Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 29
Filtrar
1.
Rev. psicol. (Fortaleza, Online) ; 13(1): 139-153, 01/01/2022.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1358000

RESUMO

Este artigo propõe contribuir com o debate existente sobre prevenção e estratégias de enfrentamento à violência de gênero contra as mulheres. O estudo buscou pesquisar como essa temática tem sido retratada nas produções acadêmicas brasileiras no campo da Psicologia, visando problematizar de que modo a interseção entre marcadores de raça, gênero e classe é abordada por autores(as) da área, e analisando as repercussões psicossociais da violência nas mulheres. Foi utilizado como método a revisão bibliográfica sobre o tema da violência doméstica em artigos científicos publicados especificamente da base de dados SciELO. Averiguou-se como resultado que o fenômeno da violência necessita de um amplo cuidado, aprimorando o apoio e suporte à mulher e à família acometida pelo contexto da violência, e que há grande necessidade de considerar as discussões e intervenções de modo interseccional. Como conclusão, foi possível compreender através dos estudos avaliados que existem fatores que interferem na produção e manutenção das opressões vivenciadas. Por fim, compreende-se a necessidade de a psicologia dialogar junto a outros campos de atuação, a fim de contribuir na construção de conhecimento a partir de problemas sociais, e de modo a incentivar o desenvolvimento de estudos de caráter preventivo e com estratégias mais efetivas.


This article proposes to contribute for the existing debate on prevention and strategies to avoid gender violence against women. The study sought to research how this theme has been portrayed in Brazilian Academic Productions at the field of psychology, aiming to problematize how the intersection between markers of race, gender and social classes are addressed by author's field, and analyzing the psychosocial repercussions of violence against women. A literature review on the topic of domestic violence in scientific articles published specifically from the SciELO database was used as a method. As a result, it was found that the phenomenon of violence needs ample care, improving support and supporting those women and families affected by the context of violence, and that there is a great need to consider the discussions and interventions in an intersectional way. In conclusion, it was possible to understand through the evaluated studies that there are factors that interfere in the production and maintenance of the experienced oppression. As conclusion it is understood the need for psychology to dialogue with other fields of action, in order to contribute to the construction of knowledge based on social problems, and in order to encourage the development of preventive studies with more effective strategies.


Assuntos
Psicologia , Violência contra a Mulher , Violência de Gênero , Interseccionalidade
2.
Psicol. ciênc. prof ; 42: e229977, 2022.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1356595

RESUMO

Resumo Neste estudo, apresentamos um relato de pesquisa acerca de uma psicologia da diferença nas relações raciais, a fim de cartografar processos de subjetivação das relações raciais na formação da(o) psicóloga(o) e sua interface com a atuação profissional. Como métodos de pesquisa, utilizamos a cartografia, a participação observante, um círculo de cultura e duas rodas de conversa para produzir narrativas, relato e escrita de si em diário cartográfico. Para discussão e análise, realizamos um exercício ético-estético-poético e político, operando com ferramentas-conceitos da esquizoanálise e da epistemologia da decolonização. Como política dessa invenção, considera-se que: a) o pesquisador devém analisador/testemunha do lugar de fala das mulheres negras que compõem a cartografia a partir de sua representatividade; b) a presença de um número reduzido de negras(os) nos cursos da área da saúde é efeito da colonização da academia; c) a implicação ético-política da(o) psicóloga(o) emerge como dispositivo de enfrentamento ao racismo institucional; e que d) um movimento estudantil menor, ao devir comum minoritário, rompe com o instituído e instaura, de modo criativo, discussões que suscitam o debate em torno da psicologia nas relações raciais e de situações-problema que emergem do dispositivo interseccionalidade.(AU)


Abstract This study presents a research report about a psychology of the difference in race relations, aiming to map the subjectivation processes of race relations in the psychologist's training and their interface with the professional performance. We used cartography, observant participation, a culture circle, and two conversation circles for narrative production, self-reporting and writing in a cartographic diary as a research method. For the discussion and analysis, we conducted an ethical-aesthetic-poetic and political exercise, operating tools-concepts of schizoanalysis and the epistemology of decolonization. As a policy of this invention: a) the researcher becomes an analyzer/witness of the place of speech of black women who make up cartography from their representativeness; b) the presence of a small number of black women in health courses is an effect of the academy colonization; c) the ethical-political implication of the psychologist emerges as a device to confront institutional racism; and d) a smaller student movement becoming the common minority breaks with the instituted, creatively instituting discussions that open the debate about psychology in race relations and problem situations that emerge from the intersectionality device.(AU)


Resumen En este estudio, presentamos un informe de investigación sobre la psicología de la diferencia en las relaciones raciales, con el objetivo de mapear los procesos de subjetivación de las relaciones raciales en la formación del/la psicólogo/a y su interfaz con la práctica profesional. Como método de investigación, utilizamos la cartografía, la participación observadora, el círculo cultural y círculos de conversación para producir narrativa, relatos y escritura de sí en un diario cartográfico. Para la discusión y análisis, realizamos un ejercicio ético-estético-poético y político, operando herramientas y conceptos del esquizoanálisis y la epistemología de la decolonización. Como política de esta invención se considera que: a) el investigador se convierte en un analizador/testigo del lugar de habla de las mujeres negras que componen la cartografía desde su representatividad; b) la presencia de un pequeño número de negras/os en cursos de salud es resultado de la colonización de la academia; c) la implicación ético-política del/la psicólogo/a surge como un dispositivo para enfrentar el racismo institucional; y que d) un movimiento estudiantil más pequeño con el devenir común de la minoría rompe con lo establecido, instituyendo creativamente discusiones sobre la psicología en las relaciones raciales y las situaciones problemáticas que surgen del dispositivo de interseccionalidad.(AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Psicologia , Desejabilidade Social , Fala , Mapeamento Geográfico , Racismo , Saúde das Minorias Étnicas , Prática Profissional , Relações Raciais , Ensino , Organização Mundial da Saúde , Saúde , Políticas , Interseccionalidade , Movimento
3.
Saúde Soc ; 31(1): e200460, 2022.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1352218

RESUMO

Resumo Este artigo busca contar as narrativas de jovens que nasceram com HIV apresentadas em rodas de conversa de um Grupo de Trabalho sobre Transmissão Vertical do HIV e Juventudes. Os temas abordados dizem respeito à empregabilidade e benefícios sociais, bem como analisam a perda de aposentadorias por Pessoas Vivendo com HIV/aids (PVHA) no período de 2016 a 2019. O método utilizado para esta pesquisa qualitativa é a autoetnografia de uma ativista travesti negra e intersexo, além da análise documental de atas, notícias, memórias de reuniões, anotações pessoais e legislações, tendo como escolha conceitual de análise a interseccionalidade.


Abstract This article presents the narratives of young people born with HIV told in chatting circles of a Working Group on Vertical Transmission of HIV and Youth. The themes relate to employability and social benefits, as well as the loss of retirement pensions by people living with HIV/AIDS (PLHA) from 2016 to 2019. Based on the concept of intersectionality, this qualitative research consists of the autoethnography of a Black intersex travesti activist and of a document analysis of minutes, news, meeting memories, personal notes, and legislations.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Adulto , HIV , Direitos Civis , Emprego , Ativismo Político , Interseccionalidade
4.
Estud. pesqui. psicol. (Impr.) ; 21(4): 1478-1499, dez. 2021.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1359226

RESUMO

A análise interseccional dos marcadores de raça, classe, gênero tem sido uma importante ferramenta ética e metodológica para a compreensão das condições de opressão vividas pelas pessoas em situação de pobreza. Reconhece-se que esses marcadores podem gerar tanto opressões como processos de resistências que afetam seus modos de vida. Assim, o objetivo deste trabalho é analisar os impactos das intersecções do gênero, da raça, e da pobreza no modo de vida das mulheres de uma comunidade no Nordeste do Brasil. A proposta foi realizada a partir de uma perspectiva qualitativa, com entrevistas semi-estruturadas com sete mulheres pretas. Elas são moradoras de uma comunidade em situação de pobrezas em cidade com menos de 30 mil habitantes. Foi realizada análise de conteúdo do material produzido. Identificou-se que as estruturas macrossociais patriarcais, classistas e racistas exercem influência sobre os modos de vida destas mulheres. Como consequências, observou-se a existência de trajetórias de violências e de pobreza, fomentando processos específicos de opressão, por vezes reproduzidos pelas próprias mulheres. Contudo, é relevante pontuar que estas mulheres também têm produzido dissonâncias, permitindo experimentar resistências e novas formas de agenciamentos para a produção de novos modos de vida que desvelam possibilidade de enfrentamento destas mazelas sociais. (AU)


The intersectional analysis of markers of race, class and gender has been an important ethical and methodological tool for understanding the conditions of oppression experienced by people in poverty. It is recognized that these markers can generate both oppression and resistance processes that affect their lifestyle. Thus, the objective is to analyze the impacts of gender, race, and poverty intersections on the lifestyle of women in a community in the Northeast of Brazil. The proposal was carried out from a qualitative perspective with semi-structured interviews with seven black women. They are residents of a poor community with less than 30,000 inhabitants. Content analysis of the material produced was carried out. It was identified that patriarchal, classist and racist macro-social structures exert an influence on the lifestyle of these women. As a consequence, the existence of trajectories of violence and poverty was observed, fostering specific processes of oppression, sometimes also reproduced by women themselves. However, it is important to point out that these women have also produced dissonances, allowing them to experience resistance and new forms of agency to produce new lifestyle that reveal the possibility of confronting these social ailments. (AU)


El análisis interseccional de los marcadores de raza, classe y género ha sido un importante instrumento ético y metodológico para comprender las condiciones de opresión que experimentan las personas en situación de pobreza. Se reconoce que estos marcadores pueden generar tanto procesos de opresión como de resistencia que afectan a sus formas de vida. Así, el objetivo deste estudio es analizar los impactos de las intersecciones de género, raza y pobreza en el modo de vida de las mujeres de una comunidad del noreste de Brasil. La propuesta se llevó a cabo desde una perspectiva cualitativa con entrevistas semiestructuradas a siete mujeres no blancas, residentes de una comunidad pobre. Se realizó un análisis del contenido del material producido. Se identificó que las estructuras macrosociales patriarcales, clasistas y racistas ejercen una influencia en las formas de vida de estas mujeres. Como consecuencia, se observó la existencia de trayectorias de violencia y pobreza, que fomentaban procesos específicos de opresión, a veces también reproducidos por las propias mujeres. Sin embargo, es importante señalar que estas mujeres también han producido disonancias, lo que les ha permitido experimentar resistencia y nuevas formas de agencia para producir nuevas formas de vida que revelan la posibilidad de enfrentarse a estos males sociales. (AU)


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Interseccionalidade , Pobreza , Grupos de Populações Continentais , Identidade de Gênero
5.
Ciudad Autónoma de Buenos Aires; Argentina. Ministerio de Salud de la Nación. Dirección de Investigación en Salud; Octubre 2021. 1 p.
Não convencional em Espanhol | BINACIS, BINACIS, ARGMSAL | ID: biblio-1353823

RESUMO

A partir de la experiencia de años de trabajo en el servicio de Consejería para personas con derecho a la interrupción legal del embarazo del Hospital M. Miskoff de Maimará, observamos que las mujeres rurales y/o de comunidades originarias son las que presentan mayores dificultades en el acceso a la ILE. Esta investigación tiene como objetivo identificar, describir y analizar las diferentes barreras que limitan el acceso de estas mujeres al derecho, recuperando su voz y experiencia como usuarias del dispositivo. Nos proponemos interpretar el modo en que se entrecruzan los atravesamientos sociales, geográficos, étnicos, simbólicos, económicos y culturales en términos de obstáculos a la hora de acceder al derecho. Las experiencias de las mujeres con las que nos encontramos muestran desigualdades interconectadas, vinculadas principalmente al género. Es un estudio descriptivo desarrollado a partir de una metodología cualitativa con entrevistas a mujeres rurales y/ o de comunidades originarias que pasaron por consejería buscando interrumpir sus embarazos. La guía de entrevista nos permitió relevar dimensiones para analizar las barreras ecológicas, financieras y organizacionales que obstaculizan el acceso a la ILE, permitiendo identificar los aspectos que, como determinaciones sociales y desigualdades en salud, se intersectan y refuerzan mutuamente operando como un desigualador diferencial en el acceso. De estos resultados se desprende la necesidad de readecuar la política pública para mejorar el acceso a la ILE a través de dispositivos que se ajusten a las necesidades específicas de esta población, ampliando la mirada sobre los factores que intervienen en el proceso salud enfermedad atención cuidado. Necesitamos construir un modelo de atención diferente que habilite intervenciones flexibles y respetuosas de la singularidad de las personas, para que el esfuerzo no quede del lado de las usuarias, empujadas a un derrotero de búsquedas para resolver su demanda.


Assuntos
População Rural , Aborto Legal , Pesquisa Qualitativa , Interseccionalidade , Acesso aos Serviços de Saúde
6.
RECIIS (Online) ; 15(2): 319-332, abr.-jun. 2021.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1254697

RESUMO

É um importante desafio a compreensão do ambiente de violação de direitos a que estão submetidas populações atingidas pelo modelo de desenvolvimento extrativista da mineração. Damos foco aos rompimentos das Barragens de Fundão (Mariana) e Córrego de Feijão (Brumadinho), especialmente às mulheres atingidas ­ elo menos visível dessa cadeia. Além de enfrentarem desigualdade calcada nas relações interseccionais, imposta pelo capitalismo patriarcal, são as que mais lutam pela reconstrução dos seus modos de vida. O principal esforço deste artigo é dar visibilidade à realidade vivida por essas mulheres, suas redes de solidariedade e luta. Por meio da mídia aderente e alternativa do jornal A Sirene, análise documental e entrevistas, buscamos ouvir as vozes dessas mulheres que têm seus direitos negados e sua saúde comprometida em função do insistente descaso das empresas mineradoras. Utilizando os conceitos trazidos nos estudos de Veena Das, como conhecimento venenoso e sofrimento social, realizamos a análise dos resultados.


It is an important challenge to understand the environment of violation of rights to which populations affected by the mining extractive development model are subjected. We focus on the disruptions of the Fundão (Mariana) and Córrego de Feijão dams (Brumadinho), especially to the women affected ­ the least visible link in this chain. In addition to facing the inequality based on intersectional relations, imposed by patriarchal capitalism, they are the ones that fight the most for the reconstruction of their ways of life. The main effort of this article is to give visibility to the reality experienced by these women, their networks of solidarity and the fight. Through the adherent and alternative media of the newspaper A Sirene, document analysis and interviews we seek to hear the voices of these women who have their rights denied and their health compromised due to the insistent neglect of mining companies. Using the concepts brought up in the studies by Veena Das, such as poisonous knowledge and social suffering, we performed the analysis of the results.


Es un desafío importante comprender el entorno de vulneración de derechos al que están sometidas las poblaciones afectadas por el modelo de desarrollo minero extractivo. Nos centramos en las interrupciones de las represas Fundão (Mariana) y Córrego de Feijão (Brumadinho), especialmente en las mujeres afectadas, el eslabón menos visible de esta cadena. Además de enfrentar la desigualdad basada en las relaciones interseccionales, impuesta por el capitalismo patriarcal, son ellos los que más luchan por la reconstrucción de sus formas de vida. El principal esfuerzo de este artículo es dar visibilidad a la realidad que viven estas mujeres, sus redes de solidaridad y la lucha. A través de los medios adherentes y alternativos del diario A Sirene, análisis de documentos y entrevistas, buscamos escuchar las voces de estas mujeres a quienes se les niegan sus derechos y se compromete su salud por el insistente descuido de las empresas mineras. Utilizando los conceptos planteados en los estudios de Veena Das, como el conocimiento venenoso y el sufrimiento social, realizamos el análisis de los resultados.


Assuntos
Humanos , Barragens , Violações dos Direitos Humanos , Interseccionalidade , Meios de Comunicação de Massa , Mineração , Brasil , Entrevista , Jornalismo
7.
RECIIS (Online) ; 15(2): 333-345, abr.-jun. 2021. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1254701

RESUMO

As ameaças e xingamentos racistas direcionados à parlamentar Talíria Petrone, no exercício do seu mandato, expressam a especificidade dos riscos de adoecimento e morte que as mulheres negras enfrentam na política institucional. Partindo do reconhecimento desse fenômeno como uma realidade traumática, como demonstra Kilomba, analisamos os episódios de racismo cotidiano (idem), numa perspectiva interseccional, a partir de uma publicação da deputada no Instagram, e seu significado dentro da herança colonial escravagista brasileira. A análise corrobora a necessidade de plataformas que contemplem e governos que implementem ações efetivas para coibir este tipo de crime e assegurar os direitos políticos e a saúde plena dessas mulheres.


The racist threats and insults against the parliamentarian Talíria Petrone, in the exercise of her mandate, express the specificity of the risks of illness and death that black women face in the institutional politics. Based on the recognition of this phenomenon as a traumatic reality, as Kilomba shows us, we analyzed the episodes of everyday racism, in an intersectional perspective, from a post published by the deputy in her Instagram profile, and their meaning within the Brazilian colonial slavery heritage. The analysis corroborates there is a need for platforms contemplating and governments implementing effective actions to hinder this type of crime and to ensure the political rights and the complete health of these women.


Las amenazas y los insultos racistas dirigidos a la parlamentaria Talíria Petrone, en ejercicio de su mandato, expresan la especificidad de los riesgos de enfermedad y muerte que enfrentan las mujeres negras en la política institucional. Apoyando en el reconocimiento de este fenómeno como una realidad traumática, como demonstra Kilomba, analizamos los episodios de racismo cotidiano, en una perspectiva interseccional, teniendo en cuenta una publicación en el perfil de Instagram de la diputada, y su significado dentro de la herencia de esclavitud colonial brasileña. El análisis corrobora la necesidad de que las plataformas contemplen y los gobiernos implementen acciones efectivas para cohibir ese tipo de crimen y asegurar los derechos políticos y la salud integral de esas mujeres.


Assuntos
Humanos , Política , Brasil , Rede Social , Racismo , Interseccionalidade , Mulheres , Feminismo , Iniquidade de Gênero
8.
Gerais (Univ. Fed. Juiz Fora) ; 14(1): 1-25, jan.-abr. 2021.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1279126

RESUMO

Nesta pesquisa, propomo-nos a repensar o lugar da mulher negra em ambientes acadêmicos, os quais, supostamente, constituem espaços de produção democrática de saberes e de profissionais compromissados com a realidade social e suas fissuras. Por meio do método da história oral temática, foram entrevistadas três professoras universitárias negras, na busca da compreensão dos significados assumidos e conferidos às transformações experenciadas ao longo de suas vidas escolares e acadêmicas. Desse modo, procuramos compreender as características e contradições do processo identitário dessas mulheres e perceber de que modo as marcas interseccionais de raça, gênero e classe perpassam suas existências e seus projetos políticos; orientadas, sobretudo, pela ética da emancipação.


In this research, we propose to rethink the place of black women in academic environments, which supposedly constitute spaces for democratic production of knowledge and professionals committed to social reality and its fissures. Through the method of thematic oral history, three black female university professors were interviewed, in an attempt to understand the meanings assumed and given to the transformations experienced throughout their school and academic lives. In this way, we seek to understand the characteristics and contradictions of the identity process of these women and to understand how the intersectional marks of race, gender and social status permeate their existences and their political projects; guided, above all, by the ethics of emancipation.


Assuntos
Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Interseccionalidade , Psicologia , Classe Social , Identificação Social
9.
Belo Horizonte; s.n; 2021. 170 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-1371167

RESUMO

Objetivo: Analisar, sob a perspectiva de Enfermeiras Obstétricas negras, a interseccionalidade de gênero, raça e classe no seu contexto de trabalho. Percurso Metodológico: Estudo exploratório, de abordagem qualitativa, norteado pela Teoria da Interseccionalidade, de Kimberlé Crenshaw (1989). Realizaram-se entrevistas individuais, por meio virtual, de março a julho de 2020. Participaram 25 Enfermeiras Obstétricas negras, formadas pelo Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica ­ Rede Cegonha (CEEO II), realizado em 20 IFES, sob coordenação da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais como coordenação geral. Realizou-se a análise hermenêutico-dialética das narrativas, com suporte do Software MAXQDA 20 para armazenamento, organização e codificação dos dados. Resultados: A análise das narrativas das Enfermeiras Obstétricas negras permitiu construir três categorias: i) Invisibilidade da Interseccionalidade: percebiam uma forma de opressão, que foram Classe socioeconômica (12), Classe profissional (11), Gênero (06), Raça (03), Etnia (02), Orientação sexual (01), Competência profissional (23), Caráter profissional (01), Ser usuária de drogas (01), Ser portadora de visão monocular (01). ii) Desigualdades interseccionais: duas ou mais formas de opressão associadas, como classe socioeconômica e raça (04); gênero e raça (02); gênero e classe profissional (01); idade e vítima de violência (01); e usuária de drogas e classe socioeconômica (01). iii) Naturalização das desigualdades ­ não percebiam ou tinham dúvida se era uma situação de desigualdade. Sentimentos como tristeza, incômodo, indignação, vergonha, dor, desmotivação, solidão, cansaço, desvalorização, "ter que pisar em ovos" e "parecer estar ocupando um lugar que não é seu" foram citados quando relacionados à vivência das situações de desigualdades em si e por presenciarem outras pessoas na situação de oprimidas. Sentimentos como empatia, respeito, determinação, paciência e fortalecimento estavam relacionados à necessidade identificada pelas participantes de enfrentar e combater situações de opressão ou apoiar pessoa oprimidas. Essas situações de desigualdade foram enfrentadas por meio de diálogo/confronto, silenciamento, a auto-reflexão e a criação e fortalecimento de redes de apoio. As consequências das desigualdades foram a invisibilidade, comprometimento da saúde mental e de sua atuação como Enfermeira Obstétrica, afronta aos direitos humanos das mulheres, resistência e enfrentamentos para (re)existir. Os apontamentos para enfrentamentos, para além do ambiente de trabalho foram: investimento em políticas públicas para melhoria do pré-natal; educação da sociedade em geral e formação profissional e no trabalho para o reconhecimento e enfrentamento das desigualdades. Considerações Finais: A Teoria da Interseccionalidade contribuiu para a compreensão da intersecção de gênero, raça e classe no contexto de trabalho de Enfermeiras Obstétricas negras, além de outras formas de opressão. Este estudo poderá subsidiar discussões sobre a temática, a fim de criar espaço no trabalho para uma convivência que reconheça as desigualdades, mas que elabore e implemente estratégias de enfrentamento e combate à sua reprodução no ambiente de trabalho.


Objective: To analyze, from the perspective of black midwives, the intersectionality of gender, race, and class in their work context. Methods: Exploratory study, with a qualitative approach, guided by the Theory of Intersectionality, by Kimberlé Crenshaw (1989). Individual interviews were conducted online from March to July 2020. 25 black midwives participated, all of whom graduated from the Specialization Course in Midwifery - Rede Cegonha (CEEO II), held at 20 federal educational institutes (IFES), coordinated by the Nursing School of Federal University of Minas Gerais, in Brazil. Hermeneutic-dialectic analysis of the narratives was carried out, with support from the MAXQDA 20 Software for data storage, organization, and coding. Results: The analysis of the black midwives' narratives allowed the construction of three empirical categories: i) Invisibility of Intersectionality: they perceived a form of oppression regarding Socioeconomic class (12), Professional class (11), Gender (06), Race (03), Ethnicity (02), Sexual orientation (01), Professional competence (23), Professional character (01), Being a drug user (01), Having a monocular view (01). ii) Intersectional inequalities: two or more associated forms of oppression, such as socioeconomic class and race (04); gender and race (02); gender and professional class (01); age and victim of violence (01); and drug user and socioeconomic class (01). iii) Naturalization of inequalities - did not realize or doubted whether it would be a situation of inequality or not. These inequality situations were addressed through dialogue / confrontation, silencing, self-reflection, and the creation and strengthening of support networks. The consequences of inequalities were invisibility, implications for their mental health and their performance as midwives, affront to the women's human rights, resistance, and confrontations to (re)exist. Conclusions: The Theory of Intersectionality contributed to the understanding of the intersection of gender, race, and class in the context of the work of black midwives, in addition to other forms of oppression. This study can support discussions on the theme, in order to create space at work for a coexistence that recognizes inequalities, but that elaborates and implements strategies for coping and fighting their reproduction in the work environment.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Adulto Jovem , Interseccionalidade , Enfermeiras Obstétricas , Enfermagem Obstétrica , Classe Social , Gênero e Saúde , Origem Étnica e Saúde
10.
Interface (Botucatu, Online) ; 25(supl.1): e200762, 2021.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1286896

RESUMO

A partir de ações do poder público durante o enfrentamento da pandemia de Covid-19 no que tange aos direitos sexuais e reprodutivos, busca-se refletir sobre o descaso do Estado brasileiro em relação à saúde das mulheres, sobretudo as usuárias do Sistema Único de Saúde, descumprindo princípios assegurados constitucionalmente. A pandemia vem atingindo sobremaneira no país populações historicamente excluídas por diversos eixos de opressão e subalternização social. Sublinha-se o arrefecimento da assistência em saúde sexual e reprodutiva, que pode redundar em gravidezes imprevistas, abortos inseguros e mortes maternas, agravando condições sociais de vida de um grande contingente populacional. Argumenta-se que aportes teóricos oriundos dos estudos do feminismo negro, nomeadamente interseccionalidade e justiça reprodutiva, ao articularem os marcadores sociais da diferença ao princípio de justiça social, auxiliam-nos na compreensão dessas desigualdades sociais e na resistência coletiva ao desmonte das políticas de saúde. (AU)


Through the analysis of government actions during the response to the Covid-19 pandemic related to sexual and reproductive rights, this article reflects on the Brazilian government's neglect of women's health, especially in relation to users of the country's unified health system, violating the principles enshrined in the constitution. The pandemic has particularly affected populations who have been historically excluded by various forms of oppression and subjugation. The findings highlight the slackening of sexual and reproductive health care, which can result in unplanned pregnancy, unsafe abortion and maternal death, worsening the social conditions of a large segment of the population. By articulating the social markers of difference and the principle of social justice, it is argued that theoretical contributions from the field of black feminism, namely intersectionality and reproductive justice, can help understand social inequalities and promote collective resistance to the dismantling of the country's health policies. (AU)


A partir de acciones del poder público durante el enfrentamiento de la pandemia de Covid-19 en lo que se refiere a los derechos sexuales y reproductivos, se busca reflexionar sobre la desatención del Estado brasileño con relación a la salud de las mujeres, principalmente de las usuarias del Sistema Único de Salud, incumpliendo principios asegurados constitucionalmente. La pandemia ha golpeado en el país principalmente a poblaciones históricamente excluidas por diversos ejes de opresión y subalternización social. Se subraya la disminución de la asistencia de salud sexual y reproductiva que puede causar embarazos imprevistos, abortos inseguros, muertes maternas, agravando condiciones sociales de vida de un gran grupo poblacional. Se argumenta que contribuciones teóricas provenientes de los estudios del feminismo negro, notablemente interseccionalidad y justicia reproductiva, por articular los marcadores sociales de la diferencia al principio de justicia social, nos auxilian en la comprensión de estas desigualdades sociales y en la resistencia colectiva al desmontaje de las políticas de salud. (AU)


Assuntos
Humanos , Saúde Sexual e Reprodutiva , Gênero e Saúde/políticas , Interseccionalidade , COVID-19 , Justiça Social , Brasil
11.
Interface (Botucatu, Online) ; 25(supl.1): e200712, 2021.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1250128

RESUMO

A pandemia de Covid-19 traz desafios aos governos e às sociedades. Os efeitos da pandemia nas regiões marcadas por extrema desigualdade social e nas populações com maior vulnerabilidade e precariedade das condições de vida são deletérios, o que demanda referenciais teórico-metodológicos para compreender seus impactos e construir estratégias para enfrentá-la. Nesse ensaio crítico, aborda-se a interconexão de marcadores sociais da diferença na produção das desigualdades que atingem os grupos sociais já marginalizados - como usuários de drogas em situação de rua, trabalhadoras sexuais, trabalhadoras domésticas e jovens LGBTQIA+ - e analisam-se as potencialidades da perspectiva interseccional nas análises e na construção política do enfrentamento do problema. (AU)


The Covid-19 pandemic poses a number of challenges to governments and society. The pandemic has detrimental effects on regions characterized by deep social inequality and the most vulnerable populations, leading to the need for theoretical and methodological frameworks to help understand its impacts and build strategies to address them. This critical essay addresses the interconnection between social markers of the difference in the production of the inequalities that affect marginalized social groups, such as homeless drug users, sex workers, domestic workers and the young LGBTQIA+ community, and analyzes the strengths of the intersectional perspective for the analysis of problems and construction of policies to tackle them. (AU)


La pandemia de Covid-19 presenta desafíos a los gobiernos y a las sociedades. Los efectos de la pandemia en regiones señaladas por extrema desigualdad social y en las poblaciones con mayor vulnerabilidad y precariedad de las condiciones de vida son perniciosos, lo que demanda factores referenciales teórico-metodológicos para comprender sus impactos y construir estrategias para enfrentarla. En este ensayo crítico se abordan la interconexión de marcadores sociales de la diferencia en la producción de las desigualdades que afectan a los grupos sociales ya marginalizados, como usuarios de drogas en situación de vivir en la calle, trabajadoras sexuales, trabajadoras domésticas y jóvenes LGBTQIA+, y se analizan las potencialidades de la perspectiva interseccional en los análisis y en la construcción política del enfrentamiento del problema. (AU)


Assuntos
Pessoas em Situação de Rua , Populações Vulneráveis , Interseccionalidade , COVID-19/epidemiologia , Trabalho Sexual , Brasil , Minorias Sexuais e de Gênero
12.
Saúde Soc ; 30(2): e210001, 2021.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1290068

RESUMO

Resumo A violência é um fenômeno sociocultural que viola direitos e acentua desigualdades sociais. Suas implicações são perceptíveis na vida cotidiana e na saúde da população. Sob o referencial teórico da interseccionalidade e da psicologia sócio-histórica, este artigo discute formas de violência produzidas na intersecção de gênero, raça e classe em uma comunidade periférica e em situação de alta vulnerabilidade localizada na cidade de Cubatão/SP, a partir do relato de quatro lideranças comunitárias. Os dados foram obtidos por meio de três pesquisas realizadas anteriormente e concomitantemente ao contexto da pandemia da covid-19, de junho de 2017 a novembro de 2020, extraídos mediante entrevistas e diários de campo para, depois, serem analisados segundo a Hermenêutica de Profundidade. Os resultados apontam para violências estruturais articuladas a raça, classe e gênero, expressas na inacessibilidade a condições dignas de moradia, alimentação e renda básica. A violência contra mulheres, destacada como resultado, aparece intermediada pelo Estado ou pelo tráfico organizado. Os dados sugerem que as violências são agravadas pela ineficiência da operacionalização das políticas públicas, no que tange à promoção do cuidado à população majoritariamente negra e pobre, indicando que a interseccionalidade é uma ferramenta essencial para a análise e o enfrentamento das desigualdades sociais.


Abstract Violence is a socio-cultural phenomenon that violates rights and accentuates social inequalities with noticeable implications in the health and daily life of the population. This article discusses forms of violence produced at the intersection of gender, race and class in a peripheral and highly vulnerable community located in the city of Cubatão, state of São Paulo. The research was guided by the theoretical framework of intersectionality and socio-historical psychology. Data were obtained using three surveys conducted from June, 2017 to November, 2020, partially during COVID-19 pandemic. Interviews and field diaries were conducted, analyzed according to Depth Hermeneutics. The material collected from four community leaders served as the basis for this article. The results point to a structural violence articulated to race, class and gender, expressed in the inaccessibility to decent conditions of housing, food and basic income. The violence against women emphasized as a result appears intermediated by the State or the organized drug trafficking. The data suggest that these forms of violence are aggravated by the inefficiency of the public policy operationalization in promoting care for the mostly black and poor population, indicating that intersectionality can be an essential tool for analysis and confrontation of social inequalities.


Assuntos
Psicologia Social , Fatores Socioeconômicos , Violência , Violência contra a Mulher , Interseccionalidade , COVID-19
13.
Movimento (Porto Alegre) ; 27: e27077, 2021.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1365188

RESUMO

Resumo O objetivo deste estudo é discutir o processo de exclusão resultante de projetos curriculares pautados em identidades minoritárias prontas, de forma a questionar as representações sociais majoritárias naturalizadas na Educação Física. Utilizou-se a técnica de revisão bibliográfica do tipo qualitativa, constituindo-se como uma revisão narrativa. Foi consultado o banco de dados do Google Acadêmico, no período entre 2000 e 2021, utilizando-se indicador booleano e descritores entre aspas. Justifica-se este estudo em função de que vários caminhos didático-pedagógicos presentes na literatura desconsideram diversas subjetividades, experiências e diferenças existentes dentro das diferenças, negligenciando a construção de identidades formadas dentro dos próprios marcadores identitários. Conclui-se que, ao se incentivar a coalizão entre várias teorias pós-críticas, assegura-se o sabor de novidade e a verve revolucionária fundamental para resolução de problemas identitários e projetos curriculares que buscam suplantar qualquer tipo de ficção naturalizante.


Abstract The aim of this study is to discuss the process of exclusion resulting from curricular projects based on ready-made minority identities, in order to question the the naturalized majoritarian social representations in Physical Education. A qualitative bibliographic review technique was used, constituting a narrative review. The Google Scholar database was consulted, in the period between 2000 and 2021, using a Boolean indicator and descriptors in quotation marks. This study is justified by the fact that several didactic-pedagogical paths present in the literature disregard different subjectivities, experiences and differences existing within the differences, neglecting the construction of identities formed within the identity markers themselves. It is concluded that, by encouraging the coalition between various post-critical theories, it ensures the flavor of novelty and the fundamental revolutionary verve for solving identity problems and curriculum projects that seek to supplant any type of naturalizing fiction.


Resumen El objetivo de este estudio es discutir el proceso de exclusión resultante de proyectos curriculares basados ​​en identidades minoritarias prefabricadas, con el fin de cuestionar las representaciones sociales mayoritarias naturalizadas en la Educación Física. Se utilizó la técnica de revisión bibliográfica cualitativa, constituyéndose como una revisión narrativa. Se consultó la base de datos de Google Académico, en el período 2000-2021, utilizando un indicador booleano y descriptores entre comillas. Este estudio se justifica por el hecho de que varios caminos didáctico-pedagógicos presentes en la literatura no consideran diversas subjetividades, experiencias y diferencias existentes dentro de las diferencias, descuidando la construcción de identidades formadas dentro de los propios marcadores identitarios. Se concluye que al fomentar la coalición entre varias teorías poscríticas, se asegura el sabor de novedad y el brío revolucionario fundamental para la resolución de problemas identitarios y proyectos curriculares que buscan suplantar cualquier tipo de ficción naturalizadora.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Educação Física e Treinamento , Currículo , Narração , Minorias Sexuais e de Gênero , Interseccionalidade
14.
Saúde Soc ; 30(2): e200367, 2021. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1252203

RESUMO

Resumo Este ensaio tem como objetivo problematizar as relações entre a violência contra as mulheres e o isolamento social durante a pandemia de covid-19, a partir do diálogo entre os aportes teóricos dos estudos interseccionais e as contribuições do Movimento Institucionalista, por meio da filosofia da diferença de Gilles Deleuze. O isolamento social na pandemia comparece como operador de análise e categoria de intersecção, o que pode ser compreendido como acontecimento no contexto do institucionalismo. Trata-se, portanto, de vislumbrar a interseccionalidade a partir de uma perspectiva pós-estruturalista. Busca-se viabilizar a construção de espaços de problematização, a partir das contribuições que vão desde a saúde até as ciências sociais e humanas, campo extenso e diversificado da saúde coletiva, refletindo a própria concepção ampliada de saúde em suas inúmeras interfaces. Por meio dessa perspectiva, buscou-se deslocar a relação de causalidade direta entre o isolamento social e violência contra as mulheres, fazendo uma análise sócio-histórico-política que articule o microssocial, singular, com o contexto macrossocial, a fim de descortinar desigualdades e violências já experimentadas.


Abstract This essay discusses the relations between violence against women and social isolation during the covid-19 pandemic, based on the dialogue between the theoretical contributions of intersectional studies and those of the Institutionalist Movement, using Gilles Deleuze's philosophy of difference. Social isolation in the pandemic appears both as an analytical framework and as an intersection category, which can be understood as an event in the context of institutionalism. This entails, therefore, to envision intersectionality from the post-structuralist perspective. This study sought to open spaces for discussion based on contributions from the field of Collective Health, ranging from health to social and human sciences, reflecting on the expanded concept of health in its several different interfaces. From this perspective, the direct causal link between social isolation and violence against women was displaced by a social-historical-political analysis that articulates the singular, micro-social and the macro-social contexts, unveiling the inequalities and violence already experienced.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Isolamento Social , Violência Doméstica , Violência contra a Mulher , Interseccionalidade , COVID-19
15.
Pesqui. prát. psicossociais ; 15(4): 1-25, set.-dez. 2020.
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1250478

RESUMO

Esse artigo discute a intersecção entre as escolhas teóricas, os afetos e as questões políticas implicadas nas práticas de pesquisas feministas em Psicologia. O ato de pesquisar é aqui compreendido como a soma dessas várias escolhas, que, juntas, definem o percurso metodológico que é perpassado por vínculos, (des)encontros, questionamentos, experiências, interesses, problemas e trocas, que acontecem no campo e com as/os sujeitas/os que nele circulam. As propostas epistemológicas do feminismo interseccional e o método do PesquisarCOM, foram as bases teórico-metodológicas que orientaram este estudo, a partir de um lugar situado, parcial e localizado. No entanto, foi por meio do encontro com as "mulheres negras jovens feministas" e suas trajetórias de militância - naquilo que as aproximam e as distanciam, em decorrência das suas experiências de vida perpassadas pelos marcadores sociais de gênero, geração e raça -, que o diálogo com esses modos de fazer pesquisa se concretizou.


This paper discusses the intersection between theoretical choices, affects, and political issues implicated in feminist research practices in psychology. The act of research is understood here as the sum of these various choices that together define the methodological path that is permeated by bonds, (dis) encounters, questions, experiences, interests, problems and exchanges that happen in the field and with the subjects who circulate in it. The epistemological proposals of intersectional feminism and the PesquisarCOM method were the theoretical and methodological bases that guided this study from a situated, partial and localized place. However, it was through the encounter with 'young black feminist women' and their trajectories of militancy - as they approach and distance them, as a result of their life experiences crossed by social markers of gender, generation and race - that the dialogue with these ways of doing research materialized.


Este artículo discute la intersección entre elecciones teóricas, afectos y cuestiones políticas implicadas en las prácticas de investigación feminista en psicología. El acto de investigación se entiende aquí como la suma de estas diversas opciones que juntas definen el camino metodológico que está permeado por enlaces, (dis) encuentros, preguntas, experiencias, intereses, problemas e intercambios que suceden en el campo y con los sujetos que circulan en él. Las propuestas epistemológicas del feminismo interseccional y el método PesquisarCOM, fueron las bases teóricas y metodológicas que guiaron este estudio desde un lugar situado, parcial y localizado. Sin embargo, fue a través de conocer a las 'mujeres negras jóvenes feministas' y sus trayectorias de militancia - a medida que se acercan y los distancian, como resultado de sus experiencias de vida cruzadas por marcadores sociales de género, generación y raza - que se materializó el diálogo con estas formas de hacer investigación.


Assuntos
Feminismo , Psicologia , Pesquisa , Mulheres , Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Interseccionalidade
16.
Pesqui. prát. psicossociais ; 15(4): 1-16, set.-dez. 2020. tab
Artigo em Português | LILACS, Index Psicologia - Periódicos | ID: biblio-1250473

RESUMO

O estudo investigou o uso da interseccionalidade na produção científica brasileira, de modo geral, e na Psicologia, de modo específico, no que se refere às dissertações, teses e artigos produzidos em diferentes Instituições do Brasil. A pesquisa foi realizada no segundo semestre de 2018. A busca das dissertações e teses foi feira na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), e dos artigos na base de dados do SciELO (Scientific Electronic Library). Na BDTD, localizamos 224 produções, 146 dissertações e 78 teses; no SciELO, 65. Vimos que as produções usaram a interseccionalidade de diferentes formas, como estratégia analítica, como uma forma de práxis social, com ênfase para as conexões entre conhecimento e justiça social. As pesquisas que abordaram a interseccionalidade têm temas diversos, e os métodos de pesquisa são múltiplos. Com esse estudo, buscamos ressaltar a potencialidade da interseccionalidade no intuito de visibilizar situações de opressão e desigualdades sociais.


The study investigated the use of intersectionality in scientific production, in general, and in psychology, in a specific way, with regard to dissertations, theses and articles produced in different institutions of Brazil. The study was carried out in the second half of 2018. The dissertations and theses were searched through the Brazilian Digital Library of Theses and Dissertations (BDTD), and the articles in the SciELO (Scientific Electronic Library Database). At BDTD we located 224 productions, 146 dissertations and 78 theses, in SciELO, 65. We have seen that productions have used intersectionality in different ways, as an analytical strategy, as a form of social praxis, with an emphasis on the connections between knowledge and social justice. Researches that deal with intersectionality have different themes, and research methods are multiple. With this study we seek to emphasize the potentiality of intersectionality in order to visualize situations of oppression and social inequalities.


El estudio investigó el uso de la interseccionalidad en la producción científica, de modo general, y en la psicología, de modo específico, en lo que se refiere a las disertaciones, tesis y artículos producidos en diferentes Instituciones de Brasil. El estudio fue realizado en el segundo semestre de 2018. La búsqueda de las disertaciones y tesis fue realizada a través de la Biblioteca Digital Brasileña de Tesis y Disertaciones (BDTD), y de los artículos en la base de datos del SciELO (Scientific Electronic Library). En la BDTD encontramos 224 producciones, 146 disertaciones y 78 tesis, en SciELO, 65. Vimos que las producciones usaron la interseccionalidad de diferentes formas, como estrategia analítica, como una forma de praxis social, con énfasis en las conexiones entre conocimiento y justicia social. Las investigaciones que abordaron la interseccionalidad tienen temas diversos, y los métodos de investigación son múltiples. Con este estudio buscamos resaltar la potencialidad de la interseccionalidad con el objetivo de visibilizar situaciones de opresión y desigualdades sociales.


Assuntos
Atividades Científicas e Tecnológicas , Interseccionalidade , Psicologia , Pesquisa
17.
Rev. cienc. salud (Bogotá) ; 18(1): 134-151, ene.-mar. 2020. tab
Artigo em Espanhol | LILACS, COLNAL | ID: biblio-1115535

RESUMO

Resumen Introducción: el objetivo dei artículo es analizar Ias desigualdades en cuanto a la realización de actividad física para mejorar la condición física o para hacer deporte, determinadas por distintos factores sociales, geográficos y demográficos, así como por algunas de las interacciones entre estos factores. Para ello, se recurrió a la estrategia de análisis cuantitativo de datos secundarios. La fuente utilizada es la Encuesta Nacional de Factores de Riesgo, realizada sobre una muestra probabilística de hogares urbanos de Argentina, en el 2009. Desarrollo: para examinar los datos, se realizó un análisis descriptivo bivariado y, luego, regresiones logísticas binarias, en las que se incorporaron interacciones, para poner a prueba diversas hipótesis sobre el efecto de las distintas variables independientes, así como de su interseccionalidad. Conclusiones: los resultados muestran la importancia de considerar un enfoque interseccional e incorporar interacciones en las regresiones logísticas binarias para comprender la naturaleza multiplicativa de las desigualdades en la práctica de actividad física, que los modelos multivariados aditivos no pueden captar.


Abstract Introduction: The aim of this article is to analyze inequalities in the practice of physical activity for enhancing physical conditions or for doing sports, generated by different social, geographical and demo-graphical determinants, as well as some of their interactions. Development: A quantitative analysis of secondary data was conducted. The source is the National Survey of Risk Factors, based on a probabilistic sample of urban households in Argentina, in 2009. Firstly, it is presented a descriptive bivariate analysis and, secondly, binary logistic regressions to test hypotheses on the net effect of different independent variables are shown and incorporated interactions within them to observe their intersectionality. Conclusions: Findings show the importance of considering an intersectional approach to account for the multiplicative nature of inequalities in the practice of physical activity, which most used multivariate models fail to show.


Resumo Introdução: o objetivo do artigo é analisar as desigualdades na realização de atividade física para melhorar a condição física ou para fazer esporte, geradas por distintos determinantes sociais, geográficos e demográficos, assim como algumas de suas interações. Para isto se recorreu à estratégia de análise quantitativo de dados secundários. A fonte utilizada é a Enquete Nacional de Fatores de Risco, realizada sobre uma amostra probabilística de lares urbanos da Argentina no año 2009. Desenvolvimento: para examinar os dados se realizou uma análise descritiva bivariada e logo regressões logísticas binarias, nas que se incorporaram interações em seu interior, para pôr a prova diversas hipóteses sobre o efeito das distintas variáveis independentes assim como de sua interseccionalidade. Conclusões: os resultados mostram a importância de considerar um enfoque interseccional e incorporar interações ao interior das regressões logísticas binárias para compreender a natureza multiplicativa das desigualdades na prática de atividade física, que os modelos multivariados aditivos não podem captar.


Assuntos
Humanos , Adulto , Exercício Físico , Argentina , Fatores Socioeconômicos , Sociologia Médica , Interseccionalidade
18.
Interface (Botucatu, Online) ; 24: e180736, 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1124938

RESUMO

O artigo analisa as experiências vividas por homens jovens da periferia a respeito das desigualdades sociais e seus impactos no processo de produção da saúde-doença-cuidado. O material empírico que dá suporte à análise interseccional foi produzido pela metodologia qualitativa da pesquisa-ação, a partir de oficinas, técnica grupal em investigações participativas. Participaram 21 homens e cinco mulheres, com idades entre 15 e 17 anos, que frequentavam escola pública da região periférica do município de São Paulo (SP), Brasil. Os resultados salientam que os homens jovens compartilham desvantagens de raça/cor, classe, gênero e geração que se entrelaçam e atuam de forma complexa na produção das iniquidades sociais e de saúde. Portanto, análises que reduzem as desigualdades a um único sistema classificatório - seja classe, gênero ou raça/cor - são inadequadas para compreender as várias dimensões que as compõem.(AU)


This article analyzes the experiences of young men living in the city outskirts regarding social inequalities and their impacts on the health-disease-care production process. The empirical material that supports the intersectional analysis was produced with a qualitative methodology of research-action based on workshops, a group technique with participatory investigations. A total of 21 men and five women aged between 15 and 17 years who studied at a neighborhood public school of the Brazilian city of São Paulo, state of São Paulo, participated in the study. The results highlight that young men share intertwined race-color, class, gender, and generation disadvantages that act in a complex way in the production of social and health inequalities. Therefore, analyses that restrict inequalities to a single classificatory system—class, gender, or race/color—are inadequate to understand the various dimensions that comprise them.(AU)


El artículo analiza las experiencias vividas por hombres jóvenes de la periferia con relación a las desigualdades sociales y a sus impactos en el proceso de producción de la salud-enfermedad-cuidado. El material empírico que da soporte al análisis interseccional fue producido por la metodología cualitativa de investigación-acción a partir de talleres, técnica grupal en investigaciones participativas. Participaron 21 hombres y cinco mujeres con edades entre los 15 y 17 años que frecuentaban una escuela pública de la región periférica del municipio de São Paulo (Estado de São Paulo), Brasil. Los resultados subrayan que los hombres jóvenes comparten desventajas de raza-color, clase, género y generación que se entrelazan y actúan de manera compleja en la producción de las iniquidades sociales y de la salud. Por lo tanto, análisis que reducen las desigualdades a un único sistema clasificatorio, sea de clase, género o raza/color, son inadecuadas para comprender las varias dimensiones que las componen.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Fatores Socioeconômicos , Áreas de Pobreza , Saúde do Homem/etnologia , Interseccionalidade , Brasil
19.
Rio de Janeiro; s.n; 2020. 128 f p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1369677

RESUMO

O tráfico transatlântico de seres humanos, e posteriormente a escravização de povos originários da África, foram responsáveis por estabelecer um sistema de hierarquização, em que pessoas de pele negra seriam inferiorizadas diante de pessoas de pele branca. Dentre os escravizados, destacamos a figura da mulher preta. O corpo feminino negro além de carregar consigo os estigmas da inferioridade da raça, teve seu ventre usado como ferramenta de continuidade do sistema de exploração. Mesmo após a abolição no país, a lógica colonial garantiu a perpetuação da desumanização, humilhação e submissão dessas mulheres. Refletir sobre os estigmas e representações do corpo feminino negro nos fez compreender melhor as estruturas e políticas eugenistas sobre as quais foi construído o cuidado perinatal da mulher negra, que ainda é marcado por inúmeras iniquidades. Partindo do pressuposto de que os negros também foram capazes de questionar, se organizar e gerar transformações no tipo de cuidado em saúde dispensado às mulheres, concentrei-me na categoria "agência feminina negra" e busquei estabelecer um diálogo a partir da perspectiva da Interseccionalidade. A fonte empírica da pesquisa foram seis entrevistas realizadas nos moldes do procedimento de histórias de vida junto a mulheres negras que, através de sua agência individual ou de sua inserção em processos de mudança coletiva, fortalecem e promovem transformações no cuidado perinatal na região do estado do Rio de janeiro bem como no âmbito federal em alguns casos. Através de suas narrativas procurei identificar como ocorrem as transformações no sistema de saúde em uma esfera macro ou micro social, com ênfase no cuidado das mulheres negras. A análise permitiu perceber que as violências provocadas pelo sexismo e atravessadas por outras formas de opressão marcam a história de muitas interlocutoras. Assim, para questionarem um sistema que lhes foi apresentado como único e imutável, foram necessárias articulações e elaborações de estratégias de agência. Esta constante negociação em meio às relações de poder, mostraram-se como um modus operandi da maioria das mulheres negras, nos levando à reflexão de que a restituição social de nossa humanidade exige um olhar interseccional e não hierarquizante sobre as avenidas identitárias que atravessam o corpo negro e que ditarão o percurso das relações entre essa mulher e o mundo. O despertar da agência feminina negra se inicia a partir de sua libertação mental, mas também será atravessado e influenciado pela capacidade de reconhecimento e valorização de sua ancestralidade, bem como o aprimoramento dos saberes compartilhados; a emancipação pautada na estruturação de sua inteligência emocional e competência intelectual; além da negação do sujeito universal para o pleno reconhecimento do seu direito a ocupar o "lugar da humanidade" seja ele físico ou social. Tais elaborações permitirão, que as mulheres negras possam reconhecer-se sujeitos políticos, estabelecendo negociações que reagem à lógica que as oprime, ao mesmo tempo em que geram transformações políticas e sociais, que promovam uma verdadeira democracia social, econômica, cultural e racial.


The transatlantic trafficking of human beings, and later the enslavement of people from Africa, were responsible for establishing a system of hierarchization, in which people with black skin would be inferior to people with white skin. Among the enslaved, we highlight the figure of the black woman. The black female body, in addition to carrying the stigmas of the inferiority of the race, had their wombs used as a tool for the continuity of the exploitation system. Even after abolition in the Brasil, colonial logic guaranteed the perpetuation of these women 's dehumanization, humiliation and submission. Reflecting on the stigmas and representations of the black female body, made us understand the eugenic structures and policies on which the perinatal care of black women were built, which are still marked by countless inequities. Assuming that blacks were also able to question, organize and generate changes in the type of health care provided to women, I focused on the category "black female agency" and established a dialogue from the perspective of Intersectionality .The empirical source of the research were six interviews based on the method stories of life, with black women who through their individual agency or their insertion in collective change processes, strengthen and promote transformations in perinatal care in the state of Rio de Janeiro as well as at the federal level in some cases. Through their narratives I tried to identify how transformations in the health system occur in a macro or micro social sphere, with emphasis on the care of black women. The analysis showed that the violence caused by sexism and crossed by other forms of oppression marks the history of many interlocutors. Thus, to question a system that was presented to them as unique and immutable, articulations and elaboration of agency strategies were necessary. This constant negotiation in power relations, proved to be a modus operandi of most black women, leading us to the reflection that the social restitution of our humanity requires an intersectional and non-hierarchical look at the identities that crosses the black body and that will dictate the course of relations between this woman and the world. The awakening of the black female agency begins with their mental liberation, but it will also be crossed and influenced by the ability to recognize and value their ancestry, as well as the improvement of shared knowledge; emancipation based on the structuring of their emotional intelligence and intellectual competence; in addition to the denial of the "universal subject" for the recognition of their right to occupy the "place of humanity", being physical or social. Such elaborations will allow black women to recognize themselves as political subjects, establishing negotiations that react to the logic that oppresses them, while generating political and social transformations, that promote a true social, economic, cultural and racial democracy.


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Saúde da Mulher , Assistência Perinatal , Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Racismo , Interseccionalidade
20.
RECIIS (Online) ; 13(4): 707-724, out.-dez. 2019. ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1047501

RESUMO

Discutindo sob o viés interseccional, o artigo busca expor a problemática da invisibilidade midiática das mulheres negras youtubers dentro do contexto da cultura participativa. Identificamos e observamos canais de mulheres youtubers a partir do recorte das temáticas do feminismo e empoderamento feminino, e realizamos um estudo descritivo com abordagem quanti-qualitativa, analisando as aproximações e distanciamentos dos canais a partir das categorias de alcance, interação e temática. Conclui-se que as youtubers negras interagem de forma mais significativa do que as youtubers não negras, o que não interfere no alcance dos canais, visto que as youtubers negras possuem dados de alcance inferior às youtubers não negras. Observamos que mesmo podendo atingir todas as mulheres, as falas das youtubers negras podem ser entendidas com enfoque na questão racial, enquanto isso, identificamos um discurso universal do 'ser mulher' nas falas das youtubers não negras, fator que pode contribuir para o alcance expressivo.


Discussing under the intersectional bias, the article seeks to expose the problem of media invisibility of black women youtubers within the context of participatory culture. We identified and observed channels of female youtubers from the cut of the themes of feminism and female empowerment, and we conducted a descriptive study with quantitative and qualitative approach, analyzing the approximations and distances of the channels from the reach, interaction and thematic categories. It is concluded that black youtubers interact more significantly than non-black youtubers, which does not interfere with the range of the channels, as black youtubers have lower range data than non-black youtubers. We note that even though it can reach all women, the black youtubers' speeches can be understood with focus on the racial issue, meanwhile, we identified a universal discourse of 'being a woman' in the non-black youtubers speeches, a factor that can contribute to the expressive reach.


Discutiendo bajo el sesgo interseccional, el artículo busca exponer el problema de la invisibilidad mediática de las youtubers negras en el contexto de la cultura participativa. Identificamos y observamos canales de youtubers mujeres a partir del corte de los temas del feminismo y el empoderamiento femenino, y realizamos un estudio descriptivo con enfoque cuantitativo y cualitativo, analizando las aproximaciones y distancias de los canales desde el alcance, la interacción y las categorías temáticas. Se concluye que las youtubers negras interactúan de manera más significativa que las youtubers no negras, lo que no interfiere con el rango de los canales, ya que las youtubers negras tienen datos de rango más bajos que las youtubers no negras. Observamos que, aunque puede llegar a todas las mujeres, los discursos de las youtubers negras se pueden entender con un enfoque en el tema racial, mientras que identificamos un discurso universal de 'ser mujer' en los discursos de las youtubers no negras, un factor que puede contribuir al alcance expresivo.


Assuntos
Humanos , Poder Psicológico , Feminismo , Grupo com Ancestrais do Continente Africano , Iniquidade de Gênero , Interseccionalidade , Mulheres , Epidemiologia Descritiva , Webcast , Mídia Audiovisual , Mídias Sociais , Racismo
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA
...