and adolescence, mobilized mainly by acting in Child Psychosocial Care Centers (CAPSi) in the city of São Paulo. That scenario of action configures complex experiences that trigger restlessness related to the ways of rendering care and intervening with experiences of psychic suffering and/or non-compliance with social norms based on adaptation, exclusion or incarceration strategies. We discussed how to trigger displacements in certain normative logics of life by creating tools that promote other ways of living with the difference, seeking to establish ethical, aesthetical and political openings for transformations in current thinking, sensibility and clinical actions. In resonance with Fernand Deligny, it is suggested to think non-normative ways of caring inspired by the idea of a clinic of delicacy, acting and near presence.

13.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 28(1): 5-25, jan.-mar. 2020.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1132776

RESUMO

Resumo Introdução Cotidiano surge como conceito crítico na terapia ocupacional no Brasil em 1988, entendido como construção sócio-histórica que possibilita conhecer as condições concretas de existência de sujeitos e coletivos. A partir de 1990, constitui-se como um dos eixos norteadores de práticas emancipatórias. Seu uso desde 2010 cresce na produção nacional, de modo significativo, seja como simples termo, noção, conceito ou categoria de análise. Objetivo Apresentar aportes teóricos para o uso do conceito de cotidiano na Terapia Ocupacional com base em uma perspectiva crítica, seja no âmbito da prática profissional ou na pesquisa. Método Trata-se de pesquisa teórica com base na leitura reflexiva de aportes das Ciências Humanas e Sociais, com destaque para as contribuições de Agnes Heller e Henri Lefebvre sobre o conceito. Resultados O artigo inicialmente realiza uma retrospectiva histórica do uso do conceito de cotidiano na Terapia Ocupacional no Brasil e clarifica a distinção do uso de palavras como termos, noções, conceitos e categorias. Apresenta e discute as bases teóricas que fundamentam as perspectivas críticas e problematiza o lugar do cotidiano e do sujeito do contemporâneo no contexto da Terapia Ocupacional. A seguir, com base em argumentos teórico-críticos, dialoga com contribuições de Agnes Heller e Henri Lefebvre, indicando seu uso do conceito de cotidiano como pilar crítico para a compreensão da realidade social. Conclusão Discussões teórico-conceituais são fundamentais para a elaboração de ideias, a afirmação de valores, a compreensão de contradições, a ressignificação e renovação da prática profissional e a sustentação da pesquisa em Terapia Ocupacional.


Abstract Introduction Everyday life emerges as a critical concept in Occupational Therapy in Brazil in 1988, understood as a socio-historical construction that makes it possible to know the concrete conditions of the existence of subjects and collectives. From 1990, it becomes one of the guiding axes of emancipatory practices. Its use since 2010 has grown significantly in national production, whether as a simple term, notion, concept or category of analysis. Objective To present theoretical contributions to the use of the everyday life concept in Occupational Therapy from a critical perspective, either within the scope of professional practice or research. Method This is theoretical research based on the reflective reading of contributions from the Human and Social Sciences, highlighting the contributions of Agnes Heller and Henri Lefebvre. Results The article initially presents a historical retrospective of the use of the everyday life concept in Occupational Therapy in Brazil and clarifies the distinction of the use of words as terms, notions, concepts, and categories. It presents and discusses the theoretical bases that underlie critical perspectives and problematizes everyday life and the contemporary subject in the context of Occupational Therapy. Next, based on theoretical-critical arguments, it dialogues with contributions from Agnes Heller and Henri Lefebvre, indicating their use of the concept of everyday life as a critical pillar for understanding social reality. Conclusion Theoretical and conceptual discussions are fundamental for the elaboration of ideas, the affirmation of values, the understanding of contradictions, the resignification and renewal of professional practice and research support.

