Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.565
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
  • Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43326

RESUMO

Segundo o Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil(1) e Recomendações para o manejo da coinfecção TB-HIV em serviços de atenção especializada a pessoas vivendo com HIV/AIDS(2), a equipe deve utilizar estratégias importantes de adesão como:

– Acolhimento dos pacientes com coinfecção TB-HIV é importante, devendo-se abordar a forma de transmissão da TB e do HIV; a gravidade da coinfecção; a importância da adesão ao tratamento de ambas às doenças e da identificação dos contatos. Devem também ser abordados o estigma referente às duas doenças, os problemas sociais ou outras dificuldades que possam interferir na evolução e adesão ao tratamento.

– Tratamento Diretamente Observado (TDO) é a principal ação de apoio e monitoramento do tratamento, pressupõe uma atuação comprometida e humanizada dos profissionais de saúde. Além da construção do vínculo, o TDO inclui a observação da ingestão dos medicamentos, que deve ser realizada, idealmente, em todos os dias úteis da semana. Será considerado TDO se a observação da tomada ocorrer no mínimo três vezes por semana durante todo tratamento (24 doses na fase intensiva e 48 doses na fase de manutenção em casos de tratamento padronizado por seis meses). O TDO deve ser realizado por profissionais de saúde e deve-se existir articulação do Serviços de Atenção Especializada (SAE) com as unidades da Atenção Básica para realizar o TDO compartilhado.

– Projeto Terapêutico Singular (PTS) é uma ferramenta de organização do cuidado, voltada para um indivíduo ou família, que considera a singularidade de cada caso. Geralmente é dedicado a situações mais complexas e buscam o cuidado integral ao paciente. É construído entre equipe multidisciplinar de saúde e usuário, com atribuição de responsabilidades. A equipe multidisciplinar de saúde deve estar organizada com estabelecimento de reuniões periódicas durante o horário de trabalho.

– Comprometimento da equipe.

– Organização e estruturação do serviço ofertado através da disponibilidade de profissionais, materiais e medicamentos, bem como a organização da assistência são importantes fatores relacionados à adesão.

– Garantir o seguimento clínico, com a primeira consulta médica imediata ou no máximo em até sete dias, a partir do início do tratamento para a tuberculose o retorno do paciente deverá ocorrer em até 15 dias e as consultas deverão ser mensais até o final do tratamento da TB ou com maior frequência, a critério médico, conforme necessidade. A consulta por outros integrantes da equipe multiprofissional tem como objetivo promover a adesão ao tratamento, identificar intercorrências que possam interferir no uso correto dos medicamentos anti-TB e antirretrovirais (ARV) tendo como rotina consulta semanal nos dois primeiros meses, consulta quinzenal no 3° mês, e consulta mensal a partir do 4° mês até o final do tratamento da TB.


Assuntos
Recusa do Paciente ao Tratamento , Tuberculose , Infecções por HIV
2.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43290

RESUMO

Dever ser realizada avaliação clínica, tratamento com analgésico e/ou compressas frias no local, se necessário. Não há contraindicação para doses subsequentes(1).


Assuntos
Vacinas Antirrábicas/efeitos adversos
3.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43324

RESUMO

O serviço de Atenção Psicossocial Municipal, que tem como responsabilização a organização da demanda e da rede de cuidados em saúde mental no âmbito do território e que possui papel regulador na porta de entrada na rede de assistência; deve ser buscado pela equipe de saúde para orientação e melhor solução do caso, de forma multidisciplinar. Decisões que pontuem o risco/benefício devem ser tomadas inicialmente a nível municipal.

A Estratégia Saúde da Família (ESF) deve acolher a família de forma integral e sistêmica, a qual é objeto e sujeito do processo de cuidado e de promoção da saúde pelas equipes(1). O acompanhamento deverá ser realizado por toda a equipe, sendo em domicílio e na Unidade Básica de Saúde (UBS), tendo apoio também do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), com a presença principalmente do psicólogo e do assistente social(2).

O trabalho na atenção básica é longitudinal, ou seja, que o cuidado à saúde das pessoas deve acontecer ao longo do tempo, independentemente do usuário estar com alguma doença. A proximidade com o usuário, seu território e sua realidade vão auxiliar a construção deste processo de cuidado em que se espera uma fortificação do vínculo entre profissional de saúde e usuário. A criação do vínculo de confiança deve ser fortalecido por meio da escuta, do acolhimento, da garantia da participação da família na construção do Projeto Terapêutico Singular (PTS), da valorização da família enquanto participante ativa do tratamento(1) e organizando grupos de familiares para buscar criar laços de solidariedade entre seus membros participantes, para discutirem problemas comuns, enfrentarem situações difíceis e receberem orientação sobre o diagnóstico e participação no projeto terapêutico(3,4).


Assuntos
Transtornos Psicóticos , Equipe de Assistência ao Paciente
4.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43487

RESUMO

A recomendação é o reimplante do dente permanente. Não é recomendada a reimplantação em dentes decíduos.

Essa recomendação é justificada devido ao potencial de danos ao dente permanente em desenvolvimento, além da necrose pulpar ser um evento comum e a avulsão dental ser muito frequente em pacientes com dentição mista, em especial em crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos de idade (1,2,3).

Em qualquer situação, os primeiros socorros são de extrema importância para o prognóstico. E o reimplante imediato é o melhor tratamento. Caso isso seja possível imediatamente, existem alternativas e meios mais apropriados de armazenamento do dente avulsionado. Ao presenciar ou receber uma ligação sobre uma emergência desse tipo é aconselhável seguir as recomendações da Internacional Association of Dental Trauma  (IADT): (1,4)


Assuntos
Dentição Permanente , Avulsão Dentária , Traumatismos Dentários , Reimplante Dentário
5.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43489

RESUMO

O Reiki pode ser classificado como uma técnica de imposição das mãos (TIM), e uma revisão sistemática sobre a aplicação de técnicas de imposição de mãos no câncer, dor e stress-ansiedade, destacou que “os resultados demonstram que as TIM são um recurso terapêutico não convencional benéfico para pessoas em tratamento do câncer, com dor e stress-ansiedade”(1), sustentando a hipótese de que as TIM auxiliam no alívio e tratamento da dor. Uma revisão que avaliou os efeitos de algumas terapias complementares para dor decorrente do câncer de mama também chegou aos resultados de que o Reiki melhora a dor de tais pacientes(2).

Em outra revisão sistemática sobre terapias complementares, os autores apontam que o Reiki, a homeopatia e as terapias de artes criativas têm efeitos benéficos na dor do câncer em adultos(3), mas sugerem que mais estudos com amostras maiores, controlados e randomizados são necessários para melhores recomendações.

Em uma segunda opinião formativa (SOF) sobre as medicinas alternativas e complementares para o câncer(4), os autores sugerem que as práticas integrativas podem estimular a efetividade da medicina convencional, reduzindo também efeitos adversos de tratamentos ou prevenindo sintomas. Na SOF é dado destaque para a acupuntura como tratamento integrativo para dor, sendo referenciada como o maior nível de evidência, que são das revisões sistemáticas com homogeneidade.

Já sobre os florais de Bach, uma revisão sistemática(5), cita que existe baixo ou muito baixo nível de evidência para os florais. Os autores destacam ainda que não há evidências em comparação com intervenções placebo.

Para fibromialgia, por exemplo, destaca-se uma frase do consenso brasileiro, que diz que não existem evidências científicas de que terapias como chás, cristais e florais de Bach sejam eficazes(6).


Assuntos
Dor Crônica , Toque Terapêutico , Essências Florais
6.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43492

RESUMO

Existem sim métodos alternativos para a higiene bucal, mas para responder essa importante questão de forma completa, devemos observar um panorama geral para compreender todos os fenômenos envolvidos. Segundo o Ministério da Saúde, em um levantamento realizado em 2008, 58% da população não tem acesso adequado a escovas de dente. Ou seja, essas pessoas não têm acesso frequente, fazem uso além do período indicado, ou a compartilham entre membros da mesma família, o que é um risco já que as escovas de dente podem ser um meio de transmissão de doenças infecciosas como hepatite A, sífilis e difteria e se tornar veículo de transmissão de parasitas intestinais(1,2). Essa expressiva falta de acesso a meios adequados de higiene bucal(escova, fio dental e dentifrício fluoretado) está estreitamente ligada a fatores socioeconômicos e possíveis dificuldades geográficas, portanto,  meios alternativos são bem-vindos e podem ser muito úteis para a prevenção de cáries e outros problemas causados pela falta de higiene bucal. Alguns estudos da década de 90 já apresentaram opções alternativas para a higiene bucal com bons resultados quando comparado com métodos convencionais. Por exemplo:

No lugar de escova dente convencional:
– Escova de bucha vegetal (6) (escova ecológica)

– Escova de dente feita com esponja de lavar louça – o dispositivo compreende um pedaço de bambu, com 15 cm de comprimento, que possui em uma das extremidades um pedaço da parte macia (amarela) da esponja, com 3 cm de largura e comprimento, por 1,5 cm de espessura, fixado por um barbante fino, com 20cm de comprimento, formando assim, a parte ativa da escova. O barbante é encaixado em duas fendas no bambu, com a finalidade de proporcionar segurança e estabilidade na fixação da esponja(4).

No lugar do fio dental, para remoção de placa interproximal:
– Ráfia e a linha indiana(5)
– Fitas de saco de laranja ou de sacola plástica(6)

O uso de dentifrícios alternativos se torna inviável pois há  recomendações da OMS e outros estudos indicando a necessidade da utilização de dentifrício fluoretado para a manutenção da saúde bucal e o combate a cárie. Até o momento não foram encontrados métodos seguros e com comprovação científica para a utilização de alternativas para a substituição dos dentifrícios convencionais(7).


Assuntos
Higiene Bucal , Populações Vulneráveis , Assistência Odontológica
7.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43726

RESUMO

Habitualmente as crianças desenvolvem quadros leves e moderados da COVID-19, mas, assim como as demais síndromes gripais, as complicações desta infecção são, fundamentalmente, as respiratórias: Pneumonia e Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA). Complicações relacionadas a descompensação de doenças de base também podem ocorrer. Além de recomendar o uso de medicações sintomáticas e hidratação, os familiares devem estar atentos aos sinais de gravidade. Caso presentes, a criança deve ser avaliada imediatamente por um profissional de saúde. Entre os sinais de agravamento do quadro, destacam-se(1):

Persistência da febre por mais de 3 dias ou recorrência dela;

Falta de ar ou dificuldade para respirar;

Ronco, retração sub/intercostal severa;

Cianose central;

Batimento da asa de nariz;

Ritmo respiratório irregular;

Saturação de oximetria de pulso <95% em ar ambiente;

Taquipneia

Extremidades frias, tempo de enchimento capilar < 2 segundos;

Pulsos periféricos diminuídos ou ausentes

Inapetência para amamentação ou ingestão de líquidos;

Diminuição do débito urinário

Piora nas condições clínicas de doença de base;

Alteração do estado mental


Assuntos
Infecções por Coronavirus/complicações , Saúde da Criança
8.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43721

RESUMO

A solicitação de exames é sempre individualizada, levando em consideração aspectos como a condição clínica do paciente e o acesso aos exames, além dos protocolos locais de assistência à saúde. Recomenda-se numa avaliação inicial do paciente portador de Diabetes Mellitus (DM), os seguintes exames:

Glicemia de jejum e HbA1C (hemoglobina glicada);

Colesterol total (CT), HDL e triglicerídeos (TG);

Creatinina sérica;

Exame de urina tipo 1 e, se necessário, microalbuminúria ou relação albumina/creatinina;

Fundoscopia

Exames para avaliação cardiológica, como o eletrocardiograma (ECG), conforme necessidade individual, também podem ser solicitados.


