Your browser doesn't support javascript.
loading
O vitalismo hipocrático de Canguilhem / Canguilhem's Hippocratic vitalism
CAIRUS, Henrique Fortuna; GALLUCCI, Lívia.
Afiliação
  • CAIRUS, Henrique Fortuna; Universidade Federal do Rio de Janeiro. Programa de Estudos em Representações da Antiguidade. Rio de Janeiro. BR
  • GALLUCCI, Lívia; Universidade Federal do Rio de Janeiro. Programa de Estudos em Representações da Antiguidade. Rio de Janeiro. BR
Physis (Rio J.) ; 29(2): e290209, 2019.
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-1040753
Biblioteca responsável: BR433.1
Localização: BR433.1
RESUMO
Resumo O vitalismo canguilhemiano não é evidente, tampouco é uma forma mais conhecida desse tipo de pensamento; não nasce das antigas diatribes que, do século XVIII, invadiram as polêmicas do XIX. Canguilhem reabilita o vitalismo a partir de uma abordagem ontológica única, para a qual ele não hesita em referenciar-se nos antigos e, de modo geral, num Hipócrates que, lido sobretudo por meio da história escrita por Charles Singer, traz à tona outros temas, como a crítica ao conceito de homeostase revivido e nomeado por Walter Cannon. Canguilhem redimensiona a homeostase hipocrática que Cannon cientificizou, dando-lhe uma mobilidade que lhe é conceitualmente essencial, e redesenha o projeto do vitalismo, recusando-lhe a antítese do mecanicismo. Dessa forma, Canguilhem foi buscar ou se respaldar num Hipócrates lido pelos historiadores da medicina (e das ciências biomédicas). Este artigo procurou mapear a contribuição de longa duração de Georges Canguilhem para o discurso médico, bem como seu papel fundador de uma nova concepção de normalidade a partir da sua concepção de vitalismo, que, para ele, é herdeira de um "espírito hipocrático".
ABSTRACT
Abstract Canguilhem's vitalism is not obvious, neither does is consist of a more known form of this type of thinking; it does not come from the old diatribes that, coming from the 19th century, are still relevant to the 20th century's discussions. Canguilhem reclaims vitalism from a unique ontological approach, and does not hesitate to allude to the classics and, most of all, to a Hippocrates that, read mainly through the perspective of the history written by Charles Singer, brings to light other themes such as the critic to the concept of homeostasis revitalized and named by Walter Cannon. Canguilhem gives another perspective to Hippocrates' homeostasis, that was "scientified" by Cannon, giving it mobility that is considered essential to its concept and redraws the vitalism project, rejecting the place of mechanism antithesis. This paper aimed to map Canguilhem's longue durée contribution to the medical discourse, as well as his funding role of a new conception of normality formulated from his own interpretation of a vitalism that, in his point of view, comes from a "Hippocratic spirit".
Assuntos

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Vitalismo / Processo Saúde-Doença / Medicina Limite: Humanos Idioma: Português Revista: Physis (Rio J.) Assunto da revista: Saúde Pública Ano de publicação: 2019 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade Federal do Rio de Janeiro/BR