Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 354
Filtrar
1.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 11(2): 128-134, Agosto/2019.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1021106

RESUMO

Objetivos: Os objetivos deste estudo são calcular o custo de um surto de esclerose múltipla sob a perspectiva de uma operadora de saúde privada e o impacto orçamentário da adoção de natalizumabe em primeira linha para esclerose múltipla remitente-recorrente altamente ativa (EMRRAA). Métodos: Para o cálculo do custo do surto, duas abordagens foram adotadas: para surtos que não levam a hospitalizações, foi aplicada uma pesquisa a 33 médicos neurologistas para identificação do consumo de recursos. Microcusteio foi realizado com base em bases de dados públicas. Para o cálculo do custo de surtos que levam a hospitalizações, foi utilizada uma base de contas médicas. Para o cálculo do impacto orçamentário, foi construído um modelo baseado em prevalência. Foram assumidos os seguintes custos: custo de aquisição de natalizumabe, custo de infusão de natalizumabe e custo de surtos. Taxa de ocorrência de surtos para natalizumabe e para seus comparadores, disponível apenas no sistema público, foi obtida em estudos clínicos e metanálises. O caso-base foi realizado considerando-se uma operadora que atende 100 mil vidas na região Sudeste. Análise de sensibilidade foi realizada. Resultados: O custo calculado de um surto foi de R$ 14.157,21. O impacto orçamentário calculado para adoção de natalizumabe para EMRRAA foi de R$ 0,64 por beneficiário por ano, ou 0,02% das despesas assistenciais de uma operadora de saúde suplementar, ou 0,02% de suas receitas de contraprestações. A análise de sensibilidade confirma que o impacto não chega a 1 real por beneficiário por ano e atinge, no máximo, 0,03% das despesas assistenciais. Conclusão: Dados os altos benefícios clínicos de natalizumabe, o impacto orçamentário de sua adoção para primeira linha de EMRRAA é considerado baixo. O impacto pode estar superestimado, visto que não foram considerados custos de progressão da doença.


Objetivos: The goals of this study are to evaluate the cost of a multiple sclerosis relapse and the budget impact of adopting natalizumab as first-line therapy for HARRMS, both from a private payer perspective. Methods: For calculating the cost of a relapse, two approaches were adopted: for relapses not resulting in hospitalizations, a research with 33 physicians was made to obtain resource utilization data. Microcosting was performed using public data sources. For calculating costs of relapses leading to hospitalizations, we analyzed a claims database. To calculate the budget impact of adopting natalizumab as per its label indication, we built a prevalence-based model. The following costs were included: drug acquisition, drug infusion and relapses costs. The relapses rates for natalizumab and its comparators present in the public system were calculated based on clinical trials and meta-analysis. The base case was calculated assuming a hypothetical payer covering one hundred lives in the southeastern region of Brazil. Sensitivity analysis was performed. Results: The calculated relapse cost was R$ 14,157.21. The calculated budget impact for adopting natalizumab for HARRMS was R$ 0.64 per person per year, or 0.02% of the payer's healthcare expenditures, or 0.02% of its revenue. The sensibility analysis confirmed that the budget impact does not reach one real per person per year and does not exceed 0.03% of healthcare expenses. Conclusion: Given the high clinical benefits of adopting Tysabri, its budget impact can be considered low. The results might be overestimated, since disability progression costs were not accounted in the calculations


Assuntos
Humanos , Sistemas de Saúde , Saúde Suplementar , Natalizumab , Esclerose Múltipla
2.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 11(2): 135-141, Agosto/2019.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1021110

RESUMO

Objetivo: Identificar se a vinculação aos referidos planos pode ser considerada como uma causa ou um fator incrementador da utilização do SUS por esses clientes. Métodos: Trabalhou-se com os dados fornecidos pela Pesquisa Nacional de Saúde realizada em 2013. A técnica utilizada foi a do escore de propensão. Resultados: Houve significância estatística quando se avaliou a utilização do Sistema Único de Saúde (SUS) pelos clientes dos planos de menor abrangência tanto em consultas e outros procedimentos quanto para internações, sendo essas utilizações, respectivamente, de 37,9% e 46,4%. Conclusão: Pode-se observar que a vinculação aos planos de menor abrangência se constitui em um fator incrementador à utilização da rede de serviços do SUS, reforçando a argumentação de que a oferta desses sistemas protetivos no mercado não contribui para desafogar a rede pública de saúde.


Objective: To identify whether the link to these plans can be considered as a cause or an incremental factor of the use of SUS by these clients. Methods: Data from the National Health Survey conducted in 2013 were used. The technique used was the propensity score. Results: Statistical significance was found when the use of the Unified Health System (SUS) was evaluated by the clients of the plans of lesser extent in consultations and other procedures, as well as hospitalizations, 37.9% and 46.4%, respectively. Conclusion: It can be observed that the linkage to the less comprehensive plans is an incremental factor for the use of the SUS service network, reinforcing the argument that the supply of these protective systems in the market does not contribute to the public health network.


Assuntos
Humanos , Sistema Único de Saúde , Planos de Pré-Pagamento em Saúde , Saúde Suplementar
3.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 11(2): 142-152, Agosto/2019.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1021120

RESUMO

Objetivo: Estimar os custos do tratamento de pacientes com câncer de próstata não metastático resistente à castração (nmCRPC) e metastático resistente à castração (mCRPC) no Sistema de Saúde Suplementar brasileiro. Métodos: Foi realizada uma busca na literatura para avaliar os dados já disponíveis do custo do tratamento do câncer de próstata no Brasil. Como os dados são escassos, optou-se por utilizar a técnica Delphi com seis médicos oncologistas para levantamento do uso dos recursos. O painel Delphi contou com três etapas, sendo duas on-line e uma presencial, abordando recursos, frequência e porcentagem de uso de exames de imagem e laboratoriais, e dados hospitalares (consultas, pronto-socorro, internações ­ clínica, cirúrgica e em unidade de terapia intensiva). Também foram solicitados dados de padrões de tratamento do câncer de próstata. Por fim, dados do manejo das metástases foram requeridos. Por meio das informações coletadas, foi desenvolvido o microcusteio do câncer de próstata resistente à castração na perspectiva do Sistema de Saúde Suplementar. Resultados: O custo total de tratamento da jornada do paciente com câncer de próstata resistente à castração foi igual a 480.497,25 BRL, e o tratamento unicamente da doença não metastática foi de 189.832,79 BRL e o da doença metastática, de 290.664,46 BRL. Conclusão: Os custos do tratamento de câncer de próstata metastático são substancialmente superiores aos custos do tratamento do paciente não metastático resistente à castração de alto risco, o que parece justificar economicamente o uso de medidas que previnam ou adiem o surgimento de metástases.


Objective: To estimate the treatment costs for patients with non-metastatic castration-resistant prostate cancer (nmCRPC) and metastatic castration-resistant prostate cancer (mCRPC) within the Brazilian private healthcare system. Methods: A literature search was performed to obtain currently available data on prostate cancer treatment costs in Brazil. As national data are scarce, a Delphi method with a specialist board was chosen with six oncologists for resource estimations. The Delphi panel had three steps: two online and one in-person, addressing what resources, frequencies, and percentages of use of imaging and laboratory exams, hospital data (including medical appointments, emergency room, hospitalizations - clinical, surgical and Intensive Care Unit). Data on prostate cancer treatment patterns were also requested. Finally, metastasis management data was required. Using the collected data, we developed a micro-costing model of castration-resistant prostate cancer in Brazil. Results: The total cost for the entire castration-resistant prostate cancer patient journey was 480.497,25 BRL, with the non-metastatic disease alone costing 189.832,79 BRL and the metastatic disease costing 290.664,46 BRL. Conclusion: The costs of treating metastatic prostate cancer are substantially higher than the treatment of high-risk castration-resistant non-metastatic patients, which seems to economically justify the use of measures that prevent or postpone metastasis.


Assuntos
Humanos , Custos de Cuidados de Saúde , Saúde Suplementar , Neoplasias de Próstata Resistentes à Castração , Metástase Neoplásica
4.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 11(1): 49-56, Abril/2019.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1005722

RESUMO

Objetivo: Avaliar a custo-efetividade da empagliflozina adicionada ao cuidado usual para tratamento de diabetes mellitus tipo 2 (DM2) no cenário da saúde suplementar brasileira. Métodos: Foi utilizada simulação de eventos discretos, com dados de efetividade baseados no estudo EMPA-REG OUTCOME. Foram incluídos pacientes com DM2 e alto risco cardiovascular (histórico de cardiopatia isquêmica, acidente vascular cerebral ou doença vascular periférica). O horizonte temporal foi o tempo de vida; a taxa de desconto foi de 5% ao ano. Os dados de utilidade foram predominantemente de estudos brasileiros. Para estimar os custos de eventos/condições com diferença estatisticamente significativa no EMPA-REG OUTCOME (insuficiência cardíaca, diálise, morte cardiovascular), foi feita uma revisão sistemática, que identificou estudos com dados da saúde suplementar. O limiar de disposição a pagar utilizado foi 1 produto interno bruto (PIB) per capita (2017: R$ 31.587). Foram conduzidas análises de sensibilidade determinísticas e probabilísticas. Resultados: No caso-base, a empagliflozina gerou ganho de 0,66 ano de vida ajustado para qualidade (QALY) na comparação com o cuidado usual, com acréscimo de R$ 12.630 e relação de custo-efetividade incremental (RCEI) de R$ 18.895/QALY. Na análise determinística, nenhuma variação de parâmetro resultou em RCEI acima do limiar. A análise probabilística teve RCEI média de R$ 19.878/QALY (intervalo de credibilidade de 2,5% a 97,5%: R$ 5.237-R$ 36.451). Considerando 1 PIB per capita, 50% das simulações seriam custo-efetivas; para 2 PIB per capita, o percentual ultrapassaria 90%. Conclusão: Considerando o limiar de custo-efetividade adotado, de 1 PIB per capita, a empagliflozina se mostrou custo-efetiva em relação ao cuidado usual na perspectiva da saúde suplementar brasileira.


Objective: To evaluate the cost-effectiveness of empagliflozin added to usual care in type 2 diabetes mellitus (T2DM) in the private healthcare sector. Methods: We used a discrete events simulation model with effectiveness data based on the EMPA-REG OUTCOME trial. The population included patients with T2DM at high cardiovascular risk (history of ischemic heart disease, stroke, or peripheral vascular disease). A lifetime horizon and a 5% annual discount rate were used. The utility data used were predominantly from Brazilian studies. To estimate the cost of events/conditions with statistically significant difference in the EMPA-REG OUTCOME trial (heart failure, dialysis, cardiovascular death), a systematic review was performed to identify studies with data from the private healthcare system. A willingness-to-pay threshold of 1 GDP per capita (2017: R$ 31,587) was considered. Deterministic sensitivity analysis and a probabilistic sensitivity analysis were performed. Results: In the base case, empagliflozin generated incremental 0.66 QALY as compared to usual care, with an added cost of R$ 12,630 and incremental cost-effectiveness ratio (ICER) of R$ 18,895/QALY. None of the parameter variations evaluated by deterministic analysis generated ICERs above the cost-effectiveness threshold. Probabilistic sensitivity analysis revealed mean ICER of R$ 19,878/QALY (credibility interval 2.5% to 97.5%: R$ 5,237 to R$ 36,451). Considering 1 GDP per capita, 50% of the simulations would be cost-effective; considering 2 GDP per capita, over 90% would be cost-effective. Conclusion: Considering a threshold of 1 GDP per capita, the study shows that empagliflozin was cost-effective from the perspective of the Brazilian private healthcare sector.


Assuntos
Humanos , Análise Custo-Benefício , Diabetes Mellitus Tipo 2 , Saúde Suplementar
5.
São Paulo; s.n; 2019. 77 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1049772

RESUMO

A produção acadêmica na área da economia da saúde é um segmento da economia pouco explorado pelos profissionais de saúde, talvez pelo desconhecimento teórico ou pela falta de interesse desses profissionais em se aprofundar nesta área de conhecimento. No entanto, há uma importante produção acadêmica nesta área, e para nortear esse trabalho, fizemos uso da clássica obra de economia de saúde política de Braga e Paula (1981). Contudo, os artigos elaborados nesse campo estão majoritariamente alicerçados em fundamentos da teoria econômica neoclássica. É importante salientar que os autores neoclássicos recusam a economia como ciência social, pois, negam a complexidade das interações sociais com sua visão tecnicista, baseada em modelos abstratos que não consideram a história e as relações humanas. Portanto, o objetivo desse trabalho é caracterizar a produção de conhecimento da economia da saúde no Brasil, delimitando a discussão existente no contexto da economia política, particularmente nas temáticas de Saúde suplementar e Planos de Saúde. Para tanto, o trabalho está organizado em três partes. A primeira apresenta o campo da economia política e sua relação com a economia da saúde, baseado na contribuição sobre o pensamento econômico em Braga e Paula. A segunda, revisa a produção do conhecimento em economia da saúde, organizada pela Associação Brasileira de Economia da Saúde (Abres), entre 2004 a 2012, que descreve as temáticas da Saúde Suplementar e dos Planos de Saúde, verificando sua relação com a economia política. A terceira parte analisa criticamente as convergências e divergências entre a produção do conhecimento da economia da saúde, nos subtemas saúde suplementar e planos de saúde e as contribuições de Braga e Paula sobre o pensamento econômico da economia política da saúde. Nessa análise global, identificamos que o pensamento neoclássico e liberal permanecerá hegemônico entre os autores e economistas que se aventuram pelo campo da economia da saúde enquanto à matriz curricular dos cursos de economia for alicerçada por conteúdo produzido por autores neoclássicos.


The academic production in the area of health economics is a segment of the economy little explored by health professionals, perhaps due to the lack of theoretical knowledge and minimum interest of these professionals to deepen your own knowledge in this field. However, we used an important academic production in this area as the classic work of economics of political health wrote by Braga and Paula (1981). The articles elaborated in the field of health economy are mostly based on the foundations of neoclassical economic theory. It is important to point out that neoclassical authors reject economics as a social science because they deny the complexity of social interactions with their technicist view, based on abstract models that do not consider history and human relations. Therefore, the objective of this work is to characterize the production of knowledge of health economics in Brazil, delimiting the existing discussion in the context of political economy, particularly in the themes of Supplementary Health and Health Plans. For this, the dissertation is organized in three parts. The first part of this dissertation presents the field of political economy and its relationship with the health economy, based on the contribution on economic thinking in Braga and Paula. The second part is a review of the production of knowledge in health economics, organized by the Brazilian Association of Health Economics (Abres), between 2004 and 2012, which describes the themes of Supplementary Health and Health Plans, verifying their relationship with political economy. During the third and last part, we critically analyzes the convergences and divergences between the production of knowledge of health economics, in the subthemes supplementary health and health plans and the contributions of Braga and Paula on the economic thinking of the political economy of health. In this global analysis, we have identified that neoclassical and liberal thinking will remain hegemonic among authors and economists into the field of health economics while the economy graduation courses remain based in models and material produced by neoclassic authors.


Assuntos
Economia da Saúde , Planos de Pré-Pagamento em Saúde , Saúde Suplementar , Política de Saúde
6.
Rev. bras. geriatr. gerontol. (Online) ; 22(2): e180184, 2019. tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-1013597

RESUMO

Objective: to compare the prescription of medications to elderly users of the SUS with users of a Supplementary Health Plan in the context of the Beers criteria. Method: a quantitative documental analysis using two databases, obtained from surveys conducted in the same municipal region, was performed. In the first database, the sample included 532 people aged 60 years or older, of both genders, who were users of the SUS. In the second, the sample was 239 people aged 60 years or older, irrespective of gender, who were users of the principal supplementary health plan. Statistical analyses to compare the data of the two databases were performed using Pearson's Chi-squared Test and the extension of Fisher's Exact test, with a significance level α equal to 5%. Results: The results showed significant differences in the use of medications and polypharmacy among the users of the two service providers. Moreover, there were statistically significant differences between the service providers, with SUS users using more non-steroidal anti-inflammatory drugs (p=0.01), long-lasting sulfonylureas (p=0.02) and Nifedipine (p=0.01), and the users of the Supplementary Health Care plan using more musculoskeletal relaxants (p=0.01), estrogen (p=0.01), amiodarone (p=0.01) and Doxazosin (p=0.01), which are potentially inappropriate for the elderly. Conclusion: there are differences between having health insurance or not in terms of the profile of drug use, including in medications which are potentially inappropriate for use among the elderly. The use of information technology that centralizes the data of the elderly, both in the SUS and in Supplementary Health, could reduce inappropriate or unnecessary prescriptions.


Objetivo: Comparar a prescrição de medicamentos em idosos usuários do SUS com usuários de Plano de Saúde Suplementar à luz dos critérios de Beers. Método: Trata-se de uma análise documental, quantitativa, utilizando dois bancos de dados, obtidos a partir de pesquisas realizados no mesmo município. No primeiro, a amostra incluiu 532 pessoas com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, usuárias do SUS. No segundo, a amostra foi de 239 pessoas com 60 anos ou mais, independente do sexo, usuárias do principal plano de saúde suplementar. As análises estatísticas relativas às comparações entre os dados dos dois bancos foram realizadas por meio do teste de qui-quadrado de Pearson e da extensão do teste exato de Fisher com nível de significância α igual a 5%. Resultados: Os resultados mostram diferenças significativas do uso de medicamentos e polimedicação entre os usuários dos dois prestadores de serviço. Além disso, houve diferenças estatisticamente significantes entre o prestador de serviço, sendo que usuários do SUS utilizam mais anti-inflamatórios não esteroidais (p=0,01), sulfonilureias de longa duração (p=0,02) e nifedipino (p=0,01) e o usuários do plano de Saúde Suplementar utilizam mais relaxantes musculoesqueléticos (p=0,01), estrogênio (p=0,01), amiodarona (p=0,01) e doxazosina (p=0,01), enquanto potencialmente inapropriados para idosos. Conclusão: Há diferenças entre ter plano de saúde ou não quanto ao perfil de utilização de medicamentos, inclusive para os potencialmente inapropriados para uso em idosos. O uso de tecnologias de informação que centralizasse dados dos idosos, tanto no SUS quanto na Saúde Suplementar, poderia reduzir prescrições inapropriadas ou desnecessárias.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Sistema Único de Saúde , Saúde do Idoso , Polimedicação , Uso de Medicamentos , Saúde Suplementar
7.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(3): 226-231, dez. 2018. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-988156

RESUMO

O OBJETIVO: deste estudo é avaliar o custo por resposta das terapias biológicas disponíveis no Brasil para o tratamento da psoríase em placas moderada a grave na perspectiva do Sistema de Saúde Suplementar. MÉTODOS: A resposta PASI 90 foi o desfecho avaliado neste estudo. Dados clíni-cos foram calculados com base na razão de risco de uma metanálise em rede, comparando adalimu-mabe, etanercepte, infliximabe, ixequizumabe, secuquinumabe e ustequinumabe a guselcumabe, cujo dado foi obtido no estudo clínico. Foram considerados apenas os custos de medicamentos. O caso-base avaliou o custo por resposta do ano de indução do tratamento. Além disso, conduziu-se uma análise de orçamento fixo. Em um cenário alternativo, analisou-se o custo por resposta do ano de manutenção. Uma análise de sensibilidade avaliou incertezas dos dados clínicos. RESULTADOS: O menor custo por resposta foi de guselcumabe (R$ 98.643), seguido de ixequizumabe (R$ 112.549), ustequinumabe (R$ 124.078), secuquinumabe (R$ 160.930), infliximabe (R$ 208.039), adalimumabe (R$ 208.686) e etanercepte (R$ 639.124). Resultados similares foram observados no cenário alterna-tivo, considerando os custos no ano de manutenção. Guselcumabe demonstrou ser a terapia que tratou mais pacientes com sucesso, considerando um cenário de orçamento fixo. Conclusão: O presente estudo demonstrou que, na perspectiva do Sistema de Saúde Suplementar brasileiro, gu-selcumabe possui o menor custo por resposta entre as terapias biológicas para psoríase em placas moderada a grave, além de tratar com sucesso mais pacientes em um cenário de orçamento fixo.


Objective: This study aims to evaluate the cost per response of the biologic therapies available for moderate to severe plaque psoriasis treatment in Brazil from a private payer perspective Methods: Treatment response evaluated in this study was the achievement of PASI 90. Clinical data was calculated based on the risk ratio of a network meta-analysis comparing adalimumab, etanercept, infliximab, ixekizumab, secukinumab and ustekinumab to guselkumab, which data was extracted from clinical trials. Only drug acquisition cost were considered. Base case analysis evaluated the first year of treatment cost per response Besides that, a fixed budget analysis was conducted. An alternative scenario analysis considered the maintenance year cost per response. A sensitivity analysis evaluated the clinical data uncertainties. Results: The lowest cost per response was obtained with guselkumab (R$98.643), followed by ixekizumab (R$ 112.549), ustekinumab (R$ 124.078), secukinumab (R$ 160.930), infliximab (R$ 208.039), adalimumab (R$ 208.686), and etanercept (R$ 639.124). Similar results were found in the alternative scenario, with maintenance year costs. Guselkumab demonstrated to be the therapy which successfully treats more patients with a fixed budget. Conclusion: In conclusion, this study demonstrated that, from the Brazilian private payer perspective, guselkumab presents the lowest cost per response among the avail-able biologic therapies for moderate to severe plaque psoriasis, and is able to successfully treat more patients in a limited budget scenario.


Assuntos
Humanos , Psoríase , Terapia Biológica , Custos e Análise de Custo , Saúde Suplementar
8.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(3): 269-277, dez. 2018.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-988170

RESUMO

OBJETIVO: Estimar o impacto orçamentário do trastuzumabe subcutâneo, comparado com o in-travenoso, no Sistema de Saúde Suplementar (SSS) para o tratamento do câncer de mama inicial e metastático HER-2 positivo. MÉTODOS: Foi realizada uma análise de impacto orçamentário na perspectiva do SSS. Os tratamentos de câncer de mama inicial foram trastuzumabe em monoterapia e trastuzumabe com paclitaxel ou docetaxel. No câncer de mama metastático, considerou-se trastu-zumabe associado com docetaxel ou paclitaxel na primeira linha e em monoterapia na segunda linha. Para ambos, comparou-se a substituição do trastuzumabe intravenoso pelo subcutâneo. Uma pesquisa com 28 operadoras mapeou taxas, preços e tabelas de referência usadas para o reembolso de medicamentos, materiais e procedimentos. Uma equipe multidisciplinar estimou o uso de recur-sos. Custos médicos diretos foram incluídos e os preços foram obtidos de fontes públicas. O horizon-te temporal foi cinco anos e considerou-se a incorporação progressiva de trastuzumabe subcutâneo com 20% no primeiro ano até atingir 100%. RESULTADOS: Estimaram-se 31.589 pacientes com câncer de mama no SSS em cinco anos. O uso progressivo de trastuzumabe subcutâneo em comparação com o intravenoso levou a uma economia de 962,7 mBRL, 14,5 mBRL, 1,5 mBRL e 0,2 mBRL no SSS, para operadoras de saúde de grande, médio e pequeno porte, respectivamente. Materiais e procedimentos de suporte com taxas médicas foram os parâmetros mais sensíveis. CONCLUSÃO: O trastuzumabe subcutâneo em comparação com o intravenoso pode levar a uma economia de até 962,7 mBRL no tratamento do câncer de mama no SSS.


Objective: To estimate the budgetary impact of subcutaneous trastuzumab, compared with intravenous trastuzumab, in the Brazilian Private Healthcare System (PHS), to treat early and metastatic HER-2 positive breast cancer. Methods: Budgetary impact analysis was performed in PHS perspective. For early breast cancer, treatment options were trastuzumab monotherapy, and trastuzumab plus paclitaxel or docetaxel, after adjuvant chemotherapy. For metastatic breast cancer, trastuzumab was combined with docetaxel or paclitaxel in the first line, and it was given in monotherapy in the second line. For both, a comparison of switching from intravenous to subcutaneous therapy was made. A survey was performed with 28 health maintenance organizations to map fees and sources used for reimbursement of drugs, materials and procedures. Direct medical costs were included. Time horizon was 5 years and market share of subcutaneous trastuzumab vary from 20% to 100%. Results were presented according to size of health maintenance organizations and a deterministic sensitivity analysis was conducted to analyze model robustness. Results: In 5 years, 31,589 breast cancer patients were estimated for the PHS, 284 patients for big, 30 patients for medium, and 6 patients for small HMOs. The progressive uptake of subcutaneous trastuzumab, compared with in-travenous formulation, can save up to 962,7 mBRL, 14,5 mBRL, 1,5 mBRL and 0,2 mBRL, respectively. Materials and support procedures along with medical fees were the most sensitive parameters. Con-clusion: Compared with the intravenous administration, subcutaneous trastuzumab can save up to 962,7 mBRL costs in the breast cancer treatment in the Brazilian PHS


Assuntos
Humanos , Economia da Saúde , Neoplasias da Mama , Saúde Suplementar , Trastuzumab
9.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(3): 255-261, dez. 2018.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-980988

RESUMO

Objetivo: Estimar o impacto orçamentário da introdução de rituximabe subcutâneo, comparado ao intravenoso, no sistema de saúde suplementar brasileiro, para o tratamento de linfoma não Hodgkin (LNH) difuso de grandes células B CD-20 positivo. Métodos: As perspectivas foram o sistema de saúde suplementar e operadoras de saúde de grande, médio e pequeno portes. Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foram utilizados para obter o número médio de pacientes por porte das operadoras e cruzados com dados epidemiológicos de LNH para estimar a população elegível. Uma pesquisa com 28 operadoras mapeou taxas, preços e tabelas de referência usadas para o reembolso de medicamentos, materiais e procedimentos. Uma equipe multidisciplinar estimou o uso de recursos. Os custos médicos diretos foram incluídos e os preços foram obtidos de fontes públicas. O horizonte temporal foi de cinco anos e considerou-se a incorporação progressiva de rituximabe subcutâneo com 20% no primeiro ano até atingir 100%. Resultados: Em cinco anos, 3.846 pacientes com LNH difuso foram estimados para o sistema de saúde suplementar, 35 para uma operadora de grande porte, 5 para uma de médio porte e 5 para uma de pequeno porte. Demonstrou-se que a incorporação de rituximabe subcutâneo pode economizar até R$ 15,8 milhões para todo o sistema, R$ 144,3 mil para uma operadora de grande porte e R$ 20,4 mil tanto para uma operadora de médio quanto para uma de pequeno porte. Conclusão: A incorporação de rituximabe subcutâneo no sistema de saúde suplementar brasileiro pode economizar até R$ 15,8 milhões no tratamento de LNH.


Objective: To estimate the budgetary impact of the introduction of subcutaneous compared with intravenous rituximab in the Brazilian private healthcare system to treat diffuse large B-cell CD-20+ non-Hodgkin lymphoma (NHL) patients. Methods: Perspectives were the private healthcare system (PHS), a big, medium and small HMO. We used data from National Regulatory Agency for Private Health Insurance and Plans to obtain the mean number of patients per HMO size. Incidence and survival data of diffuse large B-cell CD-20+ NHL were applied to reach the eligible population. A survey with 28 HMOs mapped fees, pricing sources and reference tables used for reimbursement. A multidisciplinary team estimated the resource use. Direct medical costs were included; drugs and material prices were obtained from published sources. Time horizon was 5 years and market share considered the uptake of subcutaneous rituximab starting with 20% in the first year, increasing to 100%. Results: In 5 years, 3,846 diffuse NHL patients were estimated for the PHS, 35 for big HMO, 5 for medium HMO, and 5 for small HMO. Results showed that the progressive incorporation of subcutaneous rituximab can save up to 15.8 million BRL, 144.3 thousand BRL, and 20.4 thousand BRL in the PHS, a big HMO, and in medium/small HMOs, respectively. Differences among fees and material costs of subcutaneous and intravenous administration were the main drivers of results. Conclusion: Compared with the intravenous administration, subcutaneous rituximab can save up to 15.8 million BRL costs in the NHL treatment in the Brazilian PHS.


Assuntos
Humanos , Economia da Saúde , Linfoma não Hodgkin , Saúde Suplementar , Rituximab , Oncologia
10.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(3): 262-268, dez. 2018.
Artigo em Inglês | LILACS, ECOS | ID: biblio-981054

RESUMO

Objective: Comparing the costs and effectiveness of plasma genotyping versus tumor genotyping for detecting the T790M mutation in advanced non-small cell lung cancer (NSCLC) with a mutation in the epidermal growth factor receptor (EGFR) and that progressed after use of an EGFR tyrosine kinase inhibitor (EGFR-TKI), from the perspective of the private healthcare system in Brazil. Methods: Patients with a post-EGFR-TKI T790M mutation are eligible for a second-line treatment with a third-generation EGFR-TKI (osimertinib). In order to estimate the costs associated with the diagnosis method for the T790M mutation, a decision tree model has been used. Resource use was estimated by a team of experts, and the direct costs were estimated based on official databases. Results: Plasma genotyping provided a R$391 reduction per patient, due to the reduced cost with complications; it prevented 40.96% of the patients from undergoing an invasive procedure and 31.91% of the patients from having any kind of complication. Conclusion: Data found support a new paradigm for treating the resistance to EGFR-TKIs, with plasma genotyping as the first diagnostic choice, what can help to define the treatment and to reduce the costs of Brazilian private healthcare system.


Objetivo: Comparar os custos e efetividade da biópsia líquida versus biópsia tecidual para detecção da mutação T790M no câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) avançado com mutação no receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) e que progrediram após o uso de um inibidor do sítio da tirosina cinase associada ao EGFR (EGFR-TKI), sob a perspectiva do sistema suplementar de saúde do Brasil. Métodos: Pacientes com mutação EGFR-T790M pós-EGFR-TKI são elegíveis ao tratamento de segunda linha com um EGFR-TKI de terceira geração (osimertinibe). Para a estimativa dos custos relacionados ao método de diagnóstico de mutação T790M, foi elaborado um modelo de árvore de decisão. A utilização de recursos foi estimada por painel de especialistas e os custos diretos foram estimados utilizando-se bases de dados oficiais. Resultados: A biópsia líquida proporcionou redução de R$ 391 por paciente, devido a uma redução no custo com complicações; evitou que 40,96% dos pacientes passassem por um procedimento invasivo e que 31,95% dos pacientes tivessem algum tipo de complicação. Conclusão: Os dados observados embasam um novo paradigma para o manejo da resistência aos EGFR-TKIs, com genotipagem pelo plasma como primeira opção diagnóstica, o que pode auxiliar na melhor definição do tratamento e reduzir custos ao sistema de saúde suplementar brasileiro.


Assuntos
Humanos , Receptores ErbB , Análise Custo-Benefício , Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas , Saúde Suplementar , Técnicas de Genotipagem
11.
Artigo em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-49528

RESUMO

[RESUMO]. Objetivo. Avaliar a associação entre o acesso à mamografia no Brasil e a cobertura pela Estratégia Saúde da Família (ESF) e pela saúde suplementar. Métodos. Realizou-se um estudo ecológico com dados obtidos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). A tendência da série temporal foi analisada pelo método de Prais-Winsten utilizando-se como unidades de análise as unidades federativas brasileiras. Para investigar a relação entre a variável dependente – mulheres de 50 a 69 anos que nunca realizaram exame de mamografia – e as independentes, de cobertura de ESF ou saúde suplementar e socioeconômicas, realizou-se análise de regressão linear múltipla. Resultados. O Acre foi o único estado que não apresentou tendência crescente da cobertura da saúde suplementar. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba apresentaram tendência estacionária para a cobertura pela ESF, enquanto as demais unidades federativas apresentaram cobertura crescente. Observou-se associação significativa entre nunca ter realizado mamografia na idade de 50 a 69 anos e as variáveis renda média per capita e cobertura pela ESF e saúde suplementar (R2=0,77; P < 0,001). Conclusão. A desigualdade no acesso a mamografia é uma realidade no Brasil. Tanto a saúde suplementar quanto a Estratégia Saúde da Família têm contribuído para melhoria do acesso dessas mulheres.


[ABSTRACT]. Objective. To evaluate the association between access to mammography and coverage by private health insurance or by the public healthcare system through the Family Health Strategy (FHS). Method. An ecological study was performed with data obtained from the Unified Health System Data Processing Department (DATASUS). Time trends were analyzed using the Prais-Winsten method, having the Brazilian federal units as units of analysis. Multiple linear regression was used to investigate the relationship between the dependent variable – women aged 50 to 69 years who never had a mammogram – and the independent variables (coverage by the FHS or private health care and socioeconomic aspects). Results. Acre was the only Brazilian state for which an increasing growth trend in private health care was not observed. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, and Paraíba showed a stable trend for FHS coverage, whereas all other federal units had increasing coverage. A significant association was observed between never having had a mammogram at 50 to 69 years of age and the variables mean per capita income and FHS and private health care coverage (R2=0.77; P < 0.001). Conclusion. Unequal access to mammography is a reality in Brazil. Both private health care and the FHS have contributed to improve health care accessibility for Brazilian women.


[RESUMEN]. Objetivo. Evaluar la asociación entre el acceso a la mamografía en Brasil y la cobertura prestada por la Estrategia de Salud Familiar (ESF) y por la salud suplementaria. Métodos. Se realizó un estudio ecológico con datos obtenidos del Departamento de Informática del Sistema Único de Salud (DATASUS). La tendencia de la serie temporal fue analizada mediante el método de Prais-Winsten utilizando como unidades de análisis las entidades federativas brasileñas. Para investigar la relación entre la variable dependiente —mujeres de 50 a 69 años que nunca se habían realizado una mamografía— y las independientes, de cobertura por la ESF o salud suplementaria y las variables socioeconómicas, se realizó un análisis de regresión lineal múltiple. Resultados. Acre fue el único estado que no presentó una tendencia creciente para la cobertura por la salud suplementaria. Roraima, Tocantins, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte y Paraíba presentaron una tendencia estacionaria para la cobertura por la ESF, mientras que las otras entidades federativas mostraron una cobertura en ascenso. Se observó una asociación significativa entre el hecho de nunca haberse realizado una mamografía entre los 50 y los 69 años y las variables renta media per cápita, cobertura por la ESF y la salud suplementaria (R2 = 0,77; P <0,001). Conclusión. En Brasil, la desigualdad en el acceso a la mamografía es una realidad. Tanto la salud suplementaria como la Estrategia de Salud Familiar han contribuido a mejorar el acceso de estas mujeres a la mamografía.


Assuntos
Atenção Primária à Saúde , Estratégia Saúde da Família , Saúde Suplementar , Mamografia , Disparidades nos Níveis de Saúde , Brasil , Atenção Primária à Saúde , Estratégia Saúde da Família , Saúde Suplementar , Mamografia , Disparidades nos Níveis de Saúde , Brasil , Atenção Primária à Saúde , Estratégia Saúde da Família , Saúde Suplementar , Mamografia , Disparidades nos Níveis de Saúde
12.
Saúde Soc ; 27(3): 929-943, jul.-set. 2018. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-979196

RESUMO

Resumo Este artigo analisa as trajetórias assistenciais de mulheres assistidas por serviços conveniados a saúde suplementar de Porto Alegre, buscando compreender como se constroem os caminhos durante sua gestação, parto e puerpério. Trata-se de estudo qualitativo do tipo etnográfico. Foram acompanhadas oito mulheres residentes em Porto Alegre, que realizaram seu pré-natal no subsetor de saúde suplementar. A geração dos dados aconteceu por meio de visitas domiciliares, acompanhamento nas consultas de pré-natal, observação participante, entrevistas gravadas e transcritas, sendo utilizado um diário de campo em todas as interações. Todas as informações foram analisadas a partir do referencial teórico de Clifford Geertz. Os resultados apontam para trajetórias terapêuticas individuais mas semelhantes, com dificuldades no que se refere a escolhas de cuidado, peregrinação na busca por profissionais e serviços, pouca informação qualificada disponível e à força da cultura biomédica. Destaca-se a luta das mulheres por respeito às suas individualidades e a importância do apoio encontrado nos movimentos femininos organizados. No entanto, conclui-se que, apesar das tentativas de fuga, o sistema utiliza de sua legitimação cultural e "diplomada" para instituir o medo entre as mulheres, retirando-lhes qualquer autonomia ou coragem para seguir em frente e modulando os caminhos que elas devem seguir.


Abstract This article aims to analyze the care provided to women assisted in services of the supplementary health sector of Porto Alegre, RS, to better understand their experiences during pregnancy, childbirth and the postpartum period. It is an ethnographic qualitative study. Eight women were followed during pregnancy, childbirth and the postpartum period, all of them living in Porto Alegre, RS, who had received their prenatal care in the supplementary health sector. The data were collected through home visits, attendance in prenatal appointments, observations of moments which were pre-determined alongside the women, recorded and transcribed interviews, and a field journal that was used in all interactions. All information was analyzed based on the theoretical framework of Geertz. The results show similar individual experiences, with difficulties in relation to the choices of care, peregrination in the search for professionals and services, few available and qualified information, and the almost overwhelming force of a biomedical culture. The women's fight for respect to their individualities and decisions stands out, as does the importance of the feminist movement's support, aiming at the improvement of the experiences of labor and childbirth. However, it can be concluded that despite the attempts of escape, the health system utilizes its scientific and "certified" legitimization to enforce fear among the women, withholding their autonomy or courage to move on and modulating the paths they should take.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Cuidado Pré-Natal , Gravidez , Saúde da Mulher , Ultrassonografia , Parto Humanizado , Pesquisa Qualitativa , Saúde Suplementar
13.
Recurso educacional aberto em Português | CVSP - Brasil | ID: cfc-339870

RESUMO

Recentemente foram divulgadas pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar as novas regras para estimular o parto normal na rede privada. O Brasil é o país que mais faz cesariana no mundo. Na rede privada, cerca de oitenta e cinco por cento dos partos realizados são cesáreos. Na rede pública esse índice é de quarenta por cento. A Organização Mundial da Saúde recomenda apenas quinze por cento. Você vai entender quais são as novas regras para os planos de saúde e por que a mentalidade tanto das grávidas quanto dos médicos com relação ao parto normal precisa mudar. A apresentadora Mônica Bittencourt conversou com Renato Sá, obstetra e pesquisador do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz). Participantes: Eveline Monteiro, mãe da Alícia e do Angelo.


Assuntos
Parto Normal , Parto Normal , Padrões de Prática Médica , Saúde Suplementar
14.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(2): 148-156, Agosto/2018.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-915096

RESUMO

Objetivo: O objetivo deste estudo é estimar a razão de custo-efetividade incremental da combinação de daratumumabe, bortezomibe e dexametasona (DVd) em comparação com carfilzomibe com dexametasona (Kd); carfilzomibe, lenalidomida e dexametasona (KRd); elotuzumabe, lenalidomida e dexametasona (ERd); e ixazomibe, lenalidomida e dexametasona (IRd) no tratamento do mieloma múltiplo refratário ou recidivado (MMRR) sob a perspectiva de um pagador privado no Brasil. Métodos: Foi utilizado um modelo de transição com três estados, baseado no método de área sob a curva, para simular a trajetória de uma coorte com MMRR: pré-progressão, pós-progressão e morte. Parâmetros clínicos foram obtidos por meio de uma metanálise e os custos incluídos foram aquisição e administração de medicamentos e serviços médicos. O horizonte de tempo adotado foi de 30 anos e descontos de 5% foram aplicados tanto a custos quanto a desfechos de efetividade. Análise de sensibilidade probabilística foi realizada. Resultados: Demonstrou-se que o esquema terapêutico DVd é dominante sobre Kd, KRd, ERd e IRd. DVd gerou 1,09 ano de vida incremental versus Kd com economia de R$ 174.227; 0,15 ano de vida incremental com redução de R$ 238.324 em comparação com KRd; incremento de 0,06 ano de vida com redução de R$ 641.021 comparado com ERd; e 0,59 ano de vida incremental com economia de R$ 254.367 comparado com IRd. A análise de sensibilidade probabilística confirmou a consistência e a robustez do modelo e demonstrou que DVd tem probabilidades de 92,9%, 89,1%, 99,9% e 94,2% de ser custo-efetivo em comparação com Kd, KRd, ERd e IRd, respectivamente, assumindo um limiar de disposição a pagar de 3 PIB per capita. Conclusão: DVd demonstrou ser superior aos comparadores tanto em desfechos clínicos quanto econômicos no tratamento do MMRR, dados a maior sobrevida e os menores custos.


Objective: To estimate the incremental cost-effectiveness ratio of daratumumab, bortezomib, and dexamethasone (DVd) combination in comparison to carfilzomib and dexamethasone (Kd); carfilzomib, lenalidomide and dexamethasone (KRd); elotuzumab, lenalidomide and dexamethasone (ERd); and ixazomib, lenalidomide and dexamethasone (IRd) for the treatment of patients with relapsed and refractory multiple myeloma (RRMM) from a Brazilian private payer perspective. Methods: It was used a three-health state transition model based on the area under the curve method to simulate the cohort trajectory: pre-progression, post-progression, and death. Clinical parameters were obtained in a meta-analysis and considered costs were: drugs acquisition and administration, and medical services. Time-horizon was 30 years, and discount rates applied to costs and outcomes were 5%. A probabilistic sensitivity analysis was performed to evaluate the impact of the uncertainty of the input values. Results: The analysis demonstrated that DVd treatment is dominant over Kd, KRd, ERd, and IRd, providing an increment of 1.09 life year with cost reduction of R$174.227 when compared to Kd, an increment of 0,15 life year with cost reduction of R$238.324 when compared to KRd, an increment of 0,06 life year with cost reduction of R$641.021 when compared to ERd, and an increment of 0,59 life year with cost reduction of R$254.367 when compared to IRd. The probabilistic sensitivity analysis confirms the robustness of the model and results consistency, demonstrating that DVd has 92.9%, 89.1%, 99.9%, and 94,2% probability of being cost-effective versus Kd, KRd, Erd, and IRd, respectively, when an ICER of 3 per-capita GDP is assumed. Conclusion: DVd combination demonstrated superior clinical and economic outcomes in RRMM patients when compared to Kd, KRd, Erd, and IRd, since the therapy provides longer survival to patients at a lower cost to payers.


Assuntos
Humanos , Análise Custo-Benefício , Saúde Suplementar , Mieloma Múltiplo
15.
J. bras. econ. saúde (Impr.) ; 10(2): 157-164, Agosto/2018.
Artigo em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-915104

RESUMO

Objetivo: O objetivo deste trabalho foi avaliar o impacto de custo total do tratamento de câncer de próstata com metástase óssea na perspectiva do Sistema de Saúde Suplementar (SSS) brasileiro. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo de coorte conduzido de um banco de dados administrativos fornecidos pela empresa Orizon. A população consistiu em pacientes com registro de câncer de próstata com metástases ósseas, ou procedimentos relacionados, que foram registrados em entradas hospitalares ou ambulatoriais e receberam pelo menos um tipo de tratamento. A perspectiva da análise foi o SSS e o horizonte temporal, uma mediana de 181 dias. O desfecho primário foi o custo global, no qual foram contemplados gastos com exames, procedimentos, materiais e medicamentos. A partir do desfecho primário, foram calculados o custo por paciente, o número de atendimentos por paciente e o custo por atendimento. Adicionalmente foram analisados os custos relacionados aos diferentes subgrupos de tratamentos destinados à doença. Resultados: O custo global relacionado aos atendimentos foi de R$ 21.391.034 (n = 181), o custo médio resultou em R$ 118.183 por paciente, com média de 10,48 atendimentos por paciente e R$ 11.282 por atendimento. Pela análise isolada dos cenários, os custos nos ambientes hospitalar (R$ 11.452.496) e ambulatorial (R$ 9.938.537) demonstraram que houve mais gastos relacionados aos procedimentos hospitalares. Conclusões: O estudo demonstrou elevado impacto econômico de tratamento de câncer de próstata com metástases ósseas no SSS, devido principalmente a maior necessidade de quantidade de hospitalizações com mais tempo de permanência.


Objective: The objective of this study was to evaluate the total cost impact of treatment of prostate cancer with bone metastasis under the Brazilian Private Healthcare System (SSS) perspective. Methods: This is a retrospective cohort study conducted from an administrative database provided by Orizon. The population consisted in patients with prostate cancer with bone metastasis registry, or related procedures, who were registered at hospital or ambulatory admission, and received at least one type of treatment. The perspective of the analysis was SSS and the time horizon was a median of 181 days. The primary outcome was global cost, considering expenses with exams, procedures, materials and drugs. From the primary outcome, cost per patient, number of visits per patient, and visit cost were calculated. Additionally, the costs related to the different subgroups of disease treatments were analyzed. Results: The global cost related to visits was R$ 21,391,034 (n = 181), the average cost resulted in R$ 118,183 per patient, with an average of 10.48 visits per patient and R$ 11,282 per visit. By the isolated analysis of the scenarios, the costs in the hospital (R$ 11,452,496) and ambulatory (R$ 9,938,537) environment demonstrated more expenses related to hospital procedures. Conclusions: The study demonstrated elevated budget impact of prostate cancer with bone metastasis treatment on the SSS, mainly due to greater need for the number of hospitalizations with a longer stay.


Assuntos
Humanos , Neoplasias da Próstata , Custos e Análise de Custo , Saúde Suplementar , Metástase Neoplásica
16.
Cad. Ibero Am. Direito Sanit. (Impr.) ; 7(1): 163-182, jan.-mar. 2018.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-882297

RESUMO

Objetivo: Estudou-se o fenômeno da redução da oferta de planos de saúde privados de assistência médica individuais/familiares. Metodologia: Tratou-se de estudo com abordagem quali-quantitativa, descritivo e explicativo, realizado por intermédio de procedimentos de pesquisa documental e bibliográfica. Resultados: Os planos individuais e coletivos têm características diferentes; as regras aplicáveis aos contratos individuais são mais rígidas; o mercado de planos individuais está altamente concentrado; há pouca oferta desse tipo de produto pelas operadoras, sobretudo de abrangência nacional. Conclusão: A redução da oferta de planos individuais/familiares e a comercialização de produtos mais restritos afetam o direito à saúde visto que reduz o poder de escolha do consumidor, as possibilidades de mobilidade, e dificulta a contratação de planos por aqueles que estão fora do mercado de trabalho formal, principalmente os idosos


Objective: The article studied the supply reduction of individual health plans that include medical assistance. Methodology: The study had a qualitative and quantitative approach. It was realized in an explanatory and descriptive way, through procedures of documentary and bibliographic research. Results: The results show that: individual and group health plans have different characteristics and there are stricter rules applicable to the individual plans; the supply of this product is low; this market is concentrated; there are few options of national coverage plans. Conclusion: The supply reduction of individual health plans that include medical assistance affects the right to health, because the supplemental health users don't have power of choice or possibilities to move to another provider. It is more difficult for elderly users


Objetivo: El artículo estudia la reducción de la oferta de planes de salud individuales que incluyen asistencia médica. Metodología: Se trató de estudio descriptivo, explicativo, cualitativo y cuantitativo, hecho a través de procedimientos de investigación documental y bibliográfica. Resultados: Los resultados muestran que: los planes de salud individuales y de grupo tienen características distintas; las normas aplicables a los contratos son más rígidas; el mercado está concentrado; hay escasez de oferta de este producto. Conclusión: La reducción de la oferta de planes de salud individuales que incluyen asistencia médica perjudica el derecho a la salud, porque los usuarios de la salud complementaria no tienen poder de elección y no puedan cambiar a otra operadora. Los consumidores ancianos tienen más dificultades con la contratación de planes de salud


Assuntos
Humanos , Regulação e Fiscalização em Saúde , Saúde Suplementar , Saúde Suplementar/estatística & dados numéricos , Defesa do Consumidor
17.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: bde-33176

RESUMO

Objetivos: descrever o perfil epidemiológico e a distribuição dos óbitos notificados por causas externas em beneficiários de planos de saúde no Brasil entre os biênios 2006-2007 e 2008-2009. Método: estudo epidemiológico e descritivo, cujos dados foram acessados no Sistema de Informações sobre Mortalidade em Saúde Suplementar em janeiro de 2016. Foram analisados por estatística descritiva,variações percentuais e razões de proporção entre os biênios. Resultados: evidenciou-se a notificação de 19.514 óbitos, no período 2006-2007 e 20.796 entre 2008-2009, com características similares, segundo as variáveis sociodemográficas, sendo que os óbitos ocorreram,principalmente, entre homens em idade produtiva (20 e 59 anos de idade) nos dois biênios (72,75%; 71,61%). Os óbitos por causas acidentais (transporte, quedas, afogamentos/submersões) foram prevalentes nos períodos (51,17%; 51,28%). Os registros de óbitos por causas externas entre beneficiários de planos de saúde se reduziram no Brasil, passando de 8,73% em 2006-2007 para 8,35% em 2008-2009, com variação percentual negativa de -4,35. Entretanto, aumentaram as notificações relacionadas com as quedas e lesões auto provocadas (variação percentual positiva de 9,63 e 2,32, respectivamente). Conclusão: observou-se alteração da distribuição espacial dos óbitos por causas externas entre beneficiários de planos de saúde, permitindo análises para subsidiar medidas preventivas(AU)


Objective: to describe the epidemiological profile and the distribution of deaths due to external causes among health plansbeneficiaries in Brazil between the biennia 2006-2007 and 2008-2009. Method: epidemiological and descriptive study whose datawere accessed in the Information System on Mortality in Supplementary Health in January 2016. The study analyzed the data bydescriptive statistics, percentage variations and proportion ratios between the biennia. Results: 19,514 deaths were reported inthe 2006-2007 period and 20,796 deaths in the 2008-2009 period, with similar characteristics, according to sociodemographicvariables, with deaths mainly occurring among men of productive age (between 20 and 59 years) in the two biennia (72.75%;71.61%). Accidental deaths (transport, falls, drownings/submersions) were prevalent in the said periods (51.17%; 51.28%). Recordsof deaths due to external causes among health plans beneficiaries have decreased in Brazil, from 8.73% in 2006-2007 period to8.35% from 2008 to 2009, with a negative percentage variation of -4.35. However, reports related to falls and self-harm haveincreased (positive percentage variations of 9.63 and 2.32, respectively). Conclusion: there was a change in the spatial distributionof deaths due to external causes among health plan beneficiaries, which allows analysis to support preventive measures(AU)


Objetivos: describir el perfil epidemiológico y la distribución de los óbitos notificados por causas externas en beneficiarios deplanes médicos en Brasil entre los bienios 2006-2007 y 2008-2009. Método: estudio epidemiológico y descriptivo, cuyos datos seaccedieron a través del Sistema de Informaciones sobre Mortalidad en Salud Complementaria en enero de 2016. Se analizaron pormedio de estadística descriptiva, cambios porcentuales y razones de proporcionalidad entre los bienios. Resultados: se evidenció lanotificación de 19.514 óbitos en el período de 2006 a 2007 y 20.796 entre el 2008 y el 2009, con características similares, según lasvariables sociodemográficas, siendo que los óbitos sucedieron, principalmente, entre hombres en edad productiva (de 20 a 59 añosde edad) en ambos bienios (72,75%; 71,61%). Los óbitos debido a causas accidentales (transporte, caídas, ahogos/sumersión)prevalecieron en esos períodos (51,17%; 51,28%). Los registros de óbitos por causas externas entre beneficiarios de planes médicosdisminuyeron en Brasil, pasando de 8,73% en 2006-2007 a 8,35% en 2008-2009 con cambios porcentuales negativos de -4,35. Sinembargo, aumentaron las notificaciones relacionadas con las caídas y lesiones auto-provocadas (cambio porcentual positivo de9,63 y 2,32, respectivamente). Conclusión: se observó el cambio de la distribución espacial de los óbitos provenientes de causasexternas entre beneficiarios de planes médicos, permitiendo un análisis para subsidiar medidas preventivas(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Mortalidade , Causas Externas , Saúde Suplementar , Sistemas de Informação
18.
Rev. enferm. Cent.-Oeste Min ; 8: [1-12], mar. 2018. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-973215