Assuntos
Testes Diagnósticos de Rotina , Diabetes Mellitus
9.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43719

RESUMO

A solicitação de exames é sempre individualizada, levando em consideração aspectos como a condição clínica do paciente e o acesso aos exames, além dos protocolos locais de assistência à saúde.  Para as pessoas portadoras de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), sugere-se uma periodicidade anual dos seguintes exames:

Eletrocardiograma;

Dosagem de glicose;

Dosagem de colesterol total;

Dosagem de colesterol HDL;

Dosagem de triglicerídeos;

Cálculo do LDL = Colesterol total – HDL- colesterol – (Triglicerídeos/5);

Dosagem de creatinina;

Análise de caracteres físicos, elementos e sedimentos na urina (Urina tipo 1);

Dosagem de potássio;

Fundoscopia


Assuntos
Testes Diagnósticos de Rotina , Hipertensão
10.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43715

RESUMO

É provável que no próprio resultado do exame atual liberado como “inconclusivo” (quando não é possível definir o padrão da hemoglobina, indicando uma provável hemoglobina rara), conste a orientação do laboratório sobre a conduta a ser seguida, pois, habitualmente, os recém-nascidos com exame alterado são reconvocados para novos exames e avaliação clínica para confirmação diagnóstica. Permanecendo a dúvida da conduta a ser tomada (pela inexistência desta informação no resultado do teste), o setor responsável na Secretaria de Saúde deverá ser consultado.


Assuntos
Triagem Neonatal , Testes Obrigatórios
11.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43260

RESUMO

O diagnóstico laboratorial da cervicite causada por Chlamydiatrachomatis e Neisseria. gonorrhoeae pode ser feito por detecção de clamídia e gonococo mediante biologia molecular. Esse método é o de escolha para todos os casos, sintomáticos e assintomáticos(1).

Para os casos sintomáticos, a cervicite gonocócica pode ser diagnosticada pela cultura do gonococo em meio seletivo (Thayer-Martin modificado), a partir de amostras endocervicais(1).

Também pode ser evidenciado através dos sinais de cervicite encontrados na anamnese e no exame ginecológico(1,2):

-Anamnese:

• história clínica: avaliar práticas sexuais e os fatores de risco para IST, data da última menstruação, práticas de higiene vaginal e uso de medicamentos tópicos ou  sistêmicos e/ou outros potenciais agentes irritantes locais

• fluxo vaginal: consistência, cor e alterações no odor do corrimento, presença de prurido e/ou irritação local

– Exame ginecológico (toque e exame especular):

• dor à mobilização do colo uterino,

• material mucopurulento no orifício externo do colo,

• edema cervical

• sangramento ao toque da espátula ou swab

 


Assuntos
Infecções por Chlamydia/diagnóstico , Chlamydia trachomatis , Gonorreia/diagnóstico
12.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43703

RESUMO

A medida da transluscência nucal (TN) e do osso nasal, são mensurações feitas durante a realização da ultrassonografia (USG) obstétrica, com o objetivo de rastrear anomalias/ mal formações cromossômicas fetais.

A TN corresponde a imagem ultrassonográfica do acúmulo anormal de fluido na região da nuca do feto no primeiro trimestre da gestação. Durante o exame, observa-se uma zona anecoica adjacente à pele do embrião. Esta medida, normalmente, aumenta com a idade gestacional calculada pelo comprimento cabeça-nádega (CCN). Por esse motivo, para determinar se a medida da TN está aumentada, é necessário considerar a medida do CCN. Considera-se aumentada, medidas acima do percentil 95 para o CCN(2). Geralmente, essa análise já vem descrita no laudo do exame. Quando desejada, a medida da TN deve ser realizada entre 11 e 13 semanas de gestação


Assuntos
Ultrassonografia Pré-Natal , Medição da Translucência Nucal , Anormalidades Congênitas/diagnóstico por imagem
13.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43699

RESUMO

A maioria dos anti-hipertensivos tem boa margem de segurança durante o aleitamento materno(3). Não há relato de contraindicação absoluta, mas é importante refletir que novos fármacos são comercializados e podem não trazer ainda dados suficientes de segurança do seu uso durante a amamentação. Assim sempre que possível, deve-se recomendar medicamentos cujo efeito durante este período já está estabelecido.

A clonidina pode reduzir a secreção de prolactina e diminuir a produção de leite no período pós-parto imediato(5).

São anti-hipertensivos considerados seguros na amamentação: hidroclorotiazida, espironolactona, alfametildopa, propranolol, hidralazina, minoxidil, verapamil, nifedipino, nitrendipino, nimodipino, benazapril, captopril, enalapril(1,4).


Assuntos
Lactação , Hipertensão , Anti-Hipertensivos
14.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43282

RESUMO

O tratamento preferido da Infecção Latente por Tuberculose (ILTB) em crianças menores de 10 anos é realizado com a rifampicina(R) , na dose de 10mg/Kg de peso até a dose máxima de 600mg por dia. Recomenda-se a utilização de no mínimo 120 doses que deverão ser tomadas idealmente em 4 meses, podendo-se prolongar até 6 meses(1).

A segunda escolha de tratamento é realizada com a Isoniazida (H). No esquema de tratamento com isoniazida é adotada a dose de 5 a 10 mg/kg de peso, até a dose máxima de 300mg/dia. Recomenda-se a utilização de 180 doses, que poderão ser tomadas de seis a nove meses, ou 270 doses, que poderão ser tomadas de nove a doze meses(2).


Assuntos
Tuberculose Latente/tratamento farmacológico , Saúde da Criança
15.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43554

RESUMO

A ocorrência de gestações em mulheres com diabetes pré-gestacional tem aumentado nas últimas décadas, segundo as estatísticas(1). O diabetes pré-gestacional pode resultar em complicações graves, sendo que seu efeito começa na fertilização e implantação, afetando de modo particular a organogênese. Esse fato faz aumentar o risco de aborto precoce, defeitos congênitos graves e retardo no crescimento fetal, sobretudo nos casos tratados de maneira inadequada. Além das complicações no concepto, as manifestações maternas também são relevantes, em especial na presença prévia de complicações, como retinopatia, neuropatia, nefropatia e vasculopatia(2).

Referente ao tratamento medicamentoso, somente o profissional médico poderá fazer a prescrição da medicação adequada para uso durante a gestação, que nem sempre precisa ser substituída. Deve-se individualizar o caso e tratar cada paciente conforme sua necessidade. Caso a mulher já faça tratamento de diabetes e descubra a gravidez, deverá ser agendada consulta com endocrinologista para avaliação da medicação.

É fundamental que a mulher que tenha diabetes faça sempre o controle adequado, sobretudo durante a gestação, pois o diabetes descompensado pode resultar em complicações no desenvolvimento fetal e na gestação(3). É importante salientar que não basta o obstetra de alto risco para esse acompanhamento, mas também um endocrinologista para que seja realizada a consulta de forma integral. Portanto, nesses casos o ideal é que a gestante seja acompanhada pelos dois especialistas.


Assuntos
Gravidez em Diabéticas/tratamento farmacológico , Gravidez de Alto Risco
16.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43499

RESUMO

Síndrome de Tourette é uma doença relacionada à saúde mental e neurológica onde acontece um comprometimento psicossocial, causando um impacto na vida dos portadores e familiares. Comumente aparece associada a uma variedade de problemas emocionais e de comportamento. Tem início habitualmente na infância e adolescência, sendo descrita como perturbação de tiques vocais e motores múltiplos combinados(1).

Entre os sintomas descritos estão tiques motores (repetição de gestos obscenos, repetição de movimentos de outras pessoas), tiques vocais (repetição de palavras obscenas, repetição ou imitação de ecos de palavras que a própria pessoa acabou de dizer, repetição de palavras ou frases que ouve de outras pessoas). O Transtorno de Atenção com Hiperatividade (TDAH ) e o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) também aparecem como sintomas da doença(2).


Assuntos
Síndrome de Tourette , Manifestações Neurológicas
17.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43497

RESUMO

É fundamental que o idoso com início de enfisema pulmonar faça mudanças de hábitos e identifique quais são os fatores de riscos para o agravamento da sua condição(1). O profissional de saúde deve atuar junto ao idoso e seus familiares, auxiliando-os na identificação desses riscos.

Para isso, os profissionais devem atuar para a redução de fatores de risco, monitoramento da doença e manejo das exacerbações. A medida preventiva isolada mais eficiente e de melhor custo efetividade é a cessação do tabagismo, caso seja fumante. Deve ser orientada a vacinação anual anti-influenza e anti-pneumocócica a cada cinco anos caso tiver idade superior a 65 anos. A realização de atividade física e melhoria da nutrição, com uma dieta equilibrada, também são mudanças importantes. Em casos mais agravados, deve-se fazer fisioterapia respiratória, avaliar a necessidade de oxigenoterapia e avaliar necessidade de medicações(1).


Assuntos
Enfisema Pulmonar/prevenção & controle , Saúde do Idoso , Prevenção Secundária
18.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43331

RESUMO

Torna-se importante considerar a necessidade de incorporação de estratégias ou condutas terapêuticas que deem suporte psicológico, por meio de abordagens interdisciplinares, que atenda as reais necessidades do hiperutilizador, favorecendo processos de humanização no serviço e reforço em educação em saúde para promoção do autocuidado desse usuário(8,9).

A identificação e caracterização dos pacientes hiperutilizadores é necessária em qualquer serviço de Atenção Primária à Saúde (APS), visto que um dos seus princípios é a resolutividade. Eles devem ter o diagnóstico revisto ou, pelo menos, reavaliado o manejo proposto à sua condição de saúde, uma vez que recorrem frequentemente ao serviço assistencial. Estudos do perfil desses pacientes podem auxiliar no desenvolvimento de abordagens mais resolutivas às demandas desses usuários(1,2).


Assuntos
Sobremedicalização , Atenção Primária à Saúde
19.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43680

RESUMO

Tudo vai depender do número inicial de lesões, da gravidade da infecção, da classificação e tratamento definido para cada pessoa. A maioria das lesões cicatrizam sem deixar marcas, porém pode levar alguns anos para que as lesões cutâneas desapareçam completamente(1,2).

O envolvimento do sistema nervoso é encontrado em todas as formas de hanseníase e pode ocorrer na ausência de lesões cutâneas. Déficits motores e sensoriais podem ser permanentes de acordo com o grau de acometimento da lesão nervosa. Prevenir ou minimizar a lesão dos nervos periféricos é o principal objetivo do tratamento(2,3).


Assuntos
Hanseníase/complicações , Continuidade da Assistência ao Paciente
20.
Pergunta e resposta em Português | SOF - Segunda opinião formativa | ID: sof-43676

RESUMO

É mais indicado o uso de antidepressivos tricíclicos (amitriptilina ou nortriptilina) ou anticonvulsivantes (carbamazepina ou ácido valproico)(1).

Em relação ao uso da vitamina B1(tiamina), apesar de haver relato de melhoras dos sintomas de dor com o uso de doses altas (600 mg ao dia), como os estudos são de curta duração (4 semanas), a eficácia da B1 permanece inconclusiva(2).

”As evidências mais consistentes são para os antidepressivos tricíclicos, com NNT de 4 para alívio moderado da dor. Devem ser iniciados em doses baixas (25 mg), com aumento gradual até resposta terapêutica ou efeitos adversos limitantes. A resposta costuma aparecer após 1 a 2 semanas do início do medicamento, mas ela aumenta até seis semanas após se atingir a dose-alvo ”’Há evidências limitadas, porém, boa experiência de uso, com carbamazepina e ácido valproico. A carbamazepina tem como desvantagem o elevado potencial para interações medicamentosas, enquanto a desvantagem do ácido valproico é a elevada teratogenicidade”(1).


Assuntos
Neuropatias Diabéticas , Parestesia , Tiamina , Amitriptilina
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA