Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 10 de 10
Filtrar
1.
Rev. CEFAC ; 22(2): e17418, 2020. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1136467

RESUMO

ABSTRACT Purpose: to investigate the possible association between the severity of the temporomandibular disorder, cervical pain, and mandibular function impairment. Methods: is a cross-sectional, descriptive study, conducted with 32 individuals with temporomandibular disorder, categorized by degree of severity, according to the Fonseca Index. Using the diagnosis criteria for temporomandibular disorder, the likely etiological factors for the disorder were established, as well as the intensity of the functional disability, resulting from cervical pain and of the mandibular impairment. The data obtained were statistically treated, adopting the significance level of 5%. Results: the mean age was 33.8 years, 90.6% being females. As for the degree of disorder, 56.3% presented severe TMD, followed by 28.1% showing a moderate one. The myogenic etiology was present in 93.7% of the patients. Cervical pain was present in 90.6% of them, of which, 59.4% presented a mild disability, and 25%, a moderate one. Considering the mandibular function, 46.9% of the patients presented a low, 40.6%, a moderate, and 12.5%, a severe impairment. There was a statistically significant association between cervical pain and mandibular function (p = 0.011). However, although there was an increase in cervical disability and in mandibular impairment as the severity of the TMD also increased, these associations were not statistically significant (p = 0.178 and p = 0.102, respectively). Conclusion: it can be stated that there is a higher prevalence of severe TMD and of myogenic origin, and that cervical pain influences, directly, the mandibular function, which is not necessarily related to the severity of the temporomandibular alteration. Likewise, such severity does not present a relationship to mandibular function impairment either.


RESUMO Objetivo: investigar possível associação entre severidade da disfunção temporomandibular, cervicalgia e limitação funcional mandibular. Métodos: estudo seccional descritivo, em 32 indivíduos com disfunção temporomandibular, categorizados de acordo com o grau de severidade segundo o Índice de Fonseca. Utilizando-se o Critérios Diagnósticos de Pesquisa em Disfunção Temporomandibular, estabeleceram-se prováveis fatores etiológicos da disfunção e a intensidade de incapacidade funcional cervical e mandibular, avaliados pelo Índice de Incapacidade Relacionada à Dor no Pescoço e Questionário de Limitação Funcional Mandibular respectivamente. Os dados obtidos foram tratados estatisticamente, adotando-se nível de significância de 5%. Resultados: a média de idade foi de 33,8 anos, sendo 90,6% pertencentes ao gênero feminino. Quanto à severidade da disfunção, 56,3% possuíam o tipo severo, sendo moderada em 28,1%. Em 93,7%, verificou-se etiologia miogênica. A cervicalgia esteve presente em 90,6% dos pacientes, dos quais 59,4% apresentaram incapacidade leve e 25% moderada. Quanto à função mandibular, houve baixa limitação em 46,9%, moderada em 40,6%, tendo sido severa em 12,5%. Houve associação estatisticamente significante entre a cervicalgia e a função mandibular (p=0,011). Contudo, embora tenha havido aumento na incapacidade cervical e na limitação mandibular com o aumento da severidade da disfunção temporomandibular, estas associações não foram estatisticamente significantes (p=0,178 e p=0,102, respectivamente). Conclusão: é possível afirmar que há maior prevalência de disfunção temporomandibular de intensidade severa e de origem miogênica, e que a cervicalgia influencia diretamente a função mandibular, não estando necessariamente relacionada à severidade da disfunção temporomandibular. Da mesma forma, esta última também não apresenta relação direta com a limitação da função mandibular.

2.
Hua Xi Kou Qiang Yi Xue Za Zhi ; 36(2): 162-166, 2018 Apr 01.
Artigo em Chinês | MEDLINE | ID: mdl-29779277

RESUMO

OBJECTIVE: This study aims to study the effect of the improved partial denture treatment in the rehabilitation of patients with temporomandibular joint disorders (TMD). METHODS: Twenty middle-aged and old patients suffering from osteoarthrosis were treated with the improved partial denture treatment. These patients were followed up during the partial denture treatment and after the rehabilitation. Both the clinical symptoms and Fricton's craniomandibular index were used to evaluate the clinical effects. Data were analyzed using SPSS17.0. RESULTS: The effective rate reached 100% when the patients wore partial dentures for 1 month. All of the 20 patients were comfortable with temporomandibular joint, and they expressed ultimate satisfaction with the denture. The Fricton indexes of 20 patients decreased significantly after the treatment (P<0.05). CONCLUSIONS: Partial denture treatment is an ideal method in rehabilitation for patients with TMD (osteoarthrosis) and dentition defect.


Assuntos
Prótese Parcial , Transtornos da Articulação Temporomandibular , Dentição , Dentaduras , Humanos , Pessoa de Meia-Idade , Articulação Temporomandibular , Transtornos da Articulação Temporomandibular/reabilitação
3.
Rev. odontol. UNESP (Online) ; 44(6): 360-367, tab
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-764658

RESUMO

Introduction: The relationship between dental occlusion and temporomandibular disorders (TMD) remains a subject of disagreement. Many professionals erroneously base diagnosis and treatment strictly on the occlusal factor, despite the fact that current scientific evidence does not show such a relationship. Objective: To evaluate the knowledge of dental surgeons (DSs) from João Pessoa (PB)-Brazil, regarding the relationship between occlusal factors and TMD. Materials and method: A sample of 100 DSs who do not have expertise in TMD and orofacial pain (CG Group) and seven DSs with this specialty (EG Group) completed a questionnaire that addresses issues concerning knowledge of TMD and its relationship with occlusal factors. The questionnaire also contained information used to characterize the sample, such as age, gender, and length of experience. The current literature's degree of consensus was established as the "gold standard" response for each statement and was compared with the responses of the specialists and non-specialists. Data were tabulated using the SPSS software package and analyzed descriptively (by percentage) and statistically using the chi-square and Fisher's exact tests (p < 0.05). Result: A wide divergence could be observed between the knowledge of DSs who do not specialize in TMD and orofacial pain and that of professionals who do. Conclusion: There was low agreement between specialists and non-specialists. The relationship between dental occlusion and TMD remains unclear for the vast majority of participating professionals, which may prove to be reflected in diagnostic behaviors and inappropriate occlusal treatment for the management of TMD.


Introdução: A relação da oclusão dentária com a Disfunção Temporomandibular (DTM) ainda gera divergências. Muitos profissionais erroneamente baseiam o diagnóstico e a terapia estritamente no fator oclusal, apesar das evidências científicas atuais não mostrarem tal relação. Objetivo: Avaliar o conhecimento dos cirurgiões-dentistas (CDs) de João Pessoa-PB, acerca da relação entre fatores oclusais e DTM. Material e método: Uma amostra de 100 CDs que não possuem especialização em DTM e Dor Orofacial (Grupo GN), além de sete CDs com essa especialidade (Grupo GE) preencheram questionário abordando assuntos relativos ao conhecimento da DTM e sua relação com fatores oclusais. O questionário continha também informações para caracterização da amostra como idade, gênero e tempo de formado. O grau de consenso da literatura atual para cada sentença foi estabelecido como "padrão-ouro" de resposta, o qual foi comparado com as respostas dos especialistas e não especialistas. Os dados foram tabulados no programa SPSS e analisados de forma descritiva (através de porcentagens) e, estatística, por meio dos testes Qui-quadrado e Exato de Fisher (p<0,05). Resultado: Observou-se grande divergência no conhecimento dos cirurgiões-dentistas sem especialidade em DTM e Dor Orofacial com os profissionais dessa especialidade. Conclusão: Houve baixa concordância entre os especialistas e não especialistas. A relação entre oclusão dentária e disfunção temporomandibular ainda permanece obscura para a grande maioria dos profissionais entrevistados, o que pode vir a se refletir em condutas de diagnóstico e tratamento oclusal inadequadas para o manejo das DTM.


Assuntos
Terapêutica , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular , Conhecimento , Oclusão Dentária , Odontólogos , Diagnóstico , Distribuição de Qui-Quadrado , Inquéritos e Questionários
4.
Rev. dor ; 16(3): 181-185, July-Sept. 2015. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-758128

RESUMO

ABSTRACTBACKGROUND AND OBJECTIVES:Chronic pain, such as temporomandibular disorder, often leads to significant changes in quality of life. This study aimed at evaluating the influence of temporomandibular disorders in the subjective perception of quality of life by means of the Oral Health Impact Profile-14.METHODS:Participated in the study 80 patients diagnosed with temporomandibular disorders by means of the Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders, aged between 18 and 60 years (32.71±1.1), who were submitted to the Oral Health Impact Profile-14 questionnaire. Non parametric Mann-Whitney statistics, Pearson Correlation test, Analysis of Variance and Tukey test were used with significance level of 5%.RESULTS:There has been no statistically significant difference in the perception of the impact on quality of life between genders; patients with association of signs and symptoms of the three groups of the Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders had further impact on quality of life, as well as the most severe the temporomandibular disorder the highest the reported impact (p=0.05), and the age group with the highest impact on quality of life was between 18 and 30 years (p<0.01).CONCLUSION:Increased age, severity and the association of diagnoses have exacerbated the impact of temporomandibular disorders on quality of life. Variables analyzed in this study were related to temporomandibular disorder chronicity, stressing the importance of early intervention strategies to minimize the impact on quality of life.


RESUMOJUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:Dores crônicas, como as disfunções temporomandibulares, levam com frequência a alterações significativas na qualidade de vida. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da disfunção temporomandibular na percepção subjetiva da qualidade de vida, obtida por meio do Oral Health Impact Profile-14.MÉTODOS:Oitenta pacientes diagnosticados com disfunção temporomandibular por meio dos critérios do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders, com idade entre 18 e 60 anos (32,71±11,1), foram submetidos ao questionário Oral Health Impact Profile-14. Empregaram-se a estatística não paramétrica de Mann-Whitney, teste de Correlação de Pearson e Análise de Variância e teste de Tukey, adotando-se 5% como nível de significância.RESULTADOS:Não houve diferença estatisticamente significativa quanto à percepção do impacto na qualidade de vida entre os gêneros; pacientes com associação de sinais e sintomas dos três grupos do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders apresentaram maior impacto na qualidade de vida, assim como, quanto maior a gravidade da disfunção temporomandibular maior é o impacto relatado (p=0,05) e a faixa etária com maior impacto na qualidade de vida encontrava-se entre 18 e 30 anos (p<0,01).CONCLUSÃO:O aumento da idade, a gravidade e a associação de diagnósticos exacerbaram o impacto da disfunção temporomandibular na qualidade de vida. As variáveis analisadas neste estudo relacionam-se com a cronicidade da disfunção temporomandibular, ressaltando a importância de estratégias de intervenção precoce para minimizar o comprometimento da qualidade de vida.

5.
RGO (Porto Alegre) ; 62(3): 309-314, Jul-Sep/2014. tab
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-732737

RESUMO

Watsu therapy is a water relaxation intervention technique performed individually in a warm pool with music and peaceful settings involving harmonious rotational movements, stretching, tractions on the joints and pressures at the points of muscle tension. This study evaluated the effect of Watsu therapy on psychological aspects (anxiety and minor psychiatric disorders) and on the quality of life of a patient with temporomandibular disorders. The patient answered three questionnaires: STAI (State-Trait Anxiety Inventory) and GHQ (Goldberg Health Questionnaire) to assess anxiety and psychiatric disorders respectively, and WHOQOL- Brief (World Health Organization Quality of Life) to assess quality of life. Watsu therapy has been used in patients with temporomandibular disorders (TMD) such as myofascial pain diagnosed by RDC/TMD (Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders). Psychological aspects and quality of life were assessed before and after Watsu therapy. The results after treatment showed relevant and significant improvement on all indices evaluated. Therefore, it was shown that Watsu therapy was effective in reducing anxiety and minor psychiatric disorders, as well as improved quality of life of patients with temporomandibular disorder.


A terapia Watsu é uma técnica de terapia aquática para relaxamento realizada individualmente em piscina aquecida com música em ambiente tranquilo e harmonioso, envolvendo movimentos rotacionais, alongamento, trações nas articulações e pressões em pontos de tensão muscular. Este estudo avaliou o efeito da terapia Watsu nos aspectos psicológicos (ansiedade e distúrbios psiquiátricos menores) e a qualidade de vida de uma paciente com disfunção temporo-mandibular. A paciente respondeu a três questionários: Inventário de Ansiedade - Resumido - Estado e Questionário de Saúde Geral para avaliar ansiedade e distúrbios psiquiátricos menores, respectivamente e; o Questionário de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde. A terapia Watsu foi usada em paciente com disfunção temporo-mandibular, como dor miofascial diagnosticada pelos Critérios de diagnóstico em pesquisa para Disfunção Temporo-mandibular. Os aspectos psicológicos e qualidade de vida foram avaliados antes e após a terapia Watsu. Os resultados após o tratamento mostraram melhora relevante e significativa em todos os índices avaliados. Portanto, pode-se concluir que a terapia Watsu foi eficaz na redução de ansiedade e distúrbios psiquiátricos menores, bem como melhora da qualidade de vida em paciente com disfunção temporo-mandibular.

6.
Rev. dor ; 15(2): 91-95, Apr-Jun/2014. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-713040

RESUMO

BACKGROUND AND OBJECTIVES: Understanding the importance of surface electromyography as a complementary method to understand the myofunctional status of the stomatognathic system, this study aimed at analyzing the frequency of altered and normal electromyographic indices in a sample of subjects with temporomandibular disorders, in addition to their relation with pain complaint. METHODS: Participated in the study 44 individuals with temporomandibular disorder signs and symptoms (11 males and 33 females), with mean age of 39 years, who were submitted to surface electromyography. Pain intensity was measured by the visual analog scale. Total Asymmetry Index (AStotal), Masseter Asymmetry Index (ASMM), Temporal Asymmetry Index (ASTA), Activation Index (ACtotal) and Torque Index (TOtotal) were calculated. Correlation between pain intensity and electromyographic indices was checked by Pearson correlation test and sample characterization with regard to investigated indices was done by descriptive analysis. RESULTS: Means of all indices were within previously established normality patterns. The frequency of altered electromyographic indices in our sample was high (ASMM=68%; ASTA=64%; TOtotal=64%; AStotal=55%). With regard to ACtotal, there has been predominance of masseter activity as compared to temporal activity, both for normal and altered values. Among individuals with altered indices, the left side had superior activity. No correlation was found between pain intensity and the level of electromyographic indices alterations (p>0.05). CONCLUSION: The frequency of electromyographic indices alterations in individuals with temporomandibular disorders is high, pointing to the possible presence of myofunctional disorders of the stomatognathic system. These indices have no direct relation with pain complaint but show muscular activity imbalance, which may not be useful to diagnose pain, but may help the correct referral to relevant muscle therapies. .


JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Compreendendo a importância da eletromiografia de superfície como método complementar para o entendimento do estado miofuncional do sistema estomatognático, o objetivo deste estudo foi analisar a frequência de índices eletromiográficos alterados e normais em uma amostra de sujeitos com disfunção temporomandibular, bem como sua relação com a queixa de dor. MÉTODOS: Foram avaliados 44 sujeitos com sinais e sintomas de disfunção temporomandibular, (11 homens/33 mulheres), com média de idade de 39 anos, os quais foram submetidos à eletromiografia de superfície. O nível de dor foi investigado por meio de escala analógica visual. Foram calculados o Índice de Assimetria Total (AStotal), Índice de Assimetria do Masseter (ASMM), Índice de Assimetria do Temporal (ASTA), Índice de Ativação (ACtotal) e Índice de Torque (TOtotal). A correlação entre o nível de dor e os índices eletromiográficos foi verificada pelo teste de correlação de Pearson e a caracterização da amostra quanto aos índices investigados foi feita por meio de análise estatística descritiva. RESULTADOS: As médias de todos os índices encontraram-se dentro dos padrões de normalidade, estabelecidos previamente. A frequência de índices eletromiográficos alterados na amostra estudada foi alta (ASMM=68%; ASTA=64%; TOtotal=64%; AStotal=55%). Em relação ao ACtotal houve predomínio de atividade do masseter em relação ao temporal, tanto para os valores normais quanto para os alterados. Dentre os sujeitos com índices alterados, o lado esquerdo apresentou atividade superior. Não foi encontrada correlação entre o nível de dor e o nível de alteração dos índices eletromiográficos ...

7.
Rev. dor ; 15(1): 6-8, Jan-Mar/2014. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-705353

RESUMO

Justificativa e objetivos:Pacientes com dor crônica apresentam um menor limiar à dor apresentando dessa forma dores em outras topografias. O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de disfunção temporomandibular em pacientes com dor crônica em diversas partes do corpo comparando com um grupo controle sem sintomatologia dolorosa. Além disso, buscou-se verificar qual dos grupos apresentou mais sintomas de disfunção temporomandibular e alteração miofascial nos músculos da mastigação. Métodos: A amostra foi composta por 180 indivíduos, divididos em 2 grupos, sendo 90 pacientes com dor crônica em diversas partes do corpo: grupo estudo, e 90 pacientes sem sintomatologia dolorosa: grupo controle. Para o diagnóstico da sintomatologia de disfunção temporomandibular foi utilizado o questionário proposto pela Academia Americana de Dor Orofacial. Foi realizada uma avaliação física dirigida e validada. Análises foram feitas para verificar a frequência de sintoma de disfunção temporomandibular tanto no grupo controle quanto no grupo estudo e a presença de disfunção temporomandibular muscular em ambos os grupos. Resultados: Entre os pacientes com dor crônica 70% apresentaram sintomatologia para disfunção temporomandibular e no grupo controle 55%. Os pacientes que apresentaram sintomatologia foram avaliados fisicamente e constatou-se que 45% apresentaram dor miofascial nos músculos da mastigação, contra 28% no grupo controle. Conclusão: A presença de sintomatologia de disfunção temporomandibular e dor muscular nos músculos da mastigação foi maior em pacientes com dor crônica em relação ao grupo controle e deve ser levada em consideração quando se propõe avaliar e controlar todas as dores nesses pacientes.


Background and objectives:Chronic pain patients have lower pain threshold, thus having pain in other parts of the body. This study aimed at evaluating the presence of temporomandibular disorders in patients with chronic pain in different parts of the body comparing them to a pain-free control group. In addition, we tried to determine which group had more temporomandibular disorder symptoms and myofascial changes in masticatory muscles. Methods: Sample was made up of 180 individuals divided in 2 groups, being 90 patients with chronic pain in different parts of the body: study group, and 90 pain-free patients: control group. The questionnaire proposed by the American Academy of Orofacial Pain was used to diagnose temporomandibular disorder symptoms. A directed and validated physical evaluation was performed. Analyses were done to determine the frequency of temporomandibular symptoms both in the control group and the study group, and the presence of muscular temporomandibular disorders in both groups. Results: Among chronic pain patients, 70% had temporomandibular disorder symptoms and in the control group they were 55%. Patients with symptoms were physically evaluated and it was observed that 45% had masticatory muscles myofascial pain as compared to 28% in the control group. Conclusion: The prevalence of temporomandibular disorder symptoms and masticatory muscles pain was higher among chronic pain patients as compared to the control group and should be taken into consideration when the proposal is to evaluate and control all pains of such patients.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Dor Crônica , Dor Facial , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular
8.
Rev. dor ; 14(4): 280-283, out.-dez. 2013. ilus
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-700065

RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A disfunção temporomandibular é uma síndrome clínica que acomete principalmente músculos mastigatórios e articulações temporomandibulares. Como a articulação temporomandibular está diretamente relacionada à região cervical e escapular por meio de cadeias musculares, alterações posturais da coluna podem acarretar distúrbios de articulação temporomandibular, e vice-versa. A relação entre a postura corporal e a disfunção temporomandibular pode estabelecer uma forma de prevenção e reabilitação. Sendo assim o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do tratamento da disfunção temporomandibular muscular na postura global de indivíduos diagnosticados por meio do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders. MÉTODOS: Trinta pacientes foram classificados em grupo controle (n=12) (sem diagnóstico clínico de disfunção temporomandibular) e tratamento (n=17) (com diagnóstico de disfunção temporomandibular). Esses pacientes passaram por avaliação postural através da fotogrametria e análise pelo Software de Avaliação Postural. O tratamento consistiu em aconselhamento, fisioterapia caseira e uso do dispositivo interoclusal, monitorado por dois meses. Os pacientes do grupo controle apenas utilizaram o dispositivo interoclusal pelo mesmo período. Após o tratamento, uma nova avaliação foi feita pela fisioterapia. RESULTADOS: Nos pacientes do grupo controle, não ocorreram alterações nas medidas correspondentes ao inicio da intervenção comparado ao pós-tratamento. Já no grupo tratamento, apenas o ângulo de alinhamento vertical da cabeça exibiu resultado estatisticamente significativo (p<0,05). Para análise da melhora da dor foi comparado antes e após o tratamento e obtiveram-se resultados positivos para remissão de sintomas dolorosos. CONCLUSÃO: Pode-se concluir que desvios posturais globais causam adaptações e realinhamento corporal que podem interferir na função e organização da articulação temporomandibular. O tratamento foi efetivo para melhora da dor.


BACKGROUND AND OBJECTIVES: Temporomandibular disorder is a clinical syndrome affecting primarily masticatory muscles and temporomandibular joints. Since temporomandibular joint is directly related to cervical and scapular region by means of muscle chains, postural spinal changes may induce temporomandibular joint disorders and vice-versa. The relationship between body posture and temporomandibular disorder may determine prevention and rehabilitation. So, this study aimed at evaluating the influence of temporomandibular joint disorder management on global posture of individuals diagnosed by the Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders. METHODS: Thirty patients were classified in control group (n=12) (without clinical diagnosis of temporomandibular disorder) and treatment group (n=17) (with diagnosis of temporomandibular disorder). These patients went through postural evaluation by photogrammetry and analysis with the Postural Evaluation Software. Treatment consisted of counseling, home physiotherapy and interocclusal device, monitored for 2 months. Control group patients have only used interocclusal device for the same period. After treatment a new evaluation was performed by the physiotherapy department. RESULTS: Control group patients have shown no changes in measurements corresponding to beginning of intervention as compared to after treatment. In the treatment group, only the vertical alignment angle of the head has shown statistically significant results (p<0.05). To analyze pain relieve pre and post treatment data were compared with positive results for painful symptoms remission. CONCLUSION: It is possible to conclude that global postural changes cause body adaptations and realignment, and may interfere with temporomandibular joint function and organization. Treatment was effective to relieve pain.

9.
Rev. dor ; 14(3): 219-222, jul.-set. 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-690311

RESUMO

BACKGROUND AND OBJECTIVES: Temporomandibular joint disorder (TMD), which is a musculoskeletal condition of the masticatory system, may become chronic and further worsen quality of life (QL) of patients. Due to the interrelation between physical and emotional symptoms, there is increasing search for the integrative model, which includes psychosocial approaches for the treatment of painful conditions. This study aimed at reviewing in the literature the impact of education and simple self-care modalities on pain and disorders related to chronic painful TMD. CONTENTS: Psychosocial factors are often involved with pain chronicity, making bio-behavioral approaches increasingly more indicated to change pain perception and to decrease distress and psychosocial changes which go along with persistent pain. CONCLUSION: Current literature, although not extensive, indicates positive results of education and self-care methods for chronic painful TMD. Further studies are needed to reinforce such findings and spread the application of such approaches to control chronic and TMD pain.


JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A disfunção temporomandibular (DTM), condição musculoesquelética do sistema mastigatório, pode se tornar crônica, causando maior comprometimento na qualidade de vida (QV) dos pacientes. Devido à inter-relação entre sintomas físicos e emocionais, há uma crescente busca pelo modelo integrativo, o qual inclui abordagens psicossociais para o tratamento de condições dolorosas. O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão de literatura sobre o impacto da educação e modalidades simples de autocuidados podem ter na dor e na disfunção relacionadas à DTM dolorosa crônica. CONTEÚDO: Os fatores psicossociais estão frequentemente envolvidos na cronificação da dor, tornando as abordagens biocomportamentais cada vez mais indicadas para mudar a percepção da dor, reduzir o sofrimento e as alterações psicossociais que acompanham as dores persistentes. CONCLUSÃO: A literatura existente, apesar de não ser vasta, indica resultados positivos da aplicação de métodos de educação e autocuidados em DTM dolorosa crônica. Mais estudos são necessários para reforçar tais achados e disseminar a aplicação de tais abordagens no controle da dor crônica e da DTM.


Assuntos
Dor Facial , Autocuidado , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular
10.
Rev. dor ; 14(1): 52-57, jan.-mar. 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-671643

RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Disfunção temporomandibular (DTM) abrange um conjunto de alterações craniofaciais, que pode envolver a articulação temporomandibular (ATM), os músculos da mastigação e/ou estruturas associadas. As DTM musculares são as mais frequentes e um dos seus subtipos compreende a dor miofascial. A toxina botulínica tipo A (BoNT A), tem sido objeto de estudos no controle da dor, incluindo dor miofascial, e está relacionada ao mecanismo de alívio da dor, não somente nos receptores da junção neuromuscular. O objetivo deste estudo foi acessar os artigos que abordam o uso da BoNT A no tratamento da dor miofascial nos músculos da mastigação. CONTEÚDO: Foi realizada uma busca nas bases de dados Pubmed, LILACS e BVS, de 2000 a abril de 2012, cruzando-se os descritores: toxinas botulínicas tipo A, síndromes da dor miofascial, dor facial, síndrome da disfunção da articulação temporomandibular, pontos-gatilho, bruxismo, articulação temporomandibular, músculo masseter e músculo temporal. Como critérios de inclusão foram analisados estudos randomizados, duplamente encobertos ou encobertos, com 10 ou mais participantes, de aspectos metodológicos aleatórios, que relacionassem o uso da toxina botulínica na dor miofascial da DTM nos músculos da mastigação, mais especificamente masseter e temporal, limitados para o idioma inglês encontrando-se seis estudos que foram incluídos neste estudo. CONCLUSÃO: O uso da BoNT A não se mostrou mais eficiente no tratamento da dor miofascial do que os tratamentos convencionais já estabelecidos. Por existirem diversas variáveis não controladas nos poucos estudos pertinentes, mais estudos, com metodologias criteriosas, são necessários para viabilizar sua aplicação em pacientes refratários à dor submetidos previamente a tratamentos conservadores.


BACKGROUND AND OBJECTIVES: Temporomandibular disorders (TMD) involve a set of craniofacial changes, which may involve temporomandibular joint (TMJ), jaw muscles and/or associated structures. Muscle TMD is the most frequent, and one of its subtypes is myofascial pain. Botulinum toxin type A (BoNT A), has been studied to control pain, including myofascial pain, and is related to pain relief mechanisms not only in neuromuscular junction receptors. This study aimed at evaluating articles addressing BoNT A to treat jaw muscles myofascial pain. CONTENTS: Pubmed, LILACS and BVS databases were queried from 2000 to April 2012, crossing the following keywords: botulinum toxin type A, myofascial pain syndromes, facial pain, temporomandibular joint disorder syndrome, trigger-points, bruxism, temporomandibular joint, masseter muscle and temporalis muscle. Inclusion criteria were randomized double blind or blind studies, with 10 or more participants, with randomized methodological aspects, relating the use of botulinum toxin for jaw muscles TMD myofascial pain, more specifically masseter and temporalis muscles, and limited to the English language. Six articles were found and included in this study. CONCLUSION: BoNT A was not more effective to treat myofascial pain than established conventional treatments. Because there are many uncontrolled variables in the few related studies, more studies with judicious methodologies are needed to make feasible its use in patients refractory to pain and previously submitted to conservative treatments.


Assuntos
Toxinas Botulínicas , Dor Facial , Síndromes da Dor Miofascial , Síndrome da Disfunção da Articulação Temporomandibular
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...