Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 61.205
Filtrar
1.
Rev. Odontol. Araçatuba (Impr.) ; 41(3): 22-28, set./dez. 2020. tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1121727

RESUMO

Objetivo: verificar a eficácia das técnicas de higiene oral, solução de clorexidina com gaze e espátula e da escovação dentária com solução de clorexidina no controle microbiológico oral de pacientes internados em UTI. Metodologia: as bases de dados utilizadas foram PUB MED, MEDLINE, SCIELO e LILACS em março a julho de 2019. Foram incluídos artigos na língua inglesa e portuguesa, disponíveis em livre acesso com o texto completo, com período de publicação entre 2009 a 2019 e que abordassem sobre os métodos de higiene oral na UTI e relacionasse a enfermidades encontradas nesse ambiente. Resultados: foram encontrados 32 artigos, 8 se enquadravam nos critérios de inclusão. Os artigos de revisão evidenciaram a importância da higiene oral em pacientes com ventilação mecânica e relatam o uso da clorexidina como método eficaz na prevenção de PAV. Já nos estudos clínicos randomizados, mostram não haver diferença estatisticamente significativa entre o uso da escova dental e a solução de clorexidina 0,12%. Conclusão: ambos os métodos são eficientes na higienização oral de pacientes internados e que não há diferença significativa nos estudos quando comparam a escova de dentes com o uso da clorexidina com gaze para a higiene oral na UTI. Mas quando se fala em prevenção de PAV, a clorexidina 0,12% é o mais citado(AU)


Objective: to verify the effectiveness of oral hygiene techniques, chlorhexidine solution with gauze and spatula and toothbrushing with chlorhexidine solution in the oral microbiological control of patients admitted to the ICU. Methodology: the databases used were PUB MED, MEDLINE, SCIELO and LILACS in March to July 2019. Articles in English and Portuguese were included, freely available with the full text, with a period of publication between 2009 and 2019 and to address oral hygiene methods in the ICU and relate to diseases found in that environment. Results: 32 articles were found, 8 fit the inclusion criteria. The review articles highlighted the importance of oral hygiene in patients with mechanical ventilation and report the use of chlorhexidine as an effective method in preventing VAP. In randomized clinical studies, however, they show no statistically significant difference between the use of the toothbrush and the 0.12% chlorhexidine solution. Conclusion: both methods are efficient in oral hygiene of hospitalized patients and that there is no significant difference in the studies when comparing the toothbrush with the use of chlorhexidine with gauze for oral hygiene in the ICU. But when talking about VAP prevention, 0.12% chlorhexidine is the most cited(AU)


Assuntos
Higiene Bucal , Pacientes Internados , Unidades de Terapia Intensiva , Escovação Dentária , Clorexidina
2.
Estima (Online) ; 18(1): e1120, jan.-dez. 2020.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1103092

RESUMO

Objectives: To correlate the incidence of pressure injury (PI) with the average time of nursing care in an intensive care unit (ICU). Method: Epidemiological, observational, retrospective study, carried out in the ICU of a university hospital. Data were collected by consulting the PI incidence and the average nursing care time from ICU databases between 2010 and 2014. Measures of central tendency and variability, and Pearson's correlation coefficient were used for data analysis. Results: The average incidence of PI between 2010 and 2014 was 10.83% (SD = 2.87) and the average time spent in nursing care for patients admitted to the ICU was 15 hours (SD = 0.94). There was no statistically significant correlation between the incidence of PI and the nursing care time (r = -0.17; p = 0.199), however, the results suggested an overload on the nursing team. Conclusion: This study confirms the importance of implementing and reassessing the effectiveness of preventive care protocols for PI, in addition to warning about the work overload of nursing in assisting critically ill patients.


Assuntos
Incidência , Carga de Trabalho , Lesão por Pressão , Unidades de Terapia Intensiva , Cuidados de Enfermagem
3.
Rev. bioét. derecho ; (50): 99-112, nov. 2020.
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-191348

RESUMO

En el marco de una pandemia a escala mundial como la que representa el COVID-19 uno de los mayores dilemas bioéticos que se plantean es el de la gestión de determinados medios asistenciales escasos, tales como los respiradores (ventilación mecánica asistida), pues del acceso a los mismos dependen las posibilidades de supervivencia de numerosos pacientes en estado crítico. El presente trabajo trata de determinar los criterios para la gestión de dichos soportes vitales en un contexto de escasez extrema de los mismos para hacer frente a las necesidades de la totalidad de los pacientes que los requieren, analizando la literatura comparada sobre el particular, así como diferentes informes institucionales y de organismos en la esfera de la bioética


In the context of a worldwide pandemic such as COVID-19, one of the greatest bioethical dilemmas that arise is the management of certain scarce medical devices, such as ventilators (mechanical ventilation), since the survival of many critically ill patients depends on the access to these ventilators. The present paper tries to determine the criteria applicable for the management of these medical devices in a context of extreme scarcity to face the needs of all the patients who require them. To this end, the comparative literature on the subject as well as different institutional and academic reports in the field of bioethics are analysed


En el marc d'una pandèmia a escala mundial com la que representa la COVID-19 un dels majors dilemes bioètics que es plantegen és el de la gestió de determinats mitjans assistencials escassos, com ara els respiradors (ventilació mecànica assistida), ja que de l'accés als mateixos depenen les possibilitats de supervivència de nombrosos pacients en estat crític. El present treball pretén determinar els criteris per a la gestió d'aquests suports vitals en un context d'escassetat extrema dels mateixos per fer front a les necessitats de la totalitat dels pacients que els requereixen, analitzant la literatura comparada sobre el particular, així com diferents informes institucionals I d'organismes en l'esfera de la bioètica


Assuntos
Humanos , Sistemas de Manutenção da Vida/estatística & dados numéricos , Administração dos Cuidados ao Paciente , Infecções por Coronavirus/terapia , Pneumonia Viral/terapia , Pandemias , Triagem , Respiração Artificial , Ventiladores Mecânicos/provisão & distribução , Unidades de Terapia Intensiva/provisão & distribução
4.
Rev. esp. anestesiol. reanim ; 67(8): 425-437, oct. 2020. tab, graf
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-192474

RESUMO

ANTECEDENTES: No se ha reportado plenamente la evolución clínica de los pacientes críticos de COVID-19 durante su ingreso en la unidad de cuidados intensivos (UCI), incluyendo las complicaciones médicas e infecciosas y terapias de soporte, así como su asociación con la mortalidad en ICU. OBJETIVO: El objetivo de este estudio es describir las características clínicas y la evolución de los pacientes ingresados en UCI por COVID-19, y determinar los factores de riesgo de la mortalidad en UCI de dichos pacientes. MÉTODOS: Estudio prospectivo, multi-céntrico y de cohorte, que incluyó a los pacientes críticos de COVID-19 ingresados en 30 UCIs de España y Andorra. Se incluyó a los pacientes consecutivos de 12 de Marzo a 26 de Mayo de 2020 si habían fallecido o habían recibido el alta de la UCI durante el periodo de estudio. Se reportaron los datos demográficos, síntomas, signos vitales, marcadores de laboratorio, terapias de soporte, terapias farmacológicas, y complicaciones médicas e infecciosas, realizándose una comparación entre los pacientes fallecidos y los pacientes dados de alta. RESULTADOS: Se incluyó a un total de 663 pacientes. La mortalidad general en UCI fue del 31% (203 pacientes). Al ingreso en UCI los no supervivientes eran más hipoxémicos [SpO2 sin mascarilla de no reinhalación, de 90 (RIC 83-93) vs 91 (RIC 87-94); p < 0,001] y con mayor puntuación en la escala SOFA - Evaluación de daño orgánico secuencial - [SOFA, 7 (RIC 5-9) vs 4 (RIC 3-7); p < 0,001]. Las complicaciones fueron más frecuentes en los no supervivientes: síndrome de distrés respiratorio agudo (SDRA) (95% vs 89%; p = 0,009), insuficiencia renal aguda (IRA) (58% vs 24%; p < 10−16), shock (42% vs 14%; p < 10−13), y arritmias (24% vs 11%; p < 10−4). Las súper-infecciones respiratorias, infecciones del torrente sanguíneo y los shock sépticos fueron más frecuentes en los no supervivientes (33% vs 25%; p = 0,03, 33% vs 23%; p = 0,01 y 15% vs 3%, p = 10−7), respectivamente. El modelo de regresión multivariable reflejó que la edad estaba asociada a la mortalidad, y que cada año incrementaba el riesgo de muerte en un 1% (95%IC: 1-10, p = 0,014). Cada incremento de 5 puntos en la escala APACHE II predijo de manera independiente la mortalidad [OR: 1,508 (1,081, 2,104), p = 0,015]. Los pacientes con IRA [OR: 2,468 (1,628, 3,741), p < 10−4)], paro cardiaco [OR: 11,099 (3,389, 36,353), p = 0,0001], y shock séptico [OR: 3,224 (1,486, 6,994), p = 0,002] tuvieron un riesgo de muerte incrementado. CONCLUSIONES: Los pacientes mayores de COVID-19 con puntuaciones APACHE II más altas al ingreso, que desarrollaron IRA en grados II o III y/o shock séptico durante la estancia en UCI tuvieron un riesgo de muerte incrementado. La mortalidad en UCI fue del 31%


BACKGROUND: The clinical course of COVID-19 critically ill patients, during their admission in the intensive care unit (UCI), including medical and infectious complications and support therapies, as well as their association with in-ICU mortality has not been fully reported. OBJECTIVE: This study aimed to describe clinical characteristics and clinical course of ICU COVID-19 patients, and to determine risk factors for ICU mortality of COVID-19 patients. METHODS: Prospective, multicentre, cohort study that enrolled critically ill COVID-19 patients admitted into 30 ICUs from Spain and Andorra. Consecutive patients from March 12th to May 26th, 2020 were enrolled if they had died or were discharged from ICU during the study period. Demographics, symptoms, vital signs, laboratory markers, supportive therapies, pharmacological treatments, medical and infectious complications were reported and compared between deceased and discharged patients. RESULTS: A total of 663 patients were included. Overall ICU mortality was 31% (203 patients). At ICU admission non-survivors were more hypoxemic [SpO2 with non-rebreather mask, 90 (IQR 83-93) vs 91 (IQR 87-94); p < 0.001] and with higher sequential organ failure assessment score [SOFA, 7 (IQR 5-9) vs 4 (IQR 3-7); p < 0.001]. Complications were more frequent in non-survivors: acute respiratory distress syndrome (ARDS) (95% vs 89%; p = 0.009), acute kidney injury (AKI) (58% vs 24%; p < 10−16), shock (42% vs 14%; p < 10−13), and arrhythmias (24% vs 11%; p < 10−4). Respiratory super-infection, bloodstream infection and septic shock were higher in non-survivors (33% vs 25%; p = 0.03, 33% vs 23%; p = 0.01 and 15% vs 3%, p = 10−7), respectively. The multivariable regression model showed that age was associated with mortality, with every year increasing risk-of-death by 1% (95%CI: 1-10, p = 0.014). Each 5-point increase in APACHE II independently predicted mortality [OR: 1.508 (1.081, 2.104), p = 0.015]. Patients with AKI [OR: 2.468 (1.628, 3.741), p < 10−4)], cardiac arrest [OR: 11.099 (3.389, 36.353), p = 0.0001], and septic shock [OR: 3.224 (1.486, 6.994), p = 0.002] had an increased risk-of-death. CONCLUSIONS: Older COVID-19 patients with higher APACHE II scores on admission, those who developed AKI grades II or III and/or septic shock during ICU stay had an increased risk-of-death. ICU mortality was 31%


Assuntos
Humanos , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Síndrome Respiratória Aguda Grave/mortalidade , Vírus da SARS/patogenicidade , Estudos Prospectivos , Unidades de Terapia Intensiva/estatística & dados numéricos , Mortalidade Hospitalar/tendências , Índice de Gravidade de Doença
9.
Dtsch Med Wochenschr ; 145(20): 1470-1475, 2020 Oct.
Artigo em Alemão | MEDLINE | ID: mdl-33022728

RESUMO

Decisions about the initiation, continuation and termination of life-supporting treatments are a permanent challenge in intensive care units (ICUs). Decisions should be based on patient preferences and the medical indication. The medical indication is mainly the result of an assessment of the patient's prognosis and the applicable therapeutic options. Factors influencing the short term prognosis are mostly the severity of the acute leading disease, the number and severity of other organ failures and the response to initial treatment. Long term prognosis is dominated by the severity and number of comorbidities, age and the resulting frailty. Because in many patients all these informations are not available at the time of admission, in these cases a time-limited trial is often justified to gather all this information before a decision is made. These principles of decision making can also applied to situations in which ICU-capacities are limited (e. g. COVID-19 pandemic).


Assuntos
Tomada de Decisão Clínica , Cuidados Críticos , Betacoronavirus , Infecções por Coronavirus , Humanos , Unidades de Terapia Intensiva , Pandemias , Pneumonia Viral , Prognóstico
10.
Salvador; s.n; 02 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 192).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122586

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 02/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.107,19/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Hospitalização/estatística & dados numéricos , Unidades de Terapia Intensiva
11.
Salvador; s.n; out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 193).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122621

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 03/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.115,98/100.000 habitantes


Assuntos
Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Síndrome Respiratória Aguda Grave/diagnóstico , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Pandemias , Unidades de Terapia Intensiva
12.
Salvador; s.n; 04 set. 2020. 18 p. ilus, graf, tab, mapas.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 194).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122627

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 04/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.120,88/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Unidades de Terapia Intensiva
13.
Salvador; s.n; 04 out. 2020. 19 p. ilus, graf, tab, mapas.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 195).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122630

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 05/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.124,68/100.000 habitantes


Assuntos
Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Unidades de Terapia Intensiva
14.
Salvador; s.n; 06 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 196).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122633

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 06/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.139,08/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Síndrome Respiratória Aguda Grave/diagnóstico , Grupos de Populações Continentais , Unidades de Terapia Intensiva
15.
Salvador; s.n; 07 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 197).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122636

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 07/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.151,41/100.000 habitantes


Assuntos
Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Grupos de Populações Continentais , Unidades de Terapia Intensiva
16.
Salvador; s.n; 09 out. 2020. 19 p. ilus, graf, tab, mapas.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 199).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122666

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 09/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.173,12/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Síndrome Respiratória Aguda Grave/diagnóstico , Pandemias , Hospitalização/estatística & dados numéricos , Unidades de Terapia Intensiva
17.
Salvador; s.n; 10 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 200).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122669

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 10/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.184,92/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Incidência , Síndrome Respiratória Aguda Grave/diagnóstico , Unidades de Terapia Intensiva
18.
Salvador; s.n; 11 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 201).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122673

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 11/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.191,59/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Síndrome Respiratória Aguda Grave/diagnóstico , Grupos de Populações Continentais , Pandemias , Povos Indígenas , Unidades de Terapia Intensiva
19.
Salvador; s.n; 13 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 203).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122689

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 13/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.200,80/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Pandemias , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Ocupação de Leitos , Grupos de Populações Continentais , Unidades de Terapia Intensiva
20.
Salvador; s.n; 14 out. 2020. 19 p. ilus, graf, mapas, tab.(Boletim Epidemiológico COVID-19 Bahia, 204).
Monografia em Português | Coleciona SUS, CONASS, SES-BA | ID: biblio-1122693

RESUMO

O boletim descreve de forma detalhada a situação da COVID-19 no Estado da Bahia desde o inicio da pandemia. Contempla informações relacionadas ao registro de casos notificados da COVID-19, taxa de crescimento, distribuição de casos confirmados nos Núcleos Regionais Saúde, casos confirmados segundo raça/cor, ocupação de leitos de UTI, perfil dos casos de Síndrome Multissistêmica Pediátrica, número de curados, número de óbitos. Até 14/10/2020 no Estado da Bahia, o coeficiente de incidência foi de 2.217,34/100.000 habitantes


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pneumonia Viral/epidemiologia , Ocupação de Leitos/estatística & dados numéricos , Infecções por Coronavirus/mortalidade , Infecções por Coronavirus/epidemiologia , Monitoramento Epidemiológico , Betacoronavirus , Grupos de Populações Continentais , Pandemias , Unidades de Terapia Intensiva
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA