Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.523
Filtrar
1.
Estud. pesqui. psicol. (Impr.) ; 18(4): 1372-1392, out.-dez. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-995106

RESUMO

En el presente artículo se reconstruye la trama específica en la que surgió la categoría mujer golpeada en la psicología argentina, en una peculiar circulación entre sociedad civil y Estado. Desde el enfoque de la historia crítica de la psicología junto a los aportes de la historia reciente, se analiza el proceso de recepción que se produjo en el escenario local, en el entrecruzamiento de la agenda de los derechos humanos con el ideario feminista. Se analiza cómo la violencia de género fue incluida en la agenda gubernamental, en los espacios de activismo feminista y en la producción teórica de la psicología. Se da cuenta de las solidaridades y diferencias entre estos ámbitos, poniendo en evidencia los entramados representacionales y valorativos implicados en los usos de diferentes categorías.(AU)


Neste artigo, reconstruímos a maneira como a categoria mulher maltratada surgiu na psicologia argentina, numa circulação peculiar entre a sociedade civil e o Estado. A partir da abordagem da história crítica da psicologia com as contribuições da história recente, analisamos a recepção no cenário local, na interligação da agenda de direitos humanos com o ideário feminista. Analisamos como a violência de gênero foi incluída na agenda governamental, no ativismo feminista e na produção teórica da psicologia. Incluímos a solidariedade e as diferenças entre essas áreas, levando em conta as representações e valores envolvidos nos usos das diferentes categorias.(AU)


In this article, we reconstruct the way in which the battered woman category emerged in Argentine psychology, in a peculiar circulation between civil society and the State. From the approach of the critical history of psychology to the contributions of recent history, we analyze the reception in the local scene, in the interconnection of the human rights agenda with the feminist ideology. We analyzed how gender violence was included in the governmental agenda, in feminist activism and in the theoretical production of psychology. We include solidarity and the differences between these areas, taking into account the representations and values involved in the uses of the different categories.(AU)


Assuntos
Violência contra a Mulher , Violência de Gênero/psicologia , Psicologia/história , Mulheres Maltratadas/psicologia
2.
RECIIS (Online) ; 13(2): 261-272, abr.-jun. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005595

RESUMO

Nos textos jornalísticos, chama a atenção a diferença entre as imagens de casos de violência contra a mulher cisgênero e heterossexual e as contra pessoas LGBTQ+. Tratando-se das pessoas LGBTQ+, as imagens costumam ser brutais, com exposição de sangue e de corpos feridos por armas diversas. Já a cobertura de casos de violência contra a mulher cis e heterossexual é diametralmente oposta: as imagens tendem a ser pouco contundentes, muitas vezes mostrando paisagens de lugares onde ocorreram os crimes, em alguns casos mostrando os rostos de agressores e vítimas, nunca cenas de sangue ou corpos com marcas de agressão. Neste artigo, tomamos a instabilidade textual como ponto de partida para refletirmos sobre o contraste entre os modos de tratamento jornalístico conferidos no Brasil a essas duas violências e o que impacta no entendimento acerca das relações que conformam a visualidade e a cultura visual.


In Brazilian journalistic texts, the difference between the images of cases of violence against cis and heterosexual women and those against LGBTQ+ people are astonishing. In the case of LGBTQ+ people, the images are usually brutal, with exposure of blood and bodies injured by various weapons. The coverage of cases of violence against cis and heterosexual women is the opposite: the images tend to be inconclusive, often showing landscapes of places where crimes occurred, sometimes showing the faces of perpetrators and victims and never scenes of blood or bodies with marks of aggression. In this article, we take the textual instability as a starting point to reflect on the contrast between the ways of journalistic treatment in Brazil conferred to these two violences and what impacts on the understanding about the relations that conform the visuality and the visual culture.


En los textos periodísticos, llama la atención la diferencia entre las imágenes de casos de violencia contra la mujer cis heterosexual y las contra personas LGBTQ+. Tratándose de las personas LGBTQ+, las imágenes suelen ser brutales, con exposición de sangre y de cuerpos heridos por armas diversas. La cobertura de casos de violencia contra la mujer cis heterosexual es diametralmente opuesta: las imágenes tienden a ser poco contundentes, muchas veces mostrando paisajes de lugares donde ocurrieron los crímenes, en algunos momentos mostrando los rostros de agresores y víctimas y nunca escenas de sangre o cuerpos con marcas de agresión. En este artículo tomamos la inestabilidad textual como punto de partida para reflexionar sobre el contraste entre los modos de tratamiento periodístico en Brasil conferidos a esas dos violencias y lo que impacta en el entendimiento acerca de las relaciones que conforman la visualidad y la cultura visual.


Assuntos
Humanos , Mulheres , Jornalismo , Cultura , Violência contra a Mulher , Minorias Sexuais e de Gênero , Identidade de Gênero , Violência , Brasil , Heterossexualidade , Ódio
3.
J. Health Biol. Sci. (Online) ; 7(3): 258-264, jul.-set. 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1005640

RESUMO

Objetivo: descrever o perfil das notificações da violência física ou sexual contra mulheres de 10 a 49 anos no Piauí. Métodos: estudo descritivo e de série temporal, tendo como base os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificações entre 2009 e 2016. Análises bivariada e múltipla por regressão logística foram realizadas, com cálculo de odds ratio ajustadas (ORaj) e intervalos de confiança de 95% (IC95%). Resultados: houve notificação de 7.783 casos de violência contra mulheres de 10 a 49 anos, sendo 62,3% de agressão física e 23,1% de abuso sexual. Ocorreu maior chance de violência física entre mulheres com 20 anos ou mais (ORaj=1,68;IC95% 1,49-2,07), casadas/ união estável (ORaj=2,18;IC95% 1,98-2,32), praticada pelo parceiro íntimo (ORaj=2,20;IC95% 1,44-2,97) e no ambiente doméstico (ORaj=2,22;IC95% 1,55-3,41). Por sua vez, houve maior chance de violência sexual entre adolescentes de 10 a 19 anos (ORaj=1,78;IC95% 1,44-2,19), solteiras (ORaj=1,94;IC95% 1,33-2,51), perpetrada por desconhecidos (ORaj=1,88;IC95% 1,30-2,84) e na via pública (ORaj=2,04;IC95% 1,66-2,49). Conclusão: o perfil da violência física é diferente daquele da violência sexual, sendo a agressão física mais frequente entre mulheres casadas, no âmbito privado e por parceiro íntimo, enquanto o abuso sexual foi mais comum entre solteiras, praticado em local público e por desconhecidos. Os dados reforçam que o conhecimento desses perfis possibilita intervenções intersetoriais para prevenção e redução de danos da violência contra a mulher.


Objective: to describe the profile of physical or sexual violence against women aged 10-49 in Piauí, Brazil. Methods: descriptive and time-series study based on data from the Notification of Injury Information System, 2009-2016. Bivariate and multiple logistic regression analyses were performed, with adjusted odds ratio calculation (ORaj) and 95% confidence intervals (95%CI). Results: there were 7,783 reported cases of violence against women aged 10-49, 62.3% of whom being physical aggression and 23.1% being sexual abuse. There was greater chance of physical violence among women aged 20 or older (ORadj=1.68;95%CI 1.49-2.07), married/ stable union (ORadj=2.18;95%CI 1.98-2.32), perpetrated by intimate partner (ORadj=2.20;95%CI 1.44-2.97), and in the domestic environment (ORadj=2.22;95%CI 1.55-3.41). In turn, there was greater chance of sexual violence among adolescents aged 10-19 (ORadj=1.78;95%CI 1.44-2.19), single (ORadj=1.94;95%CI 1.33-2.51), committed by strangers (ORadj=1.88;95%CI 1.30-2.84), and in the public place (ORadj=2.04;95%CI 1.66-2.49). Conclusion: physical violence and sexual violence have different profiles, being physical aggression more frequent among married women, in private and by intimate partner, while sexual abuse was more common among single women, practiced in public place and by unknown persons. The data reinforce that the knowledge of these profiles can enable intersectoral interventions for preventing violence against women and reducing its harm.


Assuntos
Violência contra a Mulher , Delitos Sexuais , Sistemas de Informação , Violência por Parceiro Íntimo
4.
An. psicol ; 35(2): 300-313, mayo 2019. graf, tab
Artigo em Inglês | IBECS | ID: ibc-181700

RESUMO

Esta revisión bibliográfica sintetiza los resultados de estudios meta analíticos sobre factores de riesgo y protección asociados a la Violencia en el Noviazgo (VN). Se incluyeron 15 meta-análisis publicados entre 1997-2018, N = 1784018, y se clasificaron según el modelo socio-ecológico. Se calcularon las Zr media para cada variable y nivel, incluyendo las diferencias en los tamaños del efecto medio entre victimización y perpetración de VN y, posteriormente, se transformaron a r. Se encontró que los factores de riesgo con mayor peso asociados a VN, según nivel, fueron: (1) individual: consumo de tabaco y embarazo precoz (victimización) y sexo (perpetración/victimización); (2) microsistema: acoso sexual de pares (victimización), VN de los pares, tener amigos con conductas problemáticas y sufrir violencia en familia de origen (perpetración/victimización); (3) exosistema: edad (victimización) y barrio (perpetración/victimización) y (4) macrosistema: minoría cultural y desventaja económica (perpetración/victimización). Factores protectores de VN fueron: apoyo social de pares y parentalidad positiva, pero con menos peso. El tamaño del efecto fue mayor para las variables de nivel exo, frente a las macro, individual y micro respectivamente. Hay diferencias entre los tamaños del efecto totales, siendo en el exosistema mayor en victimización que en perpetración. Delimitar los factores de riesgo y protección con mayor efecto sobre VN resulta fundamental para prevenir este problema


This study summarizes the results of meta-analyses about risk and protective factors related to dating violence (DV). Fifteen studies were included from 1997 to 2018, N = 1784018. The results were classified according to ecological theory. The Zr’s were calculated for each factor and level of analyses, including the differences between victimization and perpetration effect sizes. According to the level of analysis, results showed that the effect sizes were greater for: (1) individual level: cigarette smoking, adolescent pregnancy (victimization) and sex (perpetration/victimization); (2) microsystem: peer sexual harassment, (victimization), peer DV, deviant peers and family violence (perpetration/ victimization); (3) Exosystem: age (victimization) and violent neighborhoods (perpetration/ victimization), and (4) macrosystem: cultural minority and disadvantaged neighborhoods (perpetration / victimization). DV protective factors which had lowest effect sizes were: parental and peers support; and highest effect sizes were in the exo and macro-level, and then in individual and micro-level. Furthermore, statistically significant differences between total effect sizes were found, being higher to victimization than perpetration. Delimiting the most important risk and protective factors on DV have important implications for prevention and intervention


Assuntos
Humanos , Violência por Parceiro Íntimo/psicologia , Violência contra a Mulher , Exposição à Violência/prevenção & controle , Fatores de Risco , Fatores de Proteção , Apoio Social , Características da Família , Delitos Sexuais/psicologia
5.
San Salvador; s.n; abr. 2019. 80 p. tab, graf.
Tese em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1007288

RESUMO

OBJETIVO: Evaluar el protocolo de seguimiento a mujeres afectadas por violencia sexual que son atendidas en la Unidad de Emergencia del Hospital Nacional de la Mujer "Dra. María Isabel Rodríguez", 2017. METODOLOGÍA: Población de 104 pacientes que consultaron durante el 2017. Muestra de 89 pacientes que cumplieron los criterios de inclusión. Estudio descriptivo, retrospectivo y cuantitativo. Tabulación y procesamiento de datos se realizó a través de una matriz de Excel. RESULTADOS: Un 59.55% de las víctimas son menores de edad y provienen del gran San Salvador. El 30.33% de las pacientes han cursado hasta la secundaria, 86.52% son solteras y 67.41% son nulíparas. En este último rubro 5.6% estaban embarazadas producto de la agresión sexual. Muchas de las acciones contempladas en el protocolo se están realizando sin seguir la guía, dejando a discreción del evaluador la atención. En cuanto al llenado correcto de la hoja de seguimiento en la mayoría de los casos se hizo de manera correcta en los diferentes controles a los que asistió la paciente; sin embargo llama la atención el ausentismo de las pacientes. CONCLUSIONES: Los datos sociodemográficos encontrados no difieren de las estadísticas; mujeres menores de 18 años, bajo nivel educativo, solteras, habitan en zonas de conflicto, nulíparas y se documentan embarazos productos de la agresión sexual. Se debe de estandarizar la manera de atender a las pacientes de modo que los prestadores de servicios se apeguen a los lineamientos. La calidad del llenado del instrumento de seguimiento se realiza de manera correcta, sin embargo el alto número de ausentismo en sus controles fue una de las limitantes para establecer una muestra representativa


Assuntos
Humanos , Feminino , Delitos Sexuais , Violência , Violência contra a Mulher
6.
Nursing (Säo Paulo) ; 22(251): 2926-2931, abr.2019.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-998879

RESUMO

Objetivou-se identificar o conhecimento de acadêmicos de enfermagem acerca da temática violência contra a mulher. O estudo é do tipo descritivo com abordagem qualitativa. A amostra foi constituída por 40 Acadêmicos do Curso de Enfermagem concluintes do 9° semestre da Faculdade de Enfermagem do Instituto de Ciências da Saúde, da Universidade Federal do Pará. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada e utilizou-se a análise de conteúdo de Bardin. Os depoimentos referiram a importância da temática ser abordada na Graduação, de tal modo que contribua para sua formação profissional tornandoos preparados para o enfrentamento e melhoria da assistência a essas mulheres vítima de violência. Conclui-se que a formação profissional na área da saúde para cuidar de mulheres vítimas de violência ainda é insatisfatória. Espera-se que este estudo contribua para o aumentado da visibilidade do tema no meio acadêmico, fazendo com que a Graduação seja um ambiente de fomentação de debate e reflexão.(AU)


The aim of this study was to identify the knowledge of nursing students about the theme of violence against women. The study is descriptive with a qualitative approach. The sample consisted of 40 undergraduate students of the Nursing Course who completed the 9th semester of the Nursing Faculty of the Health Sciences Institute of the Federal University of Pará. Data collection was performed through a semi-structured interview and the analysis was used of Bardin content. The testimonies mentioned the importance of the subject being approached in the Graduation, in such a way that it contributes to their professional formation making them prepared for the confrontation and improvement of the assistance to these women victims of violence. It is concluded that professional training in the area of health care for women victims of violence is still unsatisfactory. It is hoped that this study contributes to the increase of the visibility of the subject in the academic environment, making graduation an environment of fomenting debate and reflection.(AU)


Se objetivó identificar el conocimiento de académicos de enfermería acerca de la temática violencia contra la mujer. El estudio es del tipo descriptivo con enfoque cualitativo. La muestra fue constituida por 40 Académicos del Curso de Enfermería concluyentes del 9º semestre de la Facultad de Enfermería del Instituto de Ciencias de la Salud de la Universidad Federal de Pará. La recolección de datos fue realizada por medio de una entrevista semiestructurada y se utilizó el análisis de contenido de Bardin. Los testimonios refirieron la importancia de la temática ser abordada en la Graduación, de tal modo que contribuya a su formación profesional haciéndolos preparados para el enfrentamiento y mejora de la asistencia a esas mujeres víctima de violencia. Se concluye que la formación profesional en el área de la salud para cuidar de mujeres víctimas de violencia sigue siendo insatisfactoria. Se espera que este estudio contribuya al aumento de la visibilidad del tema en el medio académico, haciendo que la Graduación sea un ambiente de fomentación de debate y reflexión.(AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Estudantes de Enfermagem , Violência contra a Mulher , Promoção da Saúde , Saúde da Mulher
7.
Artigo em Espanhol | PAHO-IRIS | ID: phr-50724

RESUMO

[RESUMEN]. Objetivo. Esta revisión sintetiza la evidencia cuantitativa, general y desglosada por categorías tipológicas de la falta de respeto y maltrato en la atención institucional del parto y el aborto en América Latina y el Caribe. Métodos. Mediante búsquedas sistemáticas se identificaron 18 estudios primarios. Se calcularon Q e I2 y se realizaron metaanálisis, metarregresiones y análisis de subgrupos con la aplicación de un modelo de DerSimonian-Laird de efectos aleatorios agrupados con varianza inversa y la transformación arco-seno doble de Freeman-Tukey. Resultados. Se identificaron estudios realizados en cinco países de América Latina. No se identificaron estudios del Caribe. La prevalencia agregada de falta de respeto y maltrato durante el parto y el aborto fue de 39%. La medida agregada para este fenómeno durante el parto fue de 43% y la medida agregada en los casos de aborto fue de 29%. La heterogeneidad elevada no permitió generar medidas agregadas según categorías tipológicas. No obstante, se presentan las frecuencias de formas específicas del fenómeno agrupadas tipológicamente. Conclusiones. La evidencia sugiere que la falta de respeto y maltrato durante la atención del parto y el aborto son problemas de derechos humanos y salud pública prevalentes en algunos países de la Región. Es necesario lograr consenso internacional sobre la definición y operacionalización de este problema y desarrollar métodos estandarizados para su medición. Lo anterior es imprescindible para el alcance de las metas de la Agenda 2030 relacionadas con la reducción de la morbimortalidad maternoperinatal y la eliminación de todas las formas de violencia y discriminación contra la mujer.


[ABSTRACT]. Objective. This review synthesizes the evidence (quantitative, general, and by typological categories) of disrespect and abuse during childbirth and abortion in health facilities in Latin America and the Caribbean. Methods. Systematic searches identified 18 primary studies. Q and I2 were calculated, meta-analyses and meta-regressions were performed, and subgroups were analyzed using a DerSimonian and Laird random-effects model grouped by inverse variance and the Freeman-Tukey double arcsine transformation. Results. Studies conducted in five Latin American countries were identified. No studies from the Caribbean were found. The aggregate prevalence of disrespect and abuse during childbirth and abortion was 39%. The aggregated prevalence of the phenomenon in childbirth was 43% and 29% during abortion. The high heterogeneity made it impossible to generate aggregate measures according to typological categories. Nevertheless, the frequencies of specific forms of the phenomenon were grouped typologically. Conclusions. The evidence suggests that disrespect and abuse during childbirth and abortion care are human-rights and public-health problems that are prevalent in some countries of the Region. It is necessary to reach international consensus on the definition and operationalization of this problem and to develop standardized methods for its measurement. Doing so is essential in order to achieve the targets of the 2030 Agenda related to reducing maternal and newborn morbidity and mortality and eliminating all forms of violence and discrimination against women.


[RESUMO]. Objetivo. Esta revisão sintetiza as evidências quantitativas, gerais e desagregadas por categorias tipológicas do desrespeito e maus-tratos na atenção institucional ao parto e ao aborto na América Latina e Caribe. Métodos. Dezoito estudos primários foram identificados por meio de buscas sistemáticas. Foi feito o cálculo de Q e I2 e realizadas meta-análises, metarregressões e análises de subgrupos com um modelo de DerSimonian e Laird de efeitos aleatórios agrupados com variância inversa e transformação de Freeman-Tukey (duplo arco-seno). Resultados. Foram identificados estudos realizados em cinco países da América Latina. Não foi identificado nenhum estudo no Caribe. Observou-se uma prevalência agregada de 39% de desrespeito e maus-tratos durante o parto e o aborto. A medida agregada para este fenômeno durante o parto foi 43% e a medida agregada nos casos de aborto foi 29%. Devido à alta heterogeneidade, não foi possível gerar medidas agregadas segundo categorias tipológicas. No entanto, são descritas as frequências de formas específicas do fenômeno agrupadas tipologicamente. Conclusões. As evidências indicam que o desrespeito e os maus-tratos na atenção ao parto e ao aborto são uma questão de direitos humanos e de saúde pública prevalente em alguns países da Região. É preciso chegar a um consenso internacional sobre a definição e a operacionalização deste problema e elaborar métodos padronizados para mensurá-lo. Isso é imprescindível para o alcance das metas da Agenda 2030 relativas à redução da morbidade e mortalidade materna e perinatal e à eliminação de todas as formas de violência e discriminação contra a mulher.


Assuntos
Violência contra a Mulher , Parto Humanizado , Serviços de Saúde da Mulher , Aborto , Parto , Violência contra a Mulher , Parto Humanizado , Serviços de Saúde da Mulher , Aborto , Parto , Violência contra a Mulher , Serviços de Saúde da Mulher
8.
Artigo em Português | PAHO-IRIS | ID: phr-50552

RESUMO

[RESUMO]. Objetivo. Conhecer a rota crítica de mulheres em situação de violência doméstica no mundo em sua busca por ajuda. Métodos. Revisão integrativa, com busca realizada nas bases de dados LILACS, MEDLINE via PubMed, EMBASE, Scopus e Web of Science. Não houve restrição quanto ao ano inicial das publicações, porém estabeleceu-se 2017 como ano final. Foram incluídos artigos com disponibilidade do texto integral on-line, publicados em português, inglês ou espanhol, que tratassem do tema da pesquisa e respondessem à pergunta norteadora (“Qual a rota crítica de mulheres em situação de violência doméstica?”). Resultados. Foram incluídos 38 artigos, publicados de 2001 a 2017. Entre os fatores impulsores da busca por ajuda identificaram-se empoderamento econômico e alta escolaridade, severidade da violência e presença de serviços de apoio estruturados e qualificados. Como inibidores identificaram-se o fato de a mulher ser imigrante, a existência de normas culturais de gênero, sentimentos de culpa, medo e vergonha, falta de confiança e pouco conhecimento e/ou disponibilidade limitada de serviços de apoio formal. Filhos, apoio da família e comunidade podem ser fatores inibidores ou impulsores da busca por ajuda. Os tipos de ajuda formal mais procurados são a polícia e os serviços de saúde, enquanto a família, a comunidade e as lideranças religiosas se configuram como apoios informais. Conclusão. A rota crítica das mulheres em situação de violência doméstica no mundo existe de maneira formal e informal. Portanto, é preciso trabalhar questões socioculturais, comunitárias e familiares para incentivar a mulher a romper com a situação de violência, incluindo a busca pela rede de apoio formal qualificada.


[ABSTRACT Objective. To identify the critical pathway taken by women facing domestic violence in the world in their search for help. Method. An integrative review was performed. LILACS, MEDLINE/ PubMed, EMBASE, Scopus, and Web of Science databases were searched until year 2017. The following were inclusion criteria: full text available online, Portuguese, Spanish, or English as language of publication, focus on the theme of interest, and answering the guiding question (Which critical path is taken by women facing domestic violence?). Results. Thirty-eight articles published from 2001 to 2017 were included. Factors driving the search for help included economic empowerment and increased schooling, severity of the violence, and presence of structured and qualified support services. Factors inhibiting the search for help were immigrant status, cultural gender norms, feelings of guilt, fear, and shame, lack of confidence and little knowledge and/or limited availability of formal support services. Children as well as family and community support may function as both inhibitors or drivers of the search for help. The types of formal help most often sought are police and health care services, whereas family, community, and religious leadership provide informal support. Conclusion. The critical pathway of women facing domestic violence in the world includes both formal and informal elements. Therefore, it is necessary to address sociocultural, community, and family issues so as to encourage women to break free from the violent environment and seek qualified formal support networks.


[RESUMEN]. Objetivo. Conocer la ruta crítica que recorren las mujeres en situación de violencia doméstica en el mundo en su búsqueda de ayuda. Métodos. Revisión integradora, con una búsqueda realizada en las bases de datos LILACS, MEDLINE vía PubMed, BASE, Scopus y Web of Science. No hubo restricción en cuanto al año inicial de las publicaciones, pero se estableció el 2017 como el año final. Se incluyeron artículos de texto completo disponible en línea, publicados en español, inglés o portugués, que trataran del tema de investigación y respondieran a la pregunta orientadora (¿Cuál es la ruta crítica que recorren las mujeres en situación de violencia doméstica?). Resultados. Se incluyeron 38 artículos publicados desde el 2001 hasta el 2017. Entre los factores impulsores de la búsqueda de ayuda se encontraron el empoderamiento económico y el alto grado de escolaridad, la gravedad de la violencia y la existencia de servicios de apoyo estructurados y calificados. Como factores inhibidores se encontraron el hecho de que la mujer fuera inmigrante, la existencia de normas culturales de género, los sentimientos de culpa, miedo y vergüenza, la falta de confianza y el escaso conocimiento o la poca disponibilidad de servicios de apoyo formal. Los hijos y el apoyo de la familia y la comunidad pueden ser factores inhibidores o impulsores de la búsqueda de ayuda. Los tipos de ayuda formal más buscados son la policía y los servicios de salud, mientras que la familia, la comunidad y las autoridades religiosas se configuran como formas de apoyo informal. Conclusión. La ruta crítica que recorren las mujeres en situación de violencia doméstica en el mundo comprende la búsqueda de ayuda formal e informal. Por lo tanto, es preciso trabajar en los aspectos socioculturales, comunitarios y familiares para incentivar a las mujeres a desvincularse de la situación de violencia, lo cual incluye la búsqueda de una red de apoyo formal calificada.


Assuntos
Procedimentos Clínicos , Comportamento de Busca de Ajuda , Violência contra a Mulher , Maus-Tratos Conjugais , Violência Doméstica , Procedimentos Clínicos , Comportamento de Busca de Ajuda , Violência contra a Mulher , Maus-Tratos Conjugais , Violência Doméstica , Procedimentos Clínicos , Comportamento de Busca de Ajuda , Violência contra a Mulher , Maus-Tratos Conjugais , Violência Doméstica
9.
Saúde Soc ; 28(1): 262-274, jan.-mar. 2019. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-991678

RESUMO

Resumo A violência contra mulheres é considerada um grave problema de saúde pública, uma violação dos direitos em todo o mundo. Como parte das políticas de enfrentamento a esse tipo de violência, a Lei Maria da Penha prevê a participação de homens autores de violência (HAV) em programas de atenção cuja atuação principal é a realização de grupos reflexivos. Este artigo apresenta um mapeamento de programas para HAV no Brasil realizado entre 2015 e 2016. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva realizada em dois momentos. No primeiro, foram localizados 41 programas das cinco regiões do país, dos quais 26 responderam um questionário com perguntas abertas e fechadas. Os dados foram analisados segundo quatro categorias: estrutura do programa, metodologia empregada, monitoramento e avaliação e resultados e desafios. No segundo momento, foram analisados outros mapeamentos de programas brasileiros e internacionais com HAV, além de documentos nacionais e internacionais que sugerem diretrizes para sua execução. Notou-se semelhanças entre os programas encontrados e os documentos analisados, como o vínculo das iniciativas com instâncias governamentais, fundamentação nas teorias de gênero e modalidade de intervenções em grupo. A partir do diálogo entre outros mapeamentos, estudos apresentados e resultados encontrados, sugere-se diretrizes mínimas para a realização de grupos reflexivos.


Abstract Violence against women is considered a serious public health problem and a violation of rights around the world. As part of the policies to fight against this violence, the Maria da Penha Law foresees the participation of male perpetrators of violence (MPV) in care programs whose main activity is to hold reflective groups. This article presents a mapping of programs for MPV in Brazil conducted between 2015 and 2016. This is a qualitative, exploratory and descriptive research carried out in two steps. First, we found 41 programs from the five regions of Brazil, of which 26 answered a questionnaire with open and closed questions. We analyzed data according to four categories: program structure, methodology, monitoring and evaluation, and results and challenges. Second, we analyzed other mappings of Brazilian and international programs with MPV, as well as national and international documents that suggest guidelines for their execution. We found similarities between the programs and documents analyzed, such as the linkage with governmental bodies, basis on gender theories, and implementation of group interventions. Based on the dialogue between other mappings and studies and the findings of our analysis, the authors suggest minimum guidelines for holding reflective groups.


Assuntos
Humanos , Masculino , Avaliação de Programas e Projetos de Saúde , Violência contra a Mulher , Processos Grupais , Homens , Brasil
10.
Artigo em Inglês | PAHO-IRIS | ID: phr-50485

RESUMO

[ABSTRACT]. Objectives. To describe what is known about the national prevalence of intimate partner violence (IPV) against women in the Americas across countries and over time, including the geographic coverage, quality, and comparability of national data. Methods. This was a systematic review and reanalysis of national, population-based IPV estimates from 1998 – 2017 in the Americas. Estimates were reanalyzed for comparability or extracted from reports, including IPV prevalence by type (physical; sexual; physical and/or sexual), timeframe (ever; past year), and perpetrator (any partner in life; current/most recent partner). In countries with 3+ rounds of data, Cochran-Armitage and Pearson chi-square tests were used to assess whether changes over time were significant (P < 0.05). Results. Eligible surveys were found in 24 countries. Women reported ever having experienced physical and/or sexual IPV at rates that ranged from 14% – 17% of women in Brazil, Panama, and Uruguay to over one-half (58.5%) in Bolivia. Past-year prevalence of physical and/or sexual IPV ranged from 1.1% in Canada to 27.1% in Bolivia. Preliminary evidence suggests a possible decline in reported prevalence of certain types of IPV in eight countries; however, some changes were small, some indicators did not change significantly, and a significant increase was found in the reported prevalence of past-year physical IPV in the Dominican Republic. Conclusions. IPV against women remains a public health and human rights problem across the Americas; however, the evidence base has gaps, suggesting a need for more comparable, high quality evidence for mobilizing and monitoring violence prevention and response.


[RESUMEN]. Objetivos. Describir lo que se sabe acerca de la prevalencia nacional de la violencia por parte de la pareja íntima (VPI) contra las mujeres en las Américas, en los diversos países y en el transcurso del tiempo, incluida la cobertura geográfica, calidad y comparabilidad de los datos nacionales. Métodos. Se realizó una revisión sistemática y reanálisis de las estimativas nacionales de la VPI basadas en la población de 1998 a 2017 en las Américas. Las cifras se reanalizaron para comparabilidad o se extrajeron de los informes, incluida la prevalencia por tipo (física; sexual; o física y/o sexual), marco temporal (alguna vez; durante el último año) y perpetrador (cualquiera pareja en la vida; pareja actual/más reciente). En los países con 3+ rondas de datos, se aplicaron las pruebas de Cochran-Armitage y de ji cuadrada de Pearson para evaluar si los cambios en el transcurso del tiempo fueron significativos (P < 0,05). Resultados. Se encontraron encuestas elegibles en 24 países. Las mujeres reportaron haber sufrido alguna vez violencia física y/o sexual por parte de la pareja íntima con tasas que variaron desde el 14% al 17% en Brasil, Panamá y Uruguay hasta más de la mitad (58,5%) en Bolivia. La prevalencia de violencia física y/o sexual por parte de la pareja íntima durante el último año varió desde 1,1% en el Canadá hasta 27,1% en Bolivia. La evidencia preliminar sugiere una posible disminución en la prevalencia reportada para ciertos tipos de VPI en ocho países; sin embargo, algunos cambios fueron pequeños, ciertos indicadores no se modificaron significativamente y se observaron incrementos significativos en la prevalencia reportada de violencia física por parte de la pareja íntima durante el último año en la República Dominicana. Conclusiones. La VPI contra las mujeres sigue siendo un problema de salud pública y de derechos humanos en las Américas; sin embargo, la base de evidencia al respecto tiene deficiencias, lo que apunta a la necesidad de datos de mejor calidad y más comparables, a fin de movilizar y monitorear a la prevención y la respuesta ante la violencia.


[RESUMO]. Objetivos. Descrever o que se sabe sobre a prevalência nacional da violência por parceiro íntimo (VPI) contra a mulher na Região das Américas, nos diferentes países e ao longo do tempo, incluindo cobertura geográfica, qualidade e comparabilidade de dados nacionais. Métodos. Foi realizada uma revisão sistemática e reanálise das estimativas nacionais populacionais de VPI na Região das Américas no período de 1998 a 2017. As estimativas foram reanalisadas para fins de comparação ou obtidas de relatórios, incluindo a prevalência de VPI por tipo de violência (física; sexual; ou física e/ou sexual), ocorrência (alguma vez ou último ano) e agressor (qualquer parceiro na vida; parceiro atual ou mais recente). Nos países com mais de três ciclos de dados, os testes de Cochran-Armitage e qui-quadrado de Pearson foram usados para avaliar se as mudanças observadas ao longo do tempo foram significativas (P < 0,05). Resultados. Pesquisas que cumpriam os requisitos do estudo foram identificadas em 24 países. O percentual de mulheres que informaram alguma vez terem sofrido VPI física e/ou sexual variou de 14% a 17% no Brasil, Panamá e Uruguai a mais da metade (58,5%) na Bolívia. A prevalência de VPI física e/ou sexual sofrida no último ano variou de 1,1% no Canadá a 27,1% na Bolívia. As evidências preliminares indicam uma possível redução na prevalência registrada de certos tipos de VPI em oito países. Porém, algumas mudanças foram pequenas, alguns indicadores não variaram significativamente e se observou um aumento significativo na prevalência informada de VPI física recente (último ano) na República Dominicana. Conclusões. A VPI contra a mulher continua sendo um problema de saúde pública e uma questão de direitos humanos na Região das Américas. Porém, a base de evidências tem importantes lacunas, ressaltando a necessidade de dados de alta de qualidade e comparáveis para a mobilização e o monitoramento da prevenção e resposta à violência.


Assuntos
Violência por Parceiro Íntimo , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher , Inquéritos e Questionários , América Latina , Região do Caribe , Américas , Violência por Parceiro Íntimo , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher , Inquéritos e Questionários , América Latina , Região do Caribe , Américas , Violência por Parceiro Íntimo , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher , Inquéritos e Questionários , Região do Caribe
11.
J. nurs. health ; 9(1): e199102, Fev.2019.
Artigo em Português | BDENF - Enfermagem | ID: bde-34493

RESUMO

Objetivo: conhecer as percepções dos graduandos em Enfermagem sobre violência contra a mulher. Métodos: estudo qualitativo realizado com 16 graduandos em Enfermagem entre abril e junho de 2016. Dados coletados por entrevista e realizada a análise de conteúdo. Resultados: foram determinadas como categorias: entendimento sobre violência de gênero, abordagem da violência de gênero na formação dos graduandos, percepção sobre a atuação do enfermeiro na atenção às mulheres em situação de violência e considerações sobre o atendimento ideal à mulher em situação de violência. Considerações finais: a violência e a desigualdade de gênero são percebidas pelos acadêmicos. O papel do enfermeiro é destacado nas habilidades de comunicação e acolhimento. Os graduandos não se identificam como parte da equipe de saúde que receberá a mulher em situação de violência e percebem o tema no currículo da graduação. Estudos semelhantes contribuirão com a discussão sobre a violência contra a mulher.(AU)


Objective: to learn how nursing graduate students perceive violence against women. Methods: qualitative analysis carried out with 16 nursing students from April to June 2016. Data were collected in interviews and content was analyzed. Results: four categories were discerned: overall understanding about gender-related violence; approach towards gender-related violence during student’s graduation; perception about nurse’s role when assisting violated women; considerations about the best approach to take when assisting violated women. Final considerations: gender-related violence is noticed by students, as much as gender inequality. Nurse’s highlighted role is the ability to communicate and to foster patient care. Undergraduate students do not identify as active part of health care team. However, they identify the theme in the University’s undergraduation syllabus. Similar researches can contribute to discuss violence against women.(AU)


Assuntos
Humanos , Enfermagem , Estudantes de Enfermagem , Violência contra a Mulher
12.
REME rev. min. enferm ; 23: e-1174, jan.2019.
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1005452

RESUMO

Objetivo: compreender a relação entre a depressão e o histórico de violência em mulheres. Método: trata-se de estudo exploratório e descritivo, com abordagem qualitativa, realizado entre os meses de janeiro e abril de 2017, com mulheres que apresentavam diagnóstico de depressão, sendo acompanhadas em um Centro de Atenção Integral à Saúde na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, utilizando um roteiro semiestruturado. As falas foram processadas pelo software IRaMuTeQ e analisadas por meio da técnica de análise de conteúdo, buscando-se identificar os temas de mais relevância para a problemática investigada. Resultados: entre as participantes, 29 tinham história de violência, sendo a maior parte das agressões praticada por parceiros íntimos. Observou-se que os termos mais citados pelas mulheres foram: não, medo, marido, sofrimento, bater, apanhar, violência e problema. Mediante as falas das mulheres, foi evidenciado que as agressões sofridas foram o principal motivo para o desenvolvimento da depressão. Conclusão: observou-se a existência de uma marcante relação entre depressão e histórico de violência nas mulheres. Foi evidenciado que as entrevistadas sofreram agressões que perduraram desde a infância até a vida adulta, relacionando-se ao fenômeno da transgeracionalidade e afetando diretamente a sua saúde mental.(AU)


Objective: to understand the relationship between depression and the history of violence in women. Method: This is an exploratory and descriptive study, with a qualitative approach, carried out between January and April 2017, with women diagnosed with depression, followed up at a Comprehensive Health Care Center in the city of João Pessoa, Paraíba, Brazil. Data were collected through interviews, using a semi-structured script. The speeches were processed by the IRaMuTeQ software and analyzed through the content analysis technique, aiming to identify the most relevant topics for the problem investigated. Results: twenty-nine participants had a history of violence, with most of the aggressions practiced by intimate partners. The terms most cited by women were: no, fear, husband, suffering, beat, hit, violence and problem. The statements of women showed that the aggressions suffered were the main reason for the development of depression. Conclusion: there was a strong relationship between depression and a history of violence in these women. The interviewees suffered aggressions that lasted from childhood to adulthood, related to the phenomenon of transgenerational trauma and directly affecting their mental health.(AU)


Objetivo: entender la relación entre la depresión y el historial de violencia contra las mujeres. Método: estudio exploratorio descriptivo, de enfoque cualitativo, realizado entre los meses de enero y abril de 2017, con mujeres con diagnóstico de depresión, en seguimiento en un centro de Atención Integral de Salud en la ciudad de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Los datos fueron recogidos por medio de entrevistas, con un cuestionario semiestructurado. Las charlas fueron procesadas por el software...(AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Agressão , Depressão , Violência contra a Mulher , Saúde da Mulher
13.
Niterói; s.n; 2019. 222 p.
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-997185

RESUMO

A violência obstétrica tem sido uma temática cuja discussão vem sendo objeto de estudos acadêmicos e, em especial, nos programas de pós-graduação stricto sensu, seja em Mestrado ou Doutorado. É uma violência que denigre os aspectos físicos, psicológicos, morais e sexuais da mulher, configurando uma violência contra a sua própria dignidade, sendo embasada numa perspectiva de violência que não se restringe somente ao parto e nascimento, mas em todos os contextos do ciclo gravídico-puerperal. Este estudo teve como problemas de pesquisa, identificar quais os valores dos profissionais de saúde em relação à sua atuação no campo obstétrico? Como os valores se articulam na significação dos profissionais de saúde acerca da violência obstétrica? O estudo apresentou o seguinte objetivo geral: compreender o significado dos valores dos profissionais de saúde das maternidades públicas da Região Metropolitana II do Estado do Rio de Janeiro e sua influência na violência obstétrica, a partir da dimensão axiológica de Max Scheler. Teve como objetivos específicos: Desvelar os significados dos valores na expressão dos profissionais de saúde que atuam no campo assistencial obstétrico; analisar os valores expressos pelos profissionais de saúde acerca da violência obstétrica; discutir a valoração axiológica a partir da significação dos profissionais de saúde acerca do fenômeno violência obstétrica. Estudo com abordagem qualitativa, sustentado na pesquisa fenomenológica, fundado a partir da Teoria dos Valores de Max Scheler. Foram quarenta e oito os participantes, sendo 24 enfermeiros e 24 médicos de quatro maternidades da referida Região Metropolitana, a saber: Hospital Universitário Antônio Pedro; Hospital Estadual Azevedo Lima; Maternidade Municipal Alzira Reis Vieira Ferreira; Hospital Municipal Dr. Mario Niajar. Utilizou-se a entrevista fenomenológica para obtenção dos dados. Os discursos escritos foram analisados conforme a Teoria de Interpretação de Paul Ricoeur. Após a construção do corpus, originaram-se três Unidades de Significação: Os significados da prática assistencial dos profissionais de saúde: a expressividade de seus valores; A humanização do parto e nascimento: o cuidado valorativo; Os significados dos profissionais de saúde acerca da violência obstétrica, possibilitaram confirmar a Tese de que há uma mudança de hierarquia de valores para o cuidado ao parto e nascimento, que estão configuradas pela indução das Políticas Públicas de Saúde na campo reprodutivo, norteadas durante o período de 2001-2018 como no coletivo de mulheres, que possibilitaram mudanças na ordem valorativa relacionadas à prática assistencial obstétrica. Assim, o estudo concluiu que esse movimento permite mudanças no cuidado obstétrico, que valorizem o respeito, a justiça, o direito da mulher, pois quando há esse processo de transição, há também uma tendência para um cuidado que garanta o protagonismo da mulher e contribua para um cuidado compartilhado, com foco no diálogo e na segurança do parto para que se estabeleça uma assistência de qualidade


Obstetric violence has been a topic whose discussion has been the subject of academic studies and, especially, in strictosensu postgraduate programs, whether in Masters or PhD. It is a violence that depreciates the physical, psychological, moral and sexual aspects of the woman, configuring violence against her own dignity, being based on a perspective of violence that is not restricted only to labor and childbirth, but in all contexts of the pregnancy-puerperal cycle. This study had, as research problems, to identify the values of health professionals in relation to their performance in the obstetric field? How are values articulated in the meaning of health professionals about obstetric violence? The study presented the following general objective: to understand the meaning of the values of health professionals in public maternity hospitals in the Metropolitan Region II of the State of Rio de Janeiro and its influence on obstetric violence, based on the axiological dimension of Max Scheler. Its specific objectives were: Unveiling the meanings of values in the expression of health professionals working in the field of obstetric care; analyze the values expressed by health professionals about obstetric violence; discuss the axiological assessment based on the meaning of health professionals about the obstetric violence phenomenon. A study with a qualitative approach, based on phenomenological research, based on Max Scheler's Theory of Values. There were forty-eight participants, of which 24 were nurses and 24 were physicians from four maternity hospitals in the said Metropolitan Region, namely: Antônio Pedro University Hospital; Azevedo Lima State Hospital; Alzira Reis Vieira Ferreira Municipal Maternity; Dr. Mario Niajar Municipal Hospital. The phenomenological interview was used to obtain the data. Written discourses were analyzed according to Paul Ricoeur's Theory of Interpretation. After the construction of the corpus, three Units of Significance originated: The meanings of the healthcare practice of health professionals: the expressiveness of their values; The humanization of labor and childbirth: the valuation care; The meanings of health professionals about obstetric violence allowed us to confirm the thesis that there is a hierarchy of values for the delivery and birth care, which are shaped by the induction of Public Health Policies in the reproductive field, guided during the period of 2001-2018 and in the collective of women, which made possible changes in the value order related to obstetric care practice. Thus, the study concluded that this movement enables changes in obstetric care, which values respect, justice, women's rights, because when there is this transition process, there is also a tendency for care that guarantees the role of women and contributes to shared care, focusing on dialogue and childbirth safety so that quality care can be established


La violencia obstétrica ha sido una temática cuya discusión viene siendo objeto de estudios académicos y, en especial, en los programas de postgrado stricto sensu, sea en Maestría o Doctorado. Es una violencia que denigre los aspectos físicos, psicológicos, morales y sexuales de la mujer, configurando una violencia contra su propia dignidad, siendo basada en una perspectiva de violencia que no se restringe solamente al parto y nacimiento, sino en todos los contextos del ciclo gravídico-puerperal. Este estudio tuvo como problemas de investigación, identificar ¿qué valores tienen los profesionales de salud en relación a su actuación en el campo obstétrico? ¿Cómo los valores se articulan en la significación de los profesionales de salud acerca de la violencia obstétrica? El estudio presentó el siguiente objetivo general: comprender el significado de los valores de los profesionales de salud de las maternidades públicas de la Región Metropolitana II del Estado de Río de Janeiro y su influencia en la violencia obstétrica, a partir de la dimensión axiológica de Max Scheler. Se tuvo como objetivos específicos: Desvelar los significados de los valores en la expresión de los profesionales de salud que actúan en el campo asistencial obstétrico; analizar los valores expresados por los profesionales de salud acerca de la violencia obstétrica; discutir la valoración axiológica a partir de la significación de los profesionales de salud acerca del fenómeno violencia obstétrica. Estudio con enfoque cualitativo, sostenido en la investigación fenomenológica, fundado a partir de la Teoría de los Valores de Max Scheler. Fueron cuarenta y ocho los participantes, siendo 24 enfermeros y 24 médicos de cuatro maternidades de la referida Región Metropolitana, a saber: Hospital Universitario Antônio Pedro; Hospital Estadual Azevedo Lima;Maternidade Municipal Alzira Reis Vieira Ferreira; Hospital Municipal Dr. Mario Niajar. Se utilizó la entrevista fenomenológica para la obtención de los datos. Los discursos escritos fueron analizados conforme la Teoría de Interpretación de Paul Ricoeur. Después de la construcción del corpus, se originaron tres Unidades de Significación: Los significados de la práctica asistencial de los profesionales de salud: la expresividad de sus valores; La humanización del parto y nacimiento: el cuidado valorativo; Los significados de los profesionales de salud acerca de la violencia obstétrica, posibilitaron confirmar la Tesis de que hay un cambio de jerarquía de valores para el cuidado al parto y nacimiento, que están configurados por la inducción de las Políticas Públicas de Salud en el campo reproductivo, orientadas durante el período de 2001-2018 como en el colectivo de mujeres, que posibilitaron cambios en el orden valorativo relacionados a la práctica asistencial obstétrica. Así, el estudio concluyó que ese movimiento permite cambios en el cuidado obstétrico, que valoren el respeto, la justicia, el derecho de la mujer, pues cuando hay ese proceso de transición, hay también una tendencia hacia un cuidado que garantice el protagonismo de la mujer y aporte para un cuidado compartido, con foco en el diálogo y la seguridad del parto para que se establezca una asistencia de calidad


Assuntos
Autonomia Profissional , Parto Humanizado , Violência contra a Mulher , Direitos Humanos
14.
Rev. Esc. Enferm. USP ; 53: e03428, 2019.
Artigo em Inglês | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1003106

RESUMO

ABSTRACT Objective: Unveiling the precipitating elements of conjugal violence based on the discourse of men undergoing criminal prosecution. Method: This is a qualitative study developed in a Domestic Violence and Family Violence Campaign against Women from Salvador, Bahia, Brazil. Results: We interviewed 23 men. The following central ideas emerged: children and family interference; change in woman's behavior; feeling of ownership; discovery of extramarital affairs of women; absence of marital sexual intercourse; and use of alcohol and other drugs by men. Conclusion: Several elements precipitate marital violence according to the mens' discourse. Knowing these elements can subsidize actions for preventing the phenomenon, especially from implementing peaceful conflict resolution strategies.


RESUMEN Objetivo: Desvelar los elementos precipitadores de violencia conyugal mediante el discurso de varones en proceso criminal. Método: Se trata de un estudio de abordaje cualitativo, desarrollado en un Juzgado de Violencia Doméstica y Familiar contra la Mujer de Salvador, Bahía, Brasil. Resultados: Se llevaron a cabo entrevistas con 23 hombres. Emergieron las ideas centrales: hijos e interferencia de la familia; cambio en el comportamiento de la mujer; sentimiento de posesión; descubierta de relaciones extraconyugales de la mujer; ausencia de relación sexual marital; y adicción al alcohol y a otras drogas por los hombres. Conclusión: Según el discurso de los varones, distintos son los elementos que precipitan la violencia conyugal. Conocer dichos elementos puede subsidiar acciones para la prevención del fenómeno, sobre todo desde unas estrategias pacíficas de resoluciones de conflictos.


RESUMO Objetivo: Desvelar os elementos precipitadores de violência conjugal, a partir do discurso de homens em processo criminal. Método: Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, desenvolvido em uma Vara de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher de Salvador, Bahia, Brasil. Resultados: Foram realizadas entrevistas com 23 homens. Emergiram as ideias centrais: filhos e interferência da família; mudança no comportamento da mulher; sentimento de posse; descoberta de relações extraconjugais da mulher; ausência de relação sexual marital; e uso de álcool e outras drogas pelos homens. Conclusão: Segundo o discurso dos homens, vários são os elementos que precipitam a violência conjugal. Conhecer esses elementos pode subsidiar ações para a prevenção do fenômeno, sobretudo a partir de estratégias pacíficas de resoluções de conflitos.


