Your browser doesn't support javascript.
loading
The Economic Burden of Heart Conditions in Brazil / Os Custos das Doenças Cardíacas no Brasil
Stevens, Bryce; Pezzullo, Lynne; Verdian, Lara; Tomlinson, Josh; George, Alice; Bacal, Fernando.
Afiliação
  • Stevens, Bryce; Deloitte Access Economics Pty Ltd. AU
  • Pezzullo, Lynne; Deloitte Access Economics Pty Ltd. AU
  • Verdian, Lara; Deloitte Access Economics Pty Ltd. AU
  • Tomlinson, Josh; Deloitte Access Economics Pty Ltd. AU
  • George, Alice; Deloitte Access Economics Pty Ltd. AU
  • Bacal, Fernando; Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Hospital das Clínicas. São Paulo. BR
Arq. bras. cardiol ; 111(1): 29-36, July 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: biblio-950186
Biblioteca responsável: BR1.1
ABSTRACT
Abstract

Background:

Heart conditions impose physical, social, financial and health-related quality of life limitations on individuals in Brazil.

Objectives:

This study assessed the economic burden of four main heart conditions in Brazil hypertension, heart failure, myocardial infarction, and atrial fibrillation. In addition, the cost-effectiveness of telemedicine and structured telephone support for the management of heart failure was assessed.

Methods:

A standard cost of illness framework was used to assess the costs associated with the four conditions in 2015. The analysis assessed the prevalence of the four conditions and, in the case of myocardial infarction, also its incidence. It further assessed the conditions' associated expenditures on healthcare treatment, productivity losses from reduced employment, costs of providing formal and informal care, and lost wellbeing. The analysis was informed by a targeted literature review, data scan and modelling. All inputs and methods were validated by consulting 15 clinicians and other stakeholders in Brazil. The cost-effectiveness analysis was based on a meta-analysis and economic evaluation of post-discharge programs in patients with heart failure, assessed from the perspective of the Brazilian Unified Healthcare System (Sistema Unico de Saude).

Results:

Myocardial infarction imposes the greatest financial cost (22.4 billion reais/6.9 billion USD), followed by heart failure (22.1 billion reais/6.8 billion USD), hypertension (8 billion reais/2.5 billion USD) and, finally, atrial fibrillation (3.9 billion reais/1.2 billion USD). Telemedicine and structured telephone support are cost-effective interventions for achieving improvements in the management of heart failure.

Conclusions:

Heart conditions impose substantial loss of wellbeing and financial costs in Brazil and should be a public health priority.
RESUMO
Resumo Fundamento As doenças cardíacas impõem limitações à qualidade de vida nos aspectos físicos, sociais, financeiros e de saúde no Brasil.

Objetivos:

Este estudo avaliou o custo de quatro importantes doenças cardíacas no Brasil hipertensão, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio e fibrilação atrial. Além disso, avaliou a relação de custo-efetividade de telemedicina e suporte telefônico estruturado para o manejo de insuficiência cardíaca.

Métodos:

Um custo padrão da estrutura de enfermidade foi usado para avaliar os custos associados às quatro condições em 2015. Analisou-se a prevalência das quatro doenças e, em caso de infarto do miocárdio, também sua incidência. Avaliaram-se ainda as despesas associadas ao tratamento, a perda de produtividade a partir da redução do emprego, os custos do fornecimento de assistência formal e informal e o bem-estar perdido referentes às condições. A análise teve por base uma revisão de literatura-alvo, varredura de dados e modelagem. Todos os inputs e métodos foram validados por 15 clínicos consultores e outras partes interessadas no Brasil. A análise de custo-efetividade baseou-se em uma meta-análise e uma avaliação econômica de programas após a alta de pacientes com insuficiência cardíaca, considerados a partir da perspectiva do Sistema Único de Saúde do Brasil.

Resultados:

Infarto do miocárdio acarretou o mais alto custo financeiro (R$ 22,4 bilhões/6,9 bilhões de dólares), seguido de insuficiência cardíaca (R$ 22,1 bilhões/6,8 bilhões de dólares), hipertensão (R$ 8 bilhões/2,5 bilhões de dólares) e, finalmente, fibrilação atrial (R$ 3,9 bilhões/1,2 bilhão de dólares). Telemedicina e suporte telefônico estruturado são intervenções custo-efetivas para o aprimoramento do manejo da insuficiência cardíaca.

Conclusões:

As doenças cardíacas determinam substanciais custos financeiros e perda de bem-estar no Brasil e deveriam ser uma prioridade de saúde pública.
Assuntos


Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 4: Financiamento para a saúde Base de dados: LILACS Assunto principal: Custos de Cuidados de Saúde / Cardiopatias Tipo de estudo: Avaliação econômica em saúde Limite: Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Inglês Revista: Arq. bras. cardiol Assunto da revista: Cardiologia Ano de publicação: 2018 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Austrália / Brasil Instituição/País de afiliação: Deloitte Access Economics Pty Ltd/AU / Universidade de São Paulo/BR

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 4: Financiamento para a saúde Base de dados: LILACS Assunto principal: Custos de Cuidados de Saúde / Cardiopatias Tipo de estudo: Avaliação econômica em saúde Limite: Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Inglês Revista: Arq. bras. cardiol Assunto da revista: Cardiologia Ano de publicação: 2018 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Austrália / Brasil Instituição/País de afiliação: Deloitte Access Economics Pty Ltd/AU / Universidade de São Paulo/BR
...