Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 61
Filtrar
1.
Artigo em Espanhol | PAHO-IRIS | ID: phr-54977

RESUMO

[RESUMEN]. Alcanzar la equidad en salud y abordar los determinantes sociales de la salud son aspectos fundamentales para alcanzar las metas en materia de salud y relacionadas con la salud de la Agenda para el Desarrollo Sostenible 2030 y sus Objetivos de Desarrollo Sostenible. Los marcos de referencia para la salud, como la Agenda de Salud Sostenible para las Américas 2018-2030, hacen hincapié en la reducción de las desigualdades en salud y en “no dejar a nadie atrás” en el desarrollo sostenible a nivel nacional. La equidad en salud incluye la promoción de la salud universal y el enfoque de atención primaria de salud, con un acceso equitativo de todas las personas a servicios de salud oportunos, de calidad, integrales y centrados en las personas y la comunidad que no ocasionen empobrecimiento. La rendición de cuentas por esos avances es igualmente importante, y un signo distintivo de una gobernanza adecuada. Los gobiernos tienen la responsabilidad primordial de reducir las desigualdades en salud y deben rendir cuentas de sus políticas y su desempeño. La sociedad civil es una parte interesada fundamental para promover un desarrollo nacional sostenible y equitativo, y debe formar parte de los mecanismos eficaces de rendición de cuentas. La Coalición Caribe Saludable —la única alianza regional del Caribe de organizaciones de la sociedad civil dedicada a prevenir y controlar las enfermedades no transmisibles, una prioridad de sanitaria importante acrecentada por las desigualdades— ha desempeñado un papel importante en hacer que los gobiernos rindan cuentas de la promoción de la equidad en salud. En este estudio se examinan los factores que han contribuido al éxito de la Coalición Caribe Saludable, con énfasis en la labor realizada en el marco de sus cinco pilares estratégicos —rendición de cuentas, promoción de la causa, desarrollo de capacidad, comunicación y sostenibilidad— así como los retos, las enseñanzas extraídas y otras consideraciones para lograr una mayor eficacia.


[ABSTRACT]. Achieving health equity and addressing the social determinants of health are critical to attaining the health and health-related targets of the 2030 Agenda for Sustainable Development and its Sustainable Development Goals. Frameworks for health, including the Sustainable Health Agenda for the Americas 2018 – 2030, emphasize reduction of health inequities and “leaving no one behind” in national sustainable development. Health equity includes advancing universal health and the primary health care approach, with equitable access for all people to timely, quality, comprehensive, people- and community-centered services that do not cause impoverishment. Equally important, and a hallmark of good governance, is accountability for such advances. Governments have primary responsibility for reducing health inequities and must be held accountable for their policies and performance. Civil society has been recognized as a key partner in advancing sustainable and equitable national development. Effective accountability mechanisms should include civic engagement. The Healthy Caribbean Coalition (HCC), the only Caribbean regional alliance of civil society organizations working to prevent and control noncommunicable diseases—a major health priority fueled by inequities—has played a significant role in holding governments accountable for advancing health equity. This case study examines factors contributing to the success of the HCC, highlighting work under its five strategic pillars— accountability, advocacy, capacity development, communication, and sustainability—as well as challenges, lessons learned, and considerations for greater effectiveness.


[RESUMO]. Conquistar a equidade em saúde e abordar os determinantes sociais da saúde são essenciais para atingir as metas de saúde e as relacionadas à saúde da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. As estruturas para a saúde, incluindo a Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030, enfatizam a redução das iniquidades em saúde “sem deixar ninguém para trás”, quando se trata do desenvolvimento sustentável nacional. A equidade em saúde inclui impul-sionar a saúde universal e a abordagem da atenção primária à saúde, habilitando o acesso equitativo por todas as pessoas a serviços oportunos, de qualidade, integrais, centrados no atendimento às pessoas e às comunidades de maneira a não causar o empobrecimento. A questão da responsabilidade por tais avanços é igualmente importante, e é um selo de distinção de boa gestão. Os governos são os principais responsáveis pela redução das iniquidades em saúde e precisam ser responsabilizados por suas políticas e por seu desempenho. Reconheceu-se que a sociedade civil desempenha um papel essencial na promoção do desenvolvimento nacional sustentável e equitativo. Para que sejam eficazes, os mecanismos de responsabilização devem incluir a participação cívica. A Coalizão do Caribe Saudável (HCC), a única aliança de organizações da sociedade civil que trabalha na prevenção e no controle de doenças não transmissíveis na região do Caribe — uma grande prioridade de saúde movida pelas iniquidades — tem desempenhado uma função significativa na responsabilização dos governos pelo avanço da equidade em saúde. Este estudo examina os fatores que contribuem para o sucesso da HCC e destaca o trabalho da perspectiva dos cinco pilares estratégicos — responsabilidade, promoção de causa, desenvolvimento das capacidades, comunicação e sustentabilidade —, bem como os desafios, as lições aprendidas e as considerações para que se torne ainda mais eficaz.


Assuntos
Equidade em Saúde , Sociedade Civil , Governança , Doenças não Transmissíveis , Região do Caribe , Equidade em Saúde , Sociedade Civil , Governança , Doenças não Transmissíveis , Região do Caribe , Equidade em Saúde , Sociedade Civil , Governança , Doenças não Transmissíveis , Região do Caribe
2.
Multimedia | Recursos Multimídia | ID: multimedia-9240

RESUMO

Carlos Raimundi (Abogado, Embajador argentino ante la OEA), Oscar Laborde (Vicepresidente del Parlamento del Mercosur (Parlasur). Director del Instituto de Estudios de América Latina (IDEAL)), con la moderación de Santiago Lombardi (Médico. Magister en cooperación internacional. Docente universitario y en la Maestría de Relaciones Internacionales de FLACSO Argentina. Diplomático de carrera) debaten sobre los canales de participación de la sociedad civil en los organismos internacionales. y la reconfiguración de los bloques regionales en América Latina, en el marco de la Semana de la Salud Internacional organizada por la Diplomatura en Salud Internacional de la Universidad Nacional de José C. Paz y la Escuela de Gobierno en Salud Floreal Ferrara de la Provincia de Buenos Aires


Assuntos
América Latina , Desenvolvimento Regional , Saúde Global , Estratégias de Saúde Regionais , Sociedade Civil , Participação Social
3.
Washington, D.C.; PAHO; 2021-06-08. (PAHO/FPL/IM/21-0017).
Não convencional em Inglês | PAHO-IRIS | ID: phr-54186

RESUMO

In Bolivia (Plurinational State of), public participation in the decision making, management, and monitoring of the public health system is enshrined in the national constitution. The Family, Community, and Intercultural Health Model (Salud Familiar Comunitaria Intercultural—SAFCI) provides a guiding framework for such involvement through the establishment of the nonpartisan SAFCI social structure and participatory spaces of deliberation to assess public health priorities, policy compliance, and quality of care. Reflecting the Regional Immunization Action Plan’s strategic objective 2.1 to ensure that “immunization benefits extend equitably to all people and social groups,” the Expanded Program on Immunization (EPI) in Sucre, Bolivia (Plurinational State of), has applied the SAFCI model to promoting immunization equity...


Assuntos
Programas de Imunização , Programas Nacionais de Saúde , Equidade em Saúde , Equidade em Cobertura , Colaboração Intersetorial , Sociedade Civil , Bolívia
4.
Bol. Anál. Político-Instit ; (25): 65-72, 2021.
Artigo em Português | Coleciona SUS, ECOS | ID: biblio-1152610

RESUMO

Este texto discute brevemente as três principais alternativas de ação a respeito das eleições municipais em meio à pandemia, objeto do debate que culminou na EC n° 107: i) manter o calendário original das eleições; ii) adiá-las para 2022, unificando-as com os demais pleitos; ou iii) adiá-las por pouco tempo, realizando-as ainda neste ano. Conclui-se que a terceira alternativa, escolhida pelo Congresso, é a mais acertada, por ser a única que permite conciliar as necessárias precauções de saúde com as garantias democráticas. Além disso, ela está mais de acordo com o padrão de resposta da maioria dos países.


Assuntos
Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Pandemias , Sociedade Civil
5.
Saúde Soc ; 30(1): e200649, 2021. tab, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1252182

RESUMO

Resumo A partir de uma reelaboração crítica das categorias analíticas gramscianas de guerra de posição e de guerra de movimento, em uma perspectiva interescalar, analisam-se as diversas estruturas de poder e como elas se posicionam diante da crise mundial e busca de hegemonia. Tais perspectivas apontam a crise sanitária como uma questão geopolítica e evidenciam as estratégias de instâncias supraestatais (como a Organização Mundial do Comércio, a Organização Mundial da Saúde e a Organização Internacional do Trabalho), de Estados e de grupos econômicos setoriais que expressam as relações de poder, assim como as determinações territoriais que se desenvolvem sobre uma fragmentada sociedade civil, particularmente as camadas mais vulneráveis (povos originários, camponeses e comunidades negras), tendo como centralidade a produção da forma de valor.


Abstract From a critical re-elaboration of the Gramsci's analytical categories of war of position and war of movement, in an inter-scale perspective, the different power structures and how they position themselves in the face of the global health crisis in search of hegemony are analyzed. Such perspectives point to the covid-19 pandemic as a geopolitical issue and highlight how the strategies of supra-state bodies (WTO, WHO, ILO), States and sectoral economic groups materialize as territorial determinations developed over a fragmented civil society, particularly in the most vulnerable strata (indigenous peoples, peasants and black communities). These territorial determinations express a set of power relations for the realization of the form of value.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Política , Poder Psicológico , Poder Público , Sociedade Civil , COVID-19 , Determinação Social da Saúde , Territorialização da Atenção Primária
6.
Cuad. bioét ; 31(103): 293-308, sept.-dic. 2020.
Artigo em Espanhol | IBECS | ID: ibc-200022

RESUMO

La cuestión del género fue un componente importante en la revolución de mayo del 68. No obstante, lo que originariamente se planteó como una lucha por la igualdad y la defensa de las legítimas prerrogativas de las mujeres, evolucionó hacia un movimiento, el postfeminismo de género, que dejó de lado los intereses y necesidades reales de éstas, persiguiendo otros objetivos, incluso contradictorios. El presente trabajo intenta justificar la anterior afirmación, partiendo de algunas de las principales corrientes de pensamiento que estuvieron en la base de la revolución


Gender was an important component in the May '68 revolution. However, what was originally pro-posed as an effort for equality and the defense of the legitimate prerogatives of women, evolved into a movement, gender post-feminism, which it set aside their real interests and needs, pursuing other, even contradictory, goals. This article tries to justify the previous statement, starting from some of the main currents of thought what were at the base of the revolution


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , História do Século XX , Feminismo/história , Direitos da Mulher/história , 57444 , Sexualidade , Liberdade , França , Sociedade Civil , Fatores Sociológicos
7.
Artigo em Inglês | PAHO-IRIS | ID: phr-52468

RESUMO

[ABSTRACT]. Achieving health equity and addressing the social determinants of health are critical to attaining the health and health-related targets of the 2030 Agenda for Sustainable Development and its Sustainable Development Goals. Frameworks for health, including the Sustainable Health Agenda for the Americas 2018 – 2030, emphasize reduction of health inequities and “leaving no one behind” in national sustainable development. Health equity includes advancing universal health and the primary health care approach, with equitable access for all people to timely, quality, comprehensive, people- and community-centered services that do not cause impoverishment. Equally important, and a hallmark of good governance, is accountability for such advances. Governments have primary responsibility for reducing health inequities and must be held accountable for their policies and performance. Civil society has been recognized as a key partner in advancing sustainable and equitable national development. Effective accountability mechanisms should include civic engagement. The Healthy Caribbean Coalition (HCC), the only Caribbean regional alliance of civil society organizations working to prevent and control noncommunicable diseases—a major health priority fueled by inequities—has played a significant role in holding governments accountable for advancing health equity. This case study examines factors contributing to the success of the HCC, highlighting work under its five strategic pillars—accountability, advocacy, capacity development, communication, and sustainability—as well as challenges, lessons learned, and considerations for greater effectiveness.


[RESUMEN]. Alcanzar la equidad en salud y abordar los determinantes sociales de la salud son aspectos fundamentales para alcanzar las metas en materia de salud y relacionadas con la salud de la Agenda para el Desarrollo Sostenible 2030 y sus Objetivos de Desarrollo Sostenible. Los marcos de referencia para la salud, como la Agenda de Salud Sostenible para las Américas 2018-2030, hacen hincapié en la reducción de las desigualdades en salud y en "no dejar a nadie atrás" en el desarrollo sostenible a nivel nacional. La equidad en salud incluye la promoción de la salud universal y el enfoque de atención primaria de la salud, con un acceso equitativo de todas las personas a servicios de salud oportunos, de calidad, integrales y centrados en las personas y la comunidad que no ocasionen empobrecimiento. La rendición de cuentas por esos avances es igualmente importante, y un signo distintivo de una gobernanza adecuada. Los gobiernos tienen la responsabilidad primordial de reducir las desigualdades en salud y deben rendir cuentas de sus políticas y su desempeño. La sociedad civil es una parte interesada fundamental para promover un desarrollo nacional sostenible y equitativo, y debe formar parte de los mecanismos eficaces de rendición de cuentas. La Coalición Caribe Saludable —la única alianza regional del Caribe de organizaciones de la sociedad civil dedicada a prevenir y controlar las enfermedades no transmisibles, una prioridad sanitaria importante acrecentada por las desigualdades— ha desempeñado un papel importante en hacer que los gobiernos rindan cuentas de la promoción de la equidad en salud. En este estudio se examinan los factores que han contribuido al éxito de la Coalición Caribe Saludable, con énfasis en la labor realizada en el marco de sus cinco pilares estratégicos —rendición de cuentas, promoción de la causa, desarrollo de capacidad, comunicación y sostenibilidad— así como los retos, las enseñanzas extraídas y otras consideraciones para lograr una mayor eficacia.


Assuntos
Equidade em Saúde , Sociedade Civil , Governança , Doenças não Transmissíveis , Região do Caribe , Equidade em Saúde , Sociedade Civil , Governança , Doenças não Transmissíveis , Região do Caribe
9.
Acta bioeth ; 26(2): 215-224, oct. 2020. tab
Artigo em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1141927

RESUMO

Resumen El aumento de la tasa de incidencia y prevalencia de la enfermedad renal crónica plantea desafíos y dilemas éticos que tanto pacientes como familiares y profesionales de salud deben enfrentar diariamente. El objetivo de este artículo es reflexionar acerca de que, para la toma decisiones, los pacientes recurren a terceros como partícipes, lo que a nuestro juicio requiere un abordaje desde la autonomía solidaria. Se presenta el análisis de doce entrevistas semiestructuradas, realizadas a pacientes de 60 años o más, de distintos programas de la Unidad de Nefrología del Hospital Universitario San Ignacio, Colombia, entre 2017-2018. El artículo propone la necesidad de toma de decisiones centradas en la familia de los pacientes con enfermedades crónicas, antes de que su estado sea avanzado y los estados de inconciencia impidan su autodeterminación, considerando la determinación social de la autonomía.


Abstract The increase in the incidence and prevalence rate of Chronic Kidney Disease poses challenges and ethical dilemmas that patients, family members and health professionals must face daily. The objective of this article is to present a reflection on the way in which patients make recourse to third parties as participants in their decision-making, which would require an approach based on solidarity autonomy. The analysis of twelve semi-structured interviews conducted with patients 60 years of age and older, from different programs of the Nephrology Unit of the Hospital Universitario San Ignacio in the period 2017-2018 Colombia, is presented. This article proposes the need for family-centered decision making of patients with chronic diseases, before their state is advanced and states of unconsciousness prevent their self-determination, considering the social determination of autonomy.


Resumo O aumento da taxa de incidência e prevalência da enfermidade renal crônica coloca desafios e dilemas éticos que tanto pacientes como familiares e professionais da saúde devem enfrentar diariamente. O objetivo deste artigo é refletir acerca de que, para a tomada de decisões, os pacientes recorrem a terceiros como partícipes, o que a nosso juízo requer uma abordagem a partir da autonomia solidária. Se apresenta a análise de doze entrevistas semiestruturadas, realizadas com pacientes de 60 anos ou mais, de distintos programas da Unidade de Nefrologia do Hospital Universitário San Ignacio, Colômbia, entre 2017-2018. O artigo propõe a necessidade de tomada de decisões centradas na família dos pacientes com enfermidades crônicas, antes que seu estado esteja avançado e estados de inconsciência impeçam sua autodeterminação, considerando a determinação social da autonomia.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Família , Doença Crônica , Autonomia Pessoal , Tomada de Decisões , Insuficiência Renal Crônica , Sociedade Civil , Pesquisa Qualitativa
11.
Rev. adm. pública (Online) ; 54(4): 923-935, jul.-ago. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1136977

RESUMO

Resumo A pandemia da COVID-19 é um exemplo de grande emergência que desafia a administração pública ocasionalmente. A despeito da variedade de eventos dessa natureza, recai sobre o governo, majoritariamente, a responsabilidade pelas ações emergenciais nesses momentos. Organizações da Sociedade Civil (OSCs) podem, no entanto, contribuir para uma resposta rápida e adequada a tais ocorrências. Neste artigo, são discutidas as características das OSCs que as habilitam a contribuir para as medidas de emergência adotadas pelos governos. Analisa-se também a possibilidade de ampliação dos arranjos colaborativos entre governos e OSCs.


Resumen La pandemia de COVID-19 es un ejemplo de gran emergencia que ocasionalmente desafía a la administración pública. A pesar de la variedad de eventos de esa naturaleza, el gobierno es el principal responsable de las acciones de emergencia en esos momentos. Sin embargo, las organizaciones de la sociedad civil (OSC) pueden contribuir a una respuesta rápida y adecuada a estas emergencias. Este artículo analiza las características de las OSC que las califican para contribuir a las medidas de emergencia adoptadas por los gobiernos. También se analiza la posibilidad de ampliación de los acuerdos de colaboración entre gobiernos y OSC.


Abstract The COVID-19 pandemic is an example of a large-scale emergency that defies public administration. There is a variety of large-scale emergency events, and the government is responsible for responding to such situations. Civil Society Organizations (CSOs) can contribute to a fast and appropriate response to these emergencies. This article discusses the characteristics of CSOs that qualify them to contribute to the government's emergency responses. We also analyze possible collaborative arrangements between governments and CSOs.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Governo Estadual , Administração Pública , Colaboração Intersetorial , Infecções por Coronavirus , Parcerias Público-Privadas , Sociedade Civil
12.
Rev. adm. pública (Online) ; 54(4): 936-951, jul.-ago. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1136973

RESUMO

Resumo Este texto discute a atuação da sociedade civil na ação pública para o enfrentamento das consequências da pandemia da COVID-19 no Brasil. Partindo de uma lente pragmatista de análise, examinamos as ações coletivas da sociedade civil no combate aos efeitos da COVID-19, ressaltando suas características, seus alcances e seus limites na governança dessa crise. Para tanto, em primeiro lugar, por meio de um levantamento documental, analisamos a mobilização recente da sociedade civil e, depois, examinamos a realidade da cidade de Florianópolis, a qual acompanhamos mais de perto, mediante pesquisa de campo. Os resultados permitem construir um panorama da atuação dessas "redes invisíveis" e lançar pistas sobre as consequências e os desafios dessa atuação. As conclusões chamam a atenção para a necessidade de explorar mais a fundo o papel, as possibilidades e os dilemas da sociedade civil na produção de uma "governança experimentalista" em resposta aos inúmeros desafios impostos pela crise causada por essa pandemia no âmbito local.


Resumen Este texto analiza el papel de la sociedad civil en la acción pública para enfrentar las consecuencias de la pandemia de COVID-19 en Brasil. Partiendo de una perspectiva de análisis pragmática, examinamos las acciones colectivas promovidas por los actores de la sociedad civil en Brasil en la lucha contra la COVID-19, destacando sus características, su alcance y sus límites en la gobernanza de esta crisis. Para ello, primero, a través de análisis documental, investigamos la reciente movilización de la sociedad civil en el país y, en un segundo momento, examinamos la realidad de la ciudad de Florianópolis, que seguimos más de cerca, a través de investigación de campo. Los resultados permiten construir una visión general de la acción de estas "redes invisibles" y proporcionar pistas sobre sus consecuencias y desafíos. Las conclusiones llaman la atención sobre la necesidad de explorar más a fondo el papel, las perspectivas y dilemas de la sociedad civil en la producción de una "gobernanza experimentalista" en respuesta a los numerosos desafíos planteados por la crisis causada por esta pandemia a nivel local.


Abstract This text discusses the role of civil society in public action to face the consequences of the COVID-19 pandemic in Brazil. Based on a pragmatic approach, the study examines the collective actions promoted by civil society actors in Brazil, highlighting the characteristics, scope, and limits in the governance of this crisis. The study uses documental analysis to observe the recent mobilization of civil society in the country and field research to explore the reality of the city of Florianópolis. The results offer an overview of the performance of "invisible networks" of civil society actors, pointing out the challenges and outcomes of their actions. The findings suggest the need for further studies exploring the role, perspectives, and dilemmas of civil society in the production of "experimentalist governance" in response to the numerous challenges posed by the pandemic at the local level.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Política Pública , Adaptação Psicológica , Infecções por Coronavirus , Governança , Sociedade Civil
13.
Fractal rev. psicol ; 32(spe): 199-203, jun. 2020.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1133951

RESUMO

A sociedade contemporânea pode ser caracterizada por cinco aspectos que constituem as pontas de um pentagrama. Vivemos em uma sociedade escolarizada, em que a escola ocupa o lugar central da organização social; cientificista, dado que todo conhecimento presente no cotidiano tem reconhecimento social se legitimado pela ciência; mercadológica, uma vez que a lógica econômica rege as vidas das pessoas; judicializada, no momento em que as pessoas optam pelas vias jurídicas para solucionar seus problemas pessoais, negando a possibilidade do diálogo; e medicalizada, em que os problemas sociais são compreendidos à luz da ciência médica como patológicos. O presente texto visa examinar como os cinco aspectos que constituem o pentagrama da sociedade contemporânea estão presentes no ofício docente e em que medida o professor abdica de sua responsabilidade social. Procura-se demonstrar que, no decorrer das últimas décadas, ocorreu a precarização do magistério, sua desqualificação na formação e no exercício profissional. Cada vez mais, os professores atuam como cumpridores de um programa educacional desvinculado de sua realidade de sala de aula.(AU)


Contemporary society can be characterized by five aspects that constitute the ends of a pentagram. We live in a schooled society, where school occupies the central place of social organization; scientist, since all knowledge present in everyday life has social recognition if legitimated by science; market, since economic logic rules people's lives; judicialized, when people choose the legal ways to solve their personal problems, denying the possibility of dialogue; and medicalized, in which social problems are understood in the light of medical science as pathological. This paper aims to examine how the five aspects that constitute the pentagram of contemporary society are present in the teaching profession and to what extent the teacher abdicates his social responsibility. It is aimed to demonstrate that in the last decades teaching was disqualified in its professional exercise. Increasingly, teachers act as compliant with an educational program that is detached from their classroom reality.(AU)


Assuntos
Humanos , Responsabilidade Social , Docentes , Sociedade Civil
14.
Fractal rev. psicol ; 32(spe): 185-189, jun. 2020.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1133948

RESUMO

O presente artigo tem como finalidade examinar como a consolidação da mentalidade escolarizada articula-se ao fracasso da escola. Parte-se de uma breve caracterização do momento histórico de nascimento da escola, há aproximadamente oitocentos anos, até chegar-se à era da industrialização, há cerca de duzentos anos, quando começa a desenvolver-se o que se denomina, na literatura, de mentalidade escolarizada. Após caracterizar, brevemente, essa mentalidade, são apresentados argumentos visando demonstrar de que modo isso contribuiu para o fracasso da escola, minando a autoridade do professor e gerando a possibilidade de emergência da escola militarizada. Conclui-se que a perseverança no mito da escolarização por meio da difusão da ideia de que a crise da educação é de caráter técnico conduz a iniciativas de intensificação de formas de avaliação do processo de ensino-aprendizagem e à militarização das escolas como forma de conter a violência. O mito da escolarização é um aliado importante do ideal de controle social da aprendizagem.(AU)


In this article we aim to examine how schooling, a kind of mental space, is related to the failure of school. We begin presenting a brief characterization of the historical moment of school's birth about eight hundred years ago. Then we move to the industrialization era which began approximately two hundred years ago and in which was born a kind of mentality called schooling. After a brief characterization of schooling mentality, we present arguments in order to demonstrate how it contributed to school failure by collapsing teacher's authority. The death of teacher's authority, in its turn, creates the possibility of emergence of militarized school. It is concluded that perseverance in the myth of schooling, carried out by spreading the idea that the education crisis is of a technical nature, leads to initiatives to intensify forms of evaluation of the teaching-learning process and the militarization of schools as a way to contain violence. The myth of schooling is an important ally of the ideal of social control of learning.(AU)


Assuntos
Instituições Acadêmicas/história , Sociedade Civil
15.
Enferm. actual Costa Rica (Online) ; (38): 272-281, Jan.-Jun. 2020.
Artigo em Espanhol | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1090101

RESUMO

Resumen La percepción social que tenga una profesión está directamente relacionado con lo que el profesional transmita de su propia identidad. En el caso específico de la enfermería, lleva en sus hombros una carga histórica que, en lugar de darle prestigio, le dado estigmas, tales como: el uso de uniforme, el ejercicio enfermería como castigo (pago de pecados) y el comienzo de la profesionalización con Florence Nightingale. Se realizó una revisión bibliográfica en bases de datos Scielo, Google Académico, Biblioteca virtual de salud de la OMS, con los términos boleanos de "percepción social" "enfermería" "identidad profesional" y se obtuvieron 34 artículos científicos de tipo revisión o de reflexión; se seleccionaron artículos de menos de 5 años que responda a la búsqueda e interés del autor. Como resultados, se obtuvo que la enfermería como profesión posee estigmas como debilidad, invisibilidad, poca autonomía, injusta remuneración, juguete sexual y demás estereotipos. Se concluye que, si bien las creencias erróneas de enfermería están intricadas en la población, el enfermero es el único encargado de construir una identidad profesional sólida, la cual se transmitirá a la sociedad.


Summary the social perception that a profession has is directly related to what the professional transmits of his own identity. In the specific case of nursing, he carries on his shoulders a historical burden that, instead of giving him prestige, gave him stigmata, such as: the use of uniform, the nursing exercise as punishment (payment of sins) and the beginning of the Professionalization with Florence Nightingale. A bibliographic review was carried out in databases Scielo, Google Scholar, Virtual Health Library of the WHO, with the boolean terms of "social perception" "nursing" "professional identity" and 34 scientific articles of type review or reflection were obtained ; articles of less than 5 years that respond to the search and interest of the author were selected. As a result, it was obtained that nursing as a profession has stigmas such as weakness, invisibility, poor autonomy, unfair remuneration, sex toys and other stereotypes. It is concluded that, although the mistaken beliefs of nursing are intricate in the population, the nurse is the only one in charge of building a solid professional identity, which will be transmitted to society.


Resumo A percepção social que uma profissão possui está diretamente relacionada ao que o profissional transmite de sua própria identidade. No caso específico da enfermagem, ele carrega sobre seus ombros um fardo histórico que, em vez de lhe dar prestígio, lhe deu estigmas, tais como: uso de uniforme, exercício de enfermagem como punição (pagamento de pecados) e início do Profissionalização com Florence Nightingale. Foi realizada uma revisão bibliográfica nas bases de dados Scielo, Google Scholar, Biblioteca Virtual em Saúde da OMS, com os termos booleanos de "percepção social" "enfermagem" "identidade profissional" e foram obtidos 34 artigos científicos de revisão ou reflexão de tipo ; artigos com menos de 5 anos que respondam à busca e interesse do autor foram selecionados. Como resultado, obteve-se que a enfermagem como profissão possui estigmas como fraqueza, invisibilidade, pouca autonomia, remuneração injusta, brinquedos sexuais e outros estereótipos. Conclui-se que, embora as crenças equivocadas da enfermagem sejam intrincadas na população, o enfermeiro é o único encarregado de construir uma identidade profissional sólida, que será transmitida à sociedade.


Assuntos
Humanos , Percepção Social , Enfermagem , Papel do Profissional de Enfermagem , Sociedade Civil
16.
Brasília; IPEA; 20200500. 16 p. (Nota Técnica / IPEA. Diest, 67).
Monografia em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1102068

RESUMO

Esta nota técnica tem como objetivo principal destacar os impactos imediatos que a crise causada pela Covid-19 têm imposto às organizações da sociedade civil (OSCs) brasileiras, apontar alternativas e refletir sobre perspectivas, em um esforço de contextualização a partir de mapeamentos e descrições de perfis das organizações em atividades no país, usando como fonte, especialmente, o Mapa das OSCs.


Assuntos
Organizações , Infecções por Coronavirus , Coronavirus , Pandemias , Sociedade Civil
17.
RECIIS (Online) ; 14(1): 12-17, jan.-mar. 2020.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1087170

RESUMO

Esta nota de conjuntura avalia o processo decorrente da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), tendo em vista o marco de dez anos de sua realização. O autor argumenta que o principal resultado da Conferência foi abrir espaço para o Estado brasileiro superar a ausência de um sistema regulatório e de regras que redesenhassem o sistema de comunicação brasileiro. Ao decidir não ocupar este espaço aberto, o governo federal perdeu a última oportunidade que se abriu para estabelecer uma nova dinâmica para o setor. São analisadas também as modificações no cenário político e econômico desde a realização da Conferência. O autor conclui que, embora os apontamentos dados pela Confecom em relação à convergência tecnológica não respondam a especificidades do momento atual, poderiam, se tivessem sido efetivados, ter preparado o país para enfrentar os desafios novos e conter a força política e econômica dos atores do setor.


This conjuncture note assesses the process resulting from the I Conferência Nacional de Comunicação ­ Confecom (I Communication National Conference), in view of the ten-year mark of its realization. The author argues that the main result of the Conference was to open space for the Brazilian State to overcome the absence of a regulatory system and rules that could redesign the Brazilian communication system. In deciding not to occupy this open space, the Federal Government missed the last opportunity that opened up to establish a new dynamic for the sector. Changes in the political and economic scenario since the Conference were also analyzed. The author concludes that, although the outcomes of the Confecom regarding technological convergence do not respond to specificities of the present moment, they could, if they had been implemented, have prepared the country to face the new challenges and contain the political and economic strength of the sector players.


Esta nota de coyuntura evalúa el proceso resultante de la I Conferência Nacional de Comunicação ­ Confecom (I Conferencia Nacional de Comunicación), en vista de los diez años de su realización. El autor argumenta que el principal resultado de la Conferencia fue abrir un espacio para que el Estado brasileño supere la ausencia de un sistema regulatorio y reglas que rediseñarían el sistema de comunicación brasileño. Al decidir no ocupar este espacio abierto, el Gobierno Federal perdió la última oportunidad que se abrió para establecer una nueva dinámica para el sector. También se analizaron los cambios en el escenario político y económico desde la Conferencia. El autor concluye que, aunque las respuestas dadas por la Confecom con respecto a la convergencia tecnológica no respondan a especificidades del momento actual, si hubieran sido implementadas, podrían haber preparado al país para enfrentar los nuevos desafíos y contener la fuerza política y económica de los actores del sector.


Assuntos
Humanos , Política Pública , Brasil , Comunicação , Congressos como Assunto , Sociedade Civil , Controle Social Formal , Mídias Sociais , Administração das Tecnologias da Informação
18.
Rev. adm. pública (Online) ; 54(1): 142-161, jan.-fev. 2020. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1092379

RESUMO

Resumo Como as diversas iniciativas legislativas sobre acesso à informação no Brasil culminaram na aprovação da Lei n. 12.527 (Lei de Acesso à Informação [LAI], 2011)? A partir da abordagem de coalizões de defesa (advocacy coalitions framework - ACF), este artigo analisa a formação de agenda e a atuação de diferentes coalizões, por meio da análise de amplo clipping de notícias, entrevistas, leis e documentos publicados entre 2001 e 2012. Foram identificadas duas coalizões: a) uma a favor de mudanças na legislação, composta por setores do Poder Executivo, do Poder Legislativo, da mídia e da sociedade civil; e b) outra a favor da manutenção de regras restritivas de acesso à informação, composta por Forças Armadas, Itamaraty e Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado. Identificou-se, também, a superposição de dois subsistemas de políticas públicas: a) o de transparência; e b) o de reconciliação. Este último monopolizou o debate público sobre o tema, contribuindo para a morosidade na aprovação da LAI (2011). O Itamaraty também emerge como autor de forte lobby contra modificações nas regras de classificação de documentos, por motivos ainda a explorar em profundidade.


Resumen ¿Cómo las diversas iniciativas legislativas sobre acceso a la información en Brasil culminaron en la aprobación de la ley n.o 12.527 [Ley de Acceso a la Información (LAI), 2011)]? Utilizando el marco de coaliciones de causa (advocacy coalitions framework - ACF), este artículo analiza la formación de agenda y la actuación de diferentes coaliciones por medio del análisis de amplio clipping de noticias, entrevistas, leyes y documentos entre 2001 y 2012. Se identificaron dos coaliciones: una a favor de cambios en la legislación, compuesta por sectores del Ejecutivo, Legislativo, medios de comunicación y sociedad civil; y otra a favor del mantenimiento de reglas restrictivas de acceso a la información, compuesta por las Fuerzas Armadas, Itamaraty (Ministerio de Relaciones Exteriores de Brasil) y la Comisión de Relaciones Exteriores y Defensa Nacional del Senado. Se identificó también la superposición de dos subsistemas de políticas públicas, el de transparencia y el de reconciliación. Este último monopolizó el debate público sobre el tema, contribuyendo a la morosidad en la aprobación de la Ley de Acceso a la Información. El Itamaraty también emerge como autor de fuerte lobby contra modificaciones en las reglas de clasificación de documentos, por motivaciones aún por investigar.


Abstract How did the various legislative initiatives on access to information in Brazil culminate in the 12.527/11 federal law? Using the Advocacy Coalition Framework, this article analyzes the agenda setting and strategies of different coalitions, analyzing a broad array of news, interviews, laws, and official documents between 2001 and 2012. Two coalitions were identified: one in favor of changes in legislation, comprised of sectors of the Executive, legislative, the media and civil society; and another in favor of the maintenance of restrictive rules of access to information, composed of Armed Forces, Itamaraty (Brazil's diplomatic corps) and the Senate's Legislative Commission on Defense and Foreign Affairs. The article also identifies an overlap of two public policy subsystems: the transparency subsystem and the reconciliation one. The latter monopolized the public debate on the subject, contributing to the slowness in approving a transparency law. Itamaraty also emerges as the author of a strong lobby against changes in the rules for document classification, for reasons yet to be studied.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Formulação de Políticas , Política Pública , Acesso à Informação , Poder Executivo , Poder Legislativo , Sociedade Civil
20.
Trab. educ. saúde ; 18(3): e00303135, 2020.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1139775

RESUMO

Resumo A concepção de infância modificou-se de acordo com as estruturas econômicas e de poder da sociedade, assim como os valores que influenciam o cuidado das crianças e dos adolescentes. Com o neoliberalismo, os direitos constitucionais reduziram-se, os valores defendidos na Constituição desvalorizaram-se, e as Organizações da Sociedade Civil tornaram-se as responsáveis pela atenção a essa população. Este trabalho tem como objetivo analisar como os valores e a formação profissional influenciam na promoção da saúde no atendimento a crianças e adolescentes em uma Organização da Sociedade Civil de Florianópolis, Santa Catarina. A pesquisa, realizada em 2018, utilizou abordagem qualitativa com entrevistas semiestruturadas e análise temática. Os resultados foram organizados em duas categorias: Formação profissional: ultrapassando o tecnicismo em busca da promoção à saúde; e Educação moral, valores e cidadania: a promoção da saúde na contramão dos valores neoliberais. É fundamental a discussão sobre a formação profissional em busca de um cuidado mais humanizado na universidade de modo a promover indivíduos críticos e com capacidade de refletir, transformar e recriar o seu trabalho. Além disso, a educação moral e a promoção da saúde buscam elementos para transformação do status quo que vai além das práticas médicas e engloba a promoção da cultura da paz e de direitos humanos e à emancipação do ser humano.


Abstract The concept of childhood has changed according to the economic and power structures of society, as well as the values that influence the care of children and adolescents. With neoliberalism, constitutional rights were reduced, the values defended in the Constitution were devalued and Civil Society Organizations became responsible for the care of this population. This study, carried out in 2018, aimed to analyze how values and professional training influence health promotion in the care of children and adolescents in a Civil Society Organization in the city of Florianópolis, Brazil. The research used a qualitative approach with semi-structured interviews and thematic analysis. The results were organized into two categories: Professional training: overcoming technicality in search of health promotion; and Moral education, values and citizenship: health promotion against neoliberal values. It is essential to discuss professional training in search of more humanized care at the university in order to promote critical individuals with the capacity to reflect, transform and recreate their work. In addition, moral education and health promotion seek elements to transform the status quo that goes beyond medical practices and encompasses the promotion of a culture of peace and human rights and the emancipation of human beings.


Resumen El concepto de infancia se ha modificado de acuerdo con las estructuras económicas y de poder de la sociedad, así como los valores que influyen en el cuidado de los niños y las niñas y de los adolescentes. Con el neoliberalismo, los derechos constitucionales se redujeron, los valores defendidos en la Constitución, se desvalorizan y las Organizaciones de la Sociedad Civil pasaron a ser las responsables por la atención de este sector de la población. Este trabajo tiene como objetivo analizar como los valores y la formación profesional contribuyen en la promoción de la salud en la atención a niños, niñas y adolescentes en una Organización de la Sociedad Civil de la ciudad Florianópolis, em Brasil. La encuesta, realizada em 2018, utilizó un abordaje cualitativo con entrevistas semiestructuradas y análisis de tema. Los resultados fueron organizados en dos categorías: Formación profesional: superando el tecnicismo en busca de la promoción de la salud; y Educación moral, valores y ciudadanía: la promoción de la salud a contramano de los valores neoliberales. Es fundamental la discusión sobre la formación profesional en busca de un cuidado más humanizado en la universidad de manera que se promuevan individuos críticos y con capacidad de reflexionar, transformar y recrear su trabajo. Además de eso, la educación moral y la promoción de la salud buscan elementos para la transformación del status quo que va más allá de las prácticas médicas y engloba la promoción de la cultura de la paz y de derechos humanos y la emancipación del ser humano.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Educação , Capacitação Profissional , Sociedade Civil , Promoção da Saúde
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...