Assuntos
Humanos , Masculino , Enfermagem Familiar , Violência contra a Mulher , Conflito Familiar/psicologia , Violência por Parceiro Íntimo/prevenção & controle , Violência Doméstica , Pesquisa Qualitativa
15.
Estud. Psicol. (Campinas, Online) ; 36: e180026, 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-989818

RESUMO

The present study aimed at investigating the relationship between partner's jealousy and the anxiety level presented by male domestic abusers, comparing these variables with men of similar age, socio-economic status, and educational level, without a history of domestic violence. The sample consisted of 20 male abusers and 20 men without a history of violence towards their partner. A Batterer Semi-Structured Interview on Family of Origin; the Romantic Jealousy Scale; and the Beck Anxiety Inventory were used as instruments. The groups did not differ statistically regarding age, education, and income; however, they were statistically different regarding the variables jealousy and anxiety levels. Abusers presented higher scores on jealousy and anxiety than non-abusers It is suggested that jealousy combined with anxiety may contribute to intimate partner violence. Future studies could further investigate this possibility using larger samples.


O presente estudo teve como objetivo investigar a relação entre o ciúme da parceira e o nível de ansiedade de homens perpetradores de violência, comparando essas variáveis com homens sem histórico de violência doméstica de idade, com status socioeconômico e escolaridade semelhantes. A amostra foi composta por 20 perpetradores de violência e 20 homens sem histórico de violência contra a mulher. Os instrumentos utilizados foram: Roteiro de Entrevista Individual Semiestruturada da Família de Origem do Agressor, Inventário de Ansiedade Beck e Escala de Ciúme Romântico. Ambos os grupos não diferiram estatisticamente em relação a idade, escolaridade e renda. No entanto, os grupos foram estatisticamente diferentes em termos das variáveis ciúme e níveis de ansiedade. Os perpetradores de violência apresentaram maiores escores no ciúme e na ansiedade do que homens sem histórico de agressão. Sugere-se que o ciúme combinado à ansiedade excessiva pode contribuir para a Violência do Parceiro Íntimo. Estudos futuros poderiam investigar essa possibilidade com amostras maiores.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Ansiedade , Violência contra a Mulher , Ciúmes
16.
Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online) ; 11(2, n. esp): 533-539, jan. 2019. fig, tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-969348

RESUMO

Objective: The study's goal has been to identify studies addressing the effects of violence against women during pregnancy to both the fetus and newborn. Methods: The survey was performed in both MEDLINE and LILACS databases. There were included analytical studies, published in English, Spanish and Portuguese. Results: There were included 27 studies. According to the analyzed data, violence during pregnancy is a risk to the intrauterine growth and may cause the following issues: intrauterine growth restriction; being born small according to the gestational age; and higher plasma levels of glutamate, GABA and cortisol. It was consensus among the studies that there is a risk of fetal and neonatal death among women who experienced the phenomenon of violence during pregnancy. Conclusions: Violence during pregnancy is a very important issue in the public health matter. The findings emphasize the significance of initiating the prenatal care as soon as possible, since it is an important stepping-stone to tracking down the occurrence of violence


Objetivo: Identificar estudos sobre os efeitos para o feto e recém-nascido da violência contra a mulher durante a gestação. Métodos: Revisão realizada nas bases MEDLINE e LILACS. Foram incluídos estudos epidemiológicos analíticos, publicados em inglês, espanhol e português. Resultados: Foram incluídos 27 estudos. Os dados apontam na direção de que a violência na gravidez é risco para a ocorrência de restrição no crescimento intrauterino, nascer pequeno para idade gestacional e maiores níveis plasmáticos de Glutamato, GABA e cortisol. Foi consenso entre os estudos o risco de óbito fetal e neonatal entre as mulheres que vivenciaram o fenômeno da violência no período gestacional. Conclusão: A violência durante a gestação constitui um agravo relevante na saúde pública. Os achados destacam a importância da realização e inicio precoce do pré-natal, pois constitui um espaço importante no rastreamento das violência


Objetivo: Identificar estudos sobre os efeitos para o feto e recém-nascido da violência contra a mulher durante a gestação. Métodos: Revisão realizada nas bases MEDLINE e LILACS. Foram incluídos estudos epidemiológicos analíticos, publicados em inglês, espanhol e português. Resultados: Foram incluídos 27 estudos. Os dados apontam na direção de que a violência na gravidez é risco para a ocorrência de restrição no crescimento intrauterino, nascer pequeno para idade gestacional e maiores níveis plasmáticos de Glutamato, GABA e cortisol. Foi consenso entre os estudos o risco de óbito fetal e neonatal entre as mulheres que vivenciaram o fenômeno da violência no período gestacional. Conclusão: A violência durante a gestação constitui um agravo relevante na saúde pública. Os achados destacam a importância da realização e inicio precoce do pré-natal, pois constitui um espaço importante no rastreamento das violências


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Gravidez , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher , Morte Fetal/etiologia , Natimorto
17.
Psico USF ; 24(2): 299-310, 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-1012779

RESUMO

Marital Social Skills (MSS) are related to Marital Satisfaction (MS). However, abusive relationships present a deficit in the use of health strategies for conflict management and damages to those involved. This study evaluated in 23 women, with an average age of 35 years, in situations of intimate partner violence, the MSS, MS and the forms of violence suffered. For this, it used the MSS Inventory, MS Scale and a Violence Questionnaire. The results showed a predominance of psychological violence, a high level of marital dissatisfaction and a deficient repertoire of MSS. Negative correlation was identified between MSS, Proactive Self-Control and Marital Dissatisfaction; positive correlation between Assertive Conversation and Marital Dissatisfaction (and Marital Interaction) and negative correlation between Self-Assertiveness, Proactive Self-Control and situations of violence. Thus, the importance of specific MSS training for this population and the understanding of the nature of assertive responses in the sociocultural context is noted. (AU)


As Habilidades Sociais Conjugais (HSC) estão relacionadas à Satisfação Conjugal (SC). Contudo, relacionamentos abusivos apresentam déficit na utilização de estratégias saudáveis para manejo dos conflitos e prejuízos para os envolvidos. Este estudo avaliou, em 23 mulheres, com idade média de 35 anos, em situação de violência por parceiro íntimo, as HSC, a SC e as formas de violências sofridas. Para isso, utilizou o Inventário de HSC, a Escala de SC e um Questionário sobre Violência. Os resultados mostraram predominância de violência psicológica, alto nível de insatisfação conjugal e um repertório deficitário de HSC. Foi identificado correlação negativa entre HSC, Autocontrole Proativo e Insatisfação Conjugal; correlação positiva entre Conversação Assertiva e Insatisfação Conjugal (e Interação Conjugal) e correlação negativa entre Autoafirmação Assertiva, Autocontrole Proativo e situações de violência. Assim, nota-se a importância do treinamento de HSC específicas para essa população e da compreensão da natureza das respostas assertivas no contexto sociocultural. (AU)


Las Habilidades Sociales de Pareja (HSP) están relacionadas a la Satisfacción Conyugal (SC). Sin embargo, las relaciones abusivas presentan déficit en la utilización de estrategias saludables para manejar conflictos y pérdidas entre los involucrados. Este estudio consistió en la evaluación de 23 mujeres, con edad promedio de 35 años en situación de violencia por parte de su pareja íntima, evaluó también las HSP, la SC y formas de violencia sufridas. Se utilizó el Inventario de HSP, la Escala de SC y un Cuestionario sobre Violencia. Los resultados mostraron predominio de violencia psicológica, alto nivel de insatisfacción conyugal y un repertorio deficitario de HSP. Se identificó correlación negativa entre HSP, Autocontrol Proactivo e Insatisfacción Conyugal; correlación positiva entre Conversación Asertiva e Insatisfacción Conyugal (e Interacción Conyugal) y correlación negativa entre Autoafirmación Asertiva, Autocontrol Proactivo y situaciones de violencia. De esta forma se nota la importancia del entrenamiento de HSP específicas para esa población y la comprensión de la naturaleza de las respuestas asertivas en el contexto socio-cultural. (AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Satisfação Pessoal , Maus-Tratos Conjugais/psicologia , Casamento/psicologia , Violência contra a Mulher , Habilidades Sociais , Violência por Parceiro Íntimo/psicologia , Inquéritos e Questionários
18.
Rev. enferm. UERJ ; 26: e19334, jan.-dez. 2018. tab
Artigo em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-967873

RESUMO

Objetivo: analisar as estratégias de enfrentamento adotadas por mulheres vítimas de violência. Método: descritivo, quantiqualitativo, realizado com 19 mulheres, vítimas de violência, atendidas na Central de Apoio Multidisciplinar em Serra, Espírito Santo, no ano de 2013. Utilizou-se entrevista semiestruturada e gravação para coleta de dados socioeconômicos e da violência. Aplicou-se a análise de conteúdo dos depoimentos obtidos. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: prevaleceram mulheres com idade igual e inferior a 39 anos, ensino médio completo, renda própria e familiar de um a dois salários mínimos, evangélicas. As categorias temáticas desveladas a partir dos depoimentos foram: enfrentamento da violência com foco no problema (42,1%), enfrentamento da violência com foco na emoção (26,3%), enfrentamento da violência com foco na emoção e religião (21,1%) e enfrentamento da violência com foco na emoção e no problema (10,5%). Conclusão: as mulheres em situação de violência vivenciam diferentes modalidades de enfrentamento desse agravo, com foco no problema, emoção e religião.


Objective: to examine the coping strategies adopted by women victims of violence. Method: in this quanti-qualitative, descriptive study of 19 women victims of violence, who attended the Multidisciplinary Support Center in Serra, Espírito Santo, in 2013, semi-structured interview and recording were used to collect socioeconomic and violence data. Content analysis was applied to the testimonies. The study was approved by the research ethics committee. Results: the women were predominantly aged 39 years or less, had completed secondary education, had their own income, a family income of 1 to 2 minimum wages, and were Evangelicals. The themes recovered from their accounts were: combating violence by focusing on the problem (42.1%), combating violence by focusing on emotion (26.3%), combating violence by focusing on emotion and religion (21.1%), and combating violence by focusing on emotion and the problem (10.5%). Conclusion: women in situations of violence experienced different manners of coping with this disorder, by focusing on the problem, emotion and religion.


Objetivo: analizar las estrategias de enfrentamiento adoptadas por mujeres víctimas de violencia. Método: descriptivo, cuantitativo y cualitativo, realizado junto a 19 mujeres, víctimas de violencia, atendidas en la Central de Apoyo Multidisciplinario en Serra, Espirito Santo, en 2013. Se utilizó una entrevista semiestructurada y grabación para recolección de datos socioeconómicos y de la violencia. Se aplicó el análisis de contenido de las declaraciones obtenidas. El estudio fue aprobado por el Comité de Ética en Investigación. Resultados: prevalecieron mujeres cuya edad es de 39 años o menos, liceo completo, ingresos propios y familiares de uno a dos salarios mínimos familiares y evangélicas. Las categorías temáticas desveladas a partir de las declaraciones fueron: enfrentamiento de la violencia con foco en el problema (42,1%), enfrentamiento de la violencia con foco en la emoción (26,3%), enfrentamiento de la violencia con foco en la emoción y la religión (21,1%) y enfrentamiento de la violencia con foco en la emoción y en el problema (10,5%). Conclusión: las mujeres en situación de violencia experimentan diferentes formas de afrontamiento de esta enfermedad, centrándose en el problema, la emoción y la religión.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Adaptação Psicológica , Saúde da Mulher , Violência contra a Mulher , Brasil , Epidemiologia Descritiva , Cuidados de Enfermagem
19.
SMAD, Rev. eletrônica saúde mental alcool drog ; 14(4): 219-225, out.-dez. 2018. tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos técnico-científicos | ID: biblio-1004521

RESUMO

OBJETIVO: identificar sinais de risco para o suicídio em mulheres com história de violência doméstica. MÉTODO: estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa. Participaram dez mulheres com história de violência doméstica e tentativa de suicídio por envenenamento. A pesquisa foi realizada no Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio, vinculado a um Centro de Informação Toxicológica, em Salvador, Bahia, Brasil. RESULTADOS: sinaliza para a relação entre a vivência de violência doméstica e o comprometimento para a saúde mental, representado por Comportamento depressivo e Comportamento suicida. CONCLUSÃO: o estudo revelou comportamentos que consistem em sinais de alerta para o risco de suicídio, ao tempo em que oferece subsídios para a promoção de estratégias de cuidado às mulheres com história de violência doméstica.


OBJECTIVE: to analyze the meaning of the use and abuse of alcohol and / or other drugs among university students in accordance with Brazilian public policy on drugs. METHODS: 49 university students from a Public Institution of Higher Education in the Southeast region of Brazil participated. RESULTS: Bardin's Content Analysis elaborated the analytical category: "Dissonance between public policies and the meaning of drug use among university students". Drug use and abuse begin in adolescence; Stimulated by family and friends, and refers to the happiness and flight of problems. CONCLUSION: it is fundamental to know the meaning of drug use and abuse, from the perspective of the university for the elaboration and implementation of public policies.


OBJETIVO: identificar signos de riesgo para el suicidio en mujeres con historia de violencia doméstica. MÉTODO: estudio exploratorio-descriptivo, con abordaje cualitativo Participaron diez mujeres con historia de violencia doméstica e intento de suicidio por envenenamiento. La investigación fue realizada en el Núcleo de Estudio y Prevención del Suicidio, vinculado a un Centro de Información Toxicológica, en Salvador, Bahia, Brasil. RESULTADOS: señala para la relación entre la vivencia de violencia doméstica y el compromiso para la salud mental, representado por: Comportamiento depresivo y Comportamiento suicida. CONCLUSIONES: el estudio reveló comportamientos que consisten en señales de alerta para el riesgo de suicidio, al tiempo que ofrece subsidios para la promoción de estrategias de cuidado a las mujeres con historia de violencia doméstica.


Assuntos
Humanos , Feminino , Tentativa de Suicídio , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher
20.
Trab. educ. saúde ; 16(3): 1039-1055, Sept.-Dec. 2018.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-963027

RESUMO

Resumo Analisou-se a qualificação de profissionais da saúde para a atenção às mulheres em situação de violência sexual em duas capitais brasileiras, em estudo qualitativo envolvendo 140 profissionais de diferentes categorias de 18 instituições de saúde em Fortaleza e Rio de Janeiro. Entrevistas semiestruturadas foram realizadas e o material empírico foi analisado segundo a técnica de análise de conteúdo. Lacunas na formação dos profissionais decorrentes da insuficiente abordagem do tema durante a graduação dos cursos da área da saúde foram observadas nos dois municípios. A fragilidade da qualificação profissional para esse tipo de atuação foi reforçada por lacunas nas ações de capacitação. No município do Rio de Janeiro essas ações mostraram-se mais frequentes e contínuas. Importante a inclusão do tema na formação profissional, a ampliação de processos de capacitação e a atualização das equipes de saúde nos serviços. Tais medidas podem viabilizar um entendimento crítico sobre o fenômeno, contribuindo para implementar intervenções diferenciadas.


Abstract We analyzed the training of health care professional for the care of women in instances of sexual violence in two Brazilian state capitals, in a qualitative study with 140 professionals of different categories working in 18 health care institutions in the cities of Fortaleza and Rio de Janeiro. Semi-structured interviews were performed, and the empirical material was analyzed according to the content analysis technique. Gaps in the training of the professionals due to an insufficient approach of this topic during the undergraduate studies in the field of health were observed in both municipalities. The weakness of the professional training for this kind of practice was reinforced by gaps in the training actions. In the city of Rio de Janeiro, these actions were more frequent and continuous. The inclusion of this topic in the professional training, the expansion of training processes, and the continuing education of the health care teams in the services are important. Such measures will make viable a critical understanding of this phenomenon, contributing to the implementation of diverse interventions.


Resumen Se analizó la cualificación de los profesionales de la salud para la atención de las mujeres en situación de violencia sexual en dos capitales brasileñas, en un estudio cualitativo abarcando 140 profesionales de diferentes categorías de 18 instituciones de salud en las ciudades de Fortaleza y Rio de Janeiro. Se realizaron entrevistas semiestructuradas y el material empírico se analizó de acuerdo con la técnica de análisis de contenido. En ambos municipios se observaron lagunas en la formación de los profesionales derivadas de un abordaje insuficiente del tema durante los estudios de grado en ciencias de la salud. La fragilidad de la cualificación profesional para este tipo de atención se vio reforzada por lagunas en las acciones de capacitación. En el municipio de Rio de Janeiro estas acciones demostraron una mayor frecuencia y continuidad. Es de suma importancia incluir este tema en la formación profesional, la ampliación de los procesos de capacitación y la actualización de los equipos de salud en los servicios de atención. Estas medidas pueden permitir una comprensión más crítica sobre el fenómeno, contribuyendo para implementar formas de intervención diferenciadas.


Assuntos
Humanos , Delitos Sexuais , Educação Continuada , Capacitação de Recursos Humanos em Saúde , Violência contra a Mulher
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA