Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 61
Filtrar
1.
Cienc. tecnol. salud ; 7(1): 87-94, 2020. ^c27 cmilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1120918

RESUMO

Guatemala es considerado uno de los países megadiversos a nivel mundial. En conjunto, estos países albergan más del 70 % de biodiversidad del planeta, en tan sólo alrededor del 10 % de su territorio. Debido a la diversidad de recursos naturales, no resulta extraño que la economía del país dependa principalmente de estos. El ser una potencia mundial en biodiversidad podría representar múltiples ventajas y oportunidades, pero en realidad la degradación de los recursos naturales es histórica y persiste. Los monocultivos y la industria extractiva son ejemplos de actividades económicas que se han expandido en la región, contribuyendo al deterioro de los recursos naturales. Existe una paradoja, «la maldición de los recursos naturales¼, la cual se refiere a la situación en que países con muchos recursos naturales, suelen tener bajas tasas de crecimiento económico y una explicación es la debilidad institucional. El que existan deficiencias institucionales se relaciona con falta en cumplimiento de ley, una ineficiente regulación y manejo de recursos naturales y su consiguiente degradación. Si a esto agregamos que Guatemala invierte apenas el 0.029% del PIB en actividades de investigación, hallamos otra explicación a estas deficiencias, ya que las instituciones no tienen datos para tomar decisiones fundamentadas. Así se vincula el deterioro ambiental con las deficiencias institucionales, lo cual también se relaciona con poca investigación y reducido crecimiento económico. Aunque estos vínculos rara vez se resaltan, es necesario hacerlo para comprender y promover cambios dentro de un sistema explotador de recursos, que afecta la calidad de vida de los guatemaltecos.


Guatemala is considered one of the megadiverse countries worldwide. Together, these countries contain more than the 70 % of the planet's biodiversity, in only about 10 % of its territory. Due to the diversity of its natural resources, it is not surprising that the country's economy depends mainly on these. This great biodiversity could represent multiple advantages and opportunities, but the reality is that the degradation of natural resources is historical and persistent. Monocultures and extractive industry are examples of activities that have expanded in the region, contributing to the deterioration of natural resources. There is a paradox, "the curse of natural resources", which refers to the situation in which countries with many natural resources tend to have low rates of economic growth and an explanation for this is institutional weakness. The existence of institutional deficiencies is related to lack of compliance with the law, inefficient regulation and management of natural resources and their consequent degradation. If we add to this that Guatemala invests only 0.029 % of GDP in research activities, we find another explanation for these deficiencies, since the institutions do not have data to make informed decisions. This links environmental deterioration with institutional deficiencies, which is also related to little research and reduced economic growth. Although these links are rarely highlighted, it is necessary to do so in order to understand and promote changes within an exploitative resource system that affects the life quality of all Guatemalans.


Assuntos
Cultivos Agrícolas , Biodiversidade , Meio Ambiente , Recursos Naturais , Gestão dos Recursos Naturais , Produto Interno Bruto
2.
Cienc. tecnol. salud ; 6(2): 171-188, jul dic 2019. ^c27 cmilus
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1095880

RESUMO

El tema del acceso a los recursos genéticos y la participación justa y equitativa en los beneficios derivados de la utilización de la diversidad biológica (APB), cuyo instrumento es el Protocolo de Nagoya en el marco de la Convenio de Naciones sobre Diversidad Biológica es un tema complejo pero de alto interés para Guatemala dada su condición de País Megadiverso. Sin embargo, no se concentra solo en este protocolo, ya que día a día hacemos uso de la diversidad biológica y en ese sentido es necesario desarrollar legislación pertinente acorde a esas necesidades, que consideren a los recursos genéticos como estratégicos, vinculado a los conocimientos tradicionales y el derecho de los pueblos indígenas y comunidades locales. Así mismo hay otros convenios y compromisos de país como los establecidos con la Organización Mundial del Comercio, relacionados principalmente con la Unión Internacional para la Protección de Variedades Mejoradas y la Organización de la Naciones Unidas para la Alimentación y Agricultura, referente al Tratado Internacional de Recursos Fitogenéticos para la Alimentación y la Agricultura, que deben estar vinculados al APB. Entonces dada la complejidad del tema es necesario contar con documentos, como el que se presenta en esta revisión que procura de manera sencilla sintetizar sobre ellos, para que sirva de información para algunos y de punto de discusión para otros. No se pretende un tratado profundo del APB, ya que el espacio sería insuficiente, sino más bien mostrar su estado actual, ahora que el país tiene en suspenso el Decreto de ratificación del Protocolo de Nagoya. Pero comprendiendo que a partir de los compromisos de estado con el Convenio sobre la Diversidad Biológica, donde se ha generado una serie de resultados que proporcionan criterios de cómo se maneja actualmente los recursos genéticos, se puede avanzar para llevar a la práctica el concepto de APB, su comprensión, significado a nivel nacional y local y la educación sobre el tema. Es importante pues dar la relevancia necesaria a los recursos genéticos en su acceso y participación justa y equitativa de los beneficios que derivan de su utilización, de tal manera de propiciar la discusión del tema y desarrollo del marco jurídico y políticas públicas necesarias.


The issue of access to genetic resources and the fair and equitable sharing of the benefits derived from the use of biological diversity (ABS), whose instrument is the Nagoya Protocol under the Convention of Nations on Biological Diversity is a complex issue but of high interest to Guatemala given its status as a Megadiverse Country. However, it does not focus only on this protocol, since we make use of biological diversity every day and in that sense it is necessary to develop relevant legislation according to those needs, which consider genetic resour¬ces as strategic, linked to traditional knowledge and the right of indigenous peoples and local communities. There are also other country agreements and commitments such as those established with the World Trade Organization, mainly related to The International Union for the Protection of New Varieties of Plants and Food and Agriculture Organization of the United Nations concerning International Treaty on Plant Genetic Resources for Food and Agriculture which must be linked to the ABS. Then, given the complexity of the topic, it is necessary to have documents, such as the one presented in this review that attempts to synthesize them in a simple way, so that it serves as information for some and as a point of discussion for others. A deep treaty of the ABS is not intended, since the space would be insufficient, but rather to show its current status, now that the country has suspended the Decree Law of ratification of the Nagoya Protocol. But understanding that from the state commitments to the Convention on Biological Diversity, where a series of results have been generated that provide criteria for how genetic resources are currently managed, progress can be made to implement the concept of ABS, its understanding, meaning at national and local level and education on the subject. It is therefore important to give the necessary relevance to genetic resources in their access and fair and equitable sharing of the benefits that derive from their use, in such a way as to promote the discussion of the topic and development of the necessary legal framework and public policies.


Assuntos
Conservação dos Recursos Naturais/tendências , Biodiversidade , Política Pública , Propriedade Intelectual , Gestão dos Recursos Naturais/políticas
5.
Rev. Subj. (Impr.) ; 15(3): 447-456, 30/12/2015.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-2676

RESUMO

Diante do agravamento da crise socioambiental, compreendida por nós em um contexto mais amplo como crise da civilização moderna ocidental, a educação ambiental (EA) ganha notoriedade ao promover e subsidiar a reflexão sobre a incerteza do futuro perante o debate sobre a finitude dos recursos naturais e o fenômeno do "hiperindividualismo" na contemporaneidade. Sob esse contexto (e pretexto), este ensaio teórico apresenta como principal objetivo estabelecer relações entre a questão ambiental, a educação ambiental e a insegurança de como será o tempo futuro. Para tanto, traçamos considerações a respeito do tempo (passado, presente e futuro), dos riscos e do sentimento de medo, questões frequentes no cenário do debate Modernidade/Pós-Modernidade. Acreditamos que a abordagem qualitativa é a que melhor expressa nosso interesse investigativo e para isso, empreendemos uma revisão bibliográfica, seguida de uma análise crítica. A partir das leituras empreendidas podemos inferir que a educação ambiental, nesse contexto, pode ser orientada para incitar as mudanças desejadas e necessárias a fim de reverter o quadro da crise socioambiental, ao difundir por meio dos processos educativos suas causas e consequências, despertando nos indivíduos a urgência de se repensar a organização e a produção social. Porém, não devemos e nem podemos atribuir a ela toda a responsabilidade pelas mudanças desejadas.


Given the worsening environmental crisis, understood by us in a broader context as the modern Western civilization crisis, Environmental Education (EE) gains notoriety to promote and support the reflection on the uncertainty of the future before the debate on the finiteness of natural resources and the "hyperindividualism" phenomenon in contemporaneity. In this context (and excuse), this theoretical essay aims to establish relations between the environmental issue, the environmental education and the uncertainty of how the future will be. Therefore, we draw some considerations about the time (past, present and future), the risks and the feeling of fear, frequent questions asked in the scenario of Modernity / Post-Modernity debate. We believe the qualitative approach is the one that best expresses our investigative interest and for this, we undertook a literature review, followed by a critical analysis. From undertaken readings we can infer that environmental education, in this context, can be guided to incite the desired and needed changes in order to reverse the situation of environmental crisis, spread through the educational processes its causes and consequences, awakening in people the urgency to rethink the organization and social production. However, we must not and cannot assign to it all liability for the desired changes.


Ante el agravo de la crisis socio ambiental, comprendido por nosotros como la crisis de la civilización moderna occidental, la educación ambiental (EA) gana notoriedad al promover y subsidiar la reflexión acerca de la incertidumbre del futuro ante el debate acerca de la finitud de los recursos naturales y los fenómenos del "hiperindividualismo" en la contemporaneidad. Bajo este contexto (y pretexto), este ensayo teórico presenta como principal objetivo establecer relaciones entre la cuestión ambiental, la educación ambiental y la incertidumbre de cómo será el tiempo futuro. Para eso, diseñamos consideraciones a respecto del tiempo (pasado, presente y futuro), de los riesgos y del sentimiento de miedo, cuestiones frecuentes en el escenario del debate Modernidad/Post- Modernidad. Creemos que el abordaje cualitativo es el que mejor expresa nuestro interés investigativo y para eso, adoptamos una revisión bibliográfica, seguida un análisis crítico. Partiendo de las lecturas adoptadas podemos inferir que la educación ambiental, en este contexto, puede ser orientada para estimular los cambios deseados y necesarios para revertir el cuadro de la crisis socio ambiental, al difundir por medio de los procesos educativos sus causas y consecuencias, despertando en los individuos la urgencia de repensar la organización y la producción social. Pero, no podemos conceder a ella toda la responsabilidad por los cambios deseados.


Devant l'aggravation de la crise socio-environnementale, comprise par nous dans un contexte plus large comme la crise de la civilization modèrne occidentale, l'éducation envionnementale (EE) gagne de la notoriété par promouvoir et subventionner la refléxion sur l'incertitude du futur devant le débat sur la finitude des resources naturelles et la phénomène de « l'hiperindividualisme ¼ dans la contemporanéité. Sous ce contexte (et prétexte), cet essay théorique présente le but d'établir des relations entre la question environnementale, l'éducation environnementale et l'insécurité de ne pas savoir comment sera le futur. Pour cela, on a tracé des remarques à propos du temps (passé, présent et futur), des risques et du sentiment de peur, des questionnements fréquents dans le contexte du débat Modernité/Post-Modernité. On croit que la meilleur façon d'aborder ce sujet est la qualitative, car elle exprime notre intérêt de l'investiguer et pour cela on a pris une révison bibliographique suivie d'une analyse critique. À partir des lectures prises on a pu inférer que l'éducation environnementale peut être orientée à pousser les changements désirés nécessaires à fin d'inverser le cadre de la crise socio-environnementale en diffusant, à l'aide des processus éducatifs, ses causes et conséquences, ce qui pousse les individus à l'urgence de repenser l'organization et la production sociaux. Cependant, on ne doit pas attribuer à elle toute responsabilité des changements désirés.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Capitalismo , Educação em Saúde Ambiental , Desempenho Ambiental/efeitos adversos , Exploração de Recursos Naturais , Gestão dos Recursos Naturais
6.
Estud. av ; 29(84): 163-177, maio-ago. 2015. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-776789

RESUMO

Para construir o desenho do Estatuto Jurídico das Águas no Brasil, foram pesquisadas e analisadas as normas jurídicas internacionais e nacionais que tratam direta ou indiretamente das águas, com enfoque na identificação, nessas normas, dos seguintes elementos: i) grau de reconhecimento jurídico formal da água como um direito humano fundamental no Brasil e no direito internacional; ii) regime constitucional das águas no Brasil; iii) natureza jurídica das águas no direito interno e; iv) garantias jurídicas para a proteção do direito à água. A pesquisa, qualitativa, foi realizada nas páginas oficiais do governo brasileiro e da Organização das Nações Unidas, e as normas selecionadas e analisadas foram aquelas vigentes e que apresentam conteúdo relevante para a construção teórica do Estado Jurídico das Águas.


To build the design of the Legal Status of Water in Brazil, international and national legal standards that address directly or indirectly the waters were researched and analyzed, focusing on the identification of the following elements: i) degree of formal and legal recognition of water as a fundamental human right in Brazil and in international law; ii) constitutional regime of the waters in Brazil; iii) legal status of the waters in domestic law and; iv) legal guarantees to protect the right to water. The research, qualitative, was held in the official pages of the Brazilian government and the United Nations, and the selected laws were those presenting content relevant to the theoretical construction of the Legal Status of Water in Brazil.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Normas Jurídicas , Planejamento Ambiental , Equidade no Acesso à Água , Gestão dos Recursos Naturais , Recursos Hídricos/legislação & jurisprudência , Recursos Hídricos/normas , Desenvolvimento Sustentável , Água , Direito das Águas , Constituição e Estatutos , Conservação dos Recursos Naturais , Pesquisa Qualitativa , Saneamento , Controle Social Formal
8.
São Paulo; EMS. NCTVC; 07 jun. 2013. Vídeo (31:45 min.).(Você em Foco).
Monografia em Português | Sec. Munic. Saúde SP, CGP-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, EMS-Producao, Sec. Munic. Saúde SP, Sec. Munic. Saúde SP | ID: sms-6759

RESUMO

Nesta edição do programa Você em Foco de 07 de junho de 2013 contou com a participação da coordenadora municipal do programa ABP/SP da SVMA, Thaís Horta, para falar da temática Agenda Ambiental na Administração Pública em São Paulo. O A3P tem como objetivo estimular os gestores públicos a incorporar princípios e critérios de gestão socioambiental em suas atividades rotineiras. A proposta é levar a economia de recursos naturais e a redução de gastos institucionais por meio do uso racional dos bens públicos, da gestão adequada dos resíduos, da licitação sustentável, da promoção da sensibilização, capacitação e qualidade de vida no ambiente de trabalho. "A missão do A3P é promover a implantação por meio da mudança de hábitos na administração pública, objetivando a preservação do meio ambiente" destaca Thaís. A A3P trabalha com cinco eixos: água, valorização do servidor, compras sustentáveis, energia e resíduos. A A3P já fez diversos seminários pela cidade de São Paulo entre eles, na Câmera Municipal de São Paulo, no SESC Vila Mariana, na Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas e no Auditório da UMAPAZ.


Assuntos
Humanos , Legislação Ambiental , Educação em Saúde Ambiental , Políticas, Planejamento e Administração em Saúde , Gestão dos Recursos Naturais
9.
Acta amaz ; 41(4): 481-492, 2011. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-601758

RESUMO

O artigo trata de um estudo empírico em que a análise de redes sociais é utilizada para mapear o capital social de atores envolvidos em processos de governança ambiental na Amazônia brasileira. Por meio de entrevistas, foi mapeada a rede de relações de diálogo sobre questões socioambientais de um conjunto de 505 atores no Território Portal da Amazônia. Foram identificadas 3384 relações de diálogo, com uma média de 6,7 parceiros de diálogo por ator. A análise dos aspectos estruturais da rede de diálogo foi utilizada para construir indicadores de capital social de ligação, com mapeamento da organização interna dos atores de um mesmo município, e de conexão, com a caracterização das relações entre atores de municípios diferentes. Em nível municipal, a distribuição das duas formas de capital social permitiu caracterizar os grupos de atores de acordo com as suas atuações diferenciadas na governança ambiental do Território. Em nível territorial, o padrão de conectividade entre os 16 municípios mostra um equilíbrio entre as duas formas de capital social e revela o potencial de comunicação e organização dos atores, como demonstrado no exemplo dos projetos de Agendas 21 locais. Estes resultados demonstram como a análise de redes sociais pode contribuir na definição (ou redefinição) das fronteiras dos territórios de modo a incluir um conjunto de municípios cujos atores mantêm relações sociais efetivas. Ações de governança no Portal da Amazônia são propostas com potencial para fortalecer os processos de diálogo, diminuir os conflitos e promover o uso sustentável dos recursos naturais na Amazônia.


The article presents an empirical study where social network analysis is used to map social capital among actors involved in environmental governance processes in the Brazilian Amazon. Using interviews, we carried out the mapping of the dialogue network regarding socio-environmental issues among 505 actors from the Amazonian Gateway Territory. The analysis identified 3384 dialogue relationships. Each actor has an average of 6,7 dialogue partners. The analysis of the structural characteristics of the dialogue network was used to build indicators of social capital of the bonding type, based on the mapping of the organization among actors from the same municipalities, and bridging type, based on the identification of relationships among actors from different municipalities. At the municipal level, the distribution of the two types of social capital allowed the characterization of groups of actors according to their differing participation in the environmental governance of the Territory. At the territorial level, the connectivity pattern among the 16 municipalities exhibits a balance between the two types of social capital and reveals the potential of communication and organization among actors, as demonstrated through the example of the local Agenda 21 projects. These results demonstrate how social network analysis can contribute to the definition (or re-definition) of the territories frontiers in order to include a set of municipalities whose cohesion is based on effective social relationships. We also propose governance actions for the Amazonian Gateway aiming at strengthening dialogue processes, reducing conflicts and promoting the sustainable use of natural resources in the Amazon.


Assuntos
Gestão dos Recursos Naturais , Rede Social , Capital Social , Governança
10.
Rev. bras. plantas med ; 13(1): 24-29, 2011. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-582758

RESUMO

Este trabalho objetivou avaliar a divergência genética entre nove acessos de mentrasto (Ageratum conyzoides) por métodos multivariados utilizando caracteres morfológicos, em quatro épocas de colheita. Os nove acessos de mentrasto foram obtidos de plantas que ocorrem naturalmente nas cinco regiões climáticas do Estado do Tocantins. Em cada época de colheita foram avaliadas as características como biomassa fresca da parte aérea, biomassa seca, área foliar, número de folhas, floração e altura. Pela análise de agrupamento (método de Tocher) foram formados dois grupos na primeira e quarta épocas de colheita, três grupos na segunda época e quatro grupos na terceira época de colheita. Observou-se variação na constituição dos grupos pelos acessos nas épocas de colheita. A divergência genética entre acessos de mentrasto, avaliada por caracteres morfológicos, foi influenciada pelo estádio de desenvolvimento da espécie. A existência de variabilidade entre os acessos coletados em diferentes localidades fornece subsídio para a coleta sistematizada de germoplasma em A. conyzoides no Estado do Tocantins.


This study aimed to analyze the genetic divergence among nine mentrasto (Ageratum conyzoides) accessions by multivariate methods using morphologic traits for four harvesting periods. The nine accessions of mentrasto were obtained from plants that occur naturally in five climatic regions of the state of Tocantins. At each harvesting period, the following traits were evaluated: fresh biomass of the aerial part, dry biomass, leaf area, number of leaves, flowering and height. The grouping analysis (Tocher's method) identified two groups, in the first and fourth harvest periods, three groups in the second harvest period and four groups in the third harvest period. Variation was observed for the group constitutions among the different harvesting periods. The genetic divergence among mentrasto accessions, evaluated by morphologic traits, was influenced by developmental stage of specie. The existence of genetic variability among accessions from different regions supports the systematic collection of A. conyzoides germplasm in the state of Tocantins.


Assuntos
Ageratum/anatomia & histologia , Ageratum/crescimento & desenvolvimento , Ageratum/fisiologia , Ageratum/genética , Brasil , Análise Multivariada , Gestão dos Recursos Naturais
11.
São Paulo; s.n; 2011. 210 p.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-643266

RESUMO

A Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Alto Tietê - UGRHI 6, no Estado de São Paulo, é composta por 34 municípios e abrange a parte superior do Rio Tietê, desde a sua cabeceira até a barragem do Reservatório de Pirapora, numa extensão de 133 km. Abriga quase metade da população do Estado e compreende, em seu território, grande parte da Região Metropolitana da Grande São Paulo. As águas subterrâneas na UGRHI do Alto Tietê têm problemas de rebaixamento dos níveis de água por adensamento de poços em conjunto com fontes potenciais de poluição o que pode causar contaminação dos aquíferos. Por meio de pesquisa na modalidade documental na Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, para levantamento de dados sobre as áreas contaminadas de 2002 a 2010 e no Departamento de Águas e Energia sobre os poços outorgados cadastrados no ano de 2011, procedeu-se o mapeamento das áreas contaminadas e dos poços outorgados na UGRHI do Alto Tietê. Conclui-se que na UGRHI do Alto Tietê existe a possibilidade de riscos para a saúde pública na utilização das águas subterrâneas, principalmente no Município de São Paulo que possui o maior número de áreas contaminadas que podem influir na qualidade das águas subterrâneas obtidas por meio de perfuração de poços de abastecimentos.


Assuntos
Água Subterrânea , Poluição de Águas Subterrâneas , Monitoramento Ambiental/legislação & jurisprudência , Poços de Água/estatística & dados numéricos , Poluição Ambiental , Gestão dos Recursos Naturais , Sistemas de Informação Geográfica/instrumentação , Consumo de Água (Saúde Ambiental) , Recursos Hídricos , Perfuração de Poços
13.
Perspectiva (Cajamarca) ; 9(11): 166-173, nov. 2008.
Artigo em Espanhol | LIPECS | ID: biblio-1109874

RESUMO

La gestión en Cuencas es una propuesta trabajada históricamente por los antiguos pobladores de América Latina, quienes vieron en la Cuenca una unidad natural, desde la cual podría planificarse el desarrollo sustentable de nuestros pueblos. Los problemas asociados con la gestión de recursos naturales son diversos, sin embargo es posible abordarlos desde una perspectiva integral en la cual se parta de criterios naturales, técnicos y sociales para una intervención armónica que permita asegurar a las siguientes generaciones, los recursos mínimos para sumir el futuro con la certeza de que se podrá contar con éstos en cantidad y calidad adecuada. En este artículo, se retoma la idea de promover el desarrollo sostenible a partir de la gestión en cuencas, para lo cual analizamos críticamente las diferentes propuestas en torno a la temática y presentamos una serie de sugerencias para abordar con éxito la gestión de cuencas y su casi natural vinculación con el desarrollo sustentable en los países de América Latina.


The watershed management is a proposal historically developed by ancient populations of Latin America who perceived in the watershed a natural unity, from where the sustainable development of our people could be planned. Problems associated to the natural resources management are diverse. However, it is possible to approach them from an integral perspective, starting from natural, technical and social criteria leading to a harmonic intervention that allow future generations at least the minimum resources in an adequate quality and quantity to confront the future with certainty. In this article we go back to the idea of promoting the sustainable development starting with the watershed management. In doing this we have critically analysed different proposals around this issue, presenting a series of recommendations to successfully approach the watershed management and its almost natural relationship with sustainable development in America countries.


Assuntos
América Latina , Autoridades de Bacias Hidrográficas , Conservação dos Recursos Hídricos , Desenvolvimento Sustentável , Gestão dos Recursos Naturais
16.
Estud. av ; 22(63): 17-42, 2008. ilus, graf, mapas, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-489996

RESUMO

Resultado de um dispositivo constitucional, o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Singreh), regulamentado pela Lei n.9.433 de 1997, considera a natureza federativa do país. Além disso, a legislação traz novos paradigmas de descentralização, utilização de instrumentos econômicos para a gestão e participação pública no processo de tomada de decisão. O presente artigo, portanto, além de tratar das disponibilidades e demandas de recursos hídricos nas 12 regiões hidrográficas e abordar o desenho institucional e o funcionamento do Singreh em termos dos arranjos legais e institucionais, apresenta, em linhas gerais, os desafios da gestão das águas por bacia hidrográfica no contexto federativo, e trata do processo de implementação dos instrumentos técnicos e institucionais de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, primeira bacia brasileira a implantar a cobrança pelo uso da água e a operacionalizar uma Agência de Água.


Assuntos
Bacias Hidrográficas , Gestão dos Recursos Naturais , Recursos Hídricos , Brasil
17.
Estud. av ; 22(63): 43-60, 2008. ilus, mapas, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-489997

RESUMO

O presente trabalho pretende apresentar o conceito de bacia hidrográfica, apresentar também o modo como o país encontra-se organizado para essa forma de gestão e discutir os principais pontos da gestão de recursos hídricos que estão associados a esse recorte geográfico. Abordam-se pontos difíceis da gestão integrada e a necessidade de aperfeiçoamento do sistema de decisão.


Assuntos
Bacias Hidrográficas , Gestão dos Recursos Naturais , Recursos Hídricos , Brasil
18.
Recurso na Internet em Português | LIS - Localizador de Informação em Saúde | ID: lis-19988

RESUMO

A Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH), do Governo do Estado do Ceará tem por finalidade garantir a oferta de água à população, o desenvolvimento agrícola e industrial da região. Apresenta planos e projetos, linhas de ação, legislação entre outros. Disponibiliza acesso ao Atlas Eletrônico de Recursos Hídricos e Meteorológicos do Ceará, base documental e glossário.


Assuntos
Saúde Pública , Saneamento , Saúde Ambiental , Meio Ambiente e Saúde Pública , Abastecimento de Água , Recursos Hídricos , Gestão dos Recursos Naturais
19.
São Paulo; s.n; 2007. 164 p.
Tese em Português | MOSAICO - Saúde integrativa | ID: biblio-878527

RESUMO

HOERNER, WAGNER SILOTO. América Latina e os recursos biológicos amazônicos. Pesquisas e patentes sobre plantas medicinais da Amazônia. 2007. 163 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Integração da América Latina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. A importância das plantas para a saúde dos seres humanos é reconhecida há séculos, sendo que o relato mais antigo de sua utilização que chegou aos dias atuais, a obra Pen Ts´sao de Shen Nung, data de 2.800 a.C. Mesmo com a o avanço tecnológico durante o século XX e com o desenvolvimento de novas formas de tratamentos e de novas medicações, em 1985, mais de três bilhões de pessoas no mundo usavam plantas como alguma forma de medicação. Com o surgimento de novas técnicas de investigação e de utilização de recursos biológicos, as plantas, a partir da década de 80, voltaram ser objeto de estudos por parte da indústria, principalmente farmacêutica, na procura de novas substâncias com aplicações industriais. Contudo, os países que possuem essa tecnologia geralmente não são os mesmos que possuem as fontes de recursos biológicos. Isso gera uma série de conflitos éticos e comerciais relacionados à sua utilização. O presente trabalho procura, através do levantamento de patentes relacionadas às plantas da Região Amazônica, a partir do ano de 1980, quantificar em parte essa problemática, através da investigação dos pesquisadores e detentores dessas patentes, assim como da avaliação de quais tipos de substâncias estão sendo desenvolvidas. A partir desses dados e tendo como base a literatura sobre o tema, é feita uma discussão sobre a questão das patentes, da pesquisa e utilização dos recursos biológicos e do conhecimento tradicional associado a eles, além das questões de sua conservação.(AU)


HOERNER, WAGNER SILOTO. América Latina y los recursos biológicos amazónicos. Investigaciones y patentes acerca de las plantas medicinales de la Amazonía. 2007. 163 f. Disertación. Programa de Integração da América Latina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. La importancia de las plantas para la salud de los seres humanos es reconocida hace siglos, siendo que el relato más antiguo de su utilización conocido en nuestros días, es a través de la obra de Pen Ts´sao de Shen Nung, del año 2.800 ac. Incluso con el avance tecnológico ocurrido a lo largo del siglo XX y con el desarrollo de nuevas formas de tratamiento y de nuevas medicinas, en 1985 más de tres mil millones de personas en el mundo usaban plantas como alguna forma de medicación. Con la aparición de nuevas técnicas de investigación y de la utilización de recursos biológicos, las plantas a partir de la década de 80, volvieron a ser objeto de estudios por parte de la industria, principalmente farmacéutica, en la búsqueda de nuevas sustancias con aplicaciones industriales. Sin embargo, los países que poseen esa tecnología generalmente no son los mismos que tienen las fuentes de los recursos biológicos y eso genera un sinfín de conflictos éticos y comerciales relacionados a su utilización. El presente trabajo busca, a través del levantamiento de patentes relacionadas a las plantas de la Región Amazónica, a partir del ano 1980, cuantificar en parte esa problemática, por medio de estudios de investigadores y detentadores de esas patentes, bien como de la evaluación acerca de qué tipos de sustancias están siendo desarrolladas. A partir de esos datos y, teniendo como base la literatura acerca del tema, se hace una discusión sobre la cuestión de las patentes, de la investigación y utilización de los recursos biológicos y de conocimiento tradicional vinculado a ellos, además de las cuestiones de su conservación.(AU)


Assuntos
Humanos , Ecossistema Amazônico/estatística & dados numéricos , Patentes como Assunto/estatística & dados numéricos , Plantas Medicinais/classificação , Biodiversidade , América Latina , Gestão dos Recursos Naturais/análise
20.
São Paulo; s.n; 2007. 106 p. ilus, mapas, tab, graf, ^e+ anexos.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-478240

RESUMO

Este trabalho tem como objetivo geral avaliar o sistema integrado de gerenciamento de recursos hídricos na bacia hidrográfica da Baixada Santista, e como objetivos específicos estudar a disponibilidade hídrica na região, destacar as principais necessidades e avaliar onde foram aplicados os recursos financeiros obtidos através de financiamento pelo FEHIDRO - Fundo Estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo. O Sistema Integrado de Gestão de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo é composto por instrumentos como o Plano Estadual, os Planos de Bacia, a outorga, a cobrança pelo uso da água. O FEHIDRO é um fundo que financia projetos enquadrados em Programas estabelecidos no Plano Estadual, todos os empreendimentos financiados pelo FEHIDRO devem ser enquadrados nestes Programas. Como pode ser observado neste trabalho, algumas das necessidades destacadas no Plano Estadual de Recursos Hídricos não são satisfeitas através dos recursos financeiros do FEHIDRO, pois concluiu-se que estes não são suficientes para este fim, portanto, tais necessidades, tendo como principal delas o saneamento, são planejadas e atendidas com recursos provenientes de outros financiamentos, como os do banco japonês JBIC, obtidos pela SABESP, que é a companhia de saneamento local. Outro resultado desta pesquisa foi à falta de integração entre alguns órgãos governamentais, pois o Sistema deve ser integrado e assim deve haver a participação de todas as instituições envolvidas, como os responsáveis pela outorga, licenciamento, controle de qualidade e quantidade, assim como as industrias e sociedade civil como usuários que são. Um melhor aproveitamento da estrutura instituída pelo Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos será obtido com uma integração maior entre os membros do Comitê e maior fiscalização dos empreendimentos contratados, evitando atrasos e investindo melhor o dinheiro disponibilizado aos colegiados.


Assuntos
Gestão dos Recursos Naturais , Recursos Hídricos , Financiamento Governamental , Bacias Hidrográficas , Política Hídrica
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...