14.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 26(4): 892-903, Oct.-Dec. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-984121

RESUMO

Abstract Introduction: "Social question" refers to the association between work and its social integration in a capitalist society, assuming a new contemporal configuration. Issues arising from the social question challenge professionals from different fields to provide relevant technical answers. Objective: This study aims to understand how occupational therapists have been addressing topics related to social question in occupational therapy journals indexed on Web of Science database. Method: An integrative literature review was conducted (2000-2014) using journals indexed in Thomson Reuters' Web of Science containg the term "occupational therapy" in their titles. Overall, 32 descriptors related to social question were used in our review. Results: The review found 186 texts, for which the abstracts were read and filters were applied to focus on the social question. The remaining 53 texts were read in full and used in our analysis. Several occupational therapy academicians have reflected on the social question. Their focus has mainly been on promoting health and wellness. The present review has a scope limitation because it only analyzes English texts indexed in the Web of Science. Conclusion: Occupational therapists should go beyond health interventions in favor of approaching actions that encompass different fields in order to promote greater social participation for all in a globalized capitalist society.


Resumo Introdução: A "questão social" refere-se à associação entre o trabalho e sua integração social em uma sociedade capitalista, permanecendo central desde o século XIX, porém assumindo novas configurações na contemporaneidade. Problemáticas decorrentes da questão social desafiam profissionais de diferentes áreas em torno da oferta de respostas técnicas relevantes. Objetivo: Este estudo teve como objetivo compreender como os terapeutas ocupacionais vêm abordando temas relacionados à questão social em periódicos de terapia ocupacional indexados na base Web of Science. Método: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura (2000-2014) por meio de periódicos indexados na Web of Science da Thomson Reuters que contêm o termo "terapia ocupacional" em seus títulos. Foram utilizados 32 descritores relacionados à temática. Resultados: A revisão encontrou 186 textos, dos quais foram lidos os resumos, com a aplicação de filtros para enfocar a questão social. Os restantes 53 textos foram lidos na íntegra e analisados. Vários autores da área de terapia ocupacional têm refletido sobre a questão social, com foco, principalmente, na promoção da saúde e do bem-estar. A presente revisão tem escopo limitado, pois analisa apenas textos em inglês indexados na referida base de dados. Conclusão: Os terapeutas ocupacionais precisam ir além das intervenções em saúde em favor de ações que articulem diferentes setores de serviços e dialoguem com outros campos do saber, a fim de reunir elementos para promover uma maior participação social para todos em uma sociedade capitalista globalizada.

15.
Cad. Bras. Ter. Ocup ; 26(4): 723-738, Oct.-Dec. 2018. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-984129

RESUMO

Abstract Throughout its history, occupational therapy in Brazil has been incorporating and modifying theoretical-methodological perspectives and theoretical-practical references in consonance with historical, social and political contexts. Academic and professional production has been an important tool for spreading new references to the profession. This article aims to present and discuss the emergence of theoretical-methodological perspectives and theoretical-practical references by the Brazilian occupational therapy, from 1956 to 2017, according to historical, social and political milestones, based on indexed national journals of the area and gray literature for the years before their creation. This is a theoretical research on the historical-epistemological foundations of occupational therapy. We mapped and analyzed the production to identify trends and regularities, and thus present a systematic proposal of incorporation of perspectives and references in the area. This study identified four main movements: (i) Constitution of the first theoretical-practical bases of occupational therapy in Brazil; (ii) Problematization of the knowledge and practices of occupational therapy, based on contributions from Collective Health and Human and Social Sciences; (iii) Constitution of the fields of knowledge and practice of occupational therapy through socio-political contextualization, theoretical-conceptual problematization and proposition of emancipatory practices; (iv) Intense theoretical-conceptual and methodological diversification in the production of occupational therapy knowledge and practices. Panoramic studies on academic and professional production are necessary for the epistemological reflection of the profession. The study identified the emergence of critical thinking in Brazilian occupational therapy at the end of the 1970s, and the continuity of practices, knowledge perspectives and references previously presented.


Resumo Ao longo de sua história, a terapia ocupacional brasileira vem incorporando e modificando perspectivas teórico-metodológicas e referenciais teórico-práticos em consonância com os contextos históricos, sociais e políticos. A produção acadêmica e profissional tem sido um importante vetor de divulgação de novos referenciais para a profissão. Este artigo visa apresentar a incorporação de perspectivas teórico-metodológicas e referenciais teórico-práticos pela terapia ocupacional brasileira de 1956 a 2017, em diálogo com marcos históricos, sociais e políticos, tomando como base os periódicos nacionais indexados da área e a literatura cinzenta para os anos anteriores a essas publicações. Trata-se de pesquisa teórica sobre os fundamentos histórico-epistemológicos da terapia ocupacional por meio de mapeamento e análise da produção para identificação de tendências e regularidades, visando produzir uma proposta de sistematização da incorporação de perspectivas e referenciais na área. O estudo identificou quatro movimentos principais: (i) Constituição das primeiras bases teórico-práticas da terapia ocupacional no Brasil; (ii) Problematização dos saberes e práticas da terapia ocupacional, a partir de aportes da Saúde Coletiva e das Ciências Humanas e Sociais; (iii) Constituição dos campos de saber e prática da terapia ocupacional por meio de contextualização sociopolítica, problematização teórico-conceitual e proposição de práticas emancipatórias; (iv) Intensa diversificação teórico-conceitual e metodológica na produção de saberes e práticas de terapia ocupacional. Estudos panorâmicos da produção acadêmica e profissional são necessários às reflexões epistemológicas da profissão. O estudo identificou o surgimento do pensamento crítico na terapia ocupacional brasileira ao final dos anos 1970 e a continuidade de práticas, saberes, perspectivas e referencias presentes anteriormente.

16.
Cad. Ter. Ocup. UFSCar (Impr.) ; 24(4)out.-dez. 2016.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-832140

RESUMO

Este artigo tece reflexões sobre os desafios de instauração de práticas na interface da terapia ocupacional e da cultura, e toma como referência estudos de um campo problemático, definido pela biopolítica enquanto regime de poder hegemônico, que compõe os domínios dessas áreas de atuação. Aponta, assim, questões para a construção de estratégias de participação social e cultural de pessoas que, por múltiplas razões, vivem situações de vulnerabilidades. Essas populações, tradicionalmente atendidas no campo da terapia ocupacional, vivem de forma singular a circulação nos diferentes espaços da cidade e desafiam a criação de ações inovadoras e transversais, que afirmem encontros e projetos de vida coletiva. As práticas artísticas engendradas numa determinada perspectiva crítica destacam-se enquanto alternativas para ativar experimentações que possibilitam a produção de subjetividades a partir da heterogênese. São contribuições ao conjunto de estudos interdisciplinares que dão sustentação às ações complexas e intersetoriais, que operam a produção da autonomia e a efetuação das políticas culturais.


This work discusses the challenge of establishing practices on the interface of occupational therapy and culture. It is based on studies on the problematic field defined by biopolitcs as a regime of hegemonic power composed by the domains of both these areas. It points out topics for the construction of social and cultural participation strategies for people who, for several reasons, live in vulnerable situations. These populations, traditionally received in the field of occupational therapy, circulate differently in the city and challenge the creation of innovative and transversal actions that affirm collective encounters and projects. The artistic practices engendered in certain critical perspective, appear as alternatives to activate experiments that make possible the production of subjectivities from heterogenesis. They are contributions to the set of interdisciplinary studies supporting complex and intersectorial actions which produce autonomy and cultural policies.

17.
Cad. Ter. Ocup. UFSCar (Impr.) ; 24(1): [3-12], jan.-mar. 2016.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-2382

RESUMO

Neste artigo apresenta-se um panorama de ações territoriais marcado pelos movimentos sociais em torno da desinstitucionalização da loucura e da construção dos direitos das pessoas com deficiência, que configuram um novo campo de práticas de Terapia Ocupacional voltadas às complexas demandas das populações atendidas com o objetivo de ampliação da participação sociocultural. São ações e estratégias desenvolvidas pelos participantes do Laboratório de Estudos e Pesquisa Arte, Corpo e Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, que estão articuladas às políticas públicas de saúde mental, humanização e cultura, instauradas no Brasil a partir dos anos 2000, desenvolvidas na cidade de São Paulo. Elas integram ensino, pesquisa e extensão, contribuem para a qualidade de serviços ofertados à comunidade e fortalecem as redes de atenção e participação social. Os principais métodos de acompanhamento e avaliação das intervenções estão relacionados à pesquisa qualitativa, à construção de uma reflexão intensiva que busca construir um conhecimento local em Terapia Ocupacional orientado por ações criativas e pela conjunção de referenciais clínicos, artísticos e culturais. Os projetos desenvolvidos ampliam o acesso da população atendida às experiências artísticas e culturais do território, contribuem para a construção de políticas da vida, dinamizando formas de participação, convivência e produção de subjetividade. Configuram-se, assim, tecnologias socioculturais consonantes à importância de fortalecer e sustentar novas propostas para populações expropriadas de suas redes de vida sustentadas pela significativa intervenção de terapeutas ocupacionais.


This article presents a view of territorial actions marked by social movements related to the de-institutionalization of insanity and the development of rights of physically-and mentally handicapped people, which configures a new field of occupational therapy practices oriented towards the complex demands of assisted population and targeted on increasing sociocultural participation. Those are actions and strategies, implemented by the participants of the Laboratory of Studies and Research Art, Body and Occupational Therapy of the University of São Paulo, which are articulated with the public policies of mental health, humanization and culture set up in in Brazil as of 2000. They involve teaching, research and extension; contribute to the quality of services offered to the community and strengthen the assistance and social participation networks. The main follow up and interventions assessment methods are related to qualitative research, development of an intensive reflection in that seek to build up local knowledge of occupational therapy guided by creative actions and by crossed clinical, artistic and cultural references. The projects implemented have broaden the access of the population assisted to artistic and cultural experiments in the territory, they have contributed to the construction of life policies enabling ways of participation, of living together and subjectivity producing. Thus, sociocultural technologies are configured in agreement with the importance of strengthening and supporting new proposals for populations expropriated from their life networks, supported by significant intervention of occupational therapists.

18.
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-68673

RESUMO

This essay reflects on the constitution of identity and knowledge production within the realm of discussions about occupational therapy in Latin America. The text presents the reflective and subjective processes experienced by the author, while discussing the central theme and dialoguing with the ideas of Boaventura de Sousa Santos. It briefly describes the Brazilian academic production on the themes of occupational therapy, identity and complexity, and the potential international interests on the subject. It emphasizes the tensions of contemporary subjectivity which moves across the individual and the collective, the universal and the singular, and its consequences to the constitution of occupational therapy knowledge and practice. The essay discusses the impacts of the demands for productivity in contemporary university and stresses the researchers' difficulties regarding daily academic and administrative requirements. The paper highlights the difficulties of sharing knowledge and experiences among Latin American occupational therapists and questions the existence of a Latin American identity, drawing attention to the tensions that circumscribe possible consensus and differences.(AU)


Este ensaio realiza uma reflexão sobre a constituição da identidade e a produção de conhecimento no âmbito das discussões sobre Terapia Ocupacional na América Latina. O texto apresenta o processo reflexivo e subjetivo do autor ao discorrer sobre a temática central e dialogar com as ideias de Boaventura de Sousa Santos. Discorre, de forma sintética, sobre a produção acadêmica brasileira na temática Terapia Ocupacional, identidade e complexidade e o potencial interesse internacional sobre o tema. Aponta para as tensões da subjetividade contemporânea, que transita entre o individual e o coletivo, o universal e o singular, e seus desdobramentos para a constituição dos saberes e práticas da Terapia Ocupacional. Discute os impactos da demanda por produtividade na universidade contemporânea e reflete sobre as dificuldades dos pesquisadores frente às exigências acadêmico-administrativas cotidianas. Destaca as dificuldades do compartilhamento de saberes e experiências entre os terapeutas ocupacionais latino-americanos e questiona sobre a existência de uma identidade latino-americana, apontando as tensões que circunscrevem os possíveis consensos e diferenças.(AU)


Assuntos
Terapia Ocupacional/tendências , Conhecimento , América Latina
19.
Artigo em Português | Index Psicologia - Periódicos | ID: psi-68690

RESUMO

The objective of this paper is to make a reflection on the contradictions and the alleged rehabilitative potential of labor-therapeutic practices, starting from the experience developed by the Work Center of the Mental Health Program of the Municipality of Santos from 1989 to 1996, from the beginning of the intervention in the psychiatric hospital to the implementation of territorial and community services. The labor-therapeutic practice is characterized here as a disciplinary technology of deviation control, operating in line with the psychiatric paradigm. On the other hand, work projects that combine mental health and solidarity economy are considered devices that multiply opportunities, expand social networks and transform the concrete conditions of life, contributing to deconstruct the psychiatric paradigm and the sociability of merchandise. The ideas herein presented are part of a doctoral thesis that used the experience report of the Work Center implementation as a method, articulating the theoretical perspective of deinstitutionalization and the discussion of complexity, presenting new emancipatory possibilities of dealing with the issue of labor in the mental health .(AU)


O objetivo deste artigo é tecer uma reflexão sobre as contradições e o suposto potencial reabilitador da laborterapia a partir da experiência desenvolvida pelo Núcleo do Trabalho do Programa de Saúde Mental da cidade de Santos, SP, no período de 1989 a 1996, do início da intervenção no Hospital Anchieta, ao final do processo de implantação dos serviços comunitários e territoriais. A laborterapia é aqui caracterizada como uma tecnologia disciplinar de controle dos desvios, operando em sintonia com o paradigma psiquiátrico. Em sentido contrário, os projetos de trabalho que aliam saúde mental e economia solidária são considerados dispositivos de multiplicação de possibilidades, ampliação da rede de relações e transformação das condições concretas de vida, contribuindo para a desconstrução do paradigma psiquiátrico e da sociabilidade da mercadoria. As reflexões aqui apresentadas fazem parte de uma tese de doutorado que utilizou como método o relato da experiência de implantação do Núcleo, articulando-o à perspectiva teórica da desinstitucionalização e à discussão da complexidade, produzindo como resultados novas possibilidades emancipatórias no lidar com a questão do trabalho na área de saúde mental.(AU)


Assuntos
Terapia Ocupacional/tendências , Trabalho , Desinstitucionalização , Saúde Mental
20.
Cad. Ter. Ocup. UFSCar (Impr.) ; 22(1): 49-61, jan.-abr. 2014.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: lil-712108

RESUMO

The objective of this paper is to make a reflection on the contradictions and the alleged rehabilitative potential of labor-therapeutic practices, starting from the experience developed by the Work Center of the Mental Health Program of the Municipality of Santos from 1989 to 1996, from the beginning of the intervention in the psychiatric hospital to the implementation of territorial and community services. The labor-therapeutic practice is characterized here as a disciplinary technology of deviation control, operating in line with the psychiatric paradigm. On the other hand, work projects that combine mental health and solidarity economy are considered devices that multiply opportunities, expand social networks and transform the concrete conditions of life, contributing to deconstruct the psychiatric paradigm and the sociability of merchandise. The ideas herein presented are part of a doctoral thesis that used the experience report of the Work Center implementation as a method, articulating the theoretical perspective of deinstitutionalization and the discussion of complexity, presenting new emancipatory possibilities of dealing with the issue of labor in the mental health .


O objetivo deste artigo é tecer uma reflexão sobre as contradições e o suposto potencial reabilitador da laborterapia a partir da experiência desenvolvida pelo Núcleo do Trabalho do Programa de Saúde Mental da cidade de Santos, SP, no período de 1989 a 1996, do início da intervenção no Hospital Anchieta, ao final do processo de implantação dos serviços comunitários e territoriais. A laborterapia é aqui caracterizada como uma tecnologia disciplinar de controle dos desvios, operando em sintonia com o paradigma psiquiátrico. Em sentido contrário, os projetos de trabalho que aliam saúde mental e economia solidária são considerados dispositivos de multiplicação de possibilidades, ampliação da rede de relações e transformação das condições concretas de vida, contribuindo para a desconstrução do paradigma psiquiátrico e da sociabilidade da mercadoria. As reflexões aqui apresentadas fazem parte de uma tese de doutorado que utilizou como método o relato da experiência de implantação do Núcleo, articulando-o à perspectiva teórica da desinstitucionalização e à discussão da complexidade, produzindo como resultados novas possibilidades emancipatórias no lidar com a questão do trabalho na área de saúde mental.


Assuntos
Trabalho , Saúde Mental , Terapia Ocupacional/tendências , Desinstitucionalização
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...