RESUMO

Objetivos: descrever o perfil epidemiológico e a distribuição dos óbitos notificados por causas externas em beneficiários de planos de saúde no Brasil entre os biênios 2006-2007 e 2008-2009. Método: estudo epidemiológico e descritivo, cujos dados foram acessados no Sistema de Informações sobre Mortalidade em Saúde Suplementar em janeiro de 2016. Foram analisados por estatística descritiva,variações percentuais e razões de proporção entre os biênios. Resultados: evidenciou-se a notificação de 19.514 óbitos, no período 2006-2007 e 20.796 entre 2008-2009, com características similares, segundo as variáveis sociodemográficas, sendo que os óbitos ocorreram,principalmente, entre homens em idade produtiva (20 e 59 anos de idade) nos dois biênios (72,75%; 71,61%). Os óbitos por causas acidentais (transporte, quedas, afogamentos/submersões) foram prevalentes nos períodos (51,17%; 51,28%). Os registros de óbitos por causas externas entre beneficiários de planos de saúde se reduziram no Brasil, passando de 8,73% em 2006-2007 para 8,35% em 2008-2009, com variação percentual negativa de -4,35. Entretanto, aumentaram as notificações relacionadas com as quedas e lesões auto provocadas (variação percentual positiva de 9,63 e 2,32, respectivamente). Conclusão: observou-se alteração da distribuição espacial dos óbitos por causas externas entre beneficiários de planos de saúde, permitindo análises para subsidiar medidas preventivas.


Objective: to describe the epidemiological profile and the distribution of deaths due to external causes among health plansbeneficiaries in Brazil between the biennia 2006-2007 and 2008-2009. Method: epidemiological and descriptive study whose data were accessed in the Information System on Mortality in Supplementary Health in January 2016. The study analyzed the data by descriptive statistics, percentage variations and proportion ratios between the biennia. Results: 19,514 deaths were reported inthe 2006-2007 period and 20,796 deaths in the 2008-2009 period, with similar characteristics, according to sociodemographicvariables, with deaths mainly occurring among men of productive age (between 20 and 59 years) in the two biennia (72.75%;71.61%). Accidental deaths (transport, falls, drownings/submersions) were prevalent in the said periods (51.17%; 51.28%). Records of deaths due to external causes among health plans beneficiaries have decreased in Brazil, from 8.73% in 2006-2007 period to 8.35% from 2008 to 2009, with a negative percentage variation of -4.35. However, reports related to falls and self-harm have increased (positive percentage variations of 9.63 and 2.32, respectively). Conclusion: there was a change in the spatial distribution of deaths due to external causes among health plan beneficiaries, which allows analysis to support preventive measures.


Objetivos: describir el perfil epidemiológico y la distribución de los óbitos notificados por causas externas en beneficiarios deplanes médicos en Brasil entre los bienios 2006-2007 y 2008-2009. Método: estudio epidemiológico y descriptivo, cuyos datos seaccedieron a través del Sistema de Informaciones sobre Mortalidad en Salud Complementaria en enero de 2016. Se analizaron pormedio de estadística descriptiva, cambios porcentuales y razones de proporcionalidad entre los bienios. Resultados: se evidenció la notificación de 19.514 óbitos en el período de 2006 a 2007 y 20.796 entre el 2008 y el 2009, con características similares, según lasvariables sociodemográficas, siendo que los óbitos sucedieron, principalmente, entre hombres en edad productiva (de 20 a 59 añosde edad) en ambos bienios (72,75%; 71,61%). Los óbitos debido a causas accidentales (transporte, caídas, ahogos/sumersión) prevalecieron en esos períodos (51,17%; 51,28%). Los registros de óbitos por causas externas entre beneficiarios de planes médicos disminuyeron en Brasil, pasando de 8,73% en 2006-2007 a 8,35% en 2008-2009 con cambios porcentuales negativos de -4,35. Sinembargo, aumentaron las notificaciones relacionadas con las caídas y lesiones auto-provocadas (cambio porcentual positivo de9,63 y 2,32, respectivamente). Conclusión: se observó el cambio de la distribución espacial de los óbitos provenientes de causas externas entre beneficiarios de planes médicos, permitiendo un análisis para subsidiar medidas preventivas.


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Mortalidade , Causas Externas , Saúde Suplementar , Sistemas de Informação
19.
Rev. direito sanit ; 19(1): 117-120, 2018.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-915722

RESUMO

O "Tema em Debate" desta edição da Revista de Direito Sanitário trata do "Direito à saúde nas cortes superiores". São três artigos, em que são abordadas decisões judiciais relacionadas a importantes questões da teoria do direito e da vida em sociedade. O primeiro trata dos conflitos morais enfrentados pelos magistrados federais. O segundo aborda a judicialização da saúde suplementar. E o último investiga decisões indenizatórias do Superior Tribunal de Justiça em danos obstétricos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde , Judicialização da Saúde , Direito à Saúde , Decisões Judiciais , Saúde Suplementar
20.
Rev. direito sanit ; 19(1): 166-187, 2018.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-915906

RESUMO

Este estudo aborda a judicialização na saúde suplementar por meio da análise de ações judiciais contidas na base pública on-line do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Com a aplicação de formulário, foram analisadas 4.059 ações relacionadas a contratos coletivos de planos de saúde, ajuizadas no Município de São Paulo nos anos de 2013 e 2014. Além de quantificar e descrever o perfil das demandas levadas à Justiça, buscou-se a análise qualitativa de decisões judiciais. O estudo identificou que os principais problemas judicializados são exclusão de coberturas, manutenção do aposentado no contrato coletivo e reajuste de mensalidade de idosos por mudança de faixa etária e por aumento de sinistralidade. Conclui-se que a regulação e a jurisprudência são desarmônicas, apresentando-se sugestões de mudanças regulatórias necessárias para diminuição de conflitos que permeiam o mercado de planos e seguros de saúde.


This study aims to approach judicialization in private health insurance through the analysis of lawsuits contained in the public online database of the Court of Justice of the State of São Paulo. Through the application of a form, 4,059 lawsuits were analyzed, all related to collective contracts of private health insurance, filed in the city of São Paulo during 2013 and 2014. Besides of quantifying and describing the profile of the demands brought to justice, a qualitative analysis of judicial decisions was performed. The study identified the main issues judicialialized as coverage reductions, the maintenance of members of collective contracts even after retirement, and increases in monthly payments for members as they become older and charges for increased risk. Concluding that regulations and jurisprudence are discordant, the study suggests regulatory changes aiming at the reduction of conflicts that permeate the private health insurance market.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Regulação e Fiscalização em Saúde , Judicialização da Saúde , Decisões Judiciais , Planos de Pré-Pagamento em Saúde/legislação & jurisprudência , Saúde Suplementar/legislação & jurisprudência , Direito à Saúde
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA