Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 572
Filtrar
3.
Rev. bioét. derecho ; (50): 63-79, nov. 2020.
Artigo em Inglês | IBECS | ID: ibc-191346

RESUMO

Allocation of health resources has an irreducible ethical dimension, thus cannot be decided only technically, but must be ethically weighed, what paradigmatic experiences of macro (Oregon Basic Health Services Act, 1989) and micro allocation (God's Committee, 1962) have shown. Justice is required in the enunciation of prioritization criteria, and transparency in its application. In situations of aggravated resource scarcity, it is common to take 'allocate' and 'rationing' as synonyms or claim that 'allocate' is always 'rationing'. Rejecting these positions, there is a distinction between 'allocating' (resource management) from 'rationing' (allocation of limited resources to a limited number of persons) and 'rationalizing' (optimization of available resources). These distinctions are ethically pertinent, showing how only 'rationalization' respects justice, transparency and human dignity


La asignación de recursos de salud tiene una dimensión ética irreducible, que no se puede solo decidirse técnicamente, sino que debe sopesarse éticamente, lo que han demostrado experiencias paradigmáticas de macro (Ley de Servicios Básicos de Salud de Oregon, 1989) y microasignación (Comité de Dios, 1962). Se requiere justicia, en la enunciación de los criterios de priorización, y transparencia, en su aplicación. En situaciones de grave escasez de recursos, es común tomar 'asignar' y 'racionar' como sinónimos, o afirmar que 'asignar' siempre es 'racionar'. Al rechazar estas posiciones, hay una distinción entre 'asignar' (gestión de recursos) del 'racionar' (asignación de recursos limitados a un número limitado de personas) y 'racionalizar' (optimización de los recursos disponibles). Estas distinciones son éticamente relevantes y muestran cómo solo la 'racionalización' respeta la justicia, la transparencia y la dignidad humana


A alocação de recursos em saúde tem uma dimensão ética irredutível, não podendo ser apenas tecnicamente decidida, mas devendo ser eticamente ponderada, o que experiências paradigmáticas de macro (Oregon Basic Health Services Act, 1989) e microalocação (God's Committee, 1962) evidenciaram. Exige-se justiça, na enunciação de critérios de priorização, e transparência, na sua aplicação. Em situações de escassez agravada de recursos é comum tomar 'alocar' e 'racionar' como sinónimos, ou afirmar que 'alocar' é sempre 'racionar'. Rejeitando estas posições, distingue-se 'alocar' (gestão de recursos) de 'racionar' (atribuição de recursos limitados a um número limitado de pessoas) e de 'racionalizar' (optimização dos recursos disponíveis). Estas distinções são eticamente pertinentes, evidenciando-se como só a 'racionalização' respeita a justiça, transparência e dignidade humana


L'assignació de recursos de salut te una dimensió ètica irreductible, que no es pot decidir només tècnicament, sinó que s'ha de sospesar èticament, el que han demostrat experiències paradigmàtiques de macro (Llei de Serveis Bàsics de Salut d'Oregon, 1989) I microassignació (Comitè de Déu, 1962). És requereix justícia, en l'enunciació dels criteris de priorització, I transparència, en la seva aplicació. En situacions de greu escassetat de recursos, és habitual interpretar 'assignar' I 'racionar' com a sinònims, o afirmar que 'assignar' sempre és 'racionar'. Quan es rebutja aquesta perspectiva, hi ha una distinció entre 'assignar' (gestió de recursos) envers 'racionar' (assignació de recursos limitats a un número limitat de persones) I 'racionalitzar' (optimització dels recursos disponibles). Aquestes distincions són èticament rellevants I mostren com únicament la 'racionalització' respecta la justícia, la transparència I la dignitat humana


Assuntos
Humanos , Alocação de Recursos/ética , Prioridades em Saúde/ética , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/ética , Infecções por Coronavirus , Pneumonia Viral , Pandemias
4.
Rev. bioét. derecho ; (50): 333-352, nov. 2020.
Artigo em Português | IBECS | ID: ibc-191361

RESUMO

Pretende-se mostrar como a pandemia de COVID-19 causada pelo novo coronavírus Sars-CoV-2, afeta a distribuição equitativa de recursos sanitários no Brasil, bem como evidenciar os dilemas e entraves éticos e psicológicos vivenciados pelos profissionais da saúde no contexto de combate à doença. O presente estudo objetivou revisar conhecimentos acerca de questões bioéticas referentes à escassez de recursos e saúde mental. Realizou-se, desse modo, uma análise de protocolos sobre alocação de recursos recém-publicados no Brasil


Se pretende mostrar cómo la pandemia de COVID-19 causada por el nuevo coronavirus Sars-CoV-2, afecta la distribución equitativa de los recursos de salud en Brasil, así como resaltar los dilemas y barreras éticas y psicológicas advertidas por los profesionales de la salud en el contexto de lucha contra la enfermedad. El presente estudio tuvo como objetivo revisar el conocimiento sobre cuestiones bioéticas relacionadas con la escasez de recursos y la salud mental. Así, se realizó un análisis de protocolos sobre la asignación de recursos recientemente publicados en Brasil


It is intended to show how the COVID-19 pandemic caused by the new Sars-CoV-2 coronavirus, affects the equitable distribution of health resources in Brazil, as well as to highlight the ethical and psychological dilemmas and barriers experienced by health professionals in the context of fighting disease. The present study aimed to go through knowledge about bioethical issues related to the scarcity of resources and mental health. Thus, an analysis of protocols on the allocation of newly published resources in Brazil was carried out


Es pretén mostrar com la pandèmia de COVID-19 causada pel nou coronavirus Sars-COV-2, afecta la distribució equitativa dels recursos de salut al Brasil, així com ressaltar els dilemes I les barreres ètiques I psicològiques reconegudes pels professionals de la salut en el context de lluita contra la malaltia. El present estudi va tenir com a objectiu revisar el coneixement sobre qüestions bioètiques relacionades amb l'escassetat de recursos I la salut mental. Així, es va realitzar una anàlisi de protocols sobre l'assignació de recursos recentment publicats al Brasil


Assuntos
Humanos , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pneumonia Viral/epidemiologia , Pandemias/ética , Saúde Mental , Bioética , Prioridades em Saúde , Gestão de Recursos , Alocação de Recursos/ética , Brasil/epidemiologia
6.
S Afr Med J ; 110(7): 625-628, 2020 06 17.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32880336

RESUMO

The COVID-19 pandemic has brought discussions around the appropriate and fair rationing of scare resources to the forefront. This is of special importance in a country such as South Africa (SA), where scarce resources interface with high levels of need. A large proportion of the SA population has risk factors associated with worse COVID-19 outcomes. Many people are also potentially medically and socially vulnerable secondary to the high levels of infection with HIV and tuberculosis (TB) in the country. This is the second of two articles. The first examined the clinical evidence regarding the inclusion of HIV and TB as comorbidities relevant to intensive care unit (ICU) admission triage criteria. Given the fact that patients with HIV or TB may potentially be excluded from admission to an ICU on the basis of an assumption of lack of clinical suitability for critical care, in this article we explore the ethicolegal implications of limiting ICU access of persons living with HIV or TB. We argue that all allocation and rationing decisions must be in terms of SA law, which prohibits unfair discrimination. In addition, ethical decision-making demands accurate and evidence-based strategies for the fair distribution of limited resources. Rationing decisions and processes should be fair and based on visible and consistent criteria that can be subjected to objective scrutiny, with the ultimate aim of ensuring accountability, equity and fairness.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Infecções por HIV/epidemiologia , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/métodos , Unidades de Terapia Intensiva , Pandemias , Seleção de Pacientes/ética , Pneumonia Viral , Alocação de Recursos , Triagem , Tuberculose/epidemiologia , Betacoronavirus/isolamento & purificação , Coinfecção , Infecções por Coronavirus/economia , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/terapia , Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde/organização & administração , Humanos , Unidades de Terapia Intensiva/economia , Unidades de Terapia Intensiva/normas , Pandemias/economia , Pneumonia Viral/economia , Pneumonia Viral/epidemiologia , Pneumonia Viral/terapia , Alocação de Recursos/ética , Alocação de Recursos/legislação & jurisprudência , África do Sul/epidemiologia , Triagem/economia , Triagem/ética , Triagem/legislação & jurisprudência
8.
Cuad Bioet ; 31(102): 167-182, 2020.
Artigo em Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-32910670

RESUMO

In this paper present, from a bioethical perspective, a reflection on how to reconcile efforts to combat the COVID-19 pandemic with the safeguard of human rights. To do this, I develop three points. First, the regulatory framework that justifies the restriction or suspension of rights in the face of serious threats to public health. Second, the declarations of the international bioethics committees on the way in which human rights should be protected during public health crisis. And third, a review of the main rights threatened both by the public health crisis and by the means adopted to combat it. Before going into each of these points, I offer a preliminary note to clarify certain legal concepts and underline the need to overcome disjunctive approaches in considering human rights.


Assuntos
Betacoronavirus , Controle de Doenças Transmissíveis/legislação & jurisprudência , Direitos Humanos/ética , Pandemias/prevenção & controle , Saúde Pública/ética , Controle de Doenças Transmissíveis/métodos , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Comissão de Ética , União Europeia , Liberdade , Recursos em Saúde/ética , Recursos em Saúde/provisão & distribução , Acesso aos Serviços de Saúde/ética , Direitos Humanos/legislação & jurisprudência , Humanos , Pandemias/ética , Pandemias/legislação & jurisprudência , Direitos do Paciente/ética , Direitos do Paciente/legislação & jurisprudência , Autonomia Pessoal , Pneumonia Viral/epidemiologia , Pneumonia Viral/prevenção & controle , Guias de Prática Clínica como Assunto , Saúde Pública/legislação & jurisprudência , Quarentena/ética , Quarentena/legislação & jurisprudência , Sujeitos da Pesquisa , Alocação de Recursos/ética , Espanha , UNESCO
9.
Cuad Bioet ; 31(102): 151-165, 2020.
Artigo em Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-32910669

RESUMO

The public health crisis caused by COVID-19 disease has bring again to the public arena the old debate of the role in decision-making process of politics and science. In this paper we analyze, in the context of the current pandemics, how politics has left a stellar role for science, either because science has anticipated in its proposals to politics, or because politics has opted for it as a premeditated strategy. The references to the opinion of scientists as a decision-making criterion or, furthermore, their presence as true spokesmen for authority have been so frequent. This means rediscovering science and health as instruments of power, in terms that remind us of what Foucault denounced almost fifty years ago with his Biopolitics.


Assuntos
Betacoronavirus , Infecções por Coronavirus , Pandemias , Pneumonia Viral , Política , Ciência , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Tomada de Decisões , Democracia , Teoria Ética , Política de Saúde , Prioridades em Saúde , Recursos em Saúde/provisão & distribução , Humanos , Pandemias/ética , Pandemias/legislação & jurisprudência , Pandemias/prevenção & controle , Pneumonia Viral/prevenção & controle , Poder Psicológico , Saúde Pública , Anos de Vida Ajustados por Qualidade de Vida , Alocação de Recursos/ética , Papel (figurativo) , Valores Sociais , Sociedades Científicas , Espanha , Vacinas Virais
10.
Cuad Bioet ; 31(102): 231-243, 2020.
Artigo em Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-32910674

RESUMO

The crisis in the health system caused by COVID-19 has left some important humanitarian deficits on how to care for the sick in their last days of life. The humanization of the dying process has been affected in three fundamental aspects, each of which constitutes a medical and ethical duty necessary. In this study, I analyze why dying accompanied, with the possibility of saying goodbye and receiving spiritual assistance, constitutes a specific triad of care and natural obligations that should not be overlooked - even in times of health crisis - if we do not want to see human dignity violated and violated some fundamental rights derived from it.


Assuntos
Betacoronavirus , Casas de Saúde/ética , Pandemias/ética , Idoso , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Comissão de Ética , Política de Saúde , Recursos em Saúde/ética , Recursos em Saúde/provisão & distribução , Humanos , Disseminação de Informação , Pandemias/prevenção & controle , Pessoalidade , Pneumonia Viral/prevenção & controle , Guias de Prática Clínica como Assunto , Alocação de Recursos/ética , Justiça Social , UNESCO , Populações Vulneráveis
12.
Cuad Bioet ; 31(102): 183-202, 2020.
Artigo em Espanhol | MEDLINE | ID: mdl-32910671

RESUMO

The article deals with the analysis of the criteria for the allocation of scarce health resources during the pandemic produced by the COVID 19 virus in Spain. It critically analyses the absence of a legal-constitutional perspective in the elaboration of such criteria and suggests the incorporation of the criterion of equity as a guarantee of the effective exercise of the constitutional right to health protection by vulnerable persons.


Assuntos
Betacoronavirus , Recursos em Saúde/ética , Pandemias/ética , Alocação de Recursos/ética , Constituição e Estatutos , Infecções por Coronavirus/prevenção & controle , Teoria Ética , Órgãos Governamentais , Prioridades em Saúde , Recursos em Saúde/legislação & jurisprudência , Recursos em Saúde/provisão & distribução , Acesso aos Serviços de Saúde/ética , Acesso aos Serviços de Saúde/legislação & jurisprudência , Direitos Humanos/legislação & jurisprudência , Humanos , Grupos Minoritários , Pandemias/legislação & jurisprudência , Pandemias/prevenção & controle , Pneumonia Viral/prevenção & controle , Publicações , Alocação de Recursos/legislação & jurisprudência , Papel (figurativo) , Justiça Social , Sociedades Médicas , Espanha/epidemiologia , Triagem/ética , Populações Vulneráveis
15.
Pediatrics ; 146(Suppl 1): S42-S47, 2020 08.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32737231

RESUMO

The case of Jamie Fiske and subsequent public appeals for particular children by President Ronald Reagan represent classic cases in pediatric bioethics in which parents or others publicly appealed for a donor organ for a particular child. These raise questions about the appropriate boundaries for public appeals for a limited resource for a particular child and how the press and medical community should respond to such appeals. Public appeals by parents to advocate for their child to receive a limited resource above others promote rationing by morally irrelevant factors and shift the public focus from the national shortage of organs for transplant to the needs of a particular child. Yet these appeals are understandable and will likely continue. Recognizing this, we consider appropriate responses by the media, transplant community, hospitals, and individual clinicians.


Assuntos
Temas Bioéticos , Doação Dirigida de Tecido/ética , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/ética , Defesa do Paciente/ética , Alocação de Recursos/ética , Doação Dirigida de Tecido/tendências , Seleção do Doador/ética , História do Século XX , Hospitais , Humanos , Lactente , Meios de Comunicação de Massa/ética , Pais/psicologia , Defesa do Paciente/tendências , Papel do Médico , Política , Opinião Pública , Alocação de Recursos/métodos , Alocação de Recursos/provisão & distribução , Obtenção de Tecidos e Órgãos/métodos
16.
Pediatrics ; 146(Suppl 1): S48-S53, 2020 08.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32737232

RESUMO

In this article, I review the ethical issues that arise in the allocation of deceased-donor organs to children and young adults. By analyzing the public media cases of Sarah Murnaghan, Amelia Rivera, and Riley Hancey, I assess whether public appeals to challenge inclusion and exclusion criteria for organ transplantation are ethical and under which circumstances. The issues of pediatric allocation with limited evidence and candidacy affected by factors such as intellectual disability and marijuana use are specifically discussed. Finally, I suggest that ethical public advocacy can coexist with well-evidenced transplant allocation if and when certain conditions (morally defensible criteria, expert evidence, nonprioritization of the poster child, and greater advocacy for organ transplantation in general) are met.


Assuntos
Doação Dirigida de Tecido/ética , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/ética , Defesa do Paciente/ética , Alocação de Recursos/ética , Fatores Etários , Criança , Pré-Escolar , Fibrose Cística/cirurgia , Doação Dirigida de Tecido/legislação & jurisprudência , Feminino , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/legislação & jurisprudência , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/organização & administração , História do Século XXI , Humanos , Deficiência Intelectual , Transplante de Rim , Transplante de Pulmão/ética , Transplante de Pulmão/legislação & jurisprudência , Masculino , Redes Sociais Online , Pais , Defesa do Paciente/legislação & jurisprudência , Pneumonia/cirurgia , Preconceito , Opinião Pública , Alocação de Recursos/legislação & jurisprudência , Alocação de Recursos/organização & administração , Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias , Obtenção de Tecidos e Órgãos/ética , Obtenção de Tecidos e Órgãos/organização & administração , Listas de Espera , Síndrome de Wolf-Hirschhorn/cirurgia , Adulto Jovem
20.
S Afr Med J ; 110(5): 355-359, 2020 04 16.
Artigo em Inglês | MEDLINE | ID: mdl-32657716

RESUMO

Since the World Health Organization declared coronavirus disease 2019 (COVID-19) a Public Health Emergency of International Concern, COVID-19 infection and the associated mortality have increased exponentially, globally. South Africa (SA) is no exception. Concerns abound over whether SA's healthcare system can withstand a demand for care that is disproportionate to current resources, both in the state and private health sectors. While healthcare professionals in SA have become resilient and adept at making difficult decisions in the face of resource limitations, a surge in COVID-19 cases could place a severe strain on the country's critical care services and necessitate unprecedented rationing decisions. This could occur at two critical points: access to ventilation, and withdrawal of intensive care in non- responsive or deteriorating cases. The ethical dimensions of decision-making at both junctures merit urgent consideration.


Assuntos
Infecções por Coronavirus , Cuidados Críticos , Serviço Hospitalar de Emergência/organização & administração , Alocação de Recursos para a Atenção à Saúde/tendências , Pandemias , Pneumonia Viral , Alocação de Recursos , Triagem , Betacoronavirus/isolamento & purificação , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/terapia , Cuidados Críticos/ética , Cuidados Críticos/métodos , Cuidados Críticos/organização & administração , Emergências/epidemiologia , Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde/tendências , Humanos , Pneumonia Viral/epidemiologia , Pneumonia Viral/terapia , Alocação de Recursos/ética , Alocação de Recursos/organização & administração , África do Sul/epidemiologia , Triagem/ética , Triagem/organização & administração , Ventiladores Mecânicos/provisão & distribução